Anda di halaman 1dari 7

Período de Clamor

Entre os dias 14 e 15 de setembro estaremos iniciando um período de 21 dias de


Jejum e Oração a favor do grande mover profético que o Senhor tem nos chamado a
viver, diante de uma das fases mais estratégicas de nossa história como Igreja e Nação.
Sabemos que mudanças precisam acontecer e verdadeiros milagres precisam ser
liberados sobre a realidade de um povo que tem se perdido ao longo de sua história
marcada por escândalos, corrupções e tragédias.
Até o dia 05 de outubro, início das celebrações da Festa de Tabernáculos,
estaremos envolvidos ativamente com todo esse mover profético, o qual aponta para as
grandes transformações que o Senhor preparou para nós. Chegou a hora de assumirmos
a vanguarda espiritual que nos foi outorgada na Cruz, perante fatos, circunstâncias e
realidades que têm marcado essa geração, assumindo a posição dos agentes que fazem
vigorar a atmosfera do Céu sobre essa terra.
É tempo de derrubarmos as velhas estruturas que nos resistem, de forma a
alcançarmos os horizontes que refletem a plenitude de tudo que o Senhor sonhou para
nós. A estratégia que o Senhor nos confia para que tenhamos sucesso nessa tão nobre
missão é descrita através de dois aspectos fundamentais. Vejamos:

1° Assumindo uma posição profética a favor da Nação –


Temos que requerer o nosso papel dentro dessa nação como intercessores e esse
é o tempo de reconhecermos os erros e pecados que vigoram em nossa história,
assumindo os prejuízos por eles provocados .Faremos desse tempo um período de
Arrependimento e Renúncia por esses pecados, Clamando para que a Graça, a
Misericórdia e o Amor de Deus sejam derramados sobre os quatro cantos desse país;

2° Precisamos ser um referencial do que Anunciamos e Cremos –


Não adianta pregarmos a nova vida em Cristo e os efeitos sobrenaturais de seu
Governo se não manifestarmos de forma clara e palpável, um testemunho compatível
com essa verdade. Portanto, precisamos fazer desses dias, tempo de arrependimento por
tudo que foi produzido como Pecado pela Igreja e clamarmos em prol do derramamento
de um óleo novo, uma unção fresca que vem abastecida de sinais e manifestações
testificadoras do agir poderoso do Pai sobre nossas vidas. Que comece em nós!!!

Para facilitar esse período de oração intercessória e jejum, fizemos uma pauta
que servirá como base para a organização de assuntos e da rotina que teremos ao longo
desses dias tão especiais. Lembrando que essa ferramenta é apenas um auxílio às
estratégias e propósitos que o Senhor tem colocado no coração dos intercessores desta
Nação, porém a oração deve ser algo espontâneo e que reflita com fidelidade a
experiência pessoal de cada intercessor.

Num primeiro momento de Oração, promova um tempo de entrega pessoal


colocando-se diante de Deus, pedindo que Ele o guarde no Seu esconderijo durante esse
período.

“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao


Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu em quem confio” (Sl 91:1-2).
Leia Efésios 1: 18 – 23

Adore e louve suavemente ao SENHOR, reconhecendo–O como o Criador, o Pão da


vida, a Água Viva, a Fonte para sua vida, a luz do mundo, o pré-existente, o seu Pastor,
o seu Senhor presente e vivo. Invoque o Senhor como aquele que pode curar, Jeová
Rafah, como o Cordeiro de Deus, aquele que pode perdoar pecados.
Apresente o seu arrependimento e sua confissão pessoal. “Não encubra nada de Deus.”
(IJo. 1:5 – 10, Pv. 28: 13);
•Tome posse de sua armadura espiritual, com consciência e utilizando cada arma que
Deus lhe deu. (Ef. 6:10 – 20);
•Invoque a presença de Deus como poderoso Guerreiro (Jr. 20:11-13; I Sm. 17:45 e
47b);
•Adore e exalte ao Deus Todo Poderoso;
•Peça quebrantamento, arrependimento e humildade diariamente a Deus, a fim de que
Ele use você de uma maneira tremenda;
“Desperta-me a memória; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que
possas justificar-te”. (Is. 43:26).

Pecados Pessoais e Familiares


Apresente-se diante de Deus em arrependimento, confessando seus pecados
pessoais e familiares , a fim de que seja totalmente guardado neste tempo de intercessão,
tomando o cuidado de estar debaixo de plena cobertura espiritual de seus líderes locais,e
esses estejam sob as lideranças do Corpo de Cristo na nação .Caso seja possível, esteja
em jejum , cobrindo – os, em orações.

Pecados da Igreja
Renuncio, confesso e peço perdão:
• Pela falta de resposta cristã específica à situação social no país;
• Pela falta de unidade e negligência da Igreja, na oração;
• Por nos posicionarmos como exército denominacional; por gerar na Igreja um amor
maior pela denominação do que por Cristo e seu Corpo;
• Pelo denominacionalismo evangélico e por vivermos como torre de babel, tendo o
interesse do homem acima do interesse do próprio Deus; por vivermos debaixo do juízo
da confusão;
• Pelo tradicionalismo evidente, quando a palavra de Deus tem menos valor do que
certas tradições humanas. Por homens com unção antiga, que não sabem lidar com
novas unções e nem desejam aprender. Por bebermos vinho velho e aceitarmos
fermento. Por fazermos aliança com Belzebu, príncipe da religiosidade e da tradição;
• Por desejarmos visibilidade ministerial e reconhecimento da sociedade, ainda que seja
sem conhecermos o Pai;
• Por edificarmos fundamentos denominacionais, doutrinas, normas e leis de homens.
Por sermos guiados pelo espírito que constrói bezerros de ouro com os valores
recolhidos do povo, tanto materiais quanto espirituais (chamados e dons do Espírito);
• Por pastores que fazem negócio com a obra da cruz em benefício próprio, em troca de
um evangelho falso dado pelo espírito religioso e que está fora da centralidade de
Cristo;
• Por gerarmos uma Igreja sem a autoridade da revelação de Cristo;
• Por semearmos semente contaminada do Evangelho e nos fundamentarmos na
capacidade teológica, psicológica, em ensino e sabedoria humana, negando o poder de
Deus;
• Por constituirmos líderes despreparados sobre as ovelhas, sem a vida de Deus, não
idôneos, que esgotam e oprimem o povo, semeando sonhos fantasiosos, que não saíram
do coração de Deus, os quais não se realizam e trazem frustração. Homens esses que
operam, muitas das vezes, como mercenários e não como pastores;
• Por não ensinarmos ao rebanho que o Senhor é o seu provedor, mantenedor,
edificando o fundamento de homem e não o de Deus;
• Pelos líderes que enviam para guerra espiritual e não vão junto; que enviam para o
território do lobo ou permitem que ele entre no aprisco e não defendem as ovelhas com
a verdade de Deus;
• Por comemorarmos as datas impostas por Roma, imitando-a e gerando engano nas
ovelhas (Natal, festa junina e seus arraiais, entre outros);
• Por estabelecermos cobertura falsa, sem oração, pastoreio. Por colunas enferrujadas e
pela mediocridade. Pela falta da revelação da vida de Deus;
• Pelo medo de fazer o que o Espírito manda e por vivermos em ativismo e
religiosidade, assumindo uma vida de rituais e ocupações alienadas;
• Por andarmos no orgulho humano, na sedução com o poder. Por bajularmos pela
frente e esfaquearmos pelas costas. Pelo espírito da corrupção que produz político na
Igreja, transformando congregações em currais eleitorais que são comercializados por
seus líderes;
• Por cobramos uns dos outros, muitas vezes do púlpito, sem vivermos o que é ensinado;
• Por buscarmos prioritariamente agradar a homens;
• Por governarmos por assembleias que esmagam líderes e membros do corpo, levando
famílias inteiras à destruição;
• Por promovermos uma liderança vaidosa, dedicada a conduzir pessoas a uma
obediência cega, à idolatria do profeta, à idolatria dos líderes, à manipulação de pessoas,
adorando mais à criatura que ao Criador;
• Por construirmos paredes de inimizade e divisão entre líderes e congregações,
alimentando espíritos de inferioridade e rejeição no corpo;
• Por usarmos o poder e o discernimento humanos, praticando uma agenda independente
de Deus, sem consultá-lo, limitando a obra do Espírito na vida das pessoas e na igreja
local;
• Por não termos a virtude do Espírito Santo;
• Por formarmos homens dispostos, mas sem o governo do Senhor no que fazem. Por
aqueles que se apresentam com vestes especiais para serem agradáveis a homens,
desagradando a Deus;
• Por termos o governo da mulher na igreja sem alinhamento e submissão ao sacerdócio
a submissão ao sacerdócio de um homem como diz a palavra;
• Por formarmos líderes frios no amor, na fé, na pureza, multiplicando assim a
iniquidade na Igreja e no mundo;
• Por mancharmos ao gasofilácio com dinheiro contaminado por tráfico, jogos,
corrupção, pirâmides, lavagem de dinheiro e para obtenção de lucro, aplicando
estratégias mercantilistas;
• Por errarmos na alocação de recursos da Igreja, deixando de assistir os obreiros, os
órfãos e as viúvas, usando-os prioritariamente para despesas como aluguel, manutenção
e construção de prédios;
• Por aceitarmos o ensino que traz morte nos púlpitos, alimentando as ovelhas com
alimento imundo aos olhos de Deus;
• Por guardarmos conhecimento com vaidade, orgulho e soberba sobre as nossas
cabeças;
• Por não buscarmos o monte de Deus, Sião, e buscarmos o monte da inveja de
ministérios, de outros pastores e irmãos;
• Por líderes que manifestam a maldição de falsa humildade, como o franciscanismo,
que é a falsa imitação de Jesus e que rouba a herança verdadeira em Cristo, propagando
um evangelho incapaz de provocar transformação sobre lugares, cidades e nações, mas
que alimenta a consciência do pobre para pobreza e do rico para riqueza;
• Por realizamos o segundo casamento fora da Palavra, para agradar às pessoas e mantê-
las na congregação, sem guiá-las até a verdade para um novo recomeço em Cristo;
• Por firmarmos alianças com políticos para obtermos riquezas ou posição nos reinos
deste mundo, deixando de ser voz profética nas casas de poder temporal;
• Por toda idolatria do crescimento numérico;
• Por praticarmos e divulgarmos falso avivamento, falsa adoração, falsa intercessão,
falsa unção, falsos dons, falso reino de idolatria, que não tem o Cristo vivo como pedra
angular;
•Prossiga segundo a direção do Espírito Santo.
Pecados da Política
• “Justiça e juízo são a base do teu trono; benignidade e verdade vão adiante de ti.”
Salmos 89.14
1. Arrependemo-nos:

• Por toda impunidade, passividade e tolerância das autoridades da nação que acarretam
derramamento de sangue, violência e vandalismo nos últimos tempos;
• Por toda contaminação gerada nas Instituições e esferas de Governo por consequência
de alianças partidárias e busca alienada por benefícios pessoais e que promoveu um
legado de incapacidade, improdutividade e ineficiência das autoridades de Governo;
• Pela ausência de meios e projetos que possam oferecer políticas públicas mais
eficazes;
• Por ter transformado a Máquina Governamental num sistema inchado e decadente
gerado para o nepotismo político e alienação de profissionais que se prendem à
estabilidade profissional e salários elevados ,abrindo mão de carreiras e profissões;
• Pelas políticas governamentais para moradias, quando não se alcançou o objetivo de
resolver a questão da habitação popular, mas de fato, essas políticas estiveram voltadas
para garantir lucratividade às empresas de construção civil, às corretoras de imóveis, aos
bancos financiadores e aos especuladores imobiliários;
• Pela falta de políticas públicas que estabeleçam uma estratégia educacional clara que
beneficie a grande maioria da população;
• Pela má qualidade e ineficiência dos serviços públicos; pela “gastança”
governamental, pela burocratização da máquina administrativa, pela falta de planos de
carreira com critérios mais justos e definição de metas, fins e competências, com uma
boa relação bilateral entre governo e servidores e uma maior participação popular na
definição das políticas sociais e na fiscalização de sua execução;
• Por esquemas que envolvem diversos níveis de governo em corrupção, com fraudes
em licitações e roubo ao salário público; pela participação de alguns evangélicos nesses
esquemas;
• Pela tomada da Presidência da República por uma cúpula político-partidária,
envolvendo o Congresso Nacional, numa organização criminosa; pelos enormes
escândalos de corrupção dos últimos tempos, evidenciados no atual governo;
• Prossiga segundo a direção do Espírito Santo.

2) Clamamos:
• Clamamos por uma ação direta e emergencial do Espírito Santo no governo, em todo o
sistema de segurança, na sociedade e contra a anarquia, a violência e a corrupção em
todo o Brasil;
• Clamamos que sejam desbaratados os espíritos de anarquia e corrupção que estão
atuando por trás disso tudo. Que haja um desmonte nos planos do inferno contra a
nação;
• Clamamos pelo segredo estratégico de governo para transformação do Executivo,
Legislativo e Judiciário. Que Deus levante Josés e Danieis para os assentos de governo
(Dn 2:18);

• Clamamos para que Deus remova quem Ele quer e estabeleça governantes, autoridades
políticas no Brasil segundo o Seu coração para esse tempo agora;

• Clamamos para que sejam revelados o profundo e o escondido, aquilo que está em
trevas, para que Ele traga a luz sobre o governo do Brasil (Dn 2:22);
• Clamamos para que o SENHOR dê a interpretação daquilo que Ele tem revelado sobre
o propósito Dele para o Brasil, para os estados, para as cidades, para cada membro do
Seu Corpo, sobre o chamado de cada um e das congregações locais;
• Clame ao Senhor por Brasília, por cada Unidade da Federação do Brasil, pelo fim das
assolações nelas (Dn 9:4-20);

• Clamamos para que Deus levante o tabernáculo caído de Davi no Brasil.


• Prossiga segundo a direção do Espírito Santo.

3) Decretamos:
• Que está proibida a instalação da anarquia ou do governo paralelo no País;
• Que o Governo e o controle estão nas mãos de nosso Senhor Jesus Cristo;
• Que todo plano do maligno está frustrado e será transformado em bênção para o nosso
povo e a Nação;
• Que um novo padrão de Governo se levante sobre a Nação brasileira, disposto a ser
um canal do Reino Eterno sobre o Brasil;
• Que uma nova geração de políticos se levante sobre esta nação, forjados no caráter, na
honra e no amor do Senhor;
• Que um senso de responsabilidade e de amor pelo Brasil seja estabelecido sobre cada
bairro, cidade e estado da federação, de maneira que toda a nação se movimente em
unidade e coesão na busca do desenvolvimento comum;
• Que a Política que transforma, cura e edifica lugares seja promovida em cada parte
desta nação;
• Que todos os altares de corrupção, roubo, idolatria e morte, feitos dentro da política,
sejam quebrados e que o Altar que estabelece o Governo de Cristo seja estabelecido
sobre esta nação;
• Que tu escolherás o presidente da república, os senadores, deputados e governadores
do Brasil que serão justos e farão com que o povo se alegre. Provérbios 29.2
• Que seja preservada a unidade entre os cristãos que servem nos ministérios como
apóstolos, profetas, pastores, evangelistas, mestres, nas congregações locais, nas redes
de intercessão, nas torres, salas, casas de oração e nas organizações missionárias por
todo o país, para levantar uma cobertura de oração sobre a nação;
• Que as chamas limpadoras e purificadoras do Espírito Santo (o Espírito purificador)
queimem as impurezas e as obras da carne, havendo um resgate do “levar cada um a sua
cruz e seguir a Cristo” nos membros do Corpo de Cristo na nação, resultando em uma
onda verdadeira de cidadania e santidade;
• Que se arranque a mentalidade de colônia e se estabeleça a mentalidade do Reino de
Deus Que seja paralisado todo saque de riquezas e que essas riquezas sejam destinadas
aos propósitos transformadores.
Prossiga na direção do Espírito Santo.
Termine este tempo estabelecendo um Altar de Adoração e Entrega. Permita o Espírito
Santo trazer um verdadeiro derramamento de Amor, Unção, Graça e Poder e seja Cheio,
em nome de Jesus!!!!!!
• DECRETO – Jó 22.23-27 Aceita, peço-te, a lei da sua boca, e põe as suas palavras no
teu coração. Se te voltares ao Todo-Poderoso, serás edificado; se afastares a
iniqüidade da tua tenda, E deitares o teu tesouro no pó, e o ouro de Ofir nas pedras
dos ribeiros, Então o Todo-Poderoso será o teu tesouro, e a tua prata acumulada.
Porque então te deleitarás no Todo-Poderoso, e levantarás o teu rosto para Deus.
Orarás a ele, e ele te ouvirá, e pagarás os teus votos.