Anda di halaman 1dari 11

CURSO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO DA PMCG/SEMED -

PROFESSOR
SIMULADO – 26 DE FEVEREIRO DE 2016.
PROfª ELZA LIMA DE SOUZA MANSANO

1. Leia o fragmento a seguir: “... não se constitui na simples produção de um


documento, mas na consolidação de um processo de ação-reflexão-ação, que exige o
esforço conjunto e a vontade política do coletivo escolar.”
Assinale a opção que indica o conceito apresentado no fragmento acima.

(A) Plano de Aula


(B) Projeto Político-Pedagógico
(C) Prestação de Contas
(D) Avaliação dos Estudantes
(E) Escolha do Livro Didático
2. Cabe ao professor estar alerta quanto às necessidades da criança ou do adolescente ou
do adulto que é a sua população alvo. Para alcançar a eficácia no ensino, numa linha
pedagógica vygotskyana, o educador deve criar condições para que o aluno compreenda
o sentido do que está fazendo e isso vai sempre depender da sua atitude, de como ele
apresenta o desafio, como orienta as atividades, como fornece pistas. O aluno, por outro
lado, deve perceber como está sendo o seu progresso nas atividades propostas,
identificar sua necessidade de ajuda e solicitá-la quando não tiver condições de vencer
sozinho o obstáculo. Em decorrência, o professor deve ter a instrumentalização técnica
capaz de agir adequadamente nas interações educativas, assim

(A) O educador é um mediador entre a cultura e o aluno e deverá estar atento à


diversidade dos alunos e situações. O educador sempre deverá optar por metodologias
críticas e que estejam condizentes com a ZDP.
(B) O educador é um mediador entre a cultura e o aluno e deve estar atento à
diversidade dos alunos e situações. O método clínico deverá ser utilizado diariamente.
(C) O educador é um mediador entre a cultura e o aluno e deverá estar atento à
diversidade dos alunos e situações. O educador algumas vezes deverá optar por
estratégias que contemplem o desafio, outras vezes será necessário dirigir
atividades e em outros momentos deverá, apenas, sugerir.
(D) O educador é um mediador entre a cultura e o aluno e deverá estar atento à
diversidade dos alunos e situações. O educador algumas vezes deverá optar por
estratégias que contemplem a ação dos discentes, que sejam compatíveis com as etapas
de desenvolvimento conceitual em que se encontram e que favoreçam a compreensão e
a assimilação, porque são momentos cognitivos necessários para a construção do
conhecimento, e, dessa forma, para a existência da aprendizagem.
(E) O educador é um mediador entre a cultura e o aluno e deverá estar atento à
diversidade dos alunos e situações. O educador algumas vezes deverá optar por
estratégias que contemplem o conflito cognitivo e a constante dúvida, que estejam
condizentes com a ZDP.
3 A grande maioria dos professores, mergulha nas suas tarefas diárias, dificilmente para
para refletir sobre o sentido da sua prática pedagógica cotidiana: afinal, para que se
educa? Tal questionamento, remete-nos fundamentalmente aos

(A) programas de ensino


(B) fins da educação
(C) métodos instrucionais
(D) métodos educacionais
(E) princípios educacionais

4 As práticas inadequadas de avaliação podem ser corrigidas a partir da construção e


execução de um planejamento didático para elaboração dos instrumentos avaliativos, na
intenção de analisar e reorientar a aprendizagem. Notas e conceitos são relevantes nesse
processo quando o objetivo desse registro permitir o fornecimento de subsídios para
uma avaliação formativa e não classificatória. Para o professor pesquisador Cipriano
Carlos Luckesi, em seu texto intitulado: “O que é mesmo o ato de avaliar a
aprendizagem?”, o ato de avaliar implica nos processos articulados e indissociáveis:

(A) julgar e decidir


(B) diagnosticar e julgar
(C) julgar, comparar e decidir
(D) diagnosticar e decidir
(E) julgar, decidir e mensurar

