Anda di halaman 1dari 72

GU

PR IA
ES DO
EN AL
C U
IA N
L O
02
CLARETIANO - CENTRO
UNIVERSITÁRIO

03
04
BREVE HISTÓRICO
O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO é manti- “José Olympio”. Posteriormente, as Faculdades Claretia-
do pela EDUCLAR - Ação Educacional Claretiana - que é nas, que contavam com campus nas cidades de Batatais,
dirigida pelos Missionários Claretianos desde 1925. Ini- Rio Claro e São Paulo, transformaram-se em Faculdades
cialmente como Colégio e posteriormente como Centro Integradas – UNICLAR - União das Faculdades Claretianas.
de Ensino Superior, sempre objetivando a formação com A unidade de Batatais foi credenciada como CLA-
espírito cristão e sólida formação humana. RETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO por meio do Decre-
Partindo do princípio de que a educação é promotora to Presidencial de 25 de abril de 2001, após aprovação
da dignidade da pessoa humana e do seu desenvolvimen- no Conselho Nacional de Educação, mediante o parecer
to integral, a atividade educativa dos Claretianos sempre CNE/CES 326/2001, e recredenciada por meio da Por-
esteve atenta ao processo histórico da educação no país. taria Ministerial nº. 4.501, de 23 de dezembro de 2005
Coerentes com estes princípios, intensificaram-se as (DOU de 26 de dezembro de 2005 - Seção I - p. 22). Em
reflexões quanto às questões básicas da educação em to- 2012 obteve novo recredenciamento do MEC através da
dos os segmentos da Instituição, visando ao crescimento Portaria Nº 516, de 09 de maio de 2012, publicada no
harmônico de toda a comunidade educativa. D.O.U. de 10/05/2012.
A dedicação dos Claretianos à educação superior co- O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO também,
meçou no ano de 1970, com a fundação da Faculdade de é uma instituição credenciada pelo MEC para oferta de
Educação Física de Batatais, que abriu as portas para o cursos de Graduação e Pós-graduação a distância, inte-
surgimento da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras grando atualmente o CLARETIANO – Rede de Educação.

05
06
MISSÃO

A Missão do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO consiste


em “capacitar a pessoa humana para o exercício profissional
e para o compromisso com a vida, mediante a sua formação
integral. Esta missão se caracteriza pela investigação da ver-
dade, pelo ensino e pela difusão da cultura, inspirada nos va-
lores éticos e cristãos e no Carisma Claretiano que dão pleno
significado à vida humana”

07
OBJETIVOS DO
CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO
Orienta as atividades didático-pedagógicas de acor- II - formar cidadãos críticos e criativos, aptos à in-
do com as finalidades previstas no seu Estatuto e neste serção em setores profissionais e para a participação no
Regimento, mediante a oferta de cursos e programas processo de desenvolvimento dos povos;
de diferentes graus de abrangência, visando à indisso- III - promover a produção e a socialização do co-
ciabilidade do ensino, da pesquisa e da extensão, com nhecimento e da pesquisa no campo da ciência, da tec-
o objetivo básico de: nologia, das artes, das letras e da filosofia; e,
I - estimular a criação cultural e o desenvolvimen- IV - promover e manter intercâmbio com instituições
to do espírito científico e do pensamento reflexivo; científicas, culturais, educacionais e outras congêneres.

08
CURSOS DE GRADUAÇÃO PRESENCIAIS EM
ANDAMENTO

CURSO TURNO DURAÇÃO


Administração - Bacharelado Noturno 4 anos
Agronegócio – Tecnológico Noturno 3 anos
Ciências Biológicas - Bacharelado Noturno 4 anos
Educação Física - Bacharelado Noturno 4 anos
Educação Física - Licenciatura Noturno 3 anos
Enfermagem - Bacharelado Noturno 5 anos
Estética e Cosmetologia – Tecnológico Noturno 3 anos
Filosofia – Licenciatura Noturno 3 anos
Fisioterapia - Bacharelado Noturno 5 anos
Gestão de Recursos Humanos - Tecnológico Noturno 2 anos
Gestão Financeira – Tecnológico Noturno 2 anos
Nutrição - Bacharelado Noturno 4 anos
Pedagogia - Licenciatura Noturno 4 anos
Sistemas de Informação - Bacharelado Noturno 4 anos
Terapia Ocupacional - Bacharelado Noturno 4 anos

09
10
MATRÍCULA

11
12
MATRÍCULA, REMATRÍCULA E TRANSFERÊNCIAS
A matrícula consiste no ato formal de ingresso no No ato da rematrícula, o aluno deverá estar em dia
curso para o qual se opta e de vinculação ao CLARETIANO com sua documentação, ter conhecimento de seus resul-
- CENTRO UNIVERSITÁRIO. Assim, a matrícula dos alunos tados do período anterior e apresentar o comprovante de
novos efetuar-se-á após o aluno ingressante, classificado regularidade com a biblioteca e com o setor financeiro.
no processo seletivo, apresentar a documentação com- A instituição aceita transferência de alunos pro-
pleta à Secretaria de Controle e Registros, efetuar seus cedentes de outras instituições nacionais autorizadas,
pagamentos e preencher o requerimento de matrícula. para prosseguimento do mesmo curso, desde que haja
O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO adota o vaga, ressalvados os casos de transferência amparados
regime seriado semestral. Desse modo, a matrícula de- em lei. O requerimento de transferência podeá ser feito
verá ser renovada semestralmente, observando-se, obri- na instituição ou pelo site nos preríodos estabelecidos.
gatoriamente, a existência de vagas e os prazos fixados. Também são admitidos candidatos portadores de di-
O período de matrícula consta no calendário escolar e ploma de curso superior advindos da mesma área de
a não observância deste implica na perda do período. conhecimento ou afins.

TRANCAMENTO E CANCELAMENTO DE
MATRÍCULA
É concedido o trancamento de matrícula se aluno cula será concedido, por um período máximo de 2 anos.
interromper temporariamente seus estudos. Neste caso o A interrupção dos estudos por cancelamento de
aluno continuará com seu vínculo à instituição e com di- matrícula ou abandono de curso implica na perda do
reito à renovação de matrícula no período letivo seguinte. vínculo com a Instituição, mantendo-se as obrigações
O aluno que interromper seus estudos por trancamento contratuais. O retorno somente será permitdo median-
poderá retornar e enquadrar-se no currículo do curso em te novo processo seletivo.
vigor na época da rematrícula. O trancamento de matrí- O cancelamento de matrícula será concedidol, des-

13
de que satisfeitas as obrigações contratuais do aluno do curso, o período correspondente ao trancamento
com a Instituição. de matrícula.
Caso o aluno deixar de se matricular por um ou mais O aluno jubilado, ou seja, que não consegui con-
períodos letivos, sem pedido de trancamento de matrí- cluir o curso em seu tempo máximo para integralização
cula, ou após haver se beneficiado do trancamento, dei- também perderá o vínculo com a instituição, podendo
xar de efetuar a sua matrícula, poderá perder sua vaga. retornar mediante processo seletivo.
Não será computado, no prazo de integralização

14
COMPONENTES
CURRICULARES E
OUTRAS ATIVIDADES

15
16
AS DISCIPLINAS EM GERAL
Nos cursos de graduação as disciplinas, em geral, são de 45 minutos para cada para disciplinas de 60 horas e
consideradas componentes do currículo de formação do duas aulas de 45 minutos para as dixciplina de 30 horas.
aluno e totalizam a carga horária estabelecida pela le-
gislação e formalmente estabelecem as Matrizes Curri- DISCIPLINAS ESPECÍFICAS DE CADA CURSO
culares de cada curso e são representadas pelos recortes
do conhecimento de cada área de estudo. São aquelas orientadas e subsidiadas pelas Diretri-
Estão articuladas com as disciplinas outros com- zes Curriculares Nacionais conforme as especificidades
ponentes curriculares formativos, tais como: estágios, de conhecimento de cada curso.
atividades complementares, atividades acadêmico-
-científico-culturais, práticas, iniciação científica e ex- DISCIPLINAS INSTITUCIONAIS
tensão universitária.
As matrizes curriculares dos cursos Graduação Pre- No currículo dos cursos de Graduação constam um
enciais do CLARETIANO contam com 5 ou 6 disciplinas por conjunto de disciplinas institucionais, que buscam atender
semestre, normalmente com cargas horárias de 60 ou à Missão e aos objetivos do Claretiano - Centro Universitá-
30 horas. Para cumprir esta carga horária, todos os cursos rio, bem como ao processo de nivelamento de seus alunos.
terão em suas programações semanais 4 (quatro) aulas

17
QUADRO DE DISCIPLINAS INSTITUCIONAIS
Disciplinas Carga Horária Ementas
Comunicação e linguagem. Texto: conceito, tipologia e estruturação. Fatores
de textualidade: coerência e coesão. Aspectos gramaticais relevantes à pro-
Língua Portuguesa 60h
dução textual. Dissertação e resumo. Leitura crítica, interpretativa e analítica.
Produção de textos.
Conceito de ciência, classificação e divisão. Conhecimento científico e outras
Iniciação à Pesquisa
30h formas de conhecimento. Procedimentos didáticos para iniciação à pesquisa
Científica
científica. Questões éticas da pesquisa científica.
Metodologia da
30h Projeto de pesquisa. Métodos e técnicas de pesquisa. Redação do trabalho científico.
Pesquisa Científica
Notas Introdutórias sobre Antropologia Teológica. Aspectos histórico-antropo-
lógicos do ser humano e sua influência na concepção de sociedade. A pessoa e
sua atuação nos diferentes contextos sócio-culturais da humanidade. Os desa-
Antropologia Teológica 30h
fios e impasses da noção de pessoa na sociedade contemporânea. A definição
de pessoa no Projeto Educacional Claretiano e suas implicações nas diferentes
áreas de atuação do ser humano.
Licenciatura: Vocabulário da Língua Brasileira de Sinais – Libras. Libras em
contexto. Gramática da Libras. A importância da Libras na comunicação e na
educação do indivíduo surdo. A história da educação dos surdos. O indivíduo
60h (Licenciatura em
surdo e suas interações na escola. Abordagens educacionais. Implementação
Pedagogia)
do bilinguismo na atualidade. A função do intérprete e do professor de Libras.
Língua Brasileira de 30h (Demais
Sinais Licenciaturas,
Bacharelado e Tecnólogos: Os direitos da pessoa surda. A importância da
Bacharelados e
Libras na comunicação e na educação do indivíduo surdo. A história da pessoa
Tecnólogos)
surda. O indivíduo surdo e suas interações na sociedade. A implementação do
bilinguismo na atualidade. Vocabulário da Língua Brasileira de Sinais (Libras).
Libras em contexto. Diálogos em Libras. Gramática da Libras.

