Anda di halaman 1dari 265

620 questões de Legislação Tributária Federal

IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

620 QUESTÕES DE LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL

E-book GRATUITO

IRPF – IRPJ – IPI

MATERIAL COM ATUALIZAÇÃO PREVISTA PARA JUL/2017

Este material é protegido por direitos autorais e exclusivo do site do prof. George Firmino: www.georgefirmino.com.br

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 1 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Este é um e-book totalmente gratuito oferecido pelo professor George Firmino aos
seus alunos e visitantes do site www.georgefirmino.com.br.
O material é fruto do esforço e da dedicação individual do professor para oferecer
aos concurseiros um material de extrema qualidade. Apesar de gratuito, todo o
conteúdo é protegido por direitos autorais, sendo vedada a sua comercialização ou
cópia não autorizada.
Valorize o trabalho do professor e contribua para a continuidade do site, tão
importante na sua preparação e de tantos outros concurseiros que ainda irão
ingressar nessa jornada.
A pirataria inviabiliza a continuidade dos cursos e a disponibilização de materiais
gratuitos como este.
Não adquira ou baixe cursos fora do site oficial do professor!
E caso tenha visto este material sendo comercializado, DENUNCIE!

Conheça também os livros de minha autoria:

Direito Tributário Descomplicado Legislação Tributária Federal Direito Tributário ESAF

Confira aqui os cursos que serão úteis para você!

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 2 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

620 Questões de Legislação Tributária Federal

IRPF – IRPJ - IPI

SUMÁRIO Página
Apresentação do material 03
Sobre o autor
Imposto de Renda das Pessoas Físicas – IRPF
Questões Propostas 07
Gabarito 39
Questões comentadas 40
Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas – IRPJ
Questões Propostas 95
Gabarito 126
Questões comentadas 127
Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI
Questões Propostas 182
Gabarito 213
Questões comentadas 214

Olá, amigos concurseiros! Estamos de volta com nosso e-book de Legislação


Tributária para os concursos da Receita Federal. Dessa vez com uma
excelente novidade: o material é totalmente gratuito!
Lançamos este formato no concurso de 2012, a partir da necessidade
apontada por muitos alunos: um curso totalmente focado na objetividade,
tendo em vista que a cobrança da Legislação Tributária em regra exige o
conhecimento da literalidade dos regulamentos na maioria das questões.
Nessa linha, a grande tônica desse material é explorar ao máximo os
Regulamentos do Imposto de Renda e do IPI, exclusivamente quanto à sua
literalidade, a fim de permitir que você memorize os artigos que certamente
serão objeto de questões na sua prova.
Dessa forma, este e-book será como um grande simulado, onde constarão
620 assertivas elaboradas com base na “lei seca”, com a seguinte divisão:

▪ Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF): 220 questões


▪ Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ): 200 questões
▪ Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): 200 questões

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 3 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Perceba, meu amigo, que se trata de um grande teste para a prova, onde você
verá todos os regulamentos em forma de simulado, o que lhe garante uma
fixação muito maior do conteúdo do que a simples leitura dos regulamentos.
As questões serão do tipo V ou F e apresentadas em sequência, sem
comentários, para que você as imprima e resolva, passando, posteriormente
aos comentários.
Todas as assertivas serão comentadas. Porém, os comentários não serão
extensos, se limitarão ao conteúdo da norma, visando ao máximo de
objetividade.
O material serve tanto para o concurso de Auditor Fiscal como para o de
Analista Tributário. Porém, devido à diferença entre os conteúdos dos dois
editais, algumas questões deste e-book correspondem a assuntos que
somente serão exigidos na prova de Auditor Fiscal. Para facilitar o seu estudo,
essas questões serão marcadas com o seguinte selo:

EXCLUSIVA AFRFB

Antes de passarmos para as questões, gostaria de fazer uma breve


apresentação.
Sou Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil e pós-graduando em Direito
Tributário. Atuei inicialmente como parecerista em processos de restituição
e compensação tributária, bem como na orientação aos contribuintes em
questões que envolviam a interpretação da legislação tributária, mais
precisamente referentes ao imposto de renda pessoa física e jurídica (IRPF e
IRPJ). Após um período como parecerista, passei a exercer minhas atividades
na malha fiscal e na fiscalização do imposto de renda pessoa física.
Atualmente, exerço minhas funções no julgamento de processos do Simples
Nacional.
Porém, antes de tomar posse no meu atual cargo, passei por uma verdadeira
jornada como concurseiro. Nesse intervalo, obtive aprovação nos seguintes
certames:

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 4 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

▪ Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil 2009, classificado na 68ª


posição e obtendo a 5ª maior nota nacional na prova discursiva;
▪ Agente Fiscal de Rendas da SEFAZ/SP (ICMS/SP) 2009;
▪ Analista Tributário da Receita Federal do Brasil (ATRFB) 2009;
▪ Auditor Fiscal de Ipojuca/PE 2009;
▪ Auditor Fiscal de Abreu e Lima/PE 2008 (1º lugar);
▪ Gestor da Secretaria de Administração/PE 2009;
▪ Assistente Técnico Administrativo do Ministério da Fazenda 2009.

Minha experiência como professor iniciou em 2012 no Estratégia


Concursos, onde permaneci até 2014, saindo para dedicar-me à
coordenação pedagógica do site Concurseiro Fiscal, que posteriormente
expandiu para o Atitude Concursos. Desde então, conto com centenas de
alunos aprovados em todo o Brasil, em concursos de alto nível como os da
Receita Federal e dos fiscos estaduais e municipais.

Sou autor dos seguintes livros:

Direito Tributário Descomplicado Legislação Tributária Federal Direito Tributário ESAF

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 5 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Muito embora a exigência das questões recaia sobre a literalidade dos


regulamentos, o estudo da chamada “lei seca” é muito desgastante para o
candidato. Descomplicar a legislação por meio de uma abordagem teórica e
questões comentadas com explicações mais detalhadas é de extrema
importância.
Por isso, apresento outros materiais que poderão facilitar bastante os seus
estudos para o concurso da Receita Federal:

Para o concurso de Auditor Fiscal:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Para o concurso de Analista Tributário:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Feitas todas as considerações sobre o material, passemos ao que interessa:


a resolução das questões!

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 6 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

IRPF – Imposto de Renda das Pessoas Físicas

220 questões

Questão 01
As pessoas físicas domiciliadas ou residentes no Brasil, titulares de
disponibilidade econômica ou jurídica de renda ou proventos de qualquer
natureza, inclusive rendimentos e ganhos de capital, são contribuintes do
imposto de renda, observados a nacionalidade, sexo, idade, estado civil ou
profissão.

Questão 02
O imposto de renda da pessoa física somente será devido após o ajuste anual.

Questão 03
A renda e os proventos de qualquer natureza percebidos no País por
residentes ou domiciliados no exterior ou a eles equiparados estão sujeitos
ao imposto de renda.

Questão 04
Os rendimentos e ganhos de capital de que sejam titulares menores e outros
incapazes serão tributados em nome dos seus respectivos responsáveis.

Questão 05
No caso de rendimentos auferidos por menores ou incapazes, o recolhimento
do tributo e a apresentação da respectiva declaração de rendimentos são da
responsabilidade de qualquer um dos pais, do tutor, do curador ou do
responsável por sua guarda.

Questão 06
Opcionalmente, os rendimentos e ganhos de capital percebidos por menores
e outros incapazes, ainda que em valores inferiores ao limite de isenção,
poderão ser tributados em conjunto com os de qualquer um dos pais, do
tutor ou do curador, sendo aqueles considerados dependentes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 7 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 07
No caso de menores ou de filhos incapazes, que estejam sob a
responsabilidade de um dos pais, em virtude de sentença judicial, a opção de
declaração poderá ser exercida por qualquer dos pais.

Questão 08
No caso de rendimentos percebidos em dinheiro a título de alimentos ou
pensões em cumprimento de acordo homologado judicialmente ou decisão
judicial, inclusive alimentos provisionais ou provisórios, verificando-se a
incapacidade civil do alimentado, a tributação far-se-á em seu nome pelo
tutor, curador ou responsável por sua guarda.

Questão 09
Obrigatoriamente, o responsável pela manutenção do alimentado deverá
considerá-lo seu dependente, incluindo os rendimentos deste em sua
declaração.

Questão 10
Na constância da sociedade conjugal, cada cônjuge terá seus rendimentos
tributados na proporção de cinquenta por cento dos que lhes forem próprios
e cem por cento dos produzidos pelos bens comuns.

Questão 11
Obrigatoriamente, os rendimentos produzidos pelos bens comuns deverão
ser tributados, em sua totalidade, em nome de um dos cônjuges.

Questão 12
Cada cônjuge deverá incluir, em sua declaração, a totalidade dos
rendimentos próprios e a metade dos rendimentos produzidos pelos bens
comuns.

Questão 13
Os bens comuns deverão ser relacionados somente por um dos cônjuges, se
ambos estiverem obrigados à apresentação da declaração, ou,
obrigatoriamente, pelo cônjuge que estiver apresentando a declaração,
quando o outro estiver desobrigado de apresentá-la.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 8 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 14
As disposições acerca dos rendimentos da sociedade conjugal não podem ser
aplicadas à união estável, valendo apenas quando houver casamento.

Questão 15
Tratando-se de separação judicial, divórcio, ou anulação de casamento, a
declaração de rendimentos passará a ser apresentada em nome de cada um
dos contribuintes.

Questão 16
Ao espólio não poderão ser aplicadas as normas a que estão sujeitas as
pessoas físicas.

Questão 17
A partir da abertura da sucessão, as obrigações estabelecidas no
Regulamento do Imposto de Renda ficam a cargo dos sucessores.

Questão 18
A declaração de rendimentos, a partir do exercício seguinte àquele
correspondente ao ano-calendário do falecimento e até a data em que for
homologada a partilha ou feita a adjudicação dos bens, será apresentada em
nome do espólio.

Questão 19
Serão também apresentadas em nome do espólio as declarações não
entregues pelo falecido relativas aos anos anteriores ao do falecimento, às
quais estivesse obrigado.

Questão 20
Homologada a partilha ou feita a adjudicação dos bens, deverá ser
apresentada, pelo inventariante, dentro de quinze dias, contados da data em
que transitar em julgado a sentença respectiva, declaração dos rendimentos
correspondentes ao período de 1º de janeiro até a data da homologação ou
adjudicação.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 9 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 21
Os rendimentos decorrentes de bens possuídos em condomínio serão
tributados em parcelas iguais para cada condômino.

Questão 22
Os bens em condomínio deverão ser mencionados nas respectivas
declarações de bens, relativamente à parte que couber a cada condômino.

Questão 23
Os residentes ou domiciliados no Brasil que se retirarem em caráter definitivo
do território nacional no curso de um ano-calendário, além da declaração
correspondente aos rendimentos do ano-calendário anterior, ficam sujeitos
à apresentação imediata da declaração de saída definitiva do País
correspondente aos rendimentos e ganhos de capital percebidos no período
de 1º de janeiro até a data em que for requerida a certidão de quitação de
tributos federais.

Questão 24
O imposto de renda devido na saída definitiva do país será calculado
mediante a utilização dos valores da tabela progressiva anual, vedado o
cálculo proporcional.

Questão 25
Os rendimentos e ganhos de capital percebidos após o requerimento de
certidão negativa para saída definitiva do País ficarão sujeitos à tributação
exclusiva na fonte ou definitiva.

Questão 26
As pessoas físicas que se ausentarem do País sem requerer a certidão
negativa para saída definitiva do País terão seus rendimentos tributados
como não residentes, durante os primeiros doze meses de ausência.

Questão 27
As pessoas físicas domiciliadas no Brasil, ausentes no exterior a serviço do
País, que recebam rendimentos do trabalho assalariado, em moeda
estrangeira, de autarquias ou repartições do Governo brasileiro situadas no
exterior, não estão sujeitas à tributação do imposto de renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 10 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 28
As pessoas físicas portadoras de visto permanente que, no curso do ano-
calendário, transferirem residência para o território nacional e, nesse mesmo
ano, iniciarem a percepção de rendimentos tributáveis de acordo com a
legislação em vigor, estão sujeitas ao imposto, como residentes ou
domiciliadas no País em relação aos fatos geradores ocorridos a partir da
data de sua chegada.

Questão 29
Sujeitar-se-á à tributação pelo imposto de renda, como residente, a pessoa
física proveniente do exterior que ingressar no Brasil, com visto temporário
para trabalhar, com vínculo empregatício, em relação aos fatos geradores
ocorridos a partir da data de sua chegada.

Questão 30
Sujeitar-se-á à tributação pelo imposto de renda, como residente, a pessoa
física proveniente do exterior que ingressar no Brasil, com visto por qualquer
motivo, e aqui permanecer por período superior a cento e vinte dias,
consecutivos ou não, contado, dentro de um intervalo de doze meses, da data
de qualquer chegada, em relação aos fatos geradores ocorridos a partir do
dia subsequente àquele em que se completar referido período de
permanência.

Questão 31
Os rendimentos de aplicações financeiras e os ganhos de capital, recebidos
por pessoa física proveniente do exterior que ingressar no Brasil, com visto
temporário desde o momento de sua chegada ao País, serão tributados como
os dos residentes no Brasil.

Questão 32
Estão isentos do imposto os rendimentos do trabalho percebidos por
servidores diplomáticos de governos estrangeiros, desde que haja
reciprocidade para com os brasileiros no respectivo país.

Questão 33
Estão isentos do imposto os ganhos de capital percebidos por servidores
diplomáticos de governos estrangeiros.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 11 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 34
Estão isentos do imposto os rendimentos do trabalho percebidos por
servidores de organismos internacionais de que o Brasil faça parte e aos
quais se tenha obrigado, por tratado ou convênio, a conceder isenção.

Questão 35
São pessoalmente responsáveis o sucessor a qualquer título e o cônjuge
meeiro, pelo tributo devido pelo de cujus até a data da partilha ou
adjudicação, independente do valor.

Questão 36
O espólio é pessoalmente responsável pelo tributo devido pelo de cujus até a
data da partilha.

Questão 37
Os créditos tributários, notificados ao de cujus antes da abertura da sucessão,
ainda que neles incluídos encargos e penalidades, serão exigidos do espólio
ou dos sucessores.

Questão 38
Nos casos de impossibilidade de exigência do cumprimento da obrigação
principal pelo contribuinte, respondem solidariamente com este nos atos em
que intervierem ou pelas omissões de que forem responsáveis os pais, pelo
tributo devido por seus filhos menores.

Questão 39
O inventariante responde pelo tributo devido pelo espólio de forma
subsidiária.

Questão 40
Respondem solidariamente com o contribuinte nos atos em que intervierem
ou pelas omissões de que forem responsáveis os tutores, curadores e
responsáveis, pelo tributo devido por seus tutelados, curatelados ou
menores dos quais detenham a guarda judicial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 12 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 41
Considera-se como domicílio fiscal da pessoa física a sua residência habitual,
assim entendido o lugar em que ela tiver uma habitação em condições que
permitam presumir intenção de mantê-la.

Questão 42
No caso de exercício de profissão ou função particular ou pública, o domicílio
fiscal é o lugar onde a profissão ou função estiver sendo desempenhada.

Questão 43
Quando se verificar pluralidade de residência no País, o domicílio fiscal será
eleito pela autoridade competente.

Questão 44
A autoridade administrativa pode recusar o domicílio eleito, quando
impossibilite ou dificulte a arrecadação ou a fiscalização do imposto.

Questão 45
O contribuinte ausente de seu domicílio fiscal, durante o prazo de entrega da
declaração de rendimentos ou de interposição de impugnação ou recurso,
cumprirá as disposições do RIR perante a autoridade fiscal da jurisdição em
que estiver, dando-lhe conhecimento do domicílio do qual se encontra
ausente.

Questão 46
O contribuinte que transferir sua residência de um município para outro ou
de um para outro ponto do mesmo município fica obrigado a comunicar essa
mudança às repartições competentes dentro do prazo de quarenta e cinco
dias.

Questão 47
A comunicação de mudança de domicílio será feita nas unidades da
Secretaria da Receita Federal, podendo ser também efetuada quando da
entrega da declaração de rendimentos das pessoas físicas.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 13 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 48
A pessoa física que se retirar do território nacional temporariamente deverá
nomear pessoa habilitada no País a cumprir, em seu nome, as obrigações
previstas no Regulamento do Imposto de Renda e representá-la perante as
autoridades fiscais.

Questão 49
Se o residente no exterior permanecer no território nacional e não tiver
procurador, representante ou empresário no País, o domicílio fiscal é o lugar
por onde ingressou no território nacional.

Questão 50
Constituem rendimento bruto todo o produto do capital, do trabalho ou da
combinação de ambos, os alimentos e pensões percebidos em dinheiro, os
proventos de qualquer natureza, assim também entendidos os acréscimos
patrimoniais não correspondentes aos rendimentos declarados.

Questão 51
A tributação da pessoa física depende da denominação dos rendimentos,
títulos ou direito.

Questão 52
A tributação independe da localização, condição jurídica ou nacionalidade da
fonte, da origem dos bens produtores da renda e da forma de percepção das
rendas ou proventos, bastando, para a incidência do imposto, o benefício do
contribuinte por qualquer forma e a qualquer título.

Questão 53
Os rendimentos serão tributados no mês em que forem recebidos,
considerado como tal o da entrega de recursos pela fonte pagadora, mesmo
mediante depósito em instituição financeira em favor do beneficiário.

Questão 54
A ajuda de custo destinada a atender às despesas com transporte, frete e
locomoção do beneficiado e seus familiares, em caso de remoção de um
município para outro, entrará no cômputo do rendimento bruto.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 14 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 55
O ganho de capital auferido na alienação de bens e direitos, independente do
valor, constitui rendimento tributável pelo IRPF.

Questão 56
Constitui rendimento isento o ganho de capital auferido na alienação do
único imóvel que o titular possua, cujo valor de alienação seja de até
quatrocentos e quarenta mil reais, desde que não tenha sido realizada
qualquer outra alienação nos últimos cinco anos.

Questão 57
A alimentação, o transporte e os uniformes ou vestimentas especiais de
trabalho, fornecidos gratuitamente pelo empregador a seus empregados, são
isentos do IRPF.

Questão 58
O auxílio-alimentação e o auxílio transporte pago em pecúnia aos servidores
públicos federais ativos da Administração Pública Federal direta, autárquica
e fundacional, não podem receber isenção por ofensa à isonomia.

Questão 59
Os valores recebidos por deficiente mental a título de pensão, pecúlio,
montepio e auxílio, quando decorrentes de prestações do regime de
previdência social ou de entidades de previdência privada são isentos do
imposto de renda.

Questão 60
É isento do IRPF o valor locativo do prédio construído, quando ocupado por
seu proprietário ou cedido gratuitamente para uso do cônjuge ou de
parentes de primeiro grau.

Questão 61
São rendimentos isentos as bolsas de estudo e de pesquisa caracterizadas
como doação, quando recebidas exclusivamente para proceder a estudos ou
pesquisas e desde que os resultados dessas atividades não representem
vantagem para o doador, nem importem contraprestação de serviços.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 15 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 62
A indenização quando destinada a reparar danos patrimoniais em virtude de
rescisão de contrato é tributável.

Questão 63
São tributáveis os rendimentos auferidos em contas de depósitos de
poupança que superarem o montante de R$50.000,00 no ano-calendário.

Questão 64
As contribuições pagas pelos empregadores relativas a programas de
previdência privada em favor de seus empregados e dirigentes são isentas do
imposto de renda.

Questão 65
É isenta do IRPF a indenização em virtude de desapropriação para fins de
reforma agrária, quando auferida pelo desapropriado.

Questão 66
São isentas do imposto de renda as diárias destinadas, exclusivamente, ao
pagamento de despesas de alimentação e pousada, por serviço eventual
realizado em município diferente do da sede de trabalho, exceto no exterior.

Questão 67
Constitui rendimento tributável os juros produzidos pelas letras hipotecárias.

Questão 68
É isenta do imposto a indenização reparatória por danos físicos, invalidez ou
morte, ou por bem material danificado ou destruído, em decorrência de
acidente, até o limite fixado em condenação judicial, inclusive no caso de
pagamento de prestações continuadas.

Questão 69
São isentos do imposto de renda os lucros e dividendos efetivamente pagos
a sócios, acionistas ou titular de empresa individual, que não ultrapassem o
valor que serviu de base de cálculo do imposto de renda da pessoa jurídica
tributada com base no lucro presumido, deduzido do imposto
correspondente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 16 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 70
São isentos do imposto de renda os valores recebidos a título de pensão,
quando o beneficiário desse rendimento for portador de moléstia grave,
inclusive a decorrente de moléstia profissional, com base em conclusão da
medicina especializada, exceto se a doença tiver sido contraída após a
concessão da pensão.

Questão 71
São isentos do imposto de renda os proventos de aposentadoria ou reforma,
desde que motivadas por acidente em serviço e os percebidos pelos
portadores de moléstia profissional, tuberculose ativa, alienação mental,
esclerose múltipla, neoplasia maligna, cegueira, hanseníase, paralisia
irreversível e incapacitante, cardiopatia grave, doença de Parkinson,
espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave, estados avançados de
doença de Paget (osteíte deformante), contaminação por radiação, síndrome
de imunodeficiência adquirida, e fibrose cística (mucoviscidose), com base em
conclusão da medicina especializada, mesmo que a doença tenha sido
contraída depois da aposentadoria ou reforma.

Questão 72
A indenização por acidente de trabalho é parcela isenta do imposto.

Questão 73
São isentos do IRPF a indenização e o aviso prévio pagos por despedida ou
rescisão de contrato de trabalho, até o limite garantido pela lei trabalhista ou
por dissídio coletivo e convenções trabalhistas homologados pela Justiça do
Trabalho, exceto o montante recebido pelos empregados e diretores e seus
dependentes ou sucessores, referente aos depósitos, juros e correção
monetária creditados em contas vinculadas.

Questão 74
Os proventos e pensões da FEB são rendimentos isentos do IRPF.

Questão 75
É tributável o pagamento efetuado por pessoas jurídicas de direito público a
servidores públicos civis, a título de incentivo à adesão a programas de
desligamento voluntário.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 17 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 76
São isentos do IRPF os valores pagos ao titular ou a sócio da microempresa
ou empresa de pequeno porte, que optarem pelo SIMPLES, inclusive os que
corresponderem a pro labore, aluguéis ou serviços prestados.

Questão 77
Nos Programas de Alimentação do Trabalhador - PAT, previamente
aprovados pelo Ministério do Trabalho, a parcela paga in natura pela empresa
não se configura como rendimento tributável do trabalhador.

Questão 78
São tributáveis as diárias de comparecimento.

Questão 79
São tributáveis os rendimentos provenientes do trabalho assalariado, as
remunerações por trabalho prestado no exercício de empregos, cargos e
funções, e quaisquer proventos ou vantagens percebidos, exceto a
remuneração dos estagiários.

Questão 80
São isentas do IRPF as férias, inclusive as pagas em dobro, transformadas em
pecúnia ou indenizadas, acrescidas dos respectivos abonos.

Questão 81
A férias, inclusive as pagas em dobro, transformadas em pecúnia ou
indenizadas, acrescidas dos respectivos abonos, é tributável.

Questão 82
São isentos os rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão,
transferência para a reserva remunerada ou reforma, pagos pela Previdência
Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por
qualquer pessoa jurídica de direito público interno, ou por entidade de
previdência privada, até o valor de R$1.566,61 por mês, a partir do mês em
que o contribuinte completar sessenta e cinco anos de idade, sem prejuízo
da parcela isenta prevista na tabela de incidência mensal do imposto.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 18 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 83
Quando configurem acréscimo patrimonial, são tributáveis os rendimentos
percebidos pelas pessoas físicas decorrentes de seguro-desemprego, auxílio
natalidade, auxílio-doença, auxílio-funeral e auxílio-acidente, pagos pela
previdência oficial da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
e pelas entidades de previdência privada.

Questão 84
A indenização recebida por liquidação de sinistro, furto ou roubo, relativo ao
objeto segurado, é tributável pelo IRPF.

Questão 85
O valor do salário-família é rendimento isento do IRPF.

Questão 86
São contribuintes do IRPF as pessoas físicas que perceberem rendimentos de
bens de que tenham a posse como se lhes pertencessem, de acordo com a
legislação em vigor.

Questão 87
O valor dos serviços médicos, hospitalares e dentários mantidos, ressarcidos
ou pagos pelo empregador em benefício de seus empregados é tributável.

Questão 88
É rendimento tributável o aluguel do imóvel ocupado pelo empregado e pago
pelo empregador a terceiros, ou a diferença entre o aluguel que o
empregador paga pela locação do imóvel e o que cobra a menos do
empregado pela respectiva sublocação.

Questão 89
São isentos do IRPF os direitos autorais de obras artísticas, didáticas,
científicas, urbanísticas, projetos técnicos de construção, instalações ou
equipamentos, quando explorados diretamente pelo autor ou criador do
bem ou da obra.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 19 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 90
É tributável a remuneração pela prestação de serviços no curso do processo
judicial.

Questão 91
São isentas as remunerações relativas à prestação de serviço por
representantes comerciais autônomos.

Questão 92
As remunerações de conselheiros fiscais e de administração, quando
decorrentes de obrigação contratual ou estatutária são tributáveis.

Questão 93
São isentas as verbas, dotações ou auxílios, para representações ou custeio
de despesas necessárias para o exercício de cargo, função ou emprego.

Questão 94
Gratificações, participações, interesses, percentagens, prêmios e quotas-
partes de multas ou receitas, quando decorrentes do trabalho constituem
rendimentos tributáveis.

Questão 95
Comissões e corretagens têm isenção do imposto de renda pessoa física.

Questão 96
No caso de rendimentos do trabalho assalariado recebidos, em moeda
estrangeira, por ausentes no exterior a serviço do País, de autarquias ou
repartições do Governo brasileiro, situadas no exterior, considera-se
tributável cinquenta por cento do total recebido.

Questão 97
No caso de rendimentos do trabalho assalariado recebidos, em moeda
estrangeira, por ausentes no exterior a serviço do País, serão convertidos em
Reais mediante utilização do valor do dólar dos Estados Unidos da América
fixado para compra pelo Banco Central do Brasil para o último dia útil do mês
anterior ao do pagamento do rendimento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 20 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 98
Serão também considerados rendimentos tributáveis a atualização
monetária, os juros de mora e quaisquer outras indenizações pelo atraso no
pagamento das remunerações pelo trabalho.

Questão 99
A licença especial ou licença-prêmio, inclusive quando convertida em pecúnia,
será considerada parcela isenta do IRPF.

Questão 100
Remuneração proveniente de profissões, ocupações e prestação de serviços
não-comerciais, não sofrem a incidência do imposto.

Questão 101
Corretagens e comissões dos corretores, leiloeiros e despachantes, seus
prepostos e adjuntos, são rendimentos tributáveis.

Questão 102
É isenta remuneração dos agentes, representantes e outras pessoas sem
vínculo empregatício que, tomando parte em atos de comércio, não os
pratiquem por conta própria.

Questão 103
São tributáveis os rendimentos provenientes de prestação de serviços de
transporte, em veículo próprio ou locado, inclusive mediante arrendamento
mercantil, ou adquirido com reserva de domínio ou alienação fiduciária.

Questão 104
A base de cálculo na prestação de serviço de transporte de carga em veículo
próprio será de 50% do rendimento total.

Questão 105
A base de cálculo na prestação de serviço de transporte de passageiros em
veículo próprio será de 40% do rendimento total.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 21 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 106
Será tributada a totalidade dos rendimentos decorrentes da prestação de
serviços com trator, máquina de terraplenagem, colheitadeira e
assemelhados.

Questão 107
São tributáveis vinte por cento do rendimento bruto percebido por
garimpeiros na venda, a empresas legalmente habilitadas, de metais
preciosos, pedras preciosas e semipreciosas por eles extraídos.

Questão 108
Constitui rendimento tributável, na declaração de rendimentos, o equivalente
a dez por cento do valor venal de imóvel cedido gratuitamente, ou do valor
constante da guia do Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU
correspondente ao ano-calendário da declaração.

Questão 109
Não entrarão no cômputo do rendimento bruto, no caso de aluguéis de
imóveis o valor dos impostos, taxas e emolumentos incidentes sobre o bem
que produzir o rendimento.

Questão 110
As despesas pagas para cobrança ou recebimento do rendimento de aluguel
não podem ser deduzidas.

Questão 111
É obrigatória a emissão de recibo ou documento equivalente no recebimento
de rendimentos da locação de bens móveis ou imóveis.

Questão 112
São tributáveis os rendimentos decorrentes de direito de exploração de
conjuntos industriais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 22 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 113
Serão considerados royalties, e, portanto, tributáveis, os juros de mora e
quaisquer outras compensações pelo atraso no pagamento, inclusive
atualização monetária.

Questão 114
Serão também consideradas como aluguéis ou royalties todas as espécies de
rendimentos percebidos pela ocupação, uso, fruição ou exploração dos bens
e direitos.

Questão 115
São isentos os valores percebidos, em dinheiro, a título de alimentos ou
pensões, em cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado
judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais.

Questão 116
Os rendimentos recebidos no exterior, não transferidos para o Brasil,
decorrentes de atividade desenvolvida ou de capital situado no exterior não
são tributáveis pelo imposto de renda.

Questão 117
Não são tributáveis as quantias correspondentes ao acréscimo patrimonial
da pessoa física, apurado mensalmente, quando esse acréscimo não for
justificado pelos rendimentos tributáveis, não tributáveis, tributados
exclusivamente na fonte ou objeto de tributação definitiva.

Questão 118
São tributáveis os rendimentos recebidos na forma de bens ou direitos,
avaliados em dinheiro, pelo valor que tiverem na data da percepção.

Questão 119
Por se tratar de mera recomposição do patrimônio, não são tributáveis as
importâncias recebidas a título de juros e indenizações por lucros cessantes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 23 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 120
É tributável a multa ou qualquer outra vantagem recebida de pessoa jurídica,
ainda que a título de indenização, em virtude de rescisão de contrato, exceto
contrato de trabalho.

Questão 121
A multa pela rescisão do contrato de trabalho é isenta do imposto de renda.

Questão 122
Não são tributáveis os rendimentos derivados de atividades ou transações
ilícitas ou percebidos com infração à lei.

Questão 123
Sofrem a incidência do imposto de renda os juros compensatórios ou
moratórios de qualquer natureza, inclusive os que resultarem de sentença, e
quaisquer outras indenizações por atraso de pagamento, exceto aqueles
correspondentes a rendimentos isentos ou não tributáveis.

Questão 124
O salário-educação e auxílio-creche, ainda que recebidos em dinheiro, não
são tributáveis.

Questão 125
Para efeito de tributação do imposto de renda, considera-se atividade rural,
entre outras, a exploração da apicultura, avicultura, cunicultura, suinocultura,
sericicultura, piscicultura e outras culturas animais.

Questão 126
O resultado da exploração da atividade rural será apurado mediante
escrituração do Livro Caixa, que deverá abranger as receitas, as despesas de
custeio, os investimentos e demais valores que integram a atividade.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 24 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 127
O contribuinte deverá comprovar a veracidade das receitas e das despesas
escrituradas no Livro Caixa, mediante documentação idônea que identifique
o adquirente ou beneficiário, o valor e a data da operação, a qual será
mantida em seu poder à disposição da fiscalização pelo prazo de 5 anos.

Questão 128
A falta da escrituração das operações vinculadas à atividade rural implicará
arbitramento da base de cálculo à razão de cinquenta por cento da receita
bruta do ano-calendário.

Questão 129
Aos contribuintes que tenham auferido receitas anuais até o valor de
sessenta e cinco mil reais faculta-se apurar o resultado da exploração da
atividade rural, mediante prova documental, dispensado o Livro Caixa.

Questão 130
Não integram a receita bruta da atividade rural os valores recebidos de
órgãos públicos, tais como auxílios, subvenções, subsídios, aquisições do
Governo Federal - AGF e as indenizações recebidas do Programa de Garantia
da Atividade Agropecuária – PROAGRO.

Questão 131
O valor dos produtos agrícolas entregues em permuta com outros bens ou
pela dação em pagamento integram a receita bruta da atividade rural.

Questão 132
Em se tratando de atividade rural, são dispensados os documentos
usualmente utilizados, tais como nota fiscal do produtor, nota fiscal de
entrada, nota promissória rural vinculada à nota fiscal do produtor e demais
documentos reconhecidos pelas fiscalizações estaduais.

Questão 133
Qualquer gasto efetuado na propriedade vinculada à atividade rural será
considerado despesa de custeio ou investimento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 25 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 134
Considera-se investimento na atividade rural a aplicação de recursos
financeiros, durante o ano-calendário, exceto a parcela que corresponder ao
valor da terra nua, com vistas ao desenvolvimento da atividade para
expansão da produção ou melhoria da produtividade.

Questão 135
Considera-se resultado da atividade rural a diferença entre o valor da receita
bruta recebida e o das despesas pagas no ano-calendário, correspondente a
todos os imóveis rurais da pessoa física.

Questão 136
O resultado auferido em unidade rural comum ao casal deverá ser apurado
e tributado pelo cônjuge que detenha a maior parcela do bem.

Questão 137
O resultado positivo obtido na exploração da atividade rural pela pessoa
física poderá ser compensado com prejuízos apurados em anos-calendário
anteriores.

Questão 138
À opção do contribuinte, o resultado da atividade rural limitar-se-á a vinte por
cento da receita bruta do ano-calendário.

Questão 139
A opção pelo resultado presumido na atividade rural dispensa o contribuinte
da comprovação das receitas e despesas, qualquer que seja a forma de
apuração do resultado.

Questão 140
O contribuinte que optar pelo resultado presumido da atividade rural estará
impedido de compensar prejuízos de anos anteriores.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 26 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 141
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto,
poderão ser deduzidas as contribuições para a Previdência Social da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Questão 142
Todas as contribuições para as entidades de previdência privada domiciliadas
no País, destinadas a custear benefícios complementares assemelhados aos
da Previdência Social.

Questão 143
A dedução de pagamento efetuada a entidade de previdência privada fica
limitada a doze por cento do total dos rendimentos computados na
determinação da base de cálculo.

Questão 144
Apenas poderão ser deduzidas, desde que devidamente escrituradas em
Livro-Caixa, as despesas de custeio pagas, necessárias à percepção da receita
e à manutenção da fonte produtora.

Questão 145
As quotas de depreciação de instalações, máquinas e equipamentos, bem
como a despesas de arrendamento não são dedutíveis do recolhimento
mensal.

Questão 146
A remuneração paga a terceiros, desde que com vínculo empregatício, e os
encargos trabalhistas e previdenciários, devidamente escriturados em Livro-
Caixa, poderão ser deduzidos no recolhimento mensal.

Questão 147
As despesas com locomoção e transporte, salvo no caso de representante
comercial autônomo, poderão ser deduzidas no recolhimento mensal,
quando escrituradas em Livro-Caixa.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 27 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 148
O contribuinte que perceber rendimentos do trabalho não-assalariado
deverá comprovar a veracidade das receitas e das despesas, mediante
documentação idônea, escrituradas em Livro Caixa, que serão mantidos em
seu poder, à disposição da fiscalização, enquanto não ocorrer a prescrição ou
decadência.

Questão 149
As deduções de despesas escrituradas em Livro-Caixa poderão exceder à
receita mensal da respectiva atividade, hipótese em que representará
dedução dos demais rendimentos percebidos pelo contribuinte.

Questão 150
É permitido o cômputo do excesso de deduções de despesas escrituradas em
Livro-Caixa nos meses seguintes somente até dezembro do mesmo ano-
calendário.

Questão 151
O excesso de deduções de despesas escrituradas, porventura existente no
final do ano-calendário, não será transposto para o ano seguinte.

Questão 152
O Livro Caixa deverá ser registrado.

Questão 153
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto,
poderá ser deduzida do rendimento tributável a quantia equivalente a
noventa reais por dependente.

Questão 154
O cônjuge poderá ser considerado dependente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 28 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 155
Poderá ser considerado dependente o companheiro ou a companheira,
desde que haja vida em comum por mais de três anos, ou por período menor
se da união resultou filho.

Questão 156
O filho de 35 anos, incapacitado fisicamente para o trabalho, poderá ser
dependente na declaração do imposto de renda.

Questão 157
Será considerado dependente o menor pobre, até vinte e um anos, que o
contribuinte crie e eduque e independente de guarda judicial.

Questão 158
Poderá ser dependente o irmão, o neto ou o bisneto, sem arrimo dos pais,
até vinte e um anos, desde que o contribuinte detenha a guarda judicial, ou
de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o
trabalho.

Questão 159
Poderão ser considerados dependentes os pais, os avós ou os bisavós, desde
que não aufiram rendimentos, tributáveis ou não, superiores ao limite de
isenção mensal.

Questão 160
Poderá ser considerado dependente o absolutamente incapaz, do qual o
contribuinte seja tutor ou curador.

Questão 161
Poderá ser considerado dependente o filho de 25 anos que estiver cursando
estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 29 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 162
Os dependentes comuns poderão, opcionalmente, ser considerados por
qualquer um dos cônjuges.

Questão 163
No caso de filhos de pais separados, poderão ser considerados dependentes
os que ficarem sob a guarda do contribuinte, em cumprimento de decisão
judicial ou acordo homologado judicialmente.

Questão 164
Um mesmo dependente pode constar concomitantemente na declaração do
pai e da mãe, por exemplo.

Questão 165
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto,
poderá ser deduzida a importância paga a título de pensão alimentícia em
face das normas do Direito de Família, quando em cumprimento de decisão
judicial ou acordo homologado judicialmente, exceto a prestação de
alimentos provisionais.

Questão 166
A partir do mês em que se iniciar o pagamento de pensão alimentícia é
vedada a dedução, relativa ao mesmo beneficiário, do valor correspondente
a dependente.

Questão 167
O valor da pensão alimentícia não utilizado, como dedução, no próprio mês
de seu pagamento, não poderá ser deduzido nos meses subsequentes.

Questão 168
Não são dedutíveis da base de cálculo mensal as importâncias pagas a título
de despesas médicas e de educação dos alimentados, quando realizadas pelo
alimentante em virtude de cumprimento de decisão judicial ou acordo
homologado judicialmente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 30 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 169
As despesas médicas e de educação poderão ser deduzidas pelo alimentante
na determinação da base de cálculo do imposto de renda na declaração
anual.

Questão 170
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto
poderá ser deduzida a quantia de novecentos reais, correspondente à parcela
isenta dos rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão,
transferência para a reserva remunerada ou reforma, pagos pela Previdência
Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por
qualquer pessoa jurídica de direito público interno, ou por entidade de
previdência privada, a partir do mês em que o contribuinte completar
sessenta e cinco anos de idade.

Questão 171
Na declaração de rendimentos poderão ser deduzidos os pagamentos
efetuados, no ano-calendário, a médicos, dentistas, psicólogos,
fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e hospitais, bem
como as despesas com exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos
ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias.

Questão 172
A dedução com despesas médicas restringe-se aos pagamentos efetuados
pelo contribuinte, relativos ao próprio tratamento e ao de seus dependentes.

Questão 173
A dedução de despesa médicas independe de comprovação.

Questão 174
Na declaração de rendimentos poderão ser deduzidos os pagamentos
efetuados a estabelecimentos de ensino, relativamente à educação infantil,
compreendendo as creches e as pré-escolas; ao ensino fundamental; ao
ensino médio; à educação superior, compreendendo os cursos de graduação
e de pós-graduação (mestrado, doutorado e especialização); a cursos de
idiomas e à educação profissional, compreendendo o ensino técnico e o
tecnológico, até o limite anual individual de R$3.561,50 para o ano-calendário
2015.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 31 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 175
O limite para as despesas com educação corresponderá ao limite individual,
multiplicado pelo número de pessoas com quem foram efetivamente
realizadas as despesas, sendo permitida a transferência do excesso individual
para outra pessoa.

Questão 176
Não serão dedutíveis as despesas com educação de menor pobre que o
contribuinte apenas eduque.

Questão 177
As despesas de educação dos alimentados, quando realizadas pelo
alimentante em virtude de cumprimento de decisão judicial ou de acordo
homologado judicialmente, poderão ser deduzidas pelo alimentante na
determinação da base de cálculo.

Questão 178
Poderão ser deduzidos como despesa com educação os pagamentos
efetuados a creches.

Questão 179
A dedução com contribuições para o Fundo de Aposentadoria Programada
Individual – FAPI, cujo ônus seja da pessoa física, fica limitada a doze por cento
do total dos rendimentos computados na determinação da base de cálculo
do imposto devido na declaração de rendimentos.

Questão 180
A base de cálculo do imposto devido no ano-calendário será a diferença entre
as somas:
I - de todos os rendimentos percebidos durante o ano-calendário, inclusive
os isentos, os não tributáveis, os tributáveis exclusivamente na fonte e os
sujeitos à tributação definitiva;
II - das deduções permitidas pela legislação.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 32 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 181
Independentemente do montante dos rendimentos tributáveis na
declaração, recebidos no ano-calendário, o contribuinte poderá optar por
desconto simplificado, que consistirá em dedução de vinte por cento desses
rendimentos.

Questão 182
O desconto simplificado substitui todas as deduções admitidas.

Questão 183
As deduções do imposto apurado são limitadas a 12% do imposto devido.

Questão 184
Podem ser deduzidos do imposto apurado no ajuste anual os investimentos
feitos a título de incentivo às atividades audiovisuais.

