Anda di halaman 1dari 24

Alongamento e

Flexibilidade

1
Autor(a): Valéria Gil de Souza.
1ª Edição – 2011

Alongamento e Flexibilidade

Todos os direitos desta edição são reservados à Cresça Brasil Editora S/A.
É proibida a reprodução total ou parcial por quaisquer meios, sem autorização escrita da Editora.

ISBN: 978-85-65110-36-5

_______________________________________________________________________________________________

Cresça Brasil Editora S/A

Rua Jaime Santos, 530 – Jardim Aeroporto - Alfenas/MG – CEP 37130.000


Atendimento: 0800 722 0226
www.crescabrasil.com.br
sac@crescabrasil.com.br

2
Sumário
Apresentação.....................................................................................4

Introdução..........................................................................................5

Capítulo 1- A Flexibilidade

1.1 Conceitos de Flexibilidade....................................................6


1.2 Classificação da Flexibilidade...............................................7
1.3 Fatores que determinam o nível de manipulação da
flexibilidade.................................................................................7
1.4 Importância da flexibilidade..................................................9

Capítulo 2 - O Alongamento

2.1 Conceitos de Alongamento Muscular.....................................10


2.2 Classificação de Alongamento..............................................11
2.3 Benefícios gerais do Alongamento........................................12
2.4 Formas de execução e contraindicações................................13

Capítulo 3 – Flexibilidade e alongamento aplicados na prática

3.1 Alongamentos para gestantes..............................................14


3.2 Alongamentos para idosos...................................................18
3.3 Alongamentos para atletas de final de semana........................19
3.4 Alongamentos para praticantes de musculação.......................20
3.5 Alongamentos no local de trabalho........................................20
3.6 Alongamentos diários .........................................................23

3
Apresentação
Neste conteúdo será enfocado a importância da flexibilidade no dia a dia
de uma pessoa e da melhora de seu bem-estar por meio dos exercícios de
alongamento.

Espera-se que este conteúdo lhe traga um enriquecimento pessoal,


profissional e acima de tudo um aprendizado prazeroso.

4
Introdução
Atualmente os exercícios de alongamento ganharam espaço na mídia e
vêm sendo aplicados em lugares diversos como academias, centros esportivos
e parques. E tal espaço é válido, à medida que todo movimento ou atividade
corporal necessita de flexibilidade dos músculos para que seja realizado com
segurança.

É inquestionável a importância e os benefícios que esses exercícios


promovem ao ser humano, pois sua execução constante, melhora diretamente
uma qualidade física extremamente importante, qual seja, a flexibilidade.

Ter uma boa flexibilidade significa contribuir de forma positiva para uma
melhor qualidade de vida já que ela acaba influenciando o sistema muscular e
articular de uma pessoa.

Dessa forma, desenvolvemos este conteúdo com o objetivo de


demonstrar a importância dos exercícios de alongamento e flexibilidade na vida
das pessoas, apresentando exercícios e hábitos simples para minimizar os
impactos do dia- a- dia sobre o seu corpo.

Conheceremos conceitos e classificações desses exercícios, além de


sua aplicação na prática, tanto para população especial como: gestantes e
idosos, assim também, para todas as pessoas que queiram aplicar os
exercícios no lazer ou no trabalho.

Com este aprendizado você terá uma nova visão sobre o alongamento e
a flexibilidade, principalmente a sua importância e eficiência.

5
Capítulo 1
Flexibilidade

Atualmente a flexibilidade ultrapassou o mundo dos esportes e começou


a ser parte integrante e importante no cotidiano dos chamados atletas de final
de semana e das pessoas que desejam deixar de ser sedentárias sem se
tornarem atletas.

Neste capítulo, vamos estudar o conceito de flexibilidade, sua


classificação e fatores que determinam o nível de manipulação da flexibilidade.
Veremos ainda qual a sua importância para manter um corpo mais saudável.

