Anda di halaman 1dari 3

1

CRESCENDO NA GRAÇA

LIÇÃO 4 A ORAÇÃO - PARTE I

INTRODUÇÃO: Vimos estudando sobre as bênçãos que temos em Cristo, que são o perdão
dos pecados, a vida eterna e a paternidade de Deus. Podemos resumir isso tudo em uma
palavra: salvação . Aprendemos que essa salvação não pode ser alcançada por nossos
próprios esforços, mas é um dom gratuito de Deus, recebido pela fé: "Porque pela graça sois
salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que
ninguém se glorie." (Efésios 2.8,9). Graça é um favor não merecido, e foi isto que Deus nos
fez: nos deu salvação sem que nós merecêssemos. Apenas nos apropriamos dela pela fé em
Cristo. Mas essa graça não é somente para a nossa salvação do futuro juízo de Deus. Ela
também está ativa em nosso presente, dando-nos tudo o que necessitamos para o nosso
crescimento como crentes em Jesus Cristo. Leia 2 Pedro 3.18 e responda: O que Deus nos
ordena em sua Palavra? R.:___________________________________________________.
Então veja: agora que estamos debaixo da graça de Deus, até que Jesus venha ou até que
partamos ao seu encontro, devemos crescer nessa graça, conhecendo mais e mais ao nosso
Senhor e Salvador Jesus Cristo. Agora que eu sou filho de Deus e tenho comunhão com Ele,
devo buscar um relacionamento cada vez mais íntimo com Ele, procurando conhecer melhor
Seu caráter e Sua vontade. Quais então são os meios concedidos pela graça de Deus para
que eu possa crescer? É o que estudaremos nas próximas lições, começando hoje. Vamos
chamar esses instrumentos de Deus de meios de graça. Então, o primeiro meio de graça que
estudaremos será A ORAÇÃO.
1. DEFINIÇÃO
A definição mais simples que poderíamos dar é que orar significa conversar com Deus. Antes
de aceitarmos a Jesus, nossa comunhão com Deus estava quebrada. O pecado fazia
separação entre nós e o Deus santo (leia Is 59.1,2). Veja que este texto está dizendo que as
nossas iniquidades nos impediam de ser ouvidos por Deus, portanto se aplicam diretamente
à oração. Porque você acha que a maioria das pessoas recorrem a tantos
intermediários(santos padroeiros, orixás, místicos etc.)? É porque, no fundo, o Deus que elas
conhecem é um Deus muito distante para ser alcançado. Mas a Bíblia diz que "há um só
Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (1 Tm 2.5). Sendo
assim, Deus não ouve qualquer outra oração além da que é feita com a mediação de Cristo.
Este é o único mediador que Deus escolheu. Por isso, ele é chamado de "grande sumo
sacerdote"(Hb 4.14-16). O sumo sacerdote no Velho Testamento, era o único que podia
entrar no local mais santo do templo e interceder pelo povo de Deus. Ele era uma figura do
verdadeiro sumo sacerdote, Jesus, que "penetrou o céu", isto é, a presença santa de Deus,
para interceder por nós. E porque sua intercessão é poderosa? Em primeiro lugar porque ele
é o Filho de Deus. Em segundo lugar, porque ele se compadece de nós(v.15). E ele se
compadece de nós porque, quando viveu entre nós em carne, ele passou pelas mesmas
tentações por que passamos , embora jamais tenha pecado(v.15b). Diante dessas verdades
ditas acerca de Jesus, que somos convidados a fazer no texto indicado acima? R.:
________________________________. E como é que fazemos isso? É através da
oração. Então, podemos ampliar aquela definição e dizer que oração é achegar-se ao
2

