Anda di halaman 1dari 8

Histórico de distribuição Segmentação dos 10.

803 destinatários Modo de distribuição


10000
Segmentos Profissionais Nº de Destinatários
9000 0,9%
8000 54,5% 44,6%
7000 Estudantes e Outras Entidades 420
Associações e seus Colaboradores 17
associação de produtores 6000 Empresas de Construção Civil 142
de tubos e acessórios 5000 Instituições, Câmaras e Serv. Municipais 570
Formação, Ensino e Formadores 972
4000
Armazenistas e seus Colaboradores 465

Quantidade
3000 Instaladores e Montadores 1945
2000 Gabinetes de Engenharia e Fiscalização 4236
Gabinetes de Arquitectura 2036
1000

0
200
400
600
800
1000
1200
1400
1600
1800
2000
2200
2400
2600
2800
3000
3200
3400
3600
3800
4000
4200
0
2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016

Nº de Janeiro Nº de Maio Nº de Setembro E-mail Em mão (previsão) CTT

Paulo Gomes, Engº


Director Executivo

atitudes APTA em revista


54
Ano 18 · SETEMBRO/2016 · Quadrimestral · Distribuição Gratuita

EDITORIAL
Caro leitor,
É com muito gosto que informamos que a versão 2017 da nossa folha de solicitação via e-mail (info@apta.pt), explicitando o nome completo, função,
cálculo “Excel”, que possibilita de uma forma expedita o dimensionamento designação da empresa e morada completa. Ficamos na expectativa da análise
de redes de segurança contra incêndios dos tipos convencionais, se encontra crítica que certamente e conforme é habitual, os nossos prezados leitores farão.
em fase final de testes. Esta nova versão foi dotada de três novas capacidades: Noticiamos na APTitude anterior o lançamento pela empresa nossa associada
1. Compatibilização entre as disposições regulamentares nacionais relativas FERPINTA S.A. de uma útil App informática de apoio ao dimensionamento de
às bases de dimensionamento das bocas de incêndio armadas dos tipo tubos de aço para aplicações estruturais, conformes a norma europeia EN
carretel e teatro, com as respectivas características obrigatórias de desem- 10219-1 (www.ferpintacalculator.com). Neste contexto e como tema em
penho hidráulico, nos termos das NP EN 671-1 e NP EN 671-2, por via da destaque da presente publicação, apresentamos um exemplo de aplicação
obrigatoriedade da marcação CE. desta ferramenta, explicando de forma detalhada as 7 fases conducentes à
2. Possibilidade de incorporação das características hidráulicas da tubagem substituição de um perfil de aço I ou H, por um perfil oco em aço de secção
de aspiração de forma integrada com a tubagem de compressão, possibi- circular, quadrangular ou rectangular.
litando uma análise global da instalação. O signatário na qualidade de director executivo da A.P.T.A. reitera a sua total
3. Explicitação automática e de forma gráfica das principais curvas hidráulicas disponibilidade e aproveita esta oportunidade para em nome das empresas
da instalação e pontos de funcionamento esperados. fundadoras e em seu próprio enviar os melhores cumprimentos, com votos
Como é habitual, a mesma já poderá ser obtida de forma gratuita, mediante de profícuos negócios.

Esta publicação foi escrita sem adesão ao novo acordo ortográfico.


425
428 tema em destaque
NORMALIZAÇÃO
Exemplo de uso da App STEEL CALCULATOR FERPINTA

REMODELAÇÃO DO ARMAZÉM
1. Durante o 2º quadrimestre de 2016, a APTA assegurou a representação PORFITE, LDA.
nacional nas seguintes reuniões de normalização europeia e internacional:
A. Normas ISO: ISO/TC 5/CC 5 – Threaded fittings, solder fittings, welding 2. A empresa nossa associada Porfite Lda. procedeu em Junho à reorganização
fittings, pipe threads, thread gauges": das instalações de armazenagem situadas na Zona Industrial da Maia, visando
· Data: 24 de Maio de 2016; Local: Madrid (Espanha) uma optimização das localizações da vasta gama de referências disponibilizadas
· Coordenador: Mr. Thomas Skorka (Suíça) e consequente melhoria do nível de apoio ao cliente.
· Países participantes: Portugal, Alemanha, Áustria, Espanha, Japão, Reino
Unido, Suíça e USA.
· Decisões: 1. Revisão das ISO 7-1 e ISO 7-2 (Coordenador: Dr Toshiyuki Sawa
VISITAS à FERPINTA, S.A.
– Japão); 2. Revisão da ISO 49 (Coordenador: Mr. Helmut Jedinger – Áustria); 3. A 17 de Junho, os Formandos do Curso de Canalizadores do CICCOPN -
3. Revisão da ISO 4144 (Coordenador: Ms. Annemarie Appleton – USA). Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras
· Serão agendadas reuniões via web para avançar com as decisões tomadas. Públicas do Norte, realizaram uma visita organizada pela APTA à empresa
nossa associada FERPINTA SA. Nesta visita os formandos constataram os
European Committee for Standardization
especiais cuidados empregues na fabricação de tubos de aço para canalizações
Comité Européen de Normalisation soldados longitudinalmente, fazendo-se um seguimento das distintas fases
Europäisches Komitee für Normung
de produção, desde a recepção da matéria-prima até à expedição do produto
acabado e inerentes operações de controlo da qualidade. Como de costume,
B. Normas Europeias: ECISS/TC 110/WG 3 – Fittings (Acessórios) – Ad hoc group: a visita terminou com um almoço de confraternização oferecido pela empresa.
· Data: 25 de Maio de 2016; Local: Madrid (Espanha); Última reunião. À Administração da empresa e em particular ao Responsável pelo Departamento
· Líder do projecto: Mr. Thomas Skorka (Suíça) da Qualidade, Sr. Eng.º Manuel Peixoto, renovamos os nossos agradecimentos
· Países participantes: Portugal, Alemanha, Áustria, Espanha e Suíça. pelo interesse e empenhamento que colocaram na preparação desta acção
· Ordem de trabalhos resumida: Verificação final dos projectos de revisão e pela cordialidade e simpatia com que fomos brindados. Aos Formandos do
das EN 10242, EN 10284 e projecto de criação da EN 10344. CICCOPN, votos de sucesso profissional.
5. ISEC - 16 Maio

3. CICCOPN - 17 Junho

4. JORNINC - 1 e 2 Junho

6. EP FUNDÃO - 12 Maio

426

5.as JORNINC - Jornadas de Segurança aos · Dimensionamento em média pressão;


· Dimensionamento em baixa pressão.
Incêndios Urbanos • Requisitos de dimensionamento para média e baixa pressão:
· Critérios de simultaneidade e perdas de carga admissíveis;
4. A APTA em parceria com a ANQIP, participou nas 5. JORNINC, realizadas a
as
· Velocidades de escoamento admissíveis.
1 e 2 de Junho no LNEC-Laboratório Nacional de Engenharia Civil em Lisboa. Esta
• Folha de cálculo APTA para o dimensionamento de instalações de gás para edifícios:
parceria traduziu-se no desenvolvimento e apresentação do seguinte tema:
· Apresentação, estrutura e funcionamento;
BOCAS-DE-INCÊNDIO ARMADAS: COMPATIBILIZAÇÃO DO DIMENSIONAMENTO
· Dimensionamento da instalação colectiva e das instalações individuais.
HIDRÁULICO, que consistiu na análise da necessidade de compatibilizar as
• Exemplo de dimensionamento de uma instalação de gás para edifícios.
disposições regulamentares relativas às bases de dimensionamento das BIATC
e BIATT com as características obrigatórias dessas bocas, nos termos da NP EN
671-1:2013 e da NP EN 671-2:2014, por via da obrigatoriedade da marcação CE. 6. Durante o 2.º Quadrimestre de 2016, realizamos três Jornadas Técnicas
nas seguintes instituições de formação:

SESSÕES TÉCNICAS GÁS “IN LOCO” 12 Maio


Contexto: Cursos de Técnico de Gás e Técnico de
5. A convite dos Exmos. Sr. Prof. João Ferreira Construção Civil (formadora: Eng.ª Ana Vicente).
Mendes e Sr. Prof. Virgílio Monteiro de Oliveira, do
Departamento de Engenharia Mecânica do Instituto 8 Junho
Superior de Engenharia de Coimbra, a APTA realizou a 16 de Maio uma palestra, Contexto: Curso Cursos de Técnico de Gás (formador:
destinada aos alunos dos Mestrados em Engenharia Mecânica/Electromecânica, Eng.º Luís Caldeira).
enquadrada na disciplina de Redes de Fluídos, com a seguinte estrutura:
Tema: Sistema de Canalização em Aço - Dimensionamento de Instalações 28 Junho
de Gás em Edifícios Contexto: Curso de Instalador de Instalações de Gás
• Enquadramento regulamentar (Portaria n.º 361/98 actualizada pela Portaria e de Redes e Ramais de Distribuição de Gás (forma-
n.º 690/2001). dor: Eng.º Luís Caldeira).
• Tubos de aço e Acessórios roscados em fundição maleável para utilização Tema: Sistema de Canalização Aço para Instalações de Gás em Edifícios
em instalações de gás para edifícios: requisitos regulamentares, normalização · Enquadramento regulamentar (Portaria n.º 361/98 actualizada pela Portaria
e especificações. n.º 690/2001).
• Tipos de ligações de tubagens de aço: ligações roscadas, mecânicas e soldadas. · Normalização Europeia e hierarquia de utilização de normas.
• Fundamentos teóricos de hidráulica: · Tubos de aço e Acessórios roscados em fundição maleável para utilização
· Conceito de perdas de carga contínuas e localizadas; em instalações de gás para edifícios: requisitos regulamentares, normativos
· Perdas de carga contínuas calculadas pela fórmula de Renouard; e especificações.
· Observações importantes referentes ao sistema de unidades. · Classes de ligação em tubagens de aço e seu enquadramento regulamentar.
• Procedimento de dimensionamento de uma instalação de gás para edifícios: · Tipos de ligações de tubagens de aço:
6. CATIM - 8 junho

8. UAlg - 10 Maio

8. UA - 17 Maio

6. CATIM - 28 junho

7. MC Segurança

8. LREC - 3 Junho

427

· Ligações Roscadas:
· Sistemas de roscas com estanquidade no filete e suas características;
8. A convite do Exmo. Sr. Prof. Dr. Silva Afonso, a APTA realizou as seguintes
três sessões técnicas em cooperação com a ANQIP:
· Requisitos regulamentares e normativos;
10 Maio
· Materiais de vedação para aplicação gás.
Contexto: Curso de actualização sobre instalações
· Ligações Mecânicas.
hidráulicas de combate a incêndios em edifícios.
· Ligações Soldadas.
Instituição: Universidade do Algarve (Faro).
· Exemplos de aplicação.
17 Maio

SESSÕES TÉCNICAS DE SEGURANÇA Contexto: Curso de actualização sobre instalações


hidráulicas de combate a incêndios em edifícios.
CONTRA INCÊNDIOS “IN LOCO” Instituição: Universidade de Aveiro (Aveiro).
3 Junho
7. A convite do Exmo. Sr. Eng.º Fernando Gouveia, Contexto: Curso de actualização sobre instalações
a APTA realizou a 11 de Maio, a 2ª acção de forma-
hidráulicas de combate a incêndios em edifícios.
ção interna dos colaboradores da empresa MC
Instituição: Laboratório Regional de Engenharia Civil
Segurança (Albufeira), com a seguinte estrutura:
(Região Autónoma dos Açores - Ponta Delgada).
Tema: Sistema de Canalização em Aço para Redes de Incêndios com Sprinklers
• Novo enquadramento regulamentar (Decreto-Lei n.º 220/2008 e Portaria Tema: Sistema de canalização em aço para redes de incêndios
n.º 1532/2008). • Novo enquadramento regulamentar (DL n.º 220/2008 e Portaria n.º 1532/2008).
• Redes de sprinklers do tipo húmida e seu enquadramento à luz da nova • Tipos de redes de segurança contra incêndios e seu enquadramento à luz
regulamentação: funcionamento e conceitos de áreas de cobertura e operação. da nova regulamentação: colunas secas, redes de incêndio armadas, colunas
• Normalização Europeia aplicável. húmidas e sistemas de extinção automática.
• Especificações gerais aplicáveis aos componentes de uma rede de incêndio. • Tubo de aço e Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em
• Tubo de aço e Acessórios roscados em fundição maleável para utilização em redes de segurança contra incêndios: requisitos regulamentares e normativos.
redes de segurança contra incêndios: requisitos regulamentares, normalização • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento de redes de segu-
e especificações. rança contra incêndios dos tipos: rede de incêndio armada, rede/colu-
• Acessórios ranhurados em fundição dúctil para utilização em redes de na húmida e rede/coluna seca.
segurança contra incêndios: requisitos regulamentares e especificações. · Critérios de dimensionamento aplicáveis conformes a nova regulamentação.
• Ligações roscadas e ranhuradas: funcionamento e normalização aplicável. · Apresentação, estrutura e funcionamento da folha de cálculo.
• Folha de cálculo “Excel” da APTA para o dimensionamento de redes de · Exemplo de dimensionamento de rede armada com bocas tipo carretel.
segurança contra incêndios com sprinklers: • Folha de cálculo “Excel” da APTA de dimensionamento de redes de incêndios
· Critérios de dimensionamento aplicáveis conformes nova regulamentação. do tipo extinção automática - rede de sprinklers húmida.
· Critérios de dimensionamento alternativos: NFPA e Europeu. · Critérios de dimensionamento aplicáveis conformes a nova regulamentação.
· Apresentação, estrutura e funcionamento da folha de cálculo. · Apresentação, estrutura e funcionamento da folha de cálculo.
· Exemplo de dimensionamento de uma rede de incêndios com sprinklers. · Exemplo de dimensionamento de uma rede de incêndio com sprinklers.
tema em destaque Exemplo de uso da App STEEL CALCULATOR da FERPINTA

Conforme noticiado na APTitude anterior, a empresa nossa associada FERPINTA


S.A. lançou uma ferramenta de apoio ao dimensionamento, em termos de
resistência mecânica e estabilidade, de tubos de aço conformes a norma
europeia EN 10219-1 (com secções circular, quadrangular e rectangular), desti-
nados a aplicações estruturais. A mesma foi designada por STEEL CALCULATOR
FERPINTA e está disponível para computadores, smartphones e tablets.
Neste contexto, iremos proceder ao desenvolvimento de um exemplo prático
de utilização desta ferramenta, explorando a útil capacidade de identificar
tubos estruturais equivalentes, que substituam perfis do tipo I e H (MENU -
EQUIVALENT TUBES).
Esta aplicação é gratuíta e está disponível para:
- Computador no sítio www.ferpintacalculator.com.
- Versão App para Smartphones e tablets nas lojas App Store e Google Play.

www.ferpintacalculator.com Figura 1 Exemplo de treliça implementada através de tubos circulares conformes


a EN 10219-1. 1)
428
Situação [1]
Considere a estrutura metálica em treliça do tipo “Warren”, exemplificada na inicialmente planeados. Por razões construtivas, é imperativo que o perfil oco
Fig. 1 e cujos detalhes dimensionais estão indicados na Fig. 2. Estando solicitada de secção circular tenha um diâmetro exterior entre 135 e 140 mm e uma
por um conjunto de sete cargas concentradas, todas verticais e igualmente única espessura da parede.
espaçadas, em que as duas aplicadas nos extremos têm uma intensidade de Para efeitos de cálculo, será utilizada a aplicação informática STEEL CALCULATOR
39 kN e as restantes cinco, aplicadas ao longo do vão, têm uma intensidade da FERPINTA, a qual está sustentada no critério de encurvadura estabelecido
de 78 kN. no Eurocódigo Estrutural EC 3-1-1 (norma EN 1993-1-1: Projecto de estruturas de
Pretende-se analisar a possibilidade de optimizar a treliça, implementando aço. Regras gerais e regras para edifícios). Também será aplicado um coeficiente
as barras com perfis estruturais ocos de secção circular (CHS) em conformidade de majoração das acçoes permanentes igual a 1,5 e o peso da treliça será
com a norma EN 10219-1, fabricados em aço da classe S235 (tensão de desprezado para efeitos de cálculo.
cedência: sced.=235 MPa), em substituição dos perfis de aço HEA 140
b = 133 mm
z
78 kN 78 kN 78 kN 78 kN 78 kN
tw = 8,5 mm HEA 140

h = 140 mm
39 kN 39 kN y y
A C D E F G B tf = 5,5 mm
C.G.

z
2,0 m

z CHS ?
z t=?
x
(y) H I J K L y y
2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m
D=?
C.G.

Figura 2 Detalhes construtivos e dimensionais da treliça tipo “Warren”a ser implementada através de tubos circulares EN 10219-1.
z

Análise prévia
A estrutura é simétrica em relação a um eixo vertical equidistante dos apoios cargas aplicadas: RAz = RBz = (2x39 + 5x78)/2 = 234 kN (ver Fig. 3);
A e B (eixo EJ), e encontra-se solicitada por um sistema de cargas, todas verticais, c) Os esforços internos e respectivos sinais, instalados em todas as barras da
também simétrico em relação a este mesmo eixo. Possibilitando as três seguintes estrutura que se apresentam em disposição simétrica em relação ao eixo
consequências na elaboração do diagrama de corpo livre da treliça: de simetria vertical (EJ) são iguais entre si.
a) A componente horizontal da reacção no apoio A é nula: RAx = 0; Assim sendo, basta calcular metade da estrutura, definindo-se por simetria
b) As componentes verticais das reacções nos dois apoios A e B (RAz e RBz) a outra metade.
são iguais entre si e ambas iguais a metade da resultante de todas as

78 kN 78 kN 78 kN 78 kN 78 kN
39 kN 39 kN
z C D E F G
A B
x
(y)
2,0 m

RAz= 234 kN RBz= 234 kN

H I J K L
2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m

Figura 3 Diagrama de corpo livre da treliça tipo “Warren”a ser implementada através de tubos circulares EN 10219-1.

1) Detalhe construtivo da fábrica de tubos em aço para estruturas da FERPINTA S.A.

[1] Fonte: Paulo J. F. Gomes - “Resistência dos Materiais”, Edição de Autor : Porto - Portugal, 2015, página 399 (ISBN: 978-989-98697-0-7).
Por aplicação do método do equilíbrio estático dos nós, com início no nó A, pelo facto de no mesmo convergirem apenas duas barras, infere-se o seguinte:
Equilíbrio do nó A para a determinação dos esforços normais NAC e NAH [ver Fig. 4a)]:
+ S Fx = 0 <=> +NAC +NAH.cos45º = 0 <=> NAC = -NAH.cos 45º <=> NAC = -275,8.cos 45º <=> NAC = -195 kN [Compressão - C]
+ S Fz = 0 <=> -39 +RAz -NAH.sen45º= 0 <=> NAH = (RAz -39)/sen45º <=> NAH = (234 -39)/sen45º <=> NAH = 275,8 kN [Tracção - T]
Equilíbrio do nó C para a determinação dos esforços normais NCD e NCH [ver Fig. 4b)]:
+ S Fx = 0 <=> +NAC +NCD = 0 <=> +195 +NCD = 0 <=> NCD = -195 kN [C]

+ S Fz = 0 <=> -78 -NCH = 0 <=> NCH = -78 kN [C]

Equilíbrio do nó H para a determinação dos esforços normais NDH e NHI [ver Fig. 4c)]:
+ S Fx = 0 <=> -NAH.cos45º +NDH.cos45º +NHI = 0 <=> NHI = (NAH -NDH).cos45º = 0 <=> NHI = [275,8 -(-165,5)].cos45º <=> NHI = +312 kN [T]
+ S Fz = 0 <=> +NAH.sen45º -78 +NDH.sen45º = 0 <=> NDH = (-NAH.sen45º +78)/sen45º <=> NDH = -165,5 kN [C]

Equilíbrio do nó I para a determinação dos esforços normais NDI e NIJ [ver Fig. 4d)]:
+ S Fx = 0 <=> -NHI +NIJ = 0 <=> NIJ = NHI <=> NIJ = +312 kN [T]
+ S Fz = 0 <=> +NDI = 0 <=> NDI = 0 kN

Equilíbrio do nó D para a determinação dos esforços normais NDE e NDJ [ver Fig. 4e)]:
+ S Fx = 0 <=> +NCD +NDH.cos45º +NDJ.cos45º +NDE = 0 <=> NDE = -NCD -(NDH +NDJ).cos45º <=> NDE = -195 -(165,5 +55,2).cos45º <=> NDE = -351 kN [C]
+ S Fz = 0 <=> +NDH.sen45º -78 -NDJ.sen45º = 0 <=> NDJ = (NDH.sen45º -78)/sen45º <=> NDJ = (165,5.sen45º -78)/sen45º <=> NDJ = +55,2 kN [T]

Equilíbrio do nó E para a determinação dos esforços normais NEF e NEJ [ver Fig. 4f)]:
+ S Fx = 0 <=> +NDE +NEF = 0 <=> NEF = -NDE <=> NEF = -351 kN [C]

+ S Fz = 0 <=> -NEJ -78 = 0 <=> NEJ = -78 kN [C]

Equilíbrio do nó J para a determinação dos esforços normais NJF e NJK [ver Fig. 4g)]:
+ S Fx = 0 <=> -NIJ -NDJ.cos45º +NJF.cos45º +NJK = 0 <=> NJK = NIJ +(NDJ -NJF).cos45º <=> NJK = 312 +(55,2 -55,2).cos45º <=> NJK = +312 kN [T]

+ S Fz = 0 <=> +NDJ.sen45º -NEJ +NJF.sen45º = 0 <=> NJF = (NEJ -NDJ.sen45º)/sen45º <=> NJF = (78 -55,2.sen45º)/sen45º <=> NJF = +55,2 kN [T]

39 kN 78 kN
z
NCH=78 kN
A NAC NAC=195 kN 429
x C NAH=275,8 kN NDI
NDH
(y) 45º NCD
NAH 45º 45º NHI=312 kN I NIJ
RAz=234 kN NCH
H NHI
a) Diagrama do Corpo Livre (DCL) do nó A b) DCL do nó C c) DCL do nó H d) DCL do nó I
78 kN 78 kN
NEJ=78 kN
NCD=195 kN NDE NDE=351 kN E NDJ=55,2 kN NJF
45º D 45º NEF
45º 45º
NDJ
NDH=165,5 kN NEJ NIJ=312 kN J NJK
e) DCL do nó D f) DCL do nó E g) DCL do nó J
Figura 4 Aplicação do método do equilíbrio dos nós à metade esquerda da treliça.

Os resultados obtidos pelo método do equilíbrio estático dos nós estão resu- dos perfis HEA 140 inicialmente planeados, então pelo facto de o critério de
midos na Fig. 5, sendo explicitados em detalhe os esforços normais instalados dimensionamento à encurvadura ser mais exigente que o dimensionamento
em todas as barras. A análise dos esforços internos permite concluir que à tracção/compressão, implica que, se a solução encontrada cumprir os
o esforço de máxima intensidade é de natureza compressiva, com uma requisitos do critério de encurvadura estabelecido no Eurocódigo Estrutural EC 3-
intensidade 351 kN e está instalado nas barras DE e EF, ambas com um 1-1, também cumprirá os requisitos de tracção/compressão. Note-se também
comprimento de 2 m, ou seja, as barras DE e EF correspondem às zonas que em termos de resistência à encurvadura, não obstante as barras DE e EF
críticas da treliça. serem menos esbeltas que as barras DH e FL, pelo facto de as primeiras terem
Dado pretender-se que toda a estrutura seja implementada com perfis estru- um menor comprimento (2 m contra 2,83 m), continuam a ser as mais críticas
turais ocos de secção circular (CHS) com uma única dimensão, em substituição dado serem muito mais solicitadas (351 kN contra 165,5 kN).

78 kN 78 kN 78 kN 78 kN 78 kN
39 kN 39 kN
z 195 kN C 195 kN D 351 kN E 351 kN F 195 kN G 195 kN
A B
x
78 kN
78 kN

kN
kN
kN

(y)
78 kN
27

55

5,8

2,0 m
,2
5,5
5,8

,2

55

27
16
16

kN
kN

5,5

RAz= 234 kN RBz= 234 kN


kN

312 kN 312 kN 312 kN 312 kN


H I J K L Esforço normal de tracção.
2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m 2,0 m
Esforço normal de compressão.
Figura 5 Diagrama de corpo livre completo da treliça, incluindo todos os esforços internos instalados. Esforço normal nulo.
Utilização da App [2]
A análise prévia anterior permitiu concluir que o esforço interno de máxima
intensidade é de natureza compressiva, com uma intensidade 351 kN e
está instalado nas barras DE e EF, implicando o seguinte:
Nmáx. = NDE = NEF = 351 kN
NEd = gG.Nmáx. = 1,5x351 = 526,5 kN
Assim, o valor de cálculo do esforço normal actuante considerando a majoração
estabelecida (gG = 1,5) é igual a 526,5 kN.
Existem agora condições para se recorrer à aplicação informática STEEL
CALCULATOR da FERPINTA (www.ferpintacalculator.com), visando a
optimização da treliça, através da substituição dos perfis de aço HEA 140
inicialmente planeados, por perfis estruturais ocos de secção circular (CHS)
em conformidade com a norma EN 10219-1, fabricados em aço da classe S235
(tensão de cedência: sced.=235 MPa). Esta operação envolve 7 fases.
Fase #1
Fase #1: No menu principal (main application menu), procede-se à selecção
da opção tubos equivalentes (equivalent tubes).

Fase #2 Fase #2: No menu perfis (profiles), procede-se à especificação do perfil a


substituir, ou seja, na situação em análise, o perfil HE 140 A.
Em termos globais, contempla a seguinte gama substituível de perfis I ou H:
1. HD;
2. HE A, HE AA, HE B e HE M;
3. HL, HL A, HL AA e HL M;
4. HP;
5. HP (US);
6. IPE, IPE A, IPE O;
7. IPN;
8. H JIS;
9. UB;
10. UBP;
11. UC;
12. W.
430

Fase #3 Fase #3: Em resultado de especificação do perfil a substituir HE 140 A, no


menu detalhes (details), são listadas as respectivas características dimensionais
e estáticas, sendo em seguida resumidas as mais relevantes para a análise
em causa:
- Massa linear: G = 24,66 kg/m b = 133 mm
- Altura: h = 140 mm z
- Lagura: b = 133 mm tw = 8,5 mm HEA 140
h = 140 mm

- Espessura da alma: tw = 5,5 mm y y


- Espessura do banzo: tf = 8,5 mm C.G.
tf = 5,5 mm
- Raio de concordância : r = 12 mm
- Área da secção transversal: A = 31,42 cm2
z
- Área a recobrir linear: AL = 0,79 m2/m
- Momento de inércia, eixo forte y: Iy = 1033,13 cm4
- Raio de giração, eixo forte y: iy = 5,73 cm

Fase #4 Fase #4: No menu entradas (inputs), procede-se à especificação dos


parâmetros de cálculo aplicáveis à substituição do perfil HE 140 A. Sendo em
seguida resumidas as decisões para análise em causa:
- Tipo de solicitação: N - coluna (opções adicionais: viga e viga-coluna).
- Comprimento [m]: 2 (comprimento das barras DE e EF - ver Fig. 5)
- Classe de aço: S235 (tensão de cedência: sced.=235 MPa)
- Processo de fabrico do aço: Hot Rolled (laminado a quente)
- Condições de apoio, eixo y - Ky : 1 (extremidade articulada)
- Condições de apoio, eixo z - Kz : 1 (extremidade articulada)
- Esforço normal actuante [kN] - NEd : 526,5 (NEd = gG.Nmáx. = 1,5x351 kN)

[2] Fonte: FERPINTA S.A. - “Manual de dimensionamento de perfis ocos soldados


e conformados a frio” - 1ª Edição, 2014, Portugal.
Fase #5: No menu compatibilização (matching), é especificada a forma do
perfil estrutural oco conforme a norma EN 10219-1, que irá substituir o
Fase #5 perfil HE 140 A, dentro das seguintes três formas possíveis:
1. Secção circular (CHS);
2. Secção quadrangular (SHS);
3. Secção rectangular (RHS).
Seleccionado-se a optimização da treliça em análise através da utilização de
perfis ocos de secção circular (CHS), procede-se em seguida ao enquadramento
técnico da susbtituição, explorando as seguintes possibilidades:
- Dimensões: Dmín [mm] = 135 ; Dmáx [mm] = 140
(conforme inicialmente imposto por razões construtivas)
- Classe de aço: S235 (tensão de cedência: sced.=235 MPa)
- Qualidade: JRH (perfil oco em aço laminado a quente)
- Condições de apoio, eixo y - Ky : 1 (extremidade articulada)
- Condições de apoio, eixo z - Kz : 1 (extremidade articulada)

Fase #6: No menu resultados (results), são apresentadas um conjunto de


Fase #6 possibilidades (12) em perfis ocos de secção circular (CHS). Após análise
das mesmas conclui-se que o perfil oco de secção circular que cumpre de
forma optimizada o requisito de resistência à encurvadura é o seguinte:
Perfil CHS 139,7 x 6,3 S235 JRH CHS 139,7x6,3
Com o seguinte desempenho à encurvadura: z
t = 6,3 mm

NEd < Nby,Rd => 526,5 kN < 539,8 kN [ok] y y


C.G.
NEd < Nbz,Rd => 526,5 kN < 539,8 kN [ok]
z
E os seguintes desempenhos económicos em D = 139,7 mm
comparação com o perfil HE 140 A a substituir:
a) Relação entre massas lineares: GCHS / GHEA = 20,73 / 24,66 = 0,840
b) Relação entre áreas de pintura: ALCHS / ALHEA = 0,44 / 0,79 = 0,557

