Anda di halaman 1dari 71

O Milênio

Uma curta visão sobre o reino de mil anos surpreendente de paz que Cristo
estabelecerá no fim dos tempos.
A profecia dada no livro de Apocalipse fala sobre todos os tipos de pragas terríveis e
tribulações que vão cair sobre a terra no fim dos tempos. A ira de Deus será derramada sobre
os servos de Satanás em abundância em um evento conhecido como a Grande Tribulação.
Esta é a culminação natural do desenvolvimento do pecado sobre a terra. Enquanto o pecado
teve a mão superior a terra tornou-se cada vez mais corruptos e danificados.

Mas no final de tudo isso Jesus Cristo voltará com os exércitos do céu e eles vão
começar uma época gloriosa da cura na terra. Este é o início do mil anos era de paz conhecido
como o Milênio.

O que é o Milênio?

O Milênio é um tempo de paz e harmonia na Terra quando Jesus e os santos hão de


governar com justiça. É um momento em que todos os erros serão colocados à direita e todos
os males serão limpos da terra. Isaías 65: 20-25 contém uma descrição mais completa da
maravilha e da harmonia que vai caracterizar este tempo.

Ninguém vai explorar outra, ninguém vai roubar ou assassinar. Toda a terra será
governada por Cristo, sua noiva e os mártires. (Apocalipse 20: 4) E seu governo será justo e
exatamente de acordo com as leis de Deus. Vai ser como Deus sempre pretendeu que a Terra
fosse. Um refúgio de paz e justiça e alegria. A criação, em completa harmonia com o seu
Criador.

As pessoas vão viver vidas muito mais longas do que eles fazem agora. (Isaías 65:20)
Mesmo os animais vão parar de matar uns aos outros para comida e todos eles vão virar para
comer grama e plantas. (Isaías 65:25)
Será que vai haver pecado durante o Milênio?

Apesar de tudo isso a natureza pecaminosa que é inerente a toda a humanidade não
terá mudado. As pessoas ainda vão nascer com uma carne em que não habita bem algum.
(Romanos 07:18) A possibilidade de as pessoas a escolher o pecado ainda estará lá.

Mas porque Satanás é amarrado durante este tempo (Apocalipse 20: 2), ele não será
capaz de exercer a sua influência externa sobre as pessoas. Será muito mais fácil para as
pessoas a escolher servir a Deus e viver uma vida justa quando eles são cercados por essa
mesma justiça em todas as frentes. Quando há igualdade e justiça, a misericórdia, a paciência
e humildade em todo em vez de guerra e da fome e da tirania e injustiça.

Aqueles que, no entanto, optar por viver uma vida pecaminosa e cederá seu próprio
orgulho e egoísmo durante este tempo vai morrer cedo. Leis (Isaías 65:20) de Deus ainda se
aplica e ninguém será capaz de fugir com pecado despercebido.

Jesus, a noiva, e os mártires.

Jesus e Sua noiva, junto com os mártires mortos durante a Grande Tribulação estarão
governando a terra. Estes são servos mais confiáveis de Deus. Jesus, que foi julgado em todos
os pontos mas sem pecado, tem autoridade absoluta sobre todo o pecado e injustiça. Ele é cem
por cento unido com a vontade de Deus.

Aqueles que estão na noiva de Cristo também venceram o pecado em suas vidas.
Eles também têm autoridade para julgar e governar com justiça, porque eles têm que Deus
ensinar-lhes esta justiça em todo o seu tempo na terra. Deus testou-los e eles foram
purificados pelo fogo, da mesma forma como Jesus. Jesus e Sua noiva vão secar as lágrimas e
trazer alegria e paz para as pessoas. Mas eles não têm suas próprias lágrimas, porque eles já
estão cheios de bondade e alegria de Deus.

Os mártires da Grande Tribulação também foram testados e também estarão juntos


para governar durante o milênio para que eles também têm dado suas vidas a Deus, embora de
uma forma diferente do que a noiva. (Apocalipse 20: 4-6) A glória e a responsabilidade da
noiva de Cristo será muito maior do que a dos mártires, porque seu sacrifício também foi
maior.

Todos estes irão trabalhar em conjunto para assegurar que o mundo cresça em paz,
harmonia, justiça e piedade durante o Milênio.

Milênio

Um milênio é um período de mil anos. A expressão “o Milênio” refere-se aos mil


anos que se seguirão à Segunda Vinda de Cristo (ver Apocalipse 20:4; D&C 29:11). Durante
o Milênio, “Cristo reinará pessoalmente na Terra” (Regras de Fé 1:10).

Informações Adicionais

O Milênio será uma época de retidão e paz na Terra. O Senhor revelou que “nesse
dia, a inimizade do homem e a inimizade das bestas, sim, a inimizade de toda carne terá fim”
(D&C 101:26; ver também Isaías 11:6–9). Satanás será “amarrado, para que não tenha lugar
no coração dos filhos dos homens” (D&C 45:55; ver também Apocalipse 20:1–3).

Durante o Milênio, todas as pessoas do mundo serão boas e justas, mas muitas ainda
não terão recebido a plenitude do evangelho. Consequentemente, os membros da Igreja
participarão do trabalho missionário.

Os membros da Igreja também participarão do trabalho do templo durante o Milênio.


Os santos continuarão a construir templos e a receber ordenanças em favor de seus parentes
falecidos. Guiados por revelação, eles vão preparar os registros de seus antepassados, até a
época de Adão e Eva.

Haverá plena retidão e paz até o final dos mil anos, quando Satanás “será solto por
algum tempo a fim de reunir seus exércitos”. Os exércitos de Satanás lutarão contra as hostes
do céu, que serão lideradas por Miguel, ou Adão. Satanás e seus seguidores serão derrotados e
expulsos para sempre.
O MILÊNIO
Poucos assuntos na Bíblia são tão controvertidos quanto o do milênio. Muitos
teólogos se divergem nesta questão que é de suma importância para o crente em Jesus Cristo.
A palavra milênio significa mil anos. Em outras palavras, quer dizer que haverá um período
de mil anos que Jesus e seus santos irão reinar aqui na terra. Essa doutrina é amplamente
ensinada no Antigo e no Novo Testamento.

OS EFEITOS DO PECADO NA TERRA


Os crentes que estudam suas Bíblias com frequência sabem muito bem que Jesus um
dia voltará à terra para instalar seu reino. Jesus reinará um determinado tempo (mil anos) para
consertar esta terra que foi danificada pelo pecado. A terra está estragada devido ao pecado do
homem. "A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha; enfraquecem os
mais altos do povo da terra. Na verdade a terra está contaminada debaixo dos seus habitantes;
porquanto transgredem as leis, mudam os estatutos, e quebram o pacto eterno" (Isaías 24:4-5).
"A terra está de todo quebrantada, a terra está de todo fendida, a terra está de todo abalada, a
terra cambaleia como ébrio, e balanceia como rede de dormir; e a sua transgressão se torna
pesada sobre ela, e ela cai, e nunca mais se levantará" (Isaías 24:19-20).

TODA CRIAÇÃO FOI ATINGIDA PELO PECADO


A Bíblia fala que toda a criação deste planeta está gemendo sob o domínio do
pecado. "Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus.
Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a
sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da
corrupção, para a liberdade dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação,
conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora; e não só ela, mas até nós, que temos
as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, aguardando a nossa adoção, a
saber, a redenção do nosso corpo" (Romanos 8:19-23).

Por causa do pecado que entrou no mundo, os animais sofrem tanto quanto o homem.
Vamos observar alguns exemplos: Balaão espancou impiedosamente sua pobre jumenta
(Números 22:27). Deus mandou Josué jarretar (amputar ou aleijar) os cavalos dos inimigos
(Josué 11:6 e 9). O Rei Davi também amputou muitos cavalos (II Samuel 8:4). Na lei de
Moisés Deus ordenou explicitamente que o seu povo tivesse compaixão dos animais que
sofrem (Êxodo 23:5) e (Deuteronômio 22:4). Até mesmo os animais mais forte, como é o caso
do rei dos animais, sofrem as conseqüências do pecado. "Os leõezinhos necessitam e sofrem
fome, mas aqueles que buscam ao Senhor, bem algum lhes faltará" (Salmos 34:10). A Bíblia
diz que os crentes procuram amenizar os sofrimentos de seus animais, mas os injustos faz
com que seus animais padeçam: "Os justos olha pela vida de seus animais; porém as
entranhas dos ímpios são cruéis" (Provérbios 12:10).

O HOMEM É O RESPONSÁVEL
Neste planeta tudo está contaminado pelo pecado. E a culpa de tudo isso é o homem.
No dia em que Adão resolveu desobedecer a Deus, comendo daquele fruto que Deus lhe havia
proibido, o pecado começou a ter seu efeito destruidor não só nos filhos de Adão, mas em
toda a geração da raça humana. "Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no
mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto
todos pecaram" (Romanos 5:12). "Porque, assim como, por um homem veio a morte, também
por um homem veio a ressurreição dos mortos. Assim como em Adão todos morrem, do
mesmo modo em Cristo todos serão vivificados" (I Coríntios 15:21-220).

A VINGANÇA DO SENHOR
Quando Cristo voltar à terra, Ele virá com juízo abrasador sobre os homens ímpios
que não aceitaram a verdade.

Há muitos relatos na Bíblia a respeito da vingança do Senhor contra os que não


aceitaram o Evangelho. Vejamos algumas passagens que fala desse assunto: "...e a vós, que
sois atribulados, alívio juntamente convosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com
os anjos do seu poder em chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus e
dos que não obedecem ao Evangelho de nosso Senhor Jesus; os quais sofrerão, com castigo, a
perdição eterna, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder" (II Tessalonicenses 1:7-
9).

"...mas os céus e a terra de agora, pela mesma palavra, têm sido guardados para o
fogo, sendo reservados para o dia do juízo e da perdição dos homens ímpios" (II Pedro 3:7).
"Pois, eis que o Senhor virá com fogo, e os seus carros como o torvelinho, para retribuir a sua
ira com furor, e a sua repreensão com chamas de fogo. Porque com fogo e com espada entrará
o Senhor em juízo com toda a carne; e os que forem mortos pelo Senhor serão muitos"

(Isaías 66:15-16). "Chegará o estrondo até a extremidade da terra, porque o Senhor


tem contenda com as nações, entrará em juízo com toda a carne; quanto aos ímpios, Ele os
entregará à espada, diz o Senhor" (Jeremias 25:31).
A TERRA SERÁ TRANSFORMADA
Depois que realizar a sua vingança sobre os homens ímpios e perversos, o Senhor
Deus consertará e restaurará esta terra, tornando-a um verdadeiro paraíso aos homens que
Nele confiam. No sermão da bem-aventurança Jesus prometeu o seguinte: "Bem-aventurados
os mansos, porque eles herdarão a terra" (Mateus 5:5). Vejamos então a descrição das
mudanças que este globo terrestre terá no decorrer dos mil anos: "Todo vale será levantado, e
será abatido todo monte e todo outeiro; e o terreno acidentado será nivelado, e o que é
escabroso, aplanado" (Isaías 40:4). A Bíblia nos ensina que no período de mil anos uma
mudança profunda será feita na terra. Por exemplo, muitas montanhas e ilhas desaparecerão
ou serão transladados a outros lugares: "Porque eis que o Senhor está a sair do seu lugar, e
descerá, e andará sobre as alturas da terra. Os montes debaixo dele se derreterão, e os vales se
fenderão, como a cera diante do fogo, como as águas que se precipitam por um declive"

(Miquéias 1:3-4). "E o céu recolheu-se como um livro que se enrola; e todos os
montes e ilhas foram removidos dos seus lugares" (Apocalipse 6:14). "Todas as ilhas fugiram,
e os montes não mais se acharam" (Apocalipse 16:20). O monte das Oliveiras na Palestina se
repartirá: "Naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de
Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, do oriente para o
ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se removerá para o norte, e a
outra metade dele para o sul" (Zacarias 14:4). A terra tornará excepcionalmente fértil: "O
deserto e a terra sedenta se regozijarão; o ermo exultará e florescerá; como o narciso
florescerá abundantemente, e também exultará de júbilo e romperá em cânticos; dar-se-lhe-á a
glória do Líbano, a excelência do Carmelo e Sarom; eles verão a glória do Senhor, a
majestade do nosso Deus" (Isaías 35:1-2) "Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em lugar
da sarça crescerá a murta; o que será para o Senhor por nome, por sinal eterno, que nunca se
apagará"

(Isaías 55:13). Os DESERTOS áridos e secos produzirão água em abundância: "Os


animais do campo me honrarão, os chacais e os avestruzes; porque porei água no deserto, e
rios no ermo, para dar a beber ao meu povo, ao meu escolhido" (Isaías 43:20).

No milênio o problema ECOLÓGICO será completamente resolvido. As ÁRVORES


crescerão em grande número e não haverá derrubadas indiscriminadas como nos dias de hoje.
Veja em Ezequiel 47:7. Na região da Palestina surgirá um novo rio cujas águas conterão
elementos que purificará qualquer outra fonte, inclusive o Mar Morto que há milhares de anos
está podre, será purificado pelas águas desse novo rio. Veja Ezequiel 47:8-10.
A NATUREZA DOS ANIMAIS SERÁ MUDADA
No milênio Jesus vai mudar radicalmente este planeta terra. No milênio haverá
transformações jamais vistas na história da humanidade Os animais sofrem com os efeitos
nocivos do pecado do homem, conforme já vimos em Romanos 8:19-23. Mas Jesus vai
transformar toda a criação quando estabelecer o seu reino na terra. A natureza selvagem dos
animais será tirada. "Morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará; e o
bezerro, e o leão novo e o animal cevado viverão juntos; e um menino pequeno os conduzirá.
A vaca e a ursa pastarão juntas, e as crias juntas se deitarão; e o leão comerá palha como o
boi. A criança de peito brincará sobre a toca da áspide, e a desmamada meterá a sua mão na
cova do basilisco"

(Isaías 11:6-8). "O lobo e o cordeiro juntos se apascentarão, o leão comerá palha
como o boi; e o pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu
santo monte, diz o Senhor" (Isaías 65:25).

"Farei com elas (ovelhas, que sãos os convertidos) um pacto de paz; e removerei da
terra os animais ruins, de sorte que elas (ovelhas) habitarão em segurança no deserto, e
dormirão nos bosques" (Ezequiel 34:25).

"Naquele dia farei por eles (seu povo) aliança com as feras do campo, e com as aves
do céu, e com os répteis da terra; e da terra tirarei o arco, e a espada, e a guerra, e os farei
deitar em segurança" ( Oséias 2:18).

NO MILÊNIO MUITOS SE CONVERTERÃO


A Sagrada Escritura diz claramente que quando o Senhor voltar aqui na terra para
inaugurar seu reino, a minoria não convertida dos habitantes do planeta, por alguma razão que
só o Senhor sabe, não perecerão pelo fogo, mas entrarão no reino de Cristo. Vejamos o que a
Bíblia tem a dizer sobre isso: "Por isso a maldição consome a terra; os que nela habitam se
tornam culpados. Portanto serão queimados os moradores da terra, e poucos homens restarão"
(Isaías 24:6). "Então todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém,
subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos exércitos, e para celebrarem a festa
dos tabernáculos" (Zacarias 14:16). Estes restantes não convertidos estarão no reino milenar
de Cristo, e naturalmente precisarão aceitar o Evangelho. São estes que terão filhos, se
multiplicarão e alcançarão grandes progressos sobre a terra durante o milênio. Veja Isaías
65:20-23. Nações inteiras vão se submeter ao senhorio de Cristo, pois Deus vai facilitar a
conversão dos povos, aprisionando o Diabo por mil anos, neutralizando assim, a força do
pecado e a influência do mal. Veja Apocalipse 20:1-3. "Todas as nações que fizeste virão e
prostrarão diante de ti, Senhor, e glorificarão o teu nome" (Salmos 86-9). "E acontecerá que
desde uma lua nova até a outra, e desde um sábado até o outro, virá toda a carne a adorar
perante mim, diz o Senhor" (Isaías 66:23). "Naquele dia muitas nações se ajuntarão ao
Senhor, e serão o meu povo; e habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos
me enviou a ti" (Zacarias 2:11). "Assim virão muitos povos, e poderosas nações, buscar em
Jerusalém o Senhor dos exércitos, e suplicar a bênção do Senhor" (Zacarias 8:22).

As nações que tradicionalmente são inimigas de Israel durante centenas de anos,


também se converterão ao Senhor Deus. As nações Egípcia e Assíria são bons exemplos
disso: "Naquele dia haverá um altar dedicado ao Senhor no meio da terra do Egito, e uma
coluna se erigirá ao Senhor, na sua fronteira. E o Senhor se dará a conhecer ao Egito, e os
egípcios conhecerão ao Senhor naquele dia; e o adorarão com sacrifícios e ofertas, e farão
votos ao Senhor, e os cumprirão. Naquele dia haverá estrada do Egito até a Assíria, e os
assírios virão ao Egito, e os egípcios adorarão com os assírios. Naquele dia Israel será o
terceiro com os egípcios e os assírios, uma bênção no meio da terra; porquanto o Senhor dos
exércitos os tem abençoados, dizendo: Bem-aventurado seja o Egito, meu povo, e a Assíria,
obra de minhas mãos, e Israel, minha herança" (Isaías 19:19, 21, 23, 24 e 25).

A Etiópia, nação do continente africano, que também se destacou como inimiga do


povo de Deus durante séculos, se converterá ao Senhor. "Naquele tempo será levado um
presente ao Senhor dos exércitos da parte dum povo alto e tez luzidia (pele lisa devido sua
forte cor negra), e dum povo terrível desde o seu princípio, uma nação forte e vitoriosa, cuja
terra os rios dividem; um presente, sim, será levado ao lugar do nome do Senhor dos
exércitos, ao monte Sião" (Isaías 18:7).

O PROGRESSO ESPIRITUAL NO MILÊNIO


Conforme já vimos, Deus vai prender o Satanás no grande abismo durante o milênio
(Apocalipse 20:1-3). Deus vai tirar não só o Diabo da face da terra, mas também todos os
demais espíritos demoníacos. "Naquele dia, diz o Senhor dos exércitos, cortarei da terra os
nomes dos ídolos, e deles não haverá mais memória; e também farei sair da terra os profetas
(falsos) e o espírito da impureza. E se alguém ainda profetizar, seu pai e sua mãe, que o
geraram, lhe dirão: Não viverás, porque falas mentiras em nome do Senhor; e seu pai e sua
mãe, que o geraram, o traspassarão quando profetizar" (Zacarias 13:2-3). Haverá a presença
do pecado na terra, mas com a erradicação de Satanás e dos espíritos caídos, os habitantes
desse novo e glorioso mundo, poderão resistir ao pecado. Porém, alguns homens ainda
deliberadamente vão pecar contra o Senhor. Veja Isaías 65:20. Mas a grande maioria
procurará servir ao Senhor. "Assim diz o Senhor dos exércitos: Naquele dia sucederá que dez
homens, de nações de todas as línguas, pegarão na orla das vestes de um judeu, dizendo:
iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco" (Zacarias 8:23). "Assim diz
o Senhor: A riqueza do Egito, e as mercadorias da Etiópia, e os sabeus, homens de alta
estatura, passarão para ti, e serão teus; irão atrás de ti; em grilhões virão; e, prostrando-se
diante de ti, far-te-ão as suas súplicas, dizendo: Deus está contigo somente; e não há nenhum
outro Deus" (Isaías 45:14). "Irão muitos povos, e dirão: Vinde, e subamos ao monte do
Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas
veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor" (Isaías 2:3). Que
época fantástica!!! Hoje em dia não temos este privilégio de ver nações e mais nações
interessadas em servir o grande e Todo-Poderoso Deus, como vimos acima.