Questão 185
Podem ser deduzidos do imposto apurado no ajuste anual as contribuições
feitas aos fundos controlados pelos Conselhos Municipais, Estaduais e
Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Questão 186
Podem ser deduzidos do imposto apurado no ajuste anual as doações
efetuadas a entidades filantrópicas.

Questão 187
Quando os rendimentos e antecipações são levados ao ajuste anual, o
montante do imposto calculado constituirá, se positivo, saldo do imposto a
pagar e, se negativo, valor a ser restituído.

Questão 188
Caso existente, o valor da restituição será acrescido de juros equivalentes à
taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia - SELIC, para
títulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia
do mês de janeiro do ano-calendário até o mês anterior ao da liberação da
restituição, e de um por cento no mês em que o recurso for colocado no
banco à disposição do contribuinte.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 33 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 189
As pessoas físicas que declararem rendimentos provenientes de fontes
situadas no exterior poderão deduzir, do imposto apurado, o cobrado pela
nação de origem daqueles rendimentos, desde que em conformidade com o
previsto em acordo ou convenção internacional firmado com o país de
origem dos rendimentos, quando não houver sido restituído ou compensado
naquele país; ou haja reciprocidade de tratamento em relação aos
rendimentos produzidos no Brasil.

Questão 190
O saldo do imposto deverá ser pago até o último dia útil do mês de abril.

Questão 191
Está sujeita ao pagamento mensal do imposto a pessoa física que receber de
outra pessoa física, ou de fontes situadas no exterior, rendimentos que não
tenham sido tributados na fonte, no País.

Questão 192
Estão dispensados do recolhimento mensal os rendimentos recebidos em
dinheiro, a título de alimentos ou pensões, em cumprimento de decisão
judicial, ou acordo homologado judicialmente, inclusive alimentos
provisionais.

Questão 193
Sujeitam-se ao recolhimento mensal os rendimentos de aluguéis recebidos
de pessoas físicas.

Questão 194
Os rendimentos de prestação de serviços de transporte de carga ou de
Passageiros e os rendimentos de prestação de serviços com trator, máquina
de terraplenagem, colheitadeira e assemelhados, somente estarão sujeitos a
antecipação quando a fonte pagador for pessoa jurídica.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 34 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 195
Os rendimentos sujeitos a incidência mensal devem integrar a base de cálculo
do imposto na declaração de rendimentos, e o imposto pago será
compensado com o apurado nessa declaração.

Questão 196
Sem prejuízo dos pagamentos estabelecidos no Regulamento do Imposto de
Renda, o contribuinte deve efetuar, obrigatoriamente, no curso do ano-
calendário, complementação do imposto que for devido, sobre os
rendimentos recebidos.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 197


Estão sujeitos à tributação definitiva os ganhos de capital na alienação de
bens e direitos.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 198


O ganho de capital auferido em operações com ouro considerado ativo
financeiro sujeita-se à tributação definitiva.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 199


Não se considera ganho de capital o valor decorrente de indenização por
desapropriação para fins de reforma agrária conforme.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 200


É considerado ganho de capital o valor decorrente de indenização por
liquidação de sinistro, furto ou roubo, relativo a objeto segurado.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 201


Está isento do imposto o ganho de capital auferido na alienação do único
imóvel que o titular possua, cujo valor de alienação seja de até quatrocentos
e quarenta mil reais, desde que não tenha sido realizada qualquer outra
alienação nos últimos cinco anos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 35 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 202


O ganho de capital será determinado pela diferença positiva ou negativa,
entre o valor de alienação e o custo de aquisição.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 203


Para efeito de apuração do ganho de capital, a autoridade lançadora,
mediante processo regular, arbitrará o valor informado, sempre que o valor
da alienação informado pelo contribuinte não mereça fé, por notoriamente
diferente do de mercado, ressalvada, em caso de contestação, avaliação
contraditória administrativa ou judicial.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 204


O custo de aquisição de bem alienado com ganho de capital não é passível
de arbitramento.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 205


O ganho de capital apurado está sujeito ao pagamento do imposto, à alíquota
de vinte por cento.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 206


Sujeita-se à incidência do imposto à alíquota de quinze por cento a diferença
entre o valor em dinheiro ou o valor dos bens e direitos recebidos de
instituição isenta, por pessoa física, a título de devolução de patrimônio, e o
valor em dinheiro ou o valor dos bens e direitos que houver entregue para a
formação do referido patrimônio.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 207


Os rendimentos auferidos nas operações financeiras no mercado de renda
variável estão sujeitas à tributação definitiva.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 208


Os rendimentos auferidos nas aplicações financeiras de renda fixa estão
sujeitos à alíquota de 20%.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 209


O 13º salário representa valor sujeito à tributação exclusiva.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 36 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 210


As contribuições pagas pelos empregadores relativas ao Plano de Incentivo à
Aposentadoria Programada Individual - FAPI, destinadas a seus empregados
e administradores estão sujeitas à tributação exclusiva na fonte.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 211


É isento do imposto de renda o valor dos bens adquiridos por doação ou
herança.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 212


O pagamento efetuado por pessoas jurídicas de direito público a servidores
públicos civis, a título de incentivo à adesão a programas de desligamento
voluntário, está sujeito à tributação exclusiva.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 213


O ganho de capital auferido por residente ou domiciliado no exterior será
apurado e tributado de acordo com as regras aplicáveis aos residentes no
País.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 214


A tributação do ganho de capital depende da localização dos bens ou direitos.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 215


Na determinação do ganho de capital, serão as transferências causa mortis e
as doações em adiantamento da legítima.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 216


Será considerada ganho de capital a permuta exclusivamente de unidades
imobiliárias, objeto de escritura pública, ainda que sem recebimento de
parcela complementar em dinheiro, denominada torna, exceto no caso de
imóvel rural com benfeitorias.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 217


Sujeita-se à incidência do imposto, à alíquota de vinte e cinco por cento, o
valor dos bens de qualquer natureza, inclusive financeiros e títulos e valores
mobiliários, pertencentes a empresas brasileiras e pessoas físicas residentes
ou domiciliadas no País, repatriados em virtude de convênio celebrado entre
o Brasil e o país onde se encontravam os bens.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 37 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 218


Está isento do imposto o ganho de capital auferido na alienação de bens e
direitos de pequeno valor, cujo preço unitário de alienação.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 219


No caso de alienação de diversos bens ou direitos da mesma natureza será
considerado, para fins de isenção, o valor do conjunto de bens alienados no
mês.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 220


Na alienação de imóvel rural com benfeitorias, será considerado apenas o
valor correspondente à terra nua.

Quer ficar afiado em IRPF?


Acesse os materiais abaixo e arrebente na prova!

Para o concurso de Auditor Fiscal:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Para o concurso de Analista Tributário:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 38 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

GABARITO – Questões IRPF


01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15
F F V F V V F V F F F V V F V
16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
F F F V F F V V F V F F V V F
31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45
V F F V F F V V F V V V F V V
46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60
F V V F V F V V F F V V F V V
61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75
V F F V V F F F V F F V F V F
76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90
F V V F F V V F F V V F V F V
91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105
F V F V F F F V F F V F V F F
106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120
F F V V F V V V V F F F V F V
121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135
V F V F V V F F F F V F F V V
136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150
F V V F V V F V F V V F V F V
151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 161 162 163 164 165
V F F V F V F V V V F V V F F
166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 177 178 179 180
V F V V F V V F F F V V V V F
181 182 183 184 185 186 187 188 189 190 191 192 193 194 195
V V F V V F V F V V V F V F V
196 197 198 199 200 201 202 203 204 205 206 207 208 209 210
F V F V F V F V F F V V V V F
211 212 213 214 215 216 217 218 219 220
V F V F V F V V V V

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 39 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

IRPF - Comentários

Questão 01
As pessoas físicas domiciliadas ou residentes no Brasil, titulares de
disponibilidade econômica ou jurídica de renda ou proventos de qualquer
natureza, inclusive rendimentos e ganhos de capital, são contribuintes do
imposto de renda, observados a nacionalidade, sexo, idade, estado civil ou
profissão.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 2º do RIR, a condição de contribuinte independe
de nacionalidade, sexo, idade, estado civil ou profissão.

Questão 02
O imposto de renda da pessoa física somente será devido após o ajuste anual
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 2º, §2º, do RIR, o imposto será devido à medida em
que os rendimentos e ganhos de capital forem percebidos, sem prejuízo do
ajuste anual.

Questão 03
A renda e os proventos de qualquer natureza percebidos no País por
residentes ou domiciliados no exterior ou a eles equiparados estão sujeitos
ao imposto de renda.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 3º do RIR, o qual remete estes rendimentos
à incidência da tributação na fonte.

Questão 04
Os rendimentos e ganhos de capital de que sejam titulares menores e outros
incapazes serão tributados em nome dos seus respectivos responsáveis.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 4º do Regulamento do Imposto de Renda, os
rendimentos e ganhos de capital de que sejam titulares menores e outros

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 40 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

incapazes serão tributados em seus respectivos nomes, com o número de


inscrição próprio no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF.

Questão 05
No caso de rendimentos auferidos por menores ou incapazes, o recolhimento
do tributo e a apresentação da respectiva declaração de rendimentos são da
responsabilidade de qualquer um dos pais, do tutor, do curador ou do
responsável por sua guarda.
Comentários
VERDADEIRO. Apesar do recolhimento ser efetuado em nome do menor ou
incapaz, a obrigação de fazer (dever instrumental) é do responsável. Essa é a
disciplina do art. 4º, §1º, do RIR.

Questão 06
Opcionalmente, os rendimentos e ganhos de capital percebidos por menores
e outros incapazes, ainda que em valores inferiores ao limite de isenção,
poderão ser tributados em conjunto com os de qualquer um dos pais, do
tutor ou do curador, sendo aqueles considerados dependentes.
Comentários
VERDADEIRO. Disciplina do art. 4º, §2º. O responsável poderá incluir o menor
ou incapaz como dependente. Nessa situação, deverá informar em sua
declaração todos os rendimentos por eles recebidos, ainda que isentos.

Questão 07
No caso de menores ou de filhos incapazes, que estejam sob a
responsabilidade de um dos pais, em virtude de sentença judicial, a opção de
declaração poderá ser exercida por qualquer dos pais.
Comentários
FALSO. Segundo o §3º, do art. 4º, quando a guarda for decorrente de sentença
judicial, apenas aquele que a detém poderá incluir o menor ou incapaz como
dependente, situação em que deverá apresentar todos os rendimentos
recebidos.

Questão 08
No caso de rendimentos percebidos em dinheiro a título de alimentos ou
pensões em cumprimento de acordo homologado judicialmente ou decisão

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 41 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

judicial, inclusive alimentos provisionais ou provisórios, verificando-se a


incapacidade civil do alimentado, a tributação far-se-á em seu nome pelo
tutor, curador ou responsável por sua guarda.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a literalidade do art. 5º. Segue o mesmo raciocínio do art.
4º.

Questão 09
Obrigatoriamente, o responsável pela manutenção do alimentado deverá
considerá-lo seu dependente, incluindo os rendimentos deste em sua
declaração.
Comentários
FALSO. Trata-se de faculdade do responsável, e não obrigação. Essa é a
disposição do art. 5º, §1º, do RIR.

Questão 10
Na constância da sociedade conjugal, cada cônjuge terá seus rendimentos
tributados na proporção de cinquenta por cento dos que lhes forem próprios
e cem por cento dos produzidos pelos bens comuns.
Comentários
FALSO. É exatamente o contrário. Nos termos do art. 6º do RIR, cada cônjuge
terá seus rendimentos tributados na proporção de cem por cento dos que
lhes forem próprios e cinquenta por cento dos produzidos pelos bens
comuns.

Questão 11
Obrigatoriamente, os rendimentos produzidos pelos bens comuns deverão
ser tributados, em sua totalidade, em nome de um dos cônjuges.
Comentários
FALSO. Dispõe o parágrafo único do art. 6º que, opcionalmente, os
rendimentos produzidos pelos bens comuns poderão ser tributados, em sua
totalidade, em nome de um dos cônjuges.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 42 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 12
Cada cônjuge deverá incluir, em sua declaração, a totalidade dos
rendimentos próprios e a metade dos rendimentos produzidos pelos bens
comuns.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é disciplina do art. 7º.

Questão 13
Os bens comuns deverão ser relacionados somente por um dos cônjuges, se
ambos estiverem obrigados à apresentação da declaração, ou,
obrigatoriamente, pelo cônjuge que estiver apresentando a declaração,
quando o outro estiver desobrigado de apresentá-la.
Comentários
VERDADEIRO. Apesar de os rendimentos serem tributados de forma
proporcional, a declaração do bem comum consta apenas para um dos
cônjuges.

Questão 14
As disposições acerca dos rendimentos da sociedade conjugal não podem ser
aplicadas à união estável, valendo apenas quando houver casamento.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 10 do RIR, o disposto nos arts. 6º e 8º aplicam-se,
no que couber, à união estável, reconhecida como entidade familiar.

Questão 15
Tratando-se de separação judicial, divórcio, ou anulação de casamento, a
declaração de rendimentos passará a ser apresentada em nome de cada um
dos contribuintes.
Comentários
VERDADEIRO. Conforme disposição do art. 9º, §1.

Questão 16
Ao espólio não poderão ser aplicadas as normas a que estão sujeitas as
pessoas físicas.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 43 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. De acordo com o art. 11 do RIR, ao espólio serão aplicadas as normas
a que estão sujeitas as pessoas físicas.

Questão 17
A partir da abertura da sucessão, as obrigações estabelecidas no
Regulamento do Imposto de Renda ficam a cargo dos sucessores.
Comentários
FALSO. As obrigações ficam a cargo do inventariante, conforme dispõe o art.
11, §1º, do RIR.

Questão 18
A declaração de rendimentos, a partir do exercício seguinte àquele
correspondente ao ano-calendário do falecimento e até a data em que for
homologada a partilha ou feita a adjudicação dos bens, será apresentada em
nome do espólio.
Comentários
FALSO. O art. 12 dispõe que s declaração de rendimentos, a partir do exercício
correspondente ao ano-calendário do falecimento e até a data em que for
homologada a partilha ou feita a adjudicação dos bens, será apresentada em
nome do espólio.

Questão 19
Serão também apresentadas em nome do espólio as declarações não
entregues pelo falecido relativas aos anos anteriores ao do falecimento, às
quais estivesse obrigado.
Comentários
VERDADEIRO. Disposição do art. 12, §1º.

Questão 20
Homologada a partilha ou feita a adjudicação dos bens, deverá ser
apresentada, pelo inventariante, dentro de quinze dias, contados da data em
que transitar em julgado a sentença respectiva, declaração dos rendimentos
correspondentes ao período de 1º de janeiro até a data da homologação ou
adjudicação.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 44 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. O prazo é de 30 dias, nos termos do art. 13.

Questão 21
Os rendimentos decorrentes de bens possuídos em condomínio serão
tributados em parcelas iguais para cada condômino.
Comentários
FALSO. A tributação ocorre de forma proporcional à parcela que cada
condômino detiver (art. 15).

Questão 22
Os bens em condomínio deverão ser mencionados nas respectivas
declarações de bens, relativamente à parte que couber a cada condômino.
Comentários
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 15, parágrafo único do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 23
Os residentes ou domiciliados no Brasil que se retirarem em caráter definitivo
do território nacional no curso de um ano-calendário, além da declaração
correspondente aos rendimentos do ano-calendário anterior, ficam sujeitos
à apresentação imediata da declaração de saída definitiva do País
correspondente aos rendimentos e ganhos de capital percebidos no período
de 1º de janeiro até a data em que for requerida a certidão de quitação de
tributos federais.
Comentários
VERDADEIRO. Essa é a disciplina do art. 16 do RIR.

Questão 24
O imposto de renda devido na saída definitiva do país será calculado
mediante a utilização dos valores da tabela progressiva anual, vedado o
cálculo proporcional.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 45 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. De acordo com o art. 16, §1º, do RIR, o imposto de renda devido será
calculado mediante a utilização dos valores da tabela progressiva anual,
calculados proporcionalmente ao número de meses do período abrangido
pela tributação no ano-calendário.

Questão 25
Os rendimentos e ganhos de capital percebidos após o requerimento de
certidão negativa para saída definitiva do País ficarão sujeitos à tributação
exclusiva na fonte ou definitiva.
Comentários
VERDADEIRO. Essa é a disciplina do art. 16, §2º, do RIR.

Questão 26
As pessoas físicas que se ausentarem do País sem requerer a certidão
negativa para saída definitiva do País terão seus rendimentos tributados
como não residentes, durante os primeiros doze meses de ausência.
Comentários
FALSO. Nos moldes do art. 16, §3º, as pessoas físicas que se ausentarem do
País sem requerer a certidão negativa para saída definitiva do País terão seus
rendimentos tributados como residentes no Brasil, durante os primeiros
doze meses de ausência.

Questão 27
As pessoas físicas domiciliadas no Brasil, ausentes no exterior a serviço do
País, que recebam rendimentos do trabalho assalariado, em moeda
estrangeira, de autarquias ou repartições do Governo brasileiro situadas no
exterior, não estão sujeitas à tributação do imposto de renda.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 17 do RIR, as pessoas físicas domiciliadas no
Brasil, ausentes no exterior a serviço do País, que recebam rendimentos do
trabalho assalariado, em moeda estrangeira, de autarquias ou repartições do
Governo brasileiro situadas no exterior, estão sujeitas à tributação.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 46 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 28
As pessoas físicas portadoras de visto permanente que, no curso do ano-
calendário, transferirem residência para o território nacional e, nesse mesmo
ano, iniciarem a percepção de rendimentos tributáveis de acordo com a
legislação em vigor, estão sujeitas ao imposto, como residentes ou
domiciliadas no País em relação aos fatos geradores ocorridos a partir da
data de sua chegada.
Comentários
VERDADEIRO. Assim determina o art. 18 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 29
Sujeitar-se-á à tributação pelo imposto de renda, como residente, a pessoa
física proveniente do exterior que ingressar no Brasil, com visto temporário
para trabalhar, com vínculo empregatício, em relação aos fatos geradores
ocorridos a partir da data de sua chegada.
Comentários
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 19, I, do RIR.

Questão 30
Sujeitar-se-á à tributação pelo imposto de renda, como residente, a pessoa
física proveniente do exterior que ingressar no Brasil, com visto por qualquer
motivo, e aqui permanecer por período superior a cento e vinte dias,
consecutivos ou não, contado, dentro de um intervalo de doze meses, da data
de qualquer chegada, em relação aos fatos geradores ocorridos a partir do
dia subsequente àquele em que se completar referido período de
permanência.
Comentários
FALSO. O período estabelecido na legislação de é de 183 dias, conforme art.
19, II, do RIR.

Questão 31
Os rendimentos de aplicações financeiras e os ganhos de capital, recebidos
por pessoa física proveniente do exterior que ingressar no Brasil, com visto
temporário desde o momento de sua chegada ao País, serão tributados como
os dos residentes no Brasil.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 47 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Determinação do art. 19, §2º, do Regulamento.

Questão 32
Estão isentos do imposto os rendimentos do trabalho percebidos por
servidores diplomáticos de governos estrangeiros, desde que haja
reciprocidade para com os brasileiros no respectivo país.
Comentários
FALSO. Esta isenção prevista no art. 22, I, do RIR independe de reciprocidade.

Questão 33
Estão isentos do imposto os ganhos de capital percebidos por servidores
diplomáticos de governos estrangeiros.
Comentários
FALSO. A isenção prevista no art. 22, I, apenas se aplica aos rendimentos do
trabalho, não abrangendo os ganhos de capital. Essa é a disciplina do art. 22,
§2º.

Questão 34
Estão isentos do imposto os rendimentos do trabalho percebidos por
servidores de organismos internacionais de que o Brasil faça parte e aos
quais se tenha obrigado, por tratado ou convênio, a conceder isenção.
Comentários
VERDADEIRO. Esta isenção está prevista no art. 22, II, e é condicionada. Não
confundir com a que acabamos ver, prevista no inciso I do mesmo artigo.

Questão 35
São pessoalmente responsáveis o sucessor a qualquer título e o cônjuge
meeiro, pelo tributo devido pelo de cujus até a data da partilha ou
adjudicação, independente do valor.
Comentários
FALSO. A responsabilidade é limitada esta responsabilidade ao montante do
quinhão, do legado, da herança ou da meação (art. 23, I).

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 48 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 36
O espólio é pessoalmente responsável pelo tributo devido pelo de cujus até a
data da partilha.
Comentários
FALSO. O espólio é responsável pelos tributos devidos até a abertura da
sucessão (art. 23, II).

Questão 37
Os créditos tributários, notificados ao de cujus antes da abertura da sucessão,
ainda que neles incluídos encargos e penalidades, serão exigidos do espólio
ou dos sucessores.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 23, §3º.

Questão 38
Nos casos de impossibilidade de exigência do cumprimento da obrigação
principal pelo contribuinte, respondem solidariamente com este nos atos em
que intervierem ou pelas omissões de que forem responsáveis os pais, pelo
tributo devido por seus filhos menores.
Comentários
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 24, I, do RIR, cópia do CTN.

Questão 39
O inventariante responde pelo tributo devido pelo espólio de forma
subsidiária.
Comentários
FALSO. De acordo com a literalidade do art. 24, IV, do RIR, a responsabilidade
é solidária.

Questão 40
Respondem solidariamente com o contribuinte nos atos em que intervierem
ou pelas omissões de que forem responsáveis os tutores, curadores e
responsáveis, pelo tributo devido por seus tutelados, curatelados ou
menores dos quais detenham a guarda judicial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 49 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Essa é a previsão do art. 24, II, do Regulamento do Imposto de
Renda, também transcrito do CTN.

Questão 41
Considera-se como domicílio fiscal da pessoa física a sua residência habitual,
assim entendido o lugar em que ela tiver uma habitação em condições que
permitam presumir intenção de mantê-la.
Comentários
VERDADEIRO. Essa é a disciplina do RIR quanto ao domicílio das pessoas
físicas, prevista no art. 28.

Questão 42
No caso de exercício de profissão ou função particular ou pública, o domicílio
fiscal é o lugar onde a profissão ou função estiver sendo desempenhada.
Comentários
VERDADEIRO. Reproduz o disposto no §1º, do art. 28.

Questão 43
Quando se verificar pluralidade de residência no País, o domicílio fiscal será
eleito pela autoridade competente.
Comentários
FALSO. Determina o §2º, do art. 28 do RIR que quando se verificar pluralidade
de residência no País, o domicílio fiscal será eleito perante a autoridade
competente.

Questão 44
A autoridade administrativa pode recusar o domicílio eleito, quando
impossibilite ou dificulte a arrecadação ou a fiscalização do imposto.
Comentários
VERDADEIRO. Esta prerrogativa está prevista no CTN e confirmada no RI, em
seu art. 28, §5º.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 50 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 45
O contribuinte ausente de seu domicílio fiscal, durante o prazo de entrega da
declaração de rendimentos ou de interposição de impugnação ou recurso,
cumprirá as disposições do RIR perante a autoridade fiscal da jurisdição em
que estiver, dando-lhe conhecimento do domicílio do qual se encontra
ausente.
Comentários
VERDADEIRO. Conforme disposto no art. 29 do RIR.

Questão 46
O contribuinte que transferir sua residência de um município para outro ou
de um para outro ponto do mesmo município fica obrigado a comunicar essa
mudança às repartições competentes dentro do prazo de quarenta e cinco
dias.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 3o, o prazo para comunicação é de 30 dias.

Questão 47
A comunicação de mudança de domicílio será feita nas unidades da
Secretaria da Receita Federal, podendo ser também efetuada quando da
entrega da declaração de rendimentos das pessoas físicas.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão contida no parágrafo único do art. 30.

Questão 48
A pessoa física que se retirar do território nacional temporariamente deverá
nomear pessoa habilitada no País a cumprir, em seu nome, as obrigações
previstas no Regulamento do Imposto de Renda e representá-la perante as
autoridades fiscais.
Comentários
VERDADEIRO. Determinação expressa no art. 31 do Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 51 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 49
Se o residente no exterior permanecer no território nacional e não tiver
procurador, representante ou empresário no País, o domicílio fiscal é o lugar
por onde ingressou no território nacional.
Comentários
FALSO. Regulamenta o art. 31, parágrafo único, que, se o residente no
exterior permanecer no território nacional e não tiver procurador,
representante ou empresário no País, o domicílio fiscal é o lugar onde estiver
exercendo sua atividade.

Questão 50
Constituem rendimento bruto todo o produto do capital, do trabalho ou da
combinação de ambos, os alimentos e pensões percebidos em dinheiro, os
proventos de qualquer natureza, assim também entendidos os acréscimos
patrimoniais não correspondentes aos rendimentos declarados.
Comentários
VERDADEIRO. Este é conceito de rendimento bruto para fins de tributação do
IRPF, previsto no art. 37.

Questão 51
A tributação da pessoa física depende da denominação dos rendimentos,
títulos ou direito.
Comentários
FALSO. O art. 38 estabelece que a tributação independe da denominação dos
rendimentos, títulos ou direitos.

Questão 52
A tributação independe da localização, condição jurídica ou nacionalidade da
fonte, da origem dos bens produtores da renda e da forma de percepção das
rendas ou proventos, bastando, para a incidência do imposto, o benefício do
contribuinte por qualquer forma e a qualquer título.
Comentários
VERDADEIRO. Segundo o art. 38, a tributação independe da denominação dos
rendimentos, títulos ou direitos, da localização, condição jurídica ou
nacionalidade da fonte, da origem dos bens produtores da renda e da forma

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 52 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

de percepção das rendas ou proventos, bastando, para a incidência do


imposto, o benefício do contribuinte por qualquer forma e a qualquer título.

Questão 53
Os rendimentos serão tributados no mês em que forem recebidos,
considerado como tal o da entrega de recursos pela fonte pagadora, mesmo
mediante depósito em instituição financeira em favor do beneficiário.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do parágrafo único do art. 38 do RIR.

Questão 54
A ajuda de custo destinada a atender às despesas com transporte, frete e
locomoção do beneficiado e seus familiares, em caso de remoção de um
município para outro, entrará no cômputo do rendimento bruto.
Comentários
FALSO. Esta assertiva contraria o disposto no art. 39, I, do RIR.

Questão 55
O ganho de capital auferido na alienação de bens e direitos, independente do
valor, constitui rendimento tributável pelo IRPF.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 39, II, o ganho de capital auferido na alienação de
bens e direitos não entrará no cômputo do rendimento bruto, para fins de
tributação pelo IRPF.

Questão 56
Constitui rendimento isento o ganho de capital auferido na alienação do
único imóvel que o titular possua, cujo valor de alienação seja de até
quatrocentos e quarenta mil reais, desde que não tenha sido realizada
qualquer outra alienação nos últimos cinco anos.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 39, III.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 53 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 57
A alimentação, o transporte e os uniformes ou vestimentas especiais de
trabalho, fornecidos gratuitamente pelo empregador a seus empregados, são
isentos do IRPF.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se da isenção prevista no art. 39, IV.

Questão 58
O auxílio-alimentação e o auxílio transporte pago em pecúnia aos servidores
públicos federais ativos da Administração Pública Federal direta, autárquica
e fundacional, não podem receber isenção pro ofensa à isonomia.
Comentários
FALSO. Apesar de não fazer sentido a isenção apenas para os servidores
públicos federais, esta disposição consta no art. 39, V, do RIR.

Questão 59
Os valores recebidos por deficiente mental a título de pensão, pecúlio,
montepio e auxílio, quando decorrentes de prestações do regime de
previdência social ou de entidades de previdência privada são isentos do
imposto de renda.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se da isenção prevista no art. 39, VI, do RIR.

Questão 60
É isento do IRPF o valor locativo do prédio construído, quando ocupado por
seu proprietário ou cedido gratuitamente para uso do cônjuge ou de
parentes de primeiro grau.
Comentários
VERDADEIRO. Regra estabelecida no art. 39, IX, do Regulamento do Imposto
de Renda.

Questão 61
São rendimentos isentos as bolsas de estudo e de pesquisa caracterizadas
como doação, quando recebidas exclusivamente para proceder a estudos ou

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 54 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

pesquisas e desde que os resultados dessas atividades não representem


vantagem para o doador, nem importem contraprestação de serviços.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 39, VII, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 62
A indenização quando destinada a reparar danos patrimoniais em virtude de
rescisão de contrato é tributável.
Comentários
FALSO. Constitui rendimento isento, conforme previsão do art. 39, XVIII, do
RIR.

Questão 63
São tributáveis os rendimentos auferidos em contas de depósitos de
poupança que superarem o montante de R$50.000,00 no ano-calendário.
Comentários
FALSO. Bastante atenção!!! Apesar de ser uma proposta do Governo,
levantada em 2009, a ideia nunca foi colocada em prática. Até o momento
ainda não passa de um projeto.

Questão 64
As contribuições pagas pelos empregadores relativas a programas de
previdência privada em favor de seus empregados e dirigentes são isentas do
imposto de renda.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 39, XI, do Regulamento.

Questão 65
É isenta do IRPF a indenização em virtude de desapropriação para fins de
reforma agrária, quando auferida pelo desapropriado.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 39, XXI, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 55 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 66
São isentas do imposto de renda as diárias destinadas, exclusivamente, ao
pagamento de despesas de alimentação e pousada, por serviço eventual
realizado em município diferente do da sede de trabalho, exceto no exterior.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 39, XIII, são isentas as diárias destinadas,
exclusivamente, ao pagamento de despesas de alimentação e pousada, por
serviço eventual realizado em município diferente do da sede de trabalho,
inclusive no exterior.

Questão 67
Constitui rendimento tributável os juros produzidos pelas letras hipotecárias.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 39, XXV, do RIR, trata-se de rendimento isento.

Questão 68
É isenta do imposto a indenização reparatória por danos físicos, invalidez ou
morte, ou por bem material danificado ou destruído, em decorrência de
acidente, até o limite fixado em condenação judicial, inclusive no caso de
pagamento de prestações continuadas.
Comentários
FALSO. Quando a indenização resultar em pagamento de prestação
continuada não terá isenção, conforme art. 39, XVI.

Questão 69
São isentos do imposto de renda os lucros e dividendos efetivamente pagos
a sócios, acionistas ou titular de empresa individual, que não ultrapassem o
valor que serviu de base de cálculo do imposto de renda da pessoa jurídica
tributada com base no lucro presumido, deduzido do imposto
correspondente.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 39, XXVIII, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 56 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 70
São isentos do imposto de renda os valores recebidos a título de pensão,
quando o beneficiário desse rendimento for portador de moléstia grave,
inclusive a decorrente de moléstia profissional, com base em conclusão da
medicina especializada, exceto se a doença tiver sido contraída após a
concessão da pensão.
Comentários
FALSO. A disciplina do art. 39, XXXI, do RIR, é de que são isentos os valores
recebidos a título de pensão, quando o beneficiário desse rendimento for
portador de doença relacionada no inciso XXXIII deste artigo, exceto a
decorrente de moléstia profissional, com base em conclusão da medicina
especializada, mesmo que a doença tenha sido contraída após a concessão
da pensão.

Questão 71
São isentos do imposto de renda os proventos de aposentadoria ou reforma,
desde que motivadas por acidente em serviço e os percebidos pelos
portadores de moléstia profissional, tuberculose ativa, alienação mental,
esclerose múltipla, neoplasia maligna, cegueira, hanseníase, paralisia
irreversível e incapacitante, cardiopatia grave, doença de Parkinson,
espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave, estados avançados de
doença de Paget (osteíte deformante), contaminação por radiação, síndrome
de imunodeficiência adquirida, e fibrose cística (mucoviscidose), com base em
conclusão da medicina especializada, mesmo que a doença tenha sido
contraída depois da aposentadoria ou reforma.
Comentários
FALSO. A disciplina do art. 39, XXXIII, do RIR, é de que são isentos os proventos
de aposentadoria ou reforma, desde que motivadas por acidente em serviço
e os percebidos pelos portadores de moléstia profissional, tuberculose ativa,
alienação mental, esclerose múltipla, neoplasia maligna, cegueira,
hanseníase, paralisia irreversível e incapacitante, cardiopatia grave, doença
de Parkinson, espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave, estados
avançados de doença de Paget (osteíte deformante), contaminação por
radiação, síndrome de imunodeficiência adquirida, e fibrose cística
(mucoviscidose), com base em conclusão da medicina especializada, mesmo
que a doença tenha sido contraída depois da aposentadoria ou reforma.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 57 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 72
A indenização por acidente de trabalho é parcela isenta do imposto.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão do art. 39, XVII.

Questão 73
São isentos do IRPF a indenização e o aviso prévio pagos por despedida ou
rescisão de contrato de trabalho, até o limite garantido pela lei trabalhista ou
por dissídio coletivo e convenções trabalhistas homologados pela Justiça do
Trabalho, exceto o montante recebido pelos empregados e diretores e seus
dependentes ou sucessores, referente aos depósitos, juros e correção
monetária creditados em contas vinculadas.
Comentários
FALSO. Também é isento o montante recebido pelos empregados e diretores
e seus dependentes ou sucessores, referente aos depósitos, juros e correção
monetária creditados em contas vinculadas.

Questão 74
Os proventos e pensões da FEB são rendimentos isentos do IRPF.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão do art. 39, XXXV, do RIR.

Questão 75
É tributável o pagamento efetuado por pessoas jurídicas de direito público a
servidores públicos civis, a título de incentivo à adesão a programas de
desligamento voluntário.
Comentários
FALSO. Esse rendimento representa parcela isenta do IRPF, nos termos do
art. 39, XIX.

Questão 76
São isentos do IRPF os valores pagos ao titular ou a sócio da microempresa
ou empresa de pequeno porte, que optarem pelo SIMPLES, inclusive os que
corresponderem a pro labore, aluguéis ou serviços prestados.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 58 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. De acordo com o art. 39, XXXVII, do Regulamento do Imposto de
Renda, são isentos os valores pagos ao titular ou a sócio da microempresa ou
empresa de pequeno porte, que optarem pelo SIMPLES, salvo os que
corresponderem a pro labore, aluguéis ou serviços prestados.

Questão 77
Nos Programas de Alimentação do Trabalhador - PAT, previamente
aprovados pelo Ministério do Trabalho, a parcela paga in natura pela empresa
não se configura como rendimento tributável do trabalhador.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a previsão do art. 39, §8º, do RIR.

Questão 78
São tributáveis as diárias de comparecimento.
Comentários
VERDADEIRO. Conforme, art. 43, I, do RIR.

Questão 79
São tributáveis os rendimentos provenientes do trabalho assalariado, as
remunerações por trabalho prestado no exercício de empregos, cargos e
funções, e quaisquer proventos ou vantagens percebidos, exceto a
remuneração dos estagiários.
Comentários
FALSO. A remuneração dos estagiários é rendimento tributável, nos termos
do art. 43, I, do RIR.

Questão 80
São isentas do IRPF as férias, inclusive as pagas em dobro, transformadas em
pecúnia ou indenizadas, acrescidas dos respectivos abonos.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 43, II, são tributáveis férias, inclusive as pagas em
dobro, transformadas em pecúnia ou indenizadas, acrescidas dos respectivos
abonos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 59 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 81
A férias, inclusive as pagas em dobro, transformadas em pecúnia ou
indenizadas, acrescidas dos respectivos abonos, é tributável.
Comentários
VERDADEIRO. Conforme RIR, art. 43, III.

Questão 82
São isentos os rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão,
transferência para a reserva remunerada ou reforma, pagos pela Previdência
Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por
qualquer pessoa jurídica de direito público interno, ou por entidade de
previdência privada, até o valor de R$1.566,61 por mês, a partir do mês em
que o contribuinte completar sessenta e cinco anos de idade, sem prejuízo
da parcela isenta prevista na tabela de incidência mensal do imposto.
Comentários
VERDADEIRO. Bastante atenção!!!
O RIR está desatualizado e consta no seu art. 39, XXXIV, o valor de R$900,00
por mês. Ocorre que a Lei 7.313 define estes valores e já sofreu diversas
alterações, estando vigente o limite de R$1.903,98 por mês, a partir de abril
do ano-calendário 2015.

Questão 83
Quando configurem acréscimo patrimonial, são tributáveis os rendimentos
percebidos pelas pessoas físicas decorrentes de seguro-desemprego, auxílio
natalidade, auxílio-doença, auxílio-funeral e auxílio-acidente, pagos pela
previdência oficial da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
e pelas entidades de previdência privada.
Comentários
FALSO. Ofende o disposto no art. 39, XLII, o qual considera isentos tais
rendimentos.

Questão 84
A indenização recebida por liquidação de sinistro, furto ou roubo, relativo ao
objeto segurado, é tributável pelo IRPF.
Comentários

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 60 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

FALSO. Trata-se de rendimento isento, previsto no art. 39, XXII, do


Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 85
O valor do salário-família é rendimento isento do IRPF.
Comentários
VERDADEIRO. Disposição do art. 39, XLI.

Questão 86
São contribuintes do IRPF as pessoas físicas que perceberem rendimentos de
bens de que tenham a posse como se lhes pertencessem, de acordo com a
legislação em vigor.
Comentários
VERDADEIRO. Determinação do art. 2º, §1º, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 87
O valor dos serviços médicos, hospitalares e dentários mantidos, ressarcidos
ou pagos pelo empregador em benefício de seus empregados é tributável.
Comentários
FALSO. Nos moldes do art. 39, XLV, o referido valor representa parcela isenta
do IRPF.

Questão 88
É rendimento tributável o aluguel do imóvel ocupado pelo empregado e pago
pelo empregador a terceiros, ou a diferença entre o aluguel que o
empregador paga pela locação do imóvel e o que cobra a menos do
empregado pela respectiva sublocação.
Comentários
VERDADEIRO. Determinação do art. 43, VI, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 61 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 89
São isentos do IRPF os direitos autorais de obras artísticas, didáticas,
científicas, urbanísticas, projetos técnicos de construção, instalações ou
equipamentos, quando explorados diretamente pelo autor ou criador do
bem ou da obra.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 45, VII, do RIR, são rendimentos tributáveis.

Questão 90
É tributável a remuneração pela prestação de serviços no curso do processo
judicial.
Comentários
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 45, VIII, do RIR.

Questão 91
São isentas as remunerações relativas à prestação de serviço por
representantes comerciais autônomos.
Comentários
FALSO. Este rendimento é tributável, nos termos do art. 43, XIII, a, do RIR.

Questão 92
As remunerações de conselheiros fiscais e de administração, quando
decorrentes de obrigação contratual ou estatutária são tributáveis.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 43, XIII, b, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 93
São isentas as verbas, dotações ou auxílios, para representações ou custeio
de despesas necessárias para o exercício de cargo, função ou emprego.
Comentários
FALSO. Segundo o art. 43, X, estes rendimentos são tributáveis.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 62 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 94
Gratificações, participações, interesses, percentagens, prêmios e quotas-
partes de multas ou receitas, quando decorrentes do trabalho constituem
rendimentos tributáveis.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 43, IV, do RIR.

Questão 95
Comissões e corretagens têm isenção do imposto de renda pessoa física.

Comentários
FALSO. Nos termos do art. 43, V, estes rendimentos são tributáveis.

Questão 96
No caso de rendimentos do trabalho assalariado recebidos, em moeda
estrangeira, por ausentes no exterior a serviço do País, de autarquias ou
repartições do Governo brasileiro, situadas no exterior, considera-se
tributável cinquenta por cento do total recebido.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 44 do RIR, considera-se tributável apenas 25%
do valor recebido.

Questão 97
No caso de rendimentos do trabalho assalariado recebidos, em moeda
estrangeira, por ausentes no exterior a serviço do País, serão convertidos em
Reais mediante utilização do valor do dólar dos Estados Unidos da América
fixado para compra pelo Banco Central do Brasil para o último dia útil do mês
anterior ao do pagamento do rendimento.
Comentários
FALSO. O parágrafo único do art. 44 determina que a conversão deve ser feita
pelo valor fixado para o último dia útil da primeira quinzena do mês anterior
ao do pagamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 63 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 98
Serão também considerados rendimentos tributáveis a atualização
monetária, os juros de mora e quaisquer outras indenizações pelo atraso no
pagamento das remunerações pelo trabalho.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a regra do §3º do art. 43 do RIR.

Questão 99
A licença especial ou licença-prêmio, inclusive quando convertida em pecúnia,
será considerada parcela isenta do IRPF.
Comentários
FALSO. Trata-se de rendimento tributável, nos termos do art. 43, III.

Questão 100
Remuneração proveniente de profissões, ocupações e prestação de serviços
não-comerciais, não sofrem a incidência do imposto.
Comentários
FALSO. Apesar de não configurar comércio, estamos diante de prestação de
serviço remunerado, que sofre a incidência do imposto, nos moldes do art.
45, II.

Questão 101
Corretagens e comissões dos corretores, leiloeiros e despachantes, seus
prepostos e adjuntos, são rendimentos tributáveis.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a previsão do art. 45, V, do RIR.

Questão 102
É isenta remuneração dos agentes, representantes e outras pessoas sem
vínculo empregatício que, tomando parte em atos de comércio, não os
pratiquem por conta própria.
Comentários
FALSO. Esta remuneração é tributável pelo imposto de renda, de acordo com
o art. 45, III.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 64 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 103
São tributáveis os rendimentos provenientes de prestação de serviços de
transporte, em veículo próprio ou locado, inclusive mediante arrendamento
mercantil, ou adquirido com reserva de domínio ou alienação fiduciária.
Comentários
VERDADEIRO. Disposição do art. 47, caput.

