Anda di halaman 1dari 4

Colégio Planeta Lista

Prof.: Ruberpaulo Lista de Língua Portuguesa Data: 24 / 02 / 2012 02


Aluno(a): Semiextensivo Turma: Turno: Mat. / Vesp. e Not.

01 - A letra de "Pé Cascudo" constitui-se de procedimentos Pra dá conta da empreitada.


versificatórios bastante uniformes e regulares, os quais a Pego moda por empreita
aproximam, em muitos casos, da chamada "literatura oficial": são Pra inventá e pôr toada,
estrofes em décimas (10 versos em cada estrofe), com rimas Invento moda na linha
alternando versos brancos em versos pares rimados, e Nos campeão dano lambada.
metrificação heptassílaba (7 sílabas métricas em cada verso), de ..................................................
acordo com os padrões da redondilha maior. Releia atentamente
a letra dessa moda-de-viola e, a seguir: Quando eu entro no salão
Com minha viola afinada,
A) Cite dois versos ou dois trechos em que o poeta fala de sua Eu canto uma moda arta
"inventividade" ou da condição de "artífice" do bom violeiro. E muito bem expricada,
B) Cite um trecho de Haroldo de Campos que serviria como Dizeno que eu não insurto
comentário concordante com as citações que você Mas topo quarqué parada.
apresentou no item "a". Tenho feito pé-cascudo
Saí pisando na geada,
02 - Saí derrubano orvaio
Com a carcinha arregaçada.
Manuel Bandeira escreve:
Nas festa que eu chego e canto,
"A vida não me chegava pelos jornais Moça fica arvoroçada.
nem pelos livros Na cozinha eu escuito
Vinha da boca do povo na língua errada O zunzum das muié casada,
do povo Tão gavano as minha moda
Língua certa do povo Por tê palavra apertada.
Porque ele é que fala gostoso o português Os campeão fica num canto,
do Brasil. Tudo o povo dão risada
Ao passo que nós Ele sai devagarinho
O que fazemos Corre quando pega a estrada.
É macaquear
A sintaxe lusíada." (Pé Cascudo, moda-de-viola de Oscar Martins e Vieira, in "Som da Terra –
Vieira & Vieirinha". CD 994902-2, Warner Music Brasil, 1994.)
(Evocação do Recife, in "Libertinagem. Poesia Completa e Prosa").
Manuel Bandeira, no fragmento de "Evocação do Recife", e
Haroldo de Campos escreve: Haroldo de Campos, no comentário que aparece no encarte do
CD e no fragmento de "Circuladô de Fulô", do mesmo disco,
"Defesa da inventividade popular ('o povo é o inventa- enfocam a espontaneidade da "língua do povo" e aspectos da
línguas', Maiakóvski) contra os burocratas da sensibilidade, que inventividade presentes na arte popular. Releia ambos os textos
querem impingir ao povo, caritativamente, uma arte oficial, de e, a seguir:
'boa consciência', ideologicamente retificada, dirigida".
A) Cite pelo menos um trecho de cada autor em que criticam e
E acrescenta: denunciam nosso preconceito e desapreço às formas
populares de expressão.
"Mas o povo cria, mas o povo engenha, mas o povo B) Cite um trecho de Manuel Bandeira que focaliza o aspecto
cavila. O povo é o inventa-línguas, na malícia da mestria, no de oralidade na comunicação, tão característico da
matreiro da maravilha. O VISGO do improviso, tateando a literatura popular.
travessia, azeitava o eixo do sol... O povo é o melhor artífice".
03 -
(Circuladô de Fulô, in "Isto não é um livro de viagem. 16 fragmentos de 'Galáxias'".
CD gravado no Nosso Estúdio - São Paulo para Editora 34 [Rio de Janeiro], 1992.) Cidadezinha qualquer

Vieira (Rubens Vieira Marques, Itajobi-sp,1926) escreve: Casas entre bananeiras


mulheres entre laranjeiras
Vai chegano o mês de agosto pomar amor cantar
A tarde fica embaçada
Passarinho canta triste Um homem vai devagar.