Para os homens que confiam em Cristo, este período milenar será o mais ditoso de
toda a história da humanidade.

Nesta época os homens possuirão poderes extraordinários concedidos pelo Senhor


Deus. "O mais pequeno virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o Senhor, apressarei
isso a seu tempo" (Isaías 60-22).

A MORTE SERÁ UMA RARIDADE NO MILÊNIO


Não devemos supor que no reino dos mil anos não haja a morte. Lembre-mo-nos que
a presença do pecado estará no milênio, mas sua força será profundamente diminuída com a
prisão de Satanás no abismo (Apocalipse 20:1-3).

Com a prisão de Satanás e a eliminação dos espíritos demoníacos da terra (Zacarias


13:2), os homens podem resistir o pecado e aceitar a Cristo como seu Salvador com mais
facilidade. Porém, muitos homens decididamente e deliberadamente vão escolher o mal e
rejeitar o bem. Apesar de toda a facilidade que haverá nesta época áurea da raça humana,
muitos se rebelarão contra a soberania de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Eis o triste
relato que a Bíblia diz da reação negativa do homem no milênio: "Ainda que se mostre favor
(misericórdia) ao ímpio, ele não aprende justiça; até na terra da retidão (no milênio) ele (o
ímpio) pratica a iniqüidade, e não atenta para a majestade do Senhor" (Isaías 26:10). Esses
ímpios serão severamente punidos pelo Senhor Deus. Ao que parece Deus vai conceder uma
idade mínima para o perverso morrer no milênio. Veja Isaías 65:20.
Ser menino na idade de cem anos, parece uma história imaginária. Mas é exatamente
isso que podemos ler no livro de Isaías 65:20. Ainda no Livro de Zacarias podemos ler o que
se segue: "Assim diz o Senhor dos exércitos: Ainda nas praças de Jerusalém sentar-se-ão
velhos e velhas, levando cada um na mão o seu cajado, por causa da sua muita idade. E as
ruas da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão" (Zacarias 8:4-5).

"...porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus escolhidos
gozarão por longo tempo das obras das suas mãos" (Isaías 65:22).

NÃO HAVERÁ GUERRAS NO MILÊNIO


Pela primeira vez na história do homem, a guerra será completamente banida de
entre as nações. O homem, que há milhares de anos vem almejando a paz, mas nunca
conseguiu estabelecê-la de forma definitiva na terra, experimentará os efeitos benéficos da
tranquilidade entre seus semelhantes. Deus mesmo, mediante Jesus Cristo, se encarregará de
implantar a tão esperada paz. "E ele julgará entre as nações, e repreenderá muitos povos; e
estes converterão as suas espadas em relhas de arado, e as suas lanças em foices; uma nação
não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra" (Isaías 2:4). "...e da
terra tirarei o arco, e a espada, e a guerra, e os farei deitar em segurança" (Oséias 2:18). De
Efraim exterminarei os carros (de guerra), e o arco de guerra será destruído, e Ele (Jesus)
anunciará a paz à nações; e o seu domínio se estenderá de mar a mar, e desde o Rio (Eufrates)
até as extremidades da terra" (Zacarias 9:10).

CENTRO DO GOVERNO MILENAR


O centro do governo de Jesus Cristo indiscutivelmente será a cidade de Jerusalém.
Jerusalém será a capital mundial no reino de Jesus Cristo. "E vi a santa cidade, a nova
Jerusalém, que descia do céu da parte de céus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu
noivo. E ouvi uma grande voz vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está
com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com
eles" (Apocalipse 21:2-3).

Conforme é descrito em Zacarias 9:10, Jesus reinará soberanamente nos quatro


cantos da terra. Não haverá uma só nação que não esteja sob o domínio de Jesus Cristo e de
seus santos. Todos os reinos deste planeta um dia estarão sob a direção de Cristo e daqueles
que Nele foram redimidos de seus pecados. A Bíblia diz claramente que o crentes herdarão os
reinos da terra. Jesus mesmo prometeu dar aos seus fiéis autoridades sobre as nações
(Apocalipse 2:26-27) Veja também as seguintes passagens: (Daniel 7:14, 18, 22 e 27); (Isaías
60:12). Porém, não esqueçamos que Jerusalém será o centro do poder de Cristo. Será em
Jerusalém que Ele estará entronizado.

De Jerusalém Jesus delegará as suas ordens a toda a face da terra. "...porque de Sião
sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor" (Miquéias 4-2).

Enquanto este glorioso tempo não vier, continuemos a fazer aquela oração que Jesus
nos ensinou: "Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu"
(Mateus 6:10).

Que é o Milênio?

No Milênio, Cristo estabelecerá seu domínio na terra, nos céus e nos mares. Será
um tempo sem precedentes na história da humanidade.
Constantemente ouve-se entre os crentes esta interrogação: - Que é o Milênio? -
Realmente, existem interpretações que são amontoados de erros doutrinários; que fazem do
Milênio uma verdadeira aberração. Uns fazem dele um "Reino" especial, tomando como
partida os 144 mil, AP 14.1; 7.1, mas esses pertencem às tribos de Israel, os quais serão
selados para dias especiais, AP 7.4,5. Outros há que já estão formando um reino aqui na
terra, como os mórmons.
- Que é o Milênio? - O Milênio é um período de mil anos, predito pelos profetas
como sendo o reinado Messiânico, ou seja, o reinado do céu estabelecido na terra,
inaugurando uma nova era espiritual, a sétima dispensação, um tempo probatório,
especialmente para os que nascerem na época dourada em que Satanás estiver preso. O
Milênio não é o fim nem a consumação de todas as coisas, como alguns supõem, mas um
tempo de provação e de preparação para o desfecho completo da obra de Deus, quando
então o Senhor Jesus, depois de dominar todas as coisas, entregará o reino ao Pai, lCo
15.24-28.
Há nas Escrituras uma infinidade de textos referentes ao Milênio. Um dos primeiros,
embora seja muito usado, não encontramos nele a palavra Milênio, mas seu sentido profético
fala de um tempo em que Cristo reinará na casa de Judá, Gn 49.10: "Não se apartará de
Judá o cetro, nem a vara de comando de entre seus pés, até que venha Aquele (Cristo) de
quem ele é, e a esse obedecerão os povos", (VB). Aqui vemos a predição da vinda e do
estabelecimento do reino Messiânico. Ao Senhor Jesus, como rei de Judá, com a vara de
comando, que fala de seu governo de poder e de autoridade, todos os povos hão de obedecer.
Quando Deus criou o homem colocou sob seu domínio os peixes, os répteis, as aves
e todos os monstros, Gn 1.26. Infelizmente, por causa do pecado, o homem perdeu esse
domínio, embora tenha pretendido sempre, com força bruta, dominar sobre a terra. Deus, ao
criar o homem, dotou-o de faculdades instintivas, além da razão e tirocínio psicológico.
Criou-o capaz de viver uma vida espiritual segundo o plano do seu Criador. No entanto, o
pecado deturpou a criatura feita à semelhança do Criador, Gn 1.26, reduzindo-a a um ser
inferior, como nos diz Pedro: "Mas estes, como animais sem razão", 2Pe 2.12. O propósito
divino foi criar um ser capaz de governar a terra e de povoá-la, um ser que recebesse, para o
exercício do seu domínio, a bênção de Deus, Gn 1.28. Como seria o globo terráqueo se Adão
não tivesse transgredido as ordens de Deus?! Por certo continuaria sendo um paraíso. Seria
o reino dos céus implantado em toda a natureza - esse era o plano do Altíssimo. Com isso,
poderíamos ver na terra formosa os homens vestidos de roupagens luminosas, as bubbles ok
km espirituais dos entes celestes. Como Deus, que é coberto de luz como de um manto, nós
seríamos revestidos, SI 104.2. Quando Elias subiu ao céu, deixou suas vestes naturais para
receber as espirituais, vestes permanentes, 2Rs 2.13. Os arqueólogos descobrem os milhões
de anos e vão à fantástica era arqueozônica; isto equivale dizer que vão além de milhões de
anos. Entretanto, o Sagrado Livro diz somente: "No princípio criou Deus os céus e a terra",
Gn 1.1. Se a terra existe há milhões de q@. É possível que durante o período caótico, a terra
toda fosse verdadeiro paraíso, tendo como governador aquela criatura que se elevou acontra
o próprio Criador, Is 14.12-17; Ez 28.11-18 onde vemos tudo perfeito, belo e maravilhoso.
Lúcifer, que significa portador de luz, naturalmente fora criado para serviços
especiais. Em Isaías 14 e Ezequiel 28.11-18 onde vemos tudo perfeito, belo e maravilhoso.
Lúcifer, que significa portador de luz, naturalmente fora criado para serviços
especiais. Em Is 14 e Ezequiel 28 ele é, segundo a lei da dupla referência, como um homem,
quer como rei babilônico, quer como rei de Tiro. Por esses dois textos podemos compreender
que, com sua queda, Satanás mergulhou nas trevas por muitos séculos, Gn 1.2. E, quando
Deus deu forma ao vazio da terra, criou um jardim aprazível, de onde deveria sair a palavra
de ordem e de domínio. Éden seria o centro do governo, com toda a riqueza e esplendor, e
Adão seria o governador de toda a terra, Gn 1.27. Com a queda de Adão, até o próprio Éden
foi destruído e desfeito. Vemos agora um ser humilhado, envergonhado e expulso do seu
lugar; sujeito também a todas as vicissitudes.
O homem passou a ser igual a Deus, mas no sentido inverso, pois sabia a ciência do
bem e do mal, mas não tinha domínio espiritual, Gn 3.22. Começou então uma série de
mudanças sucessivas nas dispensações: estava o homem agora sob o domínio da consciência,
no que falhou. Veio a dispensação do governo humano; também nesta o homem falhou. Veio
a da lei, com poder e autoridade, mas ainda houve falha por parte do homem. Então Deus
propôs uma dispensação graciosa, com domínios especiais, pondo de lado os delitos que
haviam sido cometidos no passado, sob a tolerância de Deus, Rm 3.25. Ainda na graça os
homens têm falhado, embora cercados de misericórdia pela obra redentora do Calvário, Ef
1.7.
Mas a dispensação da graça, com todos os seus recursos, está no seu término,
quando haverá um período de transição conhecido como os "tempos do Apocalipse", tempo
da angústia de Jacó, Jr 30.7, quando Deus se volta para tratar diretamente com os judeus. E,
após esse período, também chamado a Grande Tribulação, será implantado o reino
Messiânico, dispensação milenar, ou, ainda, o reino do céu. Será um tempo sem precedentes
na história da humanidade. Satanás será preso, e as hostes espirituais nas regiões celestes
serão aniquiladas. Cristo estabelecerá seu domínio na terra, nos céus e nos mares - no
universo, AP 11.15; 20.4. Nesse tempo os homens estarão plenamente conscientes da glória
de Deus manifestada nos céus, Is 59.19; Ef 1.21-23; Cl 1.16.
Deus escolherá a Palestina como centro de governo. Os males que assolam a
humanidade serão banidos da terra, tais como enfermidades, e crueldades dos homens e dos
animais, Is 11.6-9; 35.5,6. A terra será de uma fertilidade nunca vista - um jardim bem
regado, Is 35.1,2; Jr 31.12. Os homens voltarão à antiga longevidade; terão seus dias como
as árvores, Is 65.22. Haverá nascimentos em profusão durante o Milênio, Zc 8.5. Muitos se
converterão ao Senhor, e os apetrechos de guerra serão mudados em ferramentas agrícolas,
Is 2.4; Mq 4.3. Haverá salvação pelo conhecimento do Senhor e pelo juízo do Altíssimo, como
está escrito: "Eis que salvarei o meu povo...", Zc 8.7; Sf 3.19.
O conhecimento de Deus durante o Milênio será em toda a sua plenitude, Is 11.9. Os
judeus serão tão importantes naquela época que muitos gentios desejarão ter o nome deles
como tutela espiritual, Is 4.1; Zc 8.23. Os embaixadores de todas as nações irão a Israel, a
fim de tributar-lhe honras, por causa da magnífica glória do Senhor queexistirá em
Jerusalém, Is 2.3;45.14; 55.5; Zc 8.21,22; Ap 21.24,26.
Em nossos dias muitos vão em viagem de turismo à Europa, Ásia e América etc, mas
no Milênio irão a Jerusalém, a fim de receberem instruções espirituais, Is 2; Mq 4.
Poderíamos citar inúmeros textos para provar que o Milênio será um reinado com base e
feições materiais, muito embora haja, então, pleno domínio espiritual, porque o Milênio
consiste em plantar, comer, beber, viver em prazer santo, e em adorar o Senhor.
Entretanto haverá um povo que durante o Milênio estará envolvido em glória e não
sujeito a forças físicas da natureza, pois os seus corpos serão como os dos anjos nos céus, Lc
20.36-50. Eles estarão em corpos glorificados. Esse assunto, porém, reservaremos para o
capítulo V. O Milênio será um tempo em que Deus vai, mais uma vez, provar os homens e
realizar obras maravilhosas sobre a terra, as quais farão reunir os ouvidos. Nessa época
serão estabelecidas a justiça e a paz divinas, e a ordem no cosmo.
O Senhor Jesus será contra os terríveis vendavais e furacões, Is 32.2. Enfim, todas
as coisas que assolam a humanidade serão dominadas por Ele. O céu será mais claro de dia,
e as noites menos escuras, pois o sol brilhará sete vezes mais, e a lua será como o sol, e as
estrelas refulgirão com mais intensidade, ls 30.26. Sobre a cidade de Jerusalém haverá um
resplendor de glória, Is 4.4-6.
Na parousia isto é, na manifestação do Senhor Jesus em glória, os ímpios serão
consumidos pelo terror, especialmente os que aderiram à Besta. Durante o Milênio os tais
estarão recebendo o seu pagamento, com os seus chefes, Ap 19.19-21. Muitos hão de se
converter ao Senhor e a Ele se submeterão por medo e terror, depois serão provados, Ap
20.7-9. "Porque Jeová é o nosso juiz, Jeová é o nosso legislador, Jeová é o nosso rei, Ele nos
salvará", ls 33.22. Esse texto faz referência ao reino Messiânico. Diz mais Isaías falando
sobre o Milênio: "... até que saia a sua justiça como um resplendor, a sua salvação como uma
tocha acesa...", Is 62.1.
Está provado pelas Escrituras que a salvação será estabelecida, não por graça, pois
a dispensação da graça já terá passado, mas se salvarão pelo conhecimento do Senhor e pela
sua glória, Jr 31.33,34. Para o reino Messiânico encontramos nas Escrituras palavras como:
perdão, salvação, cura, redenção etc, ls 45.17; 33.24.
O reino milenar não é tal como o definido pelas "testemunhas" de Jeová, pois a
Escritura apresenta o reino de Jeová como messiânico. O reino de Jeová é teocrático, isto é,
nele é Deus quem governa e governa em todos os setores, e sobre todos os reinos. 'Governa
física, moral, social e espiritualmente. A previsão do reino do Senhor é encontrada direta ou
indiretamente em toda a Escritura, especialmente nos Salmos e nos Profetas. Quem examinar
este assunto nos citados livros, principalmente no do profeta Isaías, que é o profeta
messiânico ou o evangelista do Velho Testamento, encontrará centenas de textos referentes
ao Milênio ou reinado de Cristo.
Nessa época Jerusalém será vista em glória como a cidade celestial, Is 2.2-5; Ap
21.10; 22.25. Em Jerusalém haverá uma espécie de dossel (sobrecéu) da Jerusalém terrestre.
Is 4.5,6; Ap 20.4,6. O profeta Jeremias nos diz: "Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que
levantarei a Davi um Renovo justo; como rei, reinará; procederá sabiamente e executará
juízo e justiça na aterra; nos seus dias será salvo Judá e Israel habitará seguro, Jr 23.5.
Como já foi dito, pelo conhecimento da glória do Senhor muitos serão salvos e
converterão até os instrumentos bélicos em ferramentas de utilidade agrícola., A mudança se
verificará nas águas, Ez 47.6-12, na terra com lavoura produtiva, Is 30.23, etc, nos animais,
que se tornarão mansos, Is 65.25, e entre os homens haverá paz e entendimento espiritual, Is
60.21; 65.19; 66.12; 55.12. Naquela época o Espírito Santo escreverá as leis de Deus no
coração do povo. Os que estão num corpo físico sujeito às leis naturais, gozarão da presença
de Deus, Hb 8.10; Zc 14.9.
No Milênio Israel estará de posse de todo o seu território prometido por Deus a
Abraão que nunca chegou a ser conquistado. "Os mansos herdarão a terra", Mt 5.5; SI
37.11. Essa promessa é feita a Israel, ainda que os gentios possam usufruí-la também. Nem
mesmo no reinado de Salomão, quando Israel teve a sua maior extensão, não chegou a
ocupar todo o território prometido por Deus a Abraão. O Milênio será um tempo glorioso,
quando haverá bênçãos especiais, e será estabelecida a glória de Israel em toda a sua
plenitude, Dn 12.12. Todos os que alcançarem materialmente o reino milenar gozarão de
saúde, felicidade e paz, com a presença do Senhor. Aí Deus se manifestará como "Jeová-
Shama", que quer dizer: O Senhor está ali. Que Deus nos ajude a participar das gloriosas
bênçãos em nome do Senhor Jesus.

2 - Quando será o Milênio?


