Anda di halaman 1dari 2

EMENTAS DE DECISÕES SOBRE CONFLITO APARENTE DE NORMAS

CORRUPÇÃO PASSIVA. NÃO CARACTERIZAÇÃO. CRIME CONTRA A ORDEM


TRIBUTÁRIA. FISCAL DE TRIBUTOS. SOLICITAÇÃO DE VANTAGEM
INDEVIDA. LEI 8.137/90, ART. 3º, II. SUJEITO ATIVO DO DELITO. CONFLITO
APARENTE DE NORMAS. CÓDIGO PENAL E LEI ESPECÍFICA SOBRE DELITOS
TRIBUTÁRIOS. PRINCÍPIO DA ESPECIALIZAÇÃO. APLICABILIDADE. O fiscal de
tributos que solicita vantagem indevida para deixar de cumprir sua obrigação comete crime
contra a ordem tributária, devendo ser incurso nas sanções da Lei 8.137/90, art. 3º, II, e não
nas do CP, art. 317, uma vez que este dispositivo prevê como agente servidor de qualquer
natureza, enquanto que a Lei 8.137/90 destaca como sujeito ativo do delito apenas e tão-
somente aquele funcionário público responsável pelo lançamento ou cobrança de tributos,
modificando para estes a imposição de pena. Mister, pois, que, reconhecida a infração em
desfavor da ordem tributária, deva ser aplicada a sanção correspondente. O conflito
aparente de normas se resolve pela aplicação do princípio da especialização, de modo
que a lei posterior, específica sobre delitos tributários praticados contra a Fazenda Pública,
deve ser aplicada em lugar da norma constante do CP. (TJMG - ACr 139.734/8 - Rel.
Desemb. José Arthur - DJ 29.10.1999)

ESTELIONATO - VÁRIAS CONDUTAS - CRIMES VINCULADOS PELAS


CONDIÇÕES DE LOCAL, TEMPO E MODO DE EXECUÇÃO - PLURALIDADE DE
VÍTIMAS - CONTINUIDADE DELITIVA - RECONHECIMENTO - ART. 71 DO
CÓDIGO PENAL - APLICAÇÃO - PROPÓSITO DO AGENTE - VANTAGEM ILÍCITA
EM PREJUÍZO ALHEIO - CRIME-MEIO - USO DE DOCUMENTO FALSO -
ABSORÇÃO PELO DELITO DO ART. 171 DO CP - CONFLITO APARENTE DE
NORMAS - PRINCÍPIO DA CONSUNÇÃO - APLICABILIDADE - Se vários são os
crimes da mesma espécie praticados, inclusive idênticos entre si (estelionatos), estando
todos vinculados pelas condições de local, tempo e modo de execução, ainda que haja
pluralidade de vítimas, a hipótese é de continuidade delitiva, sendo de se aplicar a regra
insculpida no art. 71 do Código Penal. O crime de uso de documento falso é absorvido pelo
delito de estelionato, previsto no artigo 171 do CP, quando a falsificação e o uso do
documento se exaurem por completo no próprio estelionato, caracterizando-se como meio
para a consecução deste, sem mais qualquer potencialidade lesiva por si só. Se o uso de
documento falso tem a finalidade de obter vantagem ilícita, mediante artifício, erro ou
fraude, em prejuízo alheio, desaparece a ilicitude penal desse fato, porque ele se
constitui em crime-meio para a prática do estelionato, sendo por este absorvido. Em
tais casos, aplica-se o princípio da consunção, uma das modalidades previstas no
ordenamento penal pátrio para a solução do conflito aparente de normas. (TJMG -
ACrim. 259.027-1/00 - 3ª C. Crim. - Rel. Des. Odilon Ferreira - DJMG 06.12.2002)

RECEPTAÇÃO - ABSORÇÃO DE EVENTUAL CRIME PREVISTO NO ART. 180,


CAPUT, DO CP, PELA PRÁTICA, EM TESE, DO DELITO DE PORTE DE ARMA DE
FOGO - IMPOSSIBILIDADE - HIPÓTESE - É impossível falar-se em absorção do
eventual crime de receptação pela prática, em tese, do delito de porte de arma de fogo,
quando os fatos, completamente diversos, ocorrem em contextos fáticos distintos, não
existindo atos integrantes da mesma conduta, máxime se o processo encontra-se em fase de
recebimento da inicial, não havendo, portanto, conflito aparente de normas.
(TACRIMSP - Recurso em Sentido Estrito nº 1.384.229/8 - 2ª Câm. - Relator: Osni de
Souza - J. 11.12.2003)
CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - LESÃO CORPORAL CULPOSA -
ACIDENTE DE TRÂNSITO - ENTREGA DA DIREÇÃO DE VEÍCULO A PESSOA
INABILITADA - CONFLITO APARENTE DE NORMAS - PRINCÍPIO DA
CONSUNÇÃO - Há conflito aparente de normas quando uma mesma conduta infracional
se encontra prevista em mais de uma norma penal incriminadora, devendo o operador
jurídico valer-se de princípios lógicos e processos de valoração jurídica do fato, a fim de
atribuir ao agente a tipificação exata em que se encontrar incurso. Assim, se da entrega da
direção de veículo automotor a pessoa inabilitada resultar lesão corporal culposa em
terceiro, haverá concurso aparente de normas penais a ser resolvido pela aplicação do
princípio da consunção, em que o agente responderá apenas pelo crime mais grave de dano,
pois, embora se vislumbre a ocorrência de duas figuras penais, em que a primeira
comparece como meio para a execução de outro fato típico preponderante em face do bem
jurídico lesado, tem-se que, na relação entre essas condutas criminosas e independentes, se
deve aplicar o princípio maior absorvet minorem. (TAMG - ACrim. 405.764-7 - 1ª C. mista
- Rel. Juiz William Silvestrini - DJMG 02.03.2004)
Ref. Legislativa Lei nº 9503-97

CONFLITO APARENTE DE NORMAS. INEXISTÊNCIA. EMBARGOS DE


DECLARAÇÃO. 1. O conflito aparente de normas ocorre quando houver mais de um
preceito penal que sancione uma única conduta, hipótese em que será dirimido pelos
conhecidos critérios de especialidade, subsidiariedade e consunção. 2. Não há conflito
aparente de normas entre o roubo de veículo e o roubo à agência bancária, pois este pode
ser cometido sem que o agente tenha praticado aquele, o qual não é crime-meio, ainda que
cometido com a finalidade de perpetrar o segundo delito. 3. Os embargos de declaração não
são recurso predestinado à rediscussão da causa. Servem para integrar o julgado,
escoimando-o de vícios que dificultam sua compreensão ou que privam a parte de obter o
provimento jurisdicional em sua inteireza, congruentemente ao que fora postulado na
pretensão inicial. 4.Inexistência de omissão. 5. O acórdão apreciou todas as questões
suscitadas no recurso. 6. Embargos de declaração desprovidos. (TRF3ª R. - EDcl
1999.03.00.011798-0 - RVCR 296 - 1ª S. - Rel. Desemb. Fed. André Nekatschalow - DJ
27.09.2007)