Anda di halaman 1dari 10

FOLHA DE CAPA

TÍTULO

SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO


CONFINADO

NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGÁS FOLHA


PR-69-983-CPG-004 1/10

CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS


ESTA FOLHA DE CONTROLE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA E AO DESTINATÁRIO
É SOLICITADO SUBSTITUIR AS FOLHAS SUPERADAS PELAS ÚLTIMAS REVISÕES, DE ACORDO COM A INDICAÇÃO DESTA FOLHA

REVISÃO 0 1 REVISÃO REVISÃO


FOLHAS FOLHAS FOLHAS
1 0 1
2 0 1
3 0 1
4 0 1
5 0 1
6 0 1
7 0 1
8 0 1
9 0 1
10 - 1

CONTROLE DE REVISÕES
REV. CÓD. DATA DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO EXECUÇÃO APROVAÇÃO
0 PR 07/05/01 Emissão Original MMessias MMessias
1 RG 18/04/02 Revisão Geral MMessias MMessias

CÓDIGO / FINALIDADE DA EMISSÃO


PR – PRELIMINAR PA - PARA APROV. CLIENTE CT - P/COTAÇÃO PL - PARA LICITAÇÃO
PI – PARA INFORMAÇÃO AP - APROVADO P/ CLIENTE PC - PARA CONSTRUÇÃO RG – REVISÃO GERAL
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
2/10
CONFINADO

1. OBJETIVO :

Este Procedimento tem por finalidade estabelecer as condições a serem observadas


para proteger os trabalhadores dos perigos associados com a entrada em espaços
confinados, para a execução de serviços em obras de instalação de troncos ou
ramais, bem como para os serviços necessários a operação e manutenção da Rede
de Distribuição de Gás Natural (RDGN).

2. ABRANGÊNCIA :

Este Procedimento aplica-se à Área Operacional e à Área Técnica, sob


responsabilidade da Gerência Operacional e da Gerência Técnica da COMPAGAS,
no escopo de garantir a segurança e preservação da saúde do trabalhador próprio ou
de empresas prestadoras de serviço, durante a execução dos trabalhos dentro de
espaços confinados ao longo da RDGN.

3. AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE :

A - Relativas à Atividade :

ATIVIDADE RESPONSABILIDADE
Trabalhos dentro de espaço Técnicos de Processo
confinado na RDGN Técnico de Seg. do Trabalho
Fiscais de Obras
Engenheiros de Operação e Manutenção
Engenheiros de Obras

B - Relativas ao Controle deste documento :

ATIVIDADE RESPONSABILIDADE
Aprovar G. O.
Elaborar / Revisar E. P.
Editar E. P.
Controlar A. T.

4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA :

4.1- Procedimento de Emissão de Permissão para Trabalho - PR-69-983-CPG-003;


4.2- Instrução de Segurança e Saúde - CD-70-911-CPG-003;
4.3- Condições Gerais de Contratação – Cláusula VIII – Segurança, Saúde e Meio
Ambiente – CD-70-911-CPG-002;
4.4- NBR em consulta pública (projeto 00:001.36-001)
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
3/10
CONFINADO

5. DEFINIÇÕES :

5.1- G. O. - Gerência de Operações;


5.2- G. T. – Gerência Técnica;
5.3- E. P. - Emissão de Procedimentos;
5.4- A.T. - Arquivo Técnico;
5.5- RDGN - Rede de Distribuição de Gás Natural;
5.6- Espaço Confinado – é todo local que apresenta segregação da atmosfera natural, é
grande o suficiente para entrar e realizar trabalho e sua configuração apresenta
meios restritos de entrada e saída. Não é designado para ocupação contínua.
5.7- Espaço Confinado que exige Permissão de Entrada – é um espaço confinado que
apresenta uma ou mais das seguintes condições:
Potencial de conter atmosfera perigosa;
Configuração interna que possa aprisionar uma pessoa;
Potencial de conter substâncias prejudiciais à saúde das pessoas, como por
exemplo, umidade com potencial de presença de microorganismos que gerem
monóxido de carbono ou que representem riscos biológico.
Local com deficiência de oxigênio (concentração tolerável 19,5 à 23%);
Local com configuração que possa causar asfixia, claustrofobia ou até medo e
insegurança.