Logo depois da Grande Tribulação e de se cumprirem todos os acontecimentos
preditos para a 70ª Semana profética de Daniel, Jesus descerá sobre o Monte das Oliveiras e
inaugurará o seu reinado na Terra.
A pergunta do texto nós a ouvimos constantemente: em nossas palestras diárias, em
nossas Escolas Dominicais e mesmo por correspondência. Há os que materializam tanto o
Milênio que este chega a perder o sabor espiritual; outros há que o espiritualizam tanto que
o alvo doutrinário torna-se em miragem. O Milênio, reino dos céus ou reinado de Cristo são
palavras usadas para expressar o período dispensacional. Há também os que, com grande
número de citações bíblicas, torcem a doutrina e invertem os papéis, não dando o verdadeiro
lugar à revelação bíblica sobre o assunto. Devemos ter cuidado para que os inúmeros textos
referentes aos judeus não se confundam com os que se referem aos gentios.
Este capítulo pergunta: - Quando será o Milênio? Respondemos: O Milênio se dará
depois da setuagésima semana de Daniel, ou seja, depois da Grande Tribulação, que é o
período conhecido como a angústia _de Jacó, Jr 30.7. Daniel, ao interpretar o sonho do rei
Nabucodonosor, viu a pedra sem mãos rolando dos altos, vindo a bater na magnífica estátua.
Isso acontecerá justamente quando o Anticristo estiver no seu apogeu de glória. Dar-se-á no
segundo advento de Cristo, rio qual haverá duas fases. Na primeira Ele virá buscar os seus, a
Igreja, composta dos crentes já falecidos e dos militantes. Aqueles serão ressuscitados e estes
arrebatados, Mt 24.41; lTs 4.16,17; Ap 3.10. Há outros textos que confirmam este ponto
doutrinário.
Na segunda fase, isto é, após o arrebatamento e a ressurreição dos santos, como a
respeito já foram citados alguns versos, haverá um período de falsa paz, lTs 5.3; quando os
homens andarão dizendo: "Há paz e segurança". Segundo esse texto, podemos crer que no
abrir do primeiro selo, Ap 6.10, haverá um tempo de falsa paz e de falsa segurança., Não
confundamos esse cavaleiro do primeiro selo com o do capítulo 19 do mesmo livro. Muito
embora haja os que interpretam que o cavaleiro branco do primeiro selo é o triunfo do
evangelho após o rapto da Igreja, isso não é correto.
Muitos vão aderir ao Anticristo, aceitando-o como mediador e conselheiro
espiritual, como está escrito: "Ele (o Anticristo) fará um concerto com muitos por uma
semana (sete anos) e, na metade da semana (três anos e meio), fará cessar o sacrifício e a
oblação", Dn 9.27. Certamente é nessa época que haverá um tempo de falsa paz. O Senhor,
instruindo seus discípulos, disse: "Logo depois da aflição daqueles dias o sol
escurecerá... "Logo depois daqueles dias" quer dizer que o Milênio será depois da Grande
Tribulação, no fim, quando se dará a guerra do Armagedom, então o Senhor porá seus pés
no Monte das Oliveiras, Zc 14.4 e aparecerá em glória, Mt 24.30. Isso concorda com Ap
19.11, quando o Senhor descerá do céu com seus santos para ser glorificado, 2 Ts 1.10, e
destruir os poderes do Anticristo com o sopro de sua boca, 2Ts 2.8.
Antes de Cristo estabelecer o seu reino, haverá um período de preparação, como é
predito por Daniel. Esse período é de duas mil e trezentas tardes e manhãs; é o período que
vai da quebra do concerto até o Milênio, Dn 8.14. Devemos comparar este verso com 12.12
do mesmo livro, o qual diz: "Bem-aventurado é o que espera e chega aos mil trezentos e
sessenta e cinco dias." Isso naturalmente se refere aos que esperavam ver o reino milenar, o
estabelecimento do reino dos céus e o julgamento das nações, Mt 25.31. Com isso, a pergunta
está respondida, pois o Milênio só será estabelecido depois da Grande Tribulação, com a
volta de Cristo, como foi anunciado pelos anjos, At 1.11.
Houve um período na história eclesiástica que muitos julgaram ser a época do
Milênio. Essa época foi especialmente a dos séculos VI a XVI, quando parecia que a Igreja
estava com todos os poderes sobre os governadores e reis da terra. Mas foi, antes, a época do
obscurantismo. Uns têm a idéia de que no Milênio serão feitas diversas reformas, como a
agrária e outras, tudo num melhoramento sucessivo. Há, ainda, os que julgam que o Milênio
será nos céus, e que Satanás andará na terra sobre corpos mortos. Assim pensam
interpretando mal Is 66.22-24. Essas doutrinas não passam de um amontoado de deturpações
da palavra Milênio.
Paulo diz: "Convém que Ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de
seus pés, e a morte será o último a ser destruído, lCo 15.25,26. Isso se dará no fim do
Milênio, quando Satanás for solto e sair a seduzir as nações contra Israel, o povo santo, e
contra a cidade amada. Primeiramente o Senhor descerá do céu e batalhará contra a Besta e
o Falso Profeta, 2Ts 2.8; Ap 19.11-20. Então Satanás, nessa época, será aprisionado, Ap
20.1,2. Mil anos depois será culminado o plano de Deus, Ap 20.7-10. O Armagedom será
uma batalha terrível, quando sangue será derramado sem precedência na história, Ap 14.20;
16.16; 19.10; Jl 3.12-14. Que o Senhor nos dê graça para, nessa época, estarmos na
glorificação do Senhor! Amém.

3 - Como será o Milênio?


Mil anos de paz e justiça sobre uma Terra restaurada, totalmente liberta da
poluição, do ódio e de todos os terríveis efeitos do pecado.
Já temos, em parte, respondido a pergunta do título, entretanto, o pensamento
doutrinário a respeito traçaremos aqui, expondo alguns pensamentos de acordo com a
Palavra de Deus. Na primeira parte apresentamos o Milênio do lado material e físico,
embora glorioso; desejamos agora descrever como será o Milênio de acordo com a visão
profética. Apesar de ser essa dispensação um período probatório para as criaturas, é
conhecida como o reino de Davi (constituído com promessas feitas a Davi) e nela, diz a
Escritura: "... será estabelecido para sempre o teu trono", Lc 1.32,33,69,70. Os profetas
tiveram visões com respeito ao futuro de Israel e alguns viram a glória, o "shekinah" de Deus
sobre as alturas dos montes de Sião. Gostaríamos de citar todas as referências sobre esse tão
importante assunto, mas temos de nos limitar, para podermos concluir o pensamento. O
apóstolo João viu a cidade, a Nova Jerusalém descendo dos céus com tal esplendor que
deslumbra os mortais, Ap 21.10 etc. Ele nota que a cidade desce, mas não toca à terra, Ap
21.2. Enquanto os profetas viram a glória dessa cidade sobre os montes de Sião, Jerusalém
terrestre, João vê a da Jerusalém celeste, dizendo: "As nações caminharão na sua luz...", Ap
21.24; naturalmente as nações que ficarem após a grande tribulação. Assim, notamos,
segundo a Palavra de Deus, duas cidades: a terrestre e a celeste. Uma está embaixo e a outra
nos ares, com muita glória. Naqueles dias sairá a palavra de ordem de Sião (a cidade
celeste), e será anunciada em Jerusalém terrestre, Is 2.3. Quanto ao tamanho da cidade
celeste, é impossível descrever com algarismos de matemática. A cidade será imensurável!
Vejamos: 12 mil estádios multiplicados por 185, e o resultado elevado à terceira potência,
dará a medida cúbica da cidade: dez bilhões, novecentos e quarenta e um milhões e quarenta
e oito mil quilômetros.
Mas esse número é ainda pequeno para calcular o que, em realidade, são as
grandezas do Altíssimo, e a maravilhosa cidade Celestial! Foi certo o que Jesus disse: "Na
casa de meu Pai há muitas moradas...", Jo 14.2. Note bem: há moradas preparadas.
Durante o Milênio, a glória de Deus será manifestada de um modo imprevisto, pois,
segundo Isaías, durante aquela dispensação a cidade Celestial iluminará com glória a cidade
de Jerusalém terrestre, tal como sucedeu com Israel no deserto, quando uma nuvem de glória
os acompanhou, guiando-os até a terra prometida, dando sombra de dia, e luz de noite, Ex
14.19,20; 40.34-36. Isaías descreve algo sobre isso quando diz: "Então a lua se confundirá e
o sol se envergonhará, porque Jeová dos Exércitos reinará em Sião e em Jerusalém; na
presença dos seus anciãos haverá glória. Is 24.23.
Tamanha será essa glória que tanto a lua como o sol ficarão conturbados. E os
povos, moradores de Jerusalém, darão gritos por causa da majestade do Senhor; até do mar
se ouvirão, de muito longe. Concluímos que o "shekinah" divino será tão majestoso que
muitos irão a Jerusalém para contemplá-lo, por causa de sua glória. Zc 8.22,23; Mq 4.2; Ap
21.26. Portanto na dispensação milenar haverá uma mudança excepcional, primeiro porque
a glória do Senhor será manifestada, e segundo porque Satanás será aprisionado, Ap 20.
Contudo ainda não será tirada a maldição da terra: morte, doenças, etc, Zc 14.12-16; Is
65.20.
Nesse sentido, Paulo instruiu a igreja de Corinto, dizendo: "É necessário que Ele
reine até que ponha todos os seus inimigos debaixo de seus pés (falando do reino milenar). O
último inimigo que será destruído é a morte; porque todas as coisas lhe serão sujeitas. Claro
é que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas", lCo 15.25-27. Somente no fim do
Milênio a morte e todos os poderes infernais serão totalmente destruídos, na completa obra
de Cristo no seu reinado, lCo 15.55,56; Rm 16.20; Hb 2.14,15. Isso concorda com a doutrina
bíblica.
Como já iniciamos no capítulo anterior, há os que concebem um reino fora deste
mundo. A terra, nesse tempo, estaria toda corrompida; cheia de corpos mortos e exalando um
cheiro nauseante. Satanás andaria de um lado para outro, sem poder tentar, uma vez que
todas as criaturas estariam mortas. Isso, como já dissemos, é tirado de Is 66.22-24
interpretando-se ao pé da letra. É provável que, durante o Milênio, Deus deixe alguns corpos
mortos, como sinal, num lugar qualquer, para servir de lembrete aos que nascerem durante a
dispensação, para que estes vejam o fim dos desobedientes e rebeldes.
Nesta altura surge a pergunta: - Onde estará a Igreja nessa época? - Para tal
resposta, aguardamos os capítulos seguintes. Primeiramente no Milênio haverá paz e justiça
sobre a terra, muito em especial no que diz respeito à política governamental do Senhor
Jesus, Is 11.5. Os animais terão mudança de instinto: perderão a ferocidade e deixarão de
ser carnívoros, passando a herbívoros, Is 11.6-9; 65.25.
Quanto ao estado de saúde no tempo milenar, diz a Escritura que "Nenhum morador
dirá: estou doente...", Is 33.24; "No dia em que Jeová atar as feridas do seu povo, e curar o
golpe da sua chaga", Is 30.26. Os cegos, os surdos, os mudos e os coxos receberão cura
naquela época, Is 35.5,6; Zc 13.1 (VL). Portanto, oitenta por cento das enfermidades serão
banidas da face da terra; para isso haverá os recursos da parte de Deus na própria natureza,
Ez 47.12; Ap 22.2. Aqui está tanto o espiritual como o material.
Pergunta-se, então: Não haverá morte no Milênio nem enfermidades? Respondemos:
Haverá, porém em proporções resumidas, pois Isaías diz: "Um mancebo ao morrer com cem
anos ainda é menino (Hoje é um macróbio) e o pecador de cem anos será amaldiçoado", Is
65.20, porque não creu nem desejou o conhecimento do Senhor. E os que não adorarem o
Senhor receberão as devidas pragas, Zc 14.12,17-19.
Uma das características do reino milenar é a longevidade dos seres humanos. Os
homens em todas as épocas têm estado preocupados com o sonhado "Elixir da Longa Vida" e
os laboratórios têm procurado uma droga que dê ao homem o prolongamento da vida física.
No Milênio, porém, os homens terão vida como a das árvores, Is 65.22. Certamente isso não
será para todos, mas para os escolhidos de Deus. No Milênio haverá plenitude de poder
espiritual, principalmente em Israel, Jl 2.28. Haverá também salvação para quem invocar o
nome do Senhor, Jl 2.32.
Será no Milênio que a tenda de Davi se reerguerá, e Deus mesmo o constituirá como
príncipe do seu povo, Ez 37.24,25. E Deus porá o seu tabernáculo sobre eles, Ez 37.26; Ap
21.22. Como um dossel de glória, a Jerusalém terrestre será grandemente iluminada com a
glória do Senhor. Todas as nações hão de saber que o Senhor é quem santifica Israel, Ez
37.27. Durante o Milênio haverá um templo, um lugar inteiramente santo, em cujo recinto
sagrado nem todos poderão penetrar, Ez 38.8-12. Esse lugar santo estará na Jerusalém
terrestre, que é exclusivamente para os filhos de Levi, os sacerdotes a quem Deus escolher,
Ez 38.11; Ml 3.3,4; Ap 20.4-6.
Que o Senhor nos dê da sua graça, para gozarmos de todas as bênçãos celestiais em
Cristo! Amém.

4 - Para quem será o Milênio?


De Jerusalém, Cristo reinará sobre toda a Terra, tendo por súditos judeus e gentios.
A Igreja, nessa época, estará num estado de grande glória!

A pergunta de referência é realmente importante, porque várias seitas se ufanam de


serem chamadas de israelitas. Para isso procuram certos textos bíblicos que lhes pareçam
favoráveis, como: "A quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sejam sobre
eles e sobre o Israel de Deus", Gl 6.16; como a referência aos cento e quarenta e quatro mil,
Ap 7.5-8, e outros textos. Mas essas passagens nada têm a ver com os gentios, embora sejam
eles filhos espirituais de Abraão, Gl 3.7. Os textos acima citados e outros semelhantes se
referem a judeus.
A Palavra de Deus é explícita: judeu é judeu; gentio é gentio, porque nós não
herdamos pela fé o título de judeu ou de israelita, mas o de Cristão, At. 11.26. Disse Paulo:
"Pois em Cristo Jesus nem a circuncisão (sinal dos israelitas) nem a incircuncisão (sinal dos
gentios) valem alguma coisa, mas o que vale é a fé que opera por amor, Gl 5.6. Continua ele
demonstrando que nem ser judeu nem ser de outra raça tem importância, mas o importante é
ter a semente de Abraão, que é Cristo, Gl 3.28,29.
Ser um novo homem não é ter pretensão de raça, mas é ser revestido de Cristo, Rm
13.14; Ef 4.23,24; Cl 3.10,11. Em todos os textos notamos que Paulo deixa bem claro o ponto
de vista cristão, que nada tem a ver com judeu ou israelita. Que a salvação vem dos judeus, é
claro na Bíblia, pois a eles foram confiados os oráculos divinos, para serem anunciados entre
os povos, mas a essa incumbência de Deus eles não foram fiéis, Jo 4.22.
Encontramos na Bíblia muitas promessas referentes ao crente judeu, mas como são
dirigidas a judeu-cristãos, julgamos que essas promessas são para todos os crentes. Por
outro lado, encontramos referências diretas aos judeus e não aos gentios. Paulo sempre teve
o cuidado de dizer "nós" quando se referia aos judeus, Ef 1.12,13: "Nós que antes havíamos
esperado em Cristo...". No verso 13 ele faz referência aos gentios, dizendo: "No
qual vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o Evangelho da vossa salvação..." Note-se que
Paulo faz distinção entre judeu (nós) e gentio (vós). Há outros textos que falam do mesmo
assunto. Nesta altura, dirá alguém: Mas, nas suas epístolas, Paulo, escrevendo aos coríntios
(gentios) deixa transparecer que as promessas com respeito ao Milênio ou reino do céu são
acessíveis a todos. De fato, a Igreja participará do reino celeste, mas num estado de glória. O
reino Messiânico, no entanto, é inteiramente para os judeus, ainda que todas as demais
nações gozem dos benefícios do reino milenar.
Com respeito ao Milênio, as promessas de Deus aos judeus são irrevogáveis, e eles
as estão esperando. Os gentios, os que não tiverem a marca da Besta, certamente terão
privilégios e gozarão da bênção do reino do Messias, Ap 20.4. Quanto à prioridade, ela é dos
judeus, como diz Paulo, tanto nas bênçãos, como nas tribulações, Rm 2.9,10. Ele diz: "... se
pois já morremos com Ele, com Ele também viveremos: se perseverarmos, reinaremos..."
A palavra traduzida por perseverar é. no original, upomene, que tem o sentido de:
ficar e sofrer firme e heroicamente, não se desviando no tempo da angústia. 2Tm 2.11.
Certamente os que não forem raptados passarão com grande angústia os dias tenebrosos da
tribulação; uns selarão sua fé com o martírio, outros escaparão das tormentas apocalípticas.
Isto concorda com Rm 2.9; Ap 12.12. Não devemos confundir-nos contextos entre judeus e
gentios, entre os glorificados e os deixados, isto é, os que, não sendo arrebatados, ficaram
aqui na terra. Diz o texto de Ap 12.11: "Ai da terra..."
Notemos em Ap 20.4-6 um grupo que se assentou em tronos para julgar com poder:
"Vi também tronos, e se assentaram sobre eles e foi-lhes dado o poder de julgar..." Esse é um
grupo especial de que fala lCo 6.2,3. Também os apóstolos se assentarão em doze tronos,
para julgar as doze tribos de Israel, Mt 19.28. Vemos ainda outro grupo em Ap 20.4, cujos
componentes foram mortos pela tirania do Anti-cristo, mas voltaram à vida, com pujança
espiritual. Esses reinarão com Cristo e serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com
Ele por mil anos, v 6. Note bem: voltaram à vida, isto é, viveram fisicamente, cumprindo
assim, em parte, lCo 15.56.
Devemos notar que todos os textos que se referem ao reino de Cristo falam de que,
já nos primeiros dias da Igreja, esse reino era esperado com ansiedade. Pois eles deveriam
esperar a vinda e o reino de Cristo como um lavrador aguarda o precioso fruto da terra, Tg
5.7,8. Portanto, é bem patente nas Escrituras que o Milênio é prometido aos judeus e, depois,
aos que viverem fisicamente naquela época quando tudo será abundante, Zc 8.4-12; Ez 47.9-
12; Jr 31.13; Is 65.21,23, etc.
Os judeus serão a cabeça federativa do governo. Cristo reinará e a glória do Senhor
encherá a terra. Como já dissemos, a sede do governo milenar será na Palestina, e Jerusalém
será a capital do mundo. O domínio de Cristo será no universo, Is 2.2-4; 4.2,3; Jl 3.17-20;
Mq 4.2. Davi será o príncipe, Ez 34.22-24; 37.24-27; Jr 30.9; Os 3.5. Entretanto, Cristo e
seus santos, em corpos glorificados, reinarão na nova Jerusalém, conforme prevê a Palavra
de Deus, Fl 3.20,21; 2Co 4.18; 5.21; Hb 11.10,16; 12.23; Ap 21.8-24; 22.1-5.
Note-se que tudo o que foi comentado não é o estado eterno, mas apenas a glória do
reinado de Cristo durante o Milênio. Durante o Milênio, os santos glorificados serão os
portadores da mensagem de Cristo, diretamente do Trono, como Deus enviou Elias e Moisés
para falarem com Jesus, Mc 9.4; Lc 9.30,31.

5 - Como e onde estará a Igreja no Milênio?