A curianguinha e urutaga. Um cachorro vai devagar.
Gavião encorujado Um burro vai devagar.
Dorme nas arta copada,
Devagar... as janelas olham.
Nambuzinho pia triste
Dano vorta nas paiada, Eta vida besta, meu Deus
Meu coração amagoa
Dá dolorosas pancada. A) A mesma oração repete-se nos versos 4, 5 e 6, mudando
apenas o sujeito. Exponha, com base no próprio poema, a
Nesse tempo tudo forga intenção contida tanto na mudança quanto na repetição.
Só minha vida é apertada. B) Ainda nesses versos, a oração mantém a mesma ordem de
O povo diz que não acha construção, invertendo-a no 7º verso. Explique a
Serviço de camarada. consequência da inversão na visão que se oferece da
Eu trabaio até de noite cidadezinha.
04 - Sobre o Texto é incorreto afirmar:
Capítulo VII
A) O vocabulário usado é rebuscado, estabelecendo um traço
Figura, Vestido, E Outras Coisas Do Homem. de união com a poética parnasiana.
Assim que os personagens dos romances começam a B) Este é um exemplo de poema-piada, próprio do
ganhar a estima ou aversão de quem lê, vem logo ao leitor a Modernismo (1 fase), que desdenha das tradições e
vontade de compor a fisionomia do personagem plasticamente. opressões.
Se o narrador lhe dá o bosquejo, a imaginativa do leitor C) O nacionalismo exacerbado desta fase está presente no
aperfeiçoa o que sai muito em sombra e confuso no informe tratamento do tema da descoberta do Brasil,
debuxo do romancista. Porém, se o descuido ou propósito deixa menosprezando a ação civilizatória do elemento europeu.
ao alvedrio de quem lê imaginar as qualidades corporais de um D) O tom coloquial e irreverente do texto endossa uma crítica
sujeito importante como Calisto Elói, bem pode ser que a intuição ao formalismo vigente na sociedade brasileira, até então.
engenhosa do leitor adivinhe mais depressa e ao certo a figura do E) A ruptura com a poesia tradicional e com a estética
homem, que se lhe a descrevessem com abundância de relevos e acadêmica evidencia-se na ausência de métrica e de rima,
rara habilidade no estampá-los na fantasia estranha. e na adoção do verso livre.
Não devo ater-me à imaginação do leitor neste grave
caso. Calisto Elói não é a figura que pensam. Estou a adivinhar 08 -
que o enquadraram já em molde grotesco, e lhe deram a idade
que costuma autorizar, mormente no congresso dos legisladores, Meu caro deputado
os desconcertos do espírito, exemplificados pelo deputado por
Miranda. Dei azo à falsa apreciação, por não antecipar o esboço O senhor nem pode imaginar o quanto eu e a minha
do personagem. família ficamos agradecidos. A gente imaginava que o senhor
nem ia se lembrar de nós, quando saiu a nomeação do
(Castelo Branco, Camilo. A QUEDA DUM ANJO in Obra Seleta) Otavinho meu filho. Ele agora está se sentindo outro. Só fala no
senhor, diz que na próxima campanha vai trabalhar ainda mais
Embora seja bastante frutífera a consulta ao dicionário, em muitos para o senhor. No primeiro dia de serviço ele queria ir na
casos não temos necessidade de buscar os significados de certas repartição com a camiseta da campanha mas eu não deixei,
palavras ou expressões, pois é possível entendê-los no contexto. não ia ficar bem, apesar que eu acho que o Otavinho tem muita
Com base nesta observação, releia o trecho de Camilo e, a capacidade e merecia o emprego. Pode mandar puxar por ele
seguir: que ele dá conta, é trabalhador, responsável, dedicado, a
educação que ele recebeu de mim e da mãe foi sempre no
A) Escreva os significados de "bosquejo" e "alvedrio". caminho do bem.
B) Cite a frase do segundo parágrafo em que o narrador admite Faço questão que na próxima eleição o senhor mande
que, por não ter dado o bosquejo de Calisto Elói, ofereceu ao mais material que eu procuro todos os amigos e os conhecidos.
leitor o ensejo de um entendimento errado do personagem. O Brasil precisa de gente como o senhor, homens de reputação
despojada, com quem a gente pode contar. Meu vizinho
05 - Otacílio, a mulher, os parentes todos também votaram no
senhor. Ele tem vergonha, mas eu peço por ele, que ele
"Ele é o homem, eu sou apenas uma mulher."
merece: ele tem uma sobrinha, Maria Lúcia Capistrano do
Amara, que é professora em Capão da Serra e é muito
Nesses versos, reforça-se a oposição entre os termos 'homem' e
adoentada, mas o serviço de saúde não quer dar
'mulher'.
aposentadoria. Posso lhe garantir que a moça está mesmo sem
condições, passa a maior parte do tempo com dores no peito e
A) Identifique os recursos linguísticos utilizados para provocar
na coluna que nenhum médico sabe o que é. Eu disse que ia
esse reforço.
falar com o senhor, meu caro deputado, não prometi nada, mas
B) Explique por que esses recursos causam tal efeito.
o Otavinho e a mulher tem esperanças que o senhor vai dar um
06 - jeitinho. É gente muito boa e amiga, o senhor não vai se
arrepender.
"Antes bonita, olhos de viva mosca, morena mel e pão. Mais uma vez obrigado por tudo, Deus lhe pague. O
Aliás, casada. Sorriram-se e viram-se. Era infinitamente maio e Jó Otavinho manda um abraço para o senhor. Aqui vai o nosso
Joaquim pegou o amor. Enfim entenderam-se, voando o mais em abraço também. O senhor pode contar sempre com a gente.
ímpeto de nau tangida pelo vento. Mas, tudo tendo que ser
secreto, claro, coberto de sete capas." Miroel Ferreira (Miré)
(Guimarães Rosa)
O autor dessa carta tem como principais objetivos:
O que não se pode deduzir ao Texto?
A) informar sobre a família, parabenizar pela vitória política e
A) Há uma relação de amor proibido. dar testemunho de afetividade.
B) Narra uma cena entre dois personagens. B) agradecer uma nomeação, cobrar realização de antiga
C) A narração é feita em 3 pessoa, com narrador onisciente. promessa e condicionar seu empenho futuro ao
D) ALIÁS introduz uma interdição para o relacionamento. cumprimento desta.
E) Porque se entenderam bem, viajaram sem destino, tangidos C) reforçar um vinculo de favores, fazer novo pedido e garantir
pelo vento. seus préstimos.
D) demonstrar gratidão, hipotecar solidariedade e manifestar
07 - confiança na imparcialidade do destinatário.
Erro de português E) reforçar um vinculo afetivo, interpretar a aspiração de sua
classe profissional e lembrar os bons serviços prestados.
Quando o português chegou
Debaixo de uma bruta chuva Texto referente às questões 09 e 10.
Vestiu o índio
Que pena! Conheci que Madalena era boa em demasia, mas não
Fosse uma manhã de sol conheci tudo de uma vez. Ela se revelou pouco a pouco, e
O índio tinha despido nunca se revelou inteiramente. A culpa foi minha, ou antes, a
o português. culpa foi desta vida agreste, que me deu uma alma agreste.
(Oswald de Andrade)
E, falando assim, compreendo que perco o tempo. Com Há um grande silêncio. Estamos em julho. O nordeste
efeito, se me escapa o retrato moral de minha mulher, para que não sopra e os sapos dormem. Quanto às corujas, Marciano
serve esta narrativa? Para nada, mas sou forçado a escrever. subiu ao forro da igreja e acabou com elas a pau. E foram
Quando os grilos cantam, sento-me aqui à mesa da sala tapados os buracos de grilos.
de jantar, bebo café, acendo o cachimbo. Às vezes as idéias não Repito que tudo isso continua a azucrinar-me.
vêm, ou vêm muito numerosas - e a folha permanece meio O que não percebo é o tique-taque do relógio. Que
escrita, como estava na véspera. Releio algumas linhas, que me horas são? Não posso ver o mostrador assim às escuras.
desagradam. Não vale a pena tentar corrigi-las. Afasto o papel. Quando me sentei aqui, ouviam-se as pancadas do pêndulo,
Emoções indefiníveis me agitam - inquietação terrível, ouviam-se muito bem. Seria conveniente dar corda ao relógio,
desejo doido de voltar, tagarelar novamente com Madalena, como mas não consigo mexer-me.
fazíamos todos os dias, e esta hora. Saudade? Não, não é isto: é
(Ramos, Graciliano, SÃO BERNARDO, Rio de Janeiro, Record, 1989)
desespero, raiva, um peso enorme no coração.
Procuro recordar o que dizíamos. Impossível. As minhas
09 -
palavras eram apenas palavras, reprodução imperfeita de fatos
exteriores, e as dela tinham alguma coisa que não consigo
"Agitam-se em mim sentimentos inconciliáveis: encolerizo-me e
exprimir. Para senti-las melhor, eu apagava as luzes, deixava que
enterneço-me: bato na mesa e tenho vontade de chorar."
a sombra nos envolvesse até ficarmos dois vultos indistintos na
escuridão.
Momento central do texto em questão, ajuda a compreender a
Lá fora os sapos arengavam, o vento gemia, as árvores
personalidade e Paulo Honório, personagem-narrador do
do pomar tornavam-se massas negras.
- Casimiro! romance. Podemos dizer que se trata de:
Casimiro Lopes estava no jardim, acocorado ao pé da
A) personagem fraca, abatida pelas circunstâncias.
janela, vigiando.
B) personalidade rica de humanidade, que se perturba diante
- Casimiro!
A figura de Casimiro Lopes aparece à janela, os sapos da adversidade.
gritam, o vento sacode as árvores, apenas visíveis na treva. Maria C) personalidade complexa, perturbada diante dos
das Dores entra e vai abrir o comutador. Detenho-a: não quero acontecimentos.
D) homem forte, revoltado contra tudo e contra todos.
luz.
O tique-taque do relógio diminui, os grilos começam a E) homem sentimental e lírico, incapaz de conciliar os próprios
cantar. E Madalena surge no lado de lá da mesa. Digo baixinho: sentimentos.
- Madalena!
10 -
A voz dela me chega aos ouvidos. Não, não é aos
ouvidos. Também já não a vejo com os olhos.
"A voz dela me chega aos ouvidos. Não, não é aos ouvidos.
Estou encostado na mesa, as mãos cruzadas. Os
Também já não a vejo com os olhos."
objetos fundiram-se, e não enxergo sequer a toalha branca.
- Madalena...
A voz de Madalena continua a acariciar-me. Que diz ela? A leitura atenta do texto permite dizer que:
Pede-me naturalmente que mande algum dinheiro a mestre
Caetano. Isto me irrita, mas a irritação é diferente das outras, é A) em virtude de sua perturbação psicológica, o narrador não
consegue recordar com nitidez os acontecimentos.
uma irritação antiga, que me deixa inteiramente calmo. Loucura
estar uma pessoa ao mesmo tempo zangada e tranquila. Mas B) é puro jogo de palavras sem outra intenção que a de
estou assim. Irritado contra quem? Contra mestre Caetano. Não confundir aos acontecimentos.
obstante ele ter morrido, acho bom que vá trabalhar. Mandrião! C) a confusão provocada pelo estado de choque do narrador
possibilita a recuperação da consciência.
A toalha reaparece, mas não sei se é esta toalha que
tenho sobre as mãos cruzadas ou a que estava aqui há cinco D) fragilizada, a personagem não consegue operar a distinção
anos. entre real e imaginário.
Rumor do vento, dos sapos, dos grilos. A porta do E) tudo é possível no estado de convulsão em que se
encontra o mundo do narrador.
escritório abre-se de manso, os passos de seu Ribeiro afastam-
se. Uma coruja pia na torre da igreja. Terá realmente piado a
11 -
coruja? Será a mesma que piava há dois anos? Talvez seja até o
mesmo pio daquele tempo.
"Alguns anos vivi em Itabira
Agora seu Ribeiro esta conversando com D. Glória no
Principalmente nasci em Itabira
salão. Esqueço que eles me deixaram e que esta casa está quase
POR ISSO sou triste, sou orgulhoso: de ferro."
deserta.