Obs: A entrada em espaço confinado não significa, necessariamente, a entrada


de todo o corpo no espaço em questão, devendo também ser considerada a
entrada parcial ( inspeção visual em caixas, boca de lobo, janelas de visita etc.)
onde normalmente só a parte superior do corpo é adentrada no espaço confinado.

5.8- Entrada – é a ação pela qual uma pessoa passa através de uma abertura para
dentro de um espaço confinado, inclui a realização de atividades de trabalho nesse
local, e ocorre a partir do ponto em que qualquer parte do corpo de uma pessoa
quebre o plano de uma abertura para o local.
5.9- Permissão de Entrada – é a descrição específica no campo “Recomendações
Adicionais de Segurança/Observações Gerais”, do formulário de Permissão para
Trabalho, registrando as condições de verificação da segurança do ambiente,
especialmente concentração de oxigênio e eventual concentração de gás
(percentual do Limite Inferior de Inflamabilidade - LIE), e autorizando a entrada no
espaço confinado para realização de qualquer tipo de trabalho.
5.10- Permissão de Entrada em redes na fase de construção – é a autorização emitida
pelo Encarregado do Trabalho ou Técnico de Segurança do Trabalho, em formulário
próprio da empresa responsável pelo trabalho, seguindo o modelo do anexo 2.
5.11- Pessoa Autorizada – é um empregado da COMPAGAS ou de empresas
prestadoras de serviços, autorizada pelo emitente da Permissão de Entrada, a
realizar atividades de trabalho no local.
5.12- Assistente de Entrada – pessoa que permanece no exterior do local configurado
como espaço confinado e responde externamente pela segurança do trabalhador
presente dentro do ambiente confinado.
5.13- Atmosfera Perigosa – é o ambiente que pode expor uma pessoa a risco de vida,
incapacitação ou a habilidade de auto-salvamento, causando ferimentos ou doenças
agudas. Podem ser provenientes de uma ou mais das seguintes condições:
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
4/10
CONFINADO

Presença de gás inflamável em excesso de 10% do Limite Inferior de


Inflamabilidade (LIE);
Concentração de oxigênio atmosférico abaixo de 19,5% ou acima de 23%;
Presença de qualquer outra substância para a qual a dose ou limite de exposição
permitida seja inferior a concentração presente no ambiente;
Qualquer outra condição de ambiente que seja imediatamente perigosa para a
vida ou à saúde.
5.14- Perigo Imediato para a Vida ou a Saúde – é qualquer condição que se constitua em
ameaça imediata, ou a longo prazo, à vida ou que cause efeitos adversos ou
irreversíveis, ou ainda que afete a habilidade individual de escapar sem auxílio
externo de um espaço confinado.
5.15- Espaço Confinado Não Permitido – é uma espaço confinado que apresente uma
atmosfera contaminada de tal forma que não haja condições de realizar o trabalho
com equipamentos comuns de proteção, exigindo equipamentos especiais e pessoal
altamente especializado no tipo de risco detectado. Ao longo da RDGN não é uma
situação prevista em condições normais, contudo, em caso de incidentes pode
ocorrer casos momentâneos dessa natureza.
5.16- Sistema de Recuperação e Resgate – é constituído de equipamentos como
armadura para o peito ou corpo inteiro, empunhadura e dispositivo elevador,
utilizados para movimentação de pessoas sem a necessidade de entrada no espaço
confinado.
5.17- Teste – processo pelo qual são identificados os riscos para o trabalho em um
determinado local que configure espaço confinado. Especificamente para o trabalho
na RDGN, consiste na verificação (medição pelo detector de gás metano ou pelo
explosímetro) da presença de gás natural no ambiente, bem como na presença de
quantidade adequada de oxigênio (acima de 19,5%v).
5.18- Abandono – ato de saída de um espaço confinado, processada por reconhecimento
de indicação de perigo ou aviso do assistente de entrada.