A vida futura dos crentes é descrita na Palavra de Deus como translúcida, em
corpos glorificados que refletirão a imagem de Deus!
Primeiro estudaremos sobre o estado e depois sobre a posição da Igreja durante o
Milênio. A posição futura da Igreja é descrita na Bíblia com tanta clareza que não deixa
dúvidas. Notemos o que diz Paulo ao escrever aos romanos: "O Deus de paz em breve
esmagará Satanás debaixo de vossos pés", Rm 16.20. O texto não insinua que cobra, pois
aqui o sentido é espiritual. Como sabemos, Satanás é um espírito. Há, portanto, necessidade
de corpos espirituais para realizar o seu esmagamento.
Deus, no Éden, prometeu à mulher que a semente dela esmagaria a cabeça da
serpente. Cristo, portanto, dará autoridade, em tempo próprio, para que seja efetuada essa
operação que leve a completa vitória espiritual. - Quando? - perguntará alguém. - Quando a
morte for tragada na vitória juntamente com aquele que tinha o poder da morte, Hb 2.14,
Satanás será esmagado, por autoridade divina, debaixo dos pés dos santos. Nesse tempo, os
crentes no Senhor Jesus terão passado de um lado para o outro, isto é, da posição material
ou física para a espiritual, com corpos glorificados, como os dos anjos, Mt 22.30.
A primeira parte da pergunta é: Como estará a Igreja no Milênio? - Naturalmente se
fala do estado espiritual da Igreja, pois nesse tempo já se terá processado a ressurreição dos
santos que dormiam e o arrebatamento dos que estavam vivos nesse glorioso dia, lTs 4.13-18.
Em todos os textos bíblicos que se referem a esse estado espiritual, é revelado um período
glorioso.
Havia uma grande dúvida nos primeiros crentes com respeito ao corpo depois da
ressurreição dos mortos. Paulo, por isso, os instruiu dizendo: "Insensato! o que se semeia
não é vivificado se primeiro não morrer... Assim também a ressurreição dos mortos. Semeia-
se o corpo em corrupção (sujeito a decomposição), ressuscitará em incorrupção (não mais
sujeito a decomposição); semeia-se em vileza (coisa vil), ressuscitará em glória", lCo 15.35-
44. Logo depois da ressurreição e do arrebatamento, recebe-se um corpo glorificado,
espiritual, não mais sujeito às necessidades físicas. Fome, sede, cansaço, plantar e gozar dos
frutos, tudo isso pertence ao corpo material, a esta vida. Ap 7.16 fala dos mártires na glória,
isto é, dos que morreram durante a Grande Tribulação. Eles não mais necessitam das coisas
materiais.
Perguntará alguém: Mas como é que Jesus comeu depois da ressurreição?
Respondemos: Ele fez isso para tirar as dúvidas dos seus discípulos, para provar que Ele não
era um espírito, mas que era Ele mesmo, embora em corpo de ressurreição, Rm 1.4. Ainda
cabe outra pergunta: Onde estão os corpos de Elias, Enoque e Moisés? Como sabemos, esses
servos de Deus tiveram experiências especiais em suas vidas: Elias e Enoque foram elevados
ao céu. Quanto a Moisés, embora esteja registrado que ele morreu, sabemos que seu corpo
desapareceu pelo poder de Deus, Jd 9; Dt 34.6. O certo é que dois deles apareceram com
corpos glorificados no monte da transfiguração, e falaram com Jesus, Lc 9.30,31.
Da transfiguração se vê que Moisés e Elias não estavam sujeitos às limitações
físicas. Assim também, depois da ressurreição e do arrebatamento os componentes da Igreja
não estarão sujeitos a essas limitações. Paulo diz que, nessa época, receberemos de Deus
outra habitação, 2Co 5.1-5. Se receberemos uma habitação que é do céu, como voltaremos
para este globo terráqueo, para vivermos sujeitos à matéria, à decomposição, às fadigas,
enfim, a tudo o que se relacione com esta vida? Fl 3.20; lTs 4.15-17. Por enquanto essa vida
está vedada, oculta, mas um dia há de manifestar-se gloriosamente, Cl 3.1-5, quando formos
os habitantes da cidade de Deus, Ap 19.9; 22.5.
Em todas as passagens que se referem à Igreja no Milênio, notamos: em glória,
glorificados e em lugares sublimes com o Senhor. Naturalmente isso se refere ao estado da
Igreja naquela época. Materializar esse estado seria confundir o assunto. Há os que
misturam os que estão em corpos físicos ainda na terra com os que estão glorificados com o
Senhor. O certo é que, nesse estado, seremos como os anjos nos céus, Mt 22.30. Poderia
perguntar-se ainda: Para que esses vão receber terra e plantar, como está escrito: "Os
mansos herdarão a terra", Mt 5.5; SI 37.11. Creio que essa pergunta está respondida no
capítulo anterior. Mas podemos confirmar que esses mansos são os que não usaram os
recursos humanos, mas se entregaram inteiramente à vontade do Senhor, os que não
vindicaram para si os direitos com força bruta, mas esperaram e alcançaram as promessas
de Deus, Dn 12.12.
A promessa é esta: "Na casa de meu Pai há muitas moradas..." Ali há riqueza e gozo
espirituais, Ef 1.18. Essa parte será respondida na segunda divisão deste capítulo. Como
sabemos, os discípulos estavam sempre interessados nos reino material de Cristo e, por isso,
perguntavam: Quem será o maior? Quem iria assentar-se ao lado de Jesus no reino? Quando
seria estabelecido o reino? etc, Mc 10.35; Lc 22.24; At. 1.6. O Senhor explicou-lhes bem a
questão e levou-os a pensar mais no sentido espiritual, pois que tudo estava determinado pelo
Pai.
Essa questão de pensar ser alguma coisa no reino de Cristo tem, realmente,
preocupado muita gente. Alguns já estabeleceram até os lugares onde irão residir e quais
serão as suas ocupações no Milênio. Tudo é pura invencionice. Os que vão passar pela
Grande Tribulação e entrar no reino milenar gozarão, é certo, de grandes privilégios
espirituais e também materiais. Segundo a revelação da Palavra, os santos que hão de ser
arrebatados, e os que alcançarem a ressurreição receberão corpos glorificados e estarão em
glória com o Senhor, Fl 3.21.
Está escrito: "O qual transformará o corpo da nossa humilhação", Fl 3.21. Nessa
época até a própria criação será libertada do cativeiro para a liberdade da glória dos filhos
de Deus, Rm 8.21. Paulo falou do despir do tabernáculo (o corpo), isto é, deixar o corpo
mortal, material para revestir-se de um corpo de glória, imaterial. Assim, durante o reino
milenar, os glorificados estarão com Cristo num estado espiritual. Está escrito: "Vede quão
grande amor o Pai nos tem mostrado, para que fôssemos chamados filhos de Deus e agora o
somos... e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Sabemos que quando Ele (Jesus) se
manifestar, seremos semelhantes a Ele", I Jo 3.1-3.
A Palavra de Deus descreve a vida futura dos crentes como translúcida, em corpos
glorificados que refletem a imagem de Deus. Nesse estado, não necessitam de alimentação
nem de roupa. Elias, ao subir, deixou suas vestes materiais para revestir-se das espirituais.
Assim também a Igreja de Cristo. Do mesmo modo a Igreja de Cristo num corpo glorioso,
num estado de bem-aventurança espiritual não necessitará das coisas materiais. Convém
permanecermos firmes na fé e no amor de Deus, porque muitos serão enquadrados em Mt
5.8; Hb 12.14; Ap 22.14; Mt 24.40. Não demorará esse glorioso dia, o dia da Igreja de Cristo
em sua excelsa glória. Glória a Deus nas alturas!
Passaremos à segunda etapa da pergunta: - Onde estará a Igreja de Cristo durante
o Milênio? - Em parte já a temos respondido, mas vamos afirmar com toda a certeza: A
Igreja estará com o Senhor em glória. Examinaremos textos em que há uma confirmação
dessa promessa divina. Na primeira resposta falamos sobre a Jerusalém terrestre e a celeste:
uma refletindo a glória de Deus e a outra recebendo a reflexão dessa glória, Ap 21.24-27; Is
4.5,6. A promessa de Jesus foi que nos levaria para a casa do Pai onde - disse - há muitas
moradas, Jo 14.2. É durante o Milênio que essa casa de Deus estará sob os céus, e da terra
será vista e contemplada por causa da glória da manifestação do Senhor. Paulo, escrevendo,
diz dessa casa ou cidade: "A nossa Pátria está nos céus...", Fl 3.20. Em Hb 11.10 diz que
Abraão aguardava a cidade do Deus vivo, onde estará também a Igreja, v 23. O apóstolo
João descreve a cidade em sua glória, beleza e grandeza espirituais. O tamanho dessa cidade
excede às medidas humanas: é um astro de primeira grandeza.
João viu que a cidade não tinha santuário, isso equivale a dizer que toda a cidade é
o próprio santuário, Ap 21.22, pois Deus e o Cordeiro são o seu santuário. Também a cidade
celeste não necessita de luz nem mesmo de sol, Ap 21.23. Entretanto na cidade terrestre
haverá necessidade de luz, Is 30.26, pois haverá noite e haverá dia -fatores da vida física, Is
24.23. Também durante o milênio, os servos de Deus glorificados, tanto os do Antigo como os
do Novo Testamento estarão servindo a Deus num corpo especial, face a face, na cidade
celestial, Ap 22.4. Note-se que eles estarão reinando com o Senhor Jesus pelos séculos dos
séculos, ou melhor, por toda a eternidade.
Na Jerusalém terrestre, no entanto, ainda haverá interrupção, pois somente quando
todos os povos e poderes estiverem subjugados debaixo dos pés de Cristo no seu reino, Ele
entregará o reino ao Pai, I Co 15.24. Isso será no fim do Milênio, quando Satanás e seus
anjos serão julgados pelos santos glorificados, ICo 6.2,3. E nessa época que a terra passará
por um grande estrondo, como nos afirma Pedro em 2Pe 3.10. Então uma nova era será
estabelecida, com novos céus, e uma nova terra onde habitará a justiça, 2Pe 3.13; Is 65.17;
Ap 21.1.
É muito perigoso misturar os assuntos, especialmente os textos bíblicos que dizem
respeito ao estado físico do Milênio com o seu estado espiritual. Infelizmente há comentários
de autores que são uma negação nesse sentido, porque fazem da vida celeste dos salvos uma
espécie de paraíso terrestre, de desejos e prazeres carnais, onde se cantam músicas, onde há
banquetes sucessivos. Mas o reino de Deus não é comida nem bebida, Rm 14.17. Paulo
afirmou sempre que o verdadeiro sentido do reino de Deus não é de prazeres efêmeros.
No Milênio, como notamos de vários textos bíblicos, haverá dois estados distintos:
Um o dos crentes glorificados no esplendor da glória de Cristo, habitando na cidade
celestial; estes, seus corpos não estarão sujeitos às leis físicas. O outro é o estado dos vivos
que habitarão na Jerusalém terrestre. Paulo disse: "Há corpos celestes e corpos terrestres,
lCo 15.40. Assim, cada um no seu próprio corpo, Deus nos revestirá com a habitação dos
céus, 2Co 5.2. No reinado de Cristo, não se disputarão cargos, com espírito de ambição nem
de vaidade, pois os que estiverem com o Senhor no seu reino se identificarão no plano
glorioso e eterno. Não estarão mais vivendo segundo as leis deste mundo, mas livres de
qualquer paixão, Mt 20.25.
Cremos que a resposta foi dada segundo a Palavra de Deus. Não confundamos os
textos bíblicos, vendo materialmente quando o texto é espiritual ou vice-versa. Também não
devemos confundir quando se fala de Israel e de certas promessas aos apóstolos ligadas à
nação judaica com a fala sobre a Igreja, Mt 19.27,28. Quando Pedro perguntou ao Senhor:
"E nós que deixamos tudo e te seguimos, que receberemos? Respondeu-lhe Jesus: Em
verdade, vos assentareis nos doze tronos de Israel (Jesus falava do trono da sua glória ) para
julgar as doze tribos de Israel, Mt 19,27,28. Aqui vemos uma promessa aos apóstolos, com
referência a Israel e não a todo o povo cristão. Em Ap 20.4, vemos quem se assentará em
glória e poder nos tronos: "Vi tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada
autoridade de julgar."
Em I Co 6.2,3 diz: "Porventura não sabeis que os santos hão de julgar o mundo...?
Não sabeis que julgaremos os anjos?..." Jesus declarou que os apóstolos haviam de julgar as
doze tribos. Disse mais: "E vós tendes permanecido comigo nas minhas tentações. Eu vos
confio domínio real, assim como o Pai o conferiu, para que comais e bebais à minha mesa no
meu reino", v 30. À luz dos textos bíblicos, comer e beber são coisas materiais, mas sabemos
que no reino milenar estarão os apóstolos em corpo glorificado, não mais sujeitos à fome,
sede, sono, etc. Naturalmente o Senhor usou essas palavras para dar força de expressão e
não do sentido literal.
O reino de Cristo não repousa sobre o que é material. Promessas materiais são as
feitas aos pais, as quais o povo de Israel vai gozar: Is 11.6-10; Zc 8.3-7; Is 65.20-25. Em Mt
8.11, lemos: "... assentar-se-ão à mesa com Abraão, Isaque e Jacó... Isso não podemos
interpretar materialmente, mas à luz de Ap 19.7-9. Trata-se, pois de um banquete espiritual e
não material. Assim são muitos textos que, sendo de sentido espiritual, não podemos
materializar o assunto neles contido. Do mesmo modo, o que fala sobre o reino material de
Israel, não podemos espiritualizar. Concluímos que no reino milenar, a Igreja de Cristo
estará glorificada na Jerusalém celeste. Glória ao Senhor Jesus!

6 - Que sucederá às nações no Milênio?


No Milênio, as nações perderão a noção bélica, a estratégia da guerra: serão um
povo pacífico, a desfrutar de grandes privilégios espirituais.
Com o estabelecimento do Milênio, haverá o chamado julgamento das nações, Mt
25.31-34. Uns serão colocados à esquerda do Senhor, enquanto outros à sua direita, cada
grupo conforme seu destino, vv 37-46. Por certo a base do julgamento será o trato que deram
aos judeus, o povo de Deus. Aí chegou a hora de serem as obras pesadas em balança fiel e
justa: ''Pesados, foram achados em falta..."
É certo que durante o Milênio, muitos povos (nações) procurarão o favor do
Senhor por meio dos judeus, Is 2.3; Mq 4.12. "As nações caminharão à sua luz, e todos
os reis da terra (aqui inclui os governos) lhe trarão glória", Ap 21.24, nos Salmos, em
Isaías e na maioria dos profetas, encontramos indícios do reino Messiânico. A época do
reino de Cristo será, realmente, maravilhosa, pois todos os poderosos da terra virão
prostrar-se ante Ele, trazendo honra e glória. Hoje muitos desprezam o Senhor Jesus,
mas chegará o dia em que todo o joelho há de dobrar-se diante dele, Fl 2.11. Nesse
tempo haverá profundo conhecimento espiritual, segundo a revelação da glória de Deus,
Is 2.11; 11.9; Zc 14.9; Mq 2.13.
O muito importante no Milênio é que as nações perderão a noção bélica, a
estratégia da guerra: serão um povo pacífico que transformará a terra inteira numa imensa
cultura de mantimentos, Mq 4.3,4; Is 2.4; Jl 3.18; Jr 31.12.
Oportunamente, perguntará alguém: Haverá salvação durante o Milênio?
Respondemos: Por certo que sim, porque o Milênio é um tempo probatório, uma dispensação
material durante a qual Deus vai provar os que nela nasceram, dando-lhes conhecimentos
especiais para serem salvos. Está escrito: "Naquele dia (no Milênio), diz o Senhor:
Congregarei o que coxeia..." Congregarei ao Senhor fala de salvação. Os gentios procurarão
a face do Salvador: "As ilhas de longe me procurarão,", os gentios me procurarão. Embora a
profecia abranja também a pregação do Evangelho em nossos dias, aqui se refere ao
Milênio, porque durante essa época, as nações que restarem vão suplicar o favor do Senhor,
Zc 8.20-22. Haverá bênção e salvação da parte do Senhor, Zc 8.13. Como será majestoso
aquele dia quando o Senhor se assentar no trono da sua glória, tendo todos os povos
humilhados diante dele!
A cidade de Jerusalém terrestre será cabeça: nela estará a cheia do Governo, e
Cristo estará no trono de sua glória, em esplendor e majestade, rodeado de seus santos:
"Quando vier o Filho do homem na sua glória, e todos os santos com Ele", Mt 25.31; "E
verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória", Mt 24.30.
Ezequiel descreve em cores vivas o período milenar em Jerusalém, dizendo: "Produzirá
novos frutos todos os meses, porque as suas águas saem do santuário; e o seu fruto servirá de
comida, e as folhas de remédio...", Ez 47.12. E João conclui: Será para a saúde das
nações...", Ap 22.2. Naquela época haverá novos frutos em todo o tempo. As nações que
restarem serão grandemente beneficiadas durante o período milenar e gozarão de grandes
privilégios espirituais, Ap 21.26.
Mas, no fim do reino Messiânico, Satanás será solto, para que as nações sejam
provadas (aquelas que durante séculos gozaram as bênçãos de Deus, uma terra farta e sem
enfermidades malignas) quanto á sua fidelidade à bondade do Senhor. Infelizmente o
Maligno encontrará lugar no arcano do coração humano, fazendo com aqui os homens a eles
se unam contra o Senhor, Ap 20.7-10. Estes serão, certamente,as criaturas que nasceram no
Milênio, mas as que não aceitaram o conhecimento da glória de Cristo nem o seu governo, Is
65.20; Zc 14.17,18.
Após a destruição total do mal, Cristo dominará com poder e entregará o reino ao
Pai, ICo 15.23. A morte será para sempre destruída e lançada no lago de fogo, para onde
também irão todos os poderes infernais, Ap 20.14, juntamente com todos os incrédulos, os
que não quiseram Deus desde a fundação do mundo até aqueles dias, Ap 20.11-13. Não
devemos confundir o julgamento das nações com o julgamento final. O julgamento das
nações julga pessoas vivas, na Jerusalém terrestre, que receberão suas recompensas segundo
as determinações do Juiz, mas que continuarão vivendo, uns debaixo da bênção, Mt 25.34,
vida eterna e salvação em suas asas, Ml 4.2, enquanto que os ímpios, ainda os de muitos
anos, serão amaldiçoados, devido à sua incredulidade, Is 65.20; Mt 25.41. Estes certamente
são os que, mesmo desfrutando de todas as bênçãos mileniais e da presença da glória de
Deus, não creram por causa do endurecimento de seus corações. No final do Milênio, eles se
rebelarão contra o Senhor Jesus e contra o Deus Todo poderoso, instigados por Satanás.
Que Deus nos dê sua graça, para permanecermos firmes e desfrutarmos com Cristo
de todas as bênçãos celestiais! Ef 1.3.
Uma análise mais detalhada sobre o Milênio
A Bíblia fala claramente sobre o milênio, mas são poucos os que ensinam sobre esse
tema sem fugir do real contexto. Vamos analisar juntos as características no Reino milenar.

E, como já vimos no artigo Entendendo as Duas Ressurreições e o Milênio!, apenas


os mártires de todas as épocas e os que morrerem como mártires na grande tribulação é
que vão reinar com Cristo no milênio. Com isto em mente, vamos analisar como será
esse tempo, nos detalhes.
Os efeitos do pecado no planeta ainda estarão presentes. E o reinado de Cristo e dos
santos começará a tratar isso. No início do milênio, a terra ainda estará muito ferida,
machucada. Veja o texto:

“A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha; enfraquecem os


mais altos do povo da terra. Na verdade a terra está contaminada debaixo dos seus habitantes;
porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram o pacto eterno” (Isaías 24:4-5)
Depois que realizar a sua vingança sobre os homens ímpios e perversos, o Senhor
Deus consertará e restaurará esta terra, tornando-a um verdadeiro paraíso aos homens que
Nele confiam. No sermão das bem-aventuranças Jesus prometeu o seguinte:

“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra” (Mateus 5:5). Vejamos


então a descrição das mudanças que este globo terrestre terá no decorrer dos mil anos:
“Todo vale será levantado, e será abatido todo monte e todo outeiro; e o terreno
acidentado será nivelado, e o que é escabroso, aplanado” (Isaías 40:4).
A Bíblia nos ensina que no período de mil anos uma mudança profunda será feita na
terra. Por exemplo, muitas montanhas e ilhas desaparecerão ou serão transladados a outros
lugares:

“Porque eis que o Senhor está a sair do seu lugar, e descerá, e andará sobre as alturas
da terra. Os montes debaixo dele se derreterão, e os vales se fenderão, como a cera diante do
fogo, como as águas que se precipitam por um declive” (Miquéias 1:3-4).
“E o céu recolheu-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram
removidos dos seus lugares” (Apocalipse 6:14).
“Todas as ilhas fugiram, e os montes não mais se acharam” (Apocalipse 16:20).
O monte das Oliveiras na Palestina se repartirá:
“Naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de
Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, do oriente para o
ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se removerá para o norte, e a
outra metade dele para o sul” (Zacarias 14:4).
A terra tornará excepcionalmente fértil: “O deserto e a terra sedenta se regozijarão; o
ermo exultará e florescerá; como o narciso florescerá abundantemente, e também exultará de
júbilo e romperá em cânticos; dar-se-lhe-á a glória do Líbano, a excelência do Carmelo e
Sarom; eles verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus” (Isaías 35:1-2)
“Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em lugar da sarça crescerá a murta; o que
será para o Senhor por nome, por sinal eterno, que nunca se apagará” (Isaías 55:13).
Os DESERTOS áridos e secos produzirão água em abundância:

“Os animais do campo me honrarão, os chacais e os avestruzes; porque porei água no


deserto, e rios no ermo, para dar a beber ao meu povo, ao meu escolhido” (Isaías 43:20).
No milênio, o problema ECOLÓGICO será completamente resolvido. As
ÁRVORES crescerão em grande número e não haverá derrubadas indiscriminadas como nos
dias de hoje. Na região da Palestina surgirá um novo rio cujas águas conterão elementos que
purificará qualquer outra fonte, inclusive o Mar Morto que há milhares de anos está podre,
será purificado pelas águas desse novo rio. Veja o texto em Ezequiel:

“E, tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia uma grande abundância de
árvores, de um e de outro lado. Então disse-me: Estas águas saem para a região oriental, e
descem ao deserto, e entram no mar; e, sendo levadas ao mar, as águas tornar-se-ão saudáveis.
E será que toda a criatura vivente que passar por onde quer que entrarem estes rios viverá; e
haverá muitíssimo peixe, porque lá chegarão estas águas, e serão saudáveis, e viverá tudo por
onde quer que entrar este rio. Será também que os pescadores estarão em pé junto dele; desde
En-Gedi até En-Eglaim haverá lugar para estender as redes; o seu peixe, segundo a sua
espécie, será como o peixe do mar grande, em multidão excessiva.” (Ezequiel 47:7-10)
No milênio Jesus vai mudar radicalmente a terra. No milênio haverá transformações
jamais vistas na história da humanidade. Os animais também sofrem com os efeitos nocivos
do pecado do homem. Mas Jesus vai transformar toda a natureza quando estabelecer o seu
reino na terra. A natureza selvagem dos animais será tirada.
“Morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará; e o bezerro, e
o leão novo e o animal cevado viverão juntos; e um menino pequeno os conduzirá. A vaca e a
ursa pastarão juntas, e as crias juntas se deitarão; e o leão comerá palha como o boi. A criança
de peito brincará sobre a toca da áspide, e a desmamada meterá a sua mão na cova do
basilisco” (Isaías 11:6-8).
“O lobo e o cordeiro juntos se apascentarão, o leão comerá palha como o boi; e o pó
será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o
Senhor” (Isaías 65:25).
“Farei com elas (ovelhas, que sãos os convertidos) um pacto de paz; e removerei da
terra os animais ruins, de sorte que elas (ovelhas) habitarão em segurança no deserto, e
dormirão nos bosques” (Ezequiel 34:25).
“Naquele dia farei por eles (seu povo) aliança com as feras do campo, e com as aves
do céu, e com os répteis da terra; e da terra tirarei o arco, e a espada, e a guerra, e os farei
deitar em segurança” (Oséias 2:18).