Full Report - Ferpinta


FERPINTA REPORT - CHS 139.7 X 6.3 I S235 JRH Fase #7 Fase #7: Após a marcação no menu resultados (results) do perfil prescrito
CHS 139,7x6,3 e solicitação do respectivo relatório completo (full report), o
SUMMARY OF RESULTS
mesmo apresenta um sumário dos resultados da análise técnica.
Cross-section class Designation
Pure Compression: 1 Cross-section: CHS 139.7 x 6.3 Este relatório pode ser salvo ou enviado para um e-mail a indicar.
Cross-section resistance G [kg/m]: 20.73
Nc,Rd [kN]: 620.46 Dimensions
Flexural Buckling Resistance D [mm]: 139.70 Conclusões
Nb,y,Rd [kN]: 539.79 t [mm]: 6.3 É possível e viável a substituição do perfil HE 140 A - S235 JR pelo perfil CHS
Nb,z,Rd [kN]: 539.79 Area
139,7 x 6,3 - S235 JRH, para a implementação da treliça em causa, com os
Column Resistance A [cm²]: 26.40
NRd [kN]: 539.79 Surface
seguintes desempenhos técnico/económicos:
Verification AL [m²/m]: 0.44 1. Segurança conforme Eurocódigo Estrutural EC 3-1-1 (NP EN 1993-1-1):
e(N) = NEd / Nc,Rd 1: 0,849 Section Properties NEd / Nb,Rd < 1 : 0,975 [ok]
e(Nb) = NEd / Nb,Rd 1: 0,975 I [cm4]: 588.62 2. Redução de 15,9% na quantidade de aço consumida:
The column is safe! i [cm]: 4.72 (GCHS-GHEA)/GHEA = (20,73 kg/m -24,66 kg/m)/24,66 kg/m = -0,159 = -15,9%
3. Redução de 44,3% da área de pintura/protecção:
Save on session Send to Mail Close (ALCHS-ALHEA)/ALHEA = (0,44 m²/m -0,79 m²/m)/0,79 m²/m = -0,443 = -44,3%

431
Confirmação do cálculo à encurvadura por flexão
O cálculo à encurvadura dos tubos DE e EF (CHS 139,7 x 6,3 - S235 JRH), com Determinação do comprimento de encurvadura (Lcr):
recurso ao critério EC 3-1-1 (NP EN 1993-1-1), tem o seguinte desenvolvimento: - Condições de apoio: Ky = Kz = K = 1 (extremidades articuladas)
Consultando o relatório completo (full report) anterior referente à Fase #7, - LDE = LEF = L = 2 m
retiram-se as seguintes características relevantes do tubo circular 139,7x6,3:
- Lcr,y = Lcr,z = Lcr = K.L = 1x2 = 2 m
- Diâmetro exterior (D): 139,7 mm
- Espessura da parede (t): 6,3 mm Determinação da esbelteza normalizada ( ), de acordo com a Secção 6.3.1.3
- Área (A): 26,40 cm² = 2.640 mm2 do EC 3-1-1 (ou Secção 4.1.1 do Manual FERPINTA [2]):
- Raio de giração (i): iy = iz = i = 4,72 cm = 0,0472 m
A verificação da classe desta secção CHS de acordo com o Quadro 5.2 do EC 235 235
= 93,9.e = 93,9 = 93,9 = 93,9 (esbelteza de referência)
3-1-1 (ou Tabela 2.2 do Manual FERPINTA [2]), tem o seguinte desenvolvimento: fy 235
Lcr 1 2 1
D 139,7 = = = 0,451
= = 22,2 i
(esbelteza normalizada - Eq. 6.50 do EC
t 6,3 0,0472 93,9 3-1-1 para secções das Classes 1, 2 e 3)

235 235 235 Consultando o Quadro 6.2 do EC 3-1-1 infere-se que a curva de encurvadura
e= = = =1
sced. fy 235 aplicável a tubos estruturais EN 10219-1 fabricados por conformação a frio,
é a curva “c”, à qual está associado um factor de imperfeição a = 0,49 (ver
Dado que D/t < 50e2, então infere-se que esta secção CHS é da Classe 1. Figura 6, obtida a partir da Fig. 6.4 do EC 3-1-1).
Para o tubo circular 139,7x6,3 em análise, a curva de dimensionamento “c” 1,1
tem a seguinte tradução analÍtica: 1,0
2 2

Coeficiente de encurvadura c
0,9
F = 0,5[1+a( -0,2)+ ] = 0,5[1+0,49x(0,451 -0,2)+0,451 ] = 0,663
0,8 c=0,87
c= 1 1
= = 0,87 (ver Figura 6) 0,7 Curva de encurvadura “c” (a=0,49)
2 2 2 2
F+ F - 0,663 + 0,663 - 0,451 (Eq. 6.49 do EC 3-1-1) 0,6 Aplicável a tubos de aço EN 10219-1

