Anda di halaman 1dari 4

P. 81-100.

O PAPEL DO CURRÍCULO NA FORMAÇÃO HUMANA

Este tópico trata da função do Colégio Rui Barbosa enquanto uma instituição pública.
Ressaltando o crescimento da demanda popular de ensino, a escola pública deve
atender uma variedade de sujeitos com múltiplas experiências e saberes prévios.
Portanto é necessário compreender as referências sociais e culturais desses atores,
seus lugares na sociedade para que a intervenção pedagógica seja mais eficaz em
seu projeto para a sociedade.

A perspectiva curricular que se aborda é da diversidade cultural, onde métodos


pedagógicos diversificados e coerentes, tanto ao conteúdo formal quanto à
subjetividade dos alunos, devem ser eficazmente introduzidos pelos professores. Os
professores têm função essencial na formação, pois são eles que interferem no
processo de desenvolvimento ético e cognitivo dos alunos. Portanto fomenta-se a
formação continuada dos docentes de forma que sua prática em sala de aula esteja
em constante desenvolvimento.

AVALIAÇÃO

Este tópico apresenta a avaliação como ato comum na vida em sociedade como um
todo. Nessa concepção, todo cidadão está em constante processo de aprendizado e
de avaliação, com os diagnósticos realizados e lacunas encontradas em seu papel
enquanto indivíduo, a partir das instituições e relações sociais.

Há uma crítica ao caráter das relações contemporâneas geradas pelo sistema


capitalismo, onde este impõe padrões e relações culturais e sociais que devem ser
criticadas e reformuladas. Aí se apresenta a função da escola enquanto interventora
nessa lógica social.

De acordo com o documento, o processo de aprendizado é sempre um processo


dialético, onde professor e aluno devem trabalhar pela oposição entre os valores e
condutas sociais estabelecidas e as que devem ser ensinadas. E é nesse sentido que
a avaliação deve agir junto ao educando.

A avaliação deve ser constante, sem se desvincular do processo de aprendizado, mas


sempre em ação simultânea. Para isso deve se levar em conta a especificidade de
cada aluno e a finalidade que se busca com a escolarização. Portanto, ao avaliar o
aluno, tendo em vista a função da escola pública, o professor deve estar,
simultaneamente, avaliando a sociedade em que aquele se insere e refletindo sobre
qual sociedade se tem como ideal.

Portanto, deve ser evitado a lógica da competição exacerbada, evitando a


comparação entre os estudantes.

Outros pontos do tópico dizem respeito ao direito de recuperação que todo aluno
possui, independentemente da nota obtida. A média para a aprovação é de 6.0, e a
frequência mínima em aula é de 75%. Não obtendo a média nem a frequência mínima,
o estudante fica retido.

PROCEDIMENTO DE INTORMAÇÕES AOS PAIS

“Os pais são informados através de bilhetes, nas reuniões, contatos telefônicos, visitas
pessoais, editais, entregas de boletins, informativos, conhecimento do Regimento
Escolar, redes sociais e watsapp [sic]” p. 92.

JOGOS COLEGIAIS DO PARANÁ

Neste tópico ressalta-se a função do esporte, tanto individual como coletivo, de inserir
o indivíduo numa prática de intervenção efetiva na realidade. Além disso estimula sua
dedicação em busca do êxito e cria um rico ambiente de experiência cultural.

ESTÁGIOS

Como o colégio também possui ensino técnico, esse tópico se dedica a necessidade
da experiência prática de seus alunos frente a um ofício, remunerado ou não. Para
isso, baseia-se na Lei n° 11.788/2008, a qual estabelece às entidades administrativas
públicas, a obrigação de atender estudantes para seu aprendizado prático.

INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

Com base no ECA e na Lei 9394/96, o tópico fala da necessidade da escola se abrir
aos múltiplos atores sociais, jovens e adultos. Onde se leve em conta seus saberes
próprios e seu contexto social, sem reprimi-los e sem reproduzir a lógica excludente
do ensino.

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Este tópico apresenta a distinção entre os dois conceitos, onde letramento se refere
ao processo de compreensão e uso de diversas tipos de materiais escritos, e
alfabetização, ao processo de ensino e aprendizagem formal de uma estrutura
fechadas de normas e regras linguísticas.

O letramento já é uma capacidade que vem anteriormente à escola, de sua


experiência cultural. A alfabetização é um processo desenvolvido na instituição
escolar.

De acordo com o documento, é necessário trabalhar os dois juntos, ensinando os


processos normativos da língua, mas sem perder de vista o saber de vida dos alunos,
que devem ser mobilizados no percurso para que não se crie um saber alienado.

PROGRAMA DE ATIVIDADES DE AMPLIAÇÃO DE JORNADA PERMANENTE E


PERIÓDICA

Este tópico, associado à parceria do Governo Federal com o Governo do Estado do


Paraná, a partir da orientação nº 22/2015 –DEB/SEED que define sua criação através
da resolução nº 3.823/2015 – GS/SEED, define programas no contraturnos aos alunos
dos ensinos Fundamental e Médio.

Seu objetivo é fortalecer a relação entre os diversos saberes. Seu funcionamento


segue a lógica do ensino padrão, com programas de ensino e avaliações.

CONTRATURNO SESC/SENAC – Futuro Integral

Trata da parceria com o SESC E SENAI para a promoção de atividades no contraturno


para educação em variadas frentes, como a tomada de decisão, negociações,
diversidade, homofobia, consciência negra, sexualidade e redação, com temas
contextualizados em um ambiente transdisciplinar.

Ensinos Médio Inovador PDE Interativo

São programas que visam a construção de currículos mais dinâmicos que


proporcionem a experiência dos educandos com a iniciação científica, o uso de
diferentes mídias e tecnologias, bem como incentivam a participação ativa destes.

Programas Saúde na Escola


O programa tem por objetivo a melhoria de vida dos alunos, por meio da promoção da
saúde, da prevenção de doenças bem como suporte no enfrentamento das
vulnerabilidades que comprometem a aprendizagem.