AS NAÇÕES QUE RESTAREM SE CURVARÃO AO SENHORIO DE CRISTO

A Palavra diz claramente que quando o Senhor voltar aqui na terra para inaugurar
seu reino, nem todos perecerão pelo fogo, e estes participarão do reino milenar de Cristo. Ou
seja, após o retorno do Senhor Jesus, nações sobreviverão (não muitas) aos acontecimentos e
horrores daqueles dias.Vejamos o que a Bíblia tem a dizer sobre isso:

“Por isso a maldição consome a terra; os que nela habitam se tornam culpados.
Portanto serão queimados os moradores da terra, e poucos homens restarão” (Isaías 24:6).
“Então, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém,
subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos exércitos, e para celebrarem a
festa dos tabernáculos” (Zacarias 14:16). A semente do homem estará presente no reino
milenar (veja o estudo completo sobre As três sementes, clicando AQUI) e estarão sob o
domínio do Cristo (Jesus e a igreja vencedora). São estes que terão filhos, se multiplicarão e
alcançarão grandes progressos sobre a terra durante o milênio. Veja Isaías 65:20-23.
Nações inteiras vão se submeter ao senhorio de Cristo, pois Deus vai facilitar a
submissão dos povos, aprisionando o Diabo por mil anos, neutralizando assim, a força do
pecado e a influência do mal. Veja Apocalipse 20:1-3.
“Todas as nações que fizeste virão e prostrarão diante de ti, Senhor, e glorificarão o
teu nome” (Salmos 86:9).

“E acontecerá que desde uma lua nova até a outra, e desde um sábado até o outro,
virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor” (Isaías 66:23).

“Naquele dia muitas nações se ajuntarão ao Senhor, e serão o meu povo; e habitarei
no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti” (Zacarias 2:11).
“Assim virão muitos povos, e poderosas nações, buscar em Jerusalém o Senhor dos
exércitos, e suplicar a bênção do Senhor” (Zacarias 8:22).
No milênio, o desejo inconsciente da Semente do Homem, contida em Romanos 8, se
realizará. Veja o texto:

“Porque a criação (Semente do Homem) aguarda com ardente expectativa a


revelação dos filhos de Deus. Porquanto a criação (Semente do Homem) ficou sujeita à
vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que
também a própria criação (Semente do Homem) há de ser liberta do cativeiro da corrupção,
para a liberdade dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação (Semente do
Homem), conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora; e não só ela, mas até nós,
que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, aguardando a nossa
adoção, a saber, a redenção do nosso corpo” (Romanos 8:19-23).
Esse maravilhoso texto de Romanos, tão mal interpretado por muitos, deixa claro que
a ardente expectativa da semente do homem sempre foi estar sujeita ao cuidado, amor, e
senhorio dos Filhos de Deus (Jesus e a igreja vencedora). Isso no milênio será experimentado
pelas nações.

As nações que tradicionalmente são inimigas de Israel durante centenas de anos,


também se converterão ao Senhor Deus. As nações Egípcia e Assíria são bons exemplos
disso:

“Naquele dia haverá um altar dedicado ao Senhor no meio da terra do Egito, e uma
coluna se erigirá ao Senhor, na sua fronteira. E o Senhor se dará a conhecer ao Egito, e os
egípcios conhecerão ao Senhor naquele dia; e o adorarão com sacrifícios e ofertas, e farão
votos ao Senhor, e os cumprirão. Naquele dia haverá estrada do Egito até a Assíria, e os
assírios virão ao Egito, e os egípcios adorarão com os assírios. Naquele dia Israel será o
terceiro com os egípcios e os assírios, uma bênção no meio da terra; porquanto o Senhor dos
exércitos os tem abençoados, dizendo: Bem-aventurado seja o Egito, meu povo, e a Assíria,
obra de minhas mãos, e Israel, minha herança” (Isaías 19:19, 21, 23, 24 e 25).

A Etiópia, nação do continente africano, que também se destacou como inimiga do


povo de Deus durante séculos, se submeterá ao senhorio do Senhor. “Naquele tempo será
levado um presente ao Senhor dos exércitos da parte dum povo alto e tez luzidia (pele lisa
devido sua forte cor negra), e dum povo terrível desde o seu princípio, uma nação forte e
vitoriosa, cuja terra os rios dividem; um presente, sim, será levado ao lugar do nome do
Senhor dos exércitos, ao monte Sião” (Isaías 18:7).

AINDA HAVERÁ INCIDÊNCIA DE PECADO NO MILÊNIO

Conforme já vimos, Deus vai prender Satanás no grande abismo durante o milênio
(Apocalipse 20:1-3). Deus vai tirar não só o Diabo da face da terra, mas também todos os
demais espíritos demoníacos.

“Naquele dia, diz o Senhor dos exércitos, cortarei da terra os nomes dos ídolos, e
deles não haverá mais memória; e também farei sair da terra os profetas (falsos) e o espírito
da impureza. E se alguém ainda profetizar, seu pai e sua mãe, que o geraram, lhe dirão: Não
viverás, porque falas mentiras em nome do Senhor; e seu pai e sua mãe, que o geraram, o
traspassarão quando profetizar” (Zacarias 13:2-3).
Haverá a presença do pecado na terra, mas com a erradicação de Satanás e dos
espíritos caídos, os habitantes desse novo e glorioso mundo, poderão resistir ao pecado.
Porém, alguns homens ainda deliberadamente vão pecar contra o Senhor. Mas a grande
maioria procurará servir ao Senhor.

“Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus
dias; porque o menino morrerá de cem anos; porém o pecador de cem anos será
amaldiçoado.” (Isaías 65.20)
“Assim diz o Senhor dos exércitos: Naquele dia sucederá que dez homens, de nações
de todas as línguas, pegarão na orla das vestes de um judeu, dizendo: iremos convosco,
porque temos ouvido que Deus está convosco” (Zacarias 8:23).
“Assim diz o Senhor: A riqueza do Egito, e as mercadorias da Etiópia, e os sabeus,
homens de alta estatura, passarão para ti, e serão teus; irão atrás de ti; em grilhões virão; e,
prostrando-se diante de ti, far-te-ão as suas súplicas, dizendo: Deus está contigo somente; e
não há nenhum outro Deus” (Isaías 45:14).
“Irão muitos povos, e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor, à casa do Deus
de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião
sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor” (Isaías 2:3).
Que época fantástica!!! Hoje em dia não temos este privilégio de ver nações e mais
nações interessadas em servir o grande e Todo-Poderoso Deus, como vimos que ocorrerá no
milênio. Para os homens que confiam em Cristo, este período milenar será o mais
maravilhoso de toda a história da humanidade.

Nesta época os homens possuirão poderes extraordinários concedidos pelo Senhor


Deus. “O mais pequeno virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o Senhor, apressarei
isso a seu tempo” (Isaías 60-22).

A MORTE SERÁ UMA RARIDADE NO MILÊNIO MAS AINDA OCORRERÁ

Não devemos supor que no reino dos mil anos não haja a morte. Lembre-mo-nos que
a presença do pecado estará no milênio, mas sua força será profundamente diminuída com a
prisão de Satanás no abismo (Apocalipse 20:1-3). Veja o que Paulo fala em I Coríntios:

“Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua
vinda. Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver
aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que reine até que haja
posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora o último inimigo que há de ser aniquilado
é a morte.” (I Coríntios 15:23-26).
Convém que Cristo reine até quando? Até quando houver aniquilado toda a potestade
e força e até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. E qual será o ÚLTIMO
inimigo a ser vencido e aniquilado? A MORTE. E quando a morte será vencida e aniquilada?
Calma. Antes vamos continuar o texto de I Coríntios para vermos algo interessante e especial:

“Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte. Porque todas as coisas
sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está
que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. E, quando todas as coisas lhe estiverem
sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou,
para que Deus seja tudo em todos.” (1 Coríntios 15:26-28).
O Eterno é o poderoso e único Deus. Jesus tornou-se Senhor e Cristo por ter vencido
o pecado e a morte. Por isso, Deus entregou toda a autoridade debaixo do céu e acima da terra
para o seu Filho (Jesus, claro, só não tinha autoridade sobre seu Pai e Deus), o que reforça
também outro tema que estudaremos em breve neste blog: Jesus não é Deus e nunca foi, mas
Senhor e Cristo por ter vencido! Mas… Um dia, o Filho, depois de reinar mil anos como o
Senhor soberano na terra, junto com a igreja vencedora, entregará o reino ao
senhorio total e exclusivo do seu Pai, o Criador de todas as coisas. Então, Jesus e toda a
humanidade estarão sob o senhorio total de Deus. E Deus será TUDO em TODOS.
Mas vamos prosseguir, novamente com a pergunta: e quando a morte será
aniquilada completamente? Após o milênio e não no retorno de Cristo com a
ressurreição da igreja. E porque posso afirmar isso? Porque pessoas morrerão no
milênio. Não esqueça que a morte será o ÚLTIMO inimigo a ser aniquilado e vencido.
Já, já vamos ver como será o fim da morte!
Mas vai acompanhando a coisa toda comigo. Com a prisão de Satanás e a eliminação
dos espíritos demoníacos da terra (Zacarias 13:2), os homens podem resistir o pecado e se
submeter ao senhorio de Cristo com mais facilidade. Porém, muitos homens decididamente e
deliberadamente vão escolher o mal e rejeitar o bem. Apesar de toda a facilidade que haverá
nesta época áurea da raça humana, muitos se rebelarão contra a soberania do Senhor Jesus
Cristo. Eis o triste relato que a Bíblia diz da reação negativa do homem no milênio:

“Ainda que se mostre favor (misericórdia) ao ímpio, ele não aprende justiça; até na
terra da retidão (no milênio) ele (o ímpio) pratica a iniquidade, e não atenta para a majestade
do Senhor” (Isaías 26:10). Esses ímpios serão severamente punidos pelo Senhor Deus. Ao que
parece Deus vai conceder uma idade mínima para o perverso morrer no milênio.

“Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus
dias; porque o menino morrerá de cem anos; porém o pecador de cem anos será
amaldiçoado.” (Isaías 65.20).
Ser menino na idade de cem anos, parece uma história imaginária. Mas é exatamente
isso que podemos ler no livro de Isaías 65:20. Veja o que diz Zacarias:
“Assim diz o Senhor dos exércitos: Ainda nas praças de Jerusalém sentar-se-ão
velhos e velhas, levando cada um na mão o seu cajado, por causa da sua muita idade. E as
ruas da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão” (Zacarias 8:4-5).
“…porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus escolhidos
gozarão por longo tempo das obras das suas mãos” (Isaías 65:22).

NÃO HAVERÁ GUERRAS NO MILÊNIO

Pela primeira vez na história do homem, a guerra será completamente banida de


entre as nações. O homem, que há milhares de anos vem almejando a paz, mas nunca
conseguiu estabelecê-la de forma definitiva na terra, experimentará os efeitos benéficos da
tranquilidade entre seus semelhantes. Deus mesmo, mediante Jesus Cristo, se encarregará de
implantar a tão esperada paz.

“E ele julgará entre as nações, e repreenderá muitos povos; e estes converterão as


suas espadas em relhas de arado, e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada
contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra” (Isaías 2:4).
“…e da terra tirarei o arco, e a espada, e a guerra, e os farei deitar em segurança”
(Oséias 2:18).
“De Efraim exterminarei os carros (de guerra), e o arco de guerra será destruído, e
Ele (Jesus) anunciará a paz à nações; e o seu domínio se estenderá de mar a mar, e desde o
Rio (Eufrates) até as extremidades da terra” (Zacarias 9:10).

CENTRO DO GOVERNO MILENAR


O centro do governo de Jesus Cristo indiscutivelmente será a cidade de Jerusalém.
Jerusalém será a capital mundial no reino de Jesus Cristo.

Conforme é descrito em Zacarias 9:10, Jesus reinará soberanamente nos quatro


cantos da terra. Não haverá uma só nação que não esteja sob o domínio de Jesus Cristo e de
seus santos. Todos os reinos deste planeta um dia estarão sob a direção de Cristo e daqueles
que Nele foram redimidos de seus pecados. A Bíblia diz claramente que o crentes herdarão os
reinos da terra. Jesus mesmo prometeu dar aos seus fiéis autoridades sobre as nações.
“E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as
nações, e com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também
recebi de meu Pai.” (Apocalipse 2:26,27)
Veja também as seguintes passagens no livro de Daniel:

“E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e
línguas o servissem.” (Daniel 7:14)
“Mas os santos do Altíssimo receberão o reino, e o possuirão para todo o sempre, e
de eternidade em eternidade.” (Daniel 7.18)
“Até que veio o ancião de dias, e fez justiça aos santos do Altíssimo; e chegou o
tempo em que os santos possuíram o reino.” (Daniel 7.22)
“E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados
ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o
servirão, e lhe obedecerão.” (Daniel 7.27)
“Porque a nação e o reino que não te servirem perecerão; sim, essas nações serão de
todo assoladas.” (Isaías 60:12).
Porém, não esqueçamos que Jerusalém será o centro do poder de Cristo. Será em
Jerusalém que Ele estará entronizado. De Jerusalém Jesus delegará as suas ordens a toda a
face da terra.

“…porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor” (Miquéias 4-2).


Enquanto este glorioso tempo não vier, continuemos a fazer aquela oração que Jesus
nos ensinou: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu”
(Mateus 6:10).
COMO SE DARÁ O FIM DA MORTE?
“E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá a enganar as
nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a
areia do mar, para as ajuntar em batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o
arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou. E o diabo,
que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e
de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre;.. E a morte e o inferno foram
lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte..” (Apocalipse 20:7-10,14).
Assim que completar mil anos, uma última varredura na terra de toda impiedade será
feita. Satanás, livre de sua prisão, atrairá a ele todos os que, de fato, nunca se renderam ao
senhorio de Cristo. Muitos serão também enganados como ele fez com Eva no Éden,
prometendo mentiras. Aí, facilmente enganará os distraídos, com mente dobre (dividida). Este
grupo enganado acreditará que poderá vencer o governo de Cristo e cercarão o acampamento
(arraial) dos santos em Jerusalém. Serão destruídos de vez por Deus… “e de Deus desceu
fogo, do céu, e os devorou”.

Aí, após a terra ficar completamente livre de Satanás, de demônios e dos homens
ímpios, ocorrerá, em fim, o aniquilamento da MORTE pois todos os demais mortos
ressuscitam e são julgados. Em seguida a Nova Jerusalém desce a terra, sobre a antiga.

“E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra
passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus
descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande
voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará,
e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.” (Apocalipse
21.1-3)

E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira;
mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.” (Apocalipse 21.27)

E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do
Cordeiro, e os seus servos o servirão.” (Apocalipse 22.3).

A vida no Milênio

Muitos confundem as profecias sobre a Nova Jerusalém com as do milênio; o


milênio é um PARAÍSO terreno, ocorre antes ao juízo; a Nova Jerusalém é celestial (Cidade
Divina), é eterna e pertence à Nova Criação; vem junto à Criação de Novos Céus e Nova
Terra; isso se dará somente após o Juízo e a definição do destino de todos os que hão de
comparecer ao juízo.
O Milênio é o reinado de Cristo nesta terra c/ todos os seus; ou seja, os que o amaram
nesta vida e pela fé o seguiram. (Heb. 11 e Jo. 14:3)
No milênio não está claro se teremos filhos ou não, mas teremos corpos glorificados
e viveremos nesta terra feita num paraíso, como o Éden. (Ez. 36:35-36 - Is. 51:3)
Também no Milênio não haverá pecado (como muitos pensam), pois onde Cristo
reina, não pode existir pecado jamais.
O Senhor é Luz e não reina em trevas, conforme diz: Não há comunhão entre a luz e
as trevas.

Em suma:
Onde a plena luz do Senhor habita as trevas não existem.
Por isso diz em Daniel 9:24 que quando findarem as 70 semanas, a transgressão
cessará, e os pecados serão findados.
O que significa que toda a carne terá o seu fim; pois como pode o pecado findar-se,
se a carne de pecado ainda sobrevive??
Por isso, o pecado não subsistirá à congregação dos santos... (Sof.1:3 - Sof.1:18 -
Luc.17:27 e 29)
Então o pecado há de findar-se (com o fim de toda a carne, na morte de todos os
filhos de Adão - I Cor. 15:50), e também a transgressão cessa para que Cristo - Rei dos reis -
habite c/ os homens e seja-lhes Rei.

Quanto à Nova Jerusalém (Apc. 21) ela só virá após o Juízo, no qual todos os
homens (exceto os da 1ª ressurreição) hão de comparecer para serem julgados, conforme as
suas obras.
No Juízo, todo o que se achar inscrito no livro da vida há de ressuscitar, isso, após
julgado, e constado no livro, e não antes; o livro da vida é o que confere o direito à vida, na
ressurreição para a vergonha e desprezo eterno(Daniel 12:2c) e conseqüentemente à vida,
em Nova Terra para habitá-la (na qual terra, a justiça habitará) porém jamais poderá verá a
Deus!
Já, os homens AUSENTES no Livro da Vida (no Juízo) sofrem o dano da segunda
morte, no lago de fogo e enxofre, e creio, hão de ser extintos, pois o homem não possui
eternidade, ele não é imortal.
Muito pelo contrário, ele é bem mortal; é apenas fôlego de vida; alma vivente; e,
tendo recebido de Deus mandamento a cumprir quando criado, para não morrer, e
desobedecido, certamente morrerá; e ninguém, mas ninguém mesmo poderá livrá-lo da
sentença Divina, e o homem, por fim morrerá, eternamente, porquanto desobedecera e nunca
creu - por isso diz: segunda morte. (Apc. 20:15 – Apc. 21:8)
E à Nova Jerusalém irão unicamente aqueles cujos nomes se acharam inscritos
no Livro da Vida do Cordeiro(Livro da Vida do Cordeiro pertencente ao Cordeiro; e
não, Livro da Vida, que é aberto no dia do juízo). (Apc. 21:27 - Apc. 13:8 )
Somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro é que reinam c/ Cristo o
milênio e adentram pelas portas à Jerusalém Celestial - cidade de ouro puro cujo Artífice e
Construtor é Deus.

