Anda di halaman 1dari 55

Direito Constitucional para PRF

Prof. Gabriel Andrade

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
1

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

AULA 04 - DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITOS SOCIAIS E
DIREITOS DA NACIONALIDADE

1- Introdução ................................................................................................................. 2

2 - Direitos Sociais ........................................................................................................ 3

3 - Exercícios de Fixação............................................................................................ 23

4 – Direitos da Nacionalidade .................................................................................... 27

5 – Lista de Exercícios ................................................................................................ 38

6 - Gabarito Comentado …………………………………………………………………....44

INTRODUÇÃO

Olá futuros policiais rodoviários federais, dando sequência ao nosso curso,


iniciaremos o estudo sobre os Direitos Sociais, que estão previstos em nossa
Constituição (nos artigos 6° ao 11) e também os Direitos da Nacionalidade (art. 12 e
13).

Como de costume, traremos definições e conceitos de doutrinadores constitucionais


mais cobrados em concursos públicos, além das decisões do STF. Para testar seus
conhecimentos, traremos uma lista de exercícios, com o gabarito oficial comentado,
dando prioridade aos elaborados pela banca CESPE.

Lembramos que esses dois assuntos vêm caindo bastante nos últimos elaborados pela
banca CESPE, dessa forma futuros PRFs, DEDIQUEM-SE E BONS ESTUDOS!! A SUA
APROVAÇÃO ESTÁ PRÓXIMA!!

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
2

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

DIREITOS SOCIAIS

A origem dos direitos sociais remonta à crise do Estado liberal, ocasionada pelo forte
avanço da industrialização, mais notadamente durante a Revolução Industrial. Nas
fábricas, os trabalhadores viviam em condições precárias. Movimentos reivindicatórios
passaram, então, a exigir uma postura mais ativa do Estado, que não devia limitar-se
a não intervir, mas também atuar positivamente, garantindo condições mínimas aos
trabalhadores.

Dessa forma, conforme estudamos em nossa aula 02, os direitos sociais classificam-
se em direitos de segunda geração, que têm como característica prestações
positivas do Estado aos indivíduos. São também chamados de liberdades positivas,
pois se tratam de normas (normalmente programáticas) que vinculam o Estado em
obrigações de fazer. Têm como valor fonte a Igualdade.

Segundo Alexandre de Moraes, direitos sociais são direitos fundamentais do homem,


caracterizando-se como verdadeiras liberdades positivas, de observância obrigatória em
um Estado Social de Direito, tendo por finalidade a melhoria de condições de vida aos
hipossuficientes, visando à concretização da igualdade social, e são consagrados
como fundamentos do Estado democrático, pelo art. 1º, IV, da Constituição Federal.1

Na Constituição Federal de 1988, os direitos sociais estão relacionados nos art. 6° ao


art. 11. Lembramos que os direitos sociais previstos nos artigos citados, conforme
entendimento do STF, são exemplificativos2, tendo em vista que há outros dispositivos
espalhados pelo texto constitucional. É o caso, por exemplo, do art. 194 (que trata da
seguridade social), art. 196 (direito à saúde) e art. 205 (direito à educação).

Vamos agora à leitura do texto constitucional:

- DIREITOS SOCIAIS

Art. 6° São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a


moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à
infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

1
DE MORAES, Alexandre. Direito Constitucional. 33ª ed. Ed.Atlas. p. 209.
2
STF, ADI no 639, Rel. Min. Joaquim Barbosa, 02.06.2005.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
3

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Para facilitar a memorização, segue mnemônico: TEMOS


LÁPIS DEMAIS p/ Transportar*.
Trabalho
Educação
MOradia
Saúde
LAzer
PIS (Previdência Social)
DEsamparo (assistência aos desamparados)
Maternidade (proteção à maternidade)
Alimentação
Infância (proteção à infância)
Segurança
Transporte* (introduzido pela EC 90/15)

Destacamos que o rol elencado no art. 6° trata-se de normas programáticas, ou seja,


são normas de eficácia limitada, que apresentam aplicabilidade indireta, mediata e
reduzida, dependendo, pois, para sua concretização, da atuação do Estado, seja através
da edição de leis regulamentadoras, seja através da oferta de prestações positivas em
favor dos indivíduos. (vide aula 00 - Teoria Geral da Constituição e Princípios
Fundamentais).

Uma das grandes problemáticas dos direitos sociais diz respeito à sua concretização.
Em outras palavras, não basta que os mesmos estejam previstos na Constituição, é
preciso que sejam efetivados. Sobre esse ponto (concretização dos direitos sociais), a
melhor doutrina elenca três importantes princípios, a saber:

1) Princípio da “reserva do possível”;


2) Princípio do “mínimo existencial”;
3) Princípio da vedação do retrocesso.

1) Princípio da “reserva do possível”:

Como sabemos, para que o Estado torne efetivo um direito social (ex: educação) é
preciso que tenha, em larga escala, gastos públicos (ex: construção de escola).

O princípio da “reserva do possível” parte da premissa que cabe ao Estado concretizar


os direitos sociais na “medida do financeiramente possível”. Dessa forma, segundo

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
4

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

esse princípio, há um limite financeiro (suficiência de recursos públicos e a previsão


orçamentária) ao Estado, onde, a partir desse, deixa de ser obrigado a dar efetividade
aos direitos sociais. Entretanto, é preciso que o Poder Público demonstre
objetivamente a inexistência de recursos públicos e a falta de previsão orçamentária
da respectiva despesa.

A formulação e execução de políticas públicas são tarefas que competem,


primariamente, ao Poder Executivo e ao Poder Legislativo. No entanto, segundo o STF,
é possível que o Poder Judiciário determine, em bases excepcionais, a
implementação, pelos órgãos inadimplentes, de ações destinadas à concretização
dos direitos sociais.3

2) Princípio do “mínimo existencial”:

Considera-se mínimo existencial o grupo de prestações essenciais que se deve


fornecer ao ser humano para que ele tenha uma existência digna. Segundo esse
princípio, o Estado deve priorizar os gastos públicos em áreas (ex: saúde) que garantam
mínimo existencial do ser humano, para depois investir em outras áreas.

Segundo o STF, o mínimo existencial é uma limitação à cláusula da reserva do


possível.4 Em outras palavras, a reserva do possível somente é invocável após a
garantia, pelo Estado, do mínimo existencial.

3) Princípio da vedação do retrocesso:

O princípio da vedação ao retrocesso social tem como conteúdo a proibição do


legislador em reduzir, suprimir, diminuir, ainda que parcialmente, o direito social já
materializado em âmbito legislativo e na consciência geral.

O STF considera que a “cláusula que veda o retrocesso em matéria de direitos a


prestações positivas do Estado (como o direito à educação, o direito à saúde ou o direito
à segurança pública, v.g.) traduz, no processo de efetivação desses direitos
fundamentais individuais ou coletivos, obstáculo a que os níveis de concretização de tais
prerrogativas, uma vez atingidos, venham a ser ulteriormente reduzidos ou suprimidos
pelo Estado”.5

3
STF, RE 436.996 – AgR. Rel. Min. Celso de Mello. 22.11.2005.
4
STF, RE 639.637. AgR. Rel. Min. Celso de Mello. 15.09.2011.
5
STF, RE 436.996 – AgR. Rel. Min. Celso de Mello. 22.11.2005.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
5

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Após as considerações iniciais sobre os direitos sociais, vamos a leitura do artigo 7° e


seus incisos, que versam sobre os direitos dos trabalhadores urbanos e rurais.

- DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS

Art. 7° São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem
à melhoria de sua condição social:

- DIREITO À SEGURANÇA DO EMPREGO

I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa,


nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre
outros direitos;

Trata o inciso do direito à segurança do emprego. Note que o mesmo se trata de


norma de eficácia limitada, exigindo lei complementar para proteger o trabalhador
contra despedida arbitrária ou sem justa causa, cabendo indenização compensatória,
dentre outros direitos.

Destacamos que a lei complementar citada nesse inciso ainda não foi publicada. Dessa
forma, aplica-se o disposto no art. 10, I do ADCT ((Ato das Disposições Constitucionais
Transitórias), ficando a indenização compensatória restrita a 40% sobre os
depósitos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

É pacífica na jurisprudência e na doutrina que, até que seja publicada lei complementar
que discipline a matéria, não é proibida a despedida arbitrária ou sem justa causa nas
relações de emprego, sendo devida a indenização compensatória (40% do FGTS).
Entretanto, conforme leitura do art. 10, I, a e b do ADCT, é vedada, de forma absoluta
a dispensa arbitrária ou sem justa causa em duas situações:

1) do empregado eleito para para cargo de direção de comissões internas de


prevenção de acidentes (CIPA), desde o registro de sua candidatura até um ano
após o final de seu mandato;

2) Da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco meses


após o parto.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
6

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- SEGURO-DESEMPREGO

II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;

Percebam que o seguro desemprego só e devido em caso de desemprego


involuntário. Dessa forma, caso o empregado peça demissão (desemprego voluntário),
não é previsto esse direito. ATENÇÃO!!

- FGTS

III - fundo de garantia do tempo de serviço;

O FGTS é recolhido pelo empregador à alíquota de 8% sobre a remuneração paga ou


devida, no mês anterior, a cada trabalhador. Destacamos que o FGTS não é direito dos
servidores públicos estatutários.

-SALÁRIO MÍNIMO

IV - salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a


suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação,
educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com
reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua
vinculação para qualquer fim;

O salário mínimo deve ser fixado em lei formal (hipótese de reserva legal),
nacionalmente unificado (não pode haver variações nos diferentes estados-membros),
com reajustes periódicos (anualmente), sendo vedada a sua vinculação para
qualquer fim (ex: índice para correção monetária).

ATENÇÃO!!! Não confundir salário mínimo com “piso salarial”, que pode variar nos
estados membros e que são resultantes de negociação coletiva.

Em relação à vinculação do salário mínimo, o STF já se manifestou que não ofende a


Constituição a utilização do salário mínimo como base de cálculo para pagamento
de pensão alimentícia.6

6
ARE 842.157 RG, voto do rel. min. Dias Toffoli, j. 4-6-2015, P, DJE de 20-8-2015, Tema 821.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
7

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Seguem abaixo outras decisões importantes do STF sobre o salário mínimo e que podem
ser cobradas em prova:

 Remuneração do servidor público não pode ser inferior a um salário mínimo.


Esse entendimento se aplica ao servidor que trabalha em regime de jornada
reduzida.7

 Morte de preso no interior de estabelecimento prisional. Indenização por


danos morais e materiais. Hipótese excepcional em que se permite a
vinculação ao salário mínimo.8

 Não viola a Constituição o estabelecimento de remuneração inferior ao salário


mínimo para as praças prestadoras de serviço militar inicial (conscritos).9

- PISO SALARIAL

V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho;

O piso salarial de cada categoria ou de cada Estado será estabelecido mediante


negociação coletiva de trabalho.

- IRREDUTIBILIDADE DE SALÁRIO

VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo;

Conforme leitura do inciso, em regra, o salário não pode ser reduzido (princípio da
vedação do retrocesso), salvo em negociações coletivas de trabalho (convenção ou
acordo coletivo). Situação ocorre quando é mais benéfico para o trabalhador reduzir seu
salário (diminuindo as horas trabalhadas) do que perder o emprego. Ocorreu em várias
empresas durante a crise econômica no Brasil.

Convenção coletiva de trabalho é uma negociação entre o sindicato dos trabalhadores


e o sindicato patronal. Já o acordo coletivo de trabalho, é uma negociação entre o
sindicato dos trabalhadores e uma empresa ou grupo de empresas.