Questão 104
A base de cálculo na prestação de serviço de transporte de carga em veículo
próprio será de 50% do rendimento total.
Comentários
FALSO. No caso de transporte de carga, a base de cálculo será de 10% do total
recebido. ATENÇÃO! Pois o art. 47, I do RIR ainda traz a disposição antiga da
Lei 7.713/88 (40%). Essa lei foi alterada.

Questão 105
A base de cálculo na prestação de serviço de transporte de passageiros em
veículo próprio será de 40% do rendimento total.
Comentários
FALSO. No caso de transporte de passageiros, a base de cálculo será de 60%
do total recebido. (Art. 47, II)

Questão 106
Será tributada a totalidade dos rendimentos decorrentes da prestação de
serviços com trator, máquina de terraplenagem, colheitadeira e
assemelhados.
Comentários
FALSO. Nesta situação aplica-se o mesmo percentual do transporte de carga,
ou seja, será tributado apenas 10% do total. (Art. 47, §1º)

Questão 107
São tributáveis vinte por cento do rendimento bruto percebido por
garimpeiros na venda, a empresas legalmente habilitadas, de metais
preciosos, pedras preciosas e semipreciosas por eles extraídos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 65 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. No caso de garimpeiros, a base tributável será de apenas 10% do total
recebido. Essa é a disposição do art. 48.

Questão 108
Constitui rendimento tributável, na declaração de rendimentos, o equivalente
a dez por cento do valor venal de imóvel cedido gratuitamente, ou do valor
constante da guia do Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU
correspondente ao ano-calendário da declaração.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 49, §1º do RIR.

Questão 109
Não entrarão no cômputo do rendimento bruto, no caso de aluguéis de
imóveis o valor dos impostos, taxas e emolumentos incidentes sobre o bem
que produzir o rendimento.
Comentários
VERDADEIRO. Está de acordo com o art. 50, I, do RIR.

Questão 110
As despesas pagas para cobrança ou recebimento do rendimento de aluguel
não podem ser deduzidas.
Comentários
FALSO. Contraria o art. 50, III do RIR.

Questão 111
É obrigatória a emissão de recibo ou documento equivalente no recebimento
de rendimentos da locação de bens móveis ou imóveis.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se de obrigação prevista no art. 51 do Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 66 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 112
São tributáveis os rendimentos decorrentes de direito de exploração de
conjuntos industriais.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 49, VI do RIR.

Questão 113
Serão considerados royalties, e, portanto, tributáveis, os juros de mora e
quaisquer outras compensações pelo atraso no pagamento, inclusive
atualização monetária.
Comentários
VERDADEIRO. Dicção do parágrafo único do art. 52 do RIR.

Questão 114
Serão também consideradas como aluguéis ou royalties todas as espécies de
rendimentos percebidos pela ocupação, uso, fruição ou exploração dos bens
e direitos.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se da disciplina do art. 53, caput, do RIR.

Questão 115
São isentos os valores percebidos, em dinheiro, a título de alimentos ou
pensões, em cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado
judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais.
Comentários
FALSO. Esses rendimentos são tributáveis, de acordo com o art. 54 do
Regulamento do Imposto de Renda. Trata-se do pagamento de pensão
alimentícia, que para quem paga representa despesa, mas para o beneficiário
é renda e, portanto, tributável.

Questão 116
Os rendimentos recebidos no exterior, não transferidos para o Brasil,
decorrentes de atividade desenvolvida ou de capital situado no exterior não
são tributáveis pelo imposto de renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 67 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. O art. 55, VII, considera tributáveis esses rendimentos, transferidos ou
não para o Brasil.

Questão 117
Não são tributáveis as quantias correspondentes ao acréscimo patrimonial
da pessoa física, apurado mensalmente, quando esse acréscimo não for
justificado pelos rendimentos tributáveis, não tributáveis, tributados
exclusivamente na fonte ou objeto de tributação definitiva.
Comentários
FALSO. A parcela do acréscimo patrimonial que não foi justificada pelos
rendimentos apresentados na declaração de ajuste será tributada, pois
restará configurada a omissão de rendimentos.

Questão 118
São tributáveis os rendimentos recebidos na forma de bens ou direitos,
avaliados em dinheiro, pelo valor que tiverem na data da percepção.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a regra do art. 55, IV.

Questão 119
Por se tratar de mera recomposição do patrimônio, não são tributáveis as
importâncias recebidas a título de juros e indenizações por lucros cessantes.
Comentários
FALSO. Os lucros cessantes não constituem mera recomposição, mas o
pagamento pelos rendimentos futuros que deixarão de ser auferidos,
portanto, representam acréscimo patrimonial. Esta é a disposição do art. 55,
VI, do RIR.

Questão 120
É tributável a multa ou qualquer outra vantagem recebida de pessoa jurídica,
ainda que a título de indenização, em virtude de rescisão de contrato, exceto
contrato de trabalho.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 55, IX, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 68 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 121
A multa pela rescisão do contrato de trabalho é isenta do imposto de renda.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 39, XX. Este inciso traz exceção que
considero importante para efeito de prova.

Questão 122
Não são tributáveis os rendimentos derivados de atividades ou transações
ilícitas ou percebidos com infração à lei.
Comentários
FALSO. O Regulamento do Imposto de Renda confirma o princípio do pecunia
non olet, previsto no art. 118 do CTN, ao estabelecer em seu art. 55, X, que
são tributáveis os rendimentos derivados de atividades ou transações ilícitas
ou percebidos com infração à lei.

Questão 123
Sofrem a incidência do imposto de renda os juros compensatórios ou
moratórios de qualquer natureza, inclusive os que resultarem de sentença, e
quaisquer outras indenizações por atraso de pagamento, exceto aqueles
correspondentes a rendimentos isentos ou não tributáveis.
Comentários
VERDADEIRO. Esta incidência está prevista no art. 55, XIV do RIR.

Questão 124
O salário-educação e auxílio-creche, ainda que recebidos em dinheiro, não
são tributáveis.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 55, XV, do Regulamento do Imposto de Renda, o
salário-educação e o auxílio-creche são rendimentos tributáveis quando
recebidos em dinheiro.

Questão 125
Para efeito de tributação do imposto de renda, considera-se atividade rural,
entre outras, a exploração da apicultura, avicultura, cunicultura, suinocultura,
sericicultura, piscicultura e outras culturas animais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 69 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Consideram-se atividade rural todas aquelas previstas no art.
58 do RIR, dentre as quais todas as listadas acima.

Questão 126
O resultado da exploração da atividade rural será apurado mediante
escrituração do Livro Caixa, que deverá abranger as receitas, as despesas de
custeio, os investimentos e demais valores que integram a atividade.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do RIR, quanto à apuração do resultado da
atividade rural, prevista no art. 60.

Questão 127
O contribuinte deverá comprovar a veracidade das receitas e das despesas
escrituradas no Livro Caixa, mediante documentação idônea que identifique
o adquirente ou beneficiário, o valor e a data da operação, a qual será
mantida em seu poder à disposição da fiscalização pelo prazo de 5 anos.
Comentários
FALSO. O RIR estabelece que a documentação deverá ser mantida enquanto
não ocorrida a decadência ou prescrição (art. 60, §1º) e não pelo prazo fixo de
5 anos.

Questão 128
A falta da escrituração das operações vinculadas à atividade rural implicará
arbitramento da base de cálculo à razão de cinquenta por cento da receita
bruta do ano-calendário.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 60, §2º, na falta da escrituração, o arbitramento
ocorrerá à razão de 20% da receita bruta anual.

Questão 129
Aos contribuintes que tenham auferido receitas anuais até o valor de
sessenta e cinco mil reais faculta-se apurar o resultado da exploração da
atividade rural, mediante prova documental, dispensado o Livro Caixa.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 70 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. O limite previsto para dispensa do Livro Caixa é 56.000 e não 65.000.
Assim define o art. 60, §3º.

Questão 130
Não integram a receita bruta da atividade rural os valores recebidos de
órgãos públicos, tais como auxílios, subvenções, subsídios, aquisições do
Governo Federal - AGF e as indenizações recebidas do Programa de Garantia
da Atividade Agropecuária – PROAGRO.
Comentários
FALSO. Estes valores integram a receita bruta da atividade rural, conforme
art. 61, §1º, I.

Questão 131
O valor dos produtos agrícolas entregues em permuta com outros bens ou
pela dação em pagamento integram a receita bruta da atividade rural.
Comentários
VERDADEIRO. De acordo com o art. 61, §1º, IV, esse valor entra no cômputo
da receita bruta.

Questão 132
Em se tratando de atividade rural, são dispensados os documentos
usualmente utilizados, tais como nota fiscal do produtor, nota fiscal de
entrada, nota promissória rural vinculada à nota fiscal do produtor e demais
documentos reconhecidos pelas fiscalizações estaduais.
Comentários
FALSO. A receita bruta, decorrente da comercialização dos produtos, deverá
ser comprovada por documentos usualmente utilizados, tais como nota fiscal
do produtor, nota fiscal de entrada, nota promissória rural vinculada à nota
fiscal do produtor e demais documentos reconhecidos pelas fiscalizações
estaduais, nos termos do art. 61, §5º, do RIR.

Questão 133
Qualquer gasto efetuado na propriedade vinculada à atividade rural será
considerado despesa de custeio ou investimento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 71 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. Segundo o art. 62, §1º, do Regulamento do Imposto de Renda, as
despesas de custeio e os investimentos são aqueles necessários à percepção
dos rendimentos e à manutenção da fonte produtora, relacionados com a
natureza da atividade exercida.

Questão 134
Considera-se investimento na atividade rural a aplicação de recursos
financeiros, durante o ano-calendário, exceto a parcela que corresponder ao
valor da terra nua, com vistas ao desenvolvimento da atividade para
expansão da produção ou melhoria da produtividade.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se da definição prevista no art. 62, §2º, do RIR.

Questão 135
Considera-se resultado da atividade rural a diferença entre o valor da receita
bruta recebida e o das despesas pagas no ano-calendário, correspondente a
todos os imóveis rurais da pessoa física.
Comentários
VERDADEIRO. Essa é a base tributável da atividade rural, prevista no art. 63
do RIR.

Questão 136
O resultado auferido em unidade rural comum ao casal deverá ser apurado
e tributado pelo cônjuge que detenha a maior parcela do bem.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 64 do RIR, o resultado auferido em unidade rural
comum ao casal deverá ser apurado e tributado pelos cônjuges
proporcionalmente à sua parte.

Questão 137
O resultado positivo obtido na exploração da atividade rural pela pessoa
física poderá ser compensado com prejuízos apurados em anos-calendário
anteriores.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 72 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Sempre que apurar prejuízos na atividade rural, o contribuinte
poderá transportar o saldo negativo para compensação em exercícios
posteriores. Este é o disposto no art. 65 do RIR.

Questão 138
À opção do contribuinte, o resultado da atividade rural limitar-se-á a vinte por
cento da receita bruta do ano-calendário.
Comentários
VERDADEIRO. Feita a opção pelo contribuinte, apenas será considerado
resultado positivo o valor de 20% da receita bruta. Assim dispõe o art. 71 do
RIR.

Questão 139
A opção pelo resultado presumido na atividade rural dispensa o contribuinte
da comprovação das receitas e despesas, qualquer que seja a forma de
apuração do resultado.
Comentários
FALSO. Estabelece o RIR, em seu art. 71, §1º, que essa opção não dispensa o
contribuinte da comprovação das receitas e despesas, qualquer que seja a
forma de apuração do resultado.

Questão 140
O contribuinte que optar pelo resultado presumido da atividade rural estará
impedido de compensar prejuízos de anos anteriores.
Comentários
VERDADEIRO. Essa é a determinação do art. 66, segundo o qual a pessoa física
que, na apuração do resultado da atividade rural, optar pela aplicação do
disposto no art. 71, perderá o direito à compensação do total dos prejuízos
correspondentes a anos-calendário anteriores ao da opção.

Questão 141
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto,
poderão ser deduzidas as contribuições para a Previdência Social da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 73 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Disposição do art. 74, I, do RIR.

Questão 142
São dedutíveis na apuração mensal do imposto todas as contribuições para
as entidades de previdência privada domiciliadas no País, destinadas a
custear benefícios complementares assemelhados aos da Previdência Social.
Comentários
FALSO. ATENÇÃO! O erro da assertiva está em generalizar as contribuições.
Há dois requisitos para a dedução: a base de cálculo da contribuição deve ser
o rendimento do trabalho e o ônus deve ser do contribuinte. Caso contrário,
os valores pagos a entidade privada somente poderão ser deduzidas no
ajuste anual. Esta é a disciplina do art. 74, II e §1º.

Questão 143
A dedução de pagamento efetuada a entidade de previdência privada fica
limitada a doze por cento do total dos rendimentos computados na
determinação da base de cálculo.
Comentários
VERDADEIRO. Está de acordo com o disposto no art. 74, §2º, do RIR.

Questão 144
Apenas poderão ser deduzidas, desde que devidamente escrituradas em
Livro-Caixa, as despesas de custeio pagas, necessárias à percepção da receita
e à manutenção da fonte produtora.
Comentários
FALSO. Essas despesas podem ser deduzidas, mas não são as únicas. O art.
75 do RIR elenca outras possibilidades. Todas elas devem estar devidamente
escrituradas.

Questão 145
As quotas de depreciação de instalações, máquinas e equipamentos, bem
como a despesas de arrendamento não são dedutíveis do recolhimento
mensal.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 74 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Esta vedação está expressa no art. 75, parágrafo único, I.

Questão 146
A remuneração paga a terceiros, desde que com vínculo empregatício, e os
encargos trabalhistas e previdenciários, devidamente escriturados em Livro-
Caixa, poderão ser deduzidos no recolhimento mensal.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se da previsão do art. 75, I, do Regulamento do Imposto
de Renda.

Questão 147
As despesas com locomoção e transporte, salvo no caso de representante
comercial autônomo, poderão ser deduzidas no recolhimento mensal,
quando escrituradas em Livro-Caixa.
Comentários
FALSO. É exatamente o contrário. Essas despesas não são dedutíveis, exceto
no caso de representante comercial autônomo.

Questão 148
O contribuinte que perceber rendimentos do trabalho não-assalariado
deverá comprovar a veracidade das receitas e das despesas, mediante
documentação idônea, escrituradas em Livro Caixa, que serão mantidos em
seu poder, à disposição da fiscalização, enquanto não ocorrer a prescrição ou
decadência.
Comentários
VERDADEIRO. Para efeito de dedução no recolhimento mensal, todas as
despesas devem estar devidamente escrituradas. Literalidade do art. 75, §2º.

Questão 149
As deduções de despesas escrituradas em Livro-Caixa poderão exceder à
receita mensal da respectiva atividade, hipótese em que representará
dedução dos demais rendimentos percebidos pelo contribuinte.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 75 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. ATENÇÃO! As despesas escrituradas em Livro-Caixa apenas podem
representar dedução das receitas auferidas como autônomo, por isso o limite
de dedução naquele mês será a própria receita, conforme art. 76, caput.

Questão 150
É permitido o cômputo do excesso de deduções de despesas escrituradas em
Livro-Caixa nos meses seguintes somente até dezembro do mesmo ano-
calendário.
Comentários
VERDADEIRO. Apesar de não poder compensar as deduções com outras
receitas, o eventual prejuízo na atividade será levado para os meses
seguintes, para ser deduzido da receita auferida como autônomo, nos termos
do art. 76.

Questão 151
O excesso de deduções de despesas escrituradas, porventura existente no
final do ano-calendário, não será transposto para o ano seguinte.
Comentários
VERDADEIRO. Complementa o que vimos na questão anterior. A
compensação é no mesmo ano-calendário, vide art. 76, §1º.

Questão 152
O Livro Caixa deverá ser registrado.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 76, §3º, do RIR, o Livro Caixa independe de
registro.

Questão 153
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto,
poderá ser deduzida do rendimento tributável a quantia equivalente a
noventa reais por dependente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 76 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. ATENÇÃO REDOBRADA AQUI. A assertiva traz a literalidade do art. 77,
caput, do RIR. Porém o Regulamento está desatualizado. De qualquer forma,
o referido artigo faz menção ao art. 4º, III, da Lei 9.250. Nesse caso, valerá a
redação atual deste artigo e não a redação do RIR.
“Art. 4º, III, i: Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência
mensal do imposto de renda poderão ser deduzidas: a quantia, por
dependente, de R$ 189,59 (cento e oitenta e nove reais e cinquenta e nove
centavos), a partir do mês de abril do ano-calendário de 2015. ”

Questão 154
O cônjuge poderá ser considerado dependente.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a permissão prevista no art. 77, I, do RIR.

Questão 155
Poderá ser considerado dependente o companheiro ou a companheira,
desde que haja vida em comum por mais de três anos, ou por período menor
se da união resultou filho.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 77, II, do Regulamento do Imposto de Renda, o
período mínimo é de 5 anos.

Questão 156
O filho de 35 anos, incapacitado fisicamente para o trabalho, poderá ser
dependente na declaração do imposto de renda.
Comentários
VERDADEIRO. O art. 77, III, do RIR estabelece permite a dedução com a filha,
o filho, a enteada ou o enteado, até vinte e um anos, ou de qualquer idade
quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho.

Questão 157
Será considerado dependente o menor pobre, até vinte e um anos, que o
contribuinte crie e eduque e independente de guarda judicial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 77 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. A dedução é condicionada à guarda judicial, nos moldes do art. 77, IV,
do RIR.

Questão 158
Poderá ser dependente o irmão, o neto ou o bisneto, sem arrimo dos pais,
até vinte e um anos, desde que o contribuinte detenha a guarda judicial, ou
de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o
trabalho.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 77, V, do RIR.

Questão 159
Poderão ser considerados dependentes os pais, os avós ou os bisavós, desde
que não aufiram rendimentos, tributáveis ou não, superiores ao limite de
isenção mensal.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a previsão do art. 77, VI, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 160
Poderá ser considerado dependente o absolutamente incapaz, do qual o
contribuinte seja tutor ou curador.
Comentários
VERDADEIRO. De acordo com o art. 77, VII, do Regulamento, faz-se necessária
a tutela ou curatela.

Questão 161
Poderá ser considerado dependente o filho de 25 anos que estiver cursando
estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau.
Comentários
FALSO. Determina o art. 77, §2º, do RIR que o limite de idade para efeito de
dedução com filho é de 24 anos, quando este estiver cursando
estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau. A

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 78 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

única situação em que não haverá limite de idade para o filho é quando este
for incapaz física ou mentalmente para o trabalho.

Questão 162
Os dependentes comuns poderão, opcionalmente, ser considerados por
qualquer um dos cônjuges.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão do art. 77, §3º, do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 163
No caso de filhos de pais separados, poderão ser considerados dependentes
os que ficarem sob a guarda do contribuinte, em cumprimento de decisão
judicial ou acordo homologado judicialmente.
Comentários
VERDADEIRO. Este é o disposto no art. 77, §4º, do RIR.

Questão 164
Um mesmo dependente pode constar concomitantemente na declaração do
pai e da mãe, por exemplo.
Comentários
FALSO. Determina o art. 77, §5º, do RIR que é vedada a dedução concomitante
do montante referente a um mesmo dependente, na determinação da base
de cálculo do imposto, por mais de um contribuinte.

Questão 165
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto,
poderá ser deduzida a importância paga a título de pensão alimentícia em
face das normas do Direito de Família, quando em cumprimento de decisão
judicial ou acordo homologado judicialmente, exceto a prestação de
alimentos provisionais.
Comentários
FALSO. Também são dedutíveis as prestações de alimentos provisionais,
segundo o art. 78, caput, que assim dispõe: “Na determinação da base de
cálculo sujeita à incidência mensal do imposto, poderá ser deduzida a
importância paga a título de pensão alimentícia em face das normas do

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 79 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Direito de Família, quando em cumprimento de decisão judicial ou acordo


homologado judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais.”

Questão 166
A partir do mês em que se iniciar o pagamento de pensão alimentícia é
vedada a dedução, relativa ao mesmo beneficiário, do valor correspondente
a dependente.
Comentários
VERDADEIRO. A regra do RIR, quando o contribuinte paga pensão alimentícia,
é a vedação à dedução do alimentado como dependente (art. 78, §1º).

Questão 167
O valor da pensão alimentícia não utilizado, como dedução, no próprio mês
de seu pagamento, não poderá ser deduzido nos meses subsequentes.
Comentários
FALSO. Reza o art. 78, §2º, que o valor da pensão alimentícia não utilizado,
como dedução, no próprio mês de seu pagamento, poderá ser deduzido nos
meses subsequentes.

Questão 168
Não são dedutíveis da base de cálculo mensal as importâncias pagas a título
de despesas médicas e de educação dos alimentados, quando realizadas pelo
alimentante em virtude de cumprimento de decisão judicial ou acordo
homologado judicialmente.
Comentários
VERDADEIRO. BASTANTE ATENÇÃO! As despesas médicas e com educação
somente poderão ser deduzidas no ajuste anual e não nas antecipações. Esta
é a determinação do art. 78, §4º e 5º.

Questão 169
As despesas médicas e de educação poderão ser deduzidas pelo alimentante
na determinação da base de cálculo do imposto de renda na declaração
anual.
Comentários
VERDADEIRO. Complemento da questão anterior. As despesas médicas e com
educação somente poderão ser deduzidas no ajuste anual e não nas
antecipações. Esta é a determinação do art. 78, §4º e 5º.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 80 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 170
Na determinação da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto
poderá ser deduzida a quantia de novecentos reais, correspondente à parcela
isenta dos rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão,
transferência para a reserva remunerada ou reforma, pagos pela Previdência
Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por
qualquer pessoa jurídica de direito público interno, ou por entidade de
previdência privada, a partir do mês em que o contribuinte completar
sessenta e cinco anos de idade.
Comentários
FALSO. ATENÇÃO REDOBRADA AQUI. A assertiva traz a literalidade do art. 79
do RIR. Porém o Regulamento está desatualizado. De qualquer forma, o
referido artigo faz menção ao art. 4º, VI, da Lei 9.250. Nesse caso, valerá a
redação atual deste artigo e não a redação do RIR.
“Art. 4º, VI - a quantia, correspondente à parcela isenta dos rendimentos
provenientes de aposentadoria e pensão, transferência para a reserva
remunerada ou reforma, pagos pela Previdência Social da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por qualquer pessoa jurídica
de direito público interno ou por entidade de previdência privada, a partir
do mês em que o contribuinte completar 65 (sessenta e cinco) anos de
idade, de:
i) R$ 1.903,98 (mil, novecentos e três reais e noventa e oito centavos), por
mês, a partir do mês de abril do ano-calendário de 2015.”

Questão 171
Na declaração de rendimentos poderão ser deduzidos os pagamentos
efetuados, no ano-calendário, a médicos, dentistas, psicólogos,
fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e hospitais, bem
como as despesas com exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos
ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a previsão do Regulamento para as despesas médicas
dedutíveis (art. 80).

Questão 172
A dedução com despesas médicas restringe-se aos pagamentos efetuados
pelo contribuinte, relativos ao próprio tratamento e ao de seus dependentes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 81 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. O contribuinte não poderá deduzir despesas médicas de quem
não conste em sua declaração. Essa é a determinação do art. 80, §1º, II, do
Regulamento.

Questão 173
A dedução de despesa médicas independe de comprovação.
Comentários
FALSO. Estabelece o art. 80, §1º, III do Regulamento do Imposto de Renda que
a dedução limita-se a pagamentos especificados e comprovados, com
indicação do nome, endereço e número de inscrição no Cadastro de Pessoas
Físicas - CPF ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ de quem os
recebeu, podendo, na falta de documentação, ser feita indicação do cheque
nominativo pelo qual foi efetuado o pagamento.

Questão 174
Na declaração de rendimentos poderão ser deduzidos os pagamentos
efetuados a estabelecimentos de ensino, relativamente à educação infantil,
compreendendo as creches e as pré-escolas; ao ensino fundamental; ao
ensino médio; à educação superior, compreendendo os cursos de graduação
e de pós-graduação (mestrado, doutorado e especialização); a cursos de
idiomas e à educação profissional, compreendendo o ensino técnico e o
tecnológico, até o limite anual individual de R$3.561,50 para o ano-calendário
2015.
Comentários
FALSO. (Art. 81, caput do RIR) Dessa vez a assertiva trouxe a redação da Lei
9.250 em sua forma mais atual, tanto quanto à nomenclatura dos níveis de
educação quanto ao valor limite. Ocorre que a legislação não permite a
dedução com despesas pagas a título de cursos de idiomas.
“Lei 9.250. Art. 8º, II, b: a pagamentos de despesas com instrução do
contribuinte e de seus dependentes, efetuados a estabelecimentos de
ensino, relativamente à educação infantil, compreendendo as creches e as
pré-escolas; ao ensino fundamental; ao ensino médio; à educação
superior, compreendendo os cursos de graduação e de pós-graduação
(mestrado, doutorado e especialização); e à educação profissional,
compreendendo o ensino técnico e o tecnológico, até o limite anual
individual de:
10. R$ 3.561,50 (três mil, quinhentos e sessenta e um reais e cinquenta
centavos), a partir do ano-calendário de 2015.”

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 82 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 175
O limite para as despesas com educação corresponderá ao limite individual,
multiplicado pelo número de pessoas com quem foram efetivamente
realizadas as despesas, sendo permitida a transferência do excesso individual
para outra pessoa.
Comentários
FALSO. O limite individual, caso não utilizado em sua totalidade com algum
beneficiário, não poderá ser transferido para outro dependente. Esta é a
determinação do art. 81, §1º do RIR.

Questão 176
Não serão dedutíveis as despesas com educação de menor pobre que o
contribuinte apenas eduque.
Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 81, §2º, do Regulamento.

Questão 177
As despesas de educação dos alimentados, quando realizadas pelo
alimentante em virtude de cumprimento de decisão judicial ou de acordo
homologado judicialmente, poderão ser deduzidas pelo alimentante na
determinação da base de cálculo.
Comentários
VERDADEIRO. Permissão do art. 81, §3º, do Regulamento do Imposto de
Renda. Chamo a atenção apenas para o fato de que esta dedução ocorrerá
apenas no ajuste anual.

Questão 178
Poderão ser deduzidos como despesa com educação os pagamentos
efetuados a creches.
Comentários
VERDADEIRO. Conforme disposto no art. 81, §4º, bem como previsão
expressa na lei 9.250, como vimos na questão 154.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 83 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 179
A dedução com contribuições para o Fundo de Aposentadoria Programada
Individual – FAPI, cujo ônus seja da pessoa física, fica limitada a doze por cento
do total dos rendimentos computados na determinação da base de cálculo
do imposto devido na declaração de rendimentos.
Comentários
VERDADEIRA. Previsão do art. 82, caput e §1º. Vamos detalhar um pouco mais
esta questão para esclarecer um ponto importante.
Na questão 22 vimos que somente poderão ser deduzidas na base de cálculo
mensal os valores pagos a entidade de previdência privada, quando:
• Tratar-se de contribuição cuja base de cálculo for a remuneração do
trabalho.
• O ônus for do contribuinte.

Logo, trata-se de contribuição a instituição que tem vínculo com a fonte


pagadora do contribuinte.
As demais contribuições a entidades privadas, como é o caso do FAPI,
somente poderão ser deduzidas na declaração de ajuste anual.
Além disso, o limite de dedução é de 12% dos rendimentos.
BASTANTE ATENÇÃO COM ESSES DETALHES!

Questão 180
A base de cálculo do imposto devido no ano-calendário será a diferença entre
as somas:
I - de todos os rendimentos percebidos durante o ano-calendário, inclusive
os isentos, os não tributáveis, os tributáveis exclusivamente na fonte e os
sujeitos à tributação definitiva;
II - das deduções permitidas pela legislação.
Comentários
FALSO. Os rendimentos isentos, os não tributáveis e os sujeitos à tributação
exclusiva ou definitiva não compõem a base de cálculo no ajuste anual (art.
83, I).

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 84 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 181
Independentemente do montante dos rendimentos tributáveis na
declaração, recebidos no ano-calendário, o contribuinte poderá optar por
desconto simplificado, que consistirá em dedução de vinte por cento desses
rendimentos.
Comentários
VERDADEIRO. De acordo com o art. 84 do Regulamento do Imposto de Renda,
o desconto simplificado consiste na dedução de 20% da base de cálculo.

Questão 182
O desconto simplificado substitui todas as deduções admitidas.
Comentários
VERDADEIRO. Ao optar pelo regime do desconto simplificado, o contribuinte
não terá suas despesas consideradas na determinação da base de cálculo,
pois serão substituídas pela dedução fixa de 20% dos rendimentos (art. 84,
§1º).

Questão 183
As deduções do imposto apurado são limitadas a 12% do imposto devido.
Comentários
FALSO. ATENÇÃO! Não confundir dedução da base de cálculo com dedução
do imposto.
As deduções do imposto estão previstas no art. 87 do Regulamento.
Estabelece o §1º do referido artigo que o limite de dedução é de 6% do
imposto devido.

Questão 184
Podem ser deduzidos do imposto apurado no ajuste anual os investimentos
feitos a título de incentivo às atividades audiovisuais.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão do art. 87, III, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 85 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 185
Podem ser deduzidos do imposto apurado no ajuste anual as contribuições
feitas aos fundos controlados pelos Conselhos Municipais, Estaduais e
Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão do art. 87, I, do RIR.

Questão 186
Podem ser deduzidos do imposto apurado no ajuste anual as doações
efetuadas a entidades filantrópicas.
Comentários
FALSO. Essas entidades não constam no rol daquelas cujas doações possam
ser deduzidas do imposto apurado.

Questão 187
Quando os rendimentos e antecipações são levados ao ajuste anual, o
montante do imposto calculado constituirá, se positivo, saldo do imposto a
pagar e, se negativo, valor a ser restituído.
Comentários
VERDADEIRO. Esse é o objetivo do ajuste: apurar se as antecipações
efetuadas ao longo do ano-calendário foram suficientes para quitar o
imposto apurado. Trata-se do disposto no art. 88 do RIR.

Questão 188
Caso existente, o valor da restituição será acrescido de juros equivalentes à
taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia - SELIC, para
títulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia
do mês de janeiro do ano-calendário até o mês anterior ao da liberação da
restituição, e de um por cento no mês em que o recurso for colocado no
banco à disposição do contribuinte.
Comentários
FALSO. O termo inicial da atualização da restituição é o primeiro dia do mês
de maio do ano da entrega da declaração (exercício). Assim estabelece o
parágrafo único do art. 88:
“O valor da restituição referido no caput deste artigo será acrescido de
juros equivalentes à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 86 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

de Custódia - SELIC, para títulos federais, acumulada mensalmente,


calculados a partir do primeiro dia do mês subsequente ao previsto para
a entrega tempestiva da declaração de rendimentos até o mês anterior ao
da liberação da restituição, e de um por cento no mês em que o recurso
for colocado no banco à disposição do contribuinte.”

Questão 189
As pessoas físicas que declararem rendimentos provenientes de fontes
situadas no exterior poderão deduzir, do imposto apurado, o cobrado pela
nação de origem daqueles rendimentos, desde que em conformidade com o
previsto em acordo ou convenção internacional firmado com o país de
origem dos rendimentos, quando não houver sido restituído ou compensado
naquele país; ou haja reciprocidade de tratamento em relação aos
rendimentos produzidos no Brasil.
Comentários
VERDADEIRO. Para utilizar o imposto retido no exterior. Porém, conforme
determina o art. 103 do RIR, há duas condições:
• Reciprocidade em relação aos rendimentos produzidos no Brasil
• Não tenha ocorrido restituição nem compensação no país de origem

Questão 190
O saldo do imposto deverá ser pago até o último dia útil do mês de abril.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a regra do art. 104 do Regulamento do Imposto de
Renda, segundo o qual o saldo do imposto deverá ser pago até o último dia
útil do mês fixado para entrega da declaração de rendimentos.

Questão 191
Está sujeita ao pagamento mensal do imposto a pessoa física que receber de
outra pessoa física, ou de fontes situadas no exterior, rendimentos que não
tenham sido tributados na fonte, no País.
Comentários
VERDADEIRO. Trata-se de obrigatoriedade estabelecida no art. 106 do
Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 87 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 192
Estão dispensados do recolhimento mensal os rendimentos recebidos em
dinheiro, a título de alimentos ou pensões, em cumprimento de decisão
judicial, ou acordo homologado judicialmente, inclusive alimentos
provisionais.
Comentários
FALSO. Esses rendimentos estão sujeitos ao recolhimento mensal, por
determinação do art. 106, II do RIR.

Questão 193
Sujeitam-se ao recolhimento mensal os rendimentos de aluguéis recebidos
de pessoas físicas.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 106, IV, do RIR.

Questão 194
Os rendimentos de prestação de serviços de transporte de carga ou de
Passageiros e os rendimentos de prestação de serviços com trator, máquina
de terraplenagem, colheitadeira e assemelhados, somente estarão sujeitos a
antecipação quando a fonte pagador for pessoa jurídica.
Comentários
FALSO. Nos termos do art. 107 do Regulamento do Imposto de Renda,
sujeitam-se igualmente à incidência mensal do imposto os rendimentos de
prestação, a pessoas físicas, de serviços de transporte de carga ou de
passageiros, e os rendimentos de prestação, a pessoas físicas, de serviços
com trator, máquina de terraplenagem, colheitadeira e assemelhados.
Quando a fonte pagadora é pessoa jurídica, a antecipação ocorre com a
retenção do imposto na fonte. Quando a fonte pagadora é pessoa física, a
obrigação da antecipação é do próprio contribuinte.

Questão 195
Os rendimentos sujeitos a incidência mensal devem integrar a base de cálculo
do imposto na declaração de rendimentos, e o imposto pago será
compensado com o apurado nessa declaração.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 88 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Literalidade do art. 109 do RIR. Como vimos, esse é o objetivo
do ajuste: apurar se as antecipações efetuadas ao longo do ano-calendário
foram suficientes para quitar o imposto apurado.

Questão 196
Sem prejuízo dos pagamentos estabelecidos no Regulamento do Imposto de
Renda, o contribuinte deve efetuar, obrigatoriamente, no curso do ano-
calendário, complementação do imposto que for devido, sobre os
rendimentos recebidos.
Comentários
FALSO. O recolhimento complementar é facultativo, nos termos do art. 113
do RIR.

Questão 197
Estão sujeitos à tributação definitiva os ganhos de capital na alienação de
bens e direitos.
Comentários
VERDADEIRO. Pelo disposto no art. 117 do RIR, os ganhos de capital sujeitam-
se à tributação definitiva.

Questão 198
O ganho de capital auferido em operações com ouro considerado ativo
financeiro sujeita-se à tributação definitiva.
Comentários
FALSO. Apenas se sujeita à tributação definitiva o ouro não considerado ativo
financeiro.
Questão 199
Não se considera ganho de capital o valor decorrente de indenização por
desapropriação para fins de reforma agrária conforme.
Comentários
VERDADEIRO. Disciplina do art. 120, I do Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 89 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 200
É considerado ganho de capital o valor decorrente de indenização por
liquidação de sinistro, furto ou roubo, relativo a objeto segurado.
Comentários
FALSO. O art. 120, II do RIR exclui esse rendimento do conceito de ganho de
capital.

Questão 201
Está isento do imposto o ganho de capital auferido na alienação do único
imóvel que o titular possua, cujo valor de alienação seja de até quatrocentos
e quarenta mil reais, desde que não tenha sido realizada qualquer outra
alienação nos últimos cinco anos.
Comentários
VERDADEIRO. Esta isenção está prevista no art. 122, II, do RIR. Até que, enfim,
um valor atualizado no RIR.

Questão 202
O ganho de capital será determinado pela diferença positiva ou negativa,
entre o valor de alienação e o custo de aquisição.
Comentários
FALSO. Como o próprio nome diz, ganho de capital refere-se apenas à
diferença positiva. Esta é a definição do art. 138 do Regulamento.

Questão 203
Para efeito de apuração do ganho de capital, a autoridade lançadora,
mediante processo regular, arbitrará o valor informado, sempre que o valor
da alienação informado pelo contribuinte não mereça fé, por notoriamente
diferente do de mercado, ressalvada, em caso de contestação, avaliação
contraditória administrativa ou judicial.
Comentários
VERDADEIRO. Este arbitramento está previsto no art. 124 do RIR.

Questão 204
O custo de aquisição de bem alienado com ganho de capital não é passível
de arbitramento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 90 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. Nos termos do §3º, do art. 125 do RIR, a autoridade lançadora,
mediante processo regular, arbitrará o valor informado, sempre que este não
mereça fé, por notoriamente diferente do de mercado, ressalvada, em caso
de contestação, avaliação contraditória administrativa ou judicial.

Questão 205
O ganho de capital apurado está sujeito ao pagamento do imposto, à alíquota
de vinte por cento.
Comentários
FALSO. A alíquota aplicável ao ganho de capital é de 15%, conforme art. 142
do RIR.

Questão 206
Sujeita-se à incidência do imposto à alíquota de quinze por cento a diferença
entre o valor em dinheiro ou o valor dos bens e direitos recebidos de
instituição isenta, por pessoa física, a título de devolução de patrimônio, e o
valor em dinheiro ou o valor dos bens e direitos que houver entregue para a
formação do referido patrimônio.
Comentários
VERDADEIRO. Este valor está sujeito à tributação definitiva, à alíquota de 15%,
nos termos do art. 143 do RIR.
Uma observação importante: a tributação exclusiva ocorre quando a
atribuição de efetuar o recolhimento é da fonte pagadora.
O próprio art. 143 do RIR considera este recolhimento como tributação
exclusiva, mas o atribui ao beneficiário. Logo, estamos diante de tributação
definitiva e não exclusiva.
Se observarmos, o tema consta no Título X – Tributação Definitiva. Registre-
se, então, a “falha técnica” do RIR ao considerar em seu art. 143, §2º.

Questão 207
Os rendimentos auferidos nas operações financeiras no mercado de renda
variável estão sujeitas à tributação definitiva.
Comentários
VERDADEIRO. As operações de renda variável têm tributação definitiva.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 91 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Ocorre que, a depender do tipo de operação (mercados à vista, de opções,


futuro e a termo), a fonte pagadora pode ser obrigada a efetuar uma pequena
retenção apenas para enviar as informações à RFB de que aquele
contribuinte realizou operação com ganho. A partir daí, o contribuinte se
obriga a recolher mensalmente o complemento, que será considerado
tributação definitiva.

Questão 208
Os rendimentos auferidos nas aplicações financeiras de renda fixa estão
sujeitos à alíquota de 20%.
Comentários
VERDADEIRO. Disposição do art. 729 do RIR.

Questão 209
O 13º salário representa valor sujeito à tributação exclusiva.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a regra do art. 638, III, do Regulamento.

Questão 210
As contribuições pagas pelos empregadores relativas ao Plano de Incentivo à
Aposentadoria Programada Individual - FAPI, destinadas a seus empregados
e administradores estão sujeitas à tributação exclusiva na fonte.
Comentários
FALSO. Trata-se de parcela isenta previsto no art. 39, XII, do RIR.

Questão 211
É isento do imposto de renda o valor dos bens adquiridos por doação ou
herança.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 39, XV, do Regulamento.

Questão 212
O pagamento efetuado por pessoas jurídicas de direito público a servidores
públicos civis, a título de incentivo à adesão a programas de desligamento
voluntário, está sujeito à tributação exclusiva.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 92 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
FALSO. Trata-se de rendimento isento, nos termos do art. 39, XIX, do RIR.

Questão 213
O ganho de capital auferido por residente ou domiciliado no exterior será
apurado e tributado de acordo com as regras aplicáveis aos residentes no
País.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 117, §3º, do Regulamento.

Questão 214
A tributação do ganho de capital depende da localização dos bens ou direitos.
Comentários
FALSO. De acordo com o art. 117, §5º, do RIR, a tributação independe da
localização dos bens ou direitos.

Questão 215
Na determinação do ganho de capital, serão as transferências causa mortis e
as doações em adiantamento da legítima.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 121, I, do RIR.

Questão 216
Será considerada ganho de capital a permuta exclusivamente de unidades
imobiliárias, objeto de escritura pública, ainda que sem recebimento de
parcela complementar em dinheiro, denominada torna, exceto no caso de
imóvel rural com benfeitorias.
Comentários
FALSO. Esta parcela é excluída do ganho de capital, conforme art. 121, II, do
RIR.

Questão 217
Sujeita-se à incidência do imposto, à alíquota de vinte e cinco por cento, o
valor dos bens de qualquer natureza, inclusive financeiros e títulos e valores
mobiliários, pertencentes a empresas brasileiras e pessoas físicas residentes
ou domiciliadas no País, repatriados em virtude de convênio celebrado entre
o Brasil e o país onde se encontravam os bens.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 93 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 144 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 218
Está isento do imposto o ganho de capital auferido na alienação de bens e
direitos de pequeno valor, cujo preço unitário de alienação.
Comentários
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 122, I, do RIR.

Questão 219
No caso de alienação de diversos bens ou direitos da mesma natureza será
considerado, para fins de isenção, o valor do conjunto de bens alienados no
mês.
Comentários
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 122, §1º, do Regulamento.

Questão 220
Na alienação de imóvel rural com benfeitorias, será considerado apenas o
valor correspondente à terra nua.
Comentários
VERDADEIRO. Previsão do art. 123, §2, do RIR.

