Anda di halaman 1dari 2

Fundamentos de Gestão Empresarial

As organizações vêm enfrentando um cenário mercadológico de alta concorrência e


caracterizado por consumidores mais exigentes quanto à qualidade dos produtos e
serviços. Nesse sentido, configurou-se como premissa nas organizações a
preocupação continua pela busca da otimização dos seus processos, bem como da
sua adequação e funcionamento, visando garantir maior estabilidade no segmento
de mercado e diferenciais competitivos que as destaquem dos demais concorrentes.
Partindo-se dessa breve contextualização, os convido a assistir o Vídeo “Muito
desgaste sem planejamento”, disponível
em https://www.youtube.com/watch?v=LOyX-vgdQGQ (Links para um site
externo)Links para um site externo e compartilhar conosco a sua reflexão sobre: a
partir do comportamento adotado pelo “porco”, personagem principal da animação,
qual futuro pode-se esperar de uma organização que tem em sua postura de gestão
características similares de conduta? Compartilhem suas percepções tendo como
referência a indicação bibliográfica das unidades e exemplifiquem a partir da sua
experiência profissional.

Ao assistir o vídeo “"Muito desgaste sem planejamento”, A primeira pergunta a ser feita é:
Onde queremos chegar? É difícil alcançar um objetivo/meta sem saber onde queremos chegar.
Vivenciamos em algum momento de nossa trajetória situações as quais não nos planejamos e
nossas ações foram em vão. É necessário que as empresas forneçam a capacitação de sua
equipe e matéria prima para desenvolver as atividades necessárias.
A falta de planejamento do porco o colocou em momentos desgastantes, com isso, percebe-
se que é necessário planejar as ações. Precisamos nos ater ao presente para enxergar o futuro.
A falta de planejamento em nossas ações gera esforços desnecessários, apesar da força de
vontade demonstrada pelo porco é necessário planejar para se alcançar o objetivo. O
planejamento proporciona olhar o hoje para enxergar o futuro. Ao analisar os cenários
podemos estabelecer ações, colocando em prática e reavaliando os processos periodicamente,
para que possam promover os resultados esperados no que for projetado.

Ética Empresarial e Responsabilidade Socioambiental

“Vejamos agora o que vem a ser a segunda moral brasileira – a moral do oportunismo. É o
sistema de normas morais que corresponde ao imaginário oficioso brasileiro e que configura
o comportamento dito esperto, porque eminentemente egoísta. É um código difundido nas
ruas e à socapa pelos sabichões. Constitui um hino à conveniência interesseira e parte do
pressuposto de que ninguém presta. Ensina a ser aproveitador, manhoso e permissivo; dar
jeitinhos para se dar bem; cuidar exclusivamente de si; tirar partido de tudo; fazer
cambalachos para levar vantagem; valer-se da ingenuidade alheia. Em resumo, aspira a que
o indivíduo se sai bem, ainda que em detrimento dos interesses dos outros.”

Fonte: Srour, Robert Henry. Ética Empresarial: O Ciclo Virtuoso dos Negócios. 3 ed. rev. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2008.

A partir do texto sobre moral do oportunismo descrito anteriormente, e dos conceitos


solidificados sobre a dupla moral brasileira, poderemos fazer uma reflexão ampla sobre os
principais conceitos envolvidos nesses temas e os vários exemplos práticos que observamos
e/ou vivenciamos no cotidiano. Estes são os pontos iniciais da nossa ampla discussão. Ao
longo desse fórum estaremos interagindo sobre outras reflexões relacionadas à ética e
moral.

Toda sociedade possui o conjunto de normas que regulam o comportamento do homem em


sociedade. O país em sua conjuntura atual enfrenta uma grande crise moral. Os episódios que
ocorrem no cotidiano de nossas vidas nos faz perceber que aquele famoso “jeitinho brasileiro”
está presente no nosso cotidiano, como uma maneira de obter-se vantagens em determinadas
situações. Quem nunca comprou um cd/dvd pirata? Pirataria é um crime que a nossa
sociedade convive com naturalidade, o desrespeito ao próximo seja ele, ao sentar no lugar do
idoso, ou furar uma fila entre outras situações do cotidiano.
Nós, eu digo nós como parte societária, cometemos tais delitos e agimos diante do
oportunismo com naturalidade. Essa realidade é preocupante e desestimulante. Precisamos
refletir sobre a origem desses infortúnios como também refletir sobre ações que possam
modificar tal comportamento de agir oportunamente de forma natural. Historiadores afirmam
que o “jeitinho brasileiro” é uma herança cultural, mas o que nós podemos fazer para mudar
essa situação? A educação aparece como melhor alternativa para resolver este problema.
Fomos acostumados em algum momento de nossas vidas que podemos pular etapas e dar um
jeitinho em algo, então é necessário se perguntar como nos educar e educar as próximas
gerações que serão o futuro desta nação se nós mesmos em alguma situação cometemos tal
oportunismo?
A educação doméstica é a chave para os principais problemas sociais e morais do nosso país. É
necessário reavaliar nosso comportamento como ser societário, reavaliando nossas atitudes
para assim educarmos nossos filhos e prepará-los para o mundo, pautados em ações honestas
e integra, perpassando os valores éticos que permeiam em nossa sociedade.