- Casimiro! (Carlos Drummond de Andrade).
Penso que chamei Casimiro Lopes. A cabeça dele, com
o chapéu de couro de sertanejo, assoma de quando em quando à Observe que o verso final do fragmento expressa uma
janela, mas ignoro se a visão que me dá é atual ou remota. conclusão. Em quais dos itens a oração em maiúsculo
Agitam-se em mim sentimentos inconciliáveis: encole- apresenta a mesma idéia conclusiva?
rizo-me e enterneço-me; bato na mesa e tenho vontade de chorar.
Aparentemente estou sossegado: as mãos continuam I.
cruzadas sobre a toalha e os dedos parecem de pedra. Entretanto "Penso, LOGO EXISTO"
ameaço Madalena com o punho. Esquisito. (Descartes)
Distingo no ramerrão da fazenda as mais insignificantes
minudências. Maria das Dores, na cozinha, dá lição ao papagaio. II.
Tubarão rosna acolá no jardim. O gado muge no estábulo. "Eu possa me dizer do amor (que tive): Que seja imortal,
O salão fica longe: para irmos lá temos de atravessar um POSTO QUE É CHAMA..."
corredor comprido. Apesar disso a palestra de seu Ribeiro e D. (Vinícius de Moraes)
Glória é bastante clara. A dificuldade seria reproduzir o que eles
dizem. É preciso admitir que estão conversando sem palavras. III.
Padilha assobia no alpendre. Onde andará Padilha? " Lutar com palavras
Se eu convencesse Madalena de que ela não tem é a luta mais vã.
razão... Se lhe explicasse que é necessário vivermos em paz... ENTANTO LUTAMOS
Não me entende. Não nos entendemos. O que vai acontecer será mal rompe a manhã."
(Carlos Drummond de Andrade)
muito diferente do que esperamos. Absurdo.
IV. Os elementos referidos pelos pronomes "que" e "que", entre
"Eu canto PORQUE O INSTANTE EXISTE aspas no texto, são, respectivamente:
E a minha vida está completa."
(Cecília Meireles) A) caráter maniqueísta - droga.
B) as drogas - a discussão.
V. C) a questão da descriminalização das drogas - problema
"... DEVO PEDIR, POIS, À CIÊNCIA, que me explique extremamente complexo.
o que é a vida ..." D) frequentes simplificações de caráter maniqueísta - a droga.
(Émile Zola)
E) a descriminalização - caráter maniqueísta.
Estão corretos apenas os itens: 13 - Analise:
A) I, II e III.
"Acreditemos ou não nos dogmas, é preciso reconhecer que
B) IV e V.
seus dirigentes são obedecidos porque um Deus fala através de
C) I e V.
sua boca"
D) II, III e IV.
E) I, III e IV.
O verbo que encabeça a frase está no subjuntivo presente por
expressar idéia de:
12 -
A) sucessão de dois fatos reciprocamente exclusivos.
A questão da descriminalização das drogas se presta a
B) sucessão de dois fatos reciprocamente inclusivos.
frequentes simplificações de caráter maniqueísta, que acabam
C) sucessão de dois ou mais fatos com idéia de dúvida.
por estreitar um problema extremamente complexo,
D) sucessão de vários fatos que são causas.
permanecendo a discussão quase sempre em torno da droga que
E) sucessão de dois fatos que são efeitos.
está mais em evidência.
Vários aspectos relacionados ao problema (abuso das
14 - Leia atentamente o texto a seguir.
chamadas drogas lícitas, como medicamentos, inalação de
solventes, etc.) ou não são discutidos, ou não merecem a devida
A "Divisão da Fauna da Secretaria do Verde e Meio
atenção. A sociedade parece ser pouco sensível, por exemplo,
Ambiente de São Paulo" mantém um serviço para tratar de
aos problemas do alcoolismo, que representa a primeira causa de
animais silvestres que estejam doentes ou machucados.