___________ ___ ___________, por meio de Jesus Cristo, nosso mediador. Foi por isso que
Jesus disse que deveríamos pedir em seu nome (Jo 16.23,24,26).
2. Como devemos orar
A primeira verdade que devemos aprender é que nenhum de nós sabe orar como
convém, isto é, nossas orações nem sempre pedem aquilo que realmente precisamos.
Conhecendo nossas fraquezas, a graça de Deus providenciou um ajudador que nos assiste
na oração. Leia Rm 8.26 e responda: Quem é esse ajudador? R.:__________________. Veja
que o texto sagrado nos diz que "ele intercede por nós sobremaneira(quer dizer, com
intensidade), com gemidos inexprimíveis(quer dizer, tão profundos que não podem ser
expressados)". Você poderia perguntar: "Mas não é Jesus o nosso intercessor?" A resposta a
isso é simples: em primeiro lugar, Jesus e o Espírito Santo são o mesmo Deus. Por isso, a
Bíblia chama o Espírito também de "Espírito de Cristo" (ler Rm 8.9, onde os termos "Espírito
de Deus" e "Espírito de Cristo" são sinônimos). Em segundo lugar, quando o texto nos diz
que o Espírito intercede por nós, está querendo dizer que Ele ora junto conosco, de acordo
com a vontade do Pai (v.27). Nem sempre oramos segundo a vontade de Deus. Por isso,
nem sempre Ele nos responde como esperamos, porque Ele sabe o que é melhor para nós.
Mas podemos ter a certeza de que, quando oramos, o Espirito Santo ora junto conosco,
assegurando que nossas orações serão ouvidas.
Jesus não deixou nenhuma fórmula fixa de oração. A oração do Pai Nosso, que ele ensinou,
servia apenas de modelo. No mesmo contexto em que a ensina, Jesus nos adverte que não
devemos usar de "vãs repetições", isto é, ficar repetindo como uma reza quaisquer palavras
(Mt 6.7,8). Assim, não há um modelo fixo de oração. Mas certamente há princípios acerca da
oração que devemos observar. Vamos conhecê-los?
1. Devemos orar em nome de Jesus – Jo 16.23,24,26. Isto não significa somente usar
a expressão "em nome de Jesus" ao final da oração. “Orar em nome de Jesus” significa orar
segundo a sua vontade, orar com o mesmo espírito com que Jesus orou. Significa também
orar sob a autoridade do nome de Jesus.
2. Devemos orar com fé – Mt 21.21,22; Tg 1.5,6; Hb 11.6. Devemos, entretanto,
tomar cuidado para não confundirmos afirmação de fé com uma tentativa de manipular a
Deus. Por exemplo: se eu quero um carro e orar pedindo-o a Deus e disser: "Senhor, eu
creio que tu já me deste este carro, em nome de Jesus", isto não significa que Deus vai
nos dar o carro. É preciso saber se é da sua vontade dar-nos o que pedimos. Nem tudo o
que pedimos será bom para nós. Assim, Deus pode-nos responder de três formas: "sim",
"não" e "espera". Não devemos cair na tentação de fazer das nossas orações uma lista de
pedidos egoístas a Deus, como se Ele tivesse o dever de nos dar só porque pedimos com fé.
Devemos, portanto nos aproximar dele crendo que, se aquilo que pedimos é segundo a sua
vontade, Ele nos dará o que estamos pedindo (conf. 1Jo.5.14). É nesse contexto que
devemos entender a fé. Assim, devemos crer que, quando estamos orando, Deus está nos
ouvindo e vai responder nossa oração, dando-nos muito além do que pedimos ou pensamos
(Ef 3.20).
3. Devemos orar com humildade – Tg 4.6,10; Is 66.1,2. Deus não é nosso
empregado, mas nosso Senhor e Pai.
4. Devemos orar em todo o tempo - 1Ts 5.17; Ef 6.18. É claro que devemos separar
3

um tempo específico para orar a Deus todos os dias. Mas no correr do dia, podemos a
qualquer momento falar com Deus, onde quer que estejamos e o que quer que estejamos
fazendo. Devemos cultivar essa comunhão constante com Deus, lembrando-nos de que Ele
está conosco em todo tempo, porque Ele habita em nós por meio do Seu Espírito.
5. Devemos orar com perseverança – Cl 4.2; Rm 12.12. Neste último texto, a palavra
"perseverante" traduz uma palavra grega que significa literalmente "Atracar-se", como o
navio no cais. Assim, a Palavra de Deus nos estimula a não desistir de orar, mas persistir,
atracando-nos a uma vida intensa de oração.
6. Devemos orar com ações de graça – Ef 5.20; Cl 4.2; Fp 4.6,7. Alguém já disse
certa vez que temos mais a agradecer do que a pedir. De fato, orar, como veremos na
próxima lição, não é apresentar uma lista de pedidos a Deus, como se Ele fosse um
"balconista de mercearia". Orar inclui também reconhecer aquilo que Deus já nos deu, e há
tantas coisas que devemos agradecer! Orar significa também dizer "obrigado, Senhor", em
todas as circunstâncias.

Agora que você aprendeu tão grandes verdades acerca da oração, minha súplica a Deus é
que você possa pô-las em prática. Não perca tempo! Use esse poderoso meio de graça para
seu crescimento e para abençoar seus irmãos em Cristo e as outras pessoas. Faça da
oração um hábito tanto quanto o comer. Separe o melhor tempo todos os dias para estar a
sós com Deus e derramar perante Ele o seu coração. Você certamente experimentará a
delícia da comunhão com Deus (Jr 33.3) e crescerá na graça e no conhecimento de Jesus
Cristo.

TAREFAS
 Memorizar Mateus 26.41

 Ler Salmos 115 (todo o capítulo). O texto faz uma comparação entre o SENHOR e os

ídolos. Ler também 1 e 2 Tessalonicenses toda.

Pr. MARCOS AUGUSTO FERNANDES DE FREITAS