7
AI 815.869 AgR, rel. min. Dias Toffoli, j. 4-11-2014, 1ª T, DJE de 24-11-2014.
8
AI 577.908 AgR, rel. min. Gilmar Mendes, j. 30-9-2008, 2ª T, DJE de 21-11-2008.
9
Súmula Vinculante 6.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
8

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- GARANTIA DE SALÁRIO (MÍNIMO)

VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem


remuneração variável;

Trabalhadores que recebem remuneração variável (Ex: funcionários de lojas de vendas


de roupas que recebem por comissão), não podem receber menos que o salário
mínimo (ainda que a venda de roupas seja fraca em determinado mês).

- GRATIFICAÇÃO NATALINA

VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da


aposentadoria;

As gratificações habituais, inclusive as natalinas (décimo terceiro salário),


consideram-se tacitamente convencionadas, integrando o salário.10

Ressaltamos que servirá como base para pagamento da gratificação natalina a


remuneração integral do trabalhador ou sua aposentadoria.

- ADICIONAL NOTURNO

IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno;

O adicional noturno será devido ao trabalhador que trabalhe entre as 22:00 horas de
um dia às 5:00 horas do dia seguinte (trabalhador urbano) e 21:00 horas de um dia às
5:00 horas do dia seguinte (trabalhador rural). A hora trabalhada durante o período
noturno será de 52 (cinquenta e dois) minutos e 30 (trinta) segundos.

Legislação infraconstitucional estabelece um acréscimo de de 20% (trabalhador urbano)


e 25% (trabalhador rural). Segundo o STF, “É devido o adicional de serviço noturno,
ainda que sujeito o empregado ao regime de revezamento.”11

- PROTEÇÃO DO SALÁRIO

X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;

10
Súmula 207 do STF.
11
Súmula 213 do STF.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
9

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS

XI - participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração, e,


excepcionalmente, participação na gestão da empresa, conforme definido em lei;

Trata-se de norma de eficácia limitada. Ressaltamos que a participação nos lucros


da empresa é desvinculada da remuneração, serve como estímulo para o trabalhador
para aumentar sua produtividade.

- SALÁRIO-FAMÍLIA

XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda


nos termos da lei;

O salário-família é um benefício previdenciário que será pago somente ao trabalhador


de baixa renda, sob a forma de uma quota percentual, calculada sobre o valor do salário-
mínimo por filho até 14 anos de idade.

- JORNADA DE TRABALHO

XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e
quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada,
mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho;

Em regra, a jornada de trabalho será de 8 horas diárias e 44 horas semanais.


Entretanto, caso haja convenção coletiva de trabalho, poderá haver compensação de
horários e redução da jornada.

Destacamos decisão recente do STF, que entendeu que “a jornada de 12 horas de


trabalho por 36 horas de descanso não afronta o art. 7º, XIII, da Constituição da
República, pois encontra-se respaldada na faculdade, conferida pela norma
constitucional, de compensação de horários.”12

- TURNOS ININTERRUPTOS DE REVEZAMENTO

XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de


revezamento, salvo negociação coletiva;

12
ADI 4.842, rel. min. Edson Fachin, j. 14-9-2016, P, DJE de 8-8-2017.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
10

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Turnos ininterruptos de revezamento são aqueles em que o funcionário trabalha em


diferentes horários ao longo da semana, podendo trabalhar de manhã, à tarde ou à noite.

Em virtude do grande desgaste à saúde do trabalhador que trabalha em turnos


ininterruptos, a Constituição garantiu jornada de 6 horas, podendo essa ser
aumentada por negociação coletiva.

Cabe destacar decisão do STF sobre esse tema, que assim se manifestou: “os intervalos
fixados para descanso e alimentação durante a jornada de seis horas não
descaracterizam o sistema de turnos ininterruptos de revezamento para o efeito do art.
7º, XIV, da Constituição.”13

- REPOUSO SEMANAL REMUNERADO

XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos;

O que devemos gravar sobre esse inciso é que o repouso semanal remunerado será
preferencialmente aos domingos, ou seja, poderá haver descanso em outros dias da
semana.

- HORA EXTRA

XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinquenta


por cento à do normal;

Mais uma vez devemos nos atentar que o pagamento de hora extra será de, NO
MÍNIMO, 50% sobre o valor da hora normal. Questão de concurso que falar que é
necessariamente 50% estará errada (ATENÇÃO!!).

Outro ponto que merece destaque é que o STF reconhece o pagamento de horas extras
para os servidores públicos.14

- ADICIONAL DE FÉRIAS

XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que
o salário normal;

13
Súmula 675 do STF.
14
AI 642.528 AgR, rel. min. Dias Toffoli, j. 25-9-2012, 1ª T, DJE de 15-10-2012.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
11

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Trata o inciso sobre o adicional de férias que deverá ser, NO MÍNIMO, 1/3 a mais que
o salário normal.

Note que o legislador constitucional não estipulou o prazo de duração de férias,


deixando a cargo de legislação infraconstitucional a regulamentação da matéria.

Seguem duas importantes decisões do STF sobre o tema:

 O servidor público aposentado tem direito ao recebimento de indenização pelas


férias não gozadas, adquiridas ao tempo da atividade.15

 Não incide contribuição social (INSS) sobre o adicional de um terço das férias.16

- LICENÇA-MATERNIDADE

XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de


cento e vinte dias;

Conforme texto constitucional, a licença-maternidade terá a duração de 120 dias (6


meses), onde a gestante ficará licenciada, sendo garantido seu emprego e o salário
recebido pela empresa onde trabalha.

Conforme entendimento do STF, a licença-maternidade alcança os militares17, as


servidoras públicas e empregadas gestantes, inclusive as contratadas a título
precário18. Além disso, segundo nossa Suprema Corte, é assegurado a licença-
maternidade (120 dias) para a mãe que adota uma criança, independentemente da
idade desta.19

- LICENÇA-PATERNIDADE

XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei;

Trata o inciso de norma de eficácia limitada. Ressaltamos que a licença-paternidade


passou a ser de 20 dias, desde que a empresa em que o pai trabalha esteja vinculada

15
ARE 726.294 AgR, rel. min. Gilmar Mendes, j. 5-2-2013, 2ª T, DJE de 25-2-2013.
16
AI 710.361 AgR, rel. min. Cármen Lúcia, j. 7-4-2009, 1ª T, DJE de 8-5-2009.
17
AI 811.376 AgR, rel. min. Gilmar Mendes, j. 1º-3-2011, 2ª T, DJE de 23-3-2011.
18
RE 634.093 AgR, rel. min. Celso de Mello, j. 22-11-2011, 2ª T, DJE de 7-12-2011.
19
RE 778.889, rel. min. Roberto Barroso, j. 10-3-2016, P, DJE de 1º-8-2016, Tema 782.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
12

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

ao Programa Empresa Cidadã, do governo. Se a empresa não fizer parte do programa,


o pai tem direito a 5 dias apenas (Lei 13257/16).

- PROTEÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO DA MULHER

XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos,


nos termos da lei;

Garante-se, com esse inciso, a igualdade de gêneros. Note que também se trata de
norma de eficácia limitada.

- AVISO PRÉVIO

XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta


dias, nos termos da lei;

O aviso prévio se aplica aos contratos de trabalho por tempo indeterminado e tem como
objetivo permitir que o trabalhador tenha um tempo para buscar um novo emprego
após tomar conhecimento da intenção do empregador de demiti-lo.

O aviso prévio deve ser proporcional ao tempo de serviço, contudo, deve-se observar
que o prazo mínimo do aviso prévio é de 30 dias.

- REDUÇÃO DE RISCOS INERENTES AO TRABALHO

XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde,
higiene e segurança;

Esse dispositivo é que ampara a edição, pelo Ministério do Trabalho e Emprego, das
chamadas NR’s (Normas Regulamentadoras). Segundo o STF, “compete à Justiça do
Trabalho julgar as ações que tenham como causa de pedir o descumprimento de normas
trabalhistas relativas à segurança, higiene e saúde dos trabalhadores.”20

- ADICIONAL DE REMUNERAÇÃO

XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou


perigosas, na forma da lei;

20
Súmula 736 do STF.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
13

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Trata o inciso do direito do trabalhador de receber adicional de penosidade (ex:


trabalho na construção civil), de insalubridade (ex: radiação) e de periculosidade (ex:
energia elétrica). Importante destacar que se trata de norma de eficácia limitada e que
ainda não foi editada lei que regulamente a matéria.

Seguem abaixo duas decisões do STF sobre a matéria:

 Não faz jus ao adicional de penosidade o servidor público que exerce sua
atividade em área de fronteira.21

 O servidor público não faz jus ao adicional de remuneração enquanto não


houver lei que regulamente a matéria.22

- APOSENTADORIA

XXIV - aposentadoria;

A aposentadoria é um direito previdenciário assegurado aos trabalhadores. Não é


objetivo dessa apostila traçar maiores detalhes sobre esse tema.

- ASSISTÊNCIA GRATUITA AOS FILHOS EM ESCOLAS

XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5


(cinco) anos de idade em creches e pré-escolas;

Sobre esse inciso, o que costuma cair bastante em questões de concursos públicos
refere-se à idade máxima dos filhos e dependentes que fazem jus à assistência gratuita
em creches e pré-escolas: 5 ANOS. ATENÇÃO!!

- RECONHECIMENTO DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS DE TRABALHO

XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho;

As negociações coletivas de trabalho podem ser de dois tipos: convenções coletivas


de trabalho (celebradas entre sindicato patronal e sindicato dos trabalhadores) e

21
MI 5.062 AgR, rel. min. Gilmar Mendes, j. 1º-8-2014, P, DJE de 7-10-2014.
22
RE 637.282, rel. min. Dias Toffoli, dec. monocrática, j. 23-8-2012, DJE de 31-8-2012.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
14

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

acordos coletivos de trabalho (celebrados entre sindicato dos trabalhadores e uma


empresa ou grupo de empresas).

A Reforma Trabalhista (Lei 13.467/17) alterou diversos pontos da CLT (Consolidação


das Leis do Trabalho) dentre os quais destacamos o seguinte: convenções e acordos
coletivos poderão prevalecer sobre a legislação vigente. (art. 611-A da CLT -
prevalência do negociado sobre o legislado). Tenha atenção porque esse tema pode
ser cobrado em prova.

- PROTEÇÃO EM FACE DA AUTOMAÇÃO

XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei;

Aqui o legislador buscou resguardar o emprego do trabalhador em face das inovações


tecnológicas. Também se trata de uma norma de eficácia limitada, dependendo de
norma regulamentadora para sua eficácia plena.

- SEGURO CONTRA ACIDENTES DE TRABALHO

XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir


a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;

O seguro contra acidentes de trabalho é um encargo do empregador, mas que não


o exime de indenizar o empregado, quando tiver incorrido em dolo ou culpa.

- DIREITO DE AÇÃO

XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo
prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de
dois anos após a extinção do contrato de trabalho;

Devemos analisar com cuidado esse inciso. Aqui temos 2 (duas) situações:

1) prescrição quinquenal (5 anos) para trabalhadores urbanos e rurais para


reclamar as verbas trabalhistas (créditos resultantes das relações trabalhistas.

2) Prescrição bienal (2 anos) para ingressar com a ação, após extinto o


contrato de trabalho.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
15

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Lembramos que as duas prescrições previstas no inciso têm que ser analisadas de forma
conjunta, então, na hipótese de o trabalhador ajuizar ação no último dia da prescrição
bienal, só fará jus às verbas rescisórias dos últimos 3 anos.

- ISONOMIA NO TRABALHO

XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de


admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil;

XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de


admissão do trabalhador portador de deficiência;

XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre


os profissionais respectivos;

Incisos autoexplicativos que traduzem a preocupação do legislador em preservar a


isonomia entre os trabalhadores nas condições de trabalho, independente de sexo,
idade, cor, estado civil ou condições físicas dos mesmos.

