Anda di halaman 1dari 16

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

LABORATÓRIO DE FLUIDOS MECÂNICOS

MANOMETRIA: CALIBRAÇÃO DE MANÔMETROS

Belo Horizonte

2017
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ................................................................................................................................. 3
1.1. Objetivo ..................................................................................................................................... 3
1.2. Desenvolvimento Teórico .................................................................................................... 3
2. DESENVOLVIMENTO EXPERIMENTAL .................................................................................... 5
2.1. Materiais Utilizados ................................................................................................................ 5
2.2. Descrição do Experimento................................................................................................... 6
3. RESULTADOS ................................................................................................................................. 7
3.1. Tabelas obtidas ....................................................................................................................... 7
3.3. Gráficos obtidos ................................................................................................................... 10
5. CONCLUSÃO................................................................................................................................. 14
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................... Error! Bookmark not defined.
‘3

1. INTRODUÇÃO

1.1. Objetivo

A prática realizada tem como objetivo analisar e aferir manômetros por dois
processos distintos. O primeiro deles, usando um manômetro de peso morto para
calibrar o manômetro de Bourdon e no segundo processo usando um manômetro
padrão do tipo Bourdon, buscando calibrar outro do mesmo tipo juntamente com um
transdutor elétrico.

1.2. Desenvolvimento Teórico


Pressão é a força exercida por um fluído em todas as direções.
Matematicamente pode ser expressa como a força por unidade área.
Assim:

𝐹
𝑃=
𝐴

Equação 01: Equação matemática que define pressão;

Segundo o Sistema Internacional, a unidade de medida para pressão é N/m²


igualmente conhecida como Pascal(Pa).
A pressão pode ser subdividida:

 Pressão Atmosférica: pressão exercida pelo ar atmosférico


 Pressão Manométrica ou Relativa: consiste na diferença entre uma pressão
desconhecida e a atmosférica
 Pressão Absoluta:é a medida a partir do vácuo absoluto ( pressão zero)

Esta grandeza física pode ser medida através de alguns instrumentos, entre eles,
o manômetro, o barômetro, o piezômetro e o vacuômetro.

Os manômetros são instrumentos utilizados para medir a pressão de fluidos


contidos em recipientes fechados. Por serem simples, práticos e de baixo custo eles
são muito utilizados na indústriae por isso a atenção a sua manutenção é
‘4

extremamente importante. Assim, mantendo o manômetro devidamente calibrado é


possível obter medições precisas dos fluídos e uma maior segurança nos
laboratórios e indústrias.

Conforme descrito no site CIMM (Centro de Informação Metal Mecânica),


Calibração é o “Conjunto de operações que estabelece, em condições específicas, a
correspondência entre o estímulo e a resposta de um instrumento de medir, sistema
de medição ou transdutor de medição”.

O processo utilizado para a calibração dos manômetros disponíveis em nosso


laboratório consistiu em repetidas medições e posterior comparação dos valores
encontrados com os valores padrões.
‘5

2. DESENVOLVIMENTO EXPERIMENTAL

2.1. Materiais Utilizados

1º Procedimento

1. Bomba centrífuga;

2. Mangueira de alimentação do sistema deaferição;

3. Manômetro de Bourdon a ser aferido;

4. Válvulas de bloqueio do fluxo;

5. Conjunto cilindro, pistão e pesos de 0,5 kg.

Figura 1 – Manômetro de peso morto

(Fonte:Material postado na disciplina do Lab. de Fluidos – PUC-MG)

2º Procedimento

1. Bomba de pistão manual;

2. Reservatório de óleo;

3. Manômetro de Bourdon padrão;

4. Manômetro de Bourdon a ser aferido;

5. Transdutor elétrico de pressão;

6. Painel digital.
‘6

Figura 2 – Bomba de calibração

(Fonte: Material postado na disciplina do Lab. de Fluidos – PUC-MG)

