Anda di halaman 1dari 3

Fotografia a cores

James Clerk Maxwell

Nascimento 13 de Junho de 1831


Ed imburgo
Morte 5 de Novembro de 1879 (48 anos )
Cambridge
Naci onali dade Britânico

Prémio(s) Medalha Ru mford (1860)

Um dos problemas iniciais da fotografia (a preto e branco) era a sua sensibilidade às cores.
Desde 1840 existia a preocupação em melhorar a sensibilidade às cores dos filmes a preto e branco. Em
1873 Hermann W. Vogel, fotoquímico alemão, descobriu do processo de sensibilizar o brometo de prata
às radiações verdes e amarelas e em 1884, também às cor de laranja e vermelhas. Este processo,
denominado sensibilização óptica, deu origem em 1873 às primeiras placas ortocromáticas (sensíveis a
todas as radiações, excepto ao verm elho e hipersensíveis à radiação azul).
Em 1869 Louis Ducos du Hauron editou um livro chamado "As cores em Fotografia", em que
teorizava que a partir da teoria da síntese aditiva das cores se poderia chegar à fotografia colorida. Este
processo seria constituído por uma trama de finas linhas de cores primárias que separadas correctamente
das complementares, originariam todas as cores da natureza. No entanto, até à invenção do filme
pancromático (sensível a todas as cores) no início do séc. XX, as placas utilizadas nessas experiências
não eram sensíveis a toda a banda do espectro de radiação, pelo que as tentativas não tiveram sucesso.
Em 1894 o irlandês John Joly realizou uma trama semelhante à de Ducos du Hauron, m as sobre uma
placa de vidro coberta de gelatina. A falta de sensibilidade das placas utilizadas ainda não permitiu
fotografias com grande definição.

O primeiro material a cores comercialmente realizável fundado neste princípio, uma placa de cores
denominada autochrome, As placas autochrome em vidro apresentava as três cores primárias, coberta
com uma camada muito fina de pó negro para preencher os interstícios que pudessem deixar passar a
luz. Sobre esta trama, era colocada uma camada de emulsão pancromática de brometo de prata. O
resultado era um positivo transparente que teve sucesso imediato devido à melhor sensibilidade à cor e à
sua relativa facilidade de revelação.

As teorias de Ducos du Hauron deram assim origem a processos de subtracção de cores. As experiências
baseadas nesta teoria levaram à construção de um aparelho que obtivess e três negativos a cores, assim
como ao melhoramento dos processos de sobreposição de três positivos complementares. Frederick Ives
contribuiu de um modo importante para estas experiências, com a invenção de uma máquina Tripak que
foi comercializada em 1914 com o nome de Hicro Universal.

Actualmente os filmes a cores são oito a dezass eis vezes mais rápidos que os das primeiras versões, a
gama tonal é completa, as sensibilidades muito variáveis, exis tindo películas desde muito lentas a
rapidíssimas, exis tem para todos os formatos (35 mm, médio e grande formato) e o tempo da sua
revelação não se mede em horas, mas em minutos.

Com a vulgarização da fotografia digital, cuja principal vantagem é o "imediatismo" os filmes a cores
es tão a usar-se cada vez menos, mas a sua qualidade ainda é muito superior à da imagem digital,
notando-se especialmente nas ampliações, onde a imagem digital perde muita qualidade.