Praticar a literalidade do regulamento é muito importante para prova. Mas


para ficar 100% afiado em IRPF, é necessário um bom conhecimento teórico
e a resolução de questões com comentários mais completos.
Conheça os materiais ideais para intensificar seus estudos:

Para o concurso de Auditor Fiscal:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Para o concurso de Analista Tributário:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 94 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

IRPJ – Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas

200 questões

Questão 221
As empresas individuais não são contribuintes do IRPJ.

Questão 222
As disposições acerca da condição de contribuinte do IRPJ aplicam-se a todas
as firmas e sociedades, registradas ou não.

Questão 223
As entidades submetidas aos regimes de liquidação extrajudicial e de falência
sujeitam-se às normas de incidência do imposto aplicáveis às pessoas
jurídicas, em relação às operações praticadas durante o período em que
perdurarem os procedimentos para a realização de seu ativo e o pagamento
do passivo.

Questão 224
As sociedades civis de prestação de serviços profissionais relativos ao
exercício de profissão legalmente regulamentada são tributadas pelo
imposto de conformidade com as normas aplicáveis às pessoas físicas.

Questão 225
As empresas públicas e as sociedades de economia mista, bem como suas
subsidiárias, são podem ser contribuintes nas mesmas condições das demais
pessoas jurídicas.

Questão 226
As sociedades cooperativas de consumo, que tenham por objeto a compra e
fornecimento de bens aos consumidores, sujeitam-se às mesmas normas de
incidência dos impostos e contribuições de competência da União, aplicáveis
às demais pessoas jurídicas.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 95 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 227
Consideram-se pessoas jurídicas as de direito privado domiciliadas no País,
sejam quais forem seus fins, nacionalidade ou participantes no capital.

Questão 228
Estão excluídas do conceito de pessoa jurídica as filiais, sucursais, agências
ou representações no País das pessoas jurídicas com sede no exterior.

Questão 229
Serão considerados pessoas jurídicas os comitentes domiciliados no exterior,
quanto aos resultados das operações realizadas por seus mandatários ou
comissários no País.

Questão 230
As sociedades em conta de participação são equiparadas às pessoas jurídicas.

Questão 231
As empresas individuais, para os efeitos do imposto de renda, não são
equiparadas às pessoas jurídicas.

Questão 232
Na apuração dos resultados das sociedades em conta de participação, assim
como na tributação dos lucros apurados e dos distribuídos, serão observadas
as normas aplicáveis às pessoas jurídicas em geral.

Questão 233
As firmas individuais são consideradas empresas individuais.

Questão 234
As pessoas físicas que, em nome individual, explorem, habitual e
profissionalmente, qualquer atividade econômica de natureza civil ou
comercial, ainda que com o fim especulativo de lucro, mediante venda a
terceiros de bens ou serviços, serão tributadas pelo IRPF.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 96 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 235
Serão consideradas empresa individual, para efeito de tributação do IRPJ, as
pessoas físicas que promoverem a incorporação de prédios em condomínio
ou loteamento de terrenos.

Questão 236
As pessoas físicas que, individualmente, exerçam as profissões ou explorem
as atividades de médico, engenheiro, advogado, dentista, veterinário,
professor, economista, contador, jornalista, pintor, escritor, escultor e de
outras que lhes possam ser assemelhadas, serão contribuintes do IRPJ.

Questão 237
Os agentes, representantes e outras pessoas sem vínculo empregatício que,
tomando parte em atos de comércio, não os pratiquem, todavia, por conta
própria, serão tributados como pessoas físicas.

Questão 238
A exploração individual de contratos de empreitada unicamente de lavor,
qualquer que seja a natureza, quer se trate de trabalhos arquitetônicos,
topográficos, terraplenagem, construções de alvenaria e outras congêneres,
quer de serviços de utilidade pública, tanto de estudos como de construções,
sujeitam o executante à tributação das pessoas jurídicas.

Questão 239
A exploração de obras artísticas, didáticas, científicas, urbanísticas, projetos
técnicos de construção, instalações ou equipamentos, quando não
explorados diretamente pelo autor ou criador do bem ou da obra, será
tributada como pessoa física.

Questão 240
As imunidades, isenções e não incidências eximem as pessoas jurídicas das
demais obrigações previstas no Regulamento do Imposto de Renda,
especialmente as relativas à retenção e recolhimento de impostos sobre
rendimentos pagos ou creditados e à prestação de informações.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 97 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 241
A imunidade, isenção ou não incidência concedida às pessoas jurídicas
aproveita aos que delas percebam rendimentos sob qualquer título e forma.

Questão 242
Não estão sujeitos ao imposto de renda os templos de qualquer culto.

Questão 243
Estão sujeitos ao imposto os partidos políticos, inclusive suas fundações, e as
entidades sindicais dos trabalhadores, sem fins lucrativos, se distribuírem
qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas, a título de lucro ou
de participação no resultado.

Questão 244
A imunidade dos partidos políticos exclui a atribuição, por lei, da condição de
responsáveis pelo imposto que lhes caiba reter na fonte e não as dispensa da
prática de atos, previstos em lei, assecuratórios do cumprimento de
obrigações tributárias por terceiros.

Questão 245
Na falta de cumprimento das exigências para o gozo da imunidade pelos
partidos políticos, a autoridade competente poderá suspender o benefício.

Questão 246
Não estão sujeitas ao imposto de renda as instituições de educação e as de
assistência social, sem fins lucrativos.

Questão 247
Considera-se imune a instituição de educação ou de assistência social que
preste os serviços para os quais houver sido instituída e os coloque à
disposição da população em geral, em caráter complementar às atividades
do Estado, com fins lucrativos ou não.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 98 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 248
Considera-se entidade sem fins lucrativos a que não apresente superávit em
suas contas ou, caso o apresente em determinado exercício, destine o
resultado, integralmente, ao pagamento de diretores e ao desenvolvimento
dos seus objetivos sociais.

Questão 249
Para o gozo da imunidade, as instituições de educação e assistência social
estão impedidas de remunerar, por qualquer forma, seus dirigentes pelos
serviços prestados.

Questão 250
Ainda que não mantenham escrituração completa de suas receitas e
despesas em livros revestidos das formalidades que assegurem a respectiva
exatidão, poderão as entidades de educação e assistência fazer jus à
imunidade do imposto de renda.

Questão 251
As entidades imunes, embora sujeitas a outras obrigações acessórias, estão
dispensadas de apresentar, anualmente, Declaração de Rendimentos.

Questão 252
Apesar de imunes, as entidades de educação e assistência deverão recolher
os tributos retidos sobre os rendimentos por elas pagos ou creditados e a
contribuição para a seguridade social relativa aos empregados, bem assim
cumprir as obrigações acessórias daí decorrentes.

Questão 253
A imunidade das entidades sem fins lucrativos é restrita aos resultados
relacionados com as finalidades essenciais das entidades.

Questão 254
Não estão abrangidos pela imunidade os rendimentos e ganhos de capital
auferidos em aplicações financeiras de renda fixa ou de renda variável pelas
instituições de educação ou de assistência social.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 99 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 255
Gozam de imunidade as autarquias e as fundações instituídas e mantidas
pelo Poder Público, no que se refere ao patrimônio, à renda e aos serviços,
vinculados à suas finalidades essenciais ou às dela decorrentes, não se
aplicando ao patrimônio, à renda e aos serviços relacionados com exploração
de atividades econômicas regidas pelas normas aplicáveis a
empreendimentos privados, em que haja contraprestação ou pagamento de
preços ou tarifas pelo usuário.

Questão 256
Constatado que entidade beneficiária de imunidade de tributos federais de
que trata a alínea "c" do inciso VI do art. 150 da Constituição não está
observando requisito ou condição previstos no arts. 169 e 170, a fiscalização
tributária expedirá notificação fiscal, na qual relatará os fatos que
determinam a suspensão do benefício, indicando, inclusive, a data da
ocorrência da infração.

Questão 257
A entidade que tiver suspensa a imunidade poderá, no prazo de sessenta dias
da ciência da notificação, apresentar as alegações e provas que entender
necessárias.

Questão 258
O Auditor Fiscal da Receita Federal decidirá sobre a procedência das
alegações, expedindo o Despacho Decisório, no caso de improcedência,
dando, de sua decisão, ciência à entidade.

Questão 259
A suspensão da imunidade terá como termo inicial a data da do ato
declaratório.

Questão 260
Efetivada a suspensão da imunidade a entidade interessada poderá, no prazo
de trinta dias da ciência, apresentar impugnação ao ato declaratório, a qual
será objeto de decisão pela Delegacia da Receita Federal de Julgamento
competente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 100 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 261
A impugnação relativa à suspensão da imunidade obedecerá às demais
normas reguladoras do processo administrativo fiscal.

Questão 262
A impugnação e o recurso apresentados pela entidade, em relação à
suspensão de imunidade, têm efeito suspensivo em relação ao ato
declaratório contestado.

Questão 263
Caso seja lavrado auto de infração, as impugnações contra o ato declaratório
e contra a exigência de crédito tributário serão segregadas, de modo a serem
decididas isoladamente.

Questão 264
Sem prejuízo das demais penalidades previstas na lei, a Secretaria da Receita
Federal suspenderá o gozo da imunidade relativamente aos anos-calendário
em que a pessoa jurídica houver praticado ou, por qualquer forma, houver
contribuído para a prática de ato que constitua infração a dispositivo da
legislação tributária, especialmente no caso de informar ou declarar
falsamente, omitir ou simular o recebimento de doações em bens ou em
dinheiro, ou de qualquer forma cooperar para que terceiro sonegue tributos
ou pratique ilícitos fiscais.

Questão 265
Considera-se infração a dispositivo da legislação tributária o pagamento, pela
instituição imune, em favor de seus associados ou dirigentes, ou, ainda, em
favor de sócios, acionistas ou dirigentes de pessoa jurídica a ela associada por
qualquer forma, de despesas consideradas indedutíveis na determinação da
base de cálculo do imposto.

Questão 266
Estão isentas do imposto as instituições de caráter filantrópico, recreativo,
cultural e científico e as associações civis que prestem os serviços para os
quais houverem sido instituídas e os coloquem à disposição do grupo de
pessoas a que se destinam, sem fins lucrativos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 101 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 267
A transferência de bens e direitos do patrimônio das entidades isentas para
o patrimônio de outra pessoa jurídica, em virtude de incorporação, fusão ou
cisão, deverá ser efetuada pelo valor de mercado.

Questão 268
Estão isentas do imposto as entidades de previdência privada fechadas e as
sem fins lucrativos, inclusive quanto ao imposto incidente na fonte sobre
dividendos, juros e demais ganhos de capital.

Questão 269
A isenção concedida às entidades de previdência privada fechadas e as sem
fins lucrativos não impede a remuneração de seus diretores e membros de
conselhos consultivos, deliberativos, fiscais ou assemelhados, desde que o
resultado do exercício, satisfeitas todas as condições legais e regulamentares
no que se refere aos benefícios, seja destinado à constituição de uma reserva
de contingência de benefícios e, se ainda houver sobra, a programas culturais
e de assistência aos participantes, aprovados pelo órgão normativo do
Sistema Nacional de Seguros Privados.

Questão 270
Estão isentas do imposto as companhias estrangeiras de navegação marítima
e aérea se, no país de sua nacionalidade, as companhias brasileiras de igual
objetivo gozarem da mesma prerrogativa.

Questão 271
Estão isentas do imposto as Associações de Poupança e Empréstimo,
devidamente autorizadas pelo órgão competente, constituídas sob a forma
de sociedade civil, tendo por objetivo propiciar ou facilitar a aquisição de casa
própria aos associados, captar, incentivar e disseminar a poupança, que
atendam às normas estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional.

Questão 272
As sociedades de investimento a que se refere o art. 49 da Lei nº 4.728, de 14
de julho de 1965, de cujo capital social participem pessoas físicas ou jurídicas,
residentes ou domiciliadas no exterior, farão jus à isenção do imposto,
independentemente do cumprimento de exigências.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 102 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 273
As isenções do IRPJ, em regra, dependem de prévio reconhecimento.

Questão 274
A isenção conferida às empresas estrangeiras de navegação marítima e aérea
será reconhecida pela Secretaria da Receita Federal e alcançará os
rendimentos obtidos a partir da existência da reciprocidade de tratamento,
podendo originar direito à restituição de receita.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 275


As sociedades cooperativas que obedecerem ao disposto na legislação
específica não terão incidência do imposto sobre suas atividades econômicas,
de proveito comum, sem objetivo de lucro.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 276


É vedado às cooperativas distribuírem qualquer espécie de benefício às
quotas-partes do capital ou estabelecer outras vantagens ou privilégios,
financeiros ou não, em favor de quaisquer associados ou terceiros,
excetuados os juros até o máximo de quinze por cento ao ano atribuídos ao
capital integralizado.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 277


As sociedades cooperativas que obedecerem ao disposto na legislação
específica pagarão o imposto calculado sobre os resultados positivos das
operações e atividades estranhas à sua finalidade.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 278


Incide o IRPJ sobre as atividades de comercialização ou industrialização, pelas
cooperativas agropecuárias ou de pesca, de produtos adquiridos de não
associados, agricultores, pecuaristas ou pescadores, para completar lotes
destinados ao cumprimento de contratos ou para suprir capacidade ociosa
de suas instalações industriais.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 279


É isento do imposto de renda o resultado positivo apurado pelas cooperativas
no de fornecimento de bens ou serviços a não associados, para atender aos
objetivos sociais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 103 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 280


É isento do imposto de renda o resultado positivo apurado pelas cooperativas
na participação em sociedades não cooperativas, públicas ou privadas, para
atendimento de objetivos acessórios ou complementares.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 281


As sociedades cooperativas de consumo, que tenham por objeto a compra e
fornecimento de bens aos consumidores, sujeitam-se às mesmas normas de
incidência dos impostos e contribuições de competência da União, aplicáveis
às demais pessoas jurídicas.

Questão 282
Respondem pelo imposto devido pelas pessoas jurídicas transformadas,
extintas ou cindidas os sócios, com poderes de administração, da pessoa
jurídica que deixar de funcionar sem proceder à liquidação, ou sem
apresentar a declaração de rendimentos no encerramento da liquidação.

Questão 283
São subsidiariamente responsáveis pelos créditos correspondentes a
obrigações tributárias resultantes de atos praticados com excesso de
poderes ou infração de lei, contrato social ou estatutos, os sócios, no caso de
liquidação de sociedade de pessoas.

Questão 284
A pessoa física ou jurídica que adquirir de outra, por qualquer título, fundo
de comércio ou estabelecimento comercial, industrial ou profissional, e
continuar a respectiva exploração, sob a mesma ou outra razão social ou sob
firma ou nome individual, responde pelo imposto, relativo ao fundo ou
estabelecimento adquirido, devido até a data do ato solidariamente, se o
alienante cessar a exploração do comércio, indústria ou atividade.

Questão 285
O domicílio fiscal da pessoa jurídica é, quando existir um único
estabelecimento, o lugar da situação deste.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 104 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 286
Quando se verificar pluralidade de estabelecimentos, o domicílio da pessoa
jurídica será sempre o lugar onde se achar o estabelecimento centralizador
das suas operações ou a sede da empresa dentro do País.

Questão 287
Em relação às obrigações em que incorra como fonte pagadora, o lugar do
estabelecimento que pagar, creditar, entregar, remeter ou empregar
rendimento sujeito ao imposto no regime de tributação na fonte, será
considerado o domicílio do sujeito passivo.

Questão 288
Quando o contribuinte transferir, de um município para outro ou de um para
outro ponto do mesmo município, a sede de seu estabelecimento, fica
obrigado a comunicar essa mudança às repartições competentes dentro do
prazo de dez dias.

Questão 289
As comunicações de transferência de domicílio poderão ser entregues em
mãos ou remetidas em carta registrada pelo correio.

Questão 290
O imposto de renda das pessoas jurídicas, inclusive das equiparadas, das
sociedades civis em geral e das sociedades cooperativas em relação aos
resultados obtidos nas operações ou atividades estranhas à sua finalidade,
será devido à medida em que os rendimentos, ganhos e lucros forem sendo
auferidos.

Questão 291
A base de cálculo do imposto, determinada segundo a lei vigente na data de
ocorrência do fato gerador, é o lucro real, presumido ou arbitrado,
correspondente ao período de apuração.

Questão 292
Integram a base de cálculo todos os ganhos e rendimentos de capital,
qualquer que seja a denominação que lhes seja dada, independentemente
da natureza, da espécie ou da existência de título ou contrato escrito,
bastando que decorram de ato ou negócio que, pela sua finalidade, tenha os
mesmos efeitos do previsto na norma específica de incidência do imposto.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 105 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 293
Nos casos de incorporação, fusão ou cisão, a apuração da base de cálculo e
do imposto devido será efetuada em até dez dias da data do evento.

Questão 294
Na extinção da pessoa jurídica, pelo encerramento da liquidação, a apuração
da base de cálculo e do imposto devido será efetuada no décimo dia do mês
subsequente ao evento.

Questão 295
A pessoa jurídica que optar pelo pagamento anual do imposto deverá apurar
o lucro real em 31 de dezembro de cada ano.

Questão 296
A pessoa jurídica sujeita à tributação com base no lucro real poderá optar
pelo pagamento do imposto e adicional, em cada mês, determinados sobre
base de cálculo estimada.

Questão 297
O contribuinte tributado pelo lucro real efetuará a opção pela periodicidade
da apuração em 31 de dezembro do respectivo ano.

Questão 298
Na apuração anual do imposto de renda com base no lucro real, a empresa
deverá apurar a base de cálculo mensal das estimativas, que é idêntica à
apuração do lucro presumido.

Questão 299
Em regra, a base de cálculo do imposto, em cada mês, será determinada
mediante a aplicação do percentual de oito por cento sobre a receita bruta
auferida mensalmente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 106 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 300
O percentual será de presunção para a base de cálculo mensal do imposto
será de 16% para as pessoas jurídicas cujas atividades sejam de bancos
comerciais, bancos de investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas
econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento,
sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras de títulos, valores
mobiliários e câmbio, distribuidoras de títulos e valores mobiliários,
empresas de arrendamento mercantil, cooperativas de crédito, empresas de
seguros privados e de capitalização e entidades de previdência privada
aberta.

Questão 301
O percentual de presunção para a base de cálculo mensal do imposto será
de 16% para as pessoas jurídicas cujas atividades sejam de prestação
cumulativa e contínua de serviços de assessoria creditícia, mercadológica,
gestão e crédito, seleção de riscos, administração de contas a pagar e a
receber, compra de direitos creditórios resultantes de vendas mercantis a
prazo ou de prestação de serviços (factoring).

Questão 302
Em regra, a base de cálculo mensal do imposto das pessoas jurídicas
prestadoras de serviços em geral, cuja receita bruta anual seja de até cento e
vinte mil reais, será determinada mediante aplicação do percentual de
dezesseis por cento sobre a receita bruta auferida mensalmente.

Questão 303
As pessoas jurídicas que prestam serviços hospitalares e de transporte que
auferirem receita bruta anual de até R$120.000, deverão apurar a base de
cálculo mensal do imposto mediante a aplicação do percentual de dezesseis
por cento.

Questão 304
As receitas provenientes de atividade incentivada não comporão a base de
cálculo do imposto, na proporção do benefício a que a pessoa jurídica,
submetida ao regime de tributação com base no lucro real, fizer jus.

Questão 305
A receita bruta das vendas e serviços compreende o produto da venda de
bens nas operações de conta própria, o preço dos serviços prestados e o
resultado auferido nas operações de conta alheia.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 107 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 306
Os ganhos de capital, demais receitas e os resultados positivos decorrentes
de receitas não operacionais, serão acrescidos à base de cálculo mensal do
imposto.

Questão 307
O ganho de capital, nas alienações de bens do ativo permanente e de
aplicações em ouro não tributadas como renda variável, corresponderá à
diferença positiva verificada entre o valor da alienação e o respectivo valor
contábil.

Questão 308
As pessoas jurídicas que explorem atividades imobiliárias relativas a
loteamento de terrenos, incorporação imobiliária, construção de prédios
destinados a venda, bem como a venda de imóveis construídos ou adquiridos
para revenda, deverão considerar como receita bruta o montante recebido,
relativo às unidades imobiliárias vendidas, exceto nos casos de empreitada
ou fornecimento contratado com pessoa jurídica de direito público ou
empresa sob seu controle, empresa pública, sociedade de economia mista ou
sua subsidiária.

Questão 309
O imposto a ser pago mensalmente será determinado mediante a aplicação,
sobre a base de cálculo, da alíquota de dez por cento.

Questão 310
A parcela da base de cálculo, apurada mensalmente, que exceder a sessenta
mil reais ficará sujeita à incidência de adicional do imposto à alíquota de
quinze por cento.

Questão 311
Para efeito de pagamento da estimativa mensal, a pessoa jurídica poderá
deduzir do imposto apurado no mês, o imposto pago ou retido na fonte sobre
as receitas que integraram a base de cálculo, bem como os incentivos de
dedução do imposto relativos ao Programa de Alimentação do Trabalhador,
doações aos Fundos da Criança e do Adolescente, Atividades Culturais ou
Artísticas, Atividade Audiovisual, e Vale-Transporte, este último até 31 de
dezembro de 1997, observados os limites e prazos previstos para estes
incentivos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 108 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 312
No caso em que o imposto retido na fonte seja superior ao devido na
estimativa mensal, a diferença poderá ser compensada com o imposto
mensal a pagar relativo aos meses subsequentes.

Questão 313
A pessoa jurídica poderá suspender ou reduzir o pagamento do imposto
devido em cada mês, desde que demonstre, através de balanços ou
balancetes mensais, que o valor acumulado já pago excede o valor do
imposto, exceto o adicional, calculado com base no lucro real do período em
curso.

Questão 314
Os balanços ou balancetes de suspensão ou redução deverão ser levantados
com observância das leis comerciais e fiscais e transcritos no Livro Diário.

Questão 315
Os balanços ou balancetes de suspensão ou somente produzirão efeitos para
determinação da parcela do imposto devido no decorrer do ano-calendário.

Questão 316
Estão dispensadas do pagamento mensal as pessoas jurídicas que, através
de balanços ou balancetes mensais, demonstrem a existência de prejuízos
fiscais apurados no exercício anterior.

Questão 317
O pagamento mensal, relativo ao mês de janeiro do ano-calendário, poderá
ser efetuado com base em balanço ou balancete mensal, desde que fique
demonstrado que o imposto devido no período é inferior ao calculado.

Questão 318
Em regra, o imposto de renda das pessoas jurídicas será determinado com
base no lucro real, presumido ou arbitrado, por períodos de apuração
trimestrais, encerrados nos dias 31 de março, 30 de junho, 30 de setembro e
31 de dezembro de cada ano-calendário.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 109 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 319
A pessoa jurídica tributada pelo lucro real que optar pela apuração anual do
imposto poderá alterar essa opção ao longo do ano-calendário.

Questão 320
O período de apuração da primeira incidência do imposto após a constituição
da pessoa jurídica compreenderá o prazo desde o início do funcionamento
até o último dia do respectivo trimestre.

Questão 321
No ano de sua constituição, a pessoa jurídica sujeita à tributação com base
no lucro real poderá optar pelo pagamento do imposto em cada mês, desde
o início do negócio, determinado sobre a base de cálculo estimada, apurando
o lucro real em 31 de dezembro.

Questão 322
Nos casos de transformação e de continuação da atividade explorada pela
sociedade ou firma extinta, por qualquer sócio remanescente ou pelo espólio,
sob a mesma ou nova razão social, ou firma individual, o imposto continuará
a ser pago como se não houvesse alteração das firmas ou sociedades.

Questão 323
A pessoa jurídica que tiver parte ou todo o seu patrimônio absorvido em
virtude de incorporação, fusão ou cisão deverá levantar balanço específico na
data desse evento.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 324


As receitas auferidas nas operações efetuadas com pessoa vinculada (art.
244) ficam sujeitas a arbitramento quando o preço médio de venda dos bens,
serviços ou direitos, nas exportações efetuadas durante o respectivo período
de apuração da base de cálculo do imposto, for superior a noventa por cento
do preço médio praticado na venda dos mesmos bens, serviços ou direitos,
no mercado brasileiro, durante o mesmo período, em condições de
pagamento semelhantes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 110 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 325


Para efeito de determinação do preço de transferência, caso a pessoa jurídica
não efetue operações de venda no mercado interno, a determinação dos
preços médios será efetuada com dados de outras empresas que pratiquem
a venda de bens, serviços ou direitos, idênticos ou similares, no mercado
brasileiro.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 326


Nas operações efetuadas com pessoa vinculada, verificado que o preço de
venda nas exportações é inferior ao limite estabelecido, as receitas das
vendas nas exportações serão determinadas tomando-se por base o valor
apurado segundo os métodos previstos no RIR.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 327


Os custos, despesas e encargos relativos a bens, serviços e direitos,
constantes dos documentos de importação ou de aquisição, nas operações
efetuadas com pessoa vinculada, serão totalmente dedutíveis na
determinação do lucro real.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 328


Os juros pagos ou creditados a pessoa vinculada, quando decorrentes de
contrato não registrado no Banco Central do Brasil, somente serão dedutíveis
para fins de determinação do lucro real até o montante que não exceda ao
valor calculado com base na taxa Libor, para depósitos em dólares dos
Estados Unidos da América pelo prazo de seis meses, acrescida de três por
cento anuais a título de spread, proporcionalizados em função do período a
que se referirem os juros.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 329


Para efeito de aplicação das regras do preço de transferência, considera-se
pessoa vinculada a pessoa física ou jurídica, residente ou domiciliada no
exterior, em relação à qual a pessoa jurídica domiciliada no Brasil goze de
exclusividade, como agente, distribuidora ou concessionária, para a compra
e venda de bens, serviços ou direitos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 111 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 330


Para efeito de aplicação das regras do preço de transferência, está excluída
do conceito de pessoa vinculada a pessoa física ou jurídica, residente ou
domiciliada no exterior, que seja sua associada, na forma de consórcio ou
condomínio, conforme definido na legislação brasileira, em qualquer
empreendimento.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 331


As disposições relativas a preços, custos e taxas de juros, no que diz respeito
às operações com pessoas vinculadas, aplicam-se, também, às operações
efetuadas por pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no Brasil,
com qualquer pessoa física ou jurídica, ainda que não vinculada, residente ou
domiciliada em país que não tribute a renda ou que a tribute à alíquota
máxima inferior a vinte por cento.

Questão 332
Lucro real é o lucro líquido do período de apuração ajustado pelas adições,
exclusões ou compensações prescritas ou autorizadas pelo Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 333
A determinação do lucro real será precedida da apuração do lucro líquido de
cada período de apuração com observância das disposições das leis
comerciais.

Questão 334
O lucro líquido do período de apuração é a soma algébrica do lucro
operacional, dos resultados não operacionais, e das participações, e deverá
ser determinado com observância dos preceitos da lei comercial.

Questão 335
A legislação do imposto de renda considera exclusão os resultados,
rendimentos, receitas e quaisquer outros valores não incluídos na apuração
do lucro líquido.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 112 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 336
São adições os custos, despesas, encargos, perdas, provisões, participações e
quaisquer outros valores deduzidos na apuração do lucro líquido que, de
acordo com o Regulamento do Imposto de Renda, não sejam dedutíveis na
determinação do lucro real.

Questão 337
Representam adições os encargos de depreciação, apropriados
contabilmente, correspondentes ao bem já integralmente depreciado em
virtude de gozo de incentivos fiscais.

Questão 338
As perdas incorridas em operações iniciadas e encerradas no mesmo dia
(day-trade), realizadas em mercado de renda fixa ou variável são exclusões
do lucro para determinação do lucro real.

Questão 339
Na determinação do lucro real, poderão ser excluídos do lucro líquido do
período de apuração os valores cuja dedução seja autorizada pelo
Regulamento do Imposto de Renda e que não tenham sido computados na
apuração do lucro líquido do período de apuração.

Questão 340
Os resultados, rendimentos, receitas e quaisquer outros valores incluídos na
apuração do lucro líquido que, de acordo com este o regulamento do
imposto, não sejam computados no lucro real, poderão ser adicionados ao
lucro real.

Questão 341
Poderá ser compensado o prejuízo fiscal apurado em períodos de apuração
anteriores, limitado a vinte por cento do lucro líquido ajustado pelas adições
e exclusões previstas no Regulamento do Imposto de Renda, desde que a
pessoa jurídica mantenha os livros e documentos, exigidos pela legislação
fiscal, comprobatórios do prejuízo fiscal utilizado para compensação.

Questão 342
A pessoa jurídica sujeita à tributação com base no lucro real deve manter
escrituração com observância das leis comerciais e fiscais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 113 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 343
A escrituração deverá abranger todas as operações do contribuinte, os
resultados apurados em suas atividades no território nacional, sendo
dispensados os lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no
exterior.

Questão 344
É facultado às pessoas jurídicas que possuírem filiais, sucursais ou agências
manter contabilidade não centralizada, devendo incorporar ao final de cada
mês, na escrituração da matriz, os resultados de cada uma delas.

Questão 345
A escrituração das operações de sociedade em conta de participação poderá,
à opção do sócio ostensivo, ser efetuada nos livros deste ou em livros
próprios.

Questão 346
A falsificação, material ou ideológica, da escrituração e seus comprovantes,
ou de demonstração financeira, que tenha por objeto eliminar ou reduzir o
montante de imposto devido, ou diferir seu pagamento, submeterá o sujeito
passivo a multa, a depender da ação penal que couber.

Questão 347
A pessoa jurídica é obrigada a seguir ordem uniforme de escrituração,
mecanizada ou não, utilizando os livros e papéis adequados, cujo número e
espécie ficam a seu critério.

Questão 348
Sem prejuízo de exigências especiais da lei, é obrigatório o uso de Livro Diário,
encadernado com folhas numeradas seguidamente, em que serão lançados,
dia a dia, diretamente ou por reprodução, os atos ou operações da atividade,
ou que modifiquem ou possam vir a modificar a situação patrimonial da
pessoa jurídica.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 114 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 349
A pessoa jurídica tributada pelo lucro real está dispensada da escrituração do
Livro Razão.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 350


A pessoa jurídica tributada pelo lucro real, além dos livros de contabilidade
previstos em leis e regulamentos, deverá possuir o Livro de Apuração do
Lucro Real – LALUR.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 351


Mesmo tributada pelo lucro real, o registro de inventário é opcional.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 352


A pessoa jurídica, além dos livros de contabilidade previstos em leis e
regulamentos, deverá possuir o livro para registro permanente de estoque,
para as pessoas jurídicas que exercerem atividades de compra, venda,
incorporação e construção de imóveis, loteamento ou desmembramento de
terrenos para venda.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 353


No Livro de Inventário deverão ser arrolados, com especificações que
facilitem sua identificação, as mercadorias, os produtos manufaturados, as
matérias-primas, os produtos em fabricação e os bens em almoxarifado
existentes na data do balanço patrimonial levantado ao fim da cada período
de apuração.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 354


No LALUR a pessoa jurídica deverá manter os registros de controle dos
valores excedentes a serem utilizados no cálculo das deduções nos períodos
de apuração subsequentes, dos dispêndios com programa de alimentação ao
trabalhador, vale-transporte e outros previstos no Regulamento do Imposto
de Renda.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 355


O LALUR não poderá ser escriturado mediante a utilização de sistema
eletrônico de processamento de dados, devendo ser observadas as normas
baixadas pela Secretaria da Receita Federal.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 115 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 356
A pessoa jurídica é obrigada a conservar em ordem, pelo prazo de cinco anos,
os livros, documentos e papéis relativos a sua atividade, ou que se refiram a
atos ou operações que modifiquem ou possam vir a modificar sua situação
patrimonial.

Questão 357
Ocorrendo extravio, deterioração ou destruição de livros, fichas, documentos
ou papéis de interesse da escrituração, a pessoa jurídica fará publicar, em
jornal de grande circulação do local de seu estabelecimento, aviso
concernente ao fato e deste dará minuciosa informação, dentro de quarenta
e oito horas, ao órgão competente do Registro do Comércio, remetendo cópia
da comunicação ao órgão da Secretaria da Receita Federal de sua jurisdição.

Questão 358
Os comprovantes da escrituração da pessoa jurídica, relativos a fatos que
repercutam em lançamentos contábeis de exercícios futuros, serão
conservados até que se opere a decadência do direito de a Fazenda Pública
constituir os créditos tributários relativos a esses exercícios.

Questão 359
O contribuinte deverá elaborar demonstração do lucro real, discriminando o
lucro líquido do período de apuração, os lançamentos de ajuste do lucro
líquido, com a indicação, quando for o caso, dos registros correspondentes
na escrituração comercial ou fiscal e o lucro real.

Questão 360
A demonstração do lucro real deverá ser transcrita no LALUR.

Questão 361
A determinação do lucro real pelo contribuinte está sujeita à verificação pela
autoridade tributária, com base no exame de livros e documentos de sua
escrituração, excluídos aqueles efetuados na escrituração de outros
contribuintes, em informação ou esclarecimentos do contribuinte ou de
terceiros, ou em qualquer outro elemento de prova.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 116 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 362
Será classificado como lucro bruto o resultado das atividades, principais ou
acessórias, que constituam objeto da pessoa jurídica.

Questão 363
O lucro operacional corresponde à diferença entre a receita líquida das
vendas e serviços e o custo dos bens e serviços vendidos.

Questão 364
A receita bruta das vendas e serviços compreende o produto da venda de
bens nas operações de conta própria, o preço dos serviços prestados e o
resultado auferido nas operações de conta alheia.

Questão 365
Na receita bruta se incluem também os impostos não cumulativos cobrados,
destacadamente, do comprador ou contratante, dos quais o vendedor dos
bens ou o prestador dos serviços seja mero depositário.

Questão 366
A receita líquida de vendas e serviços será a receita bruta diminuída das
vendas canceladas, dos descontos concedidos incondicionalmente e dos
impostos incidentes sobre vendas.

Questão 367
Caracterizada a omissão de receita, caberá à Fazenda Pública a prova da
procedência da presunção.

Questão 368
Presume-se a omissão de receita quando houver a indicação na escrituração
de saldo credor de caixa, a falta de escrituração de pagamentos efetuados ou
a manutenção no passivo de obrigações já pagas ou cuja exigibilidade não
seja comprovada.

Questão 369
Na omissão de receita, por indícios na escrituração do contribuinte ou
qualquer outro elemento de prova, não caberá arbitramento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 117 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 370
Caracteriza omissão de receita ou de rendimentos, inclusive ganhos de
capital, a falta de emissão de nota fiscal, recibo ou documento equivalente,
no momento da efetivação das operações de venda de mercadorias,
prestação de serviços, operações de alienação de bens móveis, locação de
bens móveis e imóveis ou quaisquer outras transações realizadas com bens
ou serviços, bem como a sua emissão com valor inferior ao da operação.

Questão 371
Verificada por indícios a omissão de receita, a autoridade tributária poderá,
para efeito de determinação da base de cálculo sujeita à incidência do
imposto, arbitrar a receita do contribuinte, tomando por base as receitas,
apuradas em procedimento fiscal, correspondentes ao movimento diário das
vendas, da prestação de serviços e de quaisquer outras operações.

Questão 372
Verificada a omissão de receita, a autoridade determinará o valor do imposto
e do adicional a serem lançados de acordo, situação em que irá determinar o
regime de tributação a que se submeterá a pessoa jurídica.

Questão 373
O custo das mercadorias revendidas e das matérias-primas utilizadas será
determinado com base em registro permanente de estoques ou no valor dos
estoques existentes, de acordo com o Livro de Inventário, no fim do período
de apuração.

Questão 374
Ao final de cada mês, a pessoa jurídica deverá promover o levantamento e
avaliação dos seus estoques.

Questão 375
As mercadorias, as matérias-primas e os bens em almoxarifado serão
avaliados pelo custo de aquisição.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 118 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 376
Os produtos em fabricação e acabados serão avaliados pelo custo de
produção.

Questão 377
O contribuinte que mantiver sistema de contabilidade de custo integrado e
coordenado com o restante da escrituração poderá utilizar os custos
apurados para avaliação dos estoques de produtos em fabricação e
acabados.

Questão 378
Poderá ser computada, como custo ou encargo, em cada período de
apuração, a importância correspondente à diminuição do valor dos bens do
ativo resultante do desgaste pelo uso, ação da natureza e obsolescência
normal.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 379


Serão avaliados pelo valor de patrimônio líquido os investimentos relevantes
ou não da pessoa jurídica em quaisquer sociedades controladas ou coligadas.

Questão 380
Os lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior serão
computados na determinação do lucro real das pessoas jurídicas
correspondente ao balanço levantado em 31 de dezembro de cada ano.

Questão 381
Serão classificados como ganhos ou perdas de capital, e computados na
determinação do lucro real, os resultados na alienação, na desapropriação,
na baixa por perecimento, extinção, desgaste, obsolescência ou exaustão, ou
na liquidação de bens do ativo permanente.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 382


Serão excluídas do lucro líquido do período de apuração, para efeito de
determinar o lucro real, as participações nos lucros da pessoa jurídica
atribuídas a partes beneficiárias de sua emissão e a seus administradores.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 119 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 383
A pessoa jurídica cuja receita bruta total, no ano-calendário anterior, tenha
sido igual ou inferior a trinta e seis milhões de reais, ou a dois milhões de
reais multiplicado pelo número de meses de atividade no ano-calendário
anterior, quando inferior a doze meses, poderá optar pelo regime de
tributação com base no lucro presumido.

Questão 384
A opção pela tributação com base no lucro presumido poderá ser alterada, a
critério do sujeito passivo.

Questão 385
A pessoa jurídica que não esteja obrigada à tributação pelo lucro real (art.
246), poderá optar pela tributação com base no lucro presumido.

Questão 386
O lucro presumido será apurado mensalmente.

Questão 387
A opção pelo lucro presumido será manifestada com o pagamento da
primeira ou única quota do imposto devido correspondente ao primeiro
período de apuração de cada ano-calendário.

Questão 388
A base de cálculo trimestral para lucro presumido das pessoas jurídicas
prestadoras de serviços em geral cuja receita bruta anual seja de até cento e
vinte mil reais, será determinada mediante a aplicação do percentual de
dezesseis por cento sobre a receita bruta auferida no período de apuração.

Questão 389
Os ganhos de capital, os rendimentos e ganhos líquidos auferidos em
aplicações financeiras, as demais receitas e os resultados positivos serão
acrescidos à base de cálculo apurada com base no lucro presumido, para
efeito de incidência do imposto e do adicional.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 120 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 390
Na apuração de ganho de capital, tratando-se lucro presumido, os valores
acrescidos em virtude de reavaliação somente poderão ser computados
como parte integrante dos custos de aquisição dos bens e direitos se a
empresa comprovar que os valores acrescidos foram computados na
determinação da base de cálculo do imposto.

Questão 391
Para efeito de pagamento do imposto com base no lucro presumido, a pessoa
jurídica poderá deduzir do imposto devido no período de apuração, o
imposto pago ou retido na fonte sobre as receitas que integraram a base de
cálculo, vedada qualquer dedução a título de incentivo fiscal.

Questão 392
A pessoa jurídica habilitada à opção pelo regime de tributação com base no
lucro presumido deverá manter escrituração contábil nos termos da
legislação comercial.

Questão 393
As pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido estão
dispensadas do Livro de Registro de Inventário.

Questão 394
No caso de pessoa jurídica com atividades diversificadas tributadas com base
no lucro presumido, não sendo possível a identificação da atividade a que se
refere a receita omitida, esta será adicionada àquela que corresponder o
percentual mais elevado.

Questão 395
O imposto, devido trimestralmente, no decorrer do ano-calendário, será
determinado com base nos critérios do lucro arbitrado, quando o
contribuinte, obrigado à tributação com base no lucro real, não mantiver
escrituração na forma das leis comerciais e fiscais, ou deixar de elaborar as
demonstrações financeiras exigidas pela legislação fiscal.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 121 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 396
O contribuinte optar indevidamente pela tributação com base no lucro
presumido será tributado com base no lucro real.

Questão 397
Quando conhecida a receita bruta, o contribuinte poderá efetuar o
pagamento do imposto correspondente com base no lucro arbitrado,
observadas as regras do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 398
A apuração com base no lucro arbitrado abrangerá todo o ano-calendário,
assegurada, ainda, a tributação com base no lucro real relativa aos trimestres
não submetidos ao arbitramento, se a pessoa jurídica dispuser de
escrituração exigida pela legislação comercial e fiscal que demonstre o lucro
real dos períodos não abrangidos por aquela modalidade de tributação.

Questão 399
O lucro arbitrado, quando não conhecida a receita bruta, será determinado
através de procedimento de ofício.

Questão 400
O arbitramento do lucro exclui a aplicação das penalidades cabíveis

Questão 401
A pessoa jurídica, seja comercial ou civil o seu objeto, pagará o imposto à
alíquota de quinze por cento sobre o lucro real, presumido ou arbitrado.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 402


Estão sujeitos à incidência do imposto na fonte os rendimentos pagos aos
titulares, sócios, dirigentes, administradores e conselheiros de pessoas
jurídicas, a título de remuneração mensal por prestação de serviços, de
gratificação ou participação no resultado.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 122 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 403
Estão sujeitos à incidência do imposto na fonte à alíquota de um por cento os
rendimentos pagos ou creditados por pessoas jurídicas a outras pessoas
jurídicas civis ou mercantis pela prestação de serviços de limpeza,
conservação, segurança, vigilância e por locação de mão-de-obra.