2.2. Descrição do Experimento

No início da primeira parte da prática, a bomba injetora de água do sistema foi


acionada e foi injetada água no manômetro tipo Bourdon a ser aferido e no
manômetro de peso morto, de forma a expelir o ar de dentro do sistema para não
ocorrer nenhuma interferência na medição.
O primeiro procedimento da prática consistiu em utilizar o manômetro tipo
peso morto para aferir um manômetro do tipo Bourdon. O manômetro tipo peso
morto opera sob o princípio de se suportar um peso ou força conhecidos por meio de
uma pressão agindo sobre uma área conhecida. Depois de conectar os
manômetros, foram adicionados pesos de 0,5 em 0,5 kg até chegar à uma força de
2,0 kgf, lembrando que a medição começou a partir de 0kgf, onde o peso único era o
próprio peso do pistão. Os dados obtidos para a pressão no manômetro a ser aferido
foram anotados em cada instante, sendo registradas cinco medições. Em seguida, o
mesmo procedimento foi repetido, porém retirando os pesos.
O sistema utilizado no segundo procedimento da prática consistiu em dois
manômetros de Bourdon, sendo um padrão e outro a ser aferido juntamente com um
transdutor elétrico conectado a um painel eletrônico que permite a leitura das
respectivas pressões.
O volante do sistema era girado e então regulado as pressões. Verificou-se
então um aumento de pressão, iniciando comum valor inicial de 0 kgf/cm2 até 4,0
kgf/cm2.
‘7

3. RESULTADOS

3.1. Tabelas obtidas

Tabela 01 -Valores de Pressão Obtidos durante a medição


do Manômetro de Peso Morto

VALORES PARA PRESSÃO CRESCENTE [kgf/cm²] VALORES PARA PRESSÃO DECRESCENTE [kgf/cm²]
0,00Kgf 0,50Kgf 1,00Kgf 1,50Kgf 2,00Kgf 2,00Kgf 1,50Kgf 1,00Kgf 0,50Kgf 0,00Kgf
Grupo 01 0,40 0,90 1,38 1,75 1,80 1,80 1,70 1,10 0,90 0,48
Grupo 02 0,41 0,93 1,33 1,77 2,00 2,00 1,73 1,34 0,94 0,45
Grupo 03 0,41 0,90 1,38 1,79 2,23 2,25 1,80 1,35 0,90 0,47
MÉDIA 0,41 0,91 1,36 1,77 2,01 2,02 1,74 1,26 0,91 0,46
DESVIO
0,01 0,02 0,03 0,02 0,21 0,23 0,05 0,14 0,02 0,02
PADRÃO

Equação 02: Calculo da MédiaEquação 03: Calculo do Desvio Padrão

Tabela 02 - Erro de medição no processo crescente

GRUPO 01 - CRESCENTE

Pressão Verdadeira Pressão Manométrica


Erro
[kgf/cm²] [kgf/cm²]
0,00 0,40 0,10
0,50 0,90 0,10
1,00 1,38 0,12
1,50 1,75 0,25
2,00 2,23 0,27

Erro= Pressão Verdadeira – Pressão Manométrica

Equação 04: Cálculo do Erro


‘8

Tabela 03 - Erro de medição no processo decrescente

GRUPO 01 - DESCRESCENTE

Pressão Verdadeira Pressão


[kgf/cm²] Manométrica[kgf/cm²] Erro
0,50 0,48 0,02
1,00 0,90 0,10
1,50 1,1 0,40
2,00 1,7 0,3
2,50 2,22 0,28

Tabela 04 - Valores de Pressão Obtidos durante a medição do Manômetro de Bourdon

VALORES MANOMÉTRICOS PARA PRESSÃO CRESCENTE [Kgf/cm²] - Manômetro


0,00Kgf/cm 0,70Kgf/cm 1,40 2,11 2,81 3,51Kgf/cm 4,21Kgf/cm
² ² Kgf/cm² Kgf/cm² Kgf/cm² ² ²
Grupo 01 0,22 0,81 1,48 2,00 2,58 3,20 3,83
Grupo 02 0,22 0,81 1,40 2,00 2,88 3,19 3,84
Grupo 03 0,21 0,81 1,40 2,00 2,59 3,20 3,82
MÉDIA 0,22 0,81 1,43 2,00 2,68 3,20 3,83
DESVIO
0,01 0,00 0,05 0,00 0,17 0,01 0,01
PADRÃO