1.1 - Conceitos de Flexibilidade


A flexibilidade é a capacidade de realizar movimentos em certas
articulações com apropriada amplitude de movimento. Em situações práticas
há a distinção entre:

Flexibilidade estática: é o caso do espacato em Ginástica Artística, ou


seja, uma pessoa realiza uma abertura total das pernas apenas com o apoio do
solo.

Flexibilidade ativa: é onde há influências de forças externas.

A flexibilidade é considerada por muitos autores como uma capacidade


física mista, ou seja, capacidade física coordenativa, na qual exige grande
participação do sistema nervoso central e capacidade física condicional, que se
refere à capacidade de ser treinável.

A flexibilidade também é considerada uma capacidade física do ser


humano que condiciona a obtenção de grande amplitude articular, durante a
execução dos movimentos. Ou seja, o quanto que a sua articulação pode
movimentar.

Por exemplo, quando uma dona de casa necessita pegar algo embaixo
do sofá ela necessita utilizar toda a sua flexibilidade, alongando os músculos
das costas e da parte posterior das pernas. Essa mesma flexibilidade é
utilizada quando ela vai estender a roupa em um varal, já que a articulação do
ombro faz com que o braço se eleve e os músculos são obrigados a se
estenderem.

6
Atenção! O estudo da flexibilidade, como uma das capacidades físicas, é
de crucial importância para diversos esportes bem como para o
condicionamento físico de sedentários. Deve-se levar em conta, em todos os
casos, que a flexibilidade de uma pessoa é variável, de acordo com seus
hábitos e estrutura corporal e que essas diferenças devem ser respeitadas para
que os benefícios da flexibilidade atuem de forma global no desenvolvimento
do indivíduo.

1.2 – Classificação da Flexibilidade


Podemos classificar a flexibilidade quanto à sua abrangência e
articulações envolvidas.

Quanto à sua abrangência temos:

a) Flexibilidade geral: observada em todos os movimentos de uma


pessoa englobando as suas articulações (juntas);

b) Flexibilidade específica: refere-se a um ou alguns movimentos


realizados em determinadas articulações (juntas).

Classificação da flexibilidade quanto às articulações envolvidas:

a) Flexibilidade simples: ação articular em uma única articulação;

b) Flexibilidade composta: quando o movimento envolve mais de uma


articulação.

1.3 – Fatores que determinam o nível de manipulação da


flexibilidade
A capacidade de executar os movimentos com grande amplitude é
condicionada por uma série de fatores que devem ser levados em
consideração no processo de aperfeiçoamento da flexibilidade.

Você pode perceber que algumas pessoas são mais flexíveis que as
outras, ou ainda, a flexibilidade pode variar de acordo com a idade e outros
fatores que influenciam.

Tais fatores, como a maleabilidade da pele e elasticidade muscular, são


poderosamente influenciados por:

7
1) Idade: Quanto mais idosa a pessoa, menor sua
flexibilidade;

2) Sexo: A mulher é em geral mais flexível que o


homem;

3) Hora do dia: A flexibilidade aumenta com o passar


das horas do dia, atingindo o seu máximo por volta das 13
horas;

4) Temperatura ambiente: O frio reduz e o calor


aumenta a elasticidade muscular.

5) Estado de treinamento: Quanto mais treinado


mais flexível;

6) Situação do atleta: Após uma sessão de


aquecimento, a flexibilidade aumenta ao passo que diminui
após um treinamento;
A escolha da composição dos meios e dos métodos
de treino da flexibilidade é determinada, antes de tudo, pelo
nível individual de desenvolvimento desta capacidade entre as pessoas e sua
correspondência às exigências desta ou daquela atividade esportiva. Nas
atividades físicas em que a flexibilidade não constitui fator principal, mas
apenas determina a condição geral da pessoa (por exemplo: a corrida, o
ciclismo, etc.) não exigem geralmente tarefas acentuadas de aperfeiçoamento
da flexibilidade.