E conforme diz:
"Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles
serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus." (Apc. 21:3)
"E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem
pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas."(Apc. 21:4)

E p/ sempre estarão com Jesus e com Deus Pai! Amém! (Apc. 7:17).

Haverá morte no Milênio ?

Prestemos atenção a esse verso, que muitos, com ele, se confundem.


Isaias 65:20 (conforme Almeida Revista e Corrigida)
"Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus
dias porque o mancebo morrerá de cem anos mas o pecador de cem anos será amaldiçoado."

Esse verso se mostra totalmente figurativo, vejamos:


Não haverá nela criança de poucos dias. Então não haverá crianças!
E não haverá velho que não cumpra os seus dias mas o mancebo morre aos cem
anos?? (Um desfaz o outro, porque se o mancebo morre aos cem anos então haverá sim, velho
a não cumprir os seus dias).
Mas se não haverá velho que não cumpra os seus dias então todos cumprirão seus
dias vivendo os mil anos... e como pode então o mancebo morrer aos cem???
Quanto a ser amaldiçoado o pecador de cem anos, então aos 50 anos e 90 tudo estará
bem? Se não há de haver mal algum?
Ora, esse verso se mostra totalmente figurativo conforme podemos notar.
Então, conforme diz sobre o mesmo milênio, temos:
"Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se
encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar." (Is. 11:9).
Ora, está claro, muito claro! não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo
monte.
E outra vez:
"O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó
será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz
o Senhor." (Is. 65:25).
Haverá pecado no Milênio ?

Bom, para responder a esta questão, procurarei sanar algumas questões contidas na
pergunta bipartida abaixo:

Ao estabelecer o Reino Milenar, o Senhor Jesus terá como súditos todos os crentes
que morreram na fé. Estes terão corpos glorificados e reinarão com Cristo na Terra por mil
anos. Nesse período haverá pessoas mortais participando desde período milenar?
Segundo: haverá procriação e consequente aumento de viventes na Terra? se
afirmativo, os mortais interagirão com os ressuscitados glorificados?

Vamos por etapa:


1 - Ao estabelecer o Reino Milenar, o Senhor Jesus terá como súditos todos os
crentes que morreram na fé!
R: Amém! Assim creio!

2 - Estes terão corpos glorificados e reinarão com Cristo na Terra por mil anos.
R: Amém! Assim creio!

3 - Nesse período haverá pessoas mortais participando desde período milenar?


R: Não! Não haverá homens na carne de pecado a herdarem o milênio!
Porque nessa época já terá cessado a transgressão e findados os pecados - Daniel
9:24.
Ou seja, vem o fim do mundo, o fim de toda a carne: a consumação dos séculos - na
batalha do Armagedom, na qual toda a carne há de expirar-se! Amém! (Mat. 13:37-43 - Apc.
16:16 - Apc. 19:11-21) É nesta época antes de iniciar-se o milênio que esse J e til da lei (o
certamente morrerá, voltando ao pó donde viera) terá seu cumprimento sobre todo o filho de
Adão: sobre o homem Adão por um todo; não restando um sequer!
4 - Haverá procriação e conseqüente aumento de viventes na Terra?
R: Bom, isso é uma incógnita.
Pois ao reino de Cristo só estarão os remidos e em corpo glorificado.

5 - Se afirmativo, os mortais interagirão com os ressuscitados glorificados?


R: Não! Não haverá homens na carne de pecado a habitar o milênio.
O reino de Cristo é um reino bendito, um reino pacífico, de amor, de justiça, de
retidão, de bondade, um reinoregido pela verdade, coisas que jamais a carne cumprirá ou
estará sujeita, pois não é sujeita a lei de Deus.
Além disso Jesus disse:
"Porque até que o céu e a terra passem nem um j ou til se omitirá da lei, sem que
tudo seja cumprido." (Mat. 5:18)
Isso significa que tudo o que a lei diz, ao homem na carne de pecado o diz, e tem de
ser cumprido, não podendo-se se anular.
E se os homens adentrassem ao milênio, na carne de pecado, trariam consigo, trariam
em si ao reino glorioso de Cristo toda a maldição da lei, que os acompanha, maldição de Deus
ao homem pecador; porquanto a lei tem domínio sobre o homem por todo o tempo em que ele
viva. (Rom. 7:1)
E, somente mediante sua morte é que o homem, livre está da lei!
Demonstrando deveras, que toda a carne terá seu fim, porquanto o reino de Cristo
é Reino Bendito e sem mal algum, e sem maldição - não havendo homem algum na carne de
pecado livre ou fora da maldição da lei; e não é só a maldição descrita em Deuteronômio
27:26 e Gálatas 3:10 - mas também esta:
"E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore
de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor
comerás dela todos os dias da tua vida." (Gen. 3:17)

Por isso a carne e o sangue não podem ir ao milênio.


Pois a lei não pode ser anulada! E se houvesse um só homem na carne de pecado
sobre a face da terra, a lei, que sobre ela está promulgada, por causa do mesmo homem, se faz
presente e nela se cumpre, tornando-a maldita!
E, somente para o que está em Cristo, devido a Sua morte, para nos tirar da lei, é
que ela (p/ o cristão) findou-se, porquanto está escrito:
"Porque o fim da lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê." (Rom. 10:4)
Isso devido a morte de Cristo, para findá-la por nós e para nós. E mesmo o cristão,
pois vive na carne, tem a sua obrigatoriedade de trabalhar no suor do seu rosto para se obter o
pão: ordenança de Deus à vida na carne imediatamente após o pecado de Adão.
O que dirá então para os que nem de Cristo são?!
Assim, para os demais homens, na carne de pecado, e aquém de Cristo - tudo o que
está na lei, e há na lei, há de se cumprir neles; não podendo se anular!
Até isso:
"Os ímpios serão lançados no inferno e todas as gentes que se esquecem de Deus."
(Sal. 9:17) (lei)
Até isso:
"... certamente morrerás" (Gen. 2:17) (lei)
Até isso:
"Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te
ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela
todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do
campo. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste
tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás." (Gen. 3:17-19) (lei)
Até isso:
"E como aos homens está ordenado morrerem uma vez vindo depois disso o juízo.
(Heb. 9:27) (lei)

Em suma: Quem está em Cristo, Cristo (suas palavras e vida) é que o rege, sustém e
guarda. Mas quem em Cristo não está, a lei (que não pode ser ab-rogada, mas cumprida) é
quem dita todas as coisas, e Jesus não veio a anulá-la, reformá-la, mas cumpri-la!
E tudo o que está escrito na lei (todos os seus jotas e tis) determinados a se
cumprirem nos homens, há de se ter cumprimento sobre eles - os que não têm a Cristo - e isso,
antes de se passarem o céu e a terra!
Inclusive o inferno de fogo a homens!
Por isso é que está determinado a término da profecia das 70 semanas determinadas
sobre Jerusalém e os judeus (Daniel 9): o cessar da transgressão e o findar-se dos pecados!
- Por quê???
- Porque os pecadores todos hão de ter o seu fim na morte - porque só assim é que o
pecado finda-se; mediante a morte do pecador!
Versos das profecias quanto ao fim do mundo: Sof. 1:2-3 - Sof. 1:18 - Mat. 24:14b -
Apc. 19:20-21 etc.

Então, conforme diz a profecia: a terra assolada tornar-se-á um paraíso (Ez. 36:35-
36), e nele (paraíso) não poderá se haver mal, nem dano algum, e portanto, jamais o pecado.!
Pois por esse, é que o paraíso, no princípio, deixou de sê-lo!
Batalha de Gogue e Magogue:

A Batalha de Gogue e Magogue não é composta pelos que estavam no milênio,


porque no milênio só estarão os remidos e jamais aprenderão a guerra:
"E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as
suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada
contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear." (Is. 2:4 e Miq. 4:3)

Gogue e Magogue é batalha dos que revivem a seu término, conforme diz:
"Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram." (Apc.
20:5a)
Por isso Satanás é solto, por pouco tempo a término do milênio. (Apc. 20:7)
E por isso, os outros mortos revivem ao seu término (segunda ressurreição).
Os dois eventos são simultâneos e um p/ o outro.
Ou seja, todo o homem nascido neste mundo, desde Adão (do primeiro ao último)
revive nessa ressurreição da carne - recebendo uma oportunidade de igual para igual a todos
os homens deste mundo; é como se vivessem todos numa só época!
A segunda ressurreição é ressurreição da carne, conforme Isaías 26:19 profetiza:
"Os teus mortos viverão, os teus mortos ressuscitarão despertai e exultai, os que
habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas e a terra lançará de si os
mortos." (Is. 26:19)

A terra lançará de si os mortos:

E na verdade, isso se ocorre p/ que se cumpra um perdão vindouro, devido ao


evangelho do Senhor; e não para que se ocorra nova transgressão dos homens, e o homem se
envolva nela; essa é uma cláusula de perdão, p/ se livrar da transgressão na qual se houvera
morrido.
É a graça de Deus sobrevinda aos homens devido ao sacrifício do Senhor por todos!
É o perdão vindouro proferido pelo Senhor no evangelho - o qual perdão só se
pode realizar-se em vida, por isso revivem: (Mat. 12:31-32)
"E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á
perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste
século nem no futuro." (Mat. 12:32)

Esse é o futuro, época quando o Senhor afirma ainda haver perdão para todo o
pecado e blasfêmia cometidos pelos homens; porém, não há perdão p/ a blasfêmia contra o
Espírito Santo, pois essa não se perdoará.
Conforme diz:
"Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a
blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens." (Mat. 12:31)
Creio que o pecado imperdoável: a blasfêmia contra o Espírito, consiste em negar;
não crer em Cristo (pois o Senhor é a Verdade; é o Único a se dar pelo homem e pagar pelo
seu pecado - pois o mesmo jamais poderia pagá-lo) recebendo, portanto, a devida
CONDENAÇÃO, qualquer que a isso negar, não crendo; pois não há debaixo do céuoutro
Nome dado pelo qual sejamos salvos; portanto quem negar tal salvação, não se convencendo
(tal oportunidade não se dá pela imposição); sabendo que, após a vitória de Cristo, e sua
partida, o Espírito Santo se nos veio para convencer o mundo do pecado - aquele que, na
incredulidade e dureza do seu coração nega e permanece: não aceitando, não acatando, não
percebendo, nem crendo - jamais o perdão obterá; BLASFEMOU!

Conforme expressa o mesmo Senhor no evangelho:


"Te seja feito conforme creste"; ou, como também Ele afirma: "Será réu de eterno
juízo."
Porquanto jamais creu: Quem não crê à VERDADE; quem nem crê que haja a
Verdade, inexistirá.
Para sempre deixará de existir, de ser!
"Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto
não crê no nome do unigênito Filho de Deus." (Jo. 3:18)
"Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não
verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." (Jo. 3:36)

Creio também que todos nesta vida, que tenham nascido mentalmente deficientes, ou
que morreram imaturos ou tenham sido privados da vida por outrem, devido ao pecado que
entrara no mundo através de Adão (pelo livre arbítrio); aqui lhe será dada (por Deus em
Cristo) a oportunidade única (sem interferência humana) de igual p/ igual a todo o ser
humano, de não crer nem seguir ao diabo - por isso se faz necessária tal batalha!
O homem pecou em vida, portanto, é unicamente em vida que o homem pode
desfazer o que se fez: o pecado, pela fé em Cristo; porque só em vida se pode fazer qualquer
coisa, inclusive, receber o perdão, ao crer; por isso éressurreição da carne (porquanto o que
é nascido da carne, é carne; não existindo pois, outra forma de vida e/ou ressurreição - a que o
homem - nascido apenas da carne - tenha direito senão a mesma vida (na carne) da qual
nascera e vivera, neste mundo, concedida por Deus, e na qual pecaram.
A segunda ressurreição é para se dar o perdão (e não, condenação, como muitos
pensam); porquanto se morre em transgressão, em transgressão permanece:
"na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles
morrerá." (Ez. 18:24d)
E, em vindo o juízo, ele será exercido e no juízo não há acepção, tampouco perdão,
somente será lavrada a sentença, e declarado os que se consta nos livros, de tudo o que fora
estabelecido pela palavra de Deus!

Quem neste mundo ouve de Cristo, e resiste ao Espírito, negando a Cristo: ao descer
à sepultura na sua incredulidade, a morte (última inimiga) é que lhe consuma a blasfêmia
contra o Espírito, não podendo obter jamais, perdão algum; pois é Cristo (a Ressurreição e
a Vida) o único e total perdão da lei; de Deus; e do Novo Testamento de Cristo aos pecados
e a pecadores. (At. 4:12)
E Cristo já os pagou, sobrevindo-nos assim, na plenitude dos tempos, o Espírito
Santo ao mundo para convencer do seu pecado (os pecadores)! (Jo. 16:8-9)
Qualquer que permanecer na incredulidade, e na dureza de coração, resistindo; não
se convencendo da Verdade, da Vida: Cristo (a verdadeira vida) mantendo-se aquém da Luz;
a morte é que lhe consuma a blasfêmia (Ecl. 9:4) - não havendo-se mais perdão - e, ainda que
ressuscite, pois todos reviverão na 2ª ressurreição - para este não há perdão! Blasfemou!
Conforme diz:
"Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto
não crê no nome do unigênito Filho de Deus." (Jo. 3:18)

Todos em Gogue e Magogue, que criam em Cristo nesta vida, embora O não
seguissem, certamente não se iludirá nesta batalha e há de sair-se vitorioso nela contra a
Serpente; não deixando-se seduzir após Satanás, embora todos na batalha - seguindo ou não
ao Diabo - voltem ao pó (à morte); porquanto é ressurreição da carne mortal, e similar à
ressurreição de Lázaro durante o evangelho, e semelhante a todas as outras ressurreições (na
carne) que houveram neste mundo - voltando portanto a seu devido estado: a morte - ao serem
consumidos pelo fogo na batalha. (Apc. 20:9b)
Na batalha Gogue e Magogeu (seguindo ou não ao Diabo) o fogo os devora, e voltam
ao pó de onde vieram (pois esse é o fim de toda a carne vivente).
Aí então, vem-se o juízo, no qual juízo os mortos (e não os vivos) hão de
ser julgados. Apc. 20:13
E o mar dará seus mortos, e a morte e o inferno darão seus mortos para serem
julgados.

Notemos:
Os mortos são dados; os mortos são devolvidos p/ o juízo - não são ressuscitados
para irem ao julgamento.
Por isso diz:
"E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o
juízo." (Heb. 9:27)

Ou seja: É assim que se ordena a lei: a morte, vindo depois disso o juízo (e não a
ressurreição)!
Pois, só pode haver ressurreição para aquele que está em Cristo; em contrapartida,
quem não está, o que se ordena na lei é: a morte, vindo depois o juízo.
Deus nunca disse a Adão: certamente morrerás e depois ressuscitarás.
Por isso é que os mortos é que comparecem ao Trono Branco do Juízo !
Porquanto assim se ordena a lei!
(Conforme diz também que o Senhor há de julgar os "vivos e os mortos" na sua
vinda - ou seja, cada qual na sua devida condição). II Tim. 4:1 - I Ped. 4:5
Quem são os vivos?!
- Os que vivem; os que estão em Cristo - pois Cristo é a ressurreição e a vida!
E, quem são os mortos?!
- Todos os demais filhos de Adão - que não se tornaram filhos de Deus pela fé em
Cristo!

No juízo, os mortos serão julgados e só se pode haver ressurreição (no juízo)


para quem se achar inscrito noLIVRO DA VIDA.
Quanto aos ausentes ao livro da vida, vão ao lago de fogo, sofrendo o dano
da segunda morte.
Segunda morte (aos homens): porquanto, estando já sob domínio da morte (aquela
proferida em Gêneses - a primeira), recebem (no juízo em Apocalipse) o dano da segunda
morte! eterna!
E todos os pertencentes à primeira ressurreição, cujos nomes se registraram
no Livro da Vida do Cordeiro - desde a fundação do mundo - só esses entram à Jerusalém
Celestial; e vêem a seu Deus!
A paz de Cristo!

Que nações compõem Gogue e Magogue ?

Como já falamos, as nações de Gogue e Magogue a subirem pela largura da terra e


cercarem a cidade amada (a término do milênio) são compostas por todas as almas viventes
deste mundo; as quais revivem numa ressurreição em massa - de toda a carne - na segunda
ressurreição; ou seja, são os "outros mortos que não reviveram até que os mil anos não se
acabaram"; mas que revivem a seu término, na qual ressurreição, a terra lançará de si seus
mortos, não mais os encobrindo, e todos tornam-se à vida, na carne; toda a alma vivente
nascida neste mundo: excetuando-se unicamente aqueles que nasceram de novo em Cristo
(pois já ressuscitaram em primeira ressurreição).
Na batalha de Gogue e Magogue (a cumprir-se a término do milênio) todo o
incrédulo a Cristo nesta vida (os quais ainda que os mortos ressuscitassem p/ lhes dizer aquilo
que ele já sabia, e o não cria - o incrédulo); aquele que, de Cristo ouviu, jamais O crendo,
certamente nesta batalha também O não crerá, e O há de negar: pois é incrédulo, não crê, não
creu; pois (pela sua incredulidade) nunca pôde ver a LUZ DESTE MUNDO: Cristo; seguindo
portanto pós Satanás - ainda que ressuscite:
"Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que
lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus." (II
Cor. 4:4)

Por isso mesmo é dito (em Daniel 9:24) que após as determinadas 70 semanas sobre
Jerusalém e os judeus, isto é, no retorno de Cristo a esse mundo p/ consumar os séculos (a
término das 70 semanas determinadas), os pecados TERÃO FIM e a TRANSGRESSÃO
CESSA.
Porquanto, a Batalha de Gogue e Magogue - que dar-se-á ainda após o milênio -
não constitui jamais em nova transgressão dos homens - pelo contrário - o que nela se
contará, é justamente o oposto: ou seja, o perdão, unicamente o perdão vindouro a TODO
o PECADO E BLASFÊMIA cometidos outrora; pois no porvir, no século vindouro ainda se
poderá haver um perdão a todo o pecado cometido, debaixo do céu - tendo como EXCEÇÃO
ÚNICA a blasfêmia contra o Espírito.
Pois esse pecado se é impossível de se obter perdão!

Vejamos bem: Cristo não diz no evangelho que no século vindouro haveria mais
transgressão da parte dos homens (por exemplo, a batalha de Gogue e Magogue - no século
vindouro, após se haverem mil anos de paz, retidão e bem nesta terra, após se haver só o bem
no Reinado de Cristo sobre a terra); haverá também no século vindouro, um perdão vindouro:
perdão esse a todo o pecado e blasfêmia cometidos pelos homens, excetuando-se unicamente
o imperdoável pecado que é a blasfêmia contra o Espírito - ou seja, não está profetizado
haver-se nova transgressão, mas sim um perdão, e isso, em século vindouro! Conforme
mesmo nos declara o Senhor! Amém!