Tabela 05 - Valores de Pressão Obtidos durante a medição do Manômetro de Bourdon

VALORES MANOMÉTRICOS PARA PRESSÃO DECRESCENTE [kgf/cm2] - Manômetro


4,21Kgf/cm² 3,51Kgf/cm² 2,81 Kgf/cm² 2,11 Kgf/cm² 1,40 Kgf/cm² 0,70Kgf/cm² 0,00Kgf/cm²
Grupo 01 3,83 3,25 2,65 2,2,08 1,50 0,90 0,28
Grupo 02 4,00 3,50 2,80 2,10 1,30 0,70 0,00
Grupo 03 4,10 3,40 2,70 2,00 1,30 0,60 0,00
MÉDIA 3,98 3,38 2,72 2,05 1,37 0,73 0,09
DESVIO
0,14 0,13 0,08 0,07 0,12 0,15 0,16
PADRÃO
‘9

Tabela 06 - Valores de Pressão Obtidos durante a medição do Transdutor

VALORES MANOMÉTRICOS PARA PRESSÃO CRESCENTE [kgf/cm2] - Manômetro


0,00Kgf/cm² 0,70Kgf/cm² 1,40 Kgf/cm² 2,11 Kgf/cm² 2,81 Kgf/cm² 3,51Kgf/cm² 4,21Kgf/cm²
Grupo 01 0 0,61 1,22 2,03 2,65 3,36 4,07
Grupo 02 0 0,5 1,22 2,03 2,65 3,36 4,07
Grupo 03 0 0,5 1,22 2,03 2,65 3,36 4,07
MÉDIA 0 0,536666667 1,22 2,03 2,65 3,36 4,07
DESVIO
0 0,06350853 0 0 0 0 0
PADRÃO

Tabela 07 - Valores de Pressão Obtidos durante a medição do Transdutor

VALORES MANOMÉTRICOS PARA PRESSÃO DRESCENTE [kgf/cm2] - Manômetro


2,11
4,21Kgf/cm² 3,51Kgf/cm² 2,81 Kgf/cm² 1,40 Kgf/cm² 0,70Kgf/cm² 0,00Kgf/cm²
Kgf/cm²
Grupo 01 4,07 3,56 2,85 2,14 1,32 0,71 0
Grupo 02 4,07 3,56 2,75 2,14 1,32 0,61 0
Grupo 03 4,18 3,46 2,75 2,03 1,32 0,61 0
MÉDIA 4,106666667 3,526666667 2,783333333 2,10333333 1,32 0,643333333 0
DESVIO PADRÃO 0,06350853 0,057735027 0,057735027 0,06350853 0 0,057735027 0

Tabela 08 - Erro de medição no processo crescente – Manômetro de Bourdon

GRUPO 01 - CRESCENTE

Pressão Verdadeira Pressão Manométrica


Erro
[kgf/cm²] [kgf/cm²]
0 0 0,00
10 0,61 9,39
20 1,22 18,78
30 2,03 27,97
‘10

40 2,65 37,5
50 3,336 46,66
60 4,07 55,93
Tabela 09 - Erro de medição no processo decrescente – Manômetro de Bourdon

GRUPO 01 - CRESCENTE

Pressão Verdadeira Pressão Manométrica


Erro
[Bar] [Psi/cm²]
70 4,07 0,14
60 3,33 -0,05
50 2,65 -0,04
40 2,03 -0,03
30 1,22 0,08
20 0,61 -0,01
10 0 0

3.3. Gráficos obtidos

Gráfico 1 – Pressão Verdadeira x Erro no Manômetro de Peso Morto

Histerese
0.35
0.30
0.25
0.20
Erro

0.15 Crescente

0.10 Decrescente

0.05
0.00
0.50 1.00 1.50 2.00 2.50
Pressão Verdadeira

(Fonte: Elaborada pela autora Larissa Aline Lopes de Oliveira)

Gráfico 2 – Pressão Verdadeira x Erro no Manômetro de Bourdon


‘11

Histerese Manômetro
1.00
0.80
0.60
0.40
0.20
Erro

Decrescente
0.00
Crescente
-0.20 0.00 0.50 1.00 1.50 2.00 2.50 3.00 3.50 4.00

-0.40
-0.60
-0.80
Pressão Verdadeira

(Fonte: Elaborada pela autora Larissa Aline Lopes de Oliveira)