6. DETALHAMENTO :

6.1 - Diretrizes gerais:

6.1.1- O trabalho em espaço confinado, dentro do escopo do trabalho de operação e


manutenção da RDGN, ocorre na execução das atividades no interior das
Caixas Enterradas que contém Estações de Redução de Pressão (ERP),
Válvulas de Bloqueios Intermediárias (VBI), Válvulas de Bloqueio de Ramais
(VBR) ou Lançadores de PIG (LP). Especificamente as caixas com ERPs se
constituem no local com maior freqüência de atividades que irão requerer a
entrada de pessoas;
6.1.2- Os locais de ERP e LP estão mapeados no anexo I deste procedimento, bem
como estão detalhadas as características gerais das caixas de válvulas de
bloqueio.
6.1.3- O trabalho em espaço confinado, dentro do escopo de obras de construção de
troncos e ramais da RDGN, ocorre na execução de atividades no interior de
caixas enterradas para instalação de ERP e Válvulas de Bloqueio, bem como em
locais de escavação profunda (acima de 2,0 m de profundidade);
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
5/10
CONFINADO

6.1.4- É importante estar atento para as situações em que a obra está sendo realizada
em interface com trechos da RDGN em operação, onde obrigatoriamente deverá
ser obtida a Permissão para Trabalho emitida pela área operacional.
6.1.5- Todos os empregados da COMPAGAS ou de empresas prestadoras de serviços,
que possam ser designados para entrar em espaços confinados para a
realização de suas tarefas, devem ser especificamente treinados para identificar
os riscos que envolvem a entrada em tais locais, conhecer e utilizar os
Equipamentos de Proteção Individuais (EPI) necessários bem como os
procedimentos a serem adotados para auto-salvamento ou salvamento de outras
pessoas, em casos de incidentes.
6.1.6- As pessoas autorizadas a efetuarem trabalho em locais configurados como
espaço confinado deverão ter certificado de participação em treinamento de
habilitação para trabalho nesses locais. O Técnico de Segurança do Trabalho da
COMPAGAS deverá homologar o certificado do treinamento.
6.1.7- As pessoas que exercerão a atividade de assistente de entrada em espaço
confinado, também deverão ter participado do treinamento e conhecer
adequadamente os procedimentos de resgate, bem como dispor dos
equipamentos necessários.
6.1.8- O trabalho dos Técnicos de Processo, da Gerência de Operações, dentro dos
locais configurados como espaço confinado não exigirá a emissão de Permissão
para Trabalho Específica. Contudo, o trabalho de manutenções preventivas
deverá ser precedido de plano de trabalho específico para essa condição de
trabalho. Manutenções corretivas de urgência, somente deverão ser executadas
com a presença de dois Técnicos de Processo, ou com a presença de um
Técnico de Processo e de um empregado da empresa que conheça bem os
riscos envolvidos como por exemplo do Técnico de Segurança do Trabalho, de
Engenheiros da área de operações, de Técnicos, Fiscais ou Engenheiros de
Obra. Em qualquer circunstância deverá existir sempre a presença do
Assistente de Entrada, o qual responderá externamente pela segurança do
Técnico que estiver efetuando o atendimento no interior do ambiente confinado.
6.1.9- Quaisquer outras pessoas que necessitem proceder a entrada dentro de um
local configurado como espaço confinado da RDGN em operação, deverão
obter uma autorização através da emissão de Permissão para Trabalho efetuada
pelos Técnico de Processos, Técnico de Segurança do Trabalho ou Engenheiros
da Gerência de Operações.
6.1.10- No caso de obras ainda não condicionadas para a operação, será necessário a
obtenção de permissão de entrada emitida pelo encarregado da obra ou pelo
técnico de segurança do trabalho da empresa executora.
6.1.11- Todas as pessoas autorizadas a efetuar trabalhos no interior de locais
configurados como espaço confinado, deverão comprovar a inexistência de
doenças que interfiram com esse tipo de trabalho.
6.1.12- Em qualquer circunstância, o Assistente de Entrada não poderá ser incumbido
de outras tarefas que interfiram com a sua função específica de dar segurança
ao trabalhador presente no interior do ambiente confinado. Se houver absoluta
necessidade do afastamento do seu posto, o trabalho deverá ser interrompido e
o trabalhador deverá se retirar de dentro do local confinado.
6.1.13- Em casos de mudanças das condições do interior do ambiente confinado,
percebidos no interior desse ambiente, ou alertados pelo assistente de entrada,
os trabalhadores devem efetuar imediatamente o abandono do espaço confinado
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
6/10
CONFINADO

e o trabalho somente deverá ser reiniciado após uma completa reavaliação das
condições de segurança.