Questão 404
Os pagamentos efetuados por órgãos, autarquias e fundações da
administração pública federal a pessoas jurídicas, pelo fornecimento de bens
ou prestação de serviços, estão sujeitos à incidência do imposto na fonte, sem
prejuízo da retenção relativa às contribuições.

Questão 405
Estão compreendidos na incidência do imposto todos os ganhos e
rendimentos de capital, qualquer que seja a denominação que lhes seja dada,
independentemente da natureza, da espécie ou da existência de título ou
contrato escrito, bastando que decorram de ato ou negócio que, pela sua
finalidade, tenha os mesmos efeitos do previsto na norma específica de
incidência do imposto.

Questão 406
A pessoa jurídica que colocar no mercado ou alienar títulos de renda fixa está
dispensada de fornecer ao adquirente nota de negociação.

Questão 407
Está sujeito ao imposto, à alíquota de vinte por cento, o rendimento
produzido, a partir de 1º de janeiro de 1998, por aplicação financeira de renda
fixa, auferido por qualquer beneficiário, inclusive pessoa jurídica imune ou
isenta.

Questão 408
No caso de aplicações financeiras, é responsável pela retenção do imposto a
pessoa jurídica que efetuar o pagamento dos rendimentos.

Questão 409
Uma vez efetuada a retenção do imposto de renda, no caso de aplicações
financeiras, a fonte pagadora estará dispensada de fornecer aos beneficiários
comprovante dos rendimentos pagos e do imposto retido na fonte.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 123 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 410
Os ganhos líquidos auferidos por qualquer beneficiário, inclusive pessoa
jurídica isenta, em operações realizadas nas bolsas de valores, de
mercadorias, de futuros e assemelhadas, serão tributados à alíquota de dez
por cento.

Questão 411
O ouro, quando apresentar percentual de pureza acima de oitenta por cento,
quando destinado ao mercado financeiro ou à execução da política cambial
do País, em operações realizadas com a interveniência de instituições
integrantes do Sistema Financeiro Nacional, na forma e condições
autorizadas pelo Banco Central do Brasil, será, desde a extração, inclusive,
considerado ativo financeiro ou instrumento cambial.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 412


Em regra, os lucros e dividendos recebidos de outra pessoa jurídica
integrarão o lucro operacional.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 413


O contribuinte que avaliar investimento em sociedade coligada ou controlada
pelo valor de patrimônio líquido deverá, por ocasião da aquisição da
participação, desdobrar o custo de aquisição em ágio ou deságio na
aquisição, que será a diferença entre o custo de aquisição do investimento e
o valor de patrimônio líquido na época da aquisição.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 414


Em cada mês, o contribuinte deverá avaliar o investimento pelo valor de
patrimônio líquido da coligada ou controlada.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 415


A contrapartida do ajuste por aumento do valor do patrimônio líquido do
investimento em virtude de reavaliação de bens do ativo da coligada ou
controlada, por esta utilizada para constituir reserva de reavaliação, deverá
ser compensada pela baixa do ágio na aquisição do investimento com
fundamento no valor de mercado dos bens reavaliados.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 416


Os rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior serão convertidos
em Reais de acordo com a taxa de câmbio, para venda, na data em que forem
contabilizados no Brasil.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 124 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 417


Caso a moeda em que for auferido o rendimento ou ganho de capital não
tiver cotação no Brasil, será ela convertida em dólares norte-americanos e,
em seguida, em Reais.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 418


Os lucros realizados pela coligada serão adicionados ao lucro líquido, na
proporção da participação da pessoa jurídica no capital da coligada.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 419


A pessoa jurídica poderá compensar o imposto de renda incidente, no
exterior, sobre os lucros, rendimentos, ganhos de capital e receitas
decorrentes da prestação de serviços efetuada diretamente, computados no
lucro real, independente de limite, sobre os referidos lucros, rendimentos,
ganhos de capital e receitas de prestação de serviços.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 420


Os créditos de imposto de renda pagos no exterior, relativos a lucros,
rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior, somente serão
compensados com o imposto devido no Brasil, se referidos lucros,
rendimentos e ganhos de capital forem computados na base de cálculo do
imposto, no Brasil, até o final do segundo ano-calendário subsequente ao de
sua apuração.

Quer ficar afiado em IRPJ?


Acesse os materiais abaixo e arrebente na prova!

Para o concurso de Auditor Fiscal:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Para o concurso de Analista Tributário:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 125 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

GABARITO – Questões IRPJ


221 222 223 224 225 226 227 228 229 230 231 232 233 234 235
F V V F F V V F V V F V V F V
236 237 238 239 240 241 242 243 244 245 246 247 248 249 250
F V F F F F V V F V V F F V F
251 252 253 254 255 256 257 258 259 260 261 262 263 264 265
F V V V V V F F F V V F F V V
266 267 268 269 270 271 272 273 274 275 276 277 278 279 280
V F F V V V F F F V F V V F F
281 282 283 284 285 286 287 288 289 290 291 292 293 294 295
V V F F V F V F V V V V F F V
296 297 298 299 300 301 302 303 304 305 306 307 308 309 310
V F V V V F V F V V V V F F F
311 312 313 314 315 316 317 318 319 320 321 322 323 324 325
V V F V V F V V F V V V V F V
326 327 328 329 330 331 332 333 334 335 336 337 338 339 340
V F V V F V V V V F V V F V F
341 342 343 344 345 346 347 348 349 350 351 352 353 354 355
F V F V V F V V F V F V V V F
356 357 358 359 360 361 362 363 364 365 366 367 368 369 370
F V V V V F F F V F V F V F V
371 372 373 374 375 376 377 378 379 380 381 382 383 384 385
V F V F V V V V F V V F F F V
386 387 388 389 390 391 392 393 394 395 396 397 398 399 400
F V V V V V V F V V F V V V F
401 402 403 404 405 406 407 408 409 410 411 412 413 414 415
V V V V V F V V F V F V V F V
416 417 418 419 420
V V V F V

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 126 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

IRPJ - Comentários

Questão 221
As empresas individuais não são contribuintes do IRPJ.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 146 do RIR, são contribuintes do IRPJ as pessoas
jurídicas e as empresas individuais.

Questão 222
As disposições acerca da condição de contribuinte do IRPJ aplicam-se a todas
as firmas e sociedades, registradas ou não.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do §1º, do art. 146 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 223
As entidades submetidas aos regimes de liquidação extrajudicial e de falência
sujeitam-se às normas de incidência do imposto aplicáveis às pessoas
jurídicas, em relação às operações praticadas durante o período em que
perdurarem os procedimentos para a realização de seu ativo e o pagamento
do passivo.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra do §2º, do art. 146, do Regulamento.

Questão 224
As sociedades civis de prestação de serviços profissionais relativos ao
exercício de profissão legalmente regulamentada são tributadas pelo
imposto de conformidade com as normas aplicáveis às pessoas físicas.
Comentário
FALSO. De acordo com RIR, art. 146, §3º, as sociedades civis de prestação de
serviços profissionais relativos ao exercício de profissão legalmente
regulamentada são tributadas pelo imposto de conformidade com as normas
aplicáveis às demais pessoas jurídicas.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 127 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 225
As empresas públicas e as sociedades de economia mista, bem como suas
subsidiárias, são podem ser contribuintes nas mesmas condições das demais
pessoas jurídicas.
Comentário
FALSO. A disciplina do art. 146, §4º, do RIR, é no sentido de que as empresas
públicas e as sociedades de economia mista, bem como suas subsidiárias,
são contribuintes nas mesmas condições das demais pessoas jurídicas.

Questão 226
As sociedades cooperativas de consumo, que tenham por objeto a compra e
fornecimento de bens aos consumidores, sujeitam-se às mesmas normas de
incidência dos impostos e contribuições de competência da União, aplicáveis
às demais pessoas jurídicas.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a disposição do art. 146, §5º, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 227
Consideram-se pessoas jurídicas as de direito privado domiciliadas no País,
sejam quais forem seus fins, nacionalidade ou participantes no capital.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 147, I, do RIR.

Questão 228
Estão excluídas do conceito de pessoa jurídica as filiais, sucursais, agências
ou representações no País das pessoas jurídicas com sede no exterior.
Comentário
FALSO. Determina o art. 147, II, do RIR, que consideram-se pessoas jurídicas
as filiais, sucursais, agências ou representações no País das pessoas jurídicas
com sede no exterior.

Questão 229
Serão considerados pessoas jurídicas os comitentes domiciliados no exterior,
quanto aos resultados das operações realizadas por seus mandatários ou
comissários no País.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 128 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da disposição do art. 147, III, do Regulamento.

Questão 230
As sociedades em conta de participação são equiparadas às pessoas jurídicas.
Comentário
VERDADEIRO. Assim determina o art. 148 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 231
As empresas individuais, para os efeitos do imposto de renda, não são
equiparadas às pessoas jurídicas.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 150 do RIR, as empresas individuais, para os
efeitos do imposto de renda, são equiparadas às pessoas jurídicas.

Questão 232
Na apuração dos resultados das sociedades em conta de participação, assim
como na tributação dos lucros apurados e dos distribuídos, serão observadas
as normas aplicáveis às pessoas jurídicas em geral.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 149 do RIR.

Questão 233
As firmas individuais são consideradas empresas individuais.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da disposição do art. 150, §1º, I, do RIR.

Questão 234
As pessoas físicas que, em nome individual, explorem, habitual e
profissionalmente, qualquer atividade econômica de natureza civil ou
comercial, ainda que com o fim especulativo de lucro, mediante venda a
terceiros de bens ou serviços, serão tributadas pelo IRPF.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 129 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Determina o RIR que as pessoas físicas que, em nome individual,
explorem, habitual e profissionalmente, qualquer atividade econômica de
natureza civil ou comercial, com o fim especulativo de lucro, mediante venda
a terceiros de bens ou serviços, são consideradas empresas individuais. Logo,
são contribuintes do IRPJ.

Questão 235
Serão consideradas empresa individual, para efeito de tributação do IRPJ, as
pessoas físicas que promoverem a incorporação de prédios em condomínio
ou loteamento de terrenos.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 150, §1º, III, do RIR.

Questão 236
As pessoas físicas que, individualmente, exerçam as profissões ou explorem
as atividades de médico, engenheiro, advogado, dentista, veterinário,
professor, economista, contador, jornalista, pintor, escritor, escultor e de
outras que lhes possam ser assemelhadas, serão contribuintes do IRPJ.
Comentário
FALSO. Apesar da equiparação a empresa individual para pessoas físicas que
explorem atividade econômica, o RIR excepciona algumas atividades em seu
art. 150, §2º, dentre elas as previstas nessa questão.

Questão 237
Os agentes, representantes e outras pessoas sem vínculo empregatício que,
tomando parte em atos de comércio, não os pratiquem, todavia, por conta
própria, serão tributados como pessoas físicas.
Comentário
VERDADEIRO. Essas pessoas também estão excluídas do conceito de
empresa individual, nos termos do art. 150, §2º, III, do RIR.

Questão 238
A exploração individual de contratos de empreitada unicamente de lavor,
qualquer que seja a natureza, quer se trate de trabalhos arquitetônicos,
topográficos, terraplenagem, construções de alvenaria e outras congêneres,
quer de serviços de utilidade pública, tanto de estudos como de construções,
sujeitam o executante à tributação das pessoas jurídicas.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 130 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Essa também é uma exceção prevista no art. 150, §2º, VI. A tributação
será como pessoa física.

Questão 239
A exploração de obras artísticas, didáticas, científicas, urbanísticas, projetos
técnicos de construção, instalações ou equipamentos, quando não
explorados diretamente pelo autor ou criador do bem ou da obra, será
tributada como pessoa física.
Comentário
FALSO. Apesar dessa atividade constituir exceção ao conceito de empresa
individual, quando não explorada pelo próprio autor, sujeitará o interessado
ao IRPJ, nos termos do art. 150, §2º, VII, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 240
As imunidades, isenções e não incidências eximem as pessoas jurídicas das
demais obrigações previstas no Regulamento do Imposto de Renda,
especialmente as relativas à retenção e recolhimento de impostos sobre
rendimentos pagos ou creditados e à prestação de informações.
Comentário
FALSO. Reza o art. 167 do RIR que as imunidades, isenções e não incidências
de que trata este Capítulo não eximem as pessoas jurídicas das demais
obrigações previstas neste Decreto, especialmente as relativas à retenção e
recolhimento de impostos sobre rendimentos pagos ou creditados e à
prestação de informações.

Questão 241
A imunidade, isenção ou não incidência concedida às pessoas jurídicas
aproveita aos que delas percebam rendimentos sob qualquer título e forma.
Comentário
FALSO. O parágrafo único do art. 167 determina que a imunidade, isenção ou
não incidência concedida às pessoas jurídicas não aproveita aos que delas
percebam rendimentos sob qualquer título e forma.

Questão 242
Não estão sujeitos ao imposto de renda os templos de qualquer culto.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 131 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Trata-se na verdade de previsão constitucional para imunidade
dos templos de qualquer culto e observada no art. 168 do RIR.

Questão 243
Estão sujeitos ao imposto os partidos políticos, inclusive suas fundações, e as
entidades sindicais dos trabalhadores, sem fins lucrativos, se distribuírem
qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas, a título de lucro ou
de participação no resultado.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a inteligência do art. 169, I, do RIR.

Questão 244
A imunidade dos partidos políticos exclui a atribuição, por lei, da condição de
responsáveis pelo imposto que lhes caiba reter na fonte e não as dispensa da
prática de atos, previstos em lei, assecuratórios do cumprimento de
obrigações tributárias por terceiros.
Comentário
FALSO. O §1º, do art. 169, do Regulamento, estabelece que o disposto neste
artigo não exclui a atribuição, por lei, às entidades nele referidas, da condição
de responsáveis pelo imposto que lhes caiba reter na fonte e não as dispensa
da prática de atos, previstos em lei, assecuratórios do cumprimento de
obrigações tributárias por terceiros.

Questão 245
Na falta de cumprimento das exigências para o gozo da imunidade pelos
partidos políticos, a autoridade competente poderá suspender o benefício.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 169, §2º, do RIR.

Questão 246
Não estão sujeitas ao imposto de renda as instituições de educação e as de
assistência social, sem fins lucrativos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 132 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Trata-se na verdade de previsão constitucional para imunidade
dessas entidades e observada no art. 170 do RIR.

Questão 247
Considera-se imune a instituição de educação ou de assistência social que
preste os serviços para os quais houver sido instituída e os coloque à
disposição da população em geral, em caráter complementar às atividades
do Estado, com fins lucrativos ou não.
Comentário
FALSO. Determina o §1º, do art. 170, que considera-se imune a instituição de
educação ou de assistência social que preste os serviços para os quais houver
sido instituída e os coloque à disposição da população em geral, em caráter
complementar às atividades do Estado, sem fins lucrativos.

Questão 248
Considera-se entidade sem fins lucrativos a que não apresente superávit em
suas contas ou, caso o apresente em determinado exercício, destine o
resultado, integralmente, ao pagamento de diretores e ao desenvolvimento
dos seus objetivos sociais.
Comentário
FALSO. Determina o §2º, do art. 170, do RIR que considera-se entidade sem
fins lucrativos a que não apresente superávit em suas contas ou, caso o
apresente em determinado exercício, destine o resultado, integralmente, à
manutenção e ao desenvolvimento dos seus objetivos sociais.

Questão 249
Para o gozo da imunidade, as instituições de educação e assistência social
estão impedidas de remunerar, por qualquer forma, seus dirigentes pelos
serviços prestados.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 170, §3º, I, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 133 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 250
Ainda que não mantenham escrituração completa de suas receitas e
despesas em livros revestidos das formalidades que assegurem a respectiva
exatidão, poderão as entidades de educação e assistência fazer jus à
imunidade do imposto de renda.
Comentário
FALSO. Por determinação do art. 170, §3º, III, as entidades deverão manter
escrituração completa de suas receitas e despesas em livros revestidos das
formalidades que assegurem a respectiva exatidão.

Questão 251
As entidades imunes, embora sujeitas a outras obrigações acessórias, estão
dispensadas de apresentar, anualmente, Declaração de Rendimentos.
Comentário
FALSO. O RIR determina, em seu art. 170, §3º, V, que as instituições devem
apresentar, anualmente, Declaração de Rendimentos, em conformidade com
o disposto em ato da Secretaria da Receita Federal.

Questão 252
Apesar de imunes, as entidades de educação e assistência deverão recolher
os tributos retidos sobre os rendimentos por elas pagos ou creditados e a
contribuição para a seguridade social relativa aos empregados, bem assim
cumprir as obrigações acessórias daí decorrentes.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da obrigatoriedade estabelecida no art. 170, §3º, VI, do
RIR.

Questão 253
A imunidade das entidades sem fins lucrativos é restrita aos resultados
relacionados com as finalidades essenciais das entidades.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 171 do Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 134 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 254
Não estão abrangidos pela imunidade os rendimentos e ganhos de capital
auferidos em aplicações financeiras de renda fixa ou de renda variável pelas
instituições de educação ou de assistência social.
Comentário
VERDADEIRO. BASTANTE ATENÇÃO!!!!
Apesar de bastante discutido na esfera judicial e ter o STF decidido reiteradas
vezes a favor da imunidade para as aplicações financeiras, estamos diante de
uma prova de legislação, a qual remete à literalidade do Regulamento.
Vejamos o entendimento da Corte Suprema:
“O Tribunal julgou procedente pedido de ação direta de
inconstitucionalidade ajuizada pelo Governador do Estado de
Pernambuco contra o caput do art. 28 da Lei federal 9.532/97, que previa
a incidência de imposto de renda sobre rendimentos auferidos "por
qualquer beneficiário, inclusive pessoa jurídica imune ou isenta" nas
aplicações em fundos de investimentos, e contra a Medida Provisória
1.636/97, que dispôs acerca da incidência do imposto de renda na fonte
sobre rendimentos de aplicações financeiras. Preliminarmente, não se
conheceu da ação com relação à citada Medida Provisória, por perda de
objeto, tendo em conta a passagem do prazo peremptório de vigência do
ato normativo atacado. Quanto ao mérito, declarou-se a
inconstitucionalidade da expressão "inclusive pessoa jurídica imune",
contida no artigo legal impugnado, haja vista a imunidade tributária ser
matéria típica do texto constitucional, restando violado o art. 150, VI, e
alíneas, da CF. ADI 1758/DF, rel. Min. Carlos Velloso, 10.11.2004. (ADI-
1758)”

Porém, nos termos do art. 171, §1º, do RIR, não estão abrangidos pela
imunidade os rendimentos e ganhos de capital auferidos em aplicações
financeiras de renda fixa ou de renda variável pelas instituições de educação
ou de assistência social.

Questão 255
Gozam de imunidade as autarquias e as fundações instituídas e mantidas
pelo Poder Público, no que se refere ao patrimônio, à renda e aos serviços,
vinculados à suas finalidades essenciais ou às dela decorrentes, não se
aplicando ao patrimônio, à renda e aos serviços relacionados com exploração
de atividades econômicas regidas pelas normas aplicáveis a
empreendimentos privados, em que haja contraprestação ou pagamento de
preços ou tarifas pelo usuário.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 171, §2º, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 135 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 256
Constatado que entidade beneficiária de imunidade de tributos federais de
que trata a alínea "c" do inciso VI do art. 150 da Constituição não está
observando requisito ou condição previstos no arts. 169 e 170, a fiscalização
tributária expedirá notificação fiscal, na qual relatará os fatos que
determinam a suspensão do benefício, indicando, inclusive, a data da
ocorrência da infração.
Comentário
VERDADEIRO. Este procedimento está previsto no art. 172, §1º, do
Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 257
A entidade que tiver suspensa a imunidade poderá, no prazo de sessenta dias
da ciência da notificação, apresentar as alegações e provas que entender
necessárias.
Comentário
FALSO. O prazo para apresentar as alegações provas é de 30 dias e não 60.
Essa é a regra do art. 172, §2º, do RIR.

Questão 258
O Auditor Fiscal da Receita Federal decidirá sobre a procedência das
alegações, expedindo o Despacho Decisório, no caso de improcedência,
dando, de sua decisão, ciência à entidade.
Comentário
FALSO. Há dois erros na assertiva. O primeiro é que a autoridade competente
não é o Auditor Fiscal, mas o Delegado ou Inspetor.
Em segundo lugar, o documento hábil é o Ato Declaratório Suspensivo e não
o Despacho Decisório. Assim determina o art. 172, §3º, do RIR:
“O Delegado ou Inspetor da Receita Federal decidirá sobre a procedência
das alegações, expedindo o ato declaratório suspensivo do benefício, no
caso de improcedência, dando, de sua decisão, ciência à entidade. ”

Questão 259
A suspensão da imunidade terá como termo inicial a data da do ato
declaratório.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 136 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Nos termos do art. 172, §5º, do RIR, a suspensão da imunidade terá
como termo inicial a data da prática da infração.

Questão 260
Efetivada a suspensão da imunidade a entidade interessada poderá, no prazo
de trinta dias da ciência, apresentar impugnação ao ato declaratório, a qual
será objeto de decisão pela Delegacia da Receita Federal de Julgamento
competente.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 172, §6º, I, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 261
A impugnação relativa à suspensão da imunidade obedecerá às demais
normas reguladoras do processo administrativo fiscal.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do §7º, do art. 172, do Regulamento.

Questão 262
A impugnação e o recurso apresentados pela entidade, em relação á
suspensão de imunidade, têm efeito suspensivo em relação ao ato
declaratório contestado.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 172, §8º, do RIR, a impugnação e o recurso
apresentados pela entidade não terão efeito suspensivo em relação ao ato
declaratório contestado.

Questão 263
Caso seja lavrado auto de infração, as impugnações contra o ato declaratório
e contra a exigência de crédito tributário serão segregadas, de modo a serem
decididas isoladamente.
Comentário
FALSO. Determina o art. 172, §9º, do Regulamento do Imposto de Renda que,
caso seja lavrado auto de infração, as impugnações contra o ato declaratório
e contra a exigência de crédito tributário serão reunidas em um único
processo, para serem decididas simultaneamente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 137 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 264
Sem prejuízo das demais penalidades previstas na lei, a Secretaria da Receita
Federal suspenderá o gozo da imunidade relativamente aos anos-calendário
em que a pessoa jurídica houver praticado ou, por qualquer forma, houver
contribuído para a prática de ato que constitua infração a dispositivo da
legislação tributária, especialmente no caso de informar ou declarar
falsamente, omitir ou simular o recebimento de doações em bens ou em
dinheiro, ou de qualquer forma cooperar para que terceiro sonegue tributos
ou pratique ilícitos fiscais.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 173 do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 265
Considera-se infração a dispositivo da legislação tributária o pagamento, pela
instituição imune, em favor de seus associados ou dirigentes, ou, ainda, em
favor de sócios, acionistas ou dirigentes de pessoa jurídica a ela associada por
qualquer forma, de despesas consideradas indedutíveis na determinação da
base de cálculo do imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se do disposto no parágrafo único do art. 173 do RIR.

Questão 266
Estão isentas do imposto as instituições de caráter filantrópico, recreativo,
cultural e científico e as associações civis que prestem os serviços para os
quais houverem sido instituídas e os coloquem à disposição do grupo de
pessoas a que se destinam, sem fins lucrativos.
Comentário
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 174 do RIR.

Questão 267
A transferência de bens e direitos do patrimônio das entidades isentas para
o patrimônio de outra pessoa jurídica, em virtude de incorporação, fusão ou
cisão, deverá ser efetuada pelo valor de mercado.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 174, §4º, do Regulamento do Imposto de Renda, a
transferência de bens e direitos do patrimônio das entidades isentas para o

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 138 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

patrimônio de outra pessoa jurídica, em virtude de incorporação, fusão ou


cisão, deverá ser efetuada pelo valor de sua aquisição ou pelo valor atribuído,
no caso de doação.

Questão 268
Estão isentas do imposto as entidades de previdência privada fechadas e as
sem fins lucrativos, inclusive quanto ao imposto incidente na fonte sobre
dividendos, juros e demais ganhos de capital.
Comentário
FALSO. Apesar de ter isenção, disposta no art. 175, caput, do RIR, o §1º, exclui
o imposto incidente na fonte sobre dividendos, juros e demais rendimentos
e ganhos de capital recebidos pelas referidas entidades, o qual será devido
exclusivamente na fonte, não gerando direito à restituição.

Questão 269
A isenção concedida às entidades de previdência privada fechadas e as sem
fins lucrativos não impede a remuneração de seus diretores e membros de
conselhos consultivos, deliberativos, fiscais ou assemelhados, desde que o
resultado do exercício, satisfeitas todas as condições legais e regulamentares
no que se refere aos benefícios, seja destinado à constituição de uma reserva
de contingência de benefícios e, se ainda houver sobra, a programas culturais
e de assistência aos participantes, aprovados pelo órgão normativo do
Sistema Nacional de Seguros Privados.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 175, §2º, do Regulamento.

Questão 270
Estão isentas do imposto as companhias estrangeiras de navegação marítima
e aérea se, no país de sua nacionalidade, as companhias brasileiras de igual
objetivo gozarem da mesma prerrogativa.
Comentário
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 176 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 139 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 271
Estão isentas do imposto as Associações de Poupança e Empréstimo,
devidamente autorizadas pelo órgão competente, constituídas sob a forma
de sociedade civil, tendo por objetivo propiciar ou facilitar a aquisição de casa
própria aos associados, captar, incentivar e disseminar a poupança, que
atendam às normas estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional.
Comentário
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 177 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 272
As sociedades de investimento a que se refere o art. 49 da Lei nº 4.728, de 14
de julho de 1965, de cujo capital social participem pessoas físicas ou jurídicas,
residentes ou domiciliadas no exterior, farão jus à isenção do imposto,
independentemente do cumprimento de exigências.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 178, do RIR, as sociedades de investimento a que
se refere o art. 49 da Lei nº 4.728, de 14 de julho de 1965, de cujo capital social
participem pessoas físicas ou jurídicas, residentes ou domiciliadas no
exterior, farão jus à isenção do imposto, se atenderem às normas e condições
que forem fixadas pelo Conselho Monetário Nacional para regular o ingresso
de recursos externos no País, destinados à subscrição ou aquisição das ações
de emissão das referidas sociedades, relativas aprazo mínimo de
permanência do capital estrangeiro no País e regime de registro do capital
estrangeiro e de seus rendimentos.

Questão 273
As isenções do IRPJ, em regra, dependem de prévio reconhecimento.
Comentário
FALSO. Estabelece o art. 181, do Regulamento do Imposto de Renda, que as
isenções de independem de prévio reconhecimento.

Questão 274
A isenção conferida às empresas estrangeiras de navegação marítima e aérea
será reconhecida pela Secretaria da Receita Federal e alcançará os
rendimentos obtidos a partir da existência da reciprocidade de tratamento,
podendo originar direito à restituição de receita.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 140 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Determina o parágrafo único, do art. 181, do RIR, que a isenção será
reconhecida pela Secretaria da Receita Federal e alcançará os rendimentos
obtidos a partir da existência da reciprocidade de tratamento, não podendo
originar, em qualquer caso, direito à restituição de receita.

Questão 275
As sociedades cooperativas que obedecerem ao disposto na legislação
específica não terão incidência do imposto sobre suas atividades econômicas,
de proveito comum, sem objetivo de lucro.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 182 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 276
É vedado às cooperativas distribuírem qualquer espécie de benefício às
quotas-partes do capital ou estabelecer outras vantagens ou privilégios,
financeiros ou não, em favor de quaisquer associados ou terceiros,
excetuados os juros até o máximo de quinze por cento ao ano atribuídos ao
capital integralizado.

Comentário
FALSO. Apesar de a primeira parte da assertiva estar correta, o limite anual
dos juros é de 12% e não de 15%, nos termos do art. 182, §1º, do RIR.

Questão 277
As sociedades cooperativas que obedecerem ao disposto na legislação
específica pagarão o imposto calculado sobre os resultados positivos das
operações e atividades estranhas à sua finalidade.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra de tributação estabelecida no art. 183 do
Regulamento. A isenção atinge apenas as atividades essenciais da
cooperativa.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 141 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 278
Incide o IRPJ sobre as atividades de comercialização ou industrialização, pelas
cooperativas agropecuárias ou de pesca, de produtos adquiridos de não
associados, agricultores, pecuaristas ou pescadores, para completar lotes
destinados ao cumprimento de contratos ou para suprir capacidade ociosa
de suas instalações industriais.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se do disposto no art. 183, I.

Questão 279
É isento do imposto de renda o resultado positivo apurado pelas cooperativas
no de fornecimento de bens ou serviços a não associados, para atender aos
objetivos sociais.
Comentário
FALSO. Esse rendimento é tributável, nos termos do art. 183, II, do
Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 280
É isento do imposto de renda o resultado positivo apurado pelas cooperativas
na participação em sociedades não cooperativas, públicas ou privadas, para
atendimento de objetivos acessórios ou complementares.

Comentário
FALSO. Esse rendimento é tributável, nos termos do art. 183, III, do
Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 281
As sociedades cooperativas de consumo, que tenham por objeto a compra e
fornecimento de bens aos consumidores, sujeitam-se às mesmas normas de
incidência dos impostos e contribuições de competência da União, aplicáveis
às demais pessoas jurídicas.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 184 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 142 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 282
Respondem pelo imposto devido pelas pessoas jurídicas transformadas,
extintas ou cindidas os sócios, com poderes de administração, da pessoa
jurídica que deixar de funcionar sem proceder à liquidação, ou sem
apresentar a declaração de rendimentos no encerramento da liquidação.
Comentário
VERDADEIRO. Esta responsabilidade está prevista no art. 207, IV, do RIR.

Questão 283
São subsidiariamente responsáveis pelos créditos correspondentes a
obrigações tributárias resultantes de atos praticados com excesso de
poderes ou infração de lei, contrato social ou estatutos, os sócios, no caso de
liquidação de sociedade de pessoas.
Comentário
FALSO. Trata-se de responsabilidade pessoal e não subsidiária, nos termos
do art. 210, IV, do RIR.

Questão 284
A pessoa física ou jurídica que adquirir de outra, por qualquer título, fundo
de comércio ou estabelecimento comercial, industrial ou profissional, e
continuar a respectiva exploração, sob a mesma ou outra razão social ou sob
firma ou nome individual, responde pelo imposto, relativo ao fundo ou
estabelecimento adquirido, devido até a data do ato solidariamente, se o
alienante cessar a exploração do comércio, indústria ou atividade.
Comentário
FALSO. Cessando o alienante a exploração da atividade, a responsabilidade
do adquirente será pessoal (art. 208, I).

Questão 285
O domicílio fiscal da pessoa jurídica é, quando existir um único
estabelecimento, o lugar da situação deste.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 212, I, a, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 143 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 286
Quando se verificar pluralidade de estabelecimentos, o domicílio da pessoa
jurídica será sempre o lugar onde se achar o estabelecimento centralizador
das suas operações ou a sede da empresa dentro do País.
Comentário
FALSO. Vale a regra geral da eleição do domicílio prevista no CTN. Nesse
sentido, o RIR estabelece em seu art. 212, I, b, que quando se verificar
pluralidade de estabelecimentos, à opção da pessoa jurídica, o lugar onde se
achar o estabelecimento centralizador das suas operações ou a sede da
empresa dentro do País.

Questão 287
Em relação às obrigações em que incorra como fonte pagadora, o lugar do
estabelecimento que pagar, creditar, entregar, remeter ou empregar
rendimento sujeito ao imposto no regime de tributação na fonte, será
considerado o domicílio do sujeito passivo.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 212, II, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 288
Quando o contribuinte transferir, de um município para outro ou de um para
outro ponto do mesmo município, a sede de seu estabelecimento, fica
obrigado a comunicar essa mudança às repartições competentes dentro do
prazo de dez dias.
Comentário
FALSO. O prazo para comunicação é de 30 dias, conforme art. 213 do
Regulamento.

Questão 289
As comunicações de transferência de domicílio poderão ser entregues em
mãos ou remetidas em carta registrada pelo correio.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 213, §1º, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 144 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 290
O imposto de renda das pessoas jurídicas, inclusive das equiparadas, das
sociedades civis em geral e das sociedades cooperativas em relação aos
resultados obtidos nas operações ou atividades estranhas à sua finalidade,
será devido à medida em que os rendimentos, ganhos e lucros forem sendo
auferidos.
Comentário
VERDADEIRO. Confirmação do princípio contábil da competência, disposto no
art. 218 do RIR.

Questão 291
A base de cálculo do imposto, determinada segundo a lei vigente na data de
ocorrência do fato gerador, é o lucro real, presumido ou arbitrado,
correspondente ao período de apuração.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 219 do RIR.

Questão 292
Integram a base de cálculo todos os ganhos e rendimentos de capital,
qualquer que seja a denominação que lhes seja dada, independentemente
da natureza, da espécie ou da existência de título ou contrato escrito,
bastando que decorram de ato ou negócio que, pela sua finalidade, tenha os
mesmos efeitos do previsto na norma específica de incidência do imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 219, parágrafo único, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 293
Nos casos de incorporação, fusão ou cisão, a apuração da base de cálculo e
do imposto devido será efetuada em até dez dias da data do evento.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 220, §1º, nos casos de incorporação, fusão ou
cisão, a apuração da base de cálculo e do imposto devido será efetuada na
data do evento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 145 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 294
Na extinção da pessoa jurídica, pelo encerramento da liquidação, a apuração
da base de cálculo e do imposto devido será efetuada no décimo dia do mês
subsequente ao evento.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 220, §2º, na extinção da pessoa jurídica, pelo
encerramento da liquidação, a apuração da base de cálculo e do imposto
devido será efetuada na data desse evento.

Questão 295
A pessoa jurídica que optar pelo pagamento anual do imposto deverá apurar
o lucro real em 31 de dezembro de cada ano.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se de determinação prevista no art. 221 do RIR.

Questão 296
A pessoa jurídica sujeita à tributação com base no lucro real poderá optar
pelo pagamento do imposto e adicional, em cada mês, determinados sobre
base de cálculo estimada.
Comentário
VERDADEIRO. No lucro real, a regra geral é a apuração trimestral, porém o
contribuinte poderá optar pela apuração anual, situação em que se obriga a
pagar mensalmente as estimativas.

Questão 297
O contribuinte tributado pelo lucro real efetuará a opção pela periodicidade
da apuração em 31 de dezembro do respectivo ano.
Comentário
FALSO. A opção será manifestada com o pagamento do imposto
correspondente ao mês de janeiro ou de início de atividade. Esta é a
determinação do art. 222, parágrafo único.

Questão 298
Na apuração anual do imposto de renda com base no lucro real, a empresa
deverá apurar a base de cálculo mensal das estimativas, que é idêntica à
apuração do lucro presumido.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 146 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Esta é a inteligência do art. 223 do RIR.

Questão 299
Em regra, a base de cálculo do imposto, em cada mês, será determinada
mediante a aplicação do percentual de oito por cento sobre a receita bruta
auferida mensalmente.
Comentário
VERDADEIRO. Este percentual de presunção de 8% sobre a receita bruta
determina a base de cálculo para o comércio e para qualquer outra atividade
que porventura não esteja listada expressamente nos incisos de I a III do art.
223. Essa é a literalidade do caput do referido artigo.

Questão 300
O percentual será de presunção para a base de cálculo mensal do imposto
será de 16% para as pessoas jurídicas cujas atividades sejam de bancos
comerciais, bancos de investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas
econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento,
sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras de títulos, valores
mobiliários e câmbio, distribuidoras de títulos e valores mobiliários,
empresas de arrendamento mercantil, cooperativas de crédito, empresas de
seguros privados e de capitalização e entidades de previdência privada
aberta.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da literalidade do art. 223, II, b, do RIR.
Esse dispositivo é bastante interessante, pois se observarmos, as pessoas
jurídicas citadas são obrigadas a apurar o IR pelo lucro real, não podendo
optar pelo lucro presumido.
Dessa forma, não haveria percentual de presunção para essas atividades.
Como então calcular a estimativa, se esta é apurada nos moldes do lucro
presumido?
A fim de sanar este problema, o RIR teve que estabelecer de forma expressa
um percentual específico para fins de apuração das estimativas mensais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 147 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 301
O percentual será de presunção para a base de cálculo mensal do imposto
será de 16% para as pessoas jurídicas cujas atividades sejam de prestação
cumulativa e contínua de serviços de assessoria creditícia, mercadológica,
gestão e crédito, seleção de riscos, administração de contas a pagar e a
receber, compra de direitos creditórios resultantes de vendas mercantis a
prazo ou de prestação de serviços (factoring).
Comentário
FALSO. Trata-se da mesma lógica do que acabamos de ver na questão
anterior. Ocorre que o RIR em seu art. 223, III, c, atribuiu expressamente o
percentual de presunção de 32% para essas atividades.

Questão 302
Em regra, a base de cálculo mensal do imposto das pessoas jurídicas
prestadoras de serviços em geral, cuja receita bruta anual seja de até cento e
vinte mil reais, será determinada mediante aplicação do percentual de
dezesseis por cento sobre a receita bruta auferida mensalmente.
Comentário
VERDADEIRA. Apesar de o percentual de presunção ser de 32% para serviços
em geral, o RIR excepciona as empresas cuja receita bruta anual seja de até
R$120.000, reduzindo este percentual à metade (art. 223, §4º).

Questão 303
As pessoas jurídicas que prestam serviços hospitalares e de transporte que
auferirem receita bruta anual de até R$120.000, deverão apurar a base de
cálculo mensal do imposto mediante a aplicação do percentual de dezesseis
por cento.
Comentário
FALSO. Esta redução do percentual de 32 para 16% não se aplica às empresas
que prestem serviços hospitalares nem de transporte, eis que há vedação
expressa no RIR, em seu art. 223, §5º.

Questão 304
As receitas provenientes de atividade incentivada não comporão a base de
cálculo do imposto, na proporção do benefício a que a pessoa jurídica,
submetida ao regime de tributação com base no lucro real, fizer jus.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 148 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 223, §6º, do RIR.

Questão 305
A receita bruta das vendas e serviços compreende o produto da venda de
bens nas operações de conta própria, o preço dos serviços prestados e o
resultado auferido nas operações de conta alheia.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 224 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 306
Os ganhos de capital, demais receitas e os resultados positivos decorrentes
de receitas não operacionais, serão acrescidos à base de cálculo mensal do
imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 225 do Regulamento. Essas receitas
compõem a base de cálculo da estimativa mensal, pelo valor total, vale dizer,
sem a aplicação de percentual de presunção.

Questão 307
O ganho de capital, nas alienações de bens do ativo permanente e de
aplicações em ouro não tributadas como renda variável, corresponderá à
diferença positiva verificada entre o valor da alienação e o respectivo valor
contábil.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 225, §2º, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 308
As pessoas jurídicas que explorem atividades imobiliárias relativas a
loteamento de terrenos, incorporação imobiliária, construção de prédios
destinados a venda, bem como a venda de imóveis construídos ou adquiridos
para revenda, deverão considerar como receita bruta o montante recebido,
relativo às unidades imobiliárias vendidas, exceto nos casos de empreitada
ou fornecimento contratado com pessoa jurídica de direito público ou
empresa sob seu controle, empresa pública, sociedade de economia mista ou
sua subsidiária.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 149 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. O art. 227 do RIR estabelece que as pessoas jurídicas que explorem
atividades imobiliárias relativas a loteamento de terrenos, incorporação
imobiliária, construção de prédios destinados a venda, bem como a venda de
imóveis construídos ou adquiridos para revenda, deverão considerar como
receita bruta o montante recebido, relativo às unidades imobiliárias
vendidas.
O parágrafo único do mesmo artigo complementa que a regra aplica-se,
inclusive, aos casos de empreitada ou fornecimento contratado nas
condições do art. 409, com pessoa jurídica de direito público ou empresa sob
seu controle, empresa pública, sociedade de economia mista ou sua
subsidiária.

Questão 309
O imposto a ser pago mensalmente será determinado mediante a aplicação,
sobre a base de cálculo, da alíquota de dez por cento.
Comentário
FALSO. O art. 228 do RIR estabelece a alíquota do imposto em 15%.

Questão 310
A parcela da base de cálculo, apurada mensalmente, que exceder a sessenta
mil reais ficará sujeita à incidência de adicional do imposto à alíquota de
quinze por cento.
Comentário
FALSO. O parágrafo único, do art. 228, do RIR, estabelece a alíquota o
adicional em 10%. Além disso, o adicional incide sobre a parcela lucro que
exceder a R$20.000 no mês e não R$60.000 como afirma a assertiva.

Questão 311
Para efeito de pagamento da estimativa mensal, a pessoa jurídica poderá
deduzir do imposto apurado no mês, o imposto pago ou retido na fonte sobre
as receitas que integraram a base de cálculo, bem como os incentivos de
dedução do imposto relativos ao Programa de Alimentação do Trabalhador,
doações aos Fundos da Criança e do Adolescente, Atividades Culturais ou
Artísticas, Atividade Audiovisual, e Vale-Transporte, este último até 31 de
dezembro de 1997, observados os limites e prazos previstos para estes
incentivos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 150 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Essas deduções da base mensal estão dispostas no art. 229 do
Regulamento.

Questão 312
No caso em que o imposto retido na fonte seja superior ao devido na
estimativa mensal, a diferença poderá ser compensada com o imposto
mensal a pagar relativo aos meses subsequentes.
Comentário
VERDADEIRO. A compensação poderá ser feita no subsequentes, conforme
dispõe o parágrafo único do art. 229 do RIR.

Questão 313
A pessoa jurídica poderá suspender ou reduzir o pagamento do imposto
devido em cada mês, desde que demonstre, através de balanços ou
balancetes mensais, que o valor acumulado já pago excede o valor do
imposto, exceto o adicional, calculado com base no lucro real do período em
curso.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 230 do RIR, os balanços de suspensão ou redução
levam em consideração também o valor do adicional.

Questão 314
Os balanços ou balancetes de suspensão ou redução deverão ser levantados
com observância das leis comerciais e fiscais e transcritos no Livro Diário.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 230, §1º, I, do RIR.

Questão 315
Os balanços ou balancetes de suspensão ou somente produzirão efeitos para
determinação da parcela do imposto devido no decorrer do ano-calendário.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 230, §1º, II, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 151 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 316
Estão dispensadas do pagamento mensal as pessoas jurídicas que, através
de balanços ou balancetes mensais, demonstrem a existência de prejuízos
fiscais apurados no exercício anterior.
Comentário
FALSO. O art. 230, §2º, estabelece que estão dispensadas do pagamento
mensal as pessoas jurídicas que, através de balanços ou balancetes mensais,
demonstrem a existência de prejuízos fiscais apurados a partir do mês de
janeiro do ano-calendário.

Questão 317
O pagamento mensal, relativo ao mês de janeiro do ano-calendário, poderá
ser efetuado com base em balanço ou balancete mensal, desde que fique
demonstrado que o imposto devido no período é inferior ao calculado.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 230, §3º, do Regulamento do Imposto
de Renda.

Questão 318
Em regra, o imposto de renda das pessoas jurídicas será determinado com
base no lucro real, presumido ou arbitrado, por períodos de apuração
trimestrais, encerrados nos dias 31 de março, 30 de junho, 30 de setembro e
31 de dezembro de cada ano-calendário.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra geral do período de apuração, prevista no art.
220 do RIR, e vale tanto para o lucro real como para o lucro presumido. A
exceção é que as empresas tributadas pelo lucro real poderão optar pela
apuração anual, hipótese em que se sujeitam ao pagamento mensal das
estimativas.

Questão 319
A pessoa jurídica tributada pelo lucro real que optar pela apuração anual do
imposto poderá alterar essa opção ao longo do ano-calendário.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 232 do RIR, a opção é irretratável para todo o ano-
calendário.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 152 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 320
O período de apuração da primeira incidência do imposto após a constituição
da pessoa jurídica compreenderá o prazo desde o início do funcionamento
até o último dia do respectivo trimestre.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 233, caput, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 321
No ano de sua constituição, a pessoa jurídica sujeita à tributação com base
no lucro real poderá optar pelo pagamento do imposto em cada mês, desde
o início do negócio, determinado sobre a base de cálculo estimada, apurando
o lucro real em 31 de dezembro.
Comentário
VERDADEIRO. Esta regra está disposta no parágrafo único do art. 233 do RIR.

Questão 322
Nos casos de transformação e de continuação da atividade explorada pela
sociedade ou firma extinta, por qualquer sócio remanescente ou pelo espólio,
sob a mesma ou nova razão social, ou firma individual, o imposto continuará
a ser pago como se não houvesse alteração das firmas ou sociedades.
Comentário
VERDADEIRO. Assim determina o art. 234 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 323
A pessoa jurídica que tiver parte ou todo o seu patrimônio absorvido em
virtude de incorporação, fusão ou cisão deverá levantar balanço específico na
data desse evento.
Comentário
VERDADEIRO. Esta obrigação consta no art. 235 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 153 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 324
As receitas auferidas nas operações efetuadas com pessoa vinculada (art.
244) ficam sujeitas a arbitramento quando o preço médio de venda dos bens,
serviços ou direitos, nas exportações efetuadas durante o respectivo período
de apuração da base de cálculo do imposto, for superior a noventa por cento
do preço médio praticado na venda dos mesmos bens, serviços ou direitos,
no mercado brasileiro, durante o mesmo período, em condições de
pagamento semelhantes.
Comentário
FALSO. É exatamente o contrário, a regra do preço de transferência é aplicada
quando o preço das exportações for inferior a 90% do preço médio praticado
no mercado brasileiro. Assim dispõe o art. 240 do RIR:
“As receitas auferidas nas operações efetuadas com pessoa vinculada (art.
244) ficam sujeitas a arbitramento quando o preço médio de venda dos
bens, serviços ou direitos, nas exportações efetuadas durante o respectivo
período de apuração da base de cálculo do imposto, for inferior a noventa
por cento o preço médio praticado na venda dos mesmos bens, serviços
ou direitos, no mercado brasileiro, durante o mesmo período, em
condições de pagamento semelhantes. ”

Questão 325
Para efeito de determinação do preço de transferência, caso a pessoa jurídica
não efetue operações de venda no mercado interno, a determinação dos
preços médios será efetuada com dados de outras empresas que pratiquem
a venda de bens, serviços ou direitos, idênticos ou similares, no mercado
brasileiro.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a previsão do art. 240, §1º, do Regulamento do Imposto
de Renda.

Questão 326
Nas operações efetuadas com pessoa vinculada, verificado que o preço de
venda nas exportações é inferior ao limite estabelecido, as receitas das
vendas nas exportações serão determinadas tomando-se por base o valor
apurado segundo os métodos previstos no RIR.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da disposição do art. 240, §3º, do Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 154 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 327
Os custos, despesas e encargos relativos a bens, serviços e direitos,
constantes dos documentos de importação ou de aquisição, nas operações
efetuadas com pessoa vinculada, serão totalmente dedutíveis na
determinação do lucro real.
Comentário
FALSO. Determina o art. 241 do RIR que os custos, despesas e encargos
relativos a bens, serviços e direitos, constantes dos documentos de
importação ou de aquisição, nas operações efetuadas com pessoa vinculada,
somente serão dedutíveis na determinação do lucro real até o valor que não
exceda ao preço determinado por um dos métodos previstos no próprio
Regulamento.

Questão 328
Os juros pagos ou creditados a pessoa vinculada, quando decorrentes de
contrato não registrado no Banco Central do Brasil, somente serão dedutíveis
para fins de determinação do lucro real até o montante que não exceda ao
valor calculado com base na taxa Libor, para depósitos em dólares dos
Estados Unidos da América pelo prazo de seis meses, acrescida de três por
cento anuais a título de spread, proporcionalizados em função do período a
que se referirem os juros.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a disciplina do art. 243 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 329
Para efeito de aplicação das regras do preço de transferência, considera-se
pessoa vinculada a pessoa física ou jurídica, residente ou domiciliada no
exterior, em relação à qual a pessoa jurídica domiciliada no Brasil goze de
exclusividade, como agente, distribuidora ou concessionária, para a compra
e venda de bens, serviços ou direitos.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 244, X, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 155 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 330
Para efeito de aplicação das regras do preço de transferência, está excluída
do conceito de pessoa vinculada a pessoa física ou jurídica, residente ou
domiciliada no exterior, que seja sua associada, na forma de consórcio ou
condomínio, conforme definido na legislação brasileira, em qualquer
empreendimento.
Comentário
FALSO. O inciso VII, do art. 244 do RIR dispõe que considera-se pessoa
vinculada a pessoa física ou jurídica, residente ou domiciliada no exterior, que
seja sua associada, na forma de consórcio ou condomínio, conforme definido
na legislação brasileira, em qualquer empreendimento.

Questão 331
As disposições relativas a preços, custos e taxas de juros, no que diz respeito
às operações com pessoas vinculadas, aplicam-se, também, às operações
efetuadas por pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no Brasil,
com qualquer pessoa física ou jurídica, ainda que não vinculada, residente ou
domiciliada em país que não tribute a renda ou que a tribute à alíquota
máxima inferior a vinte por cento.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da determinação para aplicação das regras do preço
de transferência às operações que, embora não sejam com pessoas
vinculadas, ocorram com pessoas domiciliadas em paraísos fiscais.
Disposição do art. 245 do RIR.

Questão 332
Lucro real é o lucro líquido do período de apuração ajustado pelas adições,
exclusões ou compensações prescritas ou autorizadas pelo Regulamento do
Imposto de Renda.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a definição legal de lucro real, prevista no art. 247 do
Regulamento.

Questão 333
A determinação do lucro real será precedida da apuração do lucro líquido de
cada período de apuração com observância das disposições das leis
comerciais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 156 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 247, §1º, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 334
O lucro líquido do período de apuração é a soma algébrica do lucro
operacional, dos resultados não operacionais, e das participações, e deverá
ser determinado com observância dos preceitos da lei comercial.
Comentário
VERDADEIRO. Conceito de lucro líquido, expresso no art. 248 do
Regulamento.

Questão 335
A legislação do imposto de renda considera exclusão os resultados,
rendimentos, receitas e quaisquer outros valores não incluídos na apuração
do lucro líquido.
Comentário
FALSO. Esses valores representam adições, previstas no art. 249, II, do
Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 336
São adições os custos, despesas, encargos, perdas, provisões, participações e
quaisquer outros valores deduzidos na apuração do lucro líquido que, de
acordo com o Regulamento do Imposto de Renda, não sejam dedutíveis na
determinação do lucro real.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a literalidade do art. 249, I, do Regulamento.

Questão 337
Representam adições os encargos de depreciação, apropriados
contabilmente, correspondentes ao bem já integralmente depreciado em
virtude de gozo de incentivos fiscais.
Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 249, parágrafo único, III, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 157 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 338
As perdas incorridas em operações iniciadas e encerradas no mesmo dia
(day-trade), realizadas em mercado de renda fixa ou variável são exclusões
do lucro para determinação do lucro real.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 249, parágrafo único, IV, do RIR, as perdas
incorridas em operações iniciadas e encerradas no mesmo dia (day-trade),
realizadas em mercado de renda fixa ou variável são adições.

Questão 339
Na determinação do lucro real, poderão ser excluídos do lucro líquido do
período de apuração os valores cuja dedução seja autorizada pelo
Regulamento do Imposto de Renda e que não tenham sido computados na
apuração do lucro líquido do período de apuração.
Comentário
VERDADEIRO. Regra do art. 250, I, do Regulamento.

Questão 340
Os resultados, rendimentos, receitas e quaisquer outros valores incluídos na
apuração do lucro líquido que, de acordo com este o regulamento do
imposto, não sejam computados no lucro real, poderão ser adicionados ao
lucro real.
Comentário
FALSO. Tais valores representam exclusões, previstas no art. 250, II, do RIR.

Questão 341
Poderá ser compensado o prejuízo fiscal apurado em períodos de apuração
anteriores, limitado a vinte por cento do lucro líquido ajustado pelas adições
e exclusões previstas no Regulamento do Imposto de Renda, desde que a
pessoa jurídica mantenha os livros e documentos, exigidos pela legislação
fiscal, comprobatórios do prejuízo fiscal utilizado para compensação.
Comentário
FALSO. O limite para compensação de prejuízos de exercícios anteriores é de
30% do lucro ajustado, conforme preceitua o art. 250, III, do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 158 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 342
A pessoa jurídica sujeita à tributação com base no lucro real deve manter
escrituração com observância das leis comerciais e fiscais.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 251 do Regulamento.

Questão 343
A escrituração deverá abranger todas as operações do contribuinte, os
resultados apurados em suas atividades no território nacional, sendo
dispensados os lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no
exterior.
Comentário
FALSO. O parágrafo único do art. 251 do RIR estabelece que a escrituração
deverá abranger todas as operações do contribuinte, os resultados apurados
em suas atividades no território nacional, bem como os lucros, rendimentos
e ganhos de capital auferidos no exterior.

Questão 344
É facultado às pessoas jurídicas que possuírem filiais, sucursais ou agências
manter contabilidade não centralizada, devendo incorporar ao final de cada
mês, na escrituração da matriz, os resultados de cada uma delas.
Comentário
VERDADEIRO. Esta opção está prevista no art. 252 do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 345
A escrituração das operações de sociedade em conta de participação poderá,
à opção do sócio ostensivo, ser efetuada nos livros deste ou em livros
próprios.
Comentário
VERDADEIRO. Opção prevista no art. 254 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 159 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 346
A falsificação, material ou ideológica, da escrituração e seus comprovantes,
ou de demonstração financeira, que tenha por objeto eliminar ou reduzir o
montante de imposto devido, ou diferir seu pagamento, submeterá o sujeito
passivo a multa, a depender da ação penal que couber.
Comentário
FALSO. Determina o art. 256 do RIR que a falsificação, material ou ideológica,
da escrituração e seus comprovantes, ou de demonstração financeira, que
tenha por objeto eliminar ou reduzir o montante de imposto devido, ou diferir
seu pagamento, submeterá o sujeito passivo a multa, independentemente da
ação penal que couber.

Questão 347
A pessoa jurídica é obrigada a seguir ordem uniforme de escrituração,
mecanizada ou não, utilizando os livros e papéis adequados, cujo número e
espécie ficam a seu critério.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 257 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 348
Sem prejuízo de exigências especiais da lei, é obrigatório o uso de Livro Diário,
encadernado com folhas numeradas seguidamente, em que serão lançados,
dia a dia, diretamente ou por reprodução, os atos ou operações da atividade,
ou que modifiquem ou possam vir a modificar a situação patrimonial da
pessoa jurídica.
Comentário
VERDADEIRO. A obrigatoriedade de escrituração do Livro Diário está prevista
no art. 258 do RIR.

Questão 349
A pessoa jurídica tributada pelo lucro real está dispensada da escrituração do
Livro Razão.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 259 do RIR, a pessoa jurídica tributada com base
no lucro real deverá manter, em boa ordem e segundo as normas contábeis

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 160 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

recomendadas, Livro Razão ou fichas utilizados para resumir e totalizar, por


conta ou subconta, os lançamentos efetuados no Diário, mantidas as demais
exigências e condições previstas na legislação.

Questão 350
A pessoa jurídica tributada pelo lucro real, além dos livros de contabilidade
previstos em leis e regulamentos, deverá possuir o Livro de Apuração do
Lucro Real – LALUR.
Comentário
VERDADEIRO. Obrigação acessória prevista no art. 260, III, do RIR.

Questão 351
Mesmo tributada pelo lucro real, o registro de inventário é opcional.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 260, I, do RIR, este registro é obrigatório.

Questão 352
A pessoa jurídica, além dos livros de contabilidade previstos em leis e
regulamentos, deverá possuir o livro para registro permanente de estoque,
para as pessoas jurídicas que exercerem atividades de compra, venda,
incorporação e construção de imóveis, loteamento ou desmembramento de
terrenos para venda.
Comentário
VERDADEIRO. Obrigação acessória prevista no art. 260, IV, do RIR.

Questão 353
No Livro de Inventário deverão ser arrolados, com especificações que
facilitem sua identificação, as mercadorias, os produtos manufaturados, as
matérias-primas, os produtos em fabricação e os bens em almoxarifado
existentes na data do balanço patrimonial levantado ao fim da cada período
de apuração.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da literalidade do art. 261 do Regulamento do Imposto
de Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 161 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 354
No LALUR a pessoa jurídica deverá manter os registros de controle dos
valores excedentes a serem utilizados no cálculo das deduções nos períodos
de apuração subsequentes, dos dispêndios com programa de alimentação ao
trabalhador, vale-transporte e outros previstos no Regulamento do Imposto
de Renda.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 262, IV, do RIR.

Questão 355
O LALUR não poderá ser escriturado mediante a utilização de sistema
eletrônico de processamento de dados, devendo ser observadas as normas
baixadas pela Secretaria da Receita Federal.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 263 do RIR, o LALUR poderá ser escriturado
mediante a utilização de sistema eletrônico de processamento de dados,
observadas as normas baixadas pela Secretaria da Receita Federal.

Questão 356
A pessoa jurídica é obrigada a conservar em ordem, pelo prazo de cinco anos,
os livros, documentos e papéis relativos a sua atividade, ou que se refiram a
atos ou operações que modifiquem ou possam vir a modificar sua situação
patrimonial.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 264 do RIR, a pessoa jurídica é obrigada a
conservar em ordem, enquanto não prescritas eventuais ações que lhes
sejam pertinentes, os livros, documentos e papéis relativos a sua atividade,
ou que se refiram a atos ou operações que modifiquem ou possam vir a
modificar sua situação patrimonial.
Devemos lembrar que a prescrição não coincidirá com 5 anos, eis que há
hipóteses de suspensão da exigibilidade do crédito tributário e interrupções
do prazo prescricional. Além disso, nem sempre o lançamento é efetuado de
imediato após a ocorrência do fato gerador.
Dessa forma, a prescrição, geralmente, ocorre após 5 anos do fato gerador.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 162 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 357
Ocorrendo extravio, deterioração ou destruição de livros, fichas, documentos
ou papéis de interesse da escrituração, a pessoa jurídica fará publicar, em
jornal de grande circulação do local de seu estabelecimento, aviso
concernente ao fato e deste dará minuciosa informação, dentro de quarenta
e oito horas, ao órgão competente do Registro do Comércio, remetendo cópia
da comunicação ao órgão da Secretaria da Receita Federal de sua jurisdição.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 264, §1º, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 358
Os comprovantes da escrituração da pessoa jurídica, relativos a fatos que
repercutam em lançamentos contábeis de exercícios futuros, serão
conservados até que se opere a decadência do direito de a Fazenda Pública
constituir os créditos tributários relativos a esses exercícios.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 264, §3º, do RIR.
Devemos observar que nem sempre o prazo decadencial tem marco inicial
na data do fato gerador. Por isso o RIR não prevê a obrigação pelo prazo de
5 anos, mas até a data em que se operar a decadência.

Questão 359
O contribuinte deverá elaborar demonstração do lucro real, discriminando o
lucro líquido do período de apuração, os lançamentos de ajuste do lucro
líquido, com a indicação, quando for o caso, dos registros correspondentes
na escrituração comercial ou fiscal e o lucro real.
Comentário
VERDADEIRO. A demonstração do lucro real obedece ao disposto no art. 275
do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 360
A demonstração do lucro real deverá ser transcrita no LALUR.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do parágrafo único do art. 275 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 163 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 361
A determinação do lucro real pelo contribuinte está sujeita à verificação pela
autoridade tributária, com base no exame de livros e documentos de sua
escrituração, excluídos aqueles efetuados na escrituração de outros
contribuintes, em informação ou esclarecimentos do contribuinte ou de
terceiros, ou em qualquer outro elemento de prova.
Comentário
FALSO. Estabelece o art. 276 do RIR que a determinação do lucro real pelo
contribuinte está sujeita à verificação pela autoridade tributária, com base no
exame de livros e documentos de sua escrituração, na escrituração de outros
contribuintes, em informação ou esclarecimentos do contribuinte ou de
terceiros, ou em qualquer outro elemento de prova.

Questão 362
Será classificado como lucro bruto o resultado das atividades, principais ou
acessórias, que constituam objeto da pessoa jurídica.
Comentário
FALSO. Este é o conceito de lucro operacional, previsto no art. 277 do RIR.

Questão 363
O lucro operacional corresponde à diferença entre a receita líquida das
vendas e serviços e o custo dos bens e serviços vendidos.
Comentário
FALSO. Este é o conceito de lucro bruto, previsto no art. 288 do RIR.

Questão 364
A receita bruta das vendas e serviços compreende o produto da venda de
bens nas operações de conta própria, o preço dos serviços prestados e o
resultado auferido nas operações de conta alheia.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a definição do art. 279 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 164 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 365
Na receita bruta se incluem também os impostos não cumulativos cobrados,
destacadamente, do comprador ou contratante, dos quais o vendedor dos
bens ou o prestador dos serviços seja mero depositário.
Comentário
FALSO. De acordo com o parágrafo único do art. 279 do RIR, na receita bruta
não se incluem os impostos não cumulativos cobrados, destacadamente, do
comprador ou contratante, dos quais o vendedor dos bens ou o prestador
dos serviços seja mero depositário.

Questão 366
A receita líquida de vendas e serviços será a receita bruta diminuída das
vendas canceladas, dos descontos concedidos incondicionalmente e dos
impostos incidentes sobre vendas.
Comentário
VERDADEIRO. Definição de receita líquida, prevista no art. 280 do RIR.

Questão 367
Caracterizada a omissão de receita, caberá à Fazenda Pública a prova da
procedência da presunção.
Comentário
FALSO. Nos termos do caput do art. 281 do Regulamento do Imposto de
Renda, caracterizada a omissão no registro de receita, cabe ao contribuinte a
prova da improcedência da presunção.

Questão 368
Presume-se a omissão de receita quando houver a indicação na escrituração
de saldo credor de caixa, a falta de escrituração de pagamentos efetuados ou
a manutenção no passivo de obrigações já pagas ou cuja exigibilidade não
seja comprovada.
Comentário
VERDADEIRO. Essas hipóteses estão previstas no art. 281 do RIR como
presunção de omissão de receita.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 165 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 369
Na omissão de receita, por indícios na escrituração do contribuinte ou
qualquer outro elemento de prova, não caberá arbitramento.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 282 do RIR, provada a omissão de receita, por
indícios na escrituração do contribuinte ou qualquer outro elemento de
prova, a autoridade tributária poderá arbitrá-la com base no valor dos
recursos de caixa fornecidos à empresa por administradores, sócios da
sociedade não anônima, titular da empresa individual, ou pelo acionista
controlador da companhia, se a efetividade da entrega e a origem dos
recursos não forem comprovadamente demonstradas.

Questão 370
Caracteriza omissão de receita ou de rendimentos, inclusive ganhos de
capital, a falta de emissão de nota fiscal, recibo ou documento equivalente,
no momento da efetivação das operações de venda de mercadorias,
prestação de serviços, operações de alienação de bens móveis, locação de
bens móveis e imóveis ou quaisquer outras transações realizadas com bens
ou serviços, bem como a sua emissão com valor inferior ao da operação.
Comentário
VERDADEIRO. Hipótese prevista no art. 283 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 371
Verificada por indícios a omissão de receita, a autoridade tributária poderá,
para efeito de determinação da base de cálculo sujeita à incidência do
imposto, arbitrar a receita do contribuinte, tomando por base as receitas,
apuradas em procedimento fiscal, correspondentes ao movimento diário das
vendas, da prestação de serviços e de quaisquer outras operações.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 284 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 372
Verificada a omissão de receita, a autoridade determinará o valor do imposto
e do adicional a serem lançados de acordo, situação em que irá determinar o
regime de tributação a que se submeterá a pessoa jurídica.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 166 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Nos termos do art. 288 do Regulamento do Importo de Renda,
verificada a omissão de receita, a autoridade determinará o valor do imposto
e do adicional a serem lançados de acordo com o regime de tributação a que
estiver submetida a pessoa jurídica no período de apuração a que
corresponder a omissão.

Questão 373
O custo das mercadorias revendidas e das matérias-primas utilizadas será
determinado com base em registro permanente de estoques ou no valor dos
estoques existentes, de acordo com o Livro de Inventário, no fim do período
de apuração.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 289 do RIR.

Questão 374
Ao final de cada mês, a pessoa jurídica deverá promover o levantamento e
avaliação dos seus estoques.
Comentário
FALSO. O levantamento dos estoques deverá ser feito ao final de cada
período de apuração, nos termos do art. 292 do RIR.

Questão 375
As mercadorias, as matérias-primas e os bens em almoxarifado serão
avaliados pelo custo de aquisição.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 293 do RIR.

Questão 376
Os produtos em fabricação e acabados serão avaliados pelo custo de
produção.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 394 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 167 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 377
O contribuinte que mantiver sistema de contabilidade de custo integrado e
coordenado com o restante da escrituração poderá utilizar os custos
apurados para avaliação dos estoques de produtos em fabricação e
acabados.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 294, §1º, do Regulamento do Imposto
de Renda.

Questão 378
Poderá ser computada, como custo ou encargo, em cada período de
apuração, a importância correspondente à diminuição do valor dos bens do
ativo resultante do desgaste pelo uso, ação da natureza e obsolescência
normal.
Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 305 do RIR.

Questão 379
Serão avaliados pelo valor de patrimônio líquido os investimentos relevantes
ou não da pessoa jurídica em quaisquer sociedades controladas ou coligadas.
Comentário
FALSO. BASTANTE ATENÇÃO!!!!!!!!!
Essa questão foi elaborada de modo a ilustrar a desatualização do RIR e as
possibilidades de cobrança em prova.
O art. 384 do Regulamento do Imposto de Renda assim dispõe:
Art. 384. Serão avaliados pelo valor de patrimônio líquido os investimentos
relevantes da pessoa jurídica (Lei nº 6.404, de 1976, art. 248, e Decreto-Lei
nº 1.598, de 1977, art. 67, inciso XI):
I - em sociedades controladas; e
II - em sociedades coligadas sobre cuja administração tenha influência, ou
de que participe com vinte por cento ou mais do capital social.

Perceba que o próprio Regulamento faz menção ao art. 248 da Lei 6.404/76
(grifo em laranja).

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 168 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

À época da edição do Regulamento, o referido dispositivo legal determinava


a avaliação pelo método da equivalência patrimonial apenas para os
investimentos considerados relevantes. Ademais, que fossem em
controladas ou em coligadas cuja administração tivesse influência, ou de que
participasse com vinte por cento ou mais do capital social. O RIR, mantém sua
redação original até hoje.
Assim podemos resumir a disciplina do Regulamento do Imposto de Renda:

Ocorre que a Lei 6.404/76 sofreu profundas mudanças por meio da Lei nº
11.638/07 e posteriormente pela MP 449/08, que foi convertida na Lei
11.941/09, entre elas:
• Indiferença da relevância do investimento.
• Indiferença da influência na administração de coligada.
• Indiferença do percentual de participação em coligada.

Segundo o atual §1º, do art. 243, da Lei nº 6.404/76, consideram-se coligadas


as sociedades nas quais a investidora tenha influência significativa. Haverá
essa influência (§4°, art. 243) quando a investidora detiver ou exercer o poder
de participar nas decisões das políticas financeira ou operacional da
investida, sem controlá-la.
Essa influência será presumida quando a investidora for titular de 20% ou
mais do capital votante da investida, sem controlá-la (§ 5°, art. 243).
Vejamos a atual disciplina da Lei 6.404/76:
Art. 248. No balanço patrimonial da companhia, os investimentos em
coligadas ou em controladas e em outras sociedades que façam parte de
um mesmo grupo ou estejam sob controle comum serão avaliados pelo
método da equivalência patrimonial.

A lei de 2009 afastava os efeitos da nova disciplina para as pessoas jurídicas


sujeitas ao RTT – Regime Tributário de Transição, devendo ser aplicadas para
essas empresas as disposições da lei de 2007.
Porém, com o fim do RTT, as disposições da Lei 11.941/2009 são plenamente
aplicáveis, passando a valer também para essas pessoas jurídicas a redação
atual do art. 248 da Lei 6.404/76.
Assim, temos a seguinte obrigatoriedade pela redação atual da Lei nº
6.404/76:
Antes da Lei nº 11.941/2009, a Lei nº 11.638/2007 já havia excluído a
expressão “relevantes” para definir quais investimentos seriam avaliados pela

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 169 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

equivalência patrimonial. Pela redação da Lei 11.638/2007, bastaria que os


investimentos caracterizassem influência significativa.
Portanto, no conceito de coligada não é mais levada em conta a participação
pura: a influência deve estar presente, seja de forma efetiva ou presumida.
Considera-se que há influência significativa quando a investidora detém ou
exerce o poder de participar nas decisões financeiras ou operacionais da
investida, sem controlá-la. Presume-se significativa a influência quando a
investidora for titular de 20% ou mais do capital votante da investida, sem
controla-la.
Podemos constatar que o RIR não acompanhou a evolução da legislação. Por
isso, devemos ficar muito atentos em questões de prova.
Se cair uma questão exigindo isso, o mais correto será considerar a nova
redação da Lei 6.404/76, eis que o próprio Regulamento, apesar de
desatualizado, faz menção ao seu art. 248.
De qualquer forma, na hora da prova, avalie bem o enunciado e as opções de
resposta, pois se for cobrada literalidade, mesmo sabendo que na prática já
se aplica outra regra, você terá que responder de acordo com o RIR.

Questão 380
Os lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior serão
computados na determinação do lucro real das pessoas jurídicas
correspondente ao balanço levantado em 31 de dezembro de cada ano.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 394 do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 381
Serão classificados como ganhos ou perdas de capital, e computados na
determinação do lucro real, os resultados na alienação, na desapropriação,
na baixa por perecimento, extinção, desgaste, obsolescência ou exaustão, ou
na liquidação de bens do ativo permanente.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da previsão do art. 418 do Regulamento.

Questão 382
Serão excluídas do lucro líquido do período de apuração, para efeito de
determinar o lucro real, as participações nos lucros da pessoa jurídica
atribuídas a partes beneficiárias de sua emissão e a seus administradores.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 170 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. As participações que a empresa atribuir a partes beneficiárias e seus
administradores representam adições do lucro real, conforme art. 463 do RIR.

Questão 383
A pessoa jurídica cuja receita bruta total, no ano-calendário anterior, tenha
sido igual ou inferior a quarenta e oito milhões de reais, ou a quatro milhões
de reais multiplicado pelo número de meses de atividade no ano-calendário
anterior, quando inferior a doze meses, poderá optar pelo regime de
tributação com base no lucro presumido.
Comentário
FALSO. BASTANTE ATENÇÃO! Essa foi uma mudança recente na legislação,
que passou a vigorar em 01/01/2014. O limite da receita bruta anual, para fins
de opção pelo lucro presumido, passou de R$48.000.000 para R$78.000.000.
A proporção mensal passou de R$4.000.000 para R$6.500.000.
O RIR está tão desatualizado que ainda consta em seu art. 516 o valor anual
de R$24.000.000.

Questão 384
A opção pela tributação com base no lucro presumido poderá ser alterada, a
critério do sujeito passivo.
Comentário
FALSO. Determina o art. 516, §1º, do Regulamento do Imposto de renda que
a opção pela tributação com base no lucro presumido será definitiva em
relação a todo o ano-calendário.

Questão 385
A pessoa jurídica que não esteja obrigada à tributação pelo lucro real (art.
246), poderá optar pela tributação com base no lucro presumido.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a regra geral para opção pela tributação com base no
lucro presumido e está prevista no art. 516, §3º, do RIR.

Questão 386
O lucro presumido será apurado mensalmente.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 171 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. O lucro presumido, diferentemente do lucro real, não comporta
opção. Será apurado sempre trimestralmente, conforme determina o art.
516, §5º, do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 387
A opção pelo lucro presumido será manifestada com o pagamento da
primeira ou única quota do imposto devido correspondente ao primeiro
período de apuração de cada ano-calendário.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra do art. 516, §4º, do RIR.

Questão 388
A base de cálculo trimestral para lucro presumido das pessoas jurídicas
prestadoras de serviços em geral cuja receita bruta anual seja de até cento e
vinte mil reais, será determinada mediante a aplicação do percentual de
dezesseis por cento sobre a receita bruta auferida no período de apuração.
Comentário
VERDADEIRO. Em regra, os serviços em geral apresentam percentual de
presunção de 32%. Porém, o RIR excepciona as empresas cuja receita bruta
anual seja inferior a R$120.000, reduzindo à metade o percentual previsto.
Trata-se da disposição do art. 519, §4º, do RIR.

Questão 389
Os ganhos de capital, os rendimentos e ganhos líquidos auferidos em
aplicações financeiras, as demais receitas e os resultados positivos serão
acrescidos à base de cálculo apurada com base no lucro presumido, para
efeito de incidência do imposto e do adicional.
Comentário
VERDADEIRO. As receitas que não constituam o objeto da empresa não
entram no computo da presunção. Serão tributados em sua totalidade pelo
imposto e, onde couber, pelo adicional. Assim determina o art. 521 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 172 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 390
Na apuração de ganho de capital, tratando-se lucro presumido, os valores
acrescidos em virtude de reavaliação somente poderão ser computados
como parte integrante dos custos de aquisição dos bens e direitos se a
empresa comprovar que os valores acrescidos foram computados na
determinação da base de cálculo do imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 521, §4º, do Regulamento.

Questão 391
Para efeito de pagamento do imposto com base no lucro presumido, a pessoa
jurídica poderá deduzir do imposto devido no período de apuração, o
imposto pago ou retido na fonte sobre as receitas que integraram a base de
cálculo, vedada qualquer dedução a título de incentivo fiscal.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 526 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 392
A pessoa jurídica habilitada à opção pelo regime de tributação com base no
lucro presumido deverá manter escrituração contábil nos termos da
legislação comercial.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se de obrigação prevista no art. 527, I, do Regulamento.

Questão 393
As pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido estão
dispensadas do Livro de Registro de Inventário.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 527, II, do RIR, as empresas tributadas com base
no lucro presumido deverão manter Livro Registro de Inventário, no qual
deverão constar registrados os estoques existentes no término do ano-
calendário.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 173 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 394
No caso de pessoa jurídica com atividades diversificadas tributadas com base
no lucro presumido, não sendo possível a identificação da atividade a que se
refere a receita omitida, esta será adicionada àquela que corresponder o
percentual mais elevado.
Comentário
VERDADEIRO. Esta determinação está prevista no parágrafo único do art. 528
do RIR.
Este dispositivo determina que a receita omitida, quando não identificada a
atividade, será adicionada à receita de maior percentual. Mas a que
percentual se refere o RIR? A receita de maior volume em termos percentuais
ou a receita de maior percentual de presunção?
O entendimento que temos adotado na fiscalização é de que será adicionada
à receita de maior percentual de presunção. O argumento é o seguinte: se a
omissão de receita já foi configurada e é inequívoca, caberia ao infrator
demonstrar que aquela omissão se refere a outra atividade. Caso contrário,
a fiscalização estaria desonerando o contribuinte. Senão, vejamos:
Todo contribuinte que atuasse na venda de mercadorias e na prestação de
serviços omitiria toda a receita dos serviços e esperaria a Receita autuar,
sabendo que iria considerar tudo como venda, aplicando, então 8%, ao invés
de 32% (claro que não estamos levando em conta a aplicação das multas pela
infração).
Ademais, entendemos que, se o legislador quisesse dar sentido diverso da
interpretação que acabamos de ver, teria utilizado a expressão “atividade
preponderante” para caracterizar a receita de maior volume.
Esse é o entendimento adotado no âmbito da RFB como um todo.

Questão 395
O imposto, devido trimestralmente, no decorrer do ano-calendário, será
determinado com base nos critérios do lucro arbitrado, quando o
contribuinte, obrigado à tributação com base no lucro real, não mantiver
escrituração na forma das leis comerciais e fiscais, ou deixar de elaborar as
demonstrações financeiras exigidas pela legislação fiscal.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é uma hipótese de arbitramento, prevista no art. 530, I, do
Regulamento do Imposto de Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 174 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 396
O contribuinte optar indevidamente pela tributação com base no lucro
presumido será tributado com base no lucro real.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 529, IV, o contribuinte optar indevidamente pela
tributação com base no lucro presumido será tributado com base nos
critérios do lucro arbitrado.

Questão 397
Quando conhecida a receita bruta, o contribuinte poderá efetuar o
pagamento do imposto correspondente com base no lucro arbitrado,
observadas as regras do Regulamento do Imposto de Renda.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da possibilidade de arbitramento pelo próprio
contribuinte.
ATENÇÃO! É bem provável que este artigo caia na prova. Geralmente, a ESAF
costuma exigi-lo questionando se é possível o arbitramento pelo
contribuinte. A resposta é positiva, porém somente quando conhecida a
receita bruta.

Questão 398
A apuração com base no lucro arbitrado abrangerá todo o ano-calendário,
assegurada, ainda, a tributação com base no lucro real relativa aos trimestres
não submetidos ao arbitramento, se a pessoa jurídica dispuser de
escrituração exigida pela legislação comercial e fiscal que demonstre o lucro
real dos períodos não abrangidos por aquela modalidade de tributação.
Comentário
VERDADEIRO. Transcrição do art. 531, I, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 399
O lucro arbitrado, quando não conhecida a receita bruta, será determinado
através de procedimento de ofício.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 535 do RIR. Quando não conhecida a receita
bruta, não haverá possibilidade de arbitramento pelo contribuinte, devendo
ser efetuado pela autoridade fiscal em procedimento de ofício.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 175 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 400
O arbitramento do lucro exclui a aplicação das penalidades cabíveis
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 538 do regulamento do Imposto de Renda, o
arbitramento do lucro não exclui a aplicação das penalidades cabíveis.

Questão 401
A pessoa jurídica, seja comercial ou civil o seu objeto, pagará o imposto à
alíquota de quinze por cento sobre o lucro real, presumido ou arbitrado.
Comentário
VERDADEIRO. A alíquota do imposto para as três modalidades de tributação
será sempre a mesma: 15%. O mesmo vale para o adicional, que terá alíquota
de 10%. O que difere nas três modalidades é a apuração da base de cálculo.

Questão 402
Estão sujeitos à incidência do imposto na fonte os rendimentos pagos aos
titulares, sócios, dirigentes, administradores e conselheiros de pessoas
jurídicas, a título de remuneração mensal por prestação de serviços, de
gratificação ou participação no resultado.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 637 do Regulamento do Imposto de
Renda.

Questão 403
Estão sujeitos à incidência do imposto na fonte à alíquota de um por cento os
rendimentos pagos ou creditados por pessoas jurídicas a outras pessoas
jurídicas civis ou mercantis pela prestação de serviços de limpeza,
conservação, segurança, vigilância e por locação de mão-de-obra.
Comentário
VERDADEIRO. Esses serviços, por força do art. 649 do RIR, têm a aplicação de
alíquota específica.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 176 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 404
Os pagamentos efetuados por órgãos, autarquias e fundações da
administração pública federal a pessoas jurídicas, pelo fornecimento de bens
ou prestação de serviços, estão sujeitos à incidência do imposto na fonte, sem
prejuízo da retenção relativa às contribuições.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 653 do RIR.

Questão 405
Estão compreendidos na incidência do imposto todos os ganhos e
rendimentos de capital, qualquer que seja a denominação que lhes seja dada,
independentemente da natureza, da espécie ou da existência de título ou
contrato escrito, bastando que decorram de ato ou negócio que, pela sua
finalidade, tenha os mesmos efeitos do previsto na norma específica de
incidência do imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 727 do RIR.

Questão 406
A pessoa jurídica que colocar no mercado ou alienar títulos de renda fixa está
dispensada de fornecer ao adquirente nota de negociação.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 728 do RIR, a pessoa jurídica que colocar no
mercado ou alienar títulos de renda fixa fornecerá ao adquirente nota de
negociação, conforme modelo aprovado pela Secretaria da Receita Federal
ou documento relativo à aplicação, identificando as partes intervenientes na
operação.

Questão 407
Está sujeito ao imposto, à alíquota de vinte por cento, o rendimento
produzido, a partir de 1º de janeiro de 1998, por aplicação financeira de renda
fixa, auferido por qualquer beneficiário, inclusive pessoa jurídica imune ou
isenta.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra da tributação das operações financeiras, prevista
no art. 729 do RIR.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 177 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 408
No caso de aplicações financeiras, é responsável pela retenção do imposto a
pessoa jurídica que efetuar o pagamento dos rendimentos.
Comentário
VERDADEIRO. Responsabilidade prevista no art. 733, I, do Regulamento do
Imposto de Renda.

Questão 409
Uma vez efetuada a retenção do imposto de renda, no caso de aplicações
financeiras, a fonte pagadora estará dispensada de fornecer aos beneficiários
comprovante dos rendimentos pagos e do imposto retido na fonte.
Comentário
FALSO. Por força do art. 733, parágrafo único, I, as fontes pagadoras deverão
fornecer aos beneficiários comprovante dos rendimentos pagos e do imposto
retido na fonte.

Questão 410
Os ganhos líquidos auferidos por qualquer beneficiário, inclusive pessoa
jurídica isenta, em operações realizadas nas bolsas de valores, de
mercadorias, de futuros e assemelhadas, serão tributados à alíquota de dez
por cento.
Comentário
VERDADEIRO. Alíquota específica, prevista no art. 758 do RIR.

Questão 411
O ouro, quando apresentar percentual de pureza acima de oitenta por cento,
quando destinado ao mercado financeiro ou à execução da política cambial
do País, em operações realizadas com a interveniência de instituições
integrantes do Sistema Financeiro Nacional, na forma e condições
autorizadas pelo Banco Central do Brasil, será, desde a extração, inclusive,
considerado ativo financeiro ou instrumento cambial.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 759 do RIR, o ouro em qualquer estado de pureza,
em bruto ou refinado, quando destinado ao mercado financeiro ou à
execução da política cambial do País, em operações realizadas com a
interveniência de instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional, na
forma e condições autorizadas pelo Banco Central do Brasil, será, desde a
extração, inclusive, considerado ativo financeiro ou instrumento cambial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 178 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 412
Em regra, os lucros e dividendos recebidos de outra pessoa jurídica
integrarão o lucro operacional.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 379 do Regulamento do Imposto de Renda.

Questão 413
O contribuinte que avaliar investimento em sociedade coligada ou controlada
pelo valor de patrimônio líquido deverá, por ocasião da aquisição da
participação, desdobrar o custo de aquisição em ágio ou deságio na
aquisição, que será a diferença entre o custo de aquisição do investimento e
o valor de patrimônio líquido na época da aquisição.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a determinação do art. 385, II, do RIR.

Questão 414
Em cada mês, o contribuinte deverá avaliar o investimento pelo valor de
patrimônio líquido da coligada ou controlada.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 387 do RIR, mm cada balanço, o contribuinte
deverá avaliar o investimento pelo valor de patrimônio líquido da coligada ou
controlada.

Questão 415
A contrapartida do ajuste por aumento do valor do patrimônio líquido do
investimento em virtude de reavaliação de bens do ativo da coligada ou
controlada, por esta utilizada para constituir reserva de reavaliação, deverá
ser compensada pela baixa do ágio na aquisição do investimento com
fundamento no valor de mercado dos bens reavaliados.
Comentário
VERDADEIRO. Procedimento previsto no art. 390 do Regulamento do Imposto
de Renda.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 179 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 416
Os rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior serão convertidos
em Reais de acordo com a taxa de câmbio, para venda, na data em que forem
contabilizados no Brasil.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 394, §1º, I, do RIR.

Questão 417
Caso a moeda em que for auferido o rendimento ou ganho de capital não
tiver cotação no Brasil, será ela convertida em dólares norte-americanos e,
em seguida, em Reais.
Comentário
VERDADEIRO. Regra prevista no art. 394, §1º, II, do RIR.

Questão 418
Os lucros realizados pela coligada serão adicionados ao lucro líquido, na
proporção da participação da pessoa jurídica no capital da coligada.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 394, §6º, I, do RIR.

Questão 419
A pessoa jurídica poderá compensar o imposto de renda incidente, no
exterior, sobre os lucros, rendimentos, ganhos de capital e receitas
decorrentes da prestação de serviços efetuada diretamente, computados no
lucro real, independente de limite, sobre os referidos lucros, rendimentos,
ganhos de capital e receitas de prestação de serviços.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 395 do RIR, A pessoa jurídica poderá compensar o
imposto de renda incidente, no exterior, sobre os lucros, rendimentos,
ganhos de capital e receitas decorrentes da prestação de serviços efetuada
diretamente, computados no lucro real, até o limite do imposto de renda
incidente, no Brasil, sobre os referidos lucros, rendimentos, ganhos de capital
e receitas de prestação de serviços.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 180 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 420
Os créditos de imposto de renda pagos no exterior, relativos a lucros,
rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior, somente serão
compensados com o imposto devido no Brasil, se referidos lucros,
rendimentos e ganhos de capital forem computados na base de cálculo do
imposto, no Brasil, até o final do segundo ano-calendário subsequente ao de
sua apuração.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 395, §6º, do Regulamento do Imposto de
Renda.

Praticar a literalidade do regulamento é muito importante para prova. Mas


para ficar 100% afiado em IRPJ, é necessário um bom conhecimento teórico
e a resolução de questões com comentários mais completos.
Conheça os materiais especiais para intensificar seus estudos:

Para o concurso de Auditor Fiscal:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Para o concurso de Analista Tributário:


MATERIAL TEÓRICO clique aqui QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 181 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados

200 questões

Questão 421
O IPI incide sobre produtos industrializados exclusivamente nacionais,
obedecidas as especificações constantes da Tabela de Incidência do Imposto
sobre Produtos Industrializados – TIPI.

Questão 422
O campo de incidência do imposto abrange todos os produtos com alíquota,
ainda que zero, relacionados na TIPI, observadas as disposições contidas nas
respectivas notas complementares, excluídos aqueles a que corresponde a
notação “NT” (não tributado).

Questão 423
Produto industrializado é o resultante de qualquer operação definida no
Regulamento do IPI como industrialização, exceto se incompleta, parcial ou
intermediária.

Questão 424
Caracteriza industrialização qualquer operação que modifique a natureza, o
funcionamento, o acabamento, a apresentação ou a finalidade do produto,
ou o aperfeiçoe para consumo.

Questão 425
Considera-se industrialização a operação que, exercida sobre matérias-
primas ou produtos intermediários, importe na obtenção de espécie nova.

Questão 426
Representa montagem a operação que importe em modificar, aperfeiçoar ou,
de qualquer forma, alterar o funcionamento, a utilização, o acabamento ou a
aparência do produto.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 182 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 427
A operação que consista na reunião de produtos, peças ou partes e de que
resulte um novo produto ou unidade autônoma, quando sob a mesma
classificação fiscal não constitui industrialização.

Questão 428
Constitui recondicionamento a operação que importe em alterar a
apresentação do produto, pela colocação da embalagem, ainda que em
substituição da original, salvo quando a embalagem colocada se destine
apenas ao transporte da mercadoria.

Questão 429
Constitui reacondicionamento a operação a que, exercida sobre produto
usado ou parte remanescente de produto deteriorado ou inutilizado, renove
ou restaure o produto para utilização.

Questão 430
O processo utilizado para obtenção do produto e a localização e condições
das instalações ou equipamentos empregados são relevantes, para
caracterizar a operação como industrialização.

Questão 431
Não se considera industrialização o preparo de produtos alimentares, não
acondicionados em embalagem de apresentação na residência do
preparador ou em restaurantes, bares, sorveterias, confeitarias, padarias,
quitandas e semelhantes, desde que os produtos se destinem a venda direta
a consumidor.

Questão 432
Não se considera industrialização o preparo de produtos alimentares, não
acondicionados em embalagem de apresentação em cozinhas industriais,
quando destinados a venda direta a pessoas jurídicas e a outras entidades,
para consumo de seus funcionários, empregados ou dirigentes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 183 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 433
Considera-se industrialização, na modalidade de transformação, o preparo
de refrigerantes, à base de extrato concentrado, por meio de máquinas,
automáticas ou não, em restaurantes, bares e estabelecimentos similares,
para venda direta a consumidor.

Questão 434
Não se considera industrialização a confecção de vestuário, por encomenda
direta do consumidor ou usuário, em oficina ou na residência do
confeccionador.

Questão 435
Constitui fato gerador do IPI a manipulação em farmácia, para venda direta a
consumidor, de medicamentos oficinais e magistrais, mediante receita
médica.

Questão 436
A operação efetuada fora do estabelecimento industrial, consistente na
reunião de produtos, peças ou partes e de que resulte edificação (casas,
edifícios, pontes, hangares, galpões e semelhantes, e suas coberturas) será
tributada pelo IPI.

Questão 437
A montagem de óculos, mediante receita médica não constitui
industrialização.

Questão 438
Considera-se industrialização o reparo de produtos com defeito de
fabricação, inclusive mediante substituição de partes e peças, ainda que a
operação for executada gratuitamente por concessionários ou
representantes, em virtude de garantia dada pelo Fabricante.

Questão 439
Desde que fabricante e varejista não sejam empresas interdependentes,
controladora, controlada ou coligadas, não se considera industrialização a
mistura de tintas entre si, ou com concentrados de pigmentos, sob
encomenda do consumidor ou usuário, realizada em estabelecimento
comercial varejista, efetuada por máquina automática ou manual.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 184 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 440
Quando a incidência do imposto estiver condicionada à forma de embalagem
do produto, entender-se- como acondicionamento para transporte, o que se
destinar precipuamente a tal fim e como acondicionamento de apresentação,
os demais.

Questão 441
O acondicionamento do produto, ou a sua forma de apresentação, será
irrelevante quando a incidência do imposto estiver condicionada ao peso de
sua unidade.

Questão 442
Estabelecimento industrial é o que executa qualquer das operações de
industrialização, de que resulte produto tributado, exceto aquele de alíquota
zero ou isento

Questão 443
Equiparam-se a estabelecimento industrial os estabelecimentos
importadores de produtos de procedência estrangeira, que derem saída a
esses produtos.

Questão 444
Os estabelecimentos varejistas que receberem, para comercialização,
diretamente da repartição que os liberou, produtos importados por outro
estabelecimento da mesma firma não são equiparados a industrial.

Questão 445
Equiparam-se a estabelecimento industrial os estabelecimentos comerciais
de produtos cuja industrialização tenha sido realizada por outro
estabelecimento da mesma firma ou de terceiro, mediante a remessa, por
eles efetuada, de matérias-primas, produtos intermediários, embalagens,
recipientes, moldes, matrizes ou modelos.

Questão 446
Os estabelecimentos, atacadistas ou varejistas, que adquirirem produtos de
procedência estrangeira, importados por encomenda ou por sua conta e
ordem, desde que por intermédio de pessoa jurídica importadora, não são
equiparados a industrial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 185 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 447
Os estabelecimentos industriais quando derem saída a matéria-prima,
produto intermediário e material de embalagem, adquiridos de terceiros,
com destino a outros estabelecimentos, para industrialização ou revenda,
serão considerados estabelecimentos comerciais de bens de produção e
obrigatoriamente equiparados a estabelecimento industrial em relação a
essas operações.

Questão 448
Equiparam-se a estabelecimento industrial, por opção os estabelecimentos
comerciais que derem saída a bens de produção, para estabelecimentos
industriais ou revendedores.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 449


Os produtos estão distribuídos na TIPI por Seções, Capítulos, Subcapítulos,
Posições, Subposições, Itens e Subitens.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 450


Far-se-á a classificação dos produtos em conformidade com as Regras Gerais
para Interpretação - RGI, Regras Gerais Complementares - RGC e Notas
Complementares - NC, todas da Nomenclatura Comum do MERCOSUL - NCM,
integrantes do seu texto.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 451


As Notas Explicativas do Sistema Harmonizado de Designação e de
Codificação de Mercadorias - NESH, do Conselho de Cooperação Aduaneira
na versão luso-brasileira, efetuada pelo Grupo Binacional Brasil/Portugal, e
suas alterações aprovadas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil,
constituem elementos subsidiários de caráter fundamental para a correta
interpretação do conteúdo das Posições e Subposições, bem como das Notas
de Seção, Capítulo, Posições e de Subposições da Nomenclatura do Sistema
Harmonizado.

Questão 452
O importador é obrigado ao pagamento do IPI como responsável, em relação
ao fato gerador decorrente do desembaraço aduaneiro de produto de
procedência estrangeira.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 186 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 453
O industrial é contribuinte do IPI em relação ao fato gerador decorrente da
saída de produto que industrializar em seu estabelecimento, bem como
quanto aos demais fatos geradores decorrentes de atos que praticar.

Questão 454
É definido como responsável o estabelecimento equiparado a industrial,
quanto ao fato gerador relativo aos produtos que dele saírem, bem como
quanto aos demais fatos geradores decorrentes de atos que praticar.

Questão 455
São ainda responsáveis os que consumirem ou utilizarem em outra
finalidade, ou remeterem a pessoas que não sejam empresas jornalísticas ou
editoras, o papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos,
quando alcançado pela imunidade.

Questão 456
Considera-se contribuinte autônomo qualquer estabelecimento de
importador, industrial ou comerciante, em relação a cada fato gerador que
decorra de ato que praticar.

Questão 457
O transportador é contribuinte do IPI, em relação aos produtos tributados
que transportar, desacompanhados da documentação comprobatória de sua
procedência.

Questão 458
É contribuinte do IPI o possuidor ou detentor, em relação aos produtos
tributados que possuir ou mantiver para fins de venda ou industrialização,
quando desacompanhados da documentação comprobatória de sua
procedência.

Questão 459
É sujeito passivo do IPI na qualidade de responsável o estabelecimento
adquirente de produtos usados cuja origem não possa ser comprovada pela
falta de marcação, se exigível, de documento fiscal próprio.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 187 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 460
Em regra, o proprietário, o possuidor, o transportador ou qualquer outro
detentor de cigarros e bebidas nacionais, saídos do estabelecimento
industrial com imunidade ou suspensão do imposto, para exportação,
encontrados no País em situação diversa, é responsável pelo IPI.

Questão 461
São sujeitos passivos do IPI os estabelecimentos que possuírem produtos
tributados ou isentos, sujeitos a serem rotulados ou marcados, ou, ainda, ao
selo de controle, quando não estiverem rotulados, marcados ou selados.

Questão 462
Aqueles que desatenderem as normas e requisitos a que estiver
condicionada a imunidade, a isenção ou a suspensão do IPI, serão
considerados contribuintes.

Questão 463
É responsável pelo IPI a pessoa física ou jurídica que não seja empresa
jornalística ou editora, em cuja posse for encontrado o papel, destinado à
impressão de livros, jornais e periódicos.

Questão 464
É ainda responsável, por substituição, o industrial ou equiparado a industrial,
mediante requerimento, em relação às operações anteriores, concomitantes
ou posteriores às saídas que promover, nas hipóteses e condições
estabelecidas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.

Questão 465
Responde subsidiariamente pelo IPI o adquirente ou cessionário de
mercadoria importada beneficiada com isenção ou redução do imposto pelo
seu pagamento e dos acréscimos legais.

Questão 466
É solidariamente responsável o adquirente de mercadoria de procedência
estrangeira, no caso de importação realizada por sua conta e ordem, por
intermédio de pessoa jurídica importadora, pelo pagamento do imposto e
acréscimos legais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 188 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 467
São solidariamente responsáveis com o sujeito passivo, no período de sua
administração, gestão ou representação, os acionistas controladores, e os
diretores, gerentes ou representantes de pessoas jurídicas de direito privado,
pelos créditos tributários decorrentes do não recolhimento do imposto no
prazo legal.

Questão 468
A capacidade jurídica para ser sujeito passivo da obrigação tributária decorre
exclusivamente do fato de se encontrar a pessoa nas condições previstas em
lei, no RIPI ou nos atos administrativos de caráter normativo destinados a
completá-lo, como dando lugar à referida obrigação.

Questão 469
São relevantes, para excluir a responsabilidade pelo cumprimento da
obrigação ou a decorrente de sua inobservância as causas que, de acordo
com o direito privado, excluam a capacidade civil das pessoas naturais.

Questão 470
A inexistência de estabelecimento fixo, e a sua clandestinidade ou a
precariedade de suas instalações são irrelevantes, para excluir a
responsabilidade pelo cumprimento da obrigação ou a decorrente de sua
inobservância.

Questão 471
Considera-se domicílio tributário do sujeito passivo se pessoa jurídica de
direito privado, ou firma individual, o lugar do estabelecimento responsável
pelo cumprimento da obrigação tributária.

Questão 472
O domicílio fiscal da pessoa jurídica de direito público será o lugar da situação
da repartição responsável pelo cumprimento da obrigação tributária.

Questão 473
O domicílio fiscal do comerciante ambulante será a sede de seus negócios ou,
na impossibilidade de determinação dela, o local de sua residência habitual,
ou qualquer dos lugares em que exerça a sua atividade, quando não tenha
residência certa ou conhecida.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 189 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 474
No caso específico do IPI, a autoridade administrativa pode recusar o
domicílio eleito, anda quando impossibilite ou dificulte a arrecadação ou a
fiscalização do tributo.

Questão 475
O desembaraço aduaneiro de produto de procedência estrangeira constitui
fato gerador do IPI.

Questão 476
A saída de produto do estabelecimento industrial, ou equiparado a industrial
representa fato gerador do IPI.

Questão 477
De acordo com o Regulamento do IPI, a arrematação de produto
industrializado, quando apreendido ou abandonado e levado a leilão,
constitui fato gerador do imposto.

Questão 478
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI na entrega ao comprador, quanto
aos produtos vendidos por intermédio de ambulantes.

Questão 479
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI na saída da repartição que
promoveu o desembaraço aduaneiro, quanto aos produtos que, por ordem
do importador, forem remetidos diretamente a terceiros.

Questão 480
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI na emissão da nota fiscal de bens
de produção dos associados para as suas cooperativas, equiparadas, por
opção, a estabelecimento industrial

Questão 481
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI no quarto dia da data da emissão
da respectiva nota fiscal, quanto aos produtos que até o dia anterior não
tiverem deixado o estabelecimento do contribuinte.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 190 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 482
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI no início do consumo ou da
utilização do papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos, em
finalidade diferente da que lhe é prevista na imunidade, ou na saída do
fabricante, do importador ou de seus estabelecimentos distribuidores, para
pessoas que não sejam empresas jornalísticas ou editoras.

Questão 483
Se a venda tiver sido feita antes de concluída a operação industrial, considera-
se ocorrido o fato gerador do IPI na aquisição, quanto aos produtos que,
antes de sair do estabelecimento que os tenha industrializado por
encomenda, sejam por este adquiridos.

Questão 484
Ocorre o fato gerador do IPI na data do vencimento do prazo de permanência
da mercadoria no recinto alfandegado, antes de aplicada a pena de
perdimento, quando as mercadorias importadas forem consideradas
abandonadas pelo decurso do referido prazo.

Questão 485
Na hipótese de venda, exposição à venda, ou consumo no território nacional,
de produtos destinados ao exterior, ou na hipótese de descumprimento das
condições estabelecidas para a isenção ou a suspensão do imposto,
considerar-se-á ocorrido o fato gerador na data da saída dos produtos do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial.

Questão 486
Constitui fato gerador do IPI o desembaraço aduaneiro de produto nacional
que retorne ao Brasil, quando enviado em consignação para o exterior e não
vendido nos prazos autorizados.

Questão 487
Não constitui fato gerador do IPI a saída de produtos incorporados ao ativo
permanente, após cinco anos de sua incorporação, pelo estabelecimento
industrial, ou equiparado a industrial, que os tenha industrializado ou
importado.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 191 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 488
A saída de produtos do estabelecimento industrial, ainda que por motivo de
mudança de endereço do estabelecimento, constitui fato gerador do IPI.

Questão 489
O imposto é devido sejam quais forem as finalidades a que se destine o
produto ou o título jurídico a que se faça a importação ou de que decorra a
saída do estabelecimento produtor.
Questão 490
Somente será permitida a saída ou o desembaraço de produtos com
suspensão do imposto quando observadas as normas do Regulamento do IPI
e as medidas de controle expedidas pela Secretaria da Receita Federal do
Brasil.

Questão 491
Quando não forem satisfeitos os requisitos que condicionaram a suspensão,
será concedido um prazo de 20 dias para o contribuinte regularizar a
situação.

Questão 492
Se a suspensão estiver condicionada à destinação do produto e a este for
dado destino diverso do previsto, estará o responsável pelo fato sujeito ao
pagamento do imposto e da penalidade cabível, como se a suspensão não
existisse.

Questão 493
Os produtos remetidos pelo estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial, diretamente a exposição em feiras de amostras e promoções
semelhantes poderão sair com suspensão do imposto.

Questão 494
Os produtos remetidos pelo estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial, a depósitos fechados ou armazéns-gerais, bem como aqueles
devolvidos ao remetente, não poderão sair com suspensão do imposto.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 192 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 495
Sairão com suspensão do IPI os produtos, destinados à exportação, que
saiam do estabelecimento industrial para recintos alfandegados.

Questão 496
Salvo expressa disposição em lei, as isenções do imposto referem-se ao
contribuinte ou adquirente e não ao produto.

Questão 497
A isenção de caráter subjetivo só exclui o crédito tributário quando o seu
titular estiver na situação de contribuinte ou de responsável.

Questão 498
O titular da isenção em nenhuma hipótese poderá renunciar ao benefício.

Questão 499
Se a isenção estiver condicionada à destinação do produto e a este for dado
destino diverso do previsto, estará o responsável pelo fato sujeito ao
pagamento do imposto e da penalidade cabível, como se a isenção não
existisse.

Questão 500
Salvo comprovado intuito de fraude, o imposto será devido, sem multa, se
recolhido após termo de início de procedimento fiscal, antes do fato
modificador da destinação, se está se der após um ano da ocorrência do fato
gerador, não sendo exigível após o decurso de três anos.

Questão 501
Os produtos desembaraçados como bagagem não poderão ser depositados
para fins comerciais ou expostos à venda, nem vendidos, senão com o
pagamento do imposto e dos acréscimos exigíveis.

Questão 502
São isentos do imposto os produtos industrializados por instituições de
educação ou de assistência social, quando se destinarem, exclusivamente, a
uso próprio ou a distribuição gratuita a seus educandos ou assistidos, no
cumprimento de suas finalidades.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 193 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 503
São isentos do IPI os produtos industrializados por estabelecimentos públicos
e autárquicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios,
que se destinarem a comércio.

Questão 504
São isentos do IPI as amostras de produtos para distribuição gratuita, de
diminuto ou nenhum valor comercial, assim considerados os fragmentos ou
partes de qualquer mercadoria, em quantidade estritamente necessária a dar
a conhecer a sua natureza, espécie e qualidade, independentemente de
qualquer exigência.

Questão 505
O papel destinado à impressão de músicas é isento do IPI.

Questão 506
É isento do IPI o material bélico, de uso privativo das Forças Armadas, vendido
à União, Estados, DF ou Municípios, na forma das instruções expedidas pelo
Secretário da Receita Federal do Brasil.

Questão 507
São isentos do IPI os produtos nacionais saídos do estabelecimento
industrial, ou equiparado a industrial, diretamente para lojas francas, desde
que atendidas as condições específicas.

Questão 508
São isentos do IPI os produtos importados diretamente por missões
diplomáticas e repartições consulares de caráter permanente e pelos
respectivos integrantes, e por representações, no País, de organismos
internacionais de caráter permanente, inclusive os de âmbito regional, dos
quais o Brasil seja membro, e pelos respectivos integrantes.

Questão 509
A bagagem de passageiros, quando desembaraçada com isenção do Imposto
de Importação na forma da legislação pertinente, será tributada pelo IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 194 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 510
São isentos do IPI os veículos automotores de qualquer natureza, máquinas,
equipamentos, bem como suas partes e peças separadas, quando destinadas
à utilização nas atividades das Polícias Militares, em todo o território nacional,
nas saídas de estabelecimento industrial ou equiparado a industrial.

Questão 511
São isentos do IPI os aparelhos transmissores e receptores de radiotelefonia
e radiotelegrafia, os veículos para patrulhamento policial, as armas e
munições, quando adquiridos pelos órgãos de segurança pública da União,
dos Estados e do Distrito Federal.

Questão 512
São isentos do imposto, até 31 de dezembro de 2014, os automóveis de
passageiros de fabricação nacional, equipados com motor de cilindrada não
superior a mil centímetros cúbicos, de no mínimo quatro portas, inclusive a
de acesso ao bagageiro, movidos a combustíveis de origem renovável ou
sistema reversível de combustão, quando adquiridos por motoristas
profissionais que exerçam, comprovadamente, em veículo de sua
propriedade, a atividade de condutor autônomo de passageiros, na condição
de titular de autorização, permissão ou concessão do Poder Público e que
destinem o automóvel à utilização na categoria de aluguel (táxi).

Questão 513
Fazem jus à isenção do IPI cooperativas de trabalho que sejam
permissionárias ou concessionárias de transporte público de passageiros, na
categoria de aluguel (táxi), desde que tais veículos se destinem à utilização
nessa atividade.

Questão 514
A exigência para aquisição de automóveis equipados com motor de cilindrada
não superior a dois mil centímetros cúbicos, de no mínimo quatro portas,
inclusive a de acesso ao bagageiro, movidos a combustíveis de origem
renovável ou sistema reversível de combustão não se aplica aos portadores
de deficiência.

Questão 515
O imposto incidirá normalmente sobre quaisquer acessórios opcionais que
não sejam equipamentos originais do veículo adquirido.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 195 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 516
A isenção do IPI na aquisição de veículos será reconhecida pela Secretaria da
Receita Federal do Brasil, mediante prévia verificação de que o adquirente
preenche os requisitos e condições.

Questão 517
A isenção do IPI sobre veículos somente poderá ser utilizada uma vez a cada
ano.

Questão 518
Os adquirentes de automóveis de passageiros com isenção do IPI deverão
comprovar a disponibilidade financeira ou patrimonial compatível com o
valor do veículo a ser adquirido.

Questão 519
Um ano após a aquisição do veículo com isenção, o adquirente poderá
efetuar sua alienação, independente de qualquer condição, sem incidência
do imposto.

Questão 520
No caso de falecimento ou incapacitação do motorista profissional, sem que
tenha efetivamente adquirido veículo profissional, o direito será transferido
ao cônjuge, ou ao herdeiro designado por esse ou pelo juízo, desde que seja
motorista profissional habilitado e destine o veículo ao serviço de táxi.

Questão 521
São isentos do imposto, de 1o de janeiro de 2009 até 31 de dezembro de
2013, os equipamentos e materiais importados, que possuam similar
nacional, destinados, exclusivamente, ao treinamento e preparação de
atletas e de equipes brasileiras para competições desportivas em jogos
olímpicos, paraolímpicos, pan-americanos, Parapan-americanos e mundiais.

Questão 522
O Poder Executivo, quando se tornar necessário para atingir os objetivos da
política econômica governamental, mantida a seletividade em função da
essencialidade do produto, ou, ainda, para corrigir distorções, poderá reduzir
alíquotas do imposto até zero ou majorá-las até vinte unidades percentuais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 196 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 523


As reduções do IPI referentes aos bens de procedência estrangeira estão
asseguradas na forma da legislação específica desde que satisfeitos os
requisitos e condições exigidos para a concessão do benefício análogo,
relativo ao Imposto de Importação.

Questão 524
São isentos do IPI os produtos industrializados na Zona Franca de Manaus,
destinados, ao seu consumo interno, inclusive as armas e munições, fumo,
bebidas alcoólicas e automóveis de passageiros.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 525


A remessa dos produtos para a Zona Franca de Manaus far-se-á com
suspensão do imposto até a sua entrada naquela área, quando então se
efetivará a isenção a que fizerem jus.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 526


Os produtos de procedência estrangeira importados pela Zona Franca de
Manaus serão desembaraçados com suspensão do imposto, que será
convertida em isenção quando os produtos forem ali consumidos ou
utilizados na industrialização de outros produtos, na pesca e na agropecuária,
na instalação e operação de indústrias e serviços de qualquer natureza, ou
estocados para exportação para o exterior, excetuados as armas e munições,
fumo, bebidas alcoólicas e automóveis de passageiros.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 527


Previamente ao ingresso de produtos na Zona Franca de Manaus, deverão
ser informados à SUFRAMA, em meio magnético ou pela Rede Mundial de
Computadores (Internet), os dados pertinentes aos documentos fiscais que
acompanham os produtos, pelo transportador da mercadoria, conforme
padrão conferido em software específico disponibilizado pelo órgão.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 528


A entrada de produtos estrangeiros em Áreas de Livre Comércio dar-se-á,
exclusivamente, por intermédio posto de fronteira da Área de Livre Comércio,
exigida consignação nominal a importador nela estabelecido.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 197 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 529


Os produtos estrangeiros ou nacionais enviados às Áreas de Livre Comércio
serão, obrigatoriamente, destinados às empresas autorizadas a operarem
nessas áreas.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 530


As empresas de desenvolvimento ou produção de bens e serviços de
informática e automação que invistam em atividades de pesquisa e
desenvolvimento em tecnologia da informação poderão pleitear isenção ou
redução do imposto para bens de informática e automação.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 531


A pessoa jurídica habilitada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil como
beneficiária do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da
Indústria de Semicondutores - PADIS poderá usufruir da redução das
alíquotas a zero.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 532


Serão desembaraçados com suspensão do imposto os bens, com similar
nacional, importados diretamente pelo beneficiário de Regime Especial de
Tributação para a Plataforma de Exportação de Serviços de Tecnologia da
Informação - REPES para a incorporação ao seu ativo imobilizado.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 533


Os incentivos e benefícios fiscais concedidos por prazo certo e em função de
determinadas condições a pessoa jurídica que vier a ser incorporada poderão
ser transferidos, por sucessão, à pessoa jurídica incorporadora, mediante
requerimento desta, desde que observados os limites e as condições fixados
na legislação que institui o incentivo ou o benefício.

Questão 534
De acordo com o Regulamento do IPI, o lançamento é o procedimento
destinado à constituição do crédito tributário, que se opera de ofício ou por
homologação mediante atos de iniciativa do sujeito passivo da obrigação
tributária, com o pagamento antecipado do imposto e a devida comunicação
à Secretaria da Receita Federal do Brasil.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 198 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 535
O lançamento do IPI compreende a descrição da operação que lhe dá origem,
a identificação do sujeito passivo, a descrição e classificação do produto, o
cálculo do imposto, com a declaração do seu valor e, sendo o caso, a
penalidade prevista.

Questão 536
Os atos do contribuinte inerentes ao lançamento por homologação deverão
ser efetuados, sob sua exclusiva responsabilidade, na saída do produto do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial.

Questão 537
No registro da declaração de importação no Sistema Integrado de Comércio
Exterior - SISCOMEX, quando do despacho aduaneiro de importação, o
contribuinte, sob sua exclusiva responsabilidade, realizará os atos de sua
iniciativa.

Questão 538
Os atos de iniciativa do sujeito passivo, no lançamento por homologação,
aperfeiçoam-se com o pagamento do imposto ou com a compensação deles,
efetuados após apuração da autoridade administrativa.

Questão 539
Para fins de lançamento por homologação, considera-se pagamento o
recolhimento do saldo devedor, após serem deduzidos os créditos admitidos
dos débitos, no período de apuração do imposto.

Questão 540
Considerar-se-ão efetuados os atos de iniciativa do sujeito passivo, para o
lançamento quando o documento for reputado sem valor por lei ou pelo
Regulamento do IPI.

Questão 541
Antecipado o recolhimento do imposto, o lançamento tornar-se-á definitivo
com a sua expressa homologação pela autoridade administrativa.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 199 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 542
Ter-se-á como homologado o lançamento efetuado nos termos do art. 183
quando sobre ele, após cinco anos da data da ocorrência do fato gerador da
obrigação tributária, a autoridade administrativa não se tenha pronunciado,
ainda que haja dolo, fraude ou simulação por parte do contribuinte.

Questão 543
Se o sujeito passivo não tomar as iniciativas para o lançamento o imposto
será lançado de ofício.

Questão 544
O documento hábil, para a sua realização, será o auto de infração ou a
notificação de lançamento, conforme a infração seja constatada,
respectivamente, no serviço interno ou no serviço externo da repartição.

Questão 545
O lançamento de ofício do IPI é atribuição dos ocupantes da carreira de
Auditoria da Receita Federal do Brasil.

Questão 546
Será facultado ao sujeito passivo da obrigação tributária antecipar os atos de
sua iniciativa, para o momento da venda, quando esta for à ordem ou para
entrega futura do produto.

Questão 547
O imposto será calculado mediante aplicação das alíquotas, constantes da
TIPI, sobre o valor tributável dos produtos.

Questão 548
A regra geral de cálculo do imposto exclui qualquer outra modalidade de
cálculo do imposto estabelecida em legislação específica.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 200 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 549
Salvo disposição em contrário do Regulamento do IPI, constitui valor
tributável dos produtos de procedência estrangeira o valor que servir ou que
serviria de base para o cálculo dos tributos aduaneiros, por ocasião do
despacho de importação, excluindo do montante esses tributos e os encargos
cambiais efetivamente pagos pelo importador ou dele exigíveis.

Questão 550
No caso de produtos nacionais, a base de cálculo do IPI será sempre o valor
total da operação de que decorrer a saída do estabelecimento industrial ou
equiparado a industrial.

Questão 551
O valor da operação, para fins de apuração da base de cálculo do IPI,
compreende o preço do produto, acrescido do valor do frete e das demais
despesas acessórias, cobradas ou debitadas pelo contribuinte ao comprador
ou destinatário.

Questão 552
Na determinação do valor da operação, será também considerado como
cobrado ou debitado pelo contribuinte, ao comprador ou destinatário, o valor
do frete, quando o transporte for realizado ou cobrado por firma
controladora ou controlada.

Questão 553
Podem ser deduzidos do valor da operação os descontos, diferenças ou
abatimentos, concedidos a qualquer título, ainda que incondicionalmente.

Questão 554
Considera-se valor tributável o preço corrente do produto ou seu similar, no
mercado atacadista da praça do remetente, na saída do produto do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial, quando a saída se der
a título de locação ou arrendamento mercantil ou decorrer de operação a
título gratuito, assim considerada também aquela que, em virtude de não
transferir a propriedade do produto, não importe em fixar-lhe o preço.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 201 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 555
O valor tributável poderá ser inferior ao preço corrente no mercado
atacadista da praça do remetente quando o produto for destinado a outro
estabelecimento do próprio remetente ou a estabelecimento de firma com a
qual mantenha relação de interdependência.

Questão 556
O valor tributável não poderá ser inferior a noventa e cinco por cento do
preço de venda aos consumidores, quando o produto for remetido a outro
estabelecimento da mesma empresa, desde que o destinatário opere
exclusivamente na venda a varejo.

Questão 557
O valor tributável não poderá ser inferior ao custo de fabricação do produto,
acrescido dos custos financeiros e dos de venda, administração e publicidade,
bem como do seu lucro normal e das demais parcelas que devam ser
adicionadas ao preço da operação, no caso de produtos saídos do
estabelecimento industrial, ou equiparado a industrial, com destino a
comerciante autônomo, ambulante ou não, para venda direta a consumidor.

Questão 558
O valor tributável não poderá ser inferior a setenta por cento do preço da
venda a consumidor no estabelecimento moageiro, nas remessas de café
torrado a estabelecimento comercial varejista que possua atividade acessória
de moagem.

Questão 559
Ainda que haja avaliação contraditória, decorrente de perícia, o Fisco poderá
arbitrar o valor tributável ou qualquer dos seus elementos, quando forem
omissos ou não merecerem fé os documentos expedidos pelas partes.

Questão 560
Salvo se for apurado o valor real da operação, nos casos em que este deva
ser considerado, o arbitramento tomará por base, sempre que possível, o
preço médio do produto no mercado do domicílio do contribuinte, ou, na sua
falta, nos principais mercados nacionais, no trimestre civil mais próximo ao
da ocorrência do fato gerador.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 202 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 561
A não cumulatividade é efetivada pelo sistema de crédito do imposto relativo
a produtos entrados no estabelecimento do contribuinte, para ser abatido do
que for devido pelos produtos dele saídos, num mesmo período.

Questão 562
O direito ao crédito não pode ser atribuído para anular o débito do imposto
referente a produtos saídos do estabelecimento e a este devolvidos ou
retornados.

Questão 563
Os estabelecimentos industriais e os que lhes são equiparados poderão
creditar-se do imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário e
material de embalagem, adquiridos para emprego na industrialização de
produtos tributados, incluindo-se, entre as matérias-primas e os produtos
intermediários, aqueles que, embora não se integrando ao novo produto,
forem consumidos no processo de industrialização, salvo se compreendidos
entre os bens do ativo permanente.

Questão 564
Os estabelecimentos industriais não poderão creditar-se do imposto relativo
a matéria-prima, produto intermediário e material de embalagem, quando
remetidos a terceiros para industrialização sob encomenda, sem transitar
pelo estabelecimento adquirente.

Questão 565
O imposto pago no desembaraço aduaneiro poderá ser objeto de
creditamento.

Questão 566
Os estabelecimentos poderão creditar-se do imposto pago sobre produtos
adquiridos com imunidade, isenção ou suspensão quando descumprida a
condição, em operação que dê direito ao crédito.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 203 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 567
Nas remessas de produtos para armazém-geral ou depósito fechado, o
direito ao crédito do imposto, quando admitido, é do estabelecimento
depositante.

Questão 568
Os estabelecimentos industriais, e os que lhes são equiparados, poderão,
ainda, creditar-se do imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário
e material de embalagem, adquiridos de comerciante atacadista, desde que
este seja contribuinte, calculado pelo adquirente, mediante aplicação da
alíquota a que estiver sujeito o produto, sobre setenta por cento do seu valor,
constante da respectiva nota fiscal.

Questão 569
As aquisições de produtos de estabelecimentos optantes pelo Simples
Nacional não ensejarão aos adquirentes direito a fruição de crédito do
imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário e material de
embalagem.

Questão 570
É permitido ao estabelecimento industrial, ou equiparado a industrial,
creditar-se do imposto relativo a produtos tributados recebidos em
devolução ou retorno, desde que total, vedado o retorno parcial.

Questão 571
No caso de locação ou arrendamento, a reentrada do produto no
estabelecimento remetente dará direito ao crédito do imposto, salvo se o
produto tiver sido submetido a nova industrialização e ocorrer nova saída
tributada.

Questão 572
O direito ao crédito do IPI por devolução ficará condicionado ao
cumprimento, entre outras exigências, pelo estabelecimento que fizer a
devolução, emissão de nota fiscal para acompanhar o produto, declarando o
número, data da emissão e o valor da operação constante do documento
originário, bem como indicando o imposto relativo às quantidades devolvidas
e a causa da devolução.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 204 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 573
Para fins de crédito do IPI, o estabelecimento que receber o produto em
devolução deverá escriturar as notas fiscais recebidas, nos livros Registro de
Entradas e Registro de Controle da Produção e do Estoque ou em sistema
equivalente.

Questão 574
Quando a devolução for feita por pessoa física ou jurídica não obrigada à
emissão de nota fiscal, acompanhará o produto carta ou memorando do
comprador, em que serão declarados os motivos da devolução, competindo
ao vendedor, na entrada, a emissão de nota fiscal com a indicação do
número, data da emissão da nota fiscal originária e do valor do imposto
relativo às quantidades devolvidas.

Questão 575
É vedado o crédito do imposto relativo às matérias-primas, aos produtos
intermediários e aos materiais de embalagem adquiridos para emprego na
industrialização de produtos destinados à exportação para o exterior, saídos
com imunidade.

Questão 576
É vedado o crédito do imposto relativo às matérias-primas, aos produtos
intermediários e aos materiais de embalagem adquiridos para emprego na
industrialização de produtos saídos com suspensão do imposto e que
posteriormente sejam destinados à exportação.

Questão 577
É admitido ao contribuinte creditar-se do valor do imposto, já escriturado, no
caso de cancelamento da respectiva nota fiscal, antes da saída da mercadoria.

Questão 578
A empresa produtora e exportadora de mercadorias nacionais fará jus a
crédito presumido do imposto, como ressarcimento de PIS e COFINS
incidentes sobre as respectivas aquisições, no mercado interno, de matéria-
prima, produto intermediário e material de embalagem, para utilização no
processo produtivo.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 205 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

EXCLUSIVA AFRFB Questão 579


Poderão apurar crédito presumido as pessoas jurídicas produtoras sujeitas à
incidência não cumulativa do PIS e da COFINS.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 580


O crédito presumido será obtido pelo resultado da aplicação do percentual
de cinco inteiros e trinta e sete centésimos por cento sobre a base de cálculo.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 581


A base de cálculo do crédito presumido será determinada mediante a
aplicação, sobre o valor total das aquisições de matéria-prima, produto
intermediário e material de embalagem, do percentual correspondente à
relação entre a receita de exportação e a receita operacional líquida do
produtor exportador.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 582


O crédito presumido será apurado por cada estabelecimento da empresa.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 583


O produtor exportador que fizer jus ao crédito presumido, no caso de
comprovada impossibilidade de sua dedução do imposto devido, nas
operações de venda no mercado interno, poderá aproveitá-lo na forma
estabelecida pelo Secretário da Receita Federal, inclusive mediante
ressarcimento em moeda corrente.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 584


A empresa comercial exportadora que houver adquirido mercadorias de
outra pessoa jurídica, com o fim específico de exportação para o exterior,
que, no prazo de cento e vinte dias, contados da data da emissão da nota
fiscal pela vendedora, não comprovar o seu embarque para o exterior ou, por
qualquer forma, tenha alienado ou utilizado as mercadorias, ficará sujeita ao
pagamento do imposto que deixou de ser pago pela pessoa jurídica
vendedora, acrescido de juros de mora e multa, de mora ou de ofício,
calculados na forma da legislação que rege a cobrança do tributo não pago,
bem como de valor correspondente ao do crédito presumido atribuído à
empresa produtora-vendedora.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 206 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 585
Os créditos serão escriturados pelo beneficiário, em seus livros fiscais, à vista
do documento que lhes confira legitimidade, nos casos dos créditos básicos,
incentivados ou decorrentes de devolução ou retorno de produtos, na efetiva
entrada dos produtos no estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial.

Questão 586
No caso de entrada simbólica de produtos, os créditos deverão ser
escriturados no recebimento da respectiva nota fiscal.

Questão 587
Nos casos de produtos adquiridos para utilização ou consumo próprio ou
para comércio, e eventualmente destinados a emprego como matéria-prima,
produto intermediário ou material de embalagem, não haverá possibilidade
de creditamento.

Questão 588
Será anulado, mediante estorno na escrita fiscal, o crédito do imposto relativo
a matéria-prima, produto intermediário e material de embalagem, que
tenham sido empregados na industrialização, ainda que para
acondicionamento, de produtos não tributados.

Questão 589
Quando, do confronto dos débitos e créditos, num período de apuração do
imposto, resultar saldo credor, este não poderá ser transferido para o
período seguinte

Questão 590
O período de apuração do imposto incidente nas saídas dos produtos do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial é trimestral.

Questão 591
A importância a recolher será na importação, a resultante do cálculo do
imposto constante do registro da declaração de importação no SISCOMEX.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 207 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 592
O imposto será recolhido antes da saída do produto da repartição que
processar o despacho, nos casos de importação.

Questão 593
O IPI incidentes sobre cigarros contendo tabaco deverá ser recolhido até o
décimo quinto dia do mês subsequente ao de ocorrência dos fatos geradores.

Questão 594
A regra geral é que o recolhimento seja efetuado até o vigésimo quinto dia
do mês subsequente ao de ocorrência dos fatos geradores, no caso dos
demais produtos.

Questão 595
É facultado ao contribuinte o recolhimento do imposto antes do vencimento
do prazo fixado.

Questão 596
Os fabricantes e os estabelecimentos obrigados a rotular ou marcar seus
produtos e os volumes que os acondicionarem, antes de sua saída do
estabelecimento, deverão indicar a firma, o número de inscrição, do
estabelecimento, no CNPJ, a situação do estabelecimento (localidade, rua e
número), a expressão “Indústria Brasileira” e outros elementos que, de
acordo com as normas deste Regulamento e das instruções complementares
expedidas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, forem considerados
necessários à perfeita classificação e controle dos produtos.

Questão 597
A rotulagem ou marcação será feita no produto e no seu recipiente,
envoltório ou embalagem, antes da saída do estabelecimento, por lotes de
fabricação, em lugar visível, por processo de gravação, estampagem ou
impressão com tinta indelével, ou por meio de etiquetas coladas, costuradas
ou apensadas, conforme for mais apropriado à natureza do produto, com
firmeza e que não se desprenda do produto, podendo a Secretaria da Receita
Federal do Brasil expedir as instruções complementares que julgar
convenientes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 208 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 598
Os produtos isentos conterão, em caracteres visíveis, a expressão “Isento do
IPI”.

Questão 599
Quanto aos selos de controle, em se tratando de bebidas alcoólicas, indicar-
se-á, ainda, a espécie da bebida (aguardente, cerveja, conhaque, vermute,
vinho, etc.), conforme a nomenclatura da TIPI.

Questão 600
Em regra a rotulagem ou marcação dos produtos industrializados no País
será feita no idioma inglês.

Questão 601
A Secretaria da Receita Federal do Brasil poderá exigir que os importadores,
licitantes e comerciantes, e as repartições fazendárias que desembaraçarem
ou alienarem mercadorias, aponham, nos produtos, rótulo, marca ou
número, quando entender a medida necessária ao controle fiscal, como
poderá prescrever para os estabelecimentos industriais e comerciais, de
ofício ou a requerimento do interessado, diferentes modalidades de
rotulagem, marcação e numeração.

Questão 602
A falta de rotulagem, marcação ou numeração, não descaracteriza a
identificação do produto.

Questão 603
Considerar-se-ão não rotulados ou não marcados os produtos com rótulos
ou marcas que apresentem indicações falsas.

Questão 604
São dispensados de rotulagem ou marcação as peças e acessórios de veículos
automotores, adquiridos para emprego pelo próprio estabelecimento
adquirente, na industrialização desses veículos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 209 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 605
É permitido ao estabelecimento importar, em determinadas situações,
fabricar, possuir, aplicar, vender ou expor à venda rótulos, etiquetas, cápsulas
ou invólucros que se prestem a indicar, como estrangeiro, produto nacional.

Questão 606
Estão sujeitos ao selo de os produtos relacionados em ato da Secretaria da
Receita Federal do Brasil, que poderá restringir a exigência a casos
específicos, bem como dispensar ou vedar o uso do selo.

Questão 607
Em regra, os produtos sujeitos ao selo podem ser liberados pelas repartições
fiscais, sair dos estabelecimentos industriais, ou equiparados a industrial, ou
ser expostos à venda, vendidos ou mantidos em depósitos fora dos mesmos
estabelecimentos, desde que em armazéns-gerais, sem que, antes, sejam
selados.

Questão 608
O emprego do selo dispensa a rotulagem ou marcação dos produtos, de
acordo com as normas previstas no Regulamento do IPI.

Questão 609
O selo de controle será confeccionado pela Secretaria da Receita Federal do
Brasil, que se encarregará também de sua distribuição aos estabelecimentos
adquirentes.

Questão 610
Em se tratando de cigarros de origem estrangeira, os selos de controle serão
distribuídos, limitados à quantidade igual ao número das unidades a
importar, previamente informadas, nos termos e condições estabelecidos
pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.

Questão 611
No caso da importação de cigarros, o importador providenciará a impressão,
nos selos de controle, de seu número de inscrição no CNPJ e classe de
enquadramento do cigarro e, posteriormente à chegada dos produtos no
País, efetuará a selagem.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 210 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 612
A falta do selo no produto, o seu uso em desacordo com as normas
estabelecidas ou a aplicação de espécie imprópria para o produto importarão
em considerar o produto respectivo como não identificado com o descrito
nos documentos fiscais.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 613


Os transportadores são solidariamente responsáveis pelo extravio dos
documentos que lhes tenham sido entregues pelos remetentes dos
produtos.

EXCLUSIVA AFRFB Questão 614


Os fabricantes, comerciantes e depositários que receberem ou adquirirem
produtos sujeitos ao selo de controle, para industrialização, comércio ou
depósito, ou para emprego ou utilização nos respectivos estabelecimentos,
produtos tributados ou isentos, serão sempre responsáveis pelos produtos
que estiverem sem o selo obrigatório.

Questão 615
Deve manter Registro Especial na Secretaria da Receita Federal do Brasil a
pessoa jurídica que exercer as atividades de comercialização e importação de
papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos.

Questão 616
A pessoa jurídica que adquirir o papel imune para a utilização na impressão
de livros, jornais e periódicos está dispensada do Registro Especial.

Questão 617
Em regra, as bebidas somente poderão ser remetidas ao comércio varejista,
expostas à venda ou vendidas no varejo, acondicionadas em recipientes de
capacidade máxima de um litro.

Questão 618
Em regra, as bebidas estrangeiras importadas a granel e reacondicionadas no
País, podem ser acondicionadas em recipientes de dois litros.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 211 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 619
Os cigarros destinados à exportação não poderão ser vendidos nem expostos
à venda no País, sendo o fabricante obrigado a imprimir, tipograficamente ou
por meio de etiqueta, nas embalagens de cada maço ou carteira de vinte
unidades, bem como nos pacotes e em outros envoltórios que as contenham,
em caracteres visíveis, o número do CNPJ.

Questão 620
Consideram-se como produtos estrangeiros introduzidos clandestinamente
no território nacional, para todos os efeitos legais, os cigarros nacionais
destinados à exportação que forem encontrados no País, salvo se em
trânsito, diretamente entre o estabelecimento industrial e os destinos
referidos no art. 343, desde que observadas as formalidades previstas para
cada operação.

Quer ficar afiado em IPI?


Acesse os materiais abaixo e aumente seu rendimento!

Para o concurso de Auditor Fiscal:


QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Para o concurso de Analista Tributário:


QUESTÕES COMENTADAS clique aqui

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 212 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

GABARITO – Questões IPI


421 422 423 424 425 426 427 428 429 430 431 432 433 434 435
F V F V V F F F F F V V F V F
436 437 438 439 440 441 442 443 444 445 446 447 448 449 450
F V F V V V F V F V F V V V V
451 452 453 454 455 456 457 458 459 460 461 462 463 464 465
V F V F F V F F V V V F V V F
466 467 468 469 470 471 472 473 474 475 476 477 478 479 480
V V V F V V V V F V V F V V F
481 482 483 484 485 486 487 488 489 490 491 492 493 494 495
V V F V V F V F V V F V V F V
496 497 498 499 500 501 502 503 504 505 506 507 508 509 510
F V F V F V V F F V F V V F F
511 512 513 514 515 516 517 518 519 520 521 522 523 524 525
V F V V V V F V F V F F V F V
526 527 528 529 530 531 532 533 534 535 536 537 538 539 540
V V F V V V F V V V V V F V F
541 542 543 544 545 546 547 548 549 550 551 552 553 554 555
V F V F F V V F F F V V F V F
556 557 558 559 560 561 562 563 564 565 566 567 568 569 570
F V V F V V F V F V V V F V F
571 572 573 574 575 576 577 578 579 580 581 582 583 584 585
F V V V F F V V F V F F F F V
586 587 588 589 590 591 592 593 594 595 596 597 598 599 600
V F V F F V V F V V V F V V F
601 602 603 604 605 606 607 608 609 610 611 612 613 614 615
V F V V F V F F F V F V F F V
616 617 618 619 620
F V F F V

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 213 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

IPI - Comentários

Questão 421
O IPI incide sobre produtos industrializados exclusivamente nacionais,
obedecidas as especificações constantes da Tabela de Incidência do Imposto
sobre Produtos Industrializados – TIPI.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 2º do RIPI, O imposto incide sobre produtos
industrializados, nacionais e estrangeiros, obedecidas as especificações
constantes da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos
Industrializados – TIPI.

Questão 422
O campo de incidência do imposto abrange todos os produtos com alíquota,
ainda que zero, relacionados na TIPI, observadas as disposições contidas nas
respectivas notas complementares, excluídos aqueles a que corresponde a
notação “NT” (não tributado).
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 2º, parágrafo único do RIPI. BASTANTE
ATENÇÃO!!! Este é o dispositivo que a ESAF mais cobrou em suas provas até
hoje e acredito que exigirá mais uma vez.

Questão 423
Produto industrializado é o resultante de qualquer operação definida no
Regulamento do IPI como industrialização, exceto se incompleta, parcial ou
intermediária.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 3º do RIPI, produto industrializado é o resultante
de qualquer operação definida neste Regulamento como industrialização,
mesmo incompleta, parcial ou intermediária.

Questão 424
Caracteriza industrialização qualquer operação que modifique a natureza, o
funcionamento, o acabamento, a apresentação ou a finalidade do produto,
ou o aperfeiçoe para consumo.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 214 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 4º, caput, do Regulamento do IPI.

Questão 425
Considera-se industrialização a operação que, exercida sobre matérias-
primas ou produtos intermediários, importe na obtenção de espécie nova.
Comentário
VERDADEIRO. Este é o conceito de transformação, modalidade de
industrialização prevista no art. 4º, I, do RIPI.

Questão 426
Representa montagem a operação que importe em modificar, aperfeiçoar ou,
de qualquer forma, alterar o funcionamento, a utilização, o acabamento ou a
aparência do produto.
Comentário
FALSO. Este é o conceito de beneficiamento, previsto no art. 4º, II, do RIPI.

Questão 427
A operação que consista na reunião de produtos, peças ou partes e de que
resulte um novo produto ou unidade autônoma, quando sob a mesma
classificação fiscal não constitui industrialização.
Comentário
FALSO. Considera-se industrialização a operação que consista na reunião de
produtos, peças ou partes e de que resulte um novo produto ou unidade
autônoma, ainda que sob a mesma classificação fiscal. Trata-se do conceito
de montagem, previsto no art. 4º, III, do RIPI.

Questão 428
Constitui recondicionamento a operação que importe em alterar a
apresentação do produto, pela colocação da embalagem, ainda que em
substituição da original, salvo quando a embalagem colocada se destine
apenas ao transporte da mercadoria.
Comentário
FALSO. Este é o conceito de acondicionamento ou reacondicionamento,
previstos no RIPI, art. 4º, IV.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 215 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 429
Constitui reacondicionamento a operação a que, exercida sobre produto
usado ou parte remanescente de produto deteriorado ou inutilizado, renove
ou restaure o produto para utilização.
Comentário
FALSO. Este é o conceito de recondicionamento, previstos no RIPI, art. 4º, IV.

Questão 430
O processo utilizado para obtenção do produto e a localização e condições
das instalações ou equipamentos empregados são relevantes, para
caracterizar a operação como industrialização.
Comentário
FALSO. Nos termos do parágrafo único do art. 4º do RIPI, são irrelevantes,
para caracterizar a operação como industrialização, o processo utilizado para
obtenção do produto e a localização e condições das instalações ou
equipamentos empregados.

Questão 431
Não se considera industrialização o preparo de produtos alimentares, não
acondicionados em embalagem de apresentação na residência do
preparador ou em restaurantes, bares, sorveterias, confeitarias, padarias,
quitandas e semelhantes, desde que os produtos se destinem a venda direta
a consumidor.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a disciplina do art. 5º, I, a, do RIPI.

Questão 432
Não se considera industrialização o preparo de produtos alimentares, não
acondicionados em embalagem de apresentação em cozinhas industriais,
quando destinados a venda direta a pessoas jurídicas e a outras entidades,
para consumo de seus funcionários, empregados ou dirigentes.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a disciplina do art. 5º, I, b, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 216 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 433
Considera-se industrialização, na modalidade de transformação, o preparo
de refrigerantes, à base de extrato concentrado, por meio de máquinas,
automáticas ou não, em restaurantes, bares e estabelecimentos similares,
para venda direta a consumidor.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 5º, II, do RIPI, não se considera industrialização o
preparo de refrigerantes, à base de extrato concentrado, por meio de
máquinas, automáticas ou não, em restaurantes, bares e estabelecimentos
similares, para venda direta a consumidor.

Questão 434
Não se considera industrialização a confecção de vestuário, por encomenda
direta do consumidor ou usuário, em oficina ou na residência do
confeccionador.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 5º, IV, do RIPI.

Questão 435
Constitui fato gerador do IPI a manipulação em farmácia, para venda direta a
consumidor, de medicamentos oficinais e magistrais, mediante receita
médica.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 5º, VI, do RIPI, esta operação não é considerada
industrialização.

Questão 436
A operação efetuada fora do estabelecimento industrial, consistente na
reunião de produtos, peças ou partes e de que resulte edificação (casas,
edifícios, pontes, hangares, galpões e semelhantes, e suas coberturas) será
tributada pelo IPI.
Comentário
FALSO. Trata-se de operação excluída do conceito de industrialização pelo art.
5º, VIII, do Regulamento do IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 217 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 437
A montagem de óculos, mediante receita médica não constitui
industrialização.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 5º, XI, do RIPI.

Questão 438
Considera-se industrialização o reparo de produtos com defeito de
fabricação, inclusive mediante substituição de partes e peças, ainda que a
operação for executada gratuitamente por concessionários ou
representantes, em virtude de garantia dada pelo Fabricante.
Comentário
FALSO. Esta operação, quando executada de forma gratuita em virtude de
garantia oferecida, não representa industrialização. Assim determina o art.
5º, XII.

Questão 439
Desde que fabricante e varejista não sejam empresas interdependentes,
controladora, controlada ou coligadas, não se considera industrialização a
mistura de tintas entre si, ou com concentrados de pigmentos, sob
encomenda do consumidor ou usuário, realizada em estabelecimento
comercial varejista, efetuada por máquina automática ou manual.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 5º, XIV, do Regulamento do IPI.

Questão 440
Quando a incidência do imposto estiver condicionada à forma de embalagem
do produto, entender-se- como acondicionamento para transporte, o que se
destinar precipuamente a tal fim e como acondicionamento de apresentação,
os demais.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a conceituação do art. 6º do RIPI.

Questão 441
O acondicionamento do produto, ou a sua forma de apresentação, será
irrelevante quando a incidência do imposto estiver condicionada ao peso de
sua unidade.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 218 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Regra estabelecida no art. 6º, §3º, do RIPI.

Questão 442
Estabelecimento industrial é o que executa qualquer das operações de
industrialização, de que resulte produto tributado, exceto aquele de alíquota
zero ou isento
Comentário
FALSO. ATENÇÃO!!! Este artigo também é muito cobrado.
De acordo com o art. 8º do RIPI, estabelecimento industrial é o que executa
qualquer das operações referidas no art. 4o, de que resulte produto
tributado, ainda que de alíquota zero ou isento.

Questão 443
Equiparam-se a estabelecimento industrial os estabelecimentos
importadores de produtos de procedência estrangeira, que derem saída a
esses produtos.
Comentário
VERDADEIRO. Equiparação prevista no art. 9º, I, do RIPI.

Questão 444
Os estabelecimentos varejistas que receberem, para comercialização,
diretamente da repartição que os liberou, produtos importados por outro
estabelecimento da mesma firma não são equiparados a industrial.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 9º, II, são equiparados a industrial os
estabelecimentos, ainda que varejistas, que receberem, para
comercialização, diretamente da repartição que os liberou, produtos
importados por outro estabelecimento da mesma firma.

Questão 445
Equiparam-se a estabelecimento industrial os estabelecimentos comerciais
de produtos cuja industrialização tenha sido realizada por outro
estabelecimento da mesma firma ou de terceiro, mediante a remessa, por
eles efetuada, de matérias-primas, produtos intermediários, embalagens,
recipientes, moldes, matrizes ou modelos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 219 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 9º, IV, do Regulamento do IPI.

Questão 446
Os estabelecimentos, atacadistas ou varejistas, que adquirirem produtos de
procedência estrangeira, importados por encomenda ou por sua conta e
ordem, desde que por intermédio de pessoa jurídica importadora, não são
equiparados a industrial.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 9º, IX, do RIPI, equiparam-se a estabelecimento
industrial os estabelecimentos, atacadistas ou varejistas, que adquirirem
produtos de procedência estrangeira, importados por encomenda ou por sua
conta e ordem, por intermédio de pessoa jurídica importadora.

Questão 447
Os estabelecimentos industriais quando derem saída a matéria-prima,
produto intermediário e material de embalagem, adquiridos de terceiros,
com destino a outros estabelecimentos, para industrialização ou revenda,
serão considerados estabelecimentos comerciais de bens de produção e
obrigatoriamente equiparados a estabelecimento industrial em relação a
essas operações.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 9º, §6º, do Regulamento do IPI.

Questão 448
Equiparam-se a estabelecimento industrial, por opção os estabelecimentos
comerciais que derem saída a bens de produção, para estabelecimentos
industriais ou revendedores.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da transcrição do art. 11, I, do RIPI.

Questão 449
Os produtos estão distribuídos na TIPI por Seções, Capítulos, Subcapítulos,
Posições, Subposições, Itens e Subitens.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 15 do Regulamento do IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 220 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 450
Far-se-á a classificação dos produtos em conformidade com as Regras Gerais
para Interpretação - RGI, Regras Gerais Complementares - RGC e Notas
Complementares - NC, todas da Nomenclatura Comum do MERCOSUL - NCM,
integrantes do seu texto.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 16 do Regulamento do IPI.

Questão 451
As Notas Explicativas do Sistema Harmonizado de Designação e de
Codificação de Mercadorias - NESH, do Conselho de Cooperação Aduaneira
na versão luso-brasileira, efetuada pelo Grupo Binacional Brasil/Portugal, e
suas alterações aprovadas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil,
constituem elementos subsidiários de caráter fundamental para a correta
interpretação do conteúdo das Posições e Subposições, bem como das Notas
de Seção, Capítulo, Posições e de Subposições da Nomenclatura do Sistema
Harmonizado.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 17 do Regulamento do IPI.

Questão 452
O importador é obrigado ao pagamento do IPI como responsável, em relação
ao fato gerador decorrente do desembaraço aduaneiro de produto de
procedência estrangeira.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 24, I, do RIPI, o importador, em relação ao fato
gerador decorrente do desembaraço aduaneiro de produto de procedência
estrangeira, deve pagar o imposto na qualidade de contribuinte.

Questão 453
O industrial é contribuinte do IPI em relação ao fato gerador decorrente da
saída de produto que industrializar em seu estabelecimento, bem como
quanto aos demais fatos geradores decorrentes de atos que praticar.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 24, II, do Regulamento do IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 221 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 454
É definido como responsável o estabelecimento equiparado a industrial,
quanto ao fato gerador relativo aos produtos que dele saírem, bem como
quanto aos demais fatos geradores decorrentes de atos que praticar.
Comentário
FALSO. O estabelecimento equiparado a industrial, quanto ao fato gerador
relativo aos produtos que dele saírem, bem como quanto aos demais fatos
geradores decorrentes de atos que praticar, é contribuinte do IPI, nos termos
do art. 24, III, do Regulamento.

Questão 455
São ainda responsáveis os que consumirem ou utilizarem em outra
finalidade, ou remeterem a pessoas que não sejam empresas jornalísticas ou
editoras, o papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos,
quando alcançado pela imunidade.
Comentário
FALSO. Esses serão contribuintes do imposto, de acordo com o art. 24, IV, do
Regulamento do IPI.

Questão 456
Considera-se contribuinte autônomo qualquer estabelecimento de
importador, industrial ou comerciante, em relação a cada fato gerador que
decorra de ato que praticar.
Comentário
VERDADEIRO. Assim o parágrafo único do art. 24 do RIPI confirma o princípio
da autonomia dos estabelecimentos.

Questão 457
O transportador é contribuinte do IPI, em relação aos produtos tributados
que transportar, desacompanhados da documentação comprobatória de sua
procedência.
Comentário
FALSO. Nessa condição, o transportador será responsável, nos termos do art.
25, I, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 222 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 458
É contribuinte do IPI o possuidor ou detentor, em relação aos produtos
tributados que possuir ou mantiver para fins de venda ou industrialização,
quando desacompanhados da documentação comprobatória de sua
procedência.
Comentário
FALSO. Nessa condição, será responsável, de acordo com o art. 25, II, do RIPI.

Questão 459
É sujeito passivo do IPI na qualidade de responsável o estabelecimento
adquirente de produtos usados cuja origem não possa ser comprovada pela
falta de marcação, se exigível, de documento fiscal próprio.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a determinação do art. 25, III, do RIPI.

Questão 460
Em regra, o proprietário, o possuidor, o transportador ou qualquer outro
detentor de cigarros e bebidas nacionais, saídos do estabelecimento
industrial com imunidade ou suspensão do imposto, para exportação,
encontrados no País em situação diversa, é responsável pelo IPI.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra estabelecida no art. 25, IV, do Regulamento do
IPI.

Questão 461
São sujeitos passivos do IPI os estabelecimentos que possuírem produtos
tributados ou isentos, sujeitos a serem rotulados ou marcados, ou, ainda, ao
selo de controle, quando não estiverem rotulados, marcados ou selados.
Comentário
VERDADEIRO. Serão sujeitos passivos na condição de responsáveis, conforme
determina o art. 25, V, do RIPI.

Questão 462
Aqueles que desatenderem as normas e requisitos a que estiver
condicionada a imunidade, a isenção ou a suspensão do IPI, serão
considerados contribuintes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 223 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Nessa situação serão responsáveis, conforme determina o art. 25, VI,
do RIPI.

Questão 463
É responsável pelo IPI a pessoa física ou jurídica que não seja empresa
jornalística ou editora, em cuja posse for encontrado o papel, destinado à
impressão de livros, jornais e periódicos.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 25, VIII, do RIPI.

Questão 464
É ainda responsável, por substituição, o industrial ou equiparado a industrial,
mediante requerimento, em relação às operações anteriores, concomitantes
ou posteriores às saídas que promover, nas hipóteses e condições
estabelecidas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da responsabilidade por substituição prevista no art.
26 do Regulamento do IPI.

Questão 465
Responde subsidiariamente pelo IPI o adquirente ou cessionário de
mercadoria importada beneficiada com isenção ou redução do imposto pelo
seu pagamento e dos acréscimos legais.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 27, II, do RIPI, o adquirente ou cessionário de
mercadoria importada beneficiada com isenção ou redução do imposto pelo
seu pagamento e dos acréscimos legais é solidariamente responsável.

Questão 466
É solidariamente responsável o adquirente de mercadoria de procedência
estrangeira, no caso de importação realizada por sua conta e ordem, por
intermédio de pessoa jurídica importadora, pelo pagamento do imposto e
acréscimos legais.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 27, III, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 224 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 467
São solidariamente responsáveis com o sujeito passivo, no período de sua
administração, gestão ou representação, os acionistas controladores, e os
diretores, gerentes ou representantes de pessoas jurídicas de direito privado,
pelos créditos tributários decorrentes do não recolhimento do imposto no
prazo legal.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 28 do Regulamento do IPI.

Questão 468
A capacidade jurídica para ser sujeito passivo da obrigação tributária decorre
exclusivamente do fato de se encontrar a pessoa nas condições previstas em
lei, no RIPI ou nos atos administrativos de caráter normativo destinados a
completá-lo, como dando lugar à referida obrigação.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 31, caput, do RIPI.

Questão 469
São relevantes, para excluir a responsabilidade pelo cumprimento da
obrigação ou a decorrente de sua inobservância as causas que, de acordo
com o direito privado, excluam a capacidade civil das pessoas naturais.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 31, parágrafo único, I, do RIPI, são irrelevantes,
para excluir a responsabilidade pelo cumprimento da obrigação ou a
decorrente de sua inobservância as causas que, de acordo com o direito
privado, excluam a capacidade civil das pessoas naturais.

Questão 470
A inexistência de estabelecimento fixo, e a sua clandestinidade ou a
precariedade de suas instalações são irrelevantes, para excluir a
responsabilidade pelo cumprimento da obrigação ou a decorrente de sua
inobservância.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 31, parágrafo único, IV, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 225 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 471
Considera-se domicílio tributário do sujeito passivo se pessoa jurídica de
direito privado, ou firma individual, o lugar do estabelecimento responsável
pelo cumprimento da obrigação tributária.
Comentário
VERDADEIRO. Regra prevista no art. 32, I, do RIPI.

Questão 472
O domicílio fiscal da pessoa jurídica de direito público será o lugar da situação
da repartição responsável pelo cumprimento da obrigação tributária.
Comentário
VERDADEIRO. Regra prevista no art. 32, II, do RIPI.

Questão 473
O domicílio fiscal do comerciante ambulante será a sede de seus negócios ou,
na impossibilidade de determinação dela, o local de sua residência habitual,
ou qualquer dos lugares em que exerça a sua atividade, quando não tenha
residência certa ou conhecida.
Comentário
VERDADEIRO. Regra prevista no art. 32, III, do RIPI.

Questão 474
No caso específico do IPI, a autoridade administrativa pode recusar o
domicílio eleito, anda quando impossibilite ou dificulte a arrecadação ou a
fiscalização do tributo.
Comentário
FALSO. A recusa do domicílio eleito é possibilidade prevista em lei de normas
gerais em matéria tributária, sendo de observância obrigatória pelas demais.
Nesse sentido o art. 32, §2º, do RIPI, estabelece que a autoridade
administrativa pode recusar o domicílio eleito, quando impossibilite ou
dificulte a arrecadação ou a fiscalização do tributo.

Questão 475
O desembaraço aduaneiro de produto de procedência estrangeira constitui
fato gerador do IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 226 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da previsão do art. 35, I, do RIPI.

Questão 476
A saída de produto do estabelecimento industrial, ou equiparado a industrial
representa fato gerador do IPI.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da previsão do art. 35, II, do RIPI.

Questão 477
De acordo com o Regulamento do IPI, a arrematação de produto
industrializado, quando apreendido ou abandonado e levado a leilão,
constitui fato gerador do imposto.
Comentário
FALSO. BASTANTE ATENÇÃO!!!!!!!!!!!
Vamos abrir um espaço aqui para detalhar um aspecto importante.
Sabemos que a Constituição Federal exige que lei complementar de normas
gerais defina os fatos geradores, bases de cálculo e contribuintes dos
impostos discriminados na própria Constituição (art. 146, III, a).
Esse papel é desempenhado pelo CTN, que assim define o fato gerador do
IPI:
“Art. 46. O imposto, de competência da União, sobre produtos
industrializados tem como fato gerador:
I - o seu desembaraço aduaneiro, quando de procedência estrangeira;
II - a sua saída dos estabelecimentos a que se refere o parágrafo único do
artigo 51;
III - a sua arrematação, quando apreendido ou abandonado e levado a
leilão.”

Logo, podemos concluir que a lei de normas gerais traçou três hipóteses de
incidência para o imposto sobre produtos industrializados:

Ocorre que, em 1981, a Receita Federal, por meio do Coordenador do


Sistema de Tributação, emitiu um Ato Declaratório Normativo que afastou a

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 227 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

incidência do IPI na arrematação de mercadoria apreendida ou abandonada.


Vejamos:

Pelo entendimento firmado no ADN CST nº 10/81, a Receita Federal entendia


não ser hipótese de incidência do IPI a arrematação.
Devemos observar, porém, que o inciso III, do art. 46 do CTN não foi revogado
pelo ADN. Este dispositivo apenas poderia ser revogado por lei
complementar e não por ato infralegal.
O que acontece é que, a partir do entendimento firmado, nas leis instituidoras
do IPI, o legislador optou por não prever esta hipótese de incidência.
Na esteira desse entendimento, o Regulamento do IPI dispõe:
“Art. 35. Fato gerador do imposto é:
I - o desembaraço aduaneiro de produto de procedência estrangeira; ou
II - a saída de produto do estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial.
Parágrafo único. Para efeito do disposto no inciso I, considerar-se-á
ocorrido o respectivo desembaraço aduaneiro da mercadoria que constar
como tendo sido importada e cujo extravio ou avaria venham a ser
apurados pela autoridade fiscal, inclusive na hipótese de mercadoria sob
regime suspensivo de tributação.”

Percebemos claramente que, de acordo com o RIPI:

Então, meu amigo, bastante atenção!!!!!


Na hora da prova observe bem o que se pede.
Se a prova for de Direito Tributário, é possível que a ESAF cobre o que consta
no CTN.
Na prova de Legislação Tributária, vale o que consta no RIPI, salvo se a
questão expressamente fizer menção ao CTN.
Nessa questão foi pedido de acordo com o RIPI. Logo, a assertiva é falsa.

Questão 478
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI na entrega ao comprador, quanto
aos produtos vendidos por intermédio de ambulantes.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 36, I, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 228 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 479
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI na saída da repartição que
promoveu o desembaraço aduaneiro, quanto aos produtos que, por ordem
do importador, forem remetidos diretamente a terceiros.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 36, III, do RIPI.

Questão 480
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI na emissão da nota fiscal de bens
de produção dos associados para as suas cooperativas, equiparadas, por
opção, a estabelecimento industrial
Comentário
FALSO. Determina o RIPI, em seu art. 36, V, que considera-se ocorrido o fato
gerador na saída de bens de produção dos associados para as suas
cooperativas, equiparadas, por opção, a estabelecimento industrial.

Questão 481
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI no quarto dia da data da emissão
da respectiva nota fiscal, quanto aos produtos que até o dia anterior não
tiverem deixado o estabelecimento do contribuinte.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 36, VI, do Regulamento do IPI.

Questão 482
Considera-se ocorrido o fato gerador do IPI no início do consumo ou da
utilização do papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos, em
finalidade diferente da que lhe é prevista na imunidade, ou na saída do
fabricante, do importador ou de seus estabelecimentos distribuidores, para
pessoas que não sejam empresas jornalísticas ou editoras.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 36, VIII, do Regulamento do IPI.

Questão 483
Se a venda tiver sido feita antes de concluída a operação industrial, considera-
se ocorrido o fato gerador do IPI na aquisição, quanto aos produtos que,
antes de sair do estabelecimento que os tenha industrializado por
encomenda, sejam por este adquiridos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 229 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Nos termos do art. 36, IX, do RIPI, considera-se ocorrido o fato gerador
do imposto se a venda tiver sido feita antes de concluída a operação
industrial, na conclusão desta, quanto aos produtos que, antes de sair do
estabelecimento que os tenha industrializado por encomenda, sejam por
este adquiridos.

Questão 484
Ocorre o fato gerador do IPI na data do vencimento do prazo de permanência
da mercadoria no recinto alfandegado, antes de aplicada a pena de
perdimento, quando as mercadorias importadas forem consideradas
abandonadas pelo decurso do referido prazo.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 36, XIII, do Regulamento.

Questão 485
Na hipótese de venda, exposição à venda, ou consumo no território nacional,
de produtos destinados ao exterior, ou na hipótese de descumprimento das
condições estabelecidas para a isenção ou a suspensão do imposto,
considerar-se-á ocorrido o fato gerador na data da saída dos produtos do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 37 do RIPI.

Questão 486
Constitui fato gerador do IPI o desembaraço aduaneiro de produto nacional
que retorne ao Brasil, quando enviado em consignação para o exterior e não
vendido nos prazos autorizados.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 38, I, a, do RIPI, não constitui fato gerador do IPI
o desembaraço aduaneiro de produto nacional que retorne ao Brasil, quando
enviado em consignação para o exterior e não vendido nos prazos
autorizados.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 230 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 487
Não constitui fato gerador do IPI a saída de produtos incorporados ao ativo
permanente, após cinco anos de sua incorporação, pelo estabelecimento
industrial, ou equiparado a industrial, que os tenha industrializado ou
importado.
Comentário
VERDADEIRO. Exclusão prevista no art. 38, III, do RIPI.

Questão 488
A saída de produtos do estabelecimento industrial, ainda que por motivo de
mudança de endereço do estabelecimento, constitui fato gerador do IPI.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 38, IV, do RIPI, não constitui fato gerador do
imposto a saída de produtos por motivo de mudança de endereço do
estabelecimento.

Questão 489
O imposto é devido sejam quais forem as finalidades a que se destine o
produto ou o título jurídico a que se faça a importação ou de que decorra a
saída do estabelecimento produtor.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a literalidade do art. 39 do Regulamento do IPI.

Questão 490
Somente será permitida a saída ou o desembaraço de produtos com
suspensão do imposto quando observadas as normas do Regulamento do IPI
e as medidas de controle expedidas pela Secretaria da Receita Federal do
Brasil.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 40 do RIPI.

Questão 491
Quando não forem satisfeitos os requisitos que condicionaram a suspensão,
será concedido um prazo de 20 dias para o contribuinte regularizar a
situação.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 231 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Nos termos do art. 42 do RIPI, quando não forem satisfeitos os
requisitos que condicionaram a suspensão, o imposto tornar-se-á
imediatamente exigível, como se a suspensão não existisse.

Questão 492
Se a suspensão estiver condicionada à destinação do produto e a este for
dado destino diverso do previsto, estará o responsável pelo fato sujeito ao
pagamento do imposto e da penalidade cabível, como se a suspensão não
existisse.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 42, §1º, do RIPI.

Questão 493
Os produtos remetidos pelo estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial, diretamente a exposição em feiras de amostras e promoções
semelhantes poderão sair com suspensão do imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Hipótese de suspensão prevista no art. 43, II, do RIPI.

Questão 494
Os produtos remetidos pelo estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial, a depósitos fechados ou armazéns-gerais, bem como aqueles
devolvidos ao remetente, não poderão sair com suspensão do imposto.
Comentário
FALSO. Contraria o disposto no art. 43, III.

Questão 495
Sairão com suspensão do IPI os produtos, destinados à exportação, que
saiam do estabelecimento industrial para recintos alfandegados.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 43, V, b, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 232 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 496
Salvo expressa disposição em lei, as isenções do imposto referem-se ao
contribuinte ou adquirente e não ao produto.
Comentário
FALSO. É exatamente o contrário. Nos termos do art. 50, do RIPI, salvo
expressa disposição em lei, as isenções do imposto referem-se ao produto e
não ao contribuinte ou adquirente.

Questão 497
A isenção de caráter subjetivo só exclui o crédito tributário quando o seu
titular estiver na situação de contribuinte ou de responsável.
Comentário
VERDADEIRO. Transcrição do art. 51 do RIPI.

Questão 498
O titular da isenção em nenhuma hipótese poderá renunciar ao benefício.
Comentário
FALSO. De acordo com o parágrafo único do art. 51 do RIPI, O titular da
isenção poderá renunciar ao benefício, obrigando-se a comunicar a renúncia
à unidade da Secretaria da Receita Federal do Brasil de sua jurisdição.

Questão 499
Se a isenção estiver condicionada à destinação do produto e a este for dado
destino diverso do previsto, estará o responsável pelo fato sujeito ao
pagamento do imposto e da penalidade cabível, como se a isenção não
existisse.
Comentário
VERDADEIRO. Regra disposta no art. 52 do RIPI.

Questão 500
Salvo comprovado intuito de fraude, o imposto será devido, sem multa, se
recolhido após termo de início de procedimento fiscal, antes do fato
modificador da destinação, se está se der após um ano da ocorrência do fato
gerador, não sendo exigível após o decurso de três anos.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 233 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Para que não haja incidência de multa, o recolhimento deverá ser
espontâneo, conforme art. 52, 1º, do RIPI.

Questão 501
Os produtos desembaraçados como bagagem não poderão ser depositados
para fins comerciais ou expostos à venda, nem vendidos, senão com o
pagamento do imposto e dos acréscimos exigíveis.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra aplicável, disposta no art. 53 do Regulamento do
IPI.

Questão 502
São isentos do imposto os produtos industrializados por instituições de
educação ou de assistência social, quando se destinarem, exclusivamente, a
uso próprio ou a distribuição gratuita a seus educandos ou assistidos, no
cumprimento de suas finalidades.
Comentário
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 54, I, do RIPI.

Questão 503
São isentos do IPI os produtos industrializados por estabelecimentos públicos
e autárquicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios,
que se destinarem a comércio.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 54, II, do RIPI, apenas são isentos os produtos
industrializados por estabelecimentos públicos e autárquicos da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, que não se destinarem a
comércio.

Questão 504
São isentos do IPI as amostras de produtos para distribuição gratuita, de
diminuto ou nenhum valor comercial, assim considerados os fragmentos ou
partes de qualquer mercadoria, em quantidade estritamente necessária a dar
a conhecer a sua natureza, espécie e qualidade, independentemente de
qualquer exigência.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 234 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. De acordo com o art. 54, III, do RIPI, para fazer jus à isenção, deverão
ser atendidas as seguintes condições:
a) indicação no produto e no seu envoltório da expressão “Amostra Grátis”,
em caracteres com destaque;
b) quantidade não excedente de vinte por cento do conteúdo ou do
número de unidades da menor embalagem da apresentação comercial do
mesmo produto, para venda ao consumidor; e
c) distribuição exclusivamente a médicos, veterinários e dentistas, bem
como a estabelecimentos hospitalares, quando se tratar de produtos da
indústria farmacêutica;

Questão 505
O papel destinado à impressão de músicas é isento do IPI.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se de isenção prevista no art. 54, VIII, do RIPI.

Questão 506
É isento do IPI o material bélico, de uso privativo das Forças Armadas, vendido
à União, Estados, DF ou Municípios, na forma das instruções expedidas pelo
Secretário da Receita Federal do Brasil.
Comentário
FALSO. Apenas é isento o fornecimento à União, até porque Forças Armadas
diz respeito ao Exército, Marinha a Aeronáutica. As polícias militares
representam Forças Auxiliares.

Questão 507
São isentos do IPI os produtos nacionais saídos do estabelecimento
industrial, ou equiparado a industrial, diretamente para lojas francas, desde
que atendidas as condições específicas.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 54, XIV, do Regulamento do IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 235 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 508
São isentos do IPI os produtos importados diretamente por missões
diplomáticas e repartições consulares de caráter permanente e pelos
respectivos integrantes, e por representações, no País, de organismos
internacionais de caráter permanente, inclusive os de âmbito regional, dos
quais o Brasil seja membro, e pelos respectivos integrantes.
Comentário
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 54, XVI, do RIPI.

Questão 509
A bagagem de passageiros, quando desembaraçada com isenção do Imposto
de Importação na forma da legislação pertinente, será tributada pelo IPI.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 54, XVII, do RIPI, é isenta do imposto a bagagem
de passageiros desembaraçada com isenção do Imposto de Importação na
forma da legislação pertinente.

Questão 510
São isentos do IPI os veículos automotores de qualquer natureza, máquinas,
equipamentos, bem como suas partes e peças separadas, quando destinadas
à utilização nas atividades das Polícias Militares, em todo o território nacional,
nas saídas de estabelecimento industrial ou equiparado a industrial.
Comentário
FALSO. A isenção atinge apenas os veículos e peças destinados às atividades
dos Corpos de Bombeiros, conforme determina o art. 54, XXIII, do RIPI.

Questão 511
São isentos do IPI os aparelhos transmissores e receptores de radiotelefonia
e radiotelegrafia, os veículos para patrulhamento policial, as armas e
munições, quando adquiridos pelos órgãos de segurança pública da União,
dos Estados e do Distrito Federal.
Comentário
VERDADEIRO. Transcrição do inciso XXVIII, do art. 54 do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 236 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 512
São isentos do imposto, até 31 de dezembro de 2014, os automóveis de
passageiros de fabricação nacional, equipados com motor de cilindrada não
superior a mil centímetros cúbicos, de no mínimo quatro portas, inclusive a
de acesso ao bagageiro, movidos a combustíveis de origem renovável ou
sistema reversível de combustão, quando adquiridos por motoristas
profissionais que exerçam, comprovadamente, em veículo de sua
propriedade, a atividade de condutor autônomo de passageiros, na condição
de titular de autorização, permissão ou concessão do Poder Público e que
destinem o automóvel à utilização na categoria de aluguel (táxi).
Comentário
FALSO. Apenas um detalhe incorreto: o limite é de 2.000 cm3, e não 1.000
como diz a assertiva. (art. 55 do RIPI).

Questão 513
Fazem jus à isenção do IPI cooperativas de trabalho que sejam
permissionárias ou concessionárias de transporte público de passageiros, na
categoria de aluguel (táxi), desde que tais veículos se destinem à utilização
nessa atividade.
Comentário
VERDADEIRO. Isenção prevista no art. 55, III, do RIPI.

Questão 514
A exigência para aquisição de automóveis equipados com motor de cilindrada
não superior a dois mil centímetros cúbicos, de no mínimo quatro portas,
inclusive a de acesso ao bagageiro, movidos a combustíveis de origem
renovável ou sistema reversível de combustão não se aplica aos portadores
de deficiência.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 55, §3º, do RIPI. Isso significa que para
adquirir o veículo com isenção do imposto, os portadores de deficiência não
precisam ser motoristas de táxi. O veículo poderá ser para uso pessoal.

Questão 515
O imposto incidirá normalmente sobre quaisquer acessórios opcionais que
não sejam equipamentos originais do veículo adquirido.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 237 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. A parcela isenta representa apenas o valor do veículo com seus
itens de fábrica, conforme determina o art. 56 do RIPI.

Questão 516
A isenção do IPI na aquisição de veículos será reconhecida pela Secretaria da
Receita Federal do Brasil, mediante prévia verificