Anda di halaman 1dari 29

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ - CAMTUC


FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM
Disciplina: Administração para Engenheiros
Prof. Eng. Msc. Maciel da Costa Furtado

Tucuruí
2017 1
Bibliografia Recomendada
SILVA, A. T. Administração e Controle. Atlas, 6ª
ed., São Paulo, 1988.

CHIAVENATO, I. Teoria Geral da Administração:


abordagens prescritiva e normativa. Manole, Vol. 1,
7ª Ed. – Barueri-SP, 2014

2
Demais Bibliografias
• Básica
KOONTZ, H.; O’DORNELL, C. Princípio de Administração: uma análise das
funções administrativas. Americana, 11ª ed. – São Paulo, 1978
ROBINS, S. P. Administração: mudança e perspectivas. Saraiva, São Paulo, 2005.
PIMENTEL, N. M. Curso de Graduação em Administração a Distância.
SEAD/UFSC, Educação a Distância I, Florianópolis, 2006
MORTIZ, G. O. Curso de Graduação em Administração a Distância. SEAD/UFSC,
Processo Decisório Módulo II, Florianópolis, 2006.
FARIA, N. M. Introdução à Administração: perspectiva organizacional. Editora da
Universidade Federal do Paraná, Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1979.
SCHERMERHORM Jr., J. R. Administração. LTC, 8ª ed., 2014.
3
Demais Bibliografias
• Complementar
DANTAS, F. S. Fundamentos de Administração e Economia para Técnicos, 2003.
TEIXEIRA, H. J.; SALOMÃO, S. M.; TEIXEIRA, C. J. Fundamentos de Administração,
2009.
NETO, A. A.; LIMA, F. G. Fundamentos de Administração Financeira, 2010.
OLIVEIRA, D. P. R. Fundamentos da Administração, Atlas, 2009.
WESTON, J. F.; BRIGHAM, E. F. M. Fundamentos da Administração Financeira,
2000.

4
Administração para Engenharia

5
Emenda

1. Administração e Organização de instalação Industriais.


2. Administração da Produção.
3. Noções de Administração de Pessoal, Financeira e de Suprimentos.
4. Contabilidade e Balanços.

6
AULA 1: ADMINISTRAÇÃO E
ORGANIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES
INDUSTRIAIS

7
Introdução
• As instituição que compõe e dinamizam a sociedade moderna não funcionam ao
caso. Elas precisam ser administradas. Essas instituições são chamadas
organizações e são constituídas de pessoas que administram conhecimentos,
recursos físicos e materiais, financeiros, tecnológicos, mercadológicos, etc.
• Há uma esteira interdependência: a vida das pessoas dependem das organizações,
e estas dependem da atividade e do trabalho das pessoas.
• As pessoas nascem, crescem, aprendem, vivem, trabalham, divertem-se, são
tratadas e morrem dentro de organizações.
• Para que as organizações possam ser adequadamente administrada, elas precisam
ser estudadas, conhecidas e analisadas. Essa é a razão pela qual a Teoria das
Organizações (TO) sempre caminhou à frente da Teoria Geral da Administração
(TGA), dando-lhe as bases teóricas
8
Introdução
• No fundo, TGA é uma decorrência das conclusões extraídas da TO. Muitos
conceitos e temas da teoria geral administrativa são derivadas da TO.
• Pelo seu tamanho e pela complexidade de suas operações, quando as
organizações atingem um determinado porte, precisam ser administradas, e sua
administração requer uma aparato de pessoas estratificadas em diversos níveis
hierárquico que se ocupam de atividades diferentes, que precisam ser integradas e
coordenadas.
• A administração nada mais é do que a condução racional e estratégica das
atividades de uma organização, seja ela lucrativa ou não lucrativa.
• A administração trata do planejamento, da organização (estruturação), da direção
e do controle de todas as atividades diferenciadas pela divisão de trabalho que
ocorrem dentro de uma organização.
• Assim, a Administração é imprescindível para a existência, sobrevivência e sucesso
das organizações . Sem administração, as organizações jamais teriam condições
de existir, sobreviver e crescer. 9
Habilidades do Administrador
• A administração não é uma atividade mecânica ou rotineira que depende apenas
de certos hábitos ou conhecimentos do profissional.
• Pode-se ensinar o que um administrador deve fazer, mas isso não irá capacitá-lo
efetivamente a fazê-lo bem em todas as organizações.
• Seu sucesso profissional depende de como ele vai aplicar seus conhecimentos
situações complicadas que nem sempre estão sob seu controle e, sobre tudo,
dentro de sua habilidade em conseguir fazê-los. Existem três tipos de habilidades
que o administrador deve possuir para trabalhar com sucesso: Técnica, Humana e
Conceitual.

10
Habilidades do Administrador

Figura 1 – As três habilidades do administrador 11


Competências do Administrador
• As competências – qualidades de analisar uma situação, apresentar soluções,
decidir, resolver problemas e gerar valor – constituem o maior patrimônio pessoal
do administrador. Sua maior riqueza é seu capital intelectual. O segredo está em
adquirir competências duráveis: aquelas que, mesmo em tempos de rápida
mudanças, não se tornam descartáveis nem obsoletas. O administrador precisa
desenvolver quatro competências duráveis:

12
Competências do Administrador

Figura 2 – competências duráveis do administrador 13


Papéis do Administrador
• O administrador desempenha simultaneamente vários e diferentes papéis. Papel
significa um conjunto de expectativas da organização a respeito do
comportamento de uma pessoa. É identificado dez papéis do administrador
divididos em três categorias básicas:
✓ Papeis interpessoais: são as relações com outras pessoas e estão focadas na
habilidades humanas. Consiste em como o administrador interage com as pessoas
e influencia seus subordinados, clientes e fornecedores.
✓Papéis informacionais: são as atividades para manter e desenvolver uma rede de
informação. Como o administrador intercambia e processa a informações. Como o
administrador intercambia e processa a informação, ele passa a maior parte de
seu tempo enviando e recendo informações de outras pessoas dentro e fora da
organização.
✓ Papéis decisórios: o administrador enfrenta situações em que deve fazer escolhas
ou opções que requerem tanto habilidades humanas como conceituais. Como o
administrador utiliza a informação em sua decisões.
14
Tabela 1 – Os dez papéis do administrador

15
Papéis do Administrador

Figura 3 – Os dez papeis administrativos, segundo Mintzberg


16
Figura 4 – Mapa mental da Teoria Geral da Administração
17
Técnicas Administrativas nas Empresas
• Os administradores são pessoas importantes em qualquer empresa ou entidade.
Tais administradores são homens encarregados de fazer os planos, organizar,
dirigir e controlar as operações, através do esforço conjunto das pessoas.
• É verdade que as empresas e entidades são diferentes, embora produzindo as
mesmas mercadorias ou serviços, mas em todas deve existir uma técnica
administrativa. Aliás, a técnica administrativa é importante também em outras
organizações, tais como a igreja, o governo, as forças armadas e mesmo a
administração do lar.
• Com raras exceções, os administradores devem adquirir os conhecimentos
necessário ao bom desempenho de suas funções, pois não basta conhecer
determinado assunto para que o indivíduo se julgue em condições de administrar
esta ou aquela empresa.
• Quando uma pessoa tem capacidade administrativa, adquirida através dos
estudos e da prática, terá maiores chances de sucesso. Concluímos, pois que a
técnica administrativa nas empresas é de vital importância para o seu sucesso.
18
Processos de Administração
• Um administrador de empresa lida com pessoas que executam os trabalho ou
serviços para os quais foram contratados. Ao coordenar o tralho dessas empresas
o administrador desempenha suas funções através de quatro processos
administrativos, a saber:
1. PLANEJAMENTO – determina o que o grupo de pessoas deve fazer.
2. ORGANIZAÇÃO – estrutura a empresa, reunindo pessoas e os equipamentos
necessários ao trabalho.
3. DIREÇÃO – conduz e coordena o trabalho do pessoal.
4. CONTROLE – verifica se tudo esta sendo feito de acordo com o que planejado e
as ordens dadas.

19
Processos de Administração

Figura 5 – Desempenho do administrador


20
Planejamento
• Planejamento é o processo administrativo que determina antecipadamente o que
um grupo de pessoas deve fazer e quais as metas que devem ser atingidas.
• Como se pode observar, o planejamento administrativo significa decidir
adiantadamente o que deve ser feito para alcançar determinado objetivo ou meta.
• O planejamento é um fato muito comum. Todos nós vivemos planejando alguma
coisa. Quando pretendemos ir ao centro da cidade com o nosso automóvel,
planejamos o caminho a ser percorrido. As donas de casa planejam as refeições da
família. Uma festa de formatura é planejada pelos diplomandos de uma escola.
• O planejamento é um comportamento humano muito natural. O mesmo acontece
com os administradores de empresa. Eles estão sempre planejando algo para
empresas

21
Tipos de Planejamentos Administrativos
• Existem muitas classificações de tipos de planejamentos administrativos. Mas,
visando simplificar a questão, podemos aceitar a classificação de dois tipos
principais de planejamento:
1. Planejamento especial: é aquele que, atingindo o seu objetivo, deixa de ser
utilizado. Não tem mais razão de ser porque o programa foi cumprido e
alcançado o objetivo desejado.
2. Planejamento geral: como a próprio denominação indica, é usado, muitas
vezes, de forma permanente.
 Lucro
imagem
 Especial  meios  Objetivo específico Metas 
Planejamento   solidez
Geral  meios  Objetivo permanenteda emrpesa
prosperidade

 papel social 22
Metas do Planejamento
• Afora os objetivos específicos e objetivos permanente, todo planejamento de uma
empresa procura alcançar a meta principal para a qual ela foi constituída e
organizada. Trata-se do lucro.
• É verdade que nos sistemas econômicos capitalistas ou de livre-empresa, a
finalidade é o lucro, como remuneração do capital investido. No entanto, além do
lucro, podemos destacar mais as seguintes metas da empresa:
a) Boa imagem perante o público consumidor;
b) Solidez financeira e econômica;
c) Prosperidade nos negócios;
d) Papel social no meio onde desempenha suas atividades.
23
Projetos
• No terrenodo planejamento das empresas existe um instrumento que possibilita
avaliar as vantagens e desvantagens de reunir ou combinar todos os recursos num
investimento empresarial, bem como aferir a capacidade dos empresários.
• Esse instrumento é conhecido pelo nome “Projeto”.
• Os projetos que visam a aumentar a produção de mercadorias e serviços são
importantes para o desenvolvimento econômico de um pais. De fato, um país
deixa de ser considerado pobre ou subdesenvolvido quando aumenta a produção
de mercadorias e serviços de consumo; e, para produzir mais, necessita de muitas
empresas que são projetadas e implantadas em seu território.
• Além de aumentar a produção de mercadorias e serviços de consumo, as novas
empresas proporcionam emprego aos trabalhadores disponíveis.
• O desenvolvimento econômico depende muito dos projetos públicos (do governo)
ou privados (dos particulares). 24
Projetos
a) Acelera o desenvolvimento econômico de um
Ponto de pais.
vista social b) Proporciona mais emprego ao trabalhadores.
PROJETO
(Instrumento de constituição,
implantação ou expansão de
uma empresa) a) Justificar um programa de produção e a
Ponto de reunião dos fatores de produção.
vista b) Permite reduzir os riscos do investimento.
empresarial c) Avalia a capacidade técnico-administrativa dos
administradores.

25
Tipos de Projetos
Minerais
Extrativos
Industriais Vegetais
Transformação

Tipos de Projetos

2. Agrícolas
3. Pecuários
4. Serviços de Consumo

26
Fases dos Projetos
• Mesmo não levando em conta a maior ou menor complexidade de um projeto,
podemos distinguir em todo eles quatro fases distintas, a saber:

1ª Anteprojeto
2ª Projeto Final
As quatro fases
3ª Implantação
dos projetos
4ª Funcionamento Operacional

27
Elaboração e Avaliação de Projetos
• À medida que foi aumentando o número de projetos industrias, agrícolas,
pecuários e de serviços de consumo, surgiu uma técnica especial para feitura
desse instrumento de planejamento de empresas. Essa técnica é conhecida pela
seguinte denominação: Elaboração e Avaliação de Projetos.
• Como a própria denominação da técnica esclarece, estamos diante de dois
aspectos diferentes, porém intimamente relacionados. São eles:
1. Elaboração de projetos;
2. Avaliação de projetos.
Dissemos que os dois aspectos estão relacionados ou ligados porque, ao se fazer um
projeto ou plano, sempre avaliamos os seus resultados. Até um simples plano de
viagem é por nós avaliado, considerando-se a conveniência ou não de sua
realização, os meios a serem utilizados e os resultados que serão alcançados.
28
Elaboração e Avaliação de Projetos
• Devemos destacar que o primeiro aspecto (a elaboração de projetos) é a tarefa
mais fácil, porque sua realização recebe a contribuição de outras áreas do
conhecimento humano, tais como a Administração, a Economia, a Engenharia, o
Direito, as Finanças, a Mercadologia etc. Sendo o projeto elaborado por uma
equipe, o que é o ideal, terá constituição de administradores de empresas, de
economistas, de engenheiros, de advogados, de consultores financeiros, de
técnicos em mercadologia e etc., cada um colaborando com seus conhecimentos
especializados.
• O segundo aspecto (avaliação de projetos) é tarefa mais fácil, porque muitas
previsões falham devido a variações de toda ordem. Isto não que dizer que tudo
acontece ao contrário da previsão, ou que os resultados são sempre negativos.
Deve-se levar em conta certa margem de erro em algumas previsões. Outras
vezes, a coisa falha totalmente, mas nem por isso devemos desacreditar das
ciências que contribuíram para a elaboração dos projetos. Os critérios de avaliação
de projetos têm sido os mais diversos em muitos países, o mesmo acontecendo
com os autores que tratam do assunto. Não será tarefa fácil descobrir um critério
100% positivo para avaliação de projetos ou planos de qualquer natureza. 29