6.2 – Procedimento de autorização de entrada:

O procedimento de liberação de entrada em espaço confinado, contempla os


seguintes passos:

6.2.1- Reconhecimento dos riscos das atividades a serem desenvolvidas;


6.2.2- Identificação dos riscos potenciais pela verificação das condições do trabalho a
ser desenvolvido;
6.2.3- Avaliação da atmosfera do ambiente confinado quanto a presença de gás
natural proveniente de vazamentos através de acessórios da rede;
6.2.4- Avaliação da presença de outros gases, especialmente nitrogênio no caso de
rede em estado de inertização;
6.2.5- Avaliação da presença de materiais que possam significar riscos biológicos
para a saúde humana;
6.2.6- Avaliação da presença de oxigênio dentro dos parâmetros normais (acima de
19%v);
6.2.7- Avaliação das condições de ventilação do ambiente (especificamente no caso
de caixas de ERP, a abertura de todas as bocas de visita existentes);
6.2.8- Avaliação da necessidade de iluminação e suas condições de segurança;
6.2.9- Avaliação da existência de plano de reconhecimento de situação de
emergência, de abandono e resgate;
6.2.10- Avaliação da disponibilidade de ferramentas adequadas ao trabalho em
ambiente confinado;
6.2.11- Avaliação da disponibilidade de Equipamentos de Proteção Individual
adequados;
6.2.12- Avaliação da habilitação do trabalhador para execução de serviços em
espaço confinado – treinamento recebido;
6.2.13- Avaliação da presença de pessoa habilitada para exercer a função de
Assistente de Entrada;
6.2.14- Emissão do documento competente que permite a entrada no ambiente
confinado – Permissão para Trabalho ou no caso de obras, a Permissão de
Entrada;
6.2.15- Disponibilidade de equipamentos de teste para monitoramento contínuo das
condições de ambiente confinado, especialmente o sensor de concentração de
oxigênio.

6.3 – Avaliação adicional dos riscos envolvidos nas atividades em espaços


confinados:

6.3.1- Atividades que agravam a troca gasosa entre o ar interior e o meio ambiente,
como por exemplo atividades que utilizam combustão ou aquecimento – solda
elétrica, oxi-acetilênica etc.;
6.3.2- Número de trabalhadores no interior do ambiente;
6.3.3- Presença de microorganismos que consomem e liberam gases tóxicos ou
inflamáveis;
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
7/10
CONFINADO

6.3.4- Presença de material orgânico em decomposição, que também liberam gases


tóxicos ou inflamáveis;
6.3.5- Dificuldades de comunicação entre o pessoal no interior do local confinado e a
pessoa que executa a função de Assistente de Entrada;
6.3.6- Atividades que causem ruído ou vibração no interior do local confinado;
6.3.7- Conforto térmico, especialmente quanto a temperaturas excessivas;
6.3.8- Riscos elétricos, através da utilização de dispositivos de iluminação e
ferramentas não adequadas ao trabalho em espaço com possibilidade de
presença de material inflamável;
6.3.9- Fatores pessoais como claustrofobia, cardiopatias e mau preparo físico dos
trabalhadores autorizados a executar atividades em espaço confinado;
6.3.10- Fatores ergonômicos que normalmente estão presentes nas atividades dentro
de espaços confinados, exigindo adequado planejamento das tarefas e fiel
observância do tempo de exposição no interior do local confinado, devendo ser
previstas retiradas do trabalhador do interior desses locais a intervalos de
tempo compatíveis;
6.3.11- Mudanças bruscas nas condições meteorológicas, com ocorrências de
descargas atmosféricas por exemplo.

6.4 – Sistemas de Recuperação e Resgate

6.4.1- A COMPAGAS utiliza como dispositivo de recuperação e resgate, o seguinte


sistema movimentador de pessoas:


tripé com ancoragem superior, totalmente regulável, e confeccionado em aço;




cinto tipo paraquedista com ancoragem nos ombros;




trava-quedas para corda de 12 mm;




polia simples e polia dupla para o sistema de resgate;




corda poliamida trançada padrão CB 12 mm – resistência maior do que 1500 kg;




mosquetão oval 18 mm em aço com dupla trava.


6.4.2- Os equipamentos componentes do dispositivo de recuperação e resgate
deverão estar rotineiramente acondicionados em bolsa para sua adequada
conservação.
6.4.3- Um plano de resgate específico deverá ser elaborado anteriormente à entrada
em qualquer espaço confinado que exige permissão de entrada, e especial
atenção deve ser dedicada a planejar o sistema de resgate sem que haja
necessidade de entrada no espaço confinado. O plano de resgate deve conter:


descrição do serviço a ser executado;




caracterização dos riscos envolvidos;




identificação dos membros da equipe de resgate;




equipamentos de proteção pessoal adequado para cada membro da equipe;




disponibilidade do sistema de recuperação e resgate;




método de resgate alternativo.


6.4.4- As empresas prestadoras de serviços deverão disponibilizar para seus
funcionários, sistema de recuperação e resgate semelhante ao utilizado pela
COMPAGAS.
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
8/10
CONFINADO

ANEXO I

LOCAIS DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL (RDGN) QUE


SE CONSTITUEM EM ESPAÇO CONFINADO.

CAIXAS ENTERRADAS DE ERP


Identificação Localização
01 ERP-AR-04 Avenida dos Pinheirais – Araucária
02 ERP-AR-06 Rodovia PR-423, junto a Siderúrgica Gerdau
03 ERP-CL-01 Rodovia PR-423, próximo a empresa Schmidt
04 ERP-CL-06 Rua Ema Taner de Andrade (prox. Ao Viaduto BR-277)
05 ERP-CL-07 Rua Padre Natal Pigatto (em frente a Incepa)
06 ERP-CO-01 Rua João Lunaderlli, CIC (próximo a Peróxidos)
07 ERP-CO-02 Avenida JK, CIC (próximo ao viaduto BR116–C. Leste)
08 ERP-CO-03 BR-116 (próximo ao viaduto sobre Contorno Leste)
09 ERP-CO-04 BR-376 (junto ao viaduto do Contorno Leste)
10 ERP-CO-05 BR-376 (junto ao viaduto do Contorno Leste)
11 ERP-CO-06 Estrada da Roseira (Renault), junto ao C. Leste
12 ERP-BR-01 Rua Wilson Feijó, próx. A BR-116 (HAVAN)
13 ERP-BR-02 BR-116 (próximo ao viaduto da Mal Floriano)
14 ERP-BR-03 Rua Antônio Ader, esquina Rua Omílio Monteiro Soares
15 ERP-JK-04* Rua João Bettega, CIC
16 ERP-RE-01* Rua Martim Afonso (prox. Terminal C. Siqueira)
17 ERP-RE-02* Rua Presidente Tauney
18 ERP-RE-03* Rua Buenos Aires, esq. Rua Sete Setembro
19 ERP-RE-04* Praça do Japão
20 ERP-RE-05* Rua Goiás (prox. Sid. Guaira)
21 ERP-RE-06 Av. Parigot de Souza (ecovile)
22 ERP-PG-03 Rua Ana Scremin – Distrito Industrial
23 ERP-PG-04 Rua de acesso a Masisa


serão instaladas em futuro próximo

CAIXAS ENTERRADAS DE LANÇADORES DE PIG


01 LP-PG-01 Rua Vereador Joaquim Stroparo (Cartório Itaqui)
02 LP-BN-01 Rua D. Pedro II (inicio Estrada do Bugre)
03 LP-VL-01 BR-376 (junto a Estrada para Palmeira)

