Anda di halaman 1dari 12

Aritmética Binária

Organização de Computadores

Guilherme Bertoni Machado

Faculdades SENAC
Sistemas de Informação

27 de fevereiro de 2008

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Contextualizando

Os Computadores e as calculadoras digitais realizam várias


operações aritméticas sobre números representados no
formato binário.
Primeiro estudaremos como as várias operações aritméticas
são realizadas sobre números binários usando-se “lápis e
papel” e, em seguida, estudaremos os circuitos lógicos atuais
que realizam essas operações em um sistema digital.

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Adição e Subtração Binária

0+0=0
1+0=1
0+1=1
1 + 1 = 10 = 0 + carry 1 para próxima posição
1 + 1 + 1 = 11 = 1 + carry 1 para próxima posição

0-0=0
1-0=1
0 - 1 = 1, pede emprestado 1 (10 - 1)
1-1=0

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Contextualizando

Na aritmética em Sinal-Magnitude, o sinal da operação


não pode, pelo menos nesta forma de representação, ser
considerado na operação. Ele somente será necessário
para identificar o tipo de operação e o sinal do resultado.
O problema encontrado pelos fabricantes de
computadores na implementação de Unidades Lógicas e
Aritméticas (ULA) que efetuem operações aritméticas com
valores representados em Sinal-Magnitude reside
principalmente nos fatores de custo e velocidade. No caso
do custo, é devido à necessidade de construção de dois
elementos diferentes para efetuar a soma e a subtração e
quanto a velocidade, devido ao tempo de manipulação de
sinais de modo a determinar o tipo da operação e o sinal
do resultado.
Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores
Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Adição Sinal-Magnitude
A operação de soma na representação em Sinal-Magnitude
utiliza o seguinte algoritmo:
1 Verificam-se os sinais dos números e efetua-se uma
comparação entre eles;
2 Se ambos os números têm o mesmo sinal, somam-se as
magnitudes. O sinal resultante é o mesmo das parcelas;
3 Se os números têm sinais diferentes:
1 Identifica-se a maior das magnitudes e registra-se o seu
sinal;
2 Subtrai-se a magnitude menor da maior (apenas as
magnitudes);
3 Sinal do resultado é igual ao sinal da maior magnitude.

Overflow: O overflow (estouro) é determinado quando ocorre a


existência de um “vai-um” (carry) para o bit de sinal.
Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores
Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Subtração Sinal-Magnitude

A operação de subtração na representação em


Sinal-Magnitude utiliza o seguinte algoritmo:
1 Troca-se o sinal do subtraendo;
2 Procede-se como no algoritmo de soma.

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Forma do complemento de 1

O complemento de 1 de um número binário é obtido


substituindo cada 0 por 1 e cada 1 por um 0. Em outras
palavras, substitui-se cada bit do número binário pelo seu
complemento. Esse processo é mostrado abaixo:
101101 número binário original
010010 complementa-se cada bit para obter o
complemento de 1

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Forma do complemento de 2

O complemento de 2 de um número binário é obtido


tomando-se o complemento de 1 do número e somando-se 1
na posição do bit menos significativo. Esse processo está
ilustrado abaixo para (101101)2 = (45)10
101101 número binário de 45
010010 complementa-se cada bit para obter o
complemento de 1
+ 1 adiciona-se para obter o complemento 2
010011 complemento de 2 do número binário original

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Contextualizando
A aritmética em complemento de 2 requer apenas um
componente (somador) para somar ou subtrair dois
números e um componente que realize a operação de
complemento.
Representaçõa dos dados Sinal e Magnitude:
Duas representações para o zero
Simetria de Positivos e Negativos
Dificuldade em fazer operações
Complemento de Um
Duas representações para o zero
Simetria de Positivos e Negativos
Dificuldade em fazer operações
Complemento de Dois
Uma única representação para zero
Um negativo a mais que os positivos
Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores
Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Soma em Complemento de 2
A operação de soma na representação em Complemento de 2
utiliza o seguinte algoritmo:
1 Somar os 2 números, bit a bit, inclusive o bit de sinal;
2 Desprezar o último "vai-um" (carry) (para fora do número),
se houver;
3 Se, simultaneamente, ocorrer "vai-um" para o bit de sinal e
para fora do número, ou se ambos não ocorrerem, o
resultado está correto;
4 Se ocorrer apenas um dos dois "vai-um" (carry) (ou para o
bit de sinal ou para fora do número), o resultado está
incorreto. Ocorreu um Overflow. O Overflow somente pode
ocorrer se ambos os números tiverem o mesmo sinal (seja
positivo ou negativo) e, nesse caso, se o sinal do resultado
for oposto ao dos números.
Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores
Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Subtração em Complemento de 2

A operação de subtração na representação em Complemento


de 2 utiliza o seguinte algoritmo:
1 Complementar o subtraendo, independentemente se o
número seja positivo ou negativo;
2 Somar os dois números como na operação de soma.

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores


Introdução
Aritmética Binária Aritmética em Sinal-Magnitude
Aritmética em Complemento de 2

Análise do Overflow pelo carry in e carry out

Se houver número par de carry não há overflow.


Se houver número impar de carry então há overflow.
Carry In Carry Out Overflow
Sim Sim Não
Sim Não Sim
Não Sim Sim
Não Não Não

Guilherme Bertoni Machado Organização de Computadores