5 A avaliação da aprendizagem escolar é parte integrante do processo de ensino e de


aprendizagem. Dessa forma, tanto serve para avaliar a aprendizagem dos alunos como o
ensino desenvolvido pelo professor. Numa perspectiva emancipatória, que parte dos
princípios da autoavaliação e da formação, podemos afirmar que

(A) os alunos também deverão participar dos critérios que servirão de base para a
avaliação de sua aprendizagem.
(B) os alunos também precisam registrar dos critérios de avaliação de sua
aprendizagem, haja vista que o Regimento Escolar preconiza.
(C) os professores deverão utilizar a avaliação como mecanismo de seleção para o
processo de ensino.
(D) os professores deverão utilizar a avaliação como mecanismo para possibilitar o
remanejamento dos alunos com dificuldades dos que têm facilidade de aprender, os
quais poderão ser monitores dos primeiros.
(E) os alunos não precisam participar dos critérios que servirão de base para a avaliação
de sua aprendizagem.

6 (FUNRIO) O Projeto Político-Pedagógico - PPP - tem sido objeto de preocupação e


estudo para as instituições educacionais, docentes e pesquisadores no assunto, em
âmbito nacional, desde a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases 9394/96, em seu
artigo 12, que estabelece a necessidade dos estabelecimentos de ensino de elaborar e
executar suas propostas pedagógicas. É o plano global da instituição. O Projeto
Educativo já não é algo que se possa prescindir na escola, como algo que remete
prescrições para fora dela. Na realidade, esta é uma metodologia de trabalho que
possibilita a re-significação de toda a ação dos diferentes agentes da escola. Segundo
Vasconcellos (2000), para tornar menor o sofrimento de toda a comunidade escolar, nas
mais específicas dimensões da escola (comunitárias e administrativas, além das
pedagógicas), até as mais gerais (políticas, culturais, econômicas, etc.), a função do PPP
é a de justamente...

(A) criar condições de ações exigidas pelo poder público.


(B) ditar apenas as diretrizes da ação da equipe técnico-pedagógica.
(C) ajudar a resolver problemas, a transformar a prática.
(D) definir as competências dos profissionais da educação.
(E) dimensionar o trabalho da escola tradicional.

7 A verificação do rendimento escolar observará os seguintes critérios:


I - avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos
aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre
os de eventuais provas finais;
II - possibilidade de aceleração de estudos para alunos com atraso escolar;
III - possibilidade de avanço nos cursos e nas séries mediante verificação do
aprendizado;
IV - aproveitamento de estudos concluídos com êxito;
V - obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período
letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas
instituições de ensino em seus regimentos.
Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB, são verdadeiros os
itens:

(A) I, II, III, IV e V.


(B) I, II, IV e V.
(C) I, III e V.
(D) ll, lll ,lV e V.
(E) III, IV e V.

8 Jussara Hoffmann afirma que: “A avaliação, quer o professor queira ou não, se faz
presente no dia a dia da instituição, à medida em que ele está analisando as atitudes das
crianças, pensando no que fazer ou como trabalhar com uma atividade. A avaliação
acontece mesmo antes dele começar um trabalho com elas ...” Para uma avaliação
significativa na educação infantil, é necessário que o professor:

(A) preencha sempre fichas classificatórias de avaliação com as conquistas dos alunos
no dia a dia.
(B) emita pareceres dos comportamentos apresentados pelos alunos durante o semestre
escolar.
(C) elabore relatórios que contemplem o processo vivido por cada criança com
anotações e registros diários.
(D) classifique o desenvolvimento da criança nas áreas afetiva, cognitiva e psicomotora.
(E) analise bimestralmente o desenvolvimento comparativo entre os alunos que
frequentam o mesmo grupo.