8
Atenção!

Em outras atividades físicas em que o nível de desenvolvimento da


flexibilidade determina em grande medida o resultado da atividade competitiva
(por exemplo: a ginástica rítmica, a ginástica artística, karatê, capoeira, etc.)
apresentam-se exigências mais altas e diversificadas em relação ao nível de
desenvolvimento desta capacidade.

1.4 – A importância da flexibilidade


A flexibilidade é muito importante para o ser humano, independente da
sua condição física e idade.

Todos estão acostumados a imaginar que a flexibilidade é importante


apenas para os atletas e principalmente àqueles que praticam esportes como a
ginástica artística e a capoeira.

Mais será que apenas a Jade Barbosa, o Diego Hipólito ou a Daiane


dos Santos necessitam treinar e ter a devida flexibilidade, já que para
realizar os seus mortais, piruetas e saltos, essa qualidade física torna-se
imprescindível? Não! Claro que não!!!

Desde o mais sedentário até o indivíduo mais atlético, nenhum deles


deve deixar a flexibilidade de lado.

Pessoas que treinam e melhoram a sua flexibilidade conseguem possuir


inúmeras vantagens em relação àquelas que não a treinam.

Uma boa flexibilidade promove inúmeros benefícios, como podemos


notar:

 Melhor rendimento nas tarefas diárias;


 Maior coordenação na realização dos movimentos;
 Maior capacidade de prevenção no caso de lesões musculares e
articulares;
 Melhor ajuste da postura corporal;
 Menor incidência de quedas, por encurtamentos musculares e
articulares, principalmente no caso dos idosos;
 Melhor rendimento no trabalho, pois previne as lesões por
esforços repetitivos (LER);
 Mais disposição do indivíduo em seu dia a dia.

Atenção!

Mais do que tudo isso, estar mais flexível faz da pessoa, fisicamente
mais ativa e relaxada, pois a flexibilidade está diretamente ligada ao
alongamento, como você poderá observar no decorrer deste estudo.

9
Capítulo 2
O alongamento
Neste capítulo vamos aprender sobre o alongamento e quais seus
benefícios para a vida do ser humano e os meios de relaxamentos dos
músculos, antes e após a realização de atividades físicas.
“Apesar de não ter um pensamento lógico e complexo, o gato é o ser
vivo que mais realiza exercícios de alongamento em sua vida.”

Essa afirmação não se trata de uma brincadeira ou piada. Se você


observar esse felino vai perceber que, no transcorrer do seu dia, ele muitas
vezes estende partes do seu corpo e consequentemente adquire um grau de
flexibilidade e agilidade muito maior do que qualquer outro animal.

É lógico que não há necessidade de passar o seu dia imitando os


movimentos dos felinos. Contudo se adotarmos a ideia central do que foi
descrito acima, teríamos uma qualidade de vida muito melhor.

2.1 – Conceitos de Alongamento Muscular


O alongamento muscular é um exercício natural destinado a relaxar os
músculos antes e depois de uma atividade física mais intensa. De fácil
execução e não-competitivo, ele dá maior elasticidade aos músculos, tornando
os movimentos mais fáceis e soltos.

Quanto mais alongado um músculo, maior será a movimentação da


articulação comandada por ele, e, portanto maior a sua flexibilidade.

Trata-se de um exercício obrigatório no aquecimento para a prática de


qualquer esporte ou com a função de promover uma melhora muscular e
articular em alguns indivíduos.

A par de todas essas informações torna-se inaceitável que você


considere o alongamento um exercício “chato”, que só serve para perder o seu
tempo em uma aula de qualquer atividade física!

10
2.2 – Classificação de Alongamento

Da mesma forma que a flexibilidade, o alongamento também pode ser


classificado em dois tipos, levando-se em conta a forma de execução.

Existe o alongamento passivo e o ativo.

a) Alongamento Passivo

É feito com a ajuda de forças externas, que podem ser uma outra
pessoa ou aparelhos (faixas elásticas, bastões, bolas).

b) Alongamento Ativo

É o mais comum, onde a pessoa realiza sozinha o alongamento, através


de movimentos voluntários.