Também é aqui que todas as almas anteriores a Cristo - que nunca puderam dele
ouvir, devido ao pecado e a morte, terão (como todos os homens depois de Cristo, tiveram)
uma oportunidade, em vida, de igual por igual, do acesso, a Cristo, ao Seu Divino e Eterno
perdão!
Porque DEUS é DEUS e todas as almas! E nenhuma jamais estará esquecida!
Logicamente que todo o ser humano a possuir alguma fé em Cristo (ainda que
minúscula) nesta batalha jamais, ao Diabo seguirá, livrando-se (por Cristo) do mesmo (e do
seu mal) eternamente!
Isso lhe será contado em favor no grande dia do Juízo, pois Cristo afirma: todo o
pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; e completa dizendo que: a blasfêmia contra o
Espírito Santo, não se perdoará nem neste século (o que vivemos) nem no vindouro, isso
implica então se haver tanto um século vindouro (o milênio) quanto também um perdão futuro
(neste vindouro século), o qual ainda virá; pois quem não blasfemar contra o Espírito Santo,
ainda que tenha cometido inúmeros pecados, se perdoará. (Mat. 12:31-32)
Também a tal Batalha (Gogue e Magogue) se constará nos livros abertos no Juízo!
O perdão futuro se dará justamente numa segunda ressurreição; última
oportunidade de vida, a homens - porquanto o juízo, quando vier, é juízo (e o homem ainda
será julgado na morte) e no juízo não há perdão! (Tg. 2:13)
A segunda ressurreição é como um álibi; aliás, é ela o álibi.
Qual álibi: SE CRER EM CRISTO!

Os mortos é que comparecem ao juízo p/ serem julgados conforme as suas obras e


conforme as coisas registradas nos livros (e tudo o que se havia de ocorrer; seja pra
condenação seja para perdão, se ocorreu); e vem-se então o juízo onde tudo será levado à luz
e a sentença será lavrada.

Após Gogue e Magogue, Satanás é banido eternamente! no Lago de Fogo e enxofre,


onde estão a besta e o anticristo e serão atormentados dia e noite por todo o sempre - pois são
seres espirituais, são imortais (pois Deus assim os fez), e nunca morrem como nós homens.

O livro da vida aberto no juízo também possui total relação a Cristo, e não há obra
alguma possível na carne que inscreva o homem ao livro da vida, senão unicamente a fé: fé
em Cristo!
Disse Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade, e a vida..." (Jo. 14:6)
Disse Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida..." (Jo. 11:25)
Disse Jesus: "Quem crê em mim tem a vida eterna..." (Jo. 6:47)
Disse Deus a Adão: "Não coma deste fruto para que não morra" essa palavra também
representa Cristo!
E, ainda que o perdão vindouro se dê numa 2ª ressurreição (lembrando que ela é
ressurreição da carne), após o milênio, tal perdão é o que pode livrar a alma de uma segunda
morte; porquanto a 2ª morte a sobrevir (no Juízo) só poderá livrar-se dela mediante a
inscrição no livro da vida, aberto no juízo.
Porém, o livro da vida não conduz ao reino de Deus: à Jerusalém Celestial; mas livra
da 2ª morte, a alma humana; conduzindo à vida, em Nova Terra (na qual habita a justiça)
numa ressurreição conforme diz: para vergonha e desprezo eterno - da qual jamais se poderá,
pela eternidade afora, ver um dia sequer, a seu Deus. (Dan. 12:2b).
Somente pela fé é que se pode herdar e receber algo de Deus, inclusive o perdão!
E obtendo-se o perdão, também obtém-se a vida!
Lembra-se, que foi através do pecado, que a morte se nos foi introduzida?
Pois, obtendo-se o perdão deste, obtém-se também a vida!
Isso significa que o perdão dos pecados (pelo evangelho de Cristo) é também
sinônimo à vida!
Amém!

Tudo neste mundo se nos foi dado graciosamente pelo Criador; sem nada se nos
requerer p/ que a vida obtivéssemos, neste mundo; porém, ao reino Celestial do Senhor,
somente e unicamente pela fé se pode herdá-lo, e não existe outro meio!
Tampouco, os que habitarem uma Nova Terra jamais obterão a inefável virtude de
se ver a seu Deus - isso é uma desonra eterna, e motivo maior da: vergonha e desprezo
eterno a sobrevir a homens.
E, um outro aspecto desta vergonha e desprezo eterno (a qual a recebem os que
ressuscitarem - Dan. 12:2c) é devido a todo o mal cometido (debaixo do céu) ser abertamente
declarado e revelado publicamente no céu. (Ecl. 12:13-14 - Is. 47:3 - Naum 3:5 - Apc. 3:18)

Tampouco estes da ressurreição (para a vergonha e desprezo eterno - isso não é fogo
eterno! é vergonha e desprezo eterno) provarão dos frutos da árvore da vida, mas serão
curados e participam das folhas da árvore da vida. (Apc. 22:2c)
E todos os que muito e primeiramente amaram a Cristo, e com Ele (morreram e
reviveram) pela fé, e na esperança do evangelho do Senhor, nesta vida (cristãos); esses, que
são inscritos no Livro da Vida do Cordeiro (desde a fundação do mundo): participam
conjuntamente da primeira ressurreição; das Bodas do Cordeiro; do Milênio; e adentram pelas
portas à Cidade Celestial (Nova Jerusalém). (Luc. 10:20b - Ef. 1:12 - Tg. 1:18 - Apc. 21:27)
E recebem a maior e mais maravilhosa GRAÇA a existir à Criação: Ver a seu
Deus! com Ele habitar; ser-Lhe filho!
Quanto ao Livro da Vida (aberto no juízo) destina seus inscritos à ressurreição
para a vergonha e desprezo eterno; mas tal ressurreição, somente se dará no juízo, após
julgados os homens, consultados os livros, e o livro da vida (e não antes); e recebem portanto
a vida (pelo livro da vida) ressuscitando-se e habitando uma Nova Terra - na qual habita a
justiça. (Sal. 115:16)
Nela haverá nações e haverá reis. (Apc. 21:24, 26)

Por isso, no mesmo Apocalipse 22 (verso 14), quando diz que são bem-aventurados
aqueles que guardam os seus mandamentos para que tenham direito à árvore da vida e possam
entrar na cidade (Jerusalém Celestial) pelas portas. (Apc. 22:14)
O verso seguinte, diz também que:
"Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os
idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira." (Apc. 22:15)
Ora, no juízo, já se não lançou no lago de fogo os não inscritos no livro da vida? E
como pode haver quem fique de fora da cidade... ???
Ora, esses mesmos são os participantes nas folhas da árvore da vida (as quais
servem para a saúde das nações) os quais também habitam a Nova Terra. Amém!

Somos dignos de ver a Deus ?

Meus queridos irmãos!


Não há como merecermos!
Só há um caminho p/ essa maravilhosa graça – Cristo!!!
Por recebê-Lo, verdadeiramente você recebe TUDO!
Simplesmente porque Ele é Tudo!
Ele é Criador, é Salvador, é Redentor, é o Filho amadíssimo de Deus, e é o próprio
Deus!
Ao recebê-Lo de verdade, você se torna um filho a Deus.
Por crê-Lo com toda a sua alma, lhe é concedido entrar nessa promessa.
E por amá-Lo e segui-Lo, jamais será por Ele esquecido, pois não lhe desamparará e
há de completar em você a boa obra começada. (Fil. 1:6, Ef. 1:4)
E é pela fé, pela tamanha fé que foi dito aos hebreus (e também a nós):
"Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos
muitos milhares de anjos; à universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão
inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; e a
Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o
de Abel." (Heb. 12:22-24)
Por isso diz o Senhor:
"Todo o que o Pai me dá virá a mim, e o que vem a mim de maneira nenhuma o
lançarei fora." (Jo. 6:37).
Somente em você a isso crê, já lhe é dado, irmão; por causa da fé; porque creu, isso
lhe é dado, por causa d'Aquele que por você viveu, morreu e ressuscitou, pois Ele não deixará,
que nada nem ninguém o impeça de a isso alcançar!
Por isso diz que a fé lhe é imputada por justiça: "Mas, àquele que não pratica, mas
crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça." (Rom. 4:5)
E também:
"Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?" (Jo.
11:40)
"E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo
a sua obra." (Apc. 22:12)
"Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham
direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas." (Apc. 22:14)
"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede,
venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida." (Apc. 22:17)

Em suma, é a fé, irmão, a fé em Cristo, aquela mesma que levou o ladrão na cruz o
estar c/ Cristo no Seu reino, é a que nos levará a estar agora e para sempre junto Aquele
sublime Senhor que tanto e eternamente nos amou! Amém! (Rom. 8:37-39)
A paz de Cristo!
Não confundamos a Nova Jerusalém

O Milênio acontece pós primeira ressurreição e antes a segunda, e também antes ao


Juízo.
A Nova Jerusalém vem somente após o Juízo, quando céu e terra passarem e se
queimarem:
"E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra
passaram, e o mar já não existe." (Apc. 21:1)
"Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como
tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios." (II
Ped. 3:7)

Aí então é que são criados novos céus e nova terra, e também Nova Jerusalém.
Quanto ao milênio, será governado e habitado somente por esses:
"E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as
almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e
que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem
em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos." (Apc. 20:4).

Ou:
"Até que veio o ancião de dias, e fez justiça aos santos do Altíssimo; e chegou o
tempo em que os santos possuíram o reino." (Dan. 7:22)

A 1ª Ressurreição e a 2ª Ressurreição

A Primeira Ressurreição pertence aos de Cristo - e é ressurreição p/ a vida eterna


quando o mortal é absorvido pela vida e se cumprirá a palavra escrita: tragada foi a morte na
vitória - e se cumpre ao ressoar a última trombeta(Apocalipse), quando os que morreram em
Cristo ressuscitarão primeiro e depois os vivos (também de Cristo) são arrebatados. - I Cor.
15:51-57 - Dan. 12:2
A Segunda ressurreição - é composta de todos os demais mortos (todos os homens
deste mundo desde Adão - excetuando-se os da primeira ressurreição), não são de Cristo
(acontece após o milênio).
É a ressurreição da carne, de injustos (até incrédulos) ainda neste mundo (no corpo
da carne mortal) - todos os seus participantes voltam a morte - porque estão sob o domínio da
mesma - antecede o Juízo. (Apc. 20:5a e Apc. 20:7-9)
E por fim virá outra ressurreição no juízo, quando os mortos forem julgados e
o Livro da Vida consultado (todo o que nele for achado inscrito, embora morto, reviverá - é a
ressurreição p/ a vergonha e desprezo eterno profetizada na segunda parte do verso de Dan.
12:2.
Na qual ressurreição - haverá ressalvas; porquanto diz assim: "E muitos dos que
dormem no pó da terra ressuscitarão..."
Ou seja: nessa ressurreição (Daniel 12:2) muitos dos que dormem ressuscitam (tanto
para a vida eterna quanto para vergonha eterna) mas ela é ressurreição com RESSALVAS -
porquanto não são todos os que dormem no pó que participam da mesma, mas muitos são os
que ressuscitam...
Somente após o Juízo é que virão Novos Céus e Nova Terra, e a Nova Jerusalém.

Os santos reinam sobre a terra

Bom, na verdade, a Nova Jerusalém só virá após o Juízo Final quando também o céu
e a terra existentes hoje, forem consumidos, e Novo Céu e a Nova Terra forem criados.
A Nova Jerusalém pertence à Nova Criação e virá juntamente com Novos Céus e
Nova Terra, tendo já o primeiro céu e a primeira terra passado. (Apc. 21:1-2)
Por isso, somente após o Juízo registrado cronologicamente em Apocalipse 20, é que
João vê descendo a Cidade Celestial (e não antes). Apc. 21
No milênio, os santos reinam na terra, vejamos o que diz Apocalipse 5:10 -
"E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra."
(Apc. 5:10)
O mesmo Apocalipse 20:6b - Diz:
"mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos."
Daniel 7:27 - Diz:
"E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados
ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o
servirão, e lhe obedecerão." (Dan. 7:27)

Também Daniel 2 -
"Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual
feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou." (Dan. 2:34)
"Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os
quais se fizeram como pragana das eiras do estio, e o vento os levou, e não se achou lugar
algum para eles; mas a pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, e encheu toda a
terra." (Dan. 2:35).

Em suma: Os santos reinam com Cristo mil anos sobre a terra.

É nesse tempo que dizem os profetas:


"A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá
palha como o boi." (Is. 11:7)
"O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó
será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz
o Senhor." (Is. 65:25).

Notemos: se a vaca e a ursa pastarão juntas.... se seus filhos deitarão juntos, e o leão
comerá palha como o boi (Is. 11:7); e se o lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão
comerá palha como o boi, e pó será a comida da serpente, nem se farão mal nem dano algum
em todo o meu santo monte, diz o Senhor - é porque a maldição da terra terá sido
completamente retirada!
E, como nem um j ou til da lei pode ser tirado até que o céu e a terra passem, isso
significa que nenhum homem na carne de pecado poderá habitar sobre a terra durante o
milênio - porquanto senão o tal faria sobrevir a toda a criação, a maldição de Deus
estabelecida na lei em Gêneses - porquanto não pode ser anulada; assim, para que esta
cláusula da lei - não se cumpra sobre a terra devido ao mesmo homem em carne na qual lhe
fora promulgada - por isso mesmo toda a carne terá o seu término no Armagedom - para que a
terra novamente volte ao paraíso como Criado - e Cristo seja-lhe o REI. Amém!
Lembremos o que o Senhor disse:
"Até que o céus e a terra passem nem um J ou til se omitirá da lei sem que tudo será
cumprido." (Mat. 5:18).

Isso significa que terá seu cumprimento.


Algumas questões e esclarecimentos:

1- Na volta de Jesus os mortos JUSTOS ressuscitarão e serão arrebatados junto


aos JUSTOS vivos (1Tess 4:16-17). Passarão mil anos na presença de Deus...(Apocalipse
20:5,6)
R. Correto!

2- Nesses mil anos, os mortos INJUSTOS não ressuscitam (permanecem mortos


e sujeitos ao inferno) Apc. 20:5 - Sal. 9:17
R. Correto!

3- Nesses mil anos os JUSTOS que ressuscitarem e forem arrebatados estarão


reinando com Cristo onde?
R. Os justos estarão reinarão c/ Cristo nesta terra. (Apc. 5:10)

4- E Satanás estará preso. (Jeremias 4:23-27)


R. Correto! (Apc. 20:1-3)

5- Após os mil anos, os ímpios ressuscitam (corpo+alma), Satanás será solto, e


ocorre a batalha?? (Apocalipse 20:7-10).
R. Sim! Após os mil anos, os ímpios ressuscitam (2ª ressurreição) para esta terra, e
Satanás é solto e sai a enganá-los novamente. Notemos que Satanás hoje está solto e não o
vemos (pois é espiritual, enquanto nós somos carnais), provavelmente não será visto também
por eles, mas enganará como hoje o faz (lembrando que os homens ressuscitarão na carne) -
pois não existe outra forma de vida a que os homens tenham direito!
Essa batalha ocorre como oportunidade aos homens em vida (por isso ressuscitam);
para não seguir a Satanás, crendo em Cristo - é aqui que se cumpre o perdão dito pelo Senhor
no evangelho que se dará no futuro:
"Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens mas a blasfêmia contra o
Espírito Santo não será perdoada nem neste século nem no vindouro." Mat. 12:31-32
(esse é o século vindouro quando ainda pode haver perdão, pois quando vier o juízo é
juízo e não há perdão. Na batalha todos voltam à morte e são julgados os mortos (e não
vivos); notemos que Apocalipse diz:
"E deu o mar os mortos que nele havia, e a morte e o inferno deram os mortos que
nele haviam." (Apc. 20:13)
Ora, a palavra de Deus diz que o mar, a morte e o inferno deram seus mortos (não
ressuscitam-nos), pois não existe de Deus outra criação ao homem na carne, senão a vida na
carne.
Para confirmar notemos Apocalipse 20:15
"E vi os mortos grandes e pequenos que estavam diante do trono..." (Apc. 20:12)
(Ora, se foram vistos os mortos - como podem ser vivos??)
Também diz:
"E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo.
(Heb. 9:27)
(Ou seja, o juízo vem aos homens estando mortos - e não vivos).

6- A segunda ressurreição (que é dos ímpios) é para o juízo?


R. Não! A 2ª ressurreição se dará ao fim dos mil anos, precisamente em conjunto à
libertação de Satanás (também ao findar os mil anos - Apc. 20:5 e Apc. 20:7); os dois eventos
só têm um propósito: uma chance em vida aos que morreram em transgressão apesar de
crerem no Senhor. E também uma chance em vida a todos os que foram anteriores a Cristo!
Porém quem a Cristo nunca creu, ainda que ressuscite não fará diferença, pois não
crer em Cristo é blasfemar contra o Espírito. Nessa batalha seguindo ou não a Diabo todos
voltam a morte e vem o juízo. (Apc. 20:9)
Observemos como é preciosa a fé; disse Jesus:
"E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos,
em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão."
(Mateus 10.42)
"Porquanto, qualquer que vos der a beber um copo de água em meu nome, porque
sois discípulos de Cristo, em verdade vos digo que não perderá o seu galardão." (Marcos
9.41)

7- A condenação será num (ou como um) lago de fogo e enxofre (Apocalipse 21).
A 2ª morte é no Lago de Fogo e enxofre, o que é a segunda morte. Creio que o
homem por não ser eterno será extinguido para sempre - aqui é quando se cumprirá
a sentença final (Apocalipse) embora inicial (Gêneses), a saber a morte! Já com relação ao
Diabo, a besta e o anticristo que são seres espirituais, não foram feitos do pó da terra e nunca
receberam um mandamento da morte, serão para sempre atormentados dia e noite. (Apc.
20:10)

8) Após, essas coisas, Deus destruirá essa terra? (2 Pedro 3:10)


R. Deus destruirá a terra e o céu.

9- Após a destruição da terra, Ele nos dará novos céus e nova terra. (2Pedro
3:10,11,12,13 -
Apocalipse 21:1,2,3,4)
R. Correto!

9- Justos e injustos ressuscitarão (terão novamente o corpo+espírito+alma). Uns


ressuscitarão para vida eterna e os demais ressuscitarão para vergonha eterna. Após a
ressurreição, o homem é eterno (ou eterno justo e feliz ou eterno injusto e infeliz, longe
da presença de Deus).
R. Aos justos vida eterna e plena - entram na cidade celestial pela portas, provarão do
fruto da árvore da vida e verão ao Senhor Deus face a face.
Já aos injustos (os quais no juízo foram achados no livro da vida) vão à nova terra -
na qual habita a justiça. Jamais verão a Deus, e as folhas da árvore da vida servirão para a
saúde das nações. Haverá nações e reis. (Apc. 20:2c - Apc. 21:24b) Quanto aos ausentes ao
livro da vida, a morte prevalece sobre eles, tanto a primeira, quanto a segunda.
O perdão vindouro:

Há um perdão vindouro; porém nunca nos levará ao meu Deus, senão à Nova Terra.
O perdão aqui, no tempo que se chama hoje, dado inteiramente e plenamente através
do evangelho de Cristo (que por nós derramou Seu precioso sangue) é que nos restaura, limpa,
santifica, redime, reconcilia e nos torna filhos do Altíssimo Deus, pela fé no Seu nome
(Cristo).
Isso se dá hoje, agora, nesta vida (porque foi nesta vida que pecamos); e nesses há de
cumprir-se a tão esperada bem-aventurança do evangelho citada em Mateus 5:8:
"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus."