Com o consequente valor de cálculo do esforço normal resistente à encurvadura: 0,5


c.A.fy 0,87x2.640x235x10-3 0,4
Nb,Rd = = = 539,8 kN (Eq. 6.47 do EC 3-1-1 para
gM1 1,0 (recomendação EC 3-1-1) secções das Classes 1, 2 e 3) 0,3
0,2
O qual compara com o valor de cálculo do esforço normal actuante com majoração:
0,1
NEd < Nb,Rd => gG.N < 539,8 kN => 1,5x351 < 539,8 kN => 526,5 < 539,8 kN [ok] l=0,451
0,0
(Eq. 6.46 do EC 3-1-1) 0,0 0,2 0,4 0,6 0,8 1,0 1,2 1,4 1,6 1,8 2,0 2,2 2,4 2,6 2,8 3,0
Tubos DE e EF: 139,7x6,3 Esbelteza normalizada l
sendo:
c - coeficiente de redução
N - valor do esforço normal actuante (N = Nmáx. = NDE = NEF = 351 kN) Figura 6 Curva de cálculo à encurvadura EC 3-1-1 para tubos EN
A - área da secção transversal ; fy - tensão de cedência = sced 10219-1, com obtenção do coeficiente de encurvadura
NEd - valor de cálculo do esforço normal actuante com majoração aplicável à situação em análise.
Nb,Rd - valor de cálculo do esforço normal resistente à encurvadura
gG - coeficiente de majoração de acções permanentes - coef. de segurança (c.s.)
gM1 / gM0 - coef. parciais de segurança à encurvadura/compressão = 1,0 (recomendação EC 3-1-1)

Confirmação do cálculo à compressão


Para o cálculo à compressão dos tubos DE e EF (CHS 139,7 x 6,3 - S235 JRH),
com recurso ao critério EC 3-1-1 (NP EN 1993-1-1), determina-se o esforço
normal resistente à compressão uniforme:
A.fy 2.640x235x10-3
Nc,Rd = = = 620,4 kN (Eq. 6.10 do EC 3-1-1 para
gM0 1,0 (recomendação EC 3-1-1) secções das Classes 1, 2 e 3)

O qual também compara com o valor do esforço normal actuante com majoração: Figura 7 Exemplo de tubos estruturais ocos de secção circular (CHS)
em conformidade com a norma EN 10219-1.
NEd < Nc,Rd => gG.N < 620,4 kN => 526,5 < 620,4 kN [ok] (Eq. 6.9 do EC 3-1-1)

As duas análises anteriores confirmam a afirmação inicial de que o cálculo à encurvadura é mais exigente que o cálculo à tracção/compressão e comprovam uma
total convergência com os resultados obtidos na utilização do STEEL CALCULATOR FERPINTA.
432

Uma iniciativa das empresas: Ficha Técnica:

FERPINTA
Indústrias de Tubos de Aço
de Fernando Pinho Teixeira, S.A.

Tel. 256 411 400 · Fax 256 412 049 Propriedade: APTA
Apart. 26 · Carregosa · Oliveira de Azeméis associação de produtores de tubos e acessórios
Associação de Produtores de Tubos e Acessórios
3731-956 VALE DE CAMBRA
info@ferpinta.pt · www.ferpinta.pt
Coordenação: Paulo Gomes (Engº) Tel. 229 444 532
PORFITE
Grafismo: www.brandcreativestore.pt Fax 229 444 531
Acessórios para Canalizações, Lda. Impressão: Lidergraf, SA Apartado 6066
Tel. 229 410 583 · Fax 229 410 644 4476-908 OUTEIRO MAIA
Rua do Outeiro, 280 · Sector 3 · MOREIRA
4470-637 MOREIRA MAIA
Dep. Legal: 250159/06 www.apta.pt
vendas@porfite.pt · www.porfite.pt 5.500 Exemplares · SET/2016 info@apta.pt

Opção pelo envio único da APTitude


em formato electrónico tipo “.pdf” atitudes APTA em revista

Caro Leitor, para optar por esta modalidade de recepção, prescindindo do envio em formato papel via CTT,
Sim, desejo receber gratuitamente
basta que nos envie um e-mail para o endereço info@apta.pt, mencionando em Assunto/Título, o nome completo
esta publicação periódica
e o seu nº de leitor (referência localizada em baixo e à direita na etiqueta de identificação do leitor, que acompanha
o envio do formato papel via CTT) ou, em alternativa, mencionar no e-mail a sua identificação completa (nome Sim, desejo receber gratuitamente
e morada). a “Folha de Cálculo Gás - APTA” (Formato Excel)

Sim, desejo receber gratuitamente a


Nome:
“Folha de Cálculo Redes de Incêndio - APTA” (Formato Excel)
Função
Sim, desejo receber gratuitamente a
Empresa: Actividade: “Folha de Cálculo Redes de Sprinklers - APTA” (Formato Excel)
Morada: Cód. Postal: Sim, desejo receber gratuitamente
Tel.: Fax: E-mail: a “Folha de Cálculo Águas - APTA” (Formato Excel)

Enviar por FAX ou CARTA para: APTA, Associação de Produtores de Tubos e Acessórios · Apartado 6066 · 4476-908 OUTEIRO MAIA · Fax: 229 444 531