11
2.3 – Benefícios Gerais do Alongamento
Os alongamentos são essenciais para a manutenção de uma vida mais
saudável e com qualidade.

Graças a esses exercícios as pessoas conseguem:

- Manter os músculos flexíveis;

- Realizar os movimentos de forma correta e com menor gasto


energético;

- Concretizar a transição diária da inatividade para a atividade;

- Liberar as tensões e promove o relaxamento;

- Melhorar a coordenação motora, pois os movimentos tornam-se mais


soltos e frágeis;

- Desenvolver a consciência corporal;

- Prevenir lesões musculares;

- Melhorar a postura;

- Diminuir os encurtamentos e retrações musculares.

Atenção!

Os exercícios de alongamento devem estar presentes antes e depois de


qualquer atividade física, pois contribuem para a manutenção da flexibilidade e
na prevenção de lesões tão comuns como as distensões ou inflamações.

Dica Importante: todos podem e devem aprender a fazer


alongamentos, independente da idade e da sua flexibilidade, pois não há a
necessidade de estar no máximo da sua condição física, nem possuir
habilidades atléticas para realizá-los.

12
2.4 – Formas de execução e contraindicações
É fácil aprender a fazer alongamentos, mas como todo exercício físico,
necessita de cuidados e atenção em sua execução.

Procure ir a um parque em qualquer período do dia, com certeza você


verá muitas pessoas realizando os mais variados exercícios físicos e dentre
eles os chamados “alongamentos”. Infelizmente, devido a uma má ou total falta
de orientação, esses exercícios na maioria das vezes são feitos de maneira
inadequada, não produzindo nenhum efeito ou ainda pior, colocando em risco a
integridade física de seus praticantes.

O modo certo é alongar relaxando em um movimento instável, ao


mesmo tempo em que a atenção se focaliza sobre os músculos que estão
sendo alongados.

O modo errado é balançar-se para cima e para baixo, ou alongar-se até


sentir dor, causando mais danos do que benefícios.

Para realizarmos os exercícios de alongamento corretamente é


necessário seguir alguns preceitos:

• O movimento deve ser longo e estável, ao mesmo tempo em que sua


atenção permanece focalizada sobre os músculos que estão sendo
trabalhados;
• Ao atingir o limite de seus movimentos, pare e mantenha cada
posição por um tempo aproximado de 10 a 20 segundos. É errado e perigoso
balançar-se para forçar o limite do músculo e alongá-lo até sentir dor;
• Saia de cada posição de alongamento bem devagar, procurando
relaxar completamente;
Encerre o trabalho procurando soltar bem todos os músculos que foram
alongados.

Em relação às contraindicações, elas são inexistentes. O que existe são


recomendações de acordo com a condição física da pessoa.

Sendo assim, você estará apto para realizar qualquer alongamento


desde que seja devidamente orientado por um profissional qualificado,
educador físico ou fisioterapeuta.

13
Capítulo 3
Flexibilidade e alongamentos
aplicados na prática
Neste capítulo, você poderá observar de forma prática a importância da
flexibilidade e dos alongamentos para os mais variados tipos de pessoas, com
destaque para alguns grupos específicos, que você conhecerá no decorrer
deste capítulo.

3.1 – Alongamentos para gestantes


“Estar gestante não significa apenas carregar um presente com
peso extra.”

São inúmeras as modificações físicas e psicológicas que a mulher sofre


com a chegada de uma gravidez.

Dentre essas modificações com certeza as que mais incomodam a


parturiente são: as modificações posturais e hormonais.

Devido ao aumento do peso e da cavidade abdominal, há um


deslocamento do centro de gravidade e um ajuste da postura para a aquisição
do equilíbrio. O abdômen é projetado para frente, aumentando
consideravelmente a lordose lombar da mulher.

14
Aliado a essas ações, há também o aumento da base de sustentação e
a retropulsão (para trás) dos ombros; tanto na posição estática quanto durante
o andar. Como podemos observar na figura:

Má postura Boa postura

Em um aspecto muscular há uma intensa retração e consequente


encurtamento nos músculos paravertebrais que estão localizados na região
lombar e em toda a musculatura posterior do quadril e das pernas.

Dores intensas nas pernas e na coluna lombar incomodam a gestante


constantemente, aumentando consideravelmente a tensão e irritação da
mesma. De acordo com estudos específicos, a dor lombar e pélvica atinge
cerca de 50% de todas as gestações, principalmente a partir do final do 2º
trimestre do período gestacional. Ela é muito mais intensa em mulheres que
antes da gestação já possuíam as chamadas lombalgias (dor na lombar).

Sob a ação dos hormônios, principalmente à relaxina, existe um


relaxamento crescente dos ligamentos, além de um amolecimento cartilaginoso
e aumento do volume do líquido sinovial e no espaço articular. O resultado é
uma mobilidade articular aumentada e articulações mais instáveis, predispondo
principalmente a lesões.

15
Devido a esse desequilíbrio hormonal, durante a execução dos
alongamentos é primordial a presença de um profissional específico, ou seja,
um educador físico ou fisioterapeuta, para que esses exercícios promovam na
gestante apenas benefícios e nunca lesões.

A dor lombar na maior parte dos casos é provocada tanto pelo desajuste
postural como pelo desarranjo hormonal. O mesmo acontece com as outras
partes do corpo, o quadril e as pernas. Fatores como fraqueza muscular,
principalmente na região abdominal, a baixa flexibilidade articular da parte
posterior do corpo intensificam ainda mais todo esse quadro doloroso.

A correta manutenção da musculatura envolvida principalmente nos


músculos recrutados para a postura corporal, só é conseguida através da
prática regular dos exercícios de alongamento, no mínimo 3 vezes por semana,
durante a gravidez.

As mulheres que realizam exercícios de alongamento durante a


gestação adquirem:

• Diminuição da intensidade da dor na região lombar, quadril e


pernas;
• Diminuição das suas limitações;
• Aumento da qualidade de vida.

Sendo assim, você deve esquecer aquela visão de que a mulher deve
passar toda a sua gestação deitada, em repouso. Em gestantes saudáveis,
sem a presença de nenhuma complicação, a prática de exercícios físicos e no
caso de alongamentos, só vêm a contribuir para um estado físico e psicológico
mais saudável e feliz.

Não se esquecendo de todos os problemas posturais e retrações


musculares que a mulher adquire com a gestação, torna-se indicado uma gama
de exercícios de alongamentos gerais e outra específica, que vise alongar a
musculatura da coluna lombar e da parte posterior das pernas.

Apenas alguns cuidados devem ser levados em conta:

• Não esquecer que a gestante tem uma flexibilidade aumentada


devido a um desequilíbrio hormonal, sendo muito mais suscetível a lesões
articulares;
• Não permitir que a gestante entre em fadiga durante a execução dos
exercícios;
• Nunca deixar que a gestante realize quaisquer exercícios em apneia
(prendendo a respiração), pois se ela sente falta de ar, o bebê também;
• Evitar posições de barriga para baixo, para não comprimir o bebê;

16
• Cuidado com as posturas durante toda a execução do exercício.

Alguns exemplos de alongamentos para gestantes:

Alongamento da região lombar da coluna vertebral

Alongamento da região lombar da coluna vertebral

Alongamento da região posterior das pernas e da coluna vertebral

17
3.2 - Alongamentos para idosos
O alongamento é uma atividade muito benéfica para o idoso, pois esse
exercício busca a manutenção e o desenvolvimento de uma capacidade física
específica: a flexibilidade, já que ela ajuda a melhorar a amplitude articular.

Quando realizado antes da atividade física, além de prevenir lesões,


prepara o organismo para um posterior esforço, pois dispersa o ácido láctico,
decorrente da mesma, bem como oxigena a musculatura. Ácido láctico
(substância que o organismo produz após a prática de uma atividade física e
que irá provocar uma incômoda dor muscular).