9 O sistema de avaliação proposto pela LDB 9394/96, problematiza a avaliação


classificatória, por alguns, identificada como garantia de um ensino de qualidade. A nota
classificava o "bom" e o "mau" aluno. Hoje, devemos considerar o erro como algo
construtivo, procurando desenvolver saberes e competências para resolver situações-
problema simples ou complexas. Assim, o procedimento que pode levar o educador a
atingir esses objetivos é:

(A) repetir as tarefas e utilizar os mesmos recursos a fim de oferecer mais uma
oportunidade de revisão do erro;
(B) buscar a origem do erro cometido pelo aluno, procedendo, com ele, o caminho
que o levou a cometer o erro;
(C) quantificar os erros cometidos, determinar os mais frequentes e propor exercícios
complementares;
(D) recolher e corrigir o material do aluno, objetivando que esta correção seja por ele
posteriormente analisada;
E) estimular a repetição de exercícios, determinando atenção naqueles em que o erro foi
verificado
10 A avaliação é uma atividade que envolve todos os componentes dos processos de
desenvolvimento e aprendizagem dos alunos. A integração entre os componentes é
fundamental para realização de uma avaliação acolhedora e inclusiva. Isso implica
pensar que, ao avaliar a aprendizagem e o desenvolvimento dos alunos, escola,
professores e família também estão sendo avaliados. Tomando como referência
avaliação da aprendizagem, assinale a opção correta.
(A) Desenvolver a capacidade de observação e de registro dos avanços dos alunos,
atendendo às necessidades educacionais, é uma função da família, já que o professor
está sobrecarregado.
(B) As instituições escolares têm total responsabilidade no desenvolvimento do processo
de avaliação de aprendizagem dos alunos.
(C) É fundamental o acompanhamento da família na escola somente quando o aluno
tem dificuldade de desenvolver as atividades propostas pelos professores.
(D) Os alunos com capacidade de desenvolver mais rapidamente as atividades de
avaliação da aprendizagem têm o dever de ajudar os colegas com dificuldade.
(E) Deve-se avaliar a aprendizagem em um processo constante de ação-reflexão-
ação, que oriente a tomada de consciência dos envolvidos no processo de
aprendizagem.

11 “Conhecer é, pois, assimilar o real às estruturas de transformações, e são as


estruturas elaboradas pela inteligência enquanto prolongamento direto da ação”
(PIAGET, 1964, p.4). O conhecimento é compreendido como a reestruturação simbólica
do real, ou seja, a sua interiorização ou conceituação. Dessa forma, para Piaget, o
conhecimento

(A) não procede nem da experiência com os objetos nem de uma programação
inata pré-formada nos indivíduos, mas de uma interação entre ambos.
(B) procede da experiência com os objetos e da inata programação pré-formada nos
indivíduos.
(C)caracteriza-se como o intervalo entre a capacidade da criança resolver um problema
sozinha e a resolução de um problema mediado por um adulto ou em colaboração com
outros pares.
(D) caracteriza-se como o potencial que toda e qualquer pessoa possui, expresso
mediante os estágios de desenvolvimento cognitivo
(E) não procede da apropriação de um conhecimento que muda os esquemas cognitivos,
pois ele foi incorporado, possibilitando assim a acomodação.
12 Segundo Piaget, o tempo constitui uma coordenação dos movimentos de velocidades
distintas: movimentos do objeto para o tempo físico ou movimentos do sujeito para o
tempo psicológico. A noção operatória de tempo evolui simultaneamente com as noções
de movimento e velocidade... A estruturação do conceito de tempo resulta de uma
construção prolongada que se inicia
(A) no estágio pré-operacional e termina no estágio das operações formais.
(B) no estágio sensório-motor e termina no estágio das operações formais.
(C) no estágio pré-operacional e termina no estágio das operações concretas.
(D) no estágio sensório-motor e termina no estágio pré-operacional.
(E) no estágio sensório-motor e termina no estágio das operações concretas.

13 A partir dos estudos e descobertas de Jean Piaget e colaboradores a respeito de como


a criança pensa, sabe-se que o conceito de número não pode ser transmitido. Este
conceito é construído pelo próprio indivíduo, através de um processo que envolve o seu
amadurecimento biológico, as experiências vividas e as informações que recebe do
meio. Portanto, para a criança construir o conceito de número, deverá fazer a síntese
entre os seguintes tipos de relação:
(A) seriação, noções topológicas e noções euclidianas
(B) ordem, seriação e inclusão hierárquica de classes
(C) seriação, noções topológicas e euclidianas
(D) seriação e noções euclidianas
(E) ordem e inclusão hierárquica de classes

14 De acordo com a Teoria Epistemológica Genética, um adolescente raciocina


cientificamente, formulando hipóteses e comprovando-as, na realidade ou em pensamento.
Enquanto o pensamento de uma criança mais nova envolve apenas pensar sobre objetos
concretos; o adolescente já pode imaginar possibilidades ( capacidade de abstração). Isto
significa que
(A) As operações lógicas serão realizadas entre as ideias, expressas numa linguagem que
pode ser palavras ou símbolos, com a necessidade da percepção e da manipulação da
realidade virtual.
(B) O pensamento formal é capaz de deduzir as conclusões de puras hipóteses, e somente
através de observação real. O adolescente pode considerar hipóteses que talvez sejam ou
não verdadeiras e examinar o que resultará se essas hipóteses forem verdadeiras, mediante o
método clínico.
(C) As operações lógicas serão realizadas entre as ideias, expressas numa linguagem que
pode ser palavras ou símbolos, com a necessidade da percepção e da manipulação da
realidade concreta.
(D) O pensamento formal é, portanto, hipotético-dedutivo, isto é, capaz de deduzir
as conclusões de puras hipóteses, e não somente através de observação real. O
adolescente pode considerar hipóteses que talvez sejam ou não verdadeiras e examinar
o que resultará se essas hipóteses forem verdadeiras.
(E) As operações lógicas são características do pensamento formal e serão realizadas entre
as ideias, expressas numa linguagem que pode ser palavras ou símbolos, com a necessidade
da percepção e da manipulação da realidade circundante.
15 Na atualidade, com a influência das teorias cognitivistas pode-se afirmar
que a aprendizagem é:

(A) Mudança de comportamento.


(B) Reorganização de conhecimento.
(C) Aquisição de conhecimento.
(D) Mudança de atitude.
(E) Associação de ideias.

16 (IFSC) Segundo Fusari (1996), "O planejamento é, acima de tudo, uma atitude
crítica do educador diante de seu trabalho docente". Seguindo esta linha de pensamento,
qual alternativa NÃO apresenta elementos relevantes para uma prática docente
reflexiva:

(A) Planejamento do trabalho como um processo contínuo.


(B) Consciência da educação como ato político.
(C) Avaliação do aluno para verificação dos conhecimentos adquiridos.
(D) Conhecimento sobre a realidade sociocultural dos educandos, para a inclusão e
valorização de seus saberes no processo de ensino e aprendizagem.
(E) Busca de Formação Continuada.

17 Segundo Demerval Saviani, em seu livro: “Escola e Democracia”, o movimento da


Escola Nova do Brasil:
(A) Foi um movimento democrático.
(B) Foi um movimento que viu a educação com muito pessimismo.
(C) Ocorreu como reação ao Sistema Valorativo que levava à libertinagem.
(D) Tornou possível o aprimoramento do ensino destinado às elites e o
rebaixamento do nível do ensino destinado às camadas populares.
(E) Foi um movimento que viu a educação com extrema cautela por causa do contexto
histórico reinante.

18 A noção de conservação trata-se de um conhecimento lógico-matemático que surge


no estágio operacional concreto, aproximadamente aos 7 anos de idade, sendo
considerado por Piaget e Szeminska (1971) um pré-requisito para a aprendizagem da
matemática. Como é empregada por Piaget, tal noção refere-se à compreensão de que
certas propriedades (quantidade, número, comprimento, etc.) permanecem invariantes a
despeito da ocorrência de mudanças perceptuais dessas mesmas propriedades. Qual
seria o motivo que justificaria para tais pesquisadores reservassem a importância devida
para a noção de conservação como fator indispensável para a aprendizagem da
matemática?
(A) O aparecimento dessa noção se justifica por elaborações mentais sucessivas,
das quais cada uma realiza um equilíbrio superior ao das precedentes e garante, ao
mesmo tempo, equilibrações futuras.
(B) O aparecimento dessa noção se justifica por configurar se como o intervalo entre a
capacidade da criança resolver um problema sozinha (nível de desenvolvimento real) e a
resolução de um problema mediado por um adulto ou em colaboração com outros pares
(nível de desenvolvimento potencial).
(C) O aparecimento dessa noção se justifica por causa dos fatores emocionais que são
extremamente necessários para que as mesmas se fortaleçam, formando os pré-
requisitos para a educação matemática.
(D) O aparecimento dessa noção se justifica por causa das estruturas emocionais que
dão suporte às estruturas da inteligência.
(E) O aparecimento dessa noção se justifica por elaborações mentais sucessivas, das
quais cada uma realiza um equilíbrio superior ao das precedentes e garante, ao mesmo
tempo, assimilações futuras.

19 Vygotsky, que afirmou que o homem se coloca no mundo através de um processo de


mediação, transformando a si mesmo e a natureza. O conceito de mediação simbólica
preconizado por Vygotsky trata desse conceito de intermediação, da relação do ser
humano e o mundo, que acontece através das seguintes formas:
(A) Instrumentos e situações de assimilação e acomodação.
(B) Signos / símbolos e nível de desenvolvimento real.
(C) Instrumentos e signos / símbolos.
(D) Instrumentos e nível de desenvolvimento real.
(E) Signos / símbolos e situações de assimilação e acomodação.

20 Desafiar o pensamento e a inteligência das crianças e dos adolescentes ajuda os


mesmos a entrar em conflito cognitivo produtivo ou em desequilibração, auxiliando,
dessa forma, a construção interna das estruturas mentais. Esta metodologia/método de
trabalho poderá ser chamada(o) de
(A) Exploração Crítica.
(B) Metodologia de Projetos.
(C) Método Genético.
(D) Exploração Dialética.
(E) Método Clínico.

21 (FUNRIO) O principal objetivo do trabalho da maior parte dos docentes é conseguir


que seus discentes tenham a possibilidade de desenvolver a sua aprendizagem da melhor
forma possível. Libâneo (1991) nos mostra que o campo principal da educação escolar é
o processo de ensino, que se constitui no objeto de estudo da Didática. Como não há
técnica pedagógica sem uma concepção de homem e de sociedade, também não há uma
concepção de homem e sociedade sem uma competência técnica para realizá-la,
educacionalmente. Cabe à Didática tratar os objetivos, condições e meios de realização
do processo de ensino, interligando os meios pedagógico-didáticos aos objetivos sócio-
políticos. Para o autor, o ensino viabiliza as tarefas da instrução, acabando por
"delimitar como objeto da Didática o processo de ensino que, considerado no seu
conjunto, inclui: os conteúdos dos programas e dos livros didáticos, os métodos e
formas organizativas do ensino as atividades do professor e dos alunos e as diretrizes
que regulam e orientam esse processo." Ele nos mostra que caberá ao docente
compatibilizar a educação escolar, que é uma tarefa eminentemente social, pois a
sociedade necessita prover as gerações mais novas daqueles conhecimentos e
habilidades que vão sendo acumulados pela experiência social da humanidade". Logo,
para Libâneo (1991), pode-se definir processo de ensino como uma sequência de
atividades docentes e discentes, tendo em vista a assimilação de conhecimentos e o
desenvolvimento de habilidades (tais como o pensamento independente, observação,
análise-síntese e outras), através dos quais os alunos.

(A) melhoram sua formação socioacadêmica.


(B) entendem-se sujeitos comuns na aprendizagem.
(C) aprimoram as capacidades cognitivas.
(D) ampliam sua interação com os conhecimentos.
(E) desenvolvem suas atitudes frente aos conhecimentos.

22 O Prof. Márcio resolveu trabalhar de forma diferente com seus alunos, com o
objetivo de desenvolver a iniciativa e a habilidade de comunicar-se, dividiu a turma em
grupos e atribui-lhes a tarefa de preparar o conteúdo de uma das unidades do programa
para apresentação a toda classe.
Informou-lhes que haveria uma avaliação formal, portanto todos os membros do grupo
deveriam participar ativamente das sessões de estudo, preparação e apresentação da
unidade. A nota do grupo dependeria do desempenho de cada um. A divisão dos grupos
foi feita por ordem alfabética para evitar "panelinhas". No dia marcado para a
apresentação, o Prof. Márcio percebeu que teria grandes dificuldades para ser justo nas
avaliações. Num dos grupos, por exemplo, apenas um dos cinco participantes teve um
desempenho excelente e outro bom; os demais foram péssimos.

De acordo com esta situação, o Prof. Márcio concebe a avaliação da aprendizagem


numa perspectiva classificatória. A avaliação é parte integrante do processo de ensino e
aprendizagem. Nesse sentido, ela deverá:
(A) Basear-se essencialmente em provas escritas.
(B) Ser processual, contínua, participativa, diagnóstica e investigativa.
(C) Ser de responsabilidade exclusiva do projeto.
(D) Ser utilizada como instrumento para o professor conseguir a disciplina dos alunos.
(E) Ser participativa e revelar a realidade da aprendizagem do aluno.

23 No que se refere à função educativa da avaliação na prática escolar, assinale a opção


correta:
(A) A avaliação deve ser utilizada como recompensa aos bons alunos e punição para os
desinteressados ou indisciplinados.
(B) O bom professor é aquele que confia em seu olho clínico, por isso não necessita de
verificações parciais no decorrer das aulas.
(C) No processo de avaliação, deve-se considerar a relação mútua entre aspectos
quantitativos e qualitativos, visando ao desenvolvimento autônomo e independente
do educando.
(D) As avaliações qualitativas devem ser valorizadas em detrimento das quantitativas,
que não medem o conhecimento dos alunos
(E) As avaliações quantitativas devem ser valorizadas em detrimento das qualitativas,
que não medem o conhecimento dos alunos

24 Convergindo para a essência dos estudos de Vygotsky, destacam-se os três princípios


que fundamentam a estrutura teórica do seu trabalho. Assinale a única alternativa que
NÃO se enquadra no contexto vygotskyano:
(A) a crença no método genético ou evolutivo.
(B) a tese de que os processos psicológicos superiores têm a sua origem nos processos
sociais.
(C) a tese de que os processos mentais podem ser entendidos somente através da
compreensão dos instrumentos e dos signos que atuam como mediadores
(D) a crença no método clínico.

25 O Projeto Político-Pedagógico (PPP) de uma escola é contemplado pela LDB (Lei


9.394/96) no âmbito da regulamentação da gestão das escolas públicas. Nesse sentido, o
planejamento e a avaliação do PPP devem assegurar

(A) soberania da gestão escolar no planejamento, implementação e avaliação periódica


do documento.
(B) parceria da gestão escolar com as comunidades escolares e não escolares do
entorno no planejamento, implementação e avaliação periódica do documento.
(C) delegação, por parte da gestão escolar, do planejamento, implementação e avaliação
do PPP às equipes da comunidade escolar e não escolar.
(D) centralização, por parte da gestão escolar, dos procedimentos de avaliação do
documento, delegando as outras etapas à comunidade escolar.
(E) parceria da gestão escolar com empresas e organizações não governamentais para o
planejamento, implementação e avaliação periódica do PPP.

26 Assinale (V) para as alternativas verdadeiras e (F) para as falsas:


( ) O planejamento escolar não assegura a unidade e a coerência do trabalho docente.
( ) O planejamento escolar não inter-relaciona ao plano de aula.
( ) O planejamento escolar é um processo contínuo e dinâmico.
( ) O planejamento escolar deve ser dialógico e flexível.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA de cima para baixo:


a) V, V, F, V.
b) F, F, V, V.
c) V, F, V, F.
d) F, V, V, F.

27 Piaget, quando postula sua teoria sobre o desenvolvimento da criança, descreve-a,


basicamente, em 4 estágios, que ele próprio chama de fases de transição (Piaget, 1975).
Relacione a 2ª coluna com a 1ª coluna:

1ª COLUNA:
1 - Período Sensório-Motor.
2 - Período Pré-operatório.
3 - Período Operatório Concreto.
4 - Período Operatório Lógico Formal.

2ª COLUNA:
( ) A linguagem está em nível de monólogo coletivo, ou seja, todos falam ao mesmo
tempo sem que respondam as argumentações dos outros. Duas crianças “conversando”
dizem frases que não têm relação com a frase que o outro está dizendo.
( ) A criança é capaz de pensar logicamente, formular hipóteses e buscar soluções, sem
depender mais só da observação da realidade. As estruturas cognitivas da criança
alcançam seu nível mais elevado de desenvolvimento e tornam-se aptas a aplicar o
raciocínio lógico a todas as classes de problemas.
( ) Sua linguagem vai da ecolalia (repetição de sílabas) à palavra-frase ("água" para
dizer que quer beber água) já que não representa mentalmente o objeto e as ações. Sua
conduta social, neste período, é de isolamento e indiferenciação.
( ) Neste estágio a criança desenvolve noções de tempo, espaço, velocidade, ordem,
casualidade, sendo então capaz de relacionar diferentes aspectos e abstrair dados da
realidade.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência


CORRETA de cima para baixo:
a) 2, 4, 1, 3.
b) 1, 4, 2, 3.
c) 3, 2, 1, 4.
d) 2, 1, 4, 3.

28 Assinale a alternativa INCORRETA em relação a teoria psicogenética de Piaget:


a) elaborou um método próprio de pesquisa, o método analítico- crítico, e iniciou
sistematicamente as investigações sobre o desenvolvimento da criança.
b) o resultado das sucessivas assimilações e acomodações é chamado de equilibração.
c) explica que a construção do conhecimento pelo ser humano é fruto das interações do
sujeito com o seu meio.
d) o conhecimento não procede nem da experiência única dos objetos nem de uma
programação inata pré-formada no sujeito, mas de construções sucessivas com
elaborações constantes de estruturas novas.
29 Com relação ao uso das novas tecnologias em sala de aula, analise as afirmativas a
seguir.
I. É pouco frequente, uma vez que não é útil na exploração dos conteúdos e na melhoria
da aprendizagem.
II. Aproxima alunos e professores ao introduzir um componente lúdico às aulas.
III. Sua utilização é dificultada pela falta de infraestrutura das escolas e a formação
deficiente dos professores.

Assinale:
(A) se somente a afirmativa I estiver correta.
(B) se somente a afirmativa II estiver correta.
(C) se somente a afirmativa III estiver correta.
(D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
(E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

30 Com relação à Teoria do Construtivismo, analise as afirmativas a seguir.


I. Surgiu a partir do trabalho de Piaget, mostrando que o ser humano é ativo na
construção do seu conhecimento.
II. Exerce influência no pensamento educacional brasileiro, graças aos trabalhos de
Emília Ferreiro e Vygotsky.
III. Está baseada na afirmativa de que “o erro não é inerente ao processo educativo,
sendo necessário desconsiderá-lo”.
Assinale:
(A) se somente a afirmativa I estiver correta.
(B) se somente a afirmativa II estiver correta.
(C) se somente a afirmativa III estiver correta.
(D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
(E) se todas as afirmativas estiverem corretas.