18
DISCIPLINAS OPTATIVAS DE FORMAÇÃO trabalho prático e específico da formação profissional.
A disciplina funcionará como extensão das demais
Regulamentadas pelas Resoluções do CONSUP no. disciplinas curriculares e estará voltada para atualização
13/2004 e no. 25/2006, (disciplinas presentes nas ma- de conhecimentos e domínio de habilidades para me-
trizes curriculares dos cursos de Graduação presencial), lhor preparo do desempenho profissional. É um meio
as disciplinas optativas de formação estão voltadas para de viabilizar a formação mais profunda e abrangente,
a atualização e o aprofundamento da área de formação integrando o ensino e a extensão.
profissional e relacionada ao perfil do egresso. Levando esta proposta para o campo prático, os pro-
Justificam-se pelos avanços científicos e tecnológicos cedimentos e critérios serão os seguintes:
em todos os campos do saber e as necessidades de sua 1 - No semestre em que essas disciplinas forem
incorporação imediata nos currículos de formação; pela oferecidas, o colegiado (coordenador e professores) do
flexibilização curricular e interdisciplinaridade; abertura curso reunir-se-á para estudar, rever e apresentar um rol
democrática saudável entre a proposta curricular e a es- de disciplinas com propostas inovadoras relacionadas aos
colha do aluno; pela possibilidade de extensão universi- perfis de cada fase de formação.
tária; pela política de ação curricular para a Graduação. 2 - Durante o semestre, as disciplinas que compõem
Neste sentido, tais disciplina objetivam preservação a proposta de “Optativas de Formação” serão apresentadas
da dinâmica curricular, ou seja, a flexibilização e atua- aos alunos para que eles façam suas escolhas (opções)
lização deste em relação às necessidades e realidades para o semestre seguinte.
educacionais e sociais; interdisciplinaridade entre os 3 - As disciplinas deverão ser escolhidas conforme
campos do saber e as áreas de formação. as orientações de cada curso, ou seja, com critérios para
A disciplina Optativa de Formação é considerada, cada semestre ou área de atuação, podendo ser consi-
também, uma proposta didática específica que reflete deradas inter-áreas.
uma política de ação curricular da Graduação que nos 4 - Serão oferecidas as disciplinas que contarem
remete a pensar o currículo como processo, como movi- com maior procura, ou seja, caso uma disciplina escolhi-
mento, propondo flexibilização do conhecimento, per- da como primeira opção pelo aluno não seja oferecida,
mitindo o desenvolvendo de experiências próprias, além prevalecerá a segunda opção do aluno.
de impulsionar a criação de novas metodologias para o 5 - A disciplina “Optativa de Formação” integra a

19
carga horária obrigatória do curso. Portanto, enquadra- Pedagogia – Licenciatura (a distância) com carga horária
-se aos critérios regimentares de avaliação e frequência, de 60 horas (obrigatória). Nos demais cursos, a inserção
podendo gerar dependência. da disciplina ocorreu a partir de 2010:
- nas demais licenciaturas, como disciplina obriga-
DISCIPLINA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS tória, com carga horária de 30 horas;
– LIBRAS - nos bacharelados e cursos superiores de tecnolo-
gia, como disciplina optativa ou obrigatória, com carga
Nos últimos anos, o CLARETIANO - CENTRO UNIVER- horária de 30 horas.
SITÁRIO vem recebendo alunos com necessidades educa- Cabe salientar que, desde 2005, o CLARETIANO -
cionais especiais no ensino superior.A demanda de alunos CENTRO UNIVERSITÁRIO oferece o curso de extensão em
com necessidades educacionais especiais demanda têm Língua Brasileira de Sinais, para o público externo, pro-
sido assistida pelas políticas de inclusão implementadas fessores, alunos e funcionários da Instituição.
no Brasil desde 1994, a partir da Declaração de Salamanca. Com o oferecimento da Língua Brasileira de Sinais,
De acordo com as políticas nacionais educacionais o Claretiano pretende melhorar a comunicação e inte-
de inclusão (BRASIL, 1994; BRASIL, 1996; BRASIL, 1997; ração entre aluno surdo, professores e alunos ouvintes;
BRASIL, 1999; SÃO PAULO, 2000; BRASIL, 2001; BRASIL, atender à aprendizagem a ao desenvolvimento do alu-
2002; BRASIL, 2006), os alunos com necessidades espe- no surdo no curso; dar condições de trabalho para os
ciais, quando inseridos nos contextos comuns de ensino, professores dos diversos cursos; incorporar a política de
devem encontrar um currículo que atenda a sua condição educação inclusiva.
diferenciada. Em outras palavras, a Universidade deve se
adequar às necessidades do aluno, viabilizando a sua DISCIPLINAS DO CENTRO DE FORMAÇÃO
aprendizagem nesse contexto. DE PROFESSORES (SOMENTE PARA OS
Atendendo ao Decreto nº. 5.626, de 22/12/05 (que CURSOS DE LICENCIATURAS)
dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras), des-
de 2006, o CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO imple- O Centro de Formação de Professores do CLARETIA-
mentou a disciplina de Libras nos cursos de Pedagogia NO - CENTRO UNIVERSITÁRIO é um organismo interno
– Licenciatura (presencial) e, desde 2007, no curso de orientado pela Missão Institucional, ou seja, “capacitar

20
a pessoa humana para o exercício profissional e para o plementar. Torna-se um grande desafio, para o Centro de
compromisso com a vida mediante uma formação in- Formação de Professores e para o CLARETIANO - CENTRO
tegral; missão que se caracteriza pela investigação da UNIVERSITÁRIO, transpor e dinamizar as Diretrizes Nacio-
verdade, o ensino e a difusão da cultura, que dão pleno nais para a Formação de Professores da Educação Básica,
significado à vida humana” (MISSÃO E PROJETO EDUCA- para a Filosofia e a Missão Claretiana. Esse desafio será
TIVO, Claretiano, 2012, p. 17). construído, dinamizado e concretizado nas relações es-
Essa proposta configura-se como um espaço de dis- tabelecidas pelos profissionais (professores formadores,
cussão, de retomada e de dinamização das licenciaturas coordenadores e direção), tendo em vista uma adequação
do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, bem como de à nossa comunidade e à realidade regional.
proposição de mudanças substanciais nas estruturas cur- Em ação conjunta do Centro de Formação de Profes-
ricular e pedagógica desses cursos, com a premissa de sores e Coordenadores de Licenciaturas, foi proposta uma
oferecer novos rumos para a formação de futuros pro- organização curricular mínima, que serve de meio para a
fessores do Ensino Básico de nossa região, concluintes do articulação dos conhecimentos e das atividades expressos
Ensino Médio, além de sua formação continuada e com- nos objetivos formativos desejados para a ação docente:

DISCIPLINAS – CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

DISCIPLINAS EMENTAS
Fundamentos Origem da problemática pedagógica e diferentes vertentes pedagógicas na Antiguidade. Educação
Históricos e na Antiguidade: Egito e Grécia Antiga. A Educação na época helenística e romana. Idade Média e sua
Filosóficos da concepção educativa. A Educação na Idade Média: Período Patrístico e Período Escolástico. Problemas
Educação pedagógicos na Modernidade. Período Humanístico e Renascentista. A Educação na Era Moderna e
60h Contemporânea. Modelos Contemporâneos da Educação.
Sociologia da
Introdução à Sociologia; Sociologia: a educação como objeto de estudo da Sociologia. Educação e
Educação
sociedade: cultura escolar. Diversidade Cultural e Globalização.
60h

21
Psicologia da Perspectivas históricas da Psicologia: diferentes escolas. Diferentes abordagens teóricas da psicologia.
Educação Desenvolvimento Humano: ciclo vital e psicossocial. Teorias cognitivas da aprendizagem. Variáveis
60h psicológicas e o ensino aprendizagem. Erro e Fracasso Escolar. Indisciplina na Escola.
Didática: visão histórica e objeto de estudo. O processo de ensino e aprendizagem nas diferentes
Didática Geral abordagens pedagógicas. Elementos didáticos e planejamento escolar. Avaliação Escolar: conceituação,
60h importância, avaliação da aprendizagem, tipos e instrumentos avaliativos. Formação de professores:
identidade e contextos de trabalho.
As Políticas Educacionais (aspectos sociopolíticos e históricos; reformas educacionais e planos de educação;
Políticas da programas nacionais de educação; financiamento da educação escolar). As Estruturas do Ensino Brasileiro
Educação Básica (níveis e modalidades de educação e ensino; estrutura didática; estrutura administrativa; currículo escolar;
60h profissionais da educação). A Legislação Escolar (Lei Federal 9.394/96 - LDB; Constituição Federal de
1.988; Lei Federal 8.069/90 - ECA).
Fundamentos
e Métodos do
Ensino de... Ementa organizada pelos colegiados de curso.
(específico de
cada licenciatura)
Fundamentos
da Educação
História da Educação Especial: paradigmas e fatos significativos no mundo e no Brasil. Políticas da
Inclusiva
Educação Especial. O aluno com necessidades educacionais especiais: processo ensino/aprendizagem,
60h (Licenciatura
adaptações curriculares e recursos pedagógicos. Prevenção, profissionalização, empregabilidade, relações
em Pedagogia)
interpessoais e qualidade de vida na terceira idade da pessoa com necessidades educacionais especiais.
30h (Demais
Licenciaturas)

22
Esse conjunto de conhecimentos educacionais é de informação e comunicação e também das estratégias
um meio para auxiliar na formação de um profissional como suportes educacionais para que torne o conheci-
da educação com o seguinte perfil: mento acessível aos educandos. Um educador que saiba
Um professor reflexivo-investigador, comprometi- avaliar, criticamente, sua própria atuação e o contexto
do com a área da Educação e com a ética democrática, em que atua, que saiba desencadear um trabalho em
trabalhando para a promoção da dignidade humana, da equipe e que seja atualizado e autônomo para buscar o
justiça, do respeito mútuo, da participação, da responsa- aprimoramento de sua formação continuada.
bilidade, do diálogo e da solidariedade, atuando como
profissional e como cidadão, conhecedor de suas realida- O Centro de Formação de Professores do Claretia-
des econômica, cultural, política e social para atuar como no justifica-se:
agente transformador do contexto em que está inserida a) pela unificação e pelo fortalecimento das licen-
a prática educativa; orientador e mediador de um proces- ciaturas do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO;
so ensino-aprendizagem democrático, que lide de forma b) pela melhoria da qualidade da formação do pro-
justa com a diversidade existente entre seus alunos, en- fessor de Educação Básica, tendo em vista um processo
volvido com a escola e com a comunidade (cidadania). de ensino-aprendizagem que atenda à diversidade de
Um docente que saiba planejar, organizar, implementar nosso país;
e desenvolver a práxis pedagógica, bem como projetos c) pela ressignificação do professor no cenário edu-
e experiências educativas, utilizando-se das tecnologias cacional atual.

