Anda di halaman 1dari 7
Organizações de Terceiro Setor P ROF . D R . R AFAEL C OSTA F REIRIA

Organizações de Terceiro

Setor

PROF. DR. RAFAEL COSTA FREIRIA E-MAIL: RAFAELFREIRIA@FT.UNICAMP.BR

Organizações do Terceiro Setor ou Organizações Não Governamentais (ONGs), as entidades de interesse social sem fins lucrativos, como as associações e as fundações de direito privado (legalmente instituídas por estatuto), com autonomia e administração própria, cujo objetivo é o atendimento de alguma necessidade social ou a defesa de direitos coletivos e emergentes.”

FRANÇA, José Antônio de. Manual de Procedimentos para o Terceiro

Setor: aspectos de gestão e de contabilidade para entidades de interesse social / José Antônio de França (coordenador); Álvaro

Pereira de Andrade

....

[et al]. - - Brasilia: CFC : profis, 2015.

Art. 2°, I - organização da sociedade civil:

a) entidade privada sem fins lucrativos que não distribua entre os seus sócios ou associados, conselheiros, diretores,

empregados, doadores ou terceiros eventuais resultados, sobras,

excedentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos, isenções de qualquer natureza, participações ou parcelas do seu patrimônio, auferidos mediante o exercício de suas atividades, e

que os aplique integralmente na consecução do respectivo objeto social, de forma imediata ou por meio da constituição de fundo patrimonial ou fundo de reserva;

Qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) LEI FEDERAL N o 9.790, DE 23 DE MARÇO DE 1999.

Art. 1 o Podem qualificar-se como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público as pessoas

jurídicas de direito privado sem fins lucrativos que tenham sido constituídas e se encontrem em funcionamento regular há, no mínimo, 3 (três)

anos, desde que os respectivos objetivos sociais e

normas estatutárias atendam aos requisitos instituídos por esta Lei.

Empreendedorismo

Sustentável

Empreendedorismo:

“Processo Evolutivo e Inovador da capacidade e habilidade profissionais direcionadas a alavancar os resultados das organizações e à consolidação de novos projetos estrategicamente relevantes.”

OLIVEIRA, D. P. R. Introdução à Administração. São Paulo: Atlas,

2009.

Empreendedorismo Sustentável:

“Identificação de inovações para alcançar objetivos

ambientais e/ou sociais e sua implantação por meio de criação de empresas ou de reorientação radical do modelo

de negócio de organizações já existentes. (…) Compreende questões sociais, ambientais e econômicas.

GAVIRA, M. O. e outros. Administração e Gestão Sustentável. São Carlos: RiMa editora, 2017.