CAIXAS ENTERRADAS CONTENDO VÁLVULAS DE BLOQUEIO INTERMEDIÁRIO


(VBI E CAIXAS CONTENDO VÁLVULAS DE BLOQUEIO DE RAMAIS (VBR)
A RDGN possui um grande número de caixas contendo VBI e VBR. Em linhas tronco ao longo de
rodovias as caixas contendo VBI situam-se a cada 8 km em média. Em outras vias, como o Contorno
Leste de Curitiba, essas caixas estão a cada 3 km e em ruas e avenidas de áreas urbanizadas, as
caixas com VBI estão instaladas a cada 1 km. As VBR estão espalhadas por todos os segmentos da
rede.
Essas caixas tem dimensões relativamente reduzidas com um volume total menor do que 6 m³ e, em
vários casos, apresenta certa dificuldade de acesso para a escada (portas de visitas com
comprimento do pescoço maior do que o padrão).
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
9/10
CONFINADO

ANEXO 2

PERMISSÃO DE ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO

EMPRESA: .................................................. data: .....................


Descrição do serviço a ser executado e localização:.....................................................
.......................................................................................................................................................
......................................................................................................................................................
Itens de verificação S/N
1 O (s) trabalhador (es) está (ão) habilitado (s) para execução do serviço em espaço
confinado
2 Existe um trabalhador habilitado para executar a função de assistente de entrada
3 Estão disponíveis analisadores/detetores para teste de presença de metano, gás
sulfídrico, monóxido de carbono e teor de oxigênio
4 Tais analisadores estão com a calibração dentro do prazo de validade
5 Está disponível, e em condições de uso, equipamentos de primeiros socorros
6 Está disponível, e em condições de uso, equipamento de ar mandado
7 Está disponível equipamento para insuflar ar no ambiente
8 Está disponível uma unidade PQS de extinção de incêndio
9 Se o trabalho a ser executado esta localizado na rede em operação, os técnicos de
operação da rede estão avisados do trabalho a ser executado
10 Está devidamente efetuada a sinalização do local
11 Todos os EPIs exigidos para a execução do serviço estão disponíveis
12 Está disponibilizado sistema de resgate
13 Está disponibilizado adequado sistema de iluminação
14 O interior do local está em condições de trabalho (livre de inundação, sujeiras,
equipamentos e peças desordenadas etc.)
15 Foi efetuado o teste de presença de contaminantes no ar ambiente do interior do local
do trabalho, tendo-se obtido os seguintes resultados:
Teor de oxigênio - %
Teor de Metano - % ou ................ % LIE
Teor de Monóxido de Carbono - %
Teor de H2S - %
17 As vias de acesso para o interior do local estão desimpedidas
18 Todas as tampas estão completamente abertas
19 Todos os trabalhadores envolvidos conhecem os recursos previstos no caso de
necessidade de utilização de sistema de resgate
20 Foi elaborado o plano de resgate local, específico para o trabalho a ser realizado.
27 Nome dos trabalhadores envolvidos no trabalho
...........................................................................................................................................
...........................................................................................................................................
...........................................................................................................................................
...........................................................................................................................................
...............................................................................
28 Autorização de entrada:  sim  não
.......................................................................
Técnico de Segurança do Trabalho ou Encarregado
(nome e assinatura)
1ª via: executante do serviço; 2ª via: emitente
N.º
PR-69-983-CPG-004
FOLHA:
SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇO
10/10
CONFINADO

ANEXO 3

TREINAMENTO PARA EXECUTANTES E SUPERVISORES


SOBRE TRABALHO EM AMBIENTES CONFINADOS

01. Conteúdo programático mínimo desses treinamentos:


Definição de espaço confinado;
Riscos de espaço confinado;
Identificação de espaço confinado;
Avaliação de riscos;
Controle de riscos;
Uso de equipamentos de avaliação da atmosfera do espaço confinado;
Procedimentos de coordenação de entrada que garantem segurança;
Permissão de entrada em espaço confinado;
Sistema de resgate e ações em casos de emergência;
Primeiros socorros;
Registro de ocorrências.

02. Todos os trabalhadores que passarem pelo treinamento deverão receber certificado com o seu
nome, assinaturas do(s) instrutor(es), a carga horária praticada e a data do treinamento.