Anda di halaman 1dari 1

Estudo de Caso PHILIP MORRIS DO BRASIL

A Philip Morris do Brasil foi uma das ganhadoras do IV Prêmio ABML de Logística na categoria sistemas de
embalagem e unitização de cargas. A solução da empresa fabricante de cigarros compreendeu suas providencias
de reunitização de embalagens. A distribuição física de cigarros, muito pulverizada, reúne elevado número de
entregas por veículo. A empresa prepara 3 mil pedidos por dia só na capital paulista. Isto gera uma compra e
consumo elevado de caixas de papelão ondulado para a consolidação dos pedidos (para 10 pacotes e 25 pacotes).

Após vários estudos, desenvolveu-se um sistema para reutilização das próprias caixas de papelão ondulado
provenientes da fábrica, que comportavam 50 pacotes de um mesmo produto e que eram descartadas no centro
de distribuição. O reaproveitamento foi feito a partir de uma máquina de corte, que transforma caixas originárias
da fábrica em caixas menores, adequadas a embalagem de pedidos com 10 e 25 pacotes. A empresa adotou
também programa para estimular a devolução de caixas utilizadas pelo varejo. Destacam-se entre os resultados
“pay-back” de 4 meses, redução anual de despesas na ordem de 150mil e redução de descarte de papelão
ondulado.

1.Em sua opinião como deve ser o sistema de expedição no centro de distribuição da empresa.

2. Como a empresa pode aumentar a devolução das caixas pelos varejistas? Como o enfoque ambiental (logística
reversa) e de responsabilidade social poderiam ajudar a convencer os varejistas?

Estudo de Caso PHILIP MORRIS DO BRASIL

A Philip Morris do Brasil foi uma das ganhadoras do IV Prêmio ABML de Logística na categoria sistemas de
embalagem e unitização de cargas. A solução da empresa fabricante de cigarros compreendeu suas providencias
de reunitização de embalagens. A distribuição física de cigarros, muito pulverizada, reúne elevado número de
entregas por veículo. A empresa prepara 3 mil pedidos por dia só na capital paulista. Isto gera uma compra e
consumo elevado de caixas de papelão ondulado para a consolidação dos pedidos (para 10 pacotes e 25 pacotes).

Após vários estudos, desenvolveu-se um sistema para reutilização das próprias caixas de papelão ondulado
provenientes da fábrica, que comportavam 50 pacotes de um mesmo produto e que eram descartadas no centro
de distribuição. O reaproveitamento foi feito a partir de uma máquina de corte, que transforma caixas originárias
da fábrica em caixas menores, adequadas a embalagem de pedidos com 10 e 25 pacotes. A empresa adotou
também programa para estimular a devolução de caixas utilizadas pelo varejo. Destacam-se entre os resultados
“pay-back” de 4 meses, redução anual de despesas na ordem de 150mil e redução de descarte de papelão
ondulado.

1.Em sua opinião como deve ser o sistema de expedição no centro de distribuição da empresa.

2. Como a empresa pode aumentar a devolução das caixas pelos varejistas? Como o enfoque ambiental (logística
reversa) e de responsabilidade social poderiam ajudar a convencer os varejistas?