- requisito primordial para que um dia se possa ver a Deus! -

O perdão vindouro do evangelho - Vem !

Quanto ao perdão futuro proferido pelo Senhor no evangelho:


"Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a
blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado;
mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem
no futuro." (Mat. 10:31-32 - Mc. 3:28-29 - Lc. 12:10).
Esse é realmente outra grandíssima misericórdia de Deus aos que não alcançaram a
verdadeira fé para que os pudesse salvar e livrar de todo o mal.
Mas como Deus é riquíssimo em misericórdia e Deus de todas as almas, não
querendo que nenhuma se perca para sempre, e pela maravilhosa e dolorosa "Obra" do imortal
Senhor - Filho do Altíssimo que por todos sofreu, que por todos se deu, que por todos se
entregou. E também por todos os Seus passos nesta terra em função do "pecador", daí advém
toda essa boa dádiva e graça aos pecadores, pela fé (ainda que pequena).
Porém, esses, são sujeitos ao inferno, mas saem de lá ao pagarem pelo último ceitil.
(Mat.5:26 - Luc. 12:59)
Também esses são os da referida ressurreição para a vergonha e desprezo eterno.
Daniel 12:2c.
Porém, nesta vida, quem de Cristo ouviu, e não creu, descendo à sepultura incrédulo,
para esse não há perdão nem no século presente, nem no vindouro; constituindo-se numa
blasfêmia contra o Espírito Santo:
"Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no filho não
verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." (João 3:36)

Também creio que os que escandalizam o Nome do Senhor, levando outros a se


perderem no seu mau testemunho é gravíssimo pecado, e como disse o Senhor:
"E disse aos discípulos: É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele
por quem vierem! Melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma mó de atafona, e fosse
lançado ao mar, do que fazer tropeçar um destes pequenos." (Mat. 12:31-32)
A paz do Senhor, irmãos!

O perdão vindouro - só pode se dar em vida!

Gostaria de fazer um pequeno comentário:


Lembremo-nos de que já houve ressurreição neste mundo, nessa vida no Velho
Testamento: o filho de Sarepta a quem Elias ressuscita - I Reis. 17:18-22; o filho da mulher
que Eliseu ressuscitou - II Reis. 4:32-36; o homem morto que foi depositado na cova de
Eliseu, e que, ao tocar-se nos seus ossos, revive etc. - II Reis. 13:21.
Houve também nos evangelhos várias ressurreições feitas pelo Senhor tocando o
esquife de um menino (Luc. 7:14); de Talita (Mar. 5:35-42); de Lázaro (Jo. 11:37-44); talvez
tenha esquecido outras...; também a ressurreição através de Pedro a Dorcas (At. 9:36-41), e a
de Paulo a Êutico que caiu do terceiro andar. (At. 20:9-10)
Ora, tudo isso ocorreu embora esteja escrito:
"Aos homens está ordenado morrerem uma vez vindo depois disso o juízo." (Heb.
9:27)

Acontece que devido à "obra" do Senhor que se fez carne e habitou entre nós e pagou
por todos com Sua vida e com Sua morte - assim também todos (sem exceção, excetuando-se
os da 1ª ressurreição) hão de ressuscitar (justamente como ocorrido aos registrados nas
Escrituras - a ressurreição da carne - e não "uma melhor ressurreição" a qual é espiritual e
nela só pode ter parte quem houvera nascido de novo, ou seja, os de Cristo, que o crêem).
Por isso diz Isaías 26:19 - (olhemos a 2ª ressurreição - profetizada no Velho
Testamento, a ressurreição de toda a carne - aquela que todo homem tem parte).
"Os teus mortos viverão, os teus mortos ressuscitarão despertai e exultai, os que
habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas e a terra lançará de si os
mortos." (Almeida Revista e Corrigida - ARC)

Acontecerá literalmente a ressurreição descrita em Ezequiel 37 acerca dos ossos


secos - com toda a carne.
E isso para que haja perdão (e não condenação) - pois pecamos em vida e somente
em vida é que, podemos, crendo, receber o perdão (por isso mesmo a 2ª ressurreição é geral,
ou seja, de todo homem desde Adão até o último ser humano que tenha nascido neste mundo
e se feito alma vivente).
Por isso é que Satanás não é lançado (junto à besta e o falso profeta) no lago de fogo
após a batalha do Armagedom, ainda antes do milênio. (Apc. 19:20).
Mas é aprisionado durante mil anos (Apc. 20:1-2), para que, ao seu término, quando
todos os mortos tornam a vida, ele seja novamente solto, pouco tempo (Apc. 20:3) - o
suficiente para se praticar o perdão aos homens na 2ª ressurreição, mediante o crer, não sendo
novamente seduzidos pelo Diabo, seguindo-o - naquela que se chama a batalha de Gogue e
Magogue (cujo número é como a areia do mar), que se dará após o milênio. (Apc. 20:7-10).
Ora, o homem pecou em vida, estando Satanás livre. Também é somente em vida, e
com Satanás liberto (embora não visto pelos homens) é que o homem pode também obter
perdão, ao crer.
Também, essa batalha após o milênio não constitui numa nova transgressão (pois a
transgressão cessa-se por completo ao término das 70 semanas de Daniel. (Daniel 9:24)
Ou seja, a transgressão finda-se após na batalha do Armagedom, na qual batalha toda
a carne há de ter o seu fim!
Por isso mesmo, a batalha de Gogue e Magogue ocorre somente para se computar um
perdão, não constitui (repito) uma nova transgressão dos homens; pelo contrário, os que nela
estarão envolvidos serão todos os que morreram, mas que revivem a término do milênio; os
quais viveram na transgressão e também morreram, conforme diz: "Porque todos pecaram e
destituídos estão da glória de Deus"; e embora se trate duma batalha, a transgressão é a
mesma, pois nela morreram; e essa ressurreição só tem um propósito: chance divina para que
todos os homens antes e depois de Cristo; que outrora morreram em transgressão, possam "em
vida" dela sair; por crer.
Lembrando que Jesus disse, que todos os pecados seriam perdoados aos homens, e
toda a sorte de blasfêmias que proferissem, exceto a blasfêmia contra o Espírito, pois essa,
não tem perdão nem neste século (disse Jesus), nem no vindouro, mostrando que há um
perdão neste século nosso; e há um perdão num século vindouro, porém não p/ a blasfêmia
contra o Espírito. O século futuro é a 2ª ressurreição.
Conforme a mesma palavra de Deus a qual diz sobre a vida do homem:
"De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com
que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá." (Ez. 18:24b)

Em suma: se em transgressão morre, em transgressão permanece; e em vindo o juízo,


ele será exercido - e juízo é juízo - não havendo parcialidade nem perdão, pois bem
conhecemos Aquele que diz:
"Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor.
E outra vez: O Senhor julgará o seu povo."(Heb. 10:30b).
Tudo isso sobrevém aos homens por causa do Verbo que se fez carne...
por causa da Sublime Vida, da Sublime Obra... da Sublime (mas dolorosa) Morte (na
carne) do Filho Unigênito do Deus Vivo, o qual fora capaz de fazer-se homem, e como tal
sofrer e suportar como homem todo o vitupério deste mundo, e a dor e a frieza da morte, e
isso depois de haver deixado a Glória Eterna a qual é Sua, para salvar o pecador. (Fil. 2:5-8 )
A primeira aparte, do que acontecerá antes do Milênio?

Acreditamos que o arrebamento pode acontecer e qualquer momento, trata-se de um


evento sem sinais e não precisa acontecer nada na história antes dele. O arrebatamento
poderia ter acontecido a qualquer hora desde o primeiro século e sua ausência na história
durante os últimos 2000 anos, certamente nos aproxima mais dele.

A passagem mais extensa do Novo Testamento relativa ao Milênio é Apocalipse 20,


em que João descreve uma sequência cronológica: a prisão, a rebelião e o julgamento de
Satanás no Milênio. Em Apocalipse 20.2-7 aparece seis vezes o numero 1000, enfatizando a
duração do reinado terreno de Cristo. Apesar de Apocalipse 20 ser o único lugar na Bíblia
onde a duração exata do reinado de Cristo é mencionada, o reino em si é mencionado e
descrito dezenas de vezes em toda a Bíblia (por exemplo, Isaías 60; 62; 65.17-66.24; Jeremias
31; Ezequiel 40-48; Daniel 2.44,45; 7.27; 12.1,2; Zacarias 14.8-21). O reino futuro de Deus
terá duas fases diferentes, o Milênio e o estado eterno. Mas a grande ênfase da Bíblia está no
reinado de 1000 anos de Cristo no Seu governo futuro conhecido como Milênio. O Milênio e
uma realidade bíblica que ainda será concretizada. No fim do Milênio haverá um julgamento
final , conhecido como o “julgamento do grande trono branco”, dos descrentes mortos que
ressuscitarão naquela ocasião (Apocalipse 20.11-15). Os descrentes serão lançados no lago de
fogo e os crentes entrarão para o estado eterno descrito em Apocalipse 21-22.

A segunda parte, o que acontecerá exatamente nesses mil anos?

Depois que Jesus Cristo arrebatar a igreja, haverá aqui na terra um período de sete
anos conhecido como tribulação. É durante este período que o anticristo surgirá. Será possível
marcar datas neste período de tempo futuro porque a Bíblia da indicações de tempo precisas
em termos de anos, meses e dias. Isso não tem nada a ver com atual era da Igreja. No fim dos
sete anos, Jesus Cristo voltará à terra e estabelecerá o reino de 1000 anos (o reino milenar), a
partir da Sua capital Jerusalém . No fim deste período haverá um julgamento final, seguido do
estado eterno.

A Segunda Vinda
A segunda vinda de Cristo segue o arrebatamento e a tribulação. É o retorno de
Cristo que encerra a tribulação. Quando Cristo voltar, o anticristo e seus exércitos serão
destruídos e haverá um período de julgamento (Apocalipse 19.20,21). A segunda vinda
precede imediatamente a prisão de Satanás (Apocalipse 20.1-3)e a inauguração do reino
milenar. A segunda vinda é ensinada por toda a Bíblia. Entre as passagens mais importantes
estão Mateus 24.27-30 e Apocalipse 19.11-16.

Mas no final de tudo isso Jesus Cristo voltará com os exércitos do céu e eles vão
começar uma época gloriosa da cura na terra. Este é o início do mil anos era de paz conhecido
como o Milênio.

A terceira parte, quais serão os eventos a acontecer depois dos mil anos?
R= O que vai acontecer após o Milênio, no final dos mil anos, Satanás será libertado
por um certo período. Algumas pessoas se afastarão do Pai Celestial. Satanás reunira seu
exercito, e Miguel (Adão), as hostes celestiais. Nessa grande batalha, Satanás e seus
seguidores serão expulsos para sempre. Depois, virá o julgamento final e todas as pessoas
serão encaminhadas para os reinos pelos quais se prepararam pela maneira como viveram, e a
terra será transformada em um reino celestial.

Podemos ver nos eventos descritos em Apocalipse 20 que Deus vai deixar essa
oportunidade de escolha disponível para muitas pessoas que viverão durante essa era de mil
anos. Também é razoável acreditar que algumas delas aceitarão a intriga de Satanás e
escolherão seu caminho egoísta e rebelde em detrimento do caminho de amor e cooperação de
Deus.

No livro de Daniel 7:27 – O Senhor confirma este ensinamento quando diz: E o


reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão, dados ao povo dos
santos do altíssimo: o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe
obedecerão. Assim a terra em sua forma celestial se tornará o lar daqueles que são dignos da
glória celeste, cujos nomes estão escritos no livro da vida do cordeiro, nela nunca jamais
penetrará coisa alguma contaminada, nem o que prática abominação de mentira, mas somente
os escritos no livro da vida do cordeiro. (Apoc.21:27).

Portanto, com nossos amigos e nossas famílias, em nossos corpos ressuscitados, pela
nossa felicidade, podemos herdar esta terra de geração em geração. Para todo sempre João, o
revelador também viu em visão este glorioso evento: então ouvi grande voz vinda do trono,
dizendo: eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos
de Deus e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já
não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. O
vencedor herdará estas coisas, e Eu lhe serei Deus e ele me será filho (Apoc.21:3,47).

No final dos mil anos, Satanás será libertado por um curto período. Algumas pessoas
se afastarão do Pai Celestial. Satanás reunirá seus exércitos, e Miguel (Adão), as hostes
celestiais. Nessa grande batalha, Satanás e seus seguidores serão expulsos para sempre.
Depois, virá o julgamento final e todas as pessoas serão encaminhadas para os reinos pelos
quais se preparam pela maneira como viveram, e a terra será transformada em um reino
celestial.

“Então o Reino dirá aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai,
possui por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (versículos
33-34). “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim,
malditos, para o fog eterno, preparado para o diabo e seus anjos. E irão estes para o castigo
eterno, porém os justos, para a vida eterna” (Versículos 41,46).

Jesus Cristo executará o processo de separar os maus dos justos. No início de Seu
reinado, Ele começará a julgar entre as nações, ensinando-as a sair do mau caminho e a
praticar a justiça (Isaías 2:4).

Veja o que acontece no fim do Milênio: “Quando, porém, se completarem os mil


anos, Satanás será solto da sua prisão e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da
terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O numero dessas é como a areia do
mar. Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a
cidade querida, desceu, porém, fogo do céu e os consumiu. O diabo, o sedutor deles, foi
lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o Anticristo, e não serão
atormentados por toda a eternidade. (Apocalipse 20,7 a 10).

Isso acontecerá no final do reinado de mil anos, e será o último evento antes do
julgamento é realizado.

Porque Deus libertará Satanás para seduzir as pessoas novamente após o maravilhoso
reinado milenar de Jesus Cristo.
Durante o Milênio as pessoas poderão escolher somente um estilo de vida, aquele
que Cristo vai ensiná-los. Muitas gerações crescerão sem nunca terem sido expostas a nenhum
outro estilo de vida.

O Juízo Final

O juízo final será no final do reinado de mil anos, após a última rebelião
de Satanás. Este julgamento vai ser para aqueles que ainda não experimentaram
o julgamento de Deus.

Todos os mortos serão ressuscitados, e com os vivos serão julgados


perante o grande trono branco de Deus, segundo as suas obras durante o seu
tempo aqui na terra. Os livros serão abertos que contém todos os detalhes do que
eles fizeram em sua vida. Outro livro chamado O Livro da Vida também estará
aberto (Apocalipse 20,11-12).

Aqueles que mostraram perseverança nas boas obras receberão a glória,


honra e paz. Todos aqueles que têm feito injustiça em todas as suas formas, e
permanecer sem arrependimento, receberá a ira de Deus e julgamento justo,
independentemente de quem seja, ou que fundamento religioso tenha. Deus é
um Deus justo. (Romanos 1,27-2,16). Todos aqueles cujos nomes não estão
escritos no livro da vida serão lançados no lago de fogo (Apocalipse 21,8).

Depois do Milênio

Mesmo que o Milênio seja um tempo vivido em paz e justiça que não é o objetivo
final de Deus para a Sua criação. Satanás foi preso, mas não completamente erradicado. E,
apesar da admiração e harmonia na Terra, ainda não é perfeito aos olhos de Deus, porque ele
carrega a mancha do pecado eterno.

No final do Milênio Satanás será solto de suas correntes por um curto período de
tempo, embora não esteja claro exatamente quanto tempo este é. Esta é a sua última chance de
enganar todas as nações e levar as pessoas a segui-lo. Incrivelmente, ele vai reunir número
suficiente de pessoas de todo o mundo para criar um exército, e eles vão cercar Jerusalém
novamente, em uma última tentativa desesperada para assumir a criação de Deus.

Mas agora é finalmente o suficiente, e tempo de Satanás é chegado. Deus enviará


fogo do céu para devorá-los. O diabo vai finalmente ser lançado no lago de fogo e enxofre,
onde está a besta e o Anticristo, e serão atormentados lá para sempre. (Apocalipse 20: 7-10)

Isto marca o fim do Milênio é o último evento antes do julgamento final tomar lugar.

Antes do fim

É maravilhoso para se sentar e pensar sobre o que vastas alegrias o Milenio vai
trazer, quando todas as lágrimas e tristezas estão finalmente lavados. Mas as pessoas mais
felizes do Milênio será Jesus e Sua noiva. Eles têm a maior recompensa porque eles fizeram o
maior sacrifício.

Agora ainda é a hora de escolher onde você vai ser. A glória de cada um será
diferente na eternidade. Quão terrível seria ao comércio de nossa glória eterna para os
prazeres transitórios do pecado aqui na terra! Por que não escolher ser uma parte da noiva
agora? Escolha ser um daqueles que aceita o julgamento de Deus levando em suas vidas. Esta
é sua maneira de prepará-lo para a responsabilidade de governar sobre a terra durante o
Milênio.

Escolha ser um dos que secam as lágrimas em vez de um que tem lágrimas para
secar.
Os Mil Anos (Milénio)

Na Segunda Vinda, o povo de Deus será levado para o céu. A Bíblia diz em 1
Tessalonicenses 4:16-17 “Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do
arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao
encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. ”

Na Segunda Vinda de Cristo, os impíos estarão cheios de terror e desespero. A Bíblia


diz em Apocalipse 6:16-17 “E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-
nos da face daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro; porque é vindo o
grande dia da ira deles; e quem poderá subsistir?”

O líder dos ímpios será destruído com a glória da Vinda de Cristo e os restos dos
ímpios serão destruídos pela Sua espada. A Bíblia diz em 2 Tessalonicenses 2:8 “E então será
revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus matará como o sopro de sua boca e destruirá com
a manifestação da sua vinda.” A Bíblia diz em Apocalipse 19:21 “E os demais foram mortos
pela espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo; e todas as aves se
fartaram das carnes deles.”

Como os justos irão para o céu com o Senhor e os ímpios serão destruídos pela
aparição de Jesus, a terra ficará sem habitantes humanos durante um tempo. A Bíblia diz em
Jeremias 4:23-25 “Observei a terra, e eis que era sem forma e vazia; também os céus, e não
tinham a sua luz. Observei os montes, e eis que estavam tremendos; e todos os outeiros
estremeciam. Observei e eis que não havia homem algum, e todas as aves do céu tinham
fugido. ”

Os outros ímpios ficarão nas suas sepulturas durante mil anos. A Bíblia diz em
Apocalipse 20:4-5 “E vi as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de
Jesus e da palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o
sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos. Mas os
outros mortos não reviveram, até que os mil anos se completassem. Esta é a primeira
ressurreição.”
Enquanto os santos estão no céu e os ímpios estão mortos, o diabo estará limitado a
esta terra deserta durante 1000 anos. A Bíblia diz em Apocalipse 20:1-3 “E vi descer do céu
um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão,
a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e o amarrou por mil anos. Lançou-o no abismo, o
qual fechou e selou sobre ele, para que não enganasse mais as nações até que os mil anos se
completassem. Depois disto é necessário que ele seja solto por um pouco de tempo.”

Ao final dos 1000 anos a Nova Jerusalém descenderá do céu à terra. A Bíblia diz em
Apocalipse 21:1-3 “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a
primeira terra, e o mar já não existe. E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu
da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. E ouvi uma grande
voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com
eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles.”

Nessa altura os ímpios ressuscitados e Satanás liberado tentarão apoderar-se da


cidade de Deus. A Bíblia diz em Apocalipse 20:7-9 “Ora, quando se completarem os mil
anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos
da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a
batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida;
mas desceu fogo do céu, e os devorou. ”

E nessa altura serão destruídos pelo fogo do inferno. A Bíblia diz em Apocalipse
20:9 “E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida;
mas desceu fogo do céu, e os devorou”. As duas Ressurreições, O Arrebatamento e a
Tribulação, Sobre o Milênio.