O STF estendeu também o princípio da isonomia no trabalho aos estrangeiros que


trabalhem em empresas que operem em território nacional.23 Também entende nossa
Suprema Corte que é constitucional o limite de idade para inscrição em concurso
público, desde que possa ser justificado pela natureza das atribuições do cargo a ser
preenchido.24

- TRABALHO PARA OS MENORES DE 18 ANOS

XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito


e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de
aprendiz, a partir de quatorze anos;

23
RE 161.243, rel. min. Carlos Velloso, voto do min. Néri da Silveira, j. 29-10-1996, 2ª T, DJ de 19-12-
1997.
24
Súmula 683 do STF.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
16

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Para melhor compreensão do artigo, segue abaixo Esquema Mental.

- IGUALDADE DE DIREITOS

XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício


permanente e o trabalhador avulso.

Trabalhador avulso é aquele filiado a sindicato ou órgão gestor de mão-de-obra


(OGMO). Como exemplo temos os estivadores em portos. A Constituição garantiu a
igualdade de direitos entre esses trabalhadores e os que possuem vínculo
empregatício permanente.

- DIREITO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS

Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os


direitos previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI,
XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em
lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias,
principais e acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades,
os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à
previdência social.

O parágrafo único do artigo 7° sofreu importante alteração pela EC 72/13, que aumentou
o rol de direitos aos trabalhadores domésticos. O objetivo dessa emenda
constitucional foi justamente assegurar a igualdade de direitos entre os trabalhadores
domésticos e as demais categorias.

Conforme leitura do dispositivo constitucional, percebemos que alguns direitos


trabalhistas não foram atribuídos aos trabalhadores domésticos. Dessa forma, caso
uma questão afirme que os domésticos fazem jus a todos os direitos trabalhistas, estará
errada!!

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
17

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

ATENÇÃO!! Após a EC 72/13 que aumentou o rol de direitos aos trabalhadores


domésticos, questões elaboradas pela banca CESPE sobre esse tema se limitaram a
perguntar se os domésticos fariam jus a todos os direitos trabalhistas (questão errada).
Entretanto, cabe uma leitura com mais atenção aos incisos citados nesse dispositivo
constitucional.

Após discorremos sobre o art. 7° e seus incisos, passamos agora a análise do art. 8° ao
11 de nossa Constituição, que versam sobre os direitos sociais coletivos dos
trabalhadores.

- LIBERDADE SINDICAL

Art. 8° É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte:

A liberdade sindical é uma forma específica de liberdade de associação (CF, art. 5º,
XVII), com regras próprias, delineadas nos incisos que se seguem:

- PRINCÍPIO DA AUTONOMIA SINDICAL

I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato,


ressalvado o registro no órgão competente, vedadas ao Poder Público a
interferência e a intervenção na organização sindical;

Inciso bastante cobrado em concursos públicos quando se trata de direitos sociais. O


que devemos gravar é que não se exige autorização do Estado para fundação de
sindicato (nem mesmo através de lei), ressalvado apenas o registro do mesmo no
Ministério do Trabalho e Emprego.25

Traz ainda o princípio da autonomia sindical, que veda ao Poder Público a


interferência e a intervenção na organização sindical.

25
Súmula 677 STF: “Até que lei venha a dispor a respeito, incumbe ao Ministério do Trabalho proceder
ao registro das entidades sindicais e zelar pela observância do princípio da unicidade.”

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
18

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- PRINCÍPIO DA UNICIDADE SINDICAL

II - é vedada a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau,


representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial,
que será definida pelos trabalhadores ou empregadores interessados, não
podendo ser inferior à área de um Município;

Trata o inciso do princípio da unicidade sindical, sendo a mais importante das


limitações constitucionais à liberdade sindical.26 Segundo esse princípio, não pode
haver mais de uma organização sindical, representativa de categoria profissional
(trabalhadores) ou econômica (empresas), na mesma base territorial, que não poderá
ser inferior à área de um município.

Cabe destacar que, segundo o STF, o princípio da unicidade sindical não garante ao
sindicato a intangibilidade de sua base territorial.27 Em outras palavras, é legítimo o
desmembramento territorial de um sindicato para constituir outro, desde que o território
de ambos não se reduza a área inferior à de um Município.

- SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL

III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da


categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas;

Conforme entendimento já sedimentado de nossa Suprema Corte, é garantida a


legitimidade extraordinária aos sindicatos para defender em juízo os direitos e
interesses coletivos ou individuais dos integrantes da categoria que representam.28

Dessa forma, tenha atenção porque esse tema costuma ser cobrado bastante em
questões de concurso. O sindicato atua como substituto processual, dessa forma, não
há a necessidade de autorização de seus sindicalizados para atuação em juízo.

26
RE 310.811 AgR, rel. min. Ellen Gracie, j. 12-5-2009, 2ª T, DJE de 5-6-2009.
27
RE 573.533 AgR, rel. min. Ayres Britto, j. 14-2-2012, 2ª T, DJE de 19-3-2012.
28
RE 883.642 RG, rel. min. Ricardo Lewandowski, j. 18-6-2015, P, DJE de 26-6-2015, Tema 823.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
19

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- CONTRIBUIÇÃO FEDERATIVA e CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

IV - a assembleia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria


profissional, será descontada em folha, para custeio do sistema confederativo da
representação sindical respectiva, independentemente da contribuição prevista
em lei;

Devemos ter bastante atenção nesse inciso porque ele menciona duas formas de
contribuição, a saber: contribuição federativa e contribuição sindical.

1) Contribuição federativa: tem seu fundamento no art. 8°, IV da CF. Possui


caráter facultativo, uma vez que ninguém é obrigado a associar-se ou manter-
se associado a um sindicato (art 8°, V da CF). Entretanto, caso o trabalhador
seja sindicalizado, deverá pagar a contribuição, cujo valor será definido em
assembleia geral.

2) Contribuição sindical: Aqui temos uma questão polêmica. Até a edição da Lei
13.467/17 (Reforma Trabalhista), era pacífico na doutrina e jurisprudência que a
contribuição tinha natureza de tributo, com fundamento no art. 149 da CF, sendo
sua contribuição obrigatória.

Ocorre que a Lei que trata da Reforma Trabalhista tratou de retirar a


obrigatoriedade da contribuição sindical, devendo essa ter prévia e expressa
autorização do sindicalizado para ser cobrada. O fato é que, após edição dessa
lei, ainda não há uma definição jurídica sobre a real natureza dessa contribuição
e, ainda, se a mesma tem caráter obrigatório ou facultativo. Devemos aguardar
posicionamento do STF para decidir a questão.

Diante de tal polêmica, é improvável que seja cobrada uma questão sobre esse
tema, pois, muito provavelmente, será anulada. Mas fica a explicação sobre esse
instituto.

- LIBERDADE DA INSCRIÇÃO SINDICAL

V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato;

Trata o inciso do princípio da liberdade da inscrição sindical. Conforme já explicado


no inciso anterior, os trabalhadores são livres para, a qualquer momento, se desfiliar
do sindicato que o representa.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
20

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Destacamos que esse princípio é corolário (consequência) do princípio da liberdade


de associação (5°, XX da CF), segundo o qual “ninguém poderá ser compelido a
associar-se ou manter-se associado”.

Os próximos 2 incisos são autoexplicativos:

VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de


trabalho;

VII - o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações
sindicais;

- ESTABILIDADE DIRIGENTE SINDICAL

VIII - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da


candidatura a cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que
suplente, até um ano após o final do mandato, salvo se cometer falta grave nos
termos da lei.

Trata o inciso da estabilidade sindical, que garante ao dirigente ou representante


sindical escolhido pelos trabalhadores, uma proteção especial, ou seja, não poderá ser
dispensado a partir do registro de sua candidatura e, caso seja eleito, ainda que
suplente, até um ano após o final do mandato. Registramos que essa proteção não é
absoluta, já que o mesmo poderá perder o emprego se cometer falta grave.

Ressaltamos que a estabilidade provisória é garantida apenas ao dirigente sindical. O


STF firmou entendimento que não cabe a estabilidade provisória ao dirigente de
associação profissional.29

Nossa Suprema Corte também já decidiu que a estabilidade sindical provisória não
alcança o servidor público.30

29
RE 777.227 AgR, rel. min. Roberto Barroso, j. 25-8-2017, 1ª T, DJE de 9-8-2017.
30
RE 183.884, rel. min. Sepúlveda Pertence, j. 8-6-1999, 1ª T, DJ de 13-8-1999.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
21

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- SINDICATOS RURAIS E COLÔNIAS DE PESCADORES

Parágrafo único. As disposições deste artigo aplicam-se à organização de


sindicatos rurais e de colônias de pescadores, atendidas as condições que a lei
estabelecer.

Através da leitura desse inciso, percebemos que a Constituição garantiu a liberdade


sindical para os trabalhadores rurais e também para as colônias de pescadores. O
candidato deve ficar atento para não esquecer dessas categorias quando se trata de
proteção aos direitos sindicais.

- DIREITO DE GREVE

Art. 9° É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir


sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele
defender.

§ 1° - A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o


atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

§ 2° - Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei.

Trata o artigo 9° da nossa Constituição de direito de greve dos trabalhadores. Cabe


destacar que não se trata de um direito absoluto, pois que as necessidades inadiáveis
da comunidade deverão ser atendidas e os abusos cometidos sujeitam os responsáveis
às penas da lei.

A doutrina majoritária considera que o direito de greve dos trabalhadores da iniciativa


privada (regidos pela CLT) é norma de eficácia contida, pois poderá ser restringida
por lei. Lembramos que o direito de greve dos servidores públicos (art. 37, VII da
CF) é norma de eficácia limitada, dependendo, para seu exercício, da edição de lei
regulamentadora.

Duas decisões importantes de nossa Suprema Corte sobre o direito de greve e que
podem ser cobradas em prova:

 A simples adesão à greve não constitui falta grave.31

31
Súmula 316 do STF.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
22

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

 É inconstitucional o exercício do direito de greve por parte de servidores


públicos que atuem diretamente na área de segurança pública.32 Dessa forma,
entendeu o STF que não podem os policiais exercerem seu direito de greve.

Os próximos dois artigos costumam ser cobrados em sua literalidade. Então, decore-os
e atente para os detalhes dos mesmos.

Art. 10. É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos


colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou
previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação.

Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos empregados, é assegurada a eleição


de um representante destes com a finalidade exclusiva de promover-lhes o
entendimento direto com os empregadores.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. (CESPE/TCE-PE/2017 - Analista de Gestão) Por imposição de lei, se um órgão


estadual for criado, os servidores ocupantes de cargo efetivo desse órgão
poderão, desde que com prévia autorização do órgão estatal competente, fundar
sindicato.

Questão incorreta. Conforme determina o art. 8°, I da CF, não há a necessidade de


prévia autorização do Estado para fundação de sindicato, sendo necessário somente o
seu registro no órgão competente (Ministério do Trabalho e Emprego).

2. (CESPE/FUB/2016) Aos trabalhadores compete decidir sobre os interesses que


devam defender por meio do exercício do direito de greve.

Questão correta. Segundo o art. 9º da CF “É assegurado o direito de greve, competindo


aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que
devam por meio dele defender.”

32
ARE 654432. rel. min.Alexandre de Moraes, j. 05-04-2017, Pleno.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
23

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

3. (CESPE/TJ-PR/2017/Juiz Substituto - questão adaptada) Em razão do princípio


da reserva do possível, não cabe ao Poder Judiciário determinar a construção de
creches e pré-escolas pelos municípios.

Questão incorreta. O princípio da “reserva do possível” parte da premissa que cabe ao


Estado concretizar os direitos sociais na “medida do financeiramente possível”. Dessa
forma, segundo esse princípio, há um limite financeiro (suficiência de recursos públicos
e a previsão orçamentária) ao Estado, onde, a partir desse, deixa de ser obrigado a dar
efetividade aos direitos sociais. Entretanto, é preciso que o Poder Público demonstre
objetivamente a inexistência de recursos públicos e a falta de previsão orçamentária da
respectiva despesa.