23
24
ATIVIDADES
ACADÊMICAS
CURRICULARES

25
26
PRÁTICAS NAS LICENCIATURAS
De acordo com a RESOLUÇÃO CNE/CP 2, de 19 de fundamento e diversificação de estudos, experiências e
fevereiro de 2002, todos os cursos de licenciatura (de utilização de recursos pedagógicos, tais como:
Graduação Plena, de formação de professores da Edu- • planos de aula, programas de ensino;
cação Básica em nível superior) deverão compor em • entrevistas com professores;
seu currículo 400 (quatrocentas) horas de prática como • criação e análise de material didático;
componente curricular. • apresentações artísticas (atividades de comuni-
A Prática vincula-se a uma teoria que lhe dá senti- cação e expressão cultural);
do e que orienta a sua ação, por isso é coerente que seja • análise de livros didáticos e paradidáticos;
realizada nas disciplinas que compõem a formação pe- • uso de mídias: televisão, telejornal, jornal, CD-
dagógica e em conjunto com a formação específica do -ROM, retroprojetor, vídeos, fotos, revistas, cartazes, etc.;
profissional. São atividades essencialmente práticas, • criação ou análise de jogos;
planejadas, orientadas, acompanhadas pelo professor • oficinas;
e, intrinsecamente, ligadas aos conteúdos, habilidades • pesquisa e análise dos processos que ocorrem em
e atitudes, estabelecidos no perfil de origem da disci- sala de aula;
plina contemplada com a Prática (ver Projeto Político- • pesquisa e análise das estratégias de intervenção
-Pedagógico dos cursos). didática;
A Prática nos cursos de Licenciatura é desenvolvida • pesquisa e análise dos problemas de ensino e
sob a forma de projetos, vinculada a todas as disciplinas aprendizagem;
e orientada pelos professores, cujos conteúdos contem- • pesquisa e análise de artigos científicos relacio-
plarão a formação do futuro docente, podendo ou não nados à formação de professores para exercer as funções
ocorrer de forma interdisciplinar. de magistério na área de seu curso;
Os professores proporão projetos sob diversas mo- • atividades que relacionem pesquisa e prática;
dalidades que envolvem atividades práticas de modo a • apresentação de resultados de pesquisas reali-
propiciar vivências das mais diversas possíveis, nas dife- zadas;
rentes áreas do campo educacional, assegurando apro- • e outras modalidades de atividades que o profes-

27
sor necessitar incluir, desde que contemplem objetivos de acordo com regimento próprio de cada curso. Cabe
educacionais ligados a estas atividades; salientar que o coordenador de curso junto com seus
• nas atividades de prática não são realizadas re- professores decidirão a respeito do número de horas e
gências (essas atividades são destinadas exclusivamente período de realização das Práticas; do tipo de Projetos e
para o estágio). metodologia a ser desenvolvida e do processo de ava-
A regulação das Práticas nas licenciaturas acontece liação destes.

VIVÊNCIAS FISIOTERAPÊUTICAS (FISIOTERAPIA)


O programa de Vivência, específico do curso de Fi- tão. A atividade sempre envolve o acompanhamento de
sioterapia, inicia-se no segundo semestre e termina no pacientes e a descrições de fatos ou situações que envol-
oitavo semestre, sempre vinculado às disciplinas espe- vam o atendimento e as disciplinas cursadas no semestre.
cíficas que fundamentam o respectivo perfil. Assim, a O acompanhamento das atividades é realizado por
busca crescente com níveis de complexidade progressi- meio dos relatórios preenchidos pelos alunos, atestados
va é objetivo geral, que finda no estágio supervisionado pelo profissional do setor em que foram sendo realizadas
curricular dos dois últimos semestres. e validados na Instituição pela coordenação e docentes. A
A cada semestre, os alunos são orientados via mate- carga horária será estabelecida de acordo com o Projeto
rial específico a respeito das atividades que estão sempre Político-pedagógico do curso.
relacionadas às disciplinas cursadas no semestre em ques-

VIVÊNCIAS PRÁTICAS (ENFERMAGEM)


As Vivências Práticas, em caráter obrigatório, buscam processo ensino-aprendizagem que garante a qualidade
intercâmbio entre teoria e a prática de disciplinas que en- na formação do profissional na área de Enfermagem.
volvem assistência de enfermagem e contemplam ativi- Os objetivos das Vivências Práticas são: 1) favore-
dades de observação e/ou práticas, dando sustentação ao cer ao Curso de Enfermagem um Projeto concreto para

28
contemplar as necessidades de atendimento na área da gica, Enfermagem Pediátrica e Neonatal, Enfermagem
Saúde da Comunidade local e regional, desde os níveis de Clínica, Enfermagem Cirúrgica, Centro de Terapia Inten-
promoção e prevenção, até os níveis de tratamento, cura siva e Unidades Especializadas, Enfermagem em Central
e recuperação; 2) possibilitar aos alunos uma formação de Material e Esterilização e Ergonomia, Saúde do Traba-
teórico-prática generalista, com as seguintes áreas de lhador e Biossegurança; 3) propiciar aos alunos do Curso
abrangência aplicadas à Enfermagem: Fundamentos de de Enfermagem uma visão crítica, ampla e global de sua
Enfermagem, Semiologia e Semiotécnica, Epidemiologia atuação como profissional da área da Saúde, possibili-
e Saneamento, Saúde da Mulher, Saúde da Criança e do tando assim o desenvolvimento científico da profissão
Adolescente, Saúde da Família, Saúde do Adulto e Idoso, com a garantia de uma educação contínua e permanente
Políticas Públicas de Saúde, Enfermagem Psiquiátrica e por iniciativa própria e independente.
Saúde Mental, Enfermagem em Obstetrícia e Ginecoló-

VIVÊNCIA PRÁTICA (NUTRIÇÃO)


São consideradas Vivências Práticas no curso de Nu- A vivência possibilita ao discente o conhecimen-
trição os estágios de observação realizados em institui- to das áreas de atuação no mercado de trabalho e sua
ções públicas ou privadas, com o objetivo de aproximar identificação com uma ou várias destas áreas, direcio-
o aluno da prática profissional. nando seu interesse, inclusive para o desenvolvimento
É uma modalidade de atividade complementar do trabalho de conclusão de curso.
caracterizada por atividades de observação da atuação A busca pelo local para realização da vivência é
do profissional nutricionista em seu campo de trabalho, de responsabilidade do discente, que no início do ano
sem nenhum tipo de intervenção ou atuação do discente. letivo recebe um roteiro de observação, uma carta de
Está ligada a uma teoria que lhe dá sentido e que orienta apresentação e um Termo de Compromisso, que deve ser
a sua observação, por isso é coerente que seja realizada assinado por ele e pela instituição que concede o estágio
nas disciplinas que compõem a formação profissional e de observação. A carga horária é de 120 horas, sendo 40
em conjunto com a formação específica. horas para cada um dos 3 primeiro anos do curso.

29
PRÁTICAS TERAPÊUTICAS
(TERAPIA OCUPACIONAL)
As Práticas Terapêuticas têm como objetivo flexibi- vinculado às disciplinas específicas e que fundamentam
lizar o currículo de Graduação em Terapia Ocupacional, o respectivo perfil. A busca crescente do conhecimento
bem como incentivar o aluno a participar de experiên- com níveis de complexidade progressiva é objetivo geral,
cias diversificadas que contribuam para a sua formação que finda no estágio supervisionado curricular dos dois
humana e profissional, atendendo às diretrizes nacio- últimos semestres. As Práticas Terapêuticas podem ser
nais do curso de Terapia Ocupacional. Caracterizada por desenvolvidas no campo de Terapia Ocupacional do Cla-
atividades de observação da atuação profissional sem retiano e em outros campos que devem ser cadastrados
nenhum tipo de intervenção ou atuação do estudante, junto ao Setor de Estágio da Instituição, e sempre sob a
o programa de Prática Terapêutica inicia-se no segundo supervisão de um Terapeuta Ocupacional devidamente
semestre do curso e termina no sexto semestre, sempre cadastrado no Conselho (CREFITO).

PROJETO DE ATIVIDADES INTEGRADAS DE


DISCIPLINAS (CURSOS DE TECNOLOGIA)
O Projeto de Atividades Integradas de Disciplinas maneira simples e objetiva, na forma de um estudo de
é realizado tanto como forma de expressão da prática caso (real ou simulado), partes dos principais conceitos
profissional na área de estudo quanto como forma de das disciplinas estudadas no curso. Dessa forma, o alu-
aplicação dos conceitos teóricos estudados. Trata-se no tem a oportunidade de aplicar conteúdos teóricos
de uma atividade de pesquisa e análise que integra de em estudo de caso.

30
NÚCLEO DE ESTUDOS INTEGRADORES
(PEDAGOGIA)
De acordo com a RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, de 15 os seguintes documentos: Projeto (contendo descrição
de maio de 2006, que institui Diretrizes Curriculares e orientações ao discente) e Ficha de Registro. Depois
Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, de validados pelos docentes, os projetos são arquivados
licenciatura, o curso de Pedagogia deverá ser compos- pelos discentes em pasta específica individual e entre-
to por 3200 horas. Dessas 3200 horas, 400 horas serão gues junto à Coordenação de Curso, em data agendada
dedicadas ao Núcleo de Estudos Integradores, divididas previamente.
em dois tipos de atividades: - Atividades acadêmico-científico-culturais - (200
- Prática (articuladas às disciplinas) - (200 horas). horas). Essas atividades podem ser livremente escolhi-
Essas atividades são desenvolvidas por meio de projetos das e desenvolvidas pelos discentes e têm como objetivo
articulados às disciplinas. São elaborados, orientados, contribuir com a formação deste nos diferentes campos
acompanhados, avaliados e validados pelos docentes. Vi- de atuação e, principalmente, ampliar e diversificar a sua
sam enriquecer o currículo, contribuir com a formação do formação cultural. A realização dessas atividades deve
discente e ampliar o potencial formativo de cada disciplina. ser comprovada pelo aluno por meio de relatórios e cer-
Assim, procuram integrar teoria e prática, contextualizar tificações, e validadas pelo grupo de docentes do curso.
os conteúdos desenvolvidos nas diferentes disciplinas, O processo de registro dessas atividades envolve os se-
provocar a reflexão e promover a interdisciplinaridade guintes documentos: Ficha de Descrição da Atividade e
entre os diferentes componentes curriculares do curso. Ficha de Registro. Depois de validados pelos docentes,
Os projetos são orientados pelos docentes durante as os relatórios são arquivados pelos discentes em pasta
aulas e desenvolvidos pelo discente fora do seu período específica individual e entregues junto à Coordenação
de aula. O processo de registro dessas atividades envolve de Curso, em data agendada previamente.

31
ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS (PEDAGOGIA)
As Atividades teórico-práticas têm como objetivo o - Apresentar, pelo menos uma vez, um de trabalho
aprofundamento das áreas específicas de interesse dos científico neste evento. A participação no ENIC
alunos, por meio da iniciação científica, da extensão e como ouvinte contará 25 horas e a apresentação
da monitoria (Resolução CNE/CP nº 01/2006). de trabalho outras 25 horas.
Para compor as 100 horas obrigatórias, o aluno do O processo de registro dessas atividades envolve os
curso de Graduação em Pedagogia – Licenciatura deverá: seguintes documentos: Ficha de Descrição da Atividade
- Participar como ouvinte do ENIC (Encontro de Ini- e Ficha de Registro. Depois de validados pelos docentes,
ciação Científica – Claretiano) durante os quatro os relatórios são arquivados pelos discentes em pasta es-
anos de curso; pecífica individual.

ATIVIDADES COMPLEMENTARES E ATIVIDADES


ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS
(LICENCIATURAS)
De acordo com as Diretrizes dos cursos de Gradua- pessoal e profissional, desenvolvidas ao longo do curso e
ção (Bacharelados e Licenciaturas – referências abaixo), acompanhadas, orientadas e avaliadas pelo corpo docente.
além dos componentes curriculares de sala de aula e es- A carga horária das Atividades Complementares das
tágios, os currículos devem também ser compostos pelas atividades a serem executadas pelos alunos e incluídas em
Atividades Complementares ou Atividades Acadêmico- seu currículo escolar, bem como os critérios para definição
-científico-culturais. de quais atividades são aceitas nessa inclusão, são definidos
O Currículo Pleno dos cursos de Graduação do Claretia- nos Projetos Político-pedagógicos dos respectivos cursos.
no integra também Atividades Complementares, que con- Essas atividades podem ser livremente escolhidas
templam as peculiaridades de cada curso e são de caráter e desenvolvidas pelos alunos, desde que comprovadas e
obrigatório para os alunos, em vista do seu aprimoramento certificadas por um professor do curso.