Gráfico 3 – Valor Padrão x Valor Lido (Média) no Manômetro de Peso Morto

Curva de Calibração do Manômetro


2.50000
Pressão do Manômetro

2.00000

1.50000
Crescente e Decrescente

1.00000
Linear ( Crescente e
Decrescente)
0.50000
y = 0.8787x + 0.0002
R² = 0.999
0.00000
0 0.5 1 1.5 2 2.5 3
Pressão Verdadeira

(Fonte: Elaborada pela autora Larissa Aline Lopes de Oliveira)


‘12

Gráfico 4 – Valor Padrão x Valor Lido (Média) no Manômetro de Bourdon e


Transdutor

Curva de Calibração - Bourdon e Transdutor

4.00 Manômetro

3.50 Transdutor
Pressão do Manômetro

3.00 Linear (Manômetro)


2.50 Linear (Transdutor)
2.00
1.50
1.00
y = 0.8296x + 0.3009
0.50 R² = 0.9923
0.00
-0.50 0 1 2 3 4 5 y = 0.961x - 0.0531
Pressão Verdadeira R² = 0.9984

(Fonte: Elaborada pela autora Larissa Aline Lopes de Oliveira)

4. DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Através dos gráficos de curva de calibração, podemos comparar os valores


apresentados para ambos os manômetros. Assim, para o primeiro processo,
manômetro de peso morto, é possível observar pouca variação entre as pressões
lidas e as pressões verdadeiras. Isso pode ser comprovado ao analisar a regressão
linear obtida, apresentado um coeficiente de determinação de 99,9%, ou seja, este
modelo apresenta uma excelente curva de ajuste da amostra.

Já os valores obtidos no segundo processo, manômetro de Bourdon, observa-


se maior variação em relação as pressões verdadeiras, portanto maior erro obtido
quando comparado ao primeiro processo. Esta análise pode ser comprovada
quando comparados o valor do coeficiente de determinação, pois neste processo o
mesmo apresenta valor inferior à99,4%.

É importante ressaltar que os erros apresentados ocorrem por diversos


fatores, sendo os mais consideráveis, a paralaxe na leitura das pressões, perdas por
atrito, possíveis vazamentos entre outros fatores.
‘13
‘14

5. CONCLUSÃO

O manômetro é um instrumento de medição amplamente difundido e utilizado


em indústrias. A versatilidade e simplicidade são alguns dos motivos que
proporcionam a sua ampla utilização. Em função da sua importância e
funcionalidade na indústria, é um equipamento que precisa de constante
manutenção, isto é, aferição e calibração para permitir medições corretas.
A realização dessa prática permitiu aplicar conhecimentos teóricos,
transformar teoria em ação. Foi possível visualiza a importância da calibração, bem
como aprender como é possível realiza-la.

Conclui-se que o manômetro de peso morto demonstrou menor desvio em


relação às pressões verdadeiras quando comparado ao manômetro de Bourdon.
Sendo assim, pode-se afirmar que este apresenta maior precisão. No entanto,
ambos apresentam desvios em suas leituras, necessitando de calibração,
manutenção.

Ressalta-se a extrema importância de manter instrumentos de medição em


boas condições, para segurança e melhor desempenho industrial.
‘15

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MECÂNICA DOS FLUIDOS. Tipos de Medidores de Pressão. Disponível em:


<http://wwwmecanicadosfluidos.blogspot.com.br/2010/10/tipos-de-medidores-de-
pressao.htmlf> Acesso em: 12 ago. 2016.

CENTRO DE INFORMAÇÃO METAL MECÂNICA. Definição - O que é Calibração.


Disponível em:<http://www.cimm.com.br/portal/verbetes/exibir/588-calibracao>
Acesso em: 20 ago. 2016.

MECÂNICA INDUSTRIAL. Como funcionam os manômetros. Disponível em:


<http://www.mecanicaindustrial.com.br/67-como-funcionam-os-manometros/>
Acesso em: 20 ago. 2016.

ACEPIL. Manômetro calibrado. Disponível em:


<http://www.acepil.com.br/artigos/manometro-calibrado> Acesso em: 20 ago. 2016

OMEGA. Manômetros. Disponível em:


<http://br.omega.com/prodinfo/manometros.html> Acesso em: 20 ago. 2016