A diminuição da amplitude de movimentos a partir de um aspecto


articular e muscular, promove uma diminuição da flexibilidade em diversas
partes do corpo do idoso, ocasionando os desvios posturais e aumentando o
risco de lesões por quedas.

Sabe-se que uma queda para o idoso muitas vezes pode ser fatal, já
que a necessidade da imobilização na cama devido a uma fratura é muito ruim
para essa faixa etária, pois muitas complicações podem ocorrer, como
pneumonias e tromboses. Mesmo após a reabilitação de uma fratura, podem
ocorrer sequelas e a região afetada nunca mais será a mesma.

Imagine um idoso tentando pegar algo embaixo de um móvel e por não


ter uma boa flexibilidade, é obrigado a assumir posturas inadequadas e com
menor equilíbrio, ficando extremamente suscetível a quedas. Um intenso
trabalho de exercícios de alongamento pode agir de modo preventivo nesse
caso.

Os idosos devem realizar um trabalho de alongamento geral, já que com


o avanço da idade há um declínio geral da flexibilidade e o aparecimento de
inúmeras retrações musculares.

Mais uma vez alguns cuidados devem ser levados em conta:

• Fazer uma pesquisa antes, para saber se o idoso possui alguma


impossibilidade devido a alguma patologia (doença) instalada;
• Não permitir que o idoso realize exercícios em apneia;
• Tomar cuidado com algumas posturas, para evitar quedas;
• Sempre ser claro nas explicações.

E acima de tudo, realizar qualquer atividade com prazer e diversão,


pois com certeza o resultado será muito mais significativo!

18
3.3- Alongamentos para atletas de final semana
Atualmente o número de pessoas que praticam atividades físicas
apenas uma vez por semana vem crescendo assustadoramente. São os
chamados “atletas de final de semana”.

Fazem parte desse grupo aquelas pessoas que vão aos clubes, parques
ou quadras ou campos de futebol e praticam o seu futebol, tênis, caminhadas
junto com os amigos.

Fisiologicamente sabe-se que esse não é a melhor forma de praticar


uma atividade física, já que não há uma regularidade e quantidade semanal
adequada. Porém se você analisar que o sedentarismo cresce em demasia na
sociedade moderna e que ele é o grande mal do homem que vive nessa
sociedade, a prática de exercícios uma vez por semana, de forma consciente,
ainda é uma boa saída!

Contudo, essa prática esportiva muitas vezes ao invés de ajudar,


prejudica, no que se refere às lesões musculares que podem ocorrer durante
os exercícios e as insuportáveis dores nos dias posteriores.

O alongamento pode evitar e/ou minimizar consideravelmente esses


dois malefícios.

No caso das lesões musculares, como as distensões, estiramentos e


contraturas você deve alongar muito antes de qualquer prática esportiva.

E nas dores após o exercício, os alongamentos são de grande valia no


momento do término do mesmo. Com isso as toxinas que ficam acumuladas no
organismo após a prática de uma atividade física, são liberadas por toda a
corrente sanguínea de forma mais rápida.

De acordo com a atividade física algumas regiões do corpo devem ser


mais alongadas que outras.

Aqui vão algumas dicas de alongamentos de acordo com algumas


atividades praticadas:

Futebol

Alongar todo o corpo, dando uma maior predominância nas pernas e no


tronco. No caso dos goleiros também dar uma devida importância aos braços.

19
Corrida e Caminhada

No caso dos atletas que participam de corridas esportivas


também dá uma maior predominância as pernas e tronco.

Tênis, voleibol e Basquetebol

Estes são alongamentos gerais, que também dão uma


ênfase nos braços.

Atenção!

No final deste capítulo, você poderá observar alguns exemplos de


exercícios de alongamento para todos esses praticantes.

3.4 – Alongamentos para praticantes de musculação


Muitos praticantes da musculação têm a falsa ideia que nessa prática
esportiva não há necessidade ou que não pode alongar. No entanto, está visão
não é correta.

Com os exercícios de alongamento antes da musculação, o praticante


terá a musculatura mais desenvolvida e alongada, produzindo um efeito muito
melhor em relação ao trabalho de fortalecimento (hipertrofia).

Na realidade, um músculo alongado será um músculo com maior


capacidade de contração.

Deve-se realizar um alongamento geral antes e após a sessão de treino.

3.5 – Alongamentos no local de trabalho


Atualmente a LER (lesão por esforço repetitivo) ou o DORT (distúrbio
ósteo-muscular relacionado ao trabalho) vêm se tornando alvo de estudo e
preocupação por inúmeros profissionais da área de saúde.

20
É muito comum encontrarmos conhecidos e parentes que sofrem das
chamadas lesões por esforço repetitivo, devido as suas ocupações
profissionais.

Os dentistas, as operadoras de caixa, operadoras de telemarketing, os


cabeleireiros, e assim por diante, são afetados por doenças inflamatórias que
têm como características básicas: dor, inchaço e impotência funcional. São as
chamadas tendinites, bursites, tenossinovites, e quando não tratadas de forma
adequada podem se tornar crônicas e produzir sequelas extremamente
desastrosas.

Os alongamentos no local de trabalho muitas vezes fazem parte da


chamada “ginástica laboral”, que é definida como sendo a prática voluntária
de atividades físicas, dentro do próprio local de trabalho, durante sua jornada
diária.

Com eles, o trabalhador poderá obter muitos benefícios:

 Evita as LERs;
 Diminui a tensão no trabalho;
 Aumenta a disposição e consequentemente o seu desempenho;
 Melhora sua qualidade de vida.
Sendo assim é de grande valia que haja períodos durante o seu dia que
o trabalhador realize alguns exercícios de alongamento, caso não possua no
seu local de trabalho um grupo que realize a ginástica laboral.

Exercícios gerais, onde não há a necessidade de roupa esportiva e nem


a disponibilidade de muito tempo.

No caso das pessoas que passam muito tempo sentadas digitando, ou


realizando outra função, na mesma posição é necessário alongamentos como
estes:

Alongamentos de pescoço

21
Alongamento de punhos

Alongamentos dos braços

Alongamentos da coluna lombar

22
Alongamentos da parte posterior das pernas

Esses são apenas alguns exemplos, que se forem realizados todos os


dias, vão colaborar de forma decisiva na integridade física e psicológica do
trabalhador.

Pense!

Os 15 minutos que você utiliza no seu trabalho para alongar, jamais


serão perdidos e você notará que serão extremamente compensatórios!

3.6 – Alongamentos diários


O alongamento diário não possui contraindicações, é de fácil execução,
produz inúmeros benefícios, não necessita de alta capacidade física, apenas
de boa vontade e concentração.

Sendo assim todos devem praticá-lo, mesmo que a pessoa não realize
nenhuma atividade física ou esteja em alguma condição especial como os
idosos e as gestantes.

Uma boa flexibilidade deve ser estendida aos sedentários e também as


donas de casa.

Ao sedentário, porque os alongamentos poderiam minimizar o grande


mal que a falta de exercícios físicos causa a uma pessoa e, às donas de casa,
porque no dia-a-dia das execuções de atividades domésticas, praticam
extenuantes movimentos, que exigem força, resistência, equilíbrio,
coordenação e flexibilidade.

Para este público, foram criados os chamados alongamentos diários,


que são realizados na própria casa e que poderão trazer todos os benefícios
que uma boa flexibilidade promove, de forma rápida e eficiente.

Lembrando que a pessoa não estará perdendo tempo no seu dia e sim
melhorando a sua qualidade de vida.

23
EXEMPLOS DE ALONGAMENTOS DIÁRIOS

Com as informações contidas neste conteúdo, você saberá da


importância dos exercícios de alongamentos para a sua saúde e de como eles
podem torná-lo uma pessoa mais saudável e feliz.

Lembre-se que para a prática de exercícios mais pesados é importante


consultar um profissional da área.

Boa sorte e Sucesso!


24