Segundo o STF, é possível que o Poder Judiciário determine, em bases excepcionais, a


implementação, pelos órgãos inadimplentes, de ações destinadas à concretização dos
direitos sociais. Segundo nossa Suprema Corte, em julgamento do Agravo em Recurso
Extraordinário 677008-SC, o poder judiciário PODE determinar a construção de creches
e pré-escolas pelos municípios.

4. (CESPE/FUB/2016) Cabe ao sindicato da categoria definir, no caso de greve, os


serviços ou atividades essenciais que serão disponibilizados à coletividade, assim
como dispor sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

Questão incorreta. Segundo o art.9º, §1º da CF, cabe à lei, e somente à lei, definir os
serviços ou atividades essenciais em caso de greve, assim como dispor sobre o
atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

5. (CESPE/PC-PE/2016 - Delegado de Polícia) São destinatários dos direitos


sociais, em seu conjunto, os trabalhadores, urbanos ou rurais, com vínculo
empregatício, os trabalhadores avulsos, os trabalhadores domésticos e os
servidores públicos genericamente considerados.

Questão incorreta. Conforme leitura do parágrafo único do art. 7° da CF, que versa
sobre os direitos dos trabalhadores domésticos (alterado pela EC 72/13), observamos
que não estão incluídos todos os direitos sociais garantidos às outras categorias
profissionais. Dessa forma, incorreta a afirmação da questão de que são garantidos aos
trabalhadores domésticos os direitos sociais em seu conjunto.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
24

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Também podemos avaliar que para os servidores públicos não estão garantidos todos
os direitos sociais ("em seu conjunto"), por dicção do art. 39, § 3º da CF. Esse tema será
melhor abordado em aula própria.

6. (CESPE/DPU/2016 - Técnico em assuntos educacionais) A cláusula de reserva


do possível refere-se à possibilidade material de o poder público concretizar
direitos sociais e constitui, em regra, uma limitação válida à implementação total
desses direitos.

Questão correta. O princípio da “reserva do possível” parte da premissa que cabe ao


Estado concretizar os direitos sociais na “medida do financeiramente possível”. Dessa
forma, segundo esse princípio, há um limite financeiro (suficiência de recursos públicos
e a previsão orçamentária) ao Estado, onde, a partir desse, deixa de ser obrigado a dar
efetividade aos direitos sociais. Entretanto, é preciso que o Poder Público demonstre
objetivamente a inexistência de recursos públicos e a falta de previsão orçamentária da
respectiva despesa.

7. (CESPE/STJ/2015 - Conhecimentos básicos) O princípio da unicidade, que veda


a criação, na mesma base territorial, de mais de uma organização sindical
representativa de mesma categoria profissional, não alcança entidades que, no
âmbito de um mesmo município, mas em bairros distintos, representem mesma
profissão.

Questão incorreta. Assim aduz o art. 8º, II da CF “ é vedada a criação de mais de uma
organização sindical, em qualquer grau, representativa de categoria profissional ou
econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos trabalhadores ou
empregadores interessados, não podendo ser inferior à área de um Município;” Da leitura
do dispositivo legal, observamos que não foram previstas exceções legais (bairros
distintos), como sugere a questão.

8. (CESPE/FUB/2015 - Enfermeiro do Trabalho) A realização de trabalho noturno,


perigoso ou insalubre por menor de dezoito anos de idade é permitida desde que
o empregador pague a esse trabalhador adicional pecuniário.

Questão incorreta. De acordo com o art.7º, XXXIII da CF, menores de 18 anos estão
proibidos de trabalhar em empregos noturnos, perigosos e insalubres.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
25

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

9. (CESPE/PF/2014 - Agente da Polícia Federal) É livre a associação sindical das


categoriais profissionais, sendo vedado ao poder público exigir, para a fundação
de um sindicato, que haja seu registro prévio em órgão competente.

Questão incorreta. A banca CESPE cobra bastante o art.8, I da CF, então não podemos
errar! O que devemos gravar é que não se exige autorização do Estado para fundação
de sindicato (nem mesmo através de lei), ressalvado apenas o registro do mesmo no
Ministério do Trabalho e Emprego. Em outras palavras, não pode o poder público exigir
registro prévio para fundação de um sindicato, porém, posteriormente, o sindicato
fundado deverá fazer o registro no órgão competente para exercer suas atividades.

10. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Analista Legislativo) A jornada de seis


horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento poderá ser
aumentada ou reduzida mediante negociação coletiva.

Questão correta. De acordo com o art. 7º, XIV da CF, a jornada para o trabalho realizado
em turnos ininterruptos de revezamento será de 6 horas, salvo negociação coletiva, ou
seja, a mesma poderá ser aumentada ou reduzida se houver consenso em negociação
envolvendo todos os trabalhadores da empresa.

DIREITOS DA NACIONALIDADE

Após estudarmos os direitos sociais, passamos agora a análise do instituto da


nacionalidade, previsto nos artigos 12 e 13 de nossa Constituição. Vamos trazer
algumas definições doutrinárias sobre o assunto, explicar as formas de aquisição da
nacionalidade e traremos também um Esquema Mental para facilitar a assimilação do
conteúdo exposto.

Nacionalidade é o vínculo jurídico político que liga um indivíduo a um certo e


determinado Estado, fazendo deste indivíduo um componente do povo, da dimensão
pessoal deste Estado33, capacitando-o a exigir sua proteção e sujeitando-o ao
cumprimento de deveres impostos.

33
CARVALHO, Aluísio Dardeau de. Nacionalidade e cidadania. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1956. p.
11.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
26

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Segundo Mazzuoli, a nacionalidade comporta duas dimensões: a dimensão vertical


(que liga o indivíduo ao Estado) e a dimensão horizontal (que liga o indivíduo ao
elemento povo).34

Alguns conceitos estão relacionados com o estudo do direito de nacionalidade, e podem


ser cobrados em questões de concurso, são eles: povo, população, nação e cidadão.35

 Povo: é o conjunto de pessoas que fazem parte de um Estado – é seu elemento


humano. O povo está unido ao Estado pelo vínculo jurídico da nacionalidade.

 População: é conjunto de habitantes de um território, de um país, de uma


região, de uma cidade. Esse conceito é mais extenso que o anterior – povo –, pois
engloba os nacionais e os estrangeiros, desde que habitantes de um mesmo
território.

 Nação: agrupamento humano, em geral numeroso, cujos membros, fixados num


território, são ligados por laços históricos, culturais, econômicos e
linguísticos.

 Cidadão: é o nacional (brasileiro nato ou naturalizado) no gozo dos direitos


políticos e participante da vida do Estado.

Da leitura das definições acima, percebemos que a nacionalidade não se confunde


com cidadania (MUITO COBRADO EM PROVA!!).

A competência para legislar sobre nacionalidade é exclusiva do próprio Estado, dessa


forma, não há a possibilidade de qualquer ingerência normativa de direito estrangeiro. O
Estado soberano é, afinal, o único outorgante possível da nacionalidade. Pode-se
afirmar, portanto, que o estabelecimento de critérios para a concessão de nacionalidade
é ato de manifestação da soberania estatal.

A seguir, vamos elencar as formas de aquisição da nacionalidade. Doutrinariamente,


distinguem-se duas espécies de nacionalidade, a originária e a derivada.

34
MAZZUOLI, Valério de Oliveira. Curso de Direito Internacional Público, 4a ed. São Paulo: Editora
Revista dos Tribunais, 2010.
35
DE MORAES, Alexandre. Direito Constitucional, 33ª ed. Editora Atlas, 2017. p. 223.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
27

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

 Nacionalidade originária (primária, de origem): é aquela que resulta de um


fato natural, o nascimento; diz-se, portanto, que é uma forma involuntária de
aquisição de nacionalidade. É atribuída ao indivíduo em razão de critérios
territoriais (regra) -“ius soli”, sanguíneos (exceção) - “ius sanguinis” ou mistos.
Os brasileiros que recebem a nacionalidade originária são chamados de
“brasileiros natos”.

 Nacionalidade derivada (secundária, adquirida): aquela cuja aquisição


depende de ato de vontade (ato volitivo), praticado depois do nascimento; diz-
se que a nacionalidade derivada é obtida mediante a naturalização. Os brasileiros
que recebem a nacionalidade derivada são chamados de “brasileiros
naturalizados”.

Passamos agora a leitura dos dispositivos constitucionais:

- BRASILEIROS NATOS

Art. 12. São brasileiros:


I - natos:
a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros,
desde que estes não estejam a serviço de seu país;
b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que
qualquer deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil;
c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que
sejam registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na
República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a
maioridade, pela nacionalidade brasileira;

Para melhor compreensão das 03 formas de aquisição da nacionalidade originária,


vamos desmembrar as alíneas do inciso I do artigo 12.

a) Alínea a “ius soli”: “os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de
pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país;” Trata-se da
REGRA (“ius soli”) para aquisição originária no Brasil.

Da leitura do dispositivo, considera-se brasileiro nato qualquer pessoa nascida em


território nacional, mesmo que de pais estrangeiros. Entretanto, há uma exceção: se o
nascido no Brasil for filho de estrangeiros que estejam a serviço de seu país, não
será brasileiro nato.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
28

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

IUS SOLI (origem territorial) – por esse critério será nacional o nascido no
território do Estado, independentemente da nacionalidade de sua ascendência. A
Constituição brasileira adotou-o em regra.

Um exemplo de estrangeiro que está a serviço de seu país é do diplomata ou do cônsul,


que representam, em território nacional, o seu país de origem.

O território nacional deve ser entendido como as terras delimitadas pelas fronteiras
geográficas, com rios, lagos, baías, golfos, ilhas, bem como o espaço aéreo e o mar
territorial, formando o território propriamente dito; os navios e as aeronaves de guerra
brasileiros, onde quer que se encontrem; os navios mercantes brasileiros em alto-mar ou
de passagem em mar territorial estrangeiro; as aeronaves civis brasileiras em voo sobre
o alto-mar ou de passagem sobre águas territoriais ou espaços aéreos estrangeiros.36

b) Alínea b “ius sanguinis” (critério funcional): “os nascidos no estrangeiro, de pai


brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço da República
Federativa do Brasil;”

IUS SANGUINIS (origem sanguínea) – por esse critério será nacional todo o
descendente de nacionais, independentemente do local de nascimento.

Para ser garantida a nacionalidade brasileira nata da prevista na alínea “b”, devem ser
preenchidos dois requisitos:

1) ser filho de pai brasileiro ou mãe brasileira ou ambos (ius sanguinis);

2) o pai ou a mãe devem estar a serviço da República Federativa do Brasil (critério


funcional);

c) Alínea c “ius sanguinis” (registro ou residência e opção potestativa -


maioridade):
“os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam
registrados em repartição brasileira competente (registro) ou venham a residir na
República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a
maioridade (residência e opção potestativa - maioridade), pela nacionalidade brasileira;”

36
Cf. nesse sentido: NUCCI, Guilherme de Souza. Código penal comentado. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2000. p. 45.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
29

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Da leitura da alínea “c” temos duas possibilidades diferentes de aquisição de


nacionalidade quando o indivíduo nasce no exterior, filho de pai brasileiro ou mãe
brasileira que não estão a serviço do Brasil:

1) O indivíduo é registrado em repartição brasileira competente;


ou
2) O indivíduo vem a residir no Brasil e opta, em qualquer tempo, depois de
atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira.

Na primeira possibilidade, o registro do indivíduo perante repartição competente é


condição suficiente para que ele seja considerado brasileiro nato. Na segunda
possibilidade, o indivíduo precisa residir no Brasil e, além disso, manifestar sua
vontade. É o que a doutrina denomina nacionalidade potestativa.

Uma lacuna não foi preenchida pelo texto constitucional: e se o indivíduo nascer no
exterior, filho de pai ou mãe brasileira que não estejam a serviço da República Federativa
do Brasil, venha a residir no país ainda menor?

Nesse caso, aplica-se entendimento do STF: “Vindo o nascido no estrangeiro, de pai


brasileiro ou de mãe brasileira, a residir no Brasil, ainda menor, passa a ser
considerado brasileiro nato, sujeita essa nacionalidade a manifestação da vontade do
interessado, mediante a opção, depois de atingida a maioridade. Atingida a maioridade,
enquanto não manifestada a opção, esta passa a constituir-se em condição
suspensiva da nacionalidade brasileira.”37

Após a leitura e considerações sobre as 03 (três) hipóteses de aquisição da


nacionalidade originária (brasileiro nato), vamos à análise das situações constitucionais
para aquisição da nacionalidade derivada (brasileiro naturalizado).

37
RE 418.096, rel. min. Carlos Velloso, j. 22-3-2005, 2ª T, DJ de 22-4-2005.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
30

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- BRASILEIRO NATURALIZADO

Art. 12. São brasileiros:


(...)
II - naturalizados:
a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, originários de
países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e
idoneidade moral;
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa
do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde
que requeiram a nacionalidade brasileira.

O brasileiro naturalizado é aquele que adquire a nacionalidade brasileira de forma


secundária, ou seja, não pela ocorrência de um fato natural, mas por um ato voluntário.
A naturalização é o único meio derivado de aquisição de nacionalidade, permitindo-se
ao estrangeiro, que detém outra nacionalidade, ou ao apátrida (também denominado
heimatlos), que não possui nenhuma, assumir a nacionalidade do país em que se
encontra, mediante a satisfação de requisitos constitucionais e legais.38

Observamos, pois, que a aquisição da nacionalidade derivada somente se dará mediante


ato de manifestação da vontade do interessado (naturalização expressa).

Vamos desmembrar o inciso II do artigo 12 para melhor entendimento:

a) alínea a (naturalização ordinária): “os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade


brasileira, originários de países de língua portuguesa apenas residência por um ano
ininterrupto e idoneidade moral”.

Trata a alínea de naturalização ordinária, concedida aos estrangeiros que cumprirem


os requisitos descritos na lei (Estatuto do Estrangeiro). Cabe destacar que, para os
países de língua portuguesa (Ex: Angola) será necessário apenas o cumprimento de
02 (dois) requisitos:
 residência por um ano ininterrupto
 idoneidade moral

Cabe destacar que o simples preenchimento dos requisitos não assegura ao estrangeiro
a concessão da nacionalidade brasileira. A concessão da naturalização ordinária é

38
DE MORAES, Alexandre. Op. Cit. p. 232.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
31

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

ato discricionário do Chefe do Poder Executivo, ou seja, depende de uma análise


quanto à conveniência e à oportunidade por parte deste (art. 109, X da CF).

A efetivação da aquisição da nacionalidade ocorre com a entrega do certificado de


naturalização ao estrangeiro. Enquanto não ocorrer tal entrega, o estrangeiro ainda não
é brasileiro, podendo, inclusive, ser excluído do território nacional.39

b) alínea b (naturalização extraordinária): “os estrangeiros de qualquer nacionalidade,


residentes na República Federativa do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem
condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira.”

Trata a alínea “b” da naturalização extraordinária, que será concedida aos


estrangeiros, desde que que cumpridos os seguintes requisitos (cumulativamente):
 residência ininterrupta no Brasil há mais de 15 anos;
 ausência de condenação penal;
 requerimento do interessado.

Importante destacar que, uma vez cumpridos os requisitos citados, o estrangeiro terá o
direito subjetivo em adquirir a nacionalidade brasileira. Em outras palavras, esta não
pode ser negada pelo Chefe do Executivo, tratando-se, portanto, de ato vinculado do
Presidente da República, pois, diferentemente do inciso anterior, não há a referência à
expressão “na forma da lei”, basta que os estrangeiros “requeiram a nacionalidade
brasileira” (direito subjetivo).

Por fim, o STF entende que “não se revela possível, em nosso sistema jurídico-
constitucional, a aquisição da nacionalidade brasileira jure matrimonii, vale dizer,
como efeito direto e imediato resultante do casamento civil.”40

39
STF, Pleno, HC 62.795-1-SP, Rel. Min. Rafael Mayer, v.u., DJU, 22 mar. 1985.
40
Ext 1.121, rel. min. Celso de Mello, j. 18-12-2009, P, DJE de 25-6-2010.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
32

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Segue abaixo Esquema Mental para facilitar a memorização do conteúdo:

- PORTUGUÊS EQUIPARADO

Art. 12
(...)
§ 1° Aos portugueses com residência permanente no País, se houver reciprocidade
em favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo
os casos previstos nesta Constituição.

Da leitura desse dispositivo, depreende-se que foi estabelecido um tratamento


diferenciado para os portugueses, que receberão tratamento igual ao brasileiro
naturalizado (português equiparado). É o que a doutrina chama de quase
nacionalidade. Entretanto, para que seja concedido esse tratamento isonômico, é
necessário o preenchimento de 2 (dois) requisitos:

1) Reciprocidade de tratamento em favor dos brasileiros: Portugal deverá


garantir os mesmos direitos aos brasileiros que lá residem.

2) Residência permanente no Brasil.

Note que não há a atribuição de nacionalidade. O português vivendo com ânimo


permanente no Brasil continua com a nacionalidade portuguesa, porém detém os
mesmos direitos de um brasileiro naturalizado.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
33

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

TRATAMENTO DIFERENCIADO ENTRE BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO

art. 12
(...)
§ 2° A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados,
salvo nos casos previstos nesta Constituição.

A Constituição Federal, em virtude do princípio da igualdade, determina que a lei não


poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados.

Portanto, as únicas hipóteses de tratamento diferenciado são as previstas no texto


constitucional, referentes a 4 (quatro) hipóteses: cargos, função, extradição e
propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens.

Vamos agora a explicação de cada uma delas:

1) Cargos:

Art. 12
(...)
§ 3° São privativos de brasileiro nato os cargos:
I - de Presidente e Vice-Presidente da República;
II - de Presidente da Câmara dos Deputados;
III - de Presidente do Senado Federal;
IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal;
V - da carreira diplomática;
VI - de oficial das Forças Armadas;
VII - de Ministro de Estado da Defesa.

Trata-se de uma lista taxativa de cargos que devem ser ocupados apenas por
brasileiros natos. Dessa forma caros alunos, qualquer outro cargo que não esteja nessa
lista (Ex. Ministro da Segurança Pública, Senador, Deputado) pode ser ocupado por
brasileiro naturalizado. No mesmo raciocínio, não pode o português equiparado ocupar
um desses cargos, tendo em vista que eles recebem o mesmo tratamento de um
brasileiro naturalizado (ATENÇÃO!! tema muito cobrado em prova!!).

Para facilitar a memorização, tenham em mente que o legislador constituinte fixou dois
critérios para a definição dos cargos privativos aos brasileiros natos: linha sucessória e
a segurança nacional.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
34

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

 Linha sucessória (art. 79 e 80 da CF): para substituir o Presidente da


República, que é cargo de brasileiro nato para garantir a soberania
nacional, serão chamados, na seguinte ordem, os ocupantes dos seguintes
cargos (por lógica também devem ser de brasileiros natos): Vice-
Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados,
Presidente do Senado Federal e Presidente do Supremo Tribunal Federal
(note que todos os Ministros do STF também devem ser brasileiros natos)

 Segurança nacional: são cargos que, em virtude de suas posições


estratégicas, o legislador constituinte decidiu atribuí-los apenas aos
brasileiros natos: carreira diplomática, oficial das Forças Armadas e
Ministro de Estado da Defesa.

2) Função (art. 89 VII da CF): A Constituição atribuiu 6 (seis) vagas do Conselho da


República (órgão superior de consulta do Presidente da República) exclusivas aos
brasileiros natos.

3) Extradição: Conforme vimos na aula 04, o art 5°, LI da CF estabelece que o brasileiro
nato não será extraditado, já o brasileiro naturalizado poderá ser extraditado no
caso de crime comum, praticado antes da naturalização, ou de comprovado
envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas (a qualquer tempo).

4) Direito de propriedade (empresa jornalística e de radiodifusão sonora): conforme


art. 222 da CF, a propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons
e imagens é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há 10 anos.

Com isso encerramos as 04 hipóteses constitucionais de tratamento diferenciado entre


brasileiro nato e naturalizado. Lembre-se, qualquer outra hipótese de diferenciação
trazida por lei é inconstitucional.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
35

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

- PERDA DA NACIONALIDADE

Art. 12
(...)
§ 4° - Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que:
I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença judicial, em virtude de atividade
nociva ao interesse nacional;
II - adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos:
a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira;
b) de imposição de naturalização, pela norma estrangeira, ao brasileiro residente
em estado estrangeiro, como condição para permanência em seu território ou para
o exercício de direitos civis;

A perda da nacionalidade só pode ocorrer nas 02 (duas) hipóteses taxativamente


previstas na Constituição Federal, sendo absolutamente vedada a ampliação de tais
hipóteses pelo legislador ordinário, e será declarada quando:

1) Cancelamento da naturalização por sentença judicial (art. 12 § 4°, I):


também conhecida como perda-punição, somente se aplica, obviamente, aos
brasileiros naturalizados, no caso de prática de atividade nociva ao interesse
nacional.

Uma vez transitada em julgado a ação de cancelamento da naturalização, o


indivíduo somente irá readquirir a nacionalidade brasileira mediante ação
rescisória, nunca através de uma nova naturalização.

2) Aquisição de outra nacionalidade (art.12 § 4°, II): também conhecida como


perda-mudança ou de perda da nacionalidade por naturalização voluntária. Se
aplica tanto a brasileiros natos como naturalizados. a perda da nacionalidade será
decretada por meio de processo administrativo e oficializada mediante Decreto do
Presidente da República, garantida a ampla defesa.

Como visto, uma vez adquirida outra nacionalidade de forma voluntária, perderá
a nacionalidade brasileira, salvo nos casos de:

a) Reconhecimento da nacionalidade originária pela lei estrangeira: Ex: é o


caso da Itália que reconhece aos descendentes de seus nacionais a cidadania
italiana. Os brasileiros descendentes de italianos que adquirem aquela
nacionalidade, por meio do simples processo administrativo, não perderão a

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
36

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

nacionalidade brasileira, uma vez que se trata de mero reconhecimento de


nacionalidade originária italiana, em virtude do vínculo sanguíneo. Ostentarão,
pois, dupla nacionalidade (polipátrida).41

b) Imposição de naturalização, pela norma estrangeira, ao brasileiro residente


em estado estrangeiro, como condição para permanência em seu território ou para
o exercício de direitos civis. Ex: Lei de um determinado país obriga um brasileiro
residente a adquirir a nacionalidade para casar com uma nacional. Nesse caso,
esse indivíduo não perde a nacionalidade brasileira, pois lhe foi imposta a
naturalização para exercício de um direito civil (casamento).

Para encerrar o tema Direito da Nacionalidade, segue leitura do artigo 13 de nossa


Constituição:

IDIOMA E SÍMBOLOS NACIONAIS

Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil.


§ 1° - São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas
e o selo nacionais.
§ 2°- Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão ter símbolos
próprios.

Artigo pouco cobrado em concursos públicos, porém devemos estar preparados para
todos os tipos de questões, então, vamos a um mnemônico para memorizar os símbolos
da República Federativa do Brasil. É só lembrarmos do estado da BaHiA e sua
respectiva capital, Salvador.

Bandeira
Hino
Armas
Selo nacionais

Lembrando que os Estados, o Distrito Federal e os Município podem ter símbolos


próprios.

41
DE MORAES, Alexandre. Op. Cit. p. 242.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
37

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

LISTA DE EXERCÍCIOS

1. (CESPE/PRF/2012/Técnico de Nível Superior) A Constituição Federal assegura o


direito à livre associação sindical ou profissional e veda ao poder público a
interferência e a intervenção na organização sindical.

2. (CESPE/PRF/2012/Técnico de Nível Superior) É obrigatória a participação de


sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.

3. (CESPE/ABIN/2018 - Agente de Inteligência) Indivíduos que possuem


multinacionalidade vinculam-se a dois requisitos de aquisição de nacionalidade
primária: o direito de sangue e o direito de solo.

4. (CESPE/ABIN/2018 - Agente de Inteligência) Filho de brasileiros nascido no


estrangeiro que opte pela nacionalidade brasileira não poderá ser extraditado, uma
vez que os efeitos dessa opção são plenos e têm eficácia retroativa.

5. (CESPE/TRF 1° Região/2017 - Analista Judiciário) Brasileiro naturalizado que


tiver praticado crime comum antes da sua naturalização poderá ser extraditado.

6. (CESPE/TRT - 7ª Região/2017 - Analista Judiciário) Caio, nascido na Itália, filho


de mãe brasileira e pai italiano, veio residir no Brasil aos dezesseis anos de idade.
Quando atingiu a maioridade, Caio optou pela nacionalidade brasileira. A partir das
informações dessa situação hipotética, assinale a opção correta.

a) Caio poderá ser extraditado se tiver praticado delito comum antes de sua opção
pela nacionalidade brasileira, embora seja brasileiro nato.

b) O fato de Caio ser brasileiro nato impede a sua extradição, em qualquer


hipótese.

c) Caio poderá vir a ser extraditado pela prática de delito hediondo ou tráfico ilícito
de entorpecentes posterior à naturalização, em razão de sua naturalização ser
secundária.

d) Se Caio tiver praticado delito comum no exterior, antes de sua naturalização, ele
poderá ser extraditado, pois não é brasileiro nato.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
38

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

7. (CESPE/PJC-MT/2017 - Delegado de Polícia Substituto) O boliviano Juan e a


argentina Margarita são casados e residiram, por alguns anos, em território
brasileiro. Durante esse período, nasceu, em território nacional, Pablo, o filho
deles. Nessa situação hipotética, de acordo com a CF, Pablo será considerado
brasileiro

a) naturalizado, não podendo vir a ser ministro de Estado da Justiça.

b) nato e poderá vir a ser ministro de Estado da Defesa.

c) nato, mas não poderá vir a ser presidente do Senado Federal.

d) naturalizado, não podendo vir a ser presidente da Câmara dos Deputados.

e) naturalizado e poderá vir a ocupar cargo da carreira diplomática.

8. (CESPE/TCE-PE/2017 - Analista de Gestão) Situação hipotética: Cláudio,


brasileiro nato, por interesse exclusivamente pessoal, residiu em país estrangeiro,
onde teve um filho com uma cidadã local. Assertiva: Nessa situação, segundo a
CF, o filho de Cláudio poderá ser considerado brasileiro nato, ainda que não venha
a residir no Brasil.

9. (CESPE/TCE-PE/2017 - Analista de Gestão) Estrangeiro que resida no Brasil há


mais de quinze anos ininterruptos e não tenha condenação penal poderá tornar-
se, após requerimento, brasileiro naturalizado e, nessa condição, candidatar-se a
deputado federal ou senador, mas, se eleito, estará impedido de presidir a casa
legislativa à qual pertencer.

10. (CESPE/TRE-PE/2017 - Analista Judiciário) O brasileiro naturalizado

a) poderá ocupar o cargo de presidente do Senado Federal.

b) poderá ocupar o cargo de ministro de Estado da Defesa.

c) não poderá ocupar cargo da carreira diplomática.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
39

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

d) perderá a nacionalidade brasileira no caso de reconhecimento de nacionalidade


originária pela lei estrangeira.

e) poderá ocupar o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal.

11. (CESPE/FUB/2016 - Conhecimentos Básicos) A Constituição Federal de 1988


define os cargos que são privativos de brasileiros natos e proíbe que legislação
infraconstitucional estabeleça distinções entre brasileiros natos e naturalizados.

12. (CESPE/TCE-PA/2016 - Auxiliar Técnico de Controle Externo) No que concerne


aos direitos e deveres individuais e coletivos, à nacionalidade e aos direitos
políticos, julgue o item que se segue, tendo como referência as disposições da CF.
Para que o filho de casal brasileiro nascido em país estrangeiro seja considerado
brasileiro nato, ambos os pais devem estar, nesse país, a serviço da República
Federativa do Brasil.

13. (CESPE/TCE-PA/2016 - Auxiliar Técnico de Controle Externo) No que concerne


aos direitos e deveres individuais e coletivos, à nacionalidade e aos direitos
políticos, julgue o item que se segue, tendo como referência as disposições da CF.
Situação hipotética: Em 2010, João foi naturalizado brasileiro e, em 2012, se
envolveu em tráfico ilícito internacional de entorpecentes. Devido a essa infração
penal, determinado país requereu a sua extradição. Assertiva: Nessa situação, o
pedido deverá ser negado, uma vez que a CF veda a extradição de brasileiro.

14. (CESPE/PC-PE/2016/Delegado de Polícia - questão adaptada) Será considerado


brasileiro nato o indivíduo nascido no estrangeiro, filho de pai brasileiro ou de mãe
brasileira, que for registrado em repartição brasileira competente ou que venha a
residir no Brasil e opte, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela
nacionalidade brasileira.

15. (CESPE/TRT - 8ª Região (PA e AP)/2016 - Analista Judiciário) Com base nas
normas constitucionais que versam sobre direitos e garantias fundamentais,
assinale a opção correta acerca do direito de nacionalidade.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
40

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

a) Configura-se a denominada nacionalidade adquirida no caso em que o indivíduo


nascido no estrangeiro, filho de pai ou mãe brasileiros, passa a residir no Brasil e
opta pela nacionalidade brasileira depois de ter atingido a maioridade.

b) É proibida qualquer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, os quais


são detentores dos mesmos direitos e deveres previstos na Constituição Federal
de 1988 (CF).

c) A perda da nacionalidade brasileira em razão do reconhecimento de outra


nacionalidade originária não se dá automaticamente.

d) Tanto a nacionalidade primária quanto a nacionalidade secundária dependem


da vontade do indivíduo, que tem a liberdade de aceitar ou não o vínculo jurídico-
positivo que o liga ao Estado brasileiro.

e) Na determinação da nacionalidade primária, no Brasil se adota com primazia o


jus solis (vínculo de territorialidade), mas também se admitem o jus matrimoniale
(vínculo de casamento) e o jus sanguinis (vínculo de sangue).

16. (CESPE/TRT - 8ª Região (PA e AP)/2016 - Analista Judiciário) Acerca do


tratamento da nacionalidade brasileira na Constituição Federal de 1988 (CF),
assinale a opção correta.

a) Brasileiros natos e naturalizados são equiparados para todos os efeitos, dado


o princípio da isonomia, conforme o qual todos são iguais perante a lei.

b) Filhos de brasileiros nascidos no estrangeiro podem optar pela naturalização,


desde que o façam antes da maioridade civil.

c) É permitida a extradição de brasileiros naturalizados, respeitadas as


condições previstas na CF.

d) São considerados brasileiros natos apenas os nascidos em solo nacional.

e) A naturalização é concedida exclusivamente a portugueses tutelados pelo


Estatuto da Igualdade, caso haja reciprocidade em favor dos brasileiros.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
41

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

17. (CESPE/TRT - 8ª Região (PA e AP)/2016 - Analista Judiciário - questão


adaptada) No que se refere aos direitos e garantias fundamentais elencados na
CF, os estrangeiros residentes e não residentes no Brasil equiparam-se aos
brasileiros.

18. (CESPE/DPU/2016 - Técnico em Assuntos Educacionais) Acerca dos direitos


e garantias fundamentais, de acordo com o disposto na Constituição Federal de
1988 (CF), julgue o próximo item. Adotou-se como regra o critério sanguíneo para
a definição da nacionalidade brasileira.

19. (CESPE/DPE-RN/2015 - Defensor Público Substituto - questão adaptada) A


nacionalidade de brasileiros naturalizados perdida por sentença judicial devido
ao exercício de atividade nociva ao interesse nacional pode ser readquirida
mediante novo procedimento de naturalização.

20. (CESPE/TCU/2015 - Procurador do Ministério Público - questão adaptada) De


acordo com a CF, prescinde de prévia decisão judicial a perda da nacionalidade
pelo brasileiro naturalizado que adquirir outra nacionalidade.

21. (CESPE/Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deveres


individuais e coletivos, julgue o item a seguir: Em nenhuma hipótese, o brasileiro
nato poderá ser extraditado.

22. (CESPE/Instituto Rio Branco/2015/Diplomata) A respeito dos direitos e


garantias fundamentais, conforme disposto na Constituição Federal de 1988,
julgue (C ou E) o item subsequente. A Constituição Federal determina que o
brasileiro nato nunca será extraditado e que o brasileiro naturalizado somente
será extraditado no caso de ter praticado crime comum antes da naturalização.

23. (CESPE/TRF-1ª Região/2015 - Juiz Federal Substituto - questão adaptada) Os


cargos de ministro de Estado da Defesa e o de ministro das Relações Exteriores,
entre outros, são privativos de brasileiros natos.

24. (CESPE/TRF-1ª Região/2015 - Juiz Federal Substituto - questão adaptada)


Considera-se brasileiro nato o indivíduo nascido no estrangeiro e registrado em
repartição brasileira competente, desde que seja filho de pai brasileiro ou de mãe

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
42

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

brasileira, ainda que seus pais não estejam a serviço da República Federativa do
Brasil.

25. (CESPE/TRE-GO/2015 - Técnico Judiciário) Quanto ao conceito de


Constituição e aos direitos individuais e de nacionalidade, julgue o seguinte
item. São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe
brasileira que esteja no exterior a serviço do Brasil ou de organização
internacional.

26. (CESPE/TJ-CE/2014 - Técnico Judiciário) Em relação aos direitos de


nacionalidade, assinale a opção correta considerando o disposto na CF.

a) Aos portugueses com residência permanente no país, serão atribuídos os


direitos inerentes a brasileiro nato.

b) Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que cometer crime


contra a vida do presidente da República.

c) É privativo de brasileiro nato o cargo de juiz de direito.

d) Considera-se brasileiro naturalizado o nascido no estrangeiro, de pai


brasileiro e mãe estrangeira, se o pai estiver a serviço da República Federativa
do Brasil.

e) O Distrito Federal e os municípios poderão ter símbolos próprios.

27. (CESPE/TC-DF/2014 - Técnico de Administração Pública) À luz das normas


constitucionais e da jurisprudência do STF, julgue os seguintes itens. Cidadão
português que legalmente adquira a nacionalidade brasileira não poderá exercer
cargo da carreira diplomática, mas não estará impedido de exercer o cargo de
ministro de Estado das Relações Exteriores.

28. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Técnico Legislativo) Se um casal


formado por um cidadão argentino e uma cidadã canadense for contratado pela
República do Uruguai para prestar serviços em representação consular desse
país no Brasil e, durante a prestação desses serviços, tiver um filho em território
brasileiro, tal filho, conforme o disposto na CF, será brasileiro nato.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
43

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

29. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Analista Legislativo) Julgue o item


seguinte , relativo aos direitos e garantias fundamentais. Considere a seguinte
situação hipotética: João, brasileiro nato, durante viagem a determinado país
estrangeiro, cometeu um crime e, depois disso, regressou ao Brasil. Em seguida,
o referido país requereu a extradição de João. Nessa situação hipotética,
independentemente das circunstâncias e da natureza do delito, João não poderá
ser extraditado pelo Brasil.

30. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Analista Legislativo) Acerca das


relações entre os estrangeiros e o Estado brasileiro, julgue o seguinte item. De
acordo com os critérios de nacionalidade adotados pelos Estados, a condição
de nacional ou estrangeiro de um indivíduo é prerrogativa do próprio Estado,
que nem sempre depende do fato de ele ter nascido ou não no território desse
Estado.

GABARITO COMENTADO

1. (CESPE/PRF/2012/Técnico de Nível Superior) A Constituição Federal assegura o


direito à livre associação sindical ou profissional e veda ao poder público a
interferência e a intervenção na organização sindical.

Questão correta. O artigo 8° da CF garante a liberdade de associação profissional ou


sindical, sendo garantida sua autonomia sindical, que veda ao Poder Público a
interferência e a intervenção na organização sindical.

2. (CESPE/PRF/2012/Técnico de Nível Superior) É obrigatória a participação de


sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.

Questão correta. É o que determina o inciso VI do art. 8° da CF

3. (CESPE/ABIN/2018 - Agente de Inteligência) Indivíduos que possuem


multinacionalidade vinculam-se a dois requisitos de aquisição de nacionalidade
primária: o direito de sangue e o direito de solo.

Questão correta. Indivíduos que possuem multinacionalidade (também conhecido como


polipátridas) adquirem a nacionalidade originária (primária) em razão de critérios

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
44

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

territoriais (ius soli) e sanguíneos (ius sanguinis). É o caso, por exemplo, do brasileiro
nato (nasceu no Brasil) filho de mãe italiana (italiano nato - a Itália reconhece aos
descendentes de seus nacionais a cidadania italiana).

4. (CESPE/ABIN/2018 - Agente de Inteligência) Filho de brasileiros nascido no


estrangeiro que opte pela nacionalidade brasileira não poderá ser extraditado, uma
vez que os efeitos dessa opção são plenos e têm eficácia retroativa.

Questão correta. A questão versa sobre brasileiro nato, citando a hipótese da alínea c
do inciso I do artigo 12. (“nascido no estrangeiro que opte pela nacionalidade brasileira”
- opção potestativa). Conforme o inciso LI do art. 5° da CF, nenhum brasileiro nato poderá
ser extraditado. A questão da retroatividade serve justamente para diferenciar brasileiro
nato do naturalizado. Lembre-se que o brasileiro naturalizado pode ser extraditado por
crime comum praticado antes da naturalização, ou seja, não há eficácia retroativa. Já o
brasileiro nato NUNCA pode ser extraditado, inclusive por crime praticado antes de
alcançar o status de brasileiro nato, aplicando-se, portanto, eficácia retroativa.

5. (CESPE/TRF 1° Região/2017 - Analista Judiciário) Brasileiro naturalizado que


tiver praticado crime comum antes da sua naturalização poderá ser extraditado.

Questão correta. Conforme leitura do inciso LI do art. 5° da CF.

6. (CESPE/TRT - 7ª Região/2017 - Analista Judiciário) Caio, nascido na Itália, filho


de mãe brasileira e pai italiano, veio residir no Brasil aos dezesseis anos de idade.
Quando atingiu a maioridade, Caio optou pela nacionalidade brasileira. A partir das
informações dessa situação hipotética, assinale a opção correta.

a) Caio poderá ser extraditado se tiver praticado delito comum antes de sua opção
pela nacionalidade brasileira, embora seja brasileiro nato. Incorreta. Brasileiro nato
NUNCA poderá ser extraditado.

b) O fato de Caio ser brasileiro nato impede a sua extradição, em qualquer


hipótese. Correta. Brasileiro nato NUNCA poderá ser extraditado.

c) Caio poderá vir a ser extraditado pela prática de delito hediondo ou tráfico ilícito
de entorpecentes posterior à naturalização, em razão de sua naturalização ser
secundária. Incorreta. Caio é brasileiro nato (nacionalidade primária)

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
45

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

d) Se Caio tiver praticado delito comum no exterior, antes de sua naturalização, ele
poderá ser extraditado, pois não é brasileiro nato. Incorreta. Caio é brasileiro nato
(nacionalidade primária) e NUNCA poderá ser extraditado.

7. (CESPE/PJC-MT/2017 - Delegado de Polícia Substituto) O boliviano Juan e a


argentina Margarita são casados e residiram, por alguns anos, em território
brasileiro. Durante esse período, nasceu, em território nacional, Pablo, o filho
deles.

Nessa situação hipotética, de acordo com a CF, Pablo será considerado brasileiro

a) naturalizado, não podendo vir a ser ministro de Estado da Justiça. Incorreta.


Pablo é brasileiro nato (art. 12, I a), já que seus pais estrangeiros não estavam a serviço
do seu país. Ressalte-se que, ainda que o mesmo fosse naturalizado, poderia vir a ser
ministro de Estado da Justiça.

b) nato e poderá vir a ser ministro de Estado da Defesa. Correta. O cargo de ministro
de Estado da Defesa é privativo de brasileiro nato. (art. 12 § 3°, VII da CF)

c) nato, mas não poderá vir a ser presidente do Senado Federal. Incorreta. Pelo
contrário, o cargo de presidente do Senado Federal é privativo de brasileiro nato.

d) naturalizado, não podendo vir a ser presidente da Câmara dos Deputados.


Incorreta. Pablo é brasileiro nato.

e) naturalizado e poderá vir a ocupar cargo da carreira diplomática. Incorreta. Pablo


é brasileiro nato. Além disso, o cargo de carreira diplomática é privativo de brasileiro nato
(art. 12, § 3°, V da CF).

8. (CESPE/TCE-PE/2017 - Analista de Gestão) Situação hipotética: Cláudio,


brasileiro nato, por interesse exclusivamente pessoal, residiu em país estrangeiro,
onde teve um filho com uma cidadã local. Assertiva: Nessa situação, segundo a
CF, o filho de Cláudio poderá ser considerado brasileiro nato, ainda que não venha
a residir no Brasil.

Questão correta. Caso o filho de Cláudio seja registrado em repartição brasileira


competente, será considerado brasileiro nato, ainda que continue a residir no
estrangeiro. (art. 12, I, alínea c da CF).

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
46

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

9. (CESPE/TCE-PE/2017 - Analista de Gestão) Estrangeiro que resida no Brasil há


mais de quinze anos ininterruptos e não tenha condenação penal poderá tornar-
se, após requerimento, brasileiro naturalizado e, nessa condição, candidatar-se a
deputado federal ou senador, mas, se eleito, estará impedido de presidir a casa
legislativa à qual pertencer.

Questão correta. A questão versa de aquisição de naturalização secundária prevista no


art. 12, II, alínea b da CF. Sendo brasileiro naturalizado, pode candidatar-se a deputado
federal ou senador, mas não pode ser Presidente da Câmara dos Deputados ou
Presidente do Senado, tendo em vista que esses cargos são privativos do brasileiro nato
(art. 12, § 3°, II e III da CF).

10. (CESPE/TRE-PE/2017 - Analista Judiciário) O brasileiro naturalizado

a) poderá ocupar o cargo de presidente do Senado Federal. Incorreta. Cargo


privativo de brasileiro nato (art. 12, § 3°, III da CF)

b) poderá ocupar o cargo de ministro de Estado da Defesa. Incorreta. Cargo privativo


de brasileiro nato (art. 12, § 3°, VII da CF)

c) não poderá ocupar cargo da carreira diplomática. Correta. O cargo é privativo de


brasileiro nato (art. 12, § 3°, V da CF)

d) perderá a nacionalidade brasileira no caso de reconhecimento de nacionalidade


originária pela lei estrangeira. Incorreta. O reconhecimento de nacionalidade
originária pela lei estrangeira é uma das hipóteses de exceção em que o brasileiro não
perde a nacionalidade, caso adquira nacionalidade de outro país (art. 12, § 4°, II, alínea
a da CF).

e) poderá ocupar o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal..Incorreta. O


cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal é privativo de brasileiro nato (art. 12, §
3°, IV da CF)

11. (CESPE/FUB/2016 - Conhecimentos Básicos) A Constituição Federal de 1988


define os cargos que são privativos de brasileiros natos e proíbe que legislação
infraconstitucional estabeleça distinções entre brasileiros natos e naturalizados.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
47

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Questão correta. Conforme leitura do § 2° do artigo 12 da CF, a lei não poderá


estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo nos casos previstos
na Constituição (Ex: cargos exclusivos de brasileiros natos).

12. (CESPE/TCE-PA/2016 - Auxiliar Técnico de Controle Externo) No que concerne


aos direitos e deveres individuais e coletivos, à nacionalidade e aos direitos
políticos, julgue o item que se segue, tendo como referência as disposições da CF.
Para que o filho de casal brasileiro nascido em país estrangeiro seja considerado
brasileiro nato, ambos os pais devem estar, nesse país, a serviço da República
Federativa do Brasil.

Questão incorreta. Filho de casal brasileiro (seria suficiente apenas um dos pais ser
brasileiro), nascido em país estrangeiro, para que seja considerado brasileiro nato, é
suficiente que apenas um dos pais esteja a serviço da República Federativa do Brasil
(art. 12, I, alínea b da CF).

13. (CESPE/TCE-PA/2016 - Auxiliar Técnico de Controle Externo) No que concerne


aos direitos e deveres individuais e coletivos, à nacionalidade e aos direitos
políticos, julgue o item que se segue, tendo como referência as disposições da CF.
Situação hipotética: Em 2010, João foi naturalizado brasileiro e, em 2012, se
envolveu em tráfico ilícito internacional de entorpecentes. Devido a essa infração
penal, determinado país requereu a sua extradição. Assertiva: Nessa situação, o
pedido deverá ser negado, uma vez que a CF veda a extradição de brasileiro.

Questão incorreta. Brasileiro naturalizado que, comprovadamente, se envolve em


tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins poderá ser extraditado a qualquer tempo
(antes ou depois da naturalização) - art. 5°, LI da CF. Lembre-se, somente o brasileiro
nato NUNCA poderá ser extraditado.

14. (CESPE/PC-PE/2016/Delegado de Polícia - questão adaptada) Será considerado


brasileiro nato o indivíduo nascido no estrangeiro, filho de pai brasileiro ou de mãe
brasileira, que for registrado em repartição brasileira competente ou que venha a
residir no Brasil e opte, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela
nacionalidade brasileira.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
48

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Questão correta. É a leitura do art. 12, I, alínea c da CF (registro ou residência e opção


potestativa - maioridade).

15. (CESPE/TRT - 8ª Região (PA e AP)/2016 - Analista Judiciário) Com base nas
normas constitucionais que versam sobre direitos e garantias fundamentais,
assinale a opção correta acerca do direito de nacionalidade.

a) Configura-se a denominada nacionalidade adquirida no caso em que o indivíduo


nascido no estrangeiro, filho de pai ou mãe brasileiros, passa a residir no Brasil e
opta pela nacionalidade brasileira depois de ter atingido a maioridade. Incorreta. a
opção traz a hipótese de nacionalidade de origem (originária, primária), conforme art. 12,
I, c da CF.

b) É proibida qualquer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, os quais


são detentores dos mesmos direitos e deveres previstos na Constituição Federal
de 1988 (CF). Incorreta. A Constituição Federal traz 4 hipóteses de distinção entre
brasileiros natos e naturalizados: cargos, função (Conselho da República), extradição e
propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens.

c) A perda da nacionalidade brasileira em razão do reconhecimento de outra


nacionalidade originária não se dá automaticamente. Correta. é o caso da Itália que
reconhece aos descendentes de seus nacionais a cidadania italiana. Os brasileiros
descendentes de italianos que adquirem aquela nacionalidade, por meio do simples
processo administrativo, não perderão a nacionalidade brasileira, uma vez que se trata
de mero reconhecimento de nacionalidade originária italiana, em virtude do vínculo
sanguíneo. Ostentarão, pois, dupla nacionalidade (polipátrida).

d) Tanto a nacionalidade primária quanto a nacionalidade secundária dependem


da vontade do indivíduo, que tem a liberdade de aceitar ou não o vínculo jurídico-
positivo que o liga ao Estado brasileiro. Incorreta. a nacionalidade primária resulta
de um fato natural, o nascimento, portanto, é uma forma involuntária de aquisição de
nacionalidade.

e) Na determinação da nacionalidade primária, no Brasil se adota com primazia o


jus solis (vínculo de territorialidade), mas também se admitem o jus matrimoniale
(vínculo de casamento) e o jus sanguinis (vínculo de sangue). Incorreta. Não é

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
49

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

admitido no Brasil a aquisição de nacionalidade jus matrimoniale (vínculo de casamento),


conforme entendimento do STF.

16. (CESPE/TRT - 8ª Região (PA e AP)/2016 - Analista Judiciário) Acerca do


tratamento da nacionalidade brasileira na Constituição Federal de 1988 (CF),
assinale a opção correta.

a) Brasileiros natos e naturalizados são equiparados para todos os efeitos, dado o


princípio da isonomia, conforme o qual todos são iguais perante a lei. Incorreta. A
Constituição Federal traz 4 hipóteses de distinção entre brasileiros natos e naturalizados:
cargos, função (Conselho da República), extradição e propriedade de empresa
jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens.

b) Filhos de brasileiros nascidos no estrangeiro podem optar pela naturalização,


desde que o façam antes da maioridade civil. Incorreta. aplica-se o entendimento do
STF: “Vindo o nascido no estrangeiro, de pai brasileiro ou de mãe brasileira, a residir no
Brasil, ainda menor, passa a ser considerado brasileiro nato, sujeita essa nacionalidade
a manifestação da vontade do interessado, mediante a opção, depois de atingida a
maioridade. Atingida a maioridade, enquanto não manifestada a opção, esta passa a
constituir-se em condição suspensiva da nacionalidade brasileira.”

c) É permitida a extradição de brasileiros naturalizados, respeitadas as condições


previstas na CF. Correta. O brasileiro naturalizado poderá ser extraditado em caso de
crime comum, praticado antes da naturalização ou, a qualquer tempo, em caso de
comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da
lei.

d) São considerados brasileiros natos apenas os nascidos em solo nacional.


Incorreta. O Brasil também adotou o critério do ius sanguinis para aquisição da
nacionalidade primária. (art. 12, I, alíneas b e c da CF).

e) A naturalização é concedida exclusivamente a portugueses tutelados pelo


Estatuto da Igualdade, caso haja reciprocidade em favor dos brasileiros. Incorreta.
O processo de naturalização poderá ser concedido a qualquer estrangeiro.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
50

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

17. (CESPE/TRT - 8ª Região (PA e AP)/2016 - Analista Judiciário - questão adaptada)


No que se refere aos direitos e garantias fundamentais elencados na CF, os
estrangeiros residentes e não residentes no Brasil equiparam-se aos brasileiros.

Questão incorreta. Conforme leitura do art. 12, § 1° da CF, somente aos portugueses
com residência permanente no País, se houver reciprocidade em favor de brasileiros,
serão atribuídos direitos inerentes ao brasileiro naturalizado (português equiparado -
quase nacionalidade).

18. (CESPE/DPU/2016 - Técnico em Assuntos Educacionais) Acerca dos direitos e


garantias fundamentais, de acordo com o disposto na Constituição Federal de
1988 (CF), julgue o próximo item. Adotou-se como regra o critério sanguíneo para
a definição da nacionalidade brasileira.

Questão incorreta. No Brasil, adota-se como regra, para aquisição da nacionalidade


primária, critérios territoriais (ius soli), sendo exceção o critério sanguíneo (ius sanguinis).

19. (CESPE/DPE-RN/2015 - Defensor Público Substituto - questão adaptada) A


nacionalidade de brasileiros naturalizados perdida por sentença judicial devido ao
exercício de atividade nociva ao interesse nacional pode ser readquirida mediante
novo procedimento de naturalização.

Questão incorreta. Uma vez transitada em julgado a ação de cancelamento da


naturalização, em virtude de atividade nociva ao interesse nacional, o indivíduo somente
irá readquirir a nacionalidade brasileira mediante ação rescisória, nunca através de uma
nova naturalização.

20. (CESPE/TCU/2015 - Procurador do Ministério Público - questão adaptada) De


acordo com a CF, prescinde de prévia decisão judicial a perda da nacionalidade
pelo brasileiro naturalizado que adquirir outra nacionalidade.

Questão correta. Aqui o candidato deve ficar atento à palavra “prescindir” (que significa
“não precisar de”, “dispensável”), muito utilizada pela CESPE. De fato, não há a
necessidade de prévia autorização judicial para a perda da nacionalidade pelo brasileiro
naturalizado que adquirir outra nacionalidade (perda-mudança). A perda da

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
51

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

nacionalidade será decretada por meio de processo administrativo e oficializada


mediante Decreto do Presidente da República, garantida a ampla defesa.

21. (CESPE/FUB/2015 - Conhecimentos Básicos) Acerca dos princípios


fundamentais e dos direitos e deveres individuais e coletivos, julgue o item a
seguir: Em nenhuma hipótese, o brasileiro nato poderá ser extraditado.

Questão correta. O brasileiro nato NUNCA será extraditado.

22. (CESPE/Instituto Rio Branco/2015/Diplomata) A respeito dos direitos e


garantias fundamentais, conforme disposto na Constituição Federal de 1988,
julgue (C ou E) o item subsequente. A Constituição Federal determina que o
brasileiro nato nunca será extraditado e que o brasileiro naturalizado somente será
extraditado no caso de ter praticado crime comum antes da naturalização.

Questão incorreta. Cuidado com a expressão “somente”. De fato, o brasileiro nato


NUNCA será extraditado, porém há outra hipótese de extradição de brasileiro
naturalizado: no caso de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e
drogas afins (art, 5°, LI da CF)

23. (CESPE/TRF-1ª Região/2015 - Juiz Federal Substituto - questão adaptada) Os


cargos de ministro de Estado da Defesa e o de ministro das Relações Exteriores,
entre outros, são privativos de brasileiros natos.

Questão incorreta. O cargo de ministro de Estado da Defesa é privativo de brasileiro


nato (art. 12, § 3°, VII da CF), porém o de ministro das Relações Exteriores poderá ser
exercido por brasileiro naturalizado.

24. (CESPE/TRF-1ª Região/2015 - Juiz Federal Substituto - questão adaptada)


Considera-se brasileiro nato o indivíduo nascido no estrangeiro e registrado em
repartição brasileira competente, desde que seja filho de pai brasileiro ou de mãe
brasileira, ainda que seus pais não estejam a serviço da República Federativa do
Brasil.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
52

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

Questão correta. É uma das hipóteses de aquisição da nacionalidade originária


(brasileiro nato) prevista no art. 12, I, alínea c da CF. (registro em repartição brasileira
competente).

25. (CESPE/TRE-GO/2015 - Técnico Judiciário) Quanto ao conceito de Constituição


e aos direitos individuais e de nacionalidade, julgue o seguinte item. São
brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira
que esteja no exterior a serviço do Brasil ou de organização internacional.

Questão incorreta. Segundo o art. 12, I,alínea b, são considerados brasileiros natos os
nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer um
deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil, ou seja, o dispositivo
constitucional não previu a possibilidade de um dos pais esteja a serviço de organização
internacional.

26. (CESPE/TJ-CE/2014 - Técnico Judiciário) Em relação aos direitos de


nacionalidade, assinale a opção correta considerando o disposto na CF.

a) Aos portugueses com residência permanente no país, serão atribuídos os


direitos inerentes a brasileiro nato. Incorreta. Ao português equiparado (quase
nacionalidade), com residência permanente no país, se houver reciprocidade em favor
de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro naturalizado (art. 12, §
1° da CF)

b) Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que cometer crime contra


a vida do presidente da República. Incorreta. O brasileiro nato NUNCA será
extraditado.

c) É privativo de brasileiro nato o cargo de juiz de direito. Incorreta. São privativos


de brasileiros natos os cargos previstos no art. 12, § 3° da CF (lista taxativa).

d) Considera-se brasileiro naturalizado o nascido no estrangeiro, de pai brasileiro


e mãe estrangeira, se o pai estiver a serviço da República Federativa do Brasil.
Incorreta. Para garantir a nacionalidade originária (brasileiro nato), é necessário que um
dos pais seja brasileiro (art. 12, I, alínea b da CF).

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
53

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

e) O Distrito Federal e os municípios poderão ter símbolos próprios. Correta.


Conforme leitura do art. 13, § 2° da CF.

27. (CESPE/TC-DF/2014 - Técnico de Administração Pública) À luz das normas


constitucionais e da jurisprudência do STF, julgue os seguintes itens. Cidadão
português que legalmente adquira a nacionalidade brasileira não poderá exercer
cargo da carreira diplomática, mas não estará impedido de exercer o cargo de
ministro de Estado das Relações Exteriores.

Questão correta. O português que adquira a nacionalidade secundária será considerado


brasileiro naturalizado, dessa forma, não poderá exercer cargo de carreira diplomática
(privativo de brasileiro nato - art. 12, § 3°, V da CF), mas não estará impedido de exercer
o cargo de ministro de Estado das Relações Exteriores.

28. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Técnico Legislativo) Se um casal


formado por um cidadão argentino e uma cidadã canadense for contratado pela
República do Uruguai para prestar serviços em representação consular desse país
no Brasil e, durante a prestação desses serviços, tiver um filho em território
brasileiro, tal filho, conforme o disposto na CF, será brasileiro nato.

Questão correta. De fato, conforme leitura do art. 12, I, alínea a da CF, os nascidos no
Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço do seu
país, são considerados brasileiros natos. Como podemos observar, o pai é argentino e
a mãe é canadense, mas estão representando a República do Uruguai (não estão a
serviço de seu país).

29. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Analista Legislativo) Julgue o item


seguinte, relativo aos direitos e garantias fundamentais. Considere a seguinte
situação hipotética: João, brasileiro nato, durante viagem a determinado país
estrangeiro, cometeu um crime e, depois disso, regressou ao Brasil. Em seguida,
o referido país requereu a extradição de João. Nessa situação hipotética,
independentemente das circunstâncias e da natureza do delito, João não poderá
ser extraditado pelo Brasil.

Questão correta. Brasileiro nato NUNCA poderá ser extraditado.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
54

Licensed to cledson.martim@hotmail.com
Direito Constitucional para PRF
Prof. Gabriel Andrade

30. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014 - Analista Legislativo) Acerca das


relações entre os estrangeiros e o Estado brasileiro, julgue o seguinte item. De
acordo com os critérios de nacionalidade adotados pelos Estados, a condição de
nacional ou estrangeiro de um indivíduo é prerrogativa do próprio Estado, que nem
sempre depende do fato de ele ter nascido ou não no território desse Estado.

Questão correta. A competência para legislar sobre nacionalidade é exclusiva do


próprio Estado, dessa forma, não há a possibilidade de qualquer ingerência normativa
de direito estrangeiro. O Estado soberano é, afinal, o único outorgante possível da
nacionalidade. Pode-se afirmar, portanto, que o estabelecimento de critérios para a
concessão de nacionalidade é ato de manifestação da soberania estatal. Cabe destacar
que a aquisição da nacionalidade poderá se dar por critérios territoriais (ius soli),
sanguíneos (ius sanguinis) ou mistos. Nem sempre o indivíduo deverá nascer em
território nacional para adquirir a nacionalidade primária. É o caso da Itália, que adota o
critério sanguíneo que reconhece aos descendentes de seus nacionais a cidadania
italiana, mesmo estes nascidos no estrangeiro.

_____________________________________________________________________________________
Prof. Gabriel Andrade www.quebrandoasbancas.com.br
55

Licensed to cledson.martim@hotmail.com