32
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
O Estágio Curricular Supervisionado é conside- ação propostos nos regulamentos específicos de cada
rado Componente Curricular Obrigatório em todos curso, bem como deixar de cumprir com os prazos para
os cursos de Licenciatura e Bacharelado, com carga entrega das pastas de estágios, relatórios e demais
horária prevista na Matriz Curricular. Os Estágios tam- registros, não terá caracterizada a sua conclusão de
bém poderão ser exigidos nos cursos Tecnológicos, curso e, consequentemente, não poderá colar grau.
conforme Projeto Pedagógico. Cada curso terá seu Para concluírem o curso, os enquadrados na si-
regulamento próprio para realização dos estágios. tuação citada no parágrafo anterior deverão provi-
Na condição de estagiário, o estudante não denciar rematrícula, em período(s) sequente(s), no
poderá em nenhuma hipótese assumir, por si ou componente curricular “estágio supervisionado”, para
por qualquer exigência institucional, atividades retomar os trabalhos.
específicas pertinentes ao profissional formado Todas as dúvidas que o aluno tiver em relação
sem supervisão. aos procedimentos acadêmicos e administrativos
Sob orientação do supervisor, o estagiário pode- quanto à realização do estágio poderão ser sanadas
rá participar de planejamentos, apresentar projetos no Núcleo de Estágios, junto às coordenações espe-
e proposta de trabalho, atuar junto à coordenação, cíficas de área ou junto às coordenações de curso.
execução, avaliação, registro das atividades e outras
atividades pertinentes ao professor em seus campos MANUAIS DE ORIENTAÇÃO
específicos, emitindo relatórios a cada etapa confor-
me normas específicas do estágio para cada curso. As orientações específicas para cada curso en-
Os relatórios de estágio, bem como os demais contram-se disponibilizadas em manuais elabora-
registros exigidos de acordo com os regulamentos dos em parceria entre a Coordenação de Estágio, a
específicos deverão ser entregues até o término do Coordenação dos Cursos, os Supervisores de Estágio
curso, obedecendo aos prazos estabelecidos. e os Professores dos Respectivos Cursos e são forne-
O aluno que não cumprir a carga horária mínima cidas aos alunos por intermédio das aulas no tempo
de estágio, de acordo com as áreas e campos de atu- determinado pela legislação vigente.

33
SOLICITAÇÕES DE DOCUMENTOS Para a expedição de ofícios de estágios requeridos,
será respeitado o prazo de três dias úteis.
As solicitações de assinatura em Convênios e Con- A solicitação de ofícios deverá ser feita via SAV, no
tratos de Estágio deverão ser efetuadas no setor de pro- ícone Secretaria/ Tesouraria e retirada no protocolo, res-
tocolo, sendo devolvida ao aluno respeitando-se o prazo peitando o prazo estabelecido.
de dois dias úteis.

MONITORIA
O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO oferece habilitar;
aos alunos regularmente matriculados em seus cursos b) ter apresentado bom rendimento escolar na
de Graduação a possibilidade de participar de atividades disciplina;
de Monitoria, a qual se caracteriza como um processo c) estar cursando regularmente matriculado e em
educativo, cujas atividades se desenvolvem dentro de horário não compatível.
uma disciplina, numa integração professor-aluno em
níveis de planejamento, execução e avaliação das dife- O aluno poderá inscrever-se como candidato a mo-
rentes atividades acadêmicas. nitor em, no máximo, duas disciplinas por período letivo.
A Monitoria tem como principais objetivos oferecer As inscrições deverão ser realizadas com requerimento
apoio às atividades didático-pedagógicas a professores e por meio de formulário próprio, no setor de protocolo
alunos, reduzir as dificuldades de aprendizado, oportu- da Instituição, dentro dos prazos estabelecidos.
nizar aos alunos-monitores experiências na condução do A seleção dos candidatos estará sob responsabilidade
processo ensino-aprendizagem, bem como a ampliação de uma comissão composta por professores vinculados
de atividades e espaços complementares para estudos, ao curso a que se refere a Monitoria, um deles o professor
pesquisa e extensão universitária. da própria disciplina a que se destina(m) a(s) vaga(s).
Os alunos poderão candidatar-se às vagas para A comissão será nomeada pela coordenação do curso.
monitores, desde que cumpram os seguintes requisitos: A seleção constará de uma prova escrita específica
a) ter concluído a disciplina a qual pretenda se referente à disciplina e de entrevista individual.

34
Os alunos aprovados no exame de seleção em mais Aos alunos monitores serão concedidas bolsas de
de uma disciplina deverão obrigatoriamente optar por estudo em percentuais compatíveis ao regime de tra-
uma única vaga, independentemente da compatibili- balho proposto.
dade de horários ou regime de trabalho. Ao término do exercício da Monitoria, após entre-
O número de vagas, o período de inscrição, os crité- ga do relatório final, a Divisão de Controle Acadêmico
rios para exames de seleção para monitoria, bem como e Diplomas da Secretaria Geral expedirão certificado ao
os prazos, datas e documentação deverão constar de Monitor e ao Professor-Orientador.
edital publicado pela Reitoria do CLARETIANO - CEN- Todas as informações quanto ao regulamento de
TRO UNIVERSITÁRIO. Monitoria do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, bem
O exercício da Monitoria obedecerá a regimes de como vagas, inscrições e seleção de monitores poderão
8, 12, 16 ou 20 horas semanais de atividades, incluindo ser obtidas junto às coordenações de curso.
planejamento, preparação de material, avaliação, acom-
panhamento às aulas e atividades complementares.

SALA DE AULA VIRTUAL (SISTEMA GERENCIADOR


DE APRENDIZAGEM)
Os alunos de todos os cursos de Graduação presen- pearson>; vídeo que apresenta um tutorial para uso:
cial do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO contarão <http://www.youtube.com/watch?v=6ljL6qCpEwE>
com os recursos pedagógicos da Sala de Aula Virtual e com funcionalidades computacionais para comuni-
denominada Sistema Gerenciador de Aprendizagem, cação e interação, disponibilizadas no referido suporte
com atividades e interatividades informadas no Plano técnico-pedagógico.
de Ensino proposto para cada disciplina. Adicionalmen- Assim, para melhor aproveitamento e rendimento
te, poderão contar com Material Didático Mediacional, nos estudos na modalidade de educação mediada por
a Biblioteca Digital Pearson (site de acesso: <http:// recursos e serviços telemáticos, os alunos deverão ter
www.claretiano.edu.br/biblioteca/bibliotecadigital- acesso a um computador conectado à internet. Para

35
facilitar este acesso, o CLARETIANO - CENTRO UNIVER- tuado na Biblioteca, dentro de seu expediente normal
SITÁRIO disponibilizará o Laboratório de Pesquisas si- de atendimento.

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO


O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO contem- na modalidade a distância, o acompanhamento será
pla em todos os seus cursos de Graduação presencial e realizado pelo tutor presencial dos polos; na pós-gra-
a distância, bem como na Pós-graduação o desenvol- duação, o acompanhamento caberá a um docente-tutor
vimento de caráter obrigatório do Trabalho de Conclu- designado pelo coordenador.
são de Curso. O principal objetivo relacionado ao refe- Os Trabalhos de Conclusão de Curso deverão ser de-
rido trabalho é viabilizar ao discente a possibilidade senvolvidos na forma de artigo científico, decorrente de
de aproximar teoria e prática, condição que permitirá estudos de revisão bibliográfica, estudos de investigação
a exploração, o aprofundamento da teoria apresentada de campo, estudo de caso ou ainda relato de experiência.
em sala durante o processo de formação e capacitação Atenção especial àqueles estudos que envolvam seres
do educando, de forma real, em que se pode observar humanos, estes deverão obrigatoriamente ser subme-
metodologicamente a aplicabilidade do teórico ao prá- tidos à avaliação do Comitê de Ética em Pesquisa do
tico de modo sistematizado. CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO.
A elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso A validação do Trabalho de Conclusão de Curso será
ocorrerá após o término da disciplina Metodologia da realizada pelos docentes e/ou tutores de acordo com a
Pesquisa Científica e, necessariamente no último ano especificidade de cada curso. Ressalta-se que é condi-
de Graduação, ao passo que na Pós-graduação seguirá ção sine qua non a elaboração e entrega deste trabalho
orientações específicas. para a respectiva colação de grau.
O processo de desenvolvimento do Trabalho de Informações detalhadas referentes ao Trabalho de
Conclusão de Curso será acompanhado nos cursos pre- Conclusão de Curso serão obtidas na Coordenadoria Geral
senciais por docentes – tutores que serão designados de Pesquisa e Iniciação Científica e/ou no link <www.
pelas coordenações de curso; para os cursos oferecidos claretiano.edu.br/tcc>.

36
ENADE – EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE
ESTUDANTES
O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - O ENADE É COMPOSTO DE:
Enade é considerado um componente curricular obriga- • Prova de conhecimentos gerais e prova de co-
tório dos cursos de Graduação, sendo a participação do nhecimentos específicos – obrigatória aos estudantes
aluno condição indispensável para a emissão do histó- convocados.
rico escolar e para sua participação na colação de grau. • Questionários: destinados a conhecimento do perfil
O objetivo do Enade é avaliar, por meio de uma dos estudantes inscritos (de preenchimento obrigatório).
prova promovida pelo Ministério da Educação, o de- • Questionário do coordenador do(a) curso/ha-
sempenho dos estudantes com relação aos conteúdos bilitação.
programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos O Ministério da Educação define, anualmente, as
cursos de Graduação. áreas propostas pela Comissão de Avaliação da Educa-
A comunicação aos alunos habilitados para partici- ção Superior (Conaes), órgão colegiado de coordenação
pação no Enade é feita pela Instituição (site, mural, SAV e supervisão do Sinaes. A periodicidade máxima de apli-
etc.), e a divulgação da data, local e horário da prova é cação do Enade a cada área será trienal.
feita pelo Ministério da Educação. Estão habilitados a participar do Enade na condi-
O rendimento apresentado pelos alunos de um de- ção de “ingressantes” todos os estudantes que tenham
terminado curso, quando da realização do Enade, tam- iniciado o curso com matrícula no ano de realização do
bém reflete na nota do próprio curso e da Instituição, Enade; e na condição de “concluintes” todos os estudan-
para efeito de avaliações realizadas pelo Ministério da tes que tenham expectativa de conclusão do curso até
Educação com o Ensino Superior do país. julho de 2014, além daqueles que tenham completado
Portanto, a presença do aluno no Enade é impres- mais de 80% da carga horária do curso.
cindível, sendo sua participação, com seriedade, con- A participação do estudante selecionado no Ena-
siderada uma responsabilidade do aluno egresso e do de é condição indispensável para a emissão do histórico
cidadão, compromissado com a sua própria formação e escolar, que terá como registro a data em que realizou
com a qualidade do Ensino Superior no Brasil. o Exame. O estudante selecionado que não realizou a

37
prova não poderá receber o seu diploma enquanto não inferior àquele estabelecido no processo amostral para
regularizar a sua situação junto ao Enade. garantir a confiabilidade dos resultados, as avaliações
O MEC poderá realizar o processo de seleção dos serão censitárias, ou seja, todos os estudantes habilita-
estudantes utilizando técnicas estatísticas de amostra- dos do curso serão submetidos ao Exame.
gem. Sempre que o número de estudantes habilitados for

ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – ENIC


As práticas investigativas em iniciação científica têm temas atuais por meio de palestras e mesas-redondas,
papel fundamental na formação e no estabelecimento além de enriquecimento do conhecimento com a rea-
de competências aos discentes e futuros profissionais lização de minicursos e oficinas.
resultantes dos cursos de Graduação. O corpo docente e discente conta com a possibili-
O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO realiza, dade de apresentação de trabalhos científicos na forma
desde 2002, o ENIC (Encontro de Iniciação Científica), de painel ou de comunicação oral. Todos os trabalhos
que é direcionado para o ensino presencial, e, desde aprovados são publicados nos anais do evento. A apre-
2008, o ENCIC (Encontro Nacional Claretiano de Iniciação sentação de trabalhos científicos, realizada por alunos
Científica), voltado para a Educação a Distância. Esses e professores, configura-se no elemento motor de pro-
eventos, que vêm se consolidando de modo importante dução do conhecimento e efetivo diferencial no Projeto
para o estabelecimento de uma nova forma de pensar, Pedagógico do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO.
oportunizam, a cada ano, um espaço de discussão de

38
AVALIAÇÃO DA
APRENDIZAGEM,
FREQUÊNCIA E REGIMES
ESPECIAIS

39
40
CONCEPÇÃO DA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
A avaliação da aprendizagem no CLARETIANO - CEN- instrumentos utilizados ficará a critério dos professores,
TRO UNIVERSITÁRIO é concebida dentro de um processo podendo ser trabalhos de pesquisa, seminários, provas
que integra a aprendizagem do aluno e a intervenção práticas e ainda, atividades e interatividades em Am-
pedagógica do professor, na direção da construção do bientes Virtuais de Aprendizagem e outros do gênero.
conhecimento e da formação humana e cidadã. A ava- As orientações e os critérios para a Avaliação Contínua
liação constitui-se de um meio e nãode uma finalidade, deverão constar no plano de ensino de cada disciplina
refletindo os princípios filosóficos, pedagógicos, políticos e/ou guias de estudo.
e sociais que orientam a relação educativa com vistas b) Avaliação Final – AF
ao crescimento e ao desenvolvimento do aluno na sua Constitui-se de uma Prova Oficial Final, específica
totalidade. Valendo-se de uma metodologia que per- para cada disciplina,voltada aos objetivos propostos nos
mita avaliar a formação humana, técnica e profissional, perfis de cada curso,contemplando os conhecimentos,
descritas nos perfis e competências que norteiam os pro- habilidades e competências referentes ao conteúdo pro-
jetos político-pedagógicos de cada curso e os planos de gramático relativo a todo o semestre. A Prova Oficial Fi-
ensino dos componentes curriculares, são apresentadas nal deverá constar no calendário escolar e será aplicada
a seguir as dimensões avaliativas contempladas no Sis- ao final de cada semestre letivo.
tema de Avaliação da Aprendizagem do CLARETIANO. O Sistema de Avaliação da Aprendizagem contem-
a) Avaliação Contínua – AC plará, nos cursos de graduação, a interdisciplinaridade
Instrumentos avaliativos aplicados em cada disci- através da Avaliação Semestral Interdisciplinar-ASI.
plina de forma contínua ao longo do semestre. Parte dos

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Nos cursos de graduação presenciais, para obtenção resultado desta operação é divididopor dois, obedecen-
da Nota Final, somam-se os valores obtidos na Avaliação do àseguinte equação:
Contínua (AC) ao valor obtido na Avaliação Final (AF); o

41
Nota Final = (AC + AF) ≥ 6,0 Para aprovação na disciplina, o aluno deverá obter
2 Nota Final maior ou igual a 6,0 (seis), além da frequên-
cia mínima de 75% na disciplina.
A Avaliação Contínua (AC) terá valor de 0,0 a 10,0 No caso de disciplinas oferecidas na condição de até
pontos, sendo constituída de: 20% a distância (previsto na legislação), o percentual de
frequência exigido (75%) será computado levando-se em
a) Atividades em sala de aula com valor de 0,0 a conta a carga horária presencial da disciplina.
6,0 pontos, realizadas a critério do professor, utilizando- O aluno que, eventualmente, deixar de comparecer
-se no mínimo dois instrumentos de avaliação; à prova final, das disciplinas regulares, dependências e
b) Atividades e interatividades em Sala de Aula adaptações, por motivo de força maior, poderá solicitar a
Virtual com valor de 0,0 a 2,0 pontos, obedecendo aos prova substitutiva dentro do prazo previsto no calendário
critérios estabelecidos no plano de ensino de cada dis- escolar. Após a solicitação, o aluno deverá recolher a taxa
ciplina. administrativa estipulado para cada prova substitutiva.
c) ASI - Avaliação Semestral Interdisciplinar,com Serão aceitas solicitações de provas substitutivas
valor de0,0 a 2,0 pontos, sendo uma prova elaborada pe- apenas para os casos de ausência às provas finais, não
los professores do curso com orientação do coordenador, sendo aceitas solicitações para substituição de notas.
relativa ao perfil de formação descrito no Projeto Peda- Os alunos que obtiverem Nota Final entre 4,0 e 5,9
gógico do Curso. A ASI terá seus critérios estabelecidos e frequência mínima de 75% poderão solicitar Prova
em regulamento próprio e a data de sua aplicação deverá Complementar, quese constitui num mecanismo de re-
constar do calendário escolar. A nota da ASI estender-se- cuperação dentro do processo avaliativo destinado aos
-á a todas as disciplinas cursadas no semestre. alunos que apresentaram rendimento insatisfatório na
A Avaliação Final (AF) é constituída de uma única avaliação final, em uma faixa considerada tolerável.
prova com valor de 0,0 a 10,0 pontos elaborada pelo Após a realização da Prova Complementar far-se-á
professor de cada disciplina e realizada individualmen- a média simples, envolvendo a Nota Final e a nota da
te por parte dos alunos. Prova Complementar, sendo considerado aprovado o
O aluno que obteve dispensa de disciplinas também aluno que obtiver Média Final maior ou igual a 6,0 (seis).
deverá fazer a ASI. Os alunos com Nota Final inferior a 4,0 (antes da

42
realização da Prova Complementar) ou média final in- Será considerado reprovado na disciplina o aluno que
ferior a 6,0 (após a realização da Prova Complementar) não obtiver a frequência mínima de 75% na disciplina,
serão reprovados na disciplina, devendo cursá-la poste- independentemente das notas obtidas.
riormente em regime de dependência.

REGIME DE DEPENDÊNCIAS
O aluno que acumular 7 (sete) ou mais dependências Presencial: para as disciplinas em regime de depen-
ao longo do curso, permanecerá retido na série/período dência ofertadas em tempo incompatível à oferta das
(semestre), que culminou no acúmulo. demais disciplinas regulares. Neste caso, será exigida
Para este limite não serão considerados os compo- a frequência normal do aluno às aulas a exemplo das
nentes: Trabalho de Conclusão de Curso, Estágio, Ativi- disciplinas regulares.
dades Complementares e Atividades Acadêmico-Cientí- Planos de Estudos: quando coincidir os horários das
fico-Culturais, Projetos Integrados e Vivências e Práticas. disciplinas oferecidas em regime de dependência com
Caso o aluno seja reprovado em até 6 (seis) disci- as demais disciplinas regulares, será elaborado o Plano
plinas, mesmo que acumuladas de semestres distintos, de Estudos, que consiste em atividades programadas e
não ficará retido no período, podendo matricular-se no acompanhadas pelos professores, com etapas a serem
semestre seguinte e cursar, simultaneamente, as discipli- cumpridas pelos alunos, com utilização ou não de Am-
nas nas quais foi reprovado, em regime de dependência. bientes Virtuais de Aprendizagem como suporte. Neste
O regime de dependência é destinado aos alunos caso, não será exigida a frequência regular do aluno,
aprovados para cursarem o semestre subsequente, de- exceto quando houver necessidade de encontros pre-
vendo, portanto, ser entendido como a nova oferta da- senciais destinados às atividades práticas e/ou vivências.
quelas disciplinas que o aluno obteve reprovação em tem- O cumprimento do regime de dependência com utili-
po simultâneo às disciplinas regulares do curso vigente. zação de Planos de Estudos obedecerá às seguintes normas:
Nos cursos de graduação presenciais, as dependências I – o professor elabora um Guia de Estudos que
nas disciplinas serão oferecidas como segue: orienta o aluno na organização de seu próprio horário

43
de estudos e na utilização dos recursos oferecidos pela teriais didáticos, tais como: apostilas, lista de exercícios,
Sala de Aula Virtual do CLARETIANO; bibliografia, para estudos, artigos e outros;
II – o professor atua como tutor e o aluno é respon- A avaliação das disciplinas oferecidas em regime
sável pelo desenvolvimento das atividades, segundo o de dependência obedecerá aos mesmos critérios ado-
Guia de Estudos preestabelecido; tados para as demais disciplinas regulares, excluindo-
III – o aluno poderá utilizar-se dos recursos tecno- -se a Avaliação Semestral Interdisciplinar - ASI, sendo
lógicos próprios ou dos recursos disponibilizados pelo esta, substituída por outros instrumentos avaliativos a
CLARETIANO; critério de cada disciplina.
IV – o professor é responsável por comunicar ao Quando oferecidas na forma de Planos de Estudos,
aluno os horários e locais de orientação, a metodologia as Avaliações Contínuas serão estabelecidas nos planos
a ser utilizada nas atividades e por disponibilizar os ma- e conduzidas de forma extraclasse.

DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE AS AVALIAÇÕES


Nas provas finais e provas substitutivas dos cursos tágios, práticas, atividades complementares, atividades
de graduação, serão contemplados todos os conteúdos acadêmico-científico-culturais e trabalho de conclusão
do período a que se refere à disciplina. O agendamento de curso. A matrícula nas dependências será feita por
das provas constará do calendário escolar do CLARETIA- disciplina ou componente curricular, para cada semes-
NO - CENTRO UNIVERSITÁRIO. tre. Para cursá-las, os alunos deverão efetuar a matrícu-
As provas substitutivas e complementares deverão la e recolher as mensalidades conforme as exigências de
sempre ser solicitadas pelo aluno mediante recolhimento cada componente curricular.
de taxa administrativa. A frequência às aulas, a realização das avaliações, o
O aluno que não comparecer à prova substitutiva ou acesso aos ambientes virtuais de aprendizagem ou infor-
complementar, não poderá solicitar nova prova, estando mações, a participação nas diversas atividades acadêmi-
sujeito à reprovação na disciplina. cas, bem como o acesso aos demais serviços prestados
Todos os componentes curriculares geram reprova- pela instituição, somente serão permitidos aos alunos
ções e conseqüentemente, dependências, inclusive es- regularmente matriculados, nos termos do contrato de

44
prestação de serviços assinado entre as partes. verificando-se, inclusive, se há condições para a continui-
O aluno tomará conhecimento de suas notas e frequ- dade do processo de aprendizagem. Especial atenção será
ência de modo parcial ou final, através de boletins dispo- dada às aulas práticas e ao estágio supervisionado, bem
nibilizados no Portal do Aluno ou na Sala Virtual (SGA), como às disciplinas de caráter experimental.
pela internet, com utilização de senha própria para acesso. A partir do momento em que o despacho foi con-
A matrícula em disciplinas de dependência é de cedido, o aluno tem suas ausências justificadas no perí-
responsabilidade do aluno.O deferimento da matrícula odo estabelecido pelo laudo médico. O aluno é respon-
na série/semestre letivo em que o aluno tem direito fica sável pelo acompanhamento dos assuntos ministrados
condicionado a matricula simultânea nas disciplinas a durante o período de excepcionalidade, e as atividades
serem cursadas em regime de dependências, conforme de avaliação da(s) disciplina(s) poderão ser, sempre que
orientações de cada período. possível, desenvolvidas na própria Instituição, nas datas
previamente programadas, ou após o término do regime
REGIME EXCEPCIONAL (EXERCÍCIO DOMICILIAR) de excepcionalidade.
Além do regime excepcional relacionado à saúde, os
Em nenhuma hipótese, poderá haver abono das fal- dispositivos legais relativos ao Exercício Domiciliar con-
tas dos alunos, exceto quando amparado por lei, suprindo templam, mediante a apresentação de documento pro-
suas faltas por meio de Exercícios Domiciliares. Nesse caso, batório, os alunos convocados por órgão de Formação de
incluem-se os problemas de saúde, em conformidade com Reserva que sejam obrigados a faltar às suas atividades
o Decreto-lei n. 1044/69 e Parecer n. 6/98 CEB 07/04/98. civis por força de exercícios ou manobras e os reservistas
Para solicitação do Exercício Domiciliar, os alunos deverão que sejam chamados para fim de exercício de apresenta-
apresentar o laudo ou atestado médico contendo o CID ção das reservas ou cerimônia cívica do Dia do Reservista.
– Código Internacional de Doenças, a data de início e a
duração do período de excepcionalidade, registrando-os
no Protocolo até 48 horas após o acometimento, ou seja,
após o início do período de afastamento.
Na análise do pedido, leva-se em conta a caracterís-
tica de cada disciplina em que o aluno está matriculado,

45
ADAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ESTUDOS
O aluno transferido de outra instituição está su- no currículo do curso para o qual optou poderá requerer
jeito a adaptações curriculares por força das eventuais aproveitamento de estudos apresentando:
diferenças nos currículos. As adaptações poderão ser • requerimento de dispensa da(s) disciplina(s);
cursadas nas formas apresentadas anteriormente para • cópia do(s) programa(s) da(s) disciplina(s)
as dependências. As matrículas nas adaptações serão cursada(s);
feitas por disciplina, para cada semestre. Para cursá- • histórico escolar (original) correspondente;
-las, os alunos deverão efetuar a matrícula e recolher as Os alunos que interromperam seus estudos por
mensalidades específicas. trancamento de matrícula, desistência ou reprovação,
O aluno regularmente matriculado no CLARETIANO ao retornarem ao curso normal, estarão sujeitos a cum-
- CENTRO UNIVERSITÁRIO que tiver cursado, em nível su- prir adaptações de estudos pertinentes às eventuais al-
perior, disciplina(s) correspondente(s) à(s) que conste(m) terações curriculares.

HORÁRIO DAS AULAS


Para todos os cursos de Graduação, os horários previstos para o início e término das aulas estão
distribuídos da seguinte forma:

De segunda a sexta-feira:
Cursos no período noturno: das 19h20 às 22h40, com intervalo de 20 minutos (das 20h50 às 21h10).
Cursos no período matutino: das 8h30 às 11h50, com intervalo de 20 minutos (das 10h às 10h20).
Os estágios, as atividades práticas e as atividades complementares em geral serão oferecidos em
horários não compatíveis com os horários das aulas, podendo essas atividades serem agendadas no
período diurno, de segunda-feira a sábado, de acordo com as normas específicas de cada curso
ou da Secretaria Geral.

46
ESTRUTURA DE APOIO
ACADÊMICO AO
ESTUDANTE

47
48
PRADI – PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE
O PRADI – Programa de Apoio ao Discente é um Apoio Espiritual:
programa de ação multiprofissional, disposto a desen- O atendimento espiritual propõe a evolução do dis-
volver os serviços de atendimento, aconselhamento e cente como pessoa que transcende por:
intervenção nas áreas que seguem: - Acompanhamento espiritual.
- Confissões e bênçãos.
Apoio psicológico:
Os atendimentos são realizados na forma “Psicote- Apoio Social:
rapia Breve” individual ou em grupo e objetivam contri- O atendimento social propõe avaliação socioeconô-
buir para a modificação de comportamentos e atitudes, mica para concessão de bolsas de estudo e outros enca-
oferecendo condições adequadas para que os discentes minhamentos nessa área, com orientações aos discentes
possam assumir com maior segurança os compromissos e triagem social para atendimento na Clínica Multidisci-
e os papéis por eles desempenhados na vida. plinar do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO (Fisiote-
rapia, Terapia Ocupacional e Enfermagem).
Apoio pedagógico:
O apoio pedagógico oferece apoio aos alunos que Apoio Vocacional:
necessitam de intervenção individual e coletiva, voltada O atendimento vocacional abrange dois enfoques:
às necessidades educacionais especiais. - Orientar os calouros nos primeiros meses, quando
alguns ficam em dúvida sobre o curso que devem seguir.
Apoio terapêutico-ocupacional: - Orientar os alunos que estão nos últimos anos so-
O atendimento terapêutico-ocupacional propõe a bre a inserção no mercado de trabalho.
reflexão sobre suas metas de vida, por meio da organi-
zação dos seus afazeres no dia a dia e seus reflexos para
a vida acadêmica, auxiliando o discente na identificação
de recursos para a transformação interna/externa a par-
tir do processo de fazer atividades.

49
SECRETARIA GERAL
A Secretaria Geral é o setor ligado à Reitoria que cui- concernentes.
da de toda a documentação relacionada à vida acadêmi-
ca dos docentes e discentes. Responde pela integridade e PROTOCOLO
exatidão dos documentos expedidos, desde diplomas até O Protocolo é o segmento administrativo no qual
simples declarações de qualquer ordem ou finalidade, res- se realizam todos os recebimentos e expedições de do-
ponsabilizando-se pelo arquivo e pela integridade de toda cumentos, requerimentos e demais protocolos dirigidos
documentação acadêmica de alunos e professores da Insti- tanto à Secretaria como à Reitoria do CLARETIANO - CEN-
tuição e organizando os horários de aulas juntamente com TRO UNIVERSITÁRIO
os Coordenadores de Curso e com a Pró-reitoria Acadêmica. O interessado deve dirigir-se ao setor com docu-
A Secretaria Geral disporá de quadros de avisos nos mento escrito, de acordo com o caso, respeitando os se-
quais divulgará todos os atos ou fatos de interesse dos alu- guintes prazos:
nos e professores, tais como: • 3 dias úteis – declaração de escolaridade;
• editais, portarias, avisos e circulares; • 3 dias úteis – declaração de passe escolar;
• boletins de resultados e índices de frequência; • 3 dias úteis – currículo escolar;
• horários; • 3 dias úteis – critérios de avaliação;
• calendário de provas e exames; • 15 dias úteis – histórico escolar;
Diretamente subordinados à secretaria estão o Núcleo • 15 dias úteis – conteúdo programático.
de Apoio e o Setor de Protocolo. Também compõe a Secre- Todas as solicitações de documentos a serem expedi-
taria Geral o Setor de Registro de Diplomas. dos pela Secretaria deverão ser feitas por meio de requeri-
mento próprio fornecido pelo setor mediante pagamento
NÚCLEO DE APOIO de uma taxa, conforme tabela afixada junto à Tesouraria e
O Núcleo de Apoio é um órgão auxiliar da Secretaria ao Protocolo da Instituição.
Geral que se destina ao atendimento mais direto aos do- No Protocolo, o aluno pode requerer, ainda, a revisão
centes e discentes no que concerne às suas necessidades de faltas e notas, registrar reclamações e quaisquer outras
acadêmicas e ao cumprimento das normas e obrigações solicitações por escrito.

50
TESOURARIA
A Tesouraria é o segmento administrativo ligado, lidade à distância), matrícula e rematrícula.
diretamente, à Pró-reitoria Administrativa e respon-
sabiliza-se pelos recebimentos de taxas, quitações de ORIENTAÇÕES IMPORTANTES
mensalidades e pela emissão de boletos da Instituição.
O pagamento das parcelas da semestralidade deverá A matrícula do aluno somente será efetivada após o
ser efetuado, em qualquer agência da rede bancária, ou recebimento de todos os documentos exigidos pela Se-
por meio de cartão de crédito na Sala de Aula Virtual do cretaria, a efetuação do pagamento do boleto bancário
Aluno na opção Tesouraria – Pagamento cartão de cré- (MAT), o qual é recebido no ato da assinatura do Con-
dito, até o dia oito de cada mês, sem multa/juros. Após o trato de Prestação de Serviços Educacionais; e posterior
vencimento, o pagamento somente poderá ser efetuado deferimento pelo Reitor. Os demais boletos da semes-
nas agências do Banco Itaú S.A., com as devidas correções. tralidade estarão disponíveis para impressão na Sala de
Em conformidade com o Artigo 5º da Lei n. 9870/99, Aula Virtual ou na impossiblidade, junto.
somente terá direito à renovação da matrícula o aluno À Tesouraria não podendo o aluno alegar a sua não
que não tiver qualquer débito no Departamento Finan- retirada como justificativa para o atraso ou a inadimplên-
ceiro da Instituição. cia no pagamento da parcela correspondente.
Na Tesouraria do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁ- Em conformidade com o Contrato de Prestação de
RIO, você poderá recolher as taxas referentes à expedição Serviços Educacionais, as parcelas subsequentes à matrí-
dos seguintes tipos de documentos: atestado de escola- cula vencerão no primeiro dia útil de cada mês, poden-
ridade, mudança de curso, histórico escolar, recontagem do ser pagas até o dia oito do mês em qualquer agên-
de faltas, revisão de notas, segunda via de documentos, cia bancária e, depois, nas agências do Banco Itaú S.A.,
boletos e prova supletiva. Na Sala de Aula Virtual, pode- salvo quando houver reimpressão de boleto atualizado.
rá solicitar os seguintes documentos: histórico escolar,
atestado de escolaridade, declaração para solicitação de
passe escolar, carteirinha escolar, solicitação de Provas
Substitutivas e Complementares (para alunos da moda-

51
DEPARTAMENTO JURÍDICO E COBRANÇA
O Departamento Jurídico coloca-se à disposição dos grama Escola da Família e, também, se for o caso, auxi-
alunos para esclarecimentos de dúvidas quanto ao Con- liar na negociação de mensalidades em atraso e outras
trato de Prestação de Serviços Educacionais, Fies, Pro- orientações jurídicas.

BIBLIOTECA
A Biblioteca do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO Casa do Psicólogo, Contexto, IBPEX, Manole, Papirus, Pe-
tem por objetivo fornecer suporte adequado às atividades arson e Scipione. Conta, também, com ferramentas que
acadêmicas em seus aspectos didático-pedagógicos, bem enriquecem e agilizam sua pesquisa e/ou estudo, como:
como proporcionar o incentivo à pesquisa dos alunos e pesquisa inteligente; marcadores de páginas; anotações
professores, servindo, inclusive, a toda a comunidade personalizadas; impressões de páginas avulsas e/ou capí-
batataense. Para isso, tem buscado a melhoria contínua tulos avulsos (opcional).
dos serviços prestados, objetivando colocar ao alcance
de seus usuários os mais modernos recursos de gerencia- O que é e como funciona Biblioteca Digital da Pearson:
mento da informação. Na Biblioteca Digital da Pearson, você tem acesso a
livros completos, tal como nas livrarias, mas em formato
Biblioteca Digital da Pearson digital, utilizando modernos recursos tecnológicos. Por
meio de um regime de aluguel feito pelo Claretiano com
A Biblioteca Digital da Pearson é o primeiro e único a Pearson, o usuário poderá acessá-los através de sua Sala
acervo eletrônico de livros-texto com obras totalmente em de Aula Virtual, a qualquer momento, tal como se retirasse
Português e leitura total disponível pela internet. Ela coloca um volume da estante. A Biblioteca Virtual detém os di-
à sua disposição um acervo de obras da mais alta importân- reitos autorais sobre as obras que disponibiliza. Todas as
cia para sua formação em vários ramos do conhecimento. operações relacionadas estão protegidas pela Lei n. 9.610,
É disponibilizado acesso a títulos das editoras Ática, que regula os direitos autorais.

52
Inscrição: professor e funcionário) deve, primeiramente, efetuar sua
inscrição, comprometendo-se a respeitar o regulamento.
Para utilizar-se das obras da Biblioteca, o usuário (aluno,

NÚCLEO DE ESTÁGIOS E COORDENAÇÕES


ESPECÍFICAS
O Núcleo de Estágios, que está articulado com as ções a respeito do estágio.
Coordenações Específicas e Supervisões, é responsável O Núcleo de Estágios está aberto diariamente, de
pela orientação pedagógica, pelo registro e pelo controle segunda a sábado, nos horários normais de expedien-
técnico e administrativo dos estágios curriculares obriga- te do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, conforme
tórios. O aluno poderá obter informações que atendam afixados no próprio setor, para pronto atendimento ao
a suas necessidades no tocante a campos de estágios, aluno. Os alunos poderão obter informações dos horários
participação em convênios e projetos, supervisão de de atendimento das coordenações gerais de estágios e
estágios, registro das atividades, critérios de avaliação, supervisão junto às coordenações de cada curso.
normas e regulamentos específicos e demais informa-

CENTRO DE SAÚDE E LABORATÓRIOS


O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO conta com funcionamento e regulamentos próprios que tratam dos
um Centro de Saúde-Escola e vários laboratórios nas mais aspectos disciplinares no tocante à conduta dos alunos.
diversas áreas, para propiciar experiências e vivências
práticas dos componentes curriculares e projetos dos CENTRO DE SAÚDE:
cursos em geral. Para um melhor atendimento e orga- 1 – Centro de Saúde-Escola (Fisioterapia, Nutrição,
nização, funcionam em horários preestabelecidos e com Terapia Ocupacional, Enfermagem e Educação Física).

53
LABORATÓRIOS: 6 – Laboratório Multidisciplinar (Biologia, Física,
1 – Laboratório de Avaliação Física. Química e Matemática).
2 – Laboratório de Anatomia Humana. 7 – Laboratório de Ensino de Ciências e Biologia.
3 – Laboratórios de Informática. 8 – Laboratório de Microscopia.
4 – Laboratório de Nutrição e Dietoterapia. 9 – Empresa Júnior.
5 – Laboratório de Línguas. 10 – Academia de Ginástica.

APOIO E SEGURANÇA
Para melhor qualidade no atendimento, o CLARE- Instituição oferece aos professores e alunos um esta-
TIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO conta, atualmente, com cionamento interno privativo, oficialmente segurado,
inspetores de alunos que atuam nos horários de gran- para maior comodidade e tranquilidade de todos, sendo
de fluxo e permanência das pessoas na Instituição. Es- que a entrada e saída de veículos são feitas pela Av. Dr.
tão sempre à disposição para melhor segurança, apoio, Wanshigton Luís, s/n. Assim, recomenda-se a utilização
informações, orientações básicas e atendimento de ur- especialmente aos veículos e ônibus de transporte coletivo
gência e emergência. que, na primeira semana de aula, serão identificados e
As dependências físicas da Instituição contam com orientados por operadores de estacionamento sobre vagas,
sistema de segurança eletrônica, equipamentos moder- para assim manter a ordem e o fluxo no estacionamento.
nos como catracas eletrônicas com identificação e blo- As dependências físicas do CLARETIANO - CENTRO
queio de acesso para controle de entrada dos alunos. O UNIVERSITÁRIO atendem a todas as normas de segu-
CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO também dispõe rança referentes ao controle e combate a incêndios com
de CFTV (circuito fechado de TV) para monitoramento hidrantes e extintores classe A, B, e C, e às normas de
permanente de todo o trânsito de alunos e, eventual- acessibilidade para pessoas portadoras de necessidades
mente, de outras pessoas que venham a circular no in- especiais, contando com rampas, banheiros adaptados e
terior da Instituição. elevadores em pontos estratégicos de acesso.
No intuito de ampliar os serviços de segurança, a

54
SETOR SOCIAL
Orientação ao discente de recados disponíveis na Sala de Aula Virtual.
Nesse aspecto, o Setor Social propõe-se a desenvol-
ver trabalhos de orientações concernentes à fase peculiar Convênios
de cada discente, no tocante às suas angústias, dúvidas e O Claretiano estabelece convênios com prefeituras,
expectativas sobre a vida futura, que afetam o seu bom associações de estudantes, empresas, associações es-
rendimento e aproveitamento escolar. portivas e ONGs, tendo em vista otimizar recursos que
Verificada a necessidade, o discente é encaminha- proporcionem a permanência do aluno com descontos
do para diferentes serviços em seus respectivos municí- na mensalidade escolar.
pios, como, por exemplo: Promoção Social, Associações
de Estudantes, Centro de Referência de Assistência So- ProUni – Programa Universidade para Todos
cial (CRAS), entre outros; ou mesmo internamente, para O ProUni tem como finalidade a concessão de bol-
outros setores ou departamentos do Claretiano. sas de estudos integrais em cursos de Graduação e se-
quenciais de formação específica. Para se candidatar às
Avaliação socioeconômica para concessão de bolsas, o aluno precisa, necessariamente, ter realizado
bolsa de estudo o Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, cursado o
A avaliação socioeconômica para concessão de bolsas Ensino Médio em escola pública ou particular com bol-
de estudo é realizada pelo Setor Social e pela Comissão sa de estudo e ter renda per capita familiar de até um e
Permanente de Seleção e Acompanhamento. O aluno in- meio salário mínimo.
teressado deve fazer seu pedido por meio do site http:// O Claretiano aderiu ao ProUni em 2009, e os inte-
bolsas.claretiano.edu.br, sendo necessário o envio de do- ressados devem fazer sua inscrição no site http://portal.
cumentação comprobatória disponível no edital e regu- mec.gov.br/prouni.
lamento de concessão de bolsas de estudo do Claretiano.
A solicitação de bolsa de estudos deve ser realizada
logo após a matrícula para alunos ingressantes, e, nos
outros casos, o aluno deve observar os prazos por meio

55
DIRETÓRIO ACADÊMICO
Os Diretórios Acadêmicos são considerados organis- colhida mediante eleição entre os alunos de cada curso
mos de representação estudantis a serem instituídos e nos termos de seus próprios estatutos.
organizados dentro de cada curso do CLARETIANO - CEN- Os membros dos Diretóorios devem procurar a Pró-
TRO UNIVERSITÁRIO, por meio dos quais os alunos se fa- -reitoria de Extensão e Ação Comunitária para informar
zem representar com direito a voz e voto nos Colegiados os dados dos integrantes a cada formação nova.
Superiores da Instituição. A direção dos diretórios é es-

56
INFORMAÇÕES E
RECOMENDAÇÕES
GERAIS AO ALUNO

57
58
CALENDÁRIO GERAL E ESPECÍFICO
O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO apresenta antecedência para conseguir cumprir os prazos estabele-
em seu calendário geral para 2014 orientações para 250 cidos e preparar-se com antecedência para as avaliações.
dias de efetivo trabalho acadêmico ao longo do ano, in- Recomenda-se aos alunos, ainda, que observem com
cluindo aulas, avaliações, atividades de extensão, ativi- atenção os horários propostos pela Instituição para início
dades de iniciação científica, eventos culturais, encontros e término das aulas e dos programas e projetos curricu-
de capacitação docente, entre outros. lares e extracurriculares dos quais estejam participando,
Com base no calendário geral, cada curso elabora para que possam chegar com antecedência e dirigirem-
seu calendário específico, divulgado pela coordenação -se ao local das atividades (sala de aula, laboratório,
de curso aos professores e alunos. Recomenda-se que os quadra poliesportiva, clínica etc.), contribuindo, assim,
alunos estejam sempre atentos às informações contidas com a viabilidade do planejamento escolar e com a sua
nos calendários para previsão e acompanhamento das própria formação, além de evitar prejuízos ou problemas,
atividades, para que, assim, possam programar-se com às vezes, irreparáveis.

BIBLIOTECA E SETOR DE REPRODUÇÃO


Em relação aos serviços de Biblioteca e fotocópias Para agilizar a busca ou pesquisa de uma determinada
oferecidos pela Instituição, sugerimos as seguintes ações obra, você pode utilizar a internet, efetuando, inclusive,
dos alunos: reservas via e-mail: <biblioteca@claretiano.edu.br>.
Biblioteca Setor de Reprodução
Inicie seus trabalhos ou pesquisas com antecedência O Setor de Reprodução funciona como suporte aos
e procure não concentrar retiradas de livros somente nos estudos dos alunos, produções dos professores e servi-
períodos de avaliação (parcial e final). ços internos em geral.
Tente encontrar horários alternativos de acesso à Bi- Vale lembrar que, em conformidade com a Lei n.
blioteca que fujam dos horários de grande fluxo. 9.610/98, não é permitida a reprodução total de obras, e

59
sim a de pequenos trechos, para uso privado do copista, minhamento ao Setor de Reprodução por meio de um
desde que feita por este sem intuito de lucro. representante da sala.
Dentro das conformidades legais, quando os alunos Para evitar acúmulo de trabalho no setor e consequen-
necessitarem de grandes quantidades de cópias para te aglomeração de alunos e filas, recomenda-se que os
estudos, recomenda-se que seja concentrado o enca- serviços sejam encaminhados com antecedência ao setor.

IDENTIFICAÇÃO ESTUDANTIL
Todos os alunos do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSI- cumentos no Protocolo e outros, além da identificação
TÁRIO deverão ter sempre em mãos a Carteira de Identi- para sua própria segurança.
ficação Estudantil, pois, além dos benefícios legais exter-
nos oferecidos ao estudante, ela será sempre solicitada Observação importante: a entrada do aluno na
para entrada do aluno, retirada de livros na Biblioteca, Instituição somente será permitida com a apresentação
pagamentos na Tesouraria, solicitação e retirada de do- da carteira de identificação.

PORTAL DO ALUNO
O Portal do Aluno permite que o estudante tenha O Portal do Aluno contém as seguintes opções:
acesso rápido e prático às suas principais necessidades • Boletim: possibilita visualizar e imprimir seus bo-
acadêmicas, tais como: consultas a notas e faltas, ex- letins, verificando notas e faltas e a situação em todas as
trato financeiro, segunda via de boleto e solicitação de disciplinas cursadas no período vigente.
requerimentos. Para acessar as opções, o aluno deverá • Dados Cadastrais: permite visualizar e alterar to-
entrar no Sistema Gerenciador de Aprendizagem pelo dos os seus dados cadastrais, como endereço, telefone,
site: <www.claretiano.edu.br> e clicar nos ícones: Se- e-mail, entre outros.
cretaria ou Boletim. • Posição Financeira (Tesouraria): o aluno pode

60
verificar sua posição financeira na Instituição, como os e acompanhar o trâmite de requerimentos de forma on-
títulos em atraso e todas as parcelas pagas. -line.
• Segunda Via de Boleto (Tesouraria): essa opção • Rematrícula (Secretaria): permite realizar a re-
permite a impressão de uma segunda via de boleto. novação da matrícula para o próximo período letivo de
• Requerimento (Secretaria): permite encaminhar forma on-line.

CALL CENTER
O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO conta com número não possibilita transferencia para nenhum setor
uma Central de Relacionamentos para apoio e informa- da instituição e nem acesso às informações acadêmicas
ções aos candidatos interessados em conhecer os cursos e de secretaria.
que a Instituição oferece nas áreas de Graduação, Pós- • 0800 941 0006 – deve ser utilizado para fins de
-Graduação e Extensão Universitária nas modalidades contato com tutores e esclarecimento de dúvidas peda-
presencial e a distância, além de oferecer auxílio aos gógicas condizentes às atividades estudadas para alunos
alunos que já estão na Instituição. que realizam os cursos de Graduação e Pós-Graduação
Para facilitar esse atendimento, a Instituição disponi- na modalidade a distância.
biliza números distintos para cada tipo de serviço, a saber: • 016 3660 1777 – permite contato com os demais
• 0800 34 4177 – serve de apoio a candidatos setores da Instituição para tratamento de informações
interessados em conhecer detalhes do funcionamento gerais e de outros serviços que não podem ser esclare-
dos cursos de Graduação, Pós-Graduação e Extensão Uni- cidos pelo 0800.
versitária nas modalidades presencial e a distância. Este

61
62
AVALIAÇÃO
INSTITUCIONAL

63
64
AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
Nossa Instituição, para alcançar sua plenitude, precisa Instituição. Para alcançar esses objetivos, quatro instru-
estar sempre em processo de avaliação, para que, assim, mentos avaliativos serão disponibilizados: Avaliação
possa entrar num processo de revisão de seus objetivos, Fechada, Avaliação Aberta, ASI (Avaliação Semes-
valores, critérios e ações. E, a partir daí, com liberdade tral Interdisciplinar) e Meta-avaliação interna.
e coerência, assumir uma dinâmica ativa de mudança e Resumidamente, a “Avaliação Fechada” é composta
transformação. de questionários aplicados aos diversos agentes do pro-
Nesse processo de avaliação, é imprescindível a par- cesso acadêmico e procuram aferir o grau de satisfação,
ticipação de todos os segmentos da Instituição de Ensino ou insatisfação, e mesmo o desconhecimento do assunto
(direção, coordenações, corpo docente, corpo discente e proposto em cada dimensão da comunidade acadêmica.
funcionários técnico-administrativos). Em mesmo grau Dentro do projeto de Avaliação Institucional, o CLA-
de importância, somamos a esses agentes a participa- RETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO vem desenvolvendo
ção ativa de membros da comunidade, pois toda a ação o Programa de “Avaliação Aberta” com os alunos. O
educacional nasce no seio de uma comunidade e, par- programa é desenvolvido por meio de reuniões semes-
tindo de um processo institucional reflexivo, retorna a trais com os representantes de turma de todos os cursos
essa mesma comunidade. Entende-se a avaliação como para avaliação dos serviços prestados pela Instituição de
um processo de autocrítica e conhecimento das dimen- maneira geral e dentro de cada curso.
sões do ensino, pesquisa, extensão e gestão da Institui- As reuniões ocorrem com a presença dos alunos,
ção, cujo objetivo é a melhoria em seus processos. Para professores, coordenadores de curso e direção para dis-
o CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, avaliar significa cussões que levam à avaliação institucional sob a forma
possibilitar repensar os objetivos, os modos de atuação e de ouvidoria. Os apontamentos e diagnósticos das reu-
os resultados na perspectiva de se fazer uma Instituição niões abertas possibilitam novas tomadas de decisão por
mais adequada a exigências e mudanças do cotidiano. parte da direção, no sentido de melhorar a qualidade dos
Atendendo aos desígnios do Ministério da Educação serviços prestados. Portanto, é imprescindível que cada
(MEC), foi criada uma Comissão Própria de Avaliação (CPA), turma indique à coordenação de curso dois alunos para
que gerenciará todo o processo de avaliação interna da representá-la nas reuniões de avaliação aberta, levando

65
as reivindicações dos demais. -avaliação (Interna), na qual os resultados das avalia-
Um terceiro método de avaliação inclui a Avaliação ções anteriores, somados às avaliações dos cursos reali-
Semestral Interdisciplinar (ASI), que é uma avalia- zadas pelo Ministério da Educação e pelo desempenho
ção incorporada ao sistema de avaliação do rendimento discente no ENADE (antigo “Provão”), serão sistematiza-
escolar do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, que dos e analisados pela CPA, que os repassará aos setores/
busca avaliar os perfis e competências dos alunos num cursos adequados como subsídios para a revisão de seus
plano vertical e horizontal e envolve todas as disciplinas programas e, quando os indicadores atingirem aspectos
cursadas até o momento da avaliação. mais gerais, para a revisão do próprio Plano de Desen-
Por último, temos o que denominamos por Meta- volvimento Institucional.

66
EXTENSÃO E
ASSUNTOS
COMUNITÁRIOS

67
68
EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA
No CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, a Pró- já pré-aprovadas pelo coordenador de curso, são ava-
-reitoria de Extensão e Ação Comunitária é composta liadas, respectivamente, pela Pró-reitoria de Extensão
pelas coordenadorias de Extensão Universitária e Ação e Ação Comunitária e pela Pró-reitoria Administrativa.
Comunitária com estrutura de apoio de secretaria seto- A Extensão, como mediação entre a universidade e
rial específica. as necessidades políticas, econômicas e sociais da socie-
No Plano Nacional de Extensão Universitária (2001), dade, pode tornar-se um espaço de prática de estágios
essa atividade é descrita como “processo educativo, cul- curriculares obrigatórios e não obrigatórios; cursos; se-
tural e científico que articula o Ensino e a Pesquisa de minários; fóruns e eventos culturais; atividades de ação
forma indissociável e viabiliza a relação transformadora comunitária, bem como a prestação de serviços compro-
entre Universidade e Sociedade”. metidos com as questões sociais, provocando mudanças
A Coordenadoria de Extensão Universitária tem como para melhorar a situação de vida das pessoas, grupos e
objetivo articular atividades, cursos, programas, projetos, comunidades envolvidas nessa ação.
eventos e publicações de extensão nos diversos setores O CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO encontra
do CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO. na Extensão a possibilidade de multiplicar e disseminar
Todos os projetos dessa natureza têm sua origem a vida universitária dentro da sociedade contemporânea,
nos cursos de Graduação da Instituição, sendo que os que pode adotar uma postura profundamente reflexiva e
coordenadores de cursos, baseados em observação con- transformadora da realidade externa e de suas próprias
tínua, identificam as necessidades a serem atendidas e atividades. Ela permite e torna possível a inclusão da so-
apresentam as propostas para cada ano. Essas propostas, ciedade no processo reflexivo da universidade.

AÇÃO COMUNITÁRIA E AÇÃO PASTORAL


O Setor Comunitário é um órgão do CLARETIANO - superintender, coordenar e fiscalizar as atividades que
CENTRO UNIVERSITÁRIO que tem por objetivo animar, visam à integração dos diferentes segmentos da comu-

69
nidade universitária nas suas relações internas e na sua das formaturas; integrar e acolher os novos alunos, no
relação com a comunidade. ambiente universitário e comunitário.
Além disso, quer atender aos anseios e aspirações O Setor de Ação Pastoral tem por objetivo promover
de caráter social da comunidade educativa, como tam- ações de evangelização, de projetos e programas de ati-
bém promover e intensificar a interação com a sociedade vidades religiosas e espirituais, elaborando e realizando:
mediante projetos de ação comunitária como parte da O projeto de Pastoral Universitária, orientando e
formação solidária, promovendo atividades voluntárias. apoiando espiritualmente os alunos e funcionários, ce-
As atividades do Setor Comunitário têm por objeti- lebrando a Eucaristia semanalmente e em momentos es-
vo: promover e orientar a integração, o diálogo e a for- peciais, promovendo e articulando atividades e eventos
mação integral, tendo em vista a Missão do CLARETIA- comemorativos e significativos.
NO - CENTRO UNIVERSITÁRIO, dos diferentes segmentos Observação: mantenha contato com as coordena-
da comunidade universitária: direção, corpo docente, ções de curso sobre as atividades programadas para este
corpo discente, funcionários, ex-alunos, familiares de ano letivo pelo seu curso. Participe e faça sugestões. To-
alunos e comunidade; favorecer a formação e integra- das as atividades oferecidas pela Extensão Universitária,
ção dos funcionários; promover o Projeto Universidade Ação Comunitária e Ação Pastoral são um complemento
Solidária; orientar os alunos concluintes na organização importante para a sua formação humana e profissional.

DIPLOMA E COLAÇÃO DE GRAU


Ao final de cada curso devidamente integralizado, de Conclusão de Curso; as horas de Práticas; Atividades
e sendo o aluno aprovado, nos termos do Regimento, Acadêmico-científico-culturais ou Atividades Comple-
ser-lhe-á conferido o grau e o Diploma correspondente. mentares e, ainda, participação no ENADE.
É condição decisiva para a colação de grau que o O aluno que tiver em dia com suas obrigações junto
aluno concluinte tenha cumprido integralmente as exi- ao CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO tem o direito
gências de todos os componentes curriculares: os Está- de participar do ato solene de colação de grau.
gios Curriculares Obrigatórios; aprovação no Trabalho

70
FORMATURAS
A formatura consta de três momentos: orientações para contratar empresas especializadas em
- Acadêmico: responsabilidade da Instituição. formaturas, além de suas dependências para colação de
- Religioso: Escola e alunos. grau, eucaristia e sacerdote para a missa.
- Festividades: alunos.
Os estudantes ingressantes a partir de 2012 devem Recomendações importantes
observar a seguinte norma do CLARETIANO - CENTRO Os cursos que contam com duas turmas numa mesma
UNIVERSITÁRIO para as formaturas. série devem procurar encaminhar a formatura em conjunto.
As comissões de formatura deverão comunicar a data
NORMAS: escolhida para a formatura com antecedência aos convi-
dados, entre os quais estão a direção, os coordenadores
Datas das formaturas de curso, os professores, os professores homenageados,
As formaturas serão agendadas com a Pró-Reitoria o paraninfo, o patrono e os funcionários.
de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral do CLARETIA- Os convites de formatura e os roteiros de cerimo-
NO - CENTRO UNIVERSITÁRIO. niais deverão ser revisados pela direção do CLARETIANO
As comissões de formatura deverão ser formadas por - CENTRO UNIVERSITÁRIO, por meio da Pró-Reitoria de
pessoas eleitas pela maioria da sala, pois elas serão o elo Extensão e Ação Comunitária e Pastoral.
entre os alunos, as empresas de formatura e a Instituição. O Cerimonial de colação deverá observar as normas
Como apoio às comissões de formaturas, o CLARETIA- propostas pelo CLARETIANO - CENTRO UNIVERSITÁRIO.
NO - CENTRO UNIVERSITÁRIO oferece assessoria jurídica e

71
Rua Dom Bosco, 466 | CEP: 14.300-000 | Batatais - SP
Fone: (16) 3660 1777