Anda di halaman 1dari 5

I DOMINGO DE JULHO

BONS MOTIVOS PARA CONTRIBUIR COM O DÍZIMO

1º O dízimo é o reconhecimento de que tudo pertence a Deus.


Contribuir com o dízimo é reconhecer que tudo o que somos e temos
pertence a Deus. Tudo, na verdade, provém d’Ele. Nós apenas
administramos o que Dele recebemos.

2º O dízimo é devolução, e não pagamento.


Contribuir com o dízimo é devolver a Deus uma pequena parte do
muito que Ele nos oferece. A graça de Deus não tem preço; nem todo
o dinheiro do mundo pode comprá-la. O dízimo não é pagamento,
mas, sim, devolução.

3º O dízimo é uma atitude de amor.


Contribuir com o dízimo significa uma atitude de amor, que brota do
coração de um fiel que sabe ser grato para com Deus. O dízimo perde
a sua razão de ser quando ofertado por medo, interesse ou superstição.

4º O dízimo é bíblico.
Contribuir com o dízimo é cumprir o preceito bíblico que manda viver
o amor, sendo grato para com Deus e generoso para com os irmãos.
Não foi a Igreja que inventou o dízimo. Ele nasceu espontaneamente,
como resposta do homem e da mulher à bondade e à misericórdia de
Deus.
II DOMINGO DE JULHO
BONS MOTIVOS PARA CONTRIBUIR COM O DÍZIMO

1º O dízimo é um dos meios pelo qual se chega à salvação.


Contribuir com o dízimo é um dos meios para se estar mais perto de
Deus e, portanto, da salvação. Só o dízimo doado com sinceridade de
coração e em espírito de fé agrada a Deus.

2º O dízimo é partilha que vence o egoísmo.


Contribuir com o dízimo é abrir o coração e a vida, partilhando o que
se possui, mesmo quando se tem pouco. Só quem é generoso devolve
o dízimo. O egoísta não sabe ser grato nem conhece o valor e a alegria
da partilha.

3º O dízimo é um ato livre e espontâneo.


Contribuir com o dízimo é partilhar livremente o que é seu, sem
coação nem obrigação. É a consciência de cada um que deve sugerir
o gesto da partilha e da doação livre e espontânea.

4º O dízimo não é esmola e, sim, dever de justiça.


Contribuir com o dízimo é assumir a responsabilidade de oferecer um
pouco de si mesmo a Deus. Quem contribui com o dízimo não faz um
favor à Igreja e sim assume o seu papel na comunidade como membro
ativo e responsável.
III DOMINGO DE JULHO
BONS MOTIVOS PARA CONTRIBUIR COM O DÍZIMO

1º O dízimo só tem sentido quando oferecido com fé.


Contribuir com o dízimo é um ato consciente de devolução a Deus, feito em
espírito de fé. É entrega não só de dinheiro ou de bens, e sim da própria vida,
com suas alegrias e tristezas, decepções e esperanças, derrotas e vitórias.
Sempre que oferecido com fé, o dízimo se torna um ato de amor.

2º Pelo dízimo ajudo a Igreja a cumprir com a sua missão.


Contribuir com o dízimo é participar da grande missão da Igreja, a
evangelização. Quem oferta o dízimo com consciência e fé, torna-se
evangelizador, mesmo que não possa ou não saiba anunciar a palavra de
Deus. O próprio ato de contribuir com o dízimo já é um ato evangelizador.

3º Pelo dízimo a comunidade celebra a vida e a fé.


Contribuir com o dízimo é ajudar a manter e cuidar da Igreja, a casa de
oração da comunidade. É com o dinheiro do dízimo que se compram as velas
para o altar, os cálices, os cibórios, os livros e folhetos litúrgicos...

4º Pelo dízimo a comunidade se torna catequizadora.


Contribuir com o dízimo é assumir o compromisso de instruir na fé as
crianças, os adolescentes, os jovens e os adultos. Quem dá o dízimo auxilia
na compra de manuais de catequese, livros de formação etc. Uma
comunidade dizimista é uma comunidade catequizadora.
IV DOMINGO DE JULHO
BONS MOTIVOS PARA CONTRIBUIR COM O DÍZIMO

1º Pelo dízimo, os pobres são assistidos e promovidos.


Contribuir com o dízimo é colocar-se à disposição dos mais pobres, vendo
neles o próprio Jesus. Em cada comunidade, uma parte do dízimo deve ser
aplicada em favor dos mais carentes. Eles têm direito ao nosso amor e à
nossa solidariedade.

2º Pelo dízimo é possível formar líderes e coordenadores.


Contribuir com o dízimo é facilitar a formação de agentes pastorais; é
favorecer a capacitação de líderes e coordenadores. Quem contribui com o
dízimo ajuda a construir a Igreja viva, feita de pessoas que desenvolvem os
seus dons e os colocam a serviço de Deus e dos irmãos.

3º É do dízimo que os padres retiram seu sustento.


Contribuir com o dízimo é auxiliar na sustentação dos ministros ordenados
e das pessoas liberadas para o serviço à comunidade. Uma comunidade
consciente é uma comunidade que se preocupa com os seus Padres,
religiosos e leigos que prestam serviço à comunidade. Eles têm o direito de
receber um salário digno.

4º O dízimo ajuda a formar comunidade.


Contribuir com o dízimo é solidarizar-se com os demais membros da
comunidade, formando com eles uma só família. Quando o dízimo é
aplicado neste ou naquele setor da vida comunitária, é toda a comunidade
que ali se faz presente através do dízimo e dos dizimistas.
V DOMINGO DE JULHO
BONS MOTIVOS PARA CONTRIBUIR COM O DÍZIMO

1º O dízimo suprime as taxas.


Contribuir com o dízimo é eliminar o pagamento de taxas por ocasião da
administração de sacramentos e sacramentais.
As taxas a serem suprimidas com a implantação do dízimo ficam a critério
de cada diocese e/ou paróquia.

2º Com o dízimo, a diocese tem mais condições de se manter e


evangelizar.
Contribuir com o dízimo é fazer com que a diocese, que recebe uma
porcentagem do dízimo de cada paróquia, tenha condições de manter em
atividade todos os seus departamentos. Quase sempre o dízimo recebido pela
diocese é aplicado na sustentação de seminários e seminaristas.

3º O dízimo integra matriz e capelas.


Contribuir com o dízimo é favorecer a unidade do trabalho pastoral da
Paróquia. De cada comunidade (capela), uma determinada porcentagem do
dízimo é entregue à matriz, que se encarrega de coordenar todas as
atividades pastorais da paróquia.

4º O dízimo é administrado pelo padre e por uma equipe paroquial.


Contribuir com o dízimo é confiá-lo a uma equipe, formada pelo(s) padre(s)
e por membros da própria comunidade. Tão importante quanto implantar e
organizar o dízimo, é administrá-lo bem, com competência e honestidade.