internação da população adulta masculina em hospitais
Deseja-se cuidar dos animais para que fiquem bons e
psiquiátricos. Recente estudo epidemiológico realizado em São
possam ser devolvidos ao seu ambiente. A diretora diz que,
Paulo apontou que 8% a 10% da população adulta apresentavam
muitas vezes, as pessoas confundem passarinhos que estão
problemas de abuso ou dependência de álcool. Por outro lado, a
aprendendo a voar com aqueles que foram abandonados ou
comunidade mostra-se extremamente sensível ao uso e abuso de
caíram do ninho. Sabe-se que quando o passarinho estiver no
drogas ilícitas, como maconha, cocaína, heroína, etc.
chão, mas com os olhos abertos e penagem completa, na
Dois grupos mantêm acalorada discussão. O primeiro
maioria das vezes está sadio, apenas aprendendo a voar.
acredita que somente penalizando traficantes e usuários pode-se
Um biólogo explica às pessoas que gostam de acordar
controlar o problema, atitude essa centrada, evidentemente, em
ouvindo um bem-te-vi, um sabiá, ou mesmo um alma-de-gato,
aspectos repressivos.
que não é nada difícil atraí-los para sua casa, sem precisar
Essa corrente atingiu o seu maior momento logo após o
aprisioná-los: basta deixar água, restos de frutas e também
movimento militar de 1964. Seus representantes acreditam, por
sementes, como o alpiste, em locais suspensos e ao ar livre.
exemplo, que "no fim da linha" usuários fazem sempre um
O departamento pode ser contactado pelos telefones
pequeno comércio, o que, no fundo, os igualaria aos traficantes,
885-6669 e 574-5177, ramal 217.
dificultando o papel da Justiça. Como solução, apontam, com
frequência, para os reconhecidamente muito dependentes,
programas extensos a serem desenvolvidos em fazendas de A única frase do texto que mantém como referente o segmento
recuperação, transformando o tratamento em um programa "A Divisão da Fauna da Secretaria do Verde e Meio Ambiente
agrário. de São Paulo" é:
Na outra ponta, um grupo "neoliberal" busca uma
solução nas regras do mercado. Seus integrantes acreditam que, A) Deseja-se cuidar dos animais para que fiquem bons e
liberando e taxando essas drogas através de impostos, poderiam possam ser devolvidos ao seu ambiente.
neutralizar seu comércio, seu uso e seu abuso. As experiências B) A diretora diz, que, muitas vezes, as pessoas confundem
dessa natureza em curso em outros países não apresentam passarinhos que estão aprendendo a voar, com aqueles
resultados animadores. que foram abandonados ou caíram do ninho.
Como uma terceira opção, pode-se olhar a questão C) Sabe-se que, quando o passarinho estiver no chão, mas
considerando diversos ângulos. O usuário eventual não necessita com os olhos abertos e com a penagem completa, na
de tratamento, deve ser apenas alertado para os riscos. O maioria das vezes está sadio, apenas aprendendo a voar.
dependente deve ser tratado, e, para isso, a descriminalização do D) Um biólogo explica às pessoas que gostam de acordar
usuário é fundamental, pois facilitaria muito seu pedido de ajuda. ouvindo um bem-te-vi, um sabiá, ou mesmo um alma-de-
O traficante e o produtor devem ser penalizados. Quanto ao gato, que não é nada difícil atraí-los para a sua casa, sem
argumento de que usuários vendem parte do produto: é fruto de precisar aprisioná-los: basta deixar água, restos de frutas e
desconhecimento de como se dão as relações e as trocas entre também sementes, como o alpiste, em locais suspensos e
eles. ao ar livre.
Duplamente penalizados, pela doença (dependência) e E) O departamento pode ser contactado pelos telefones 885-
pela lei, os usuários aguardam melhores projetos, que cuidem 6669 e 574-5177, ramal 217.
não só dos aspectos legais, mas também dos aspectos de saúde
que são inerentes ao problema.
(Adaptado de Marcos P. T. Ferraz, "Folha de São Paulo")

A questão da descriminalização das drogas se presta a


frequentes simplificações de caráter maniqueísta, "que" acabam
por estreitar um problema extremamente complexo,
permanecendo a discussão quase sempre em torno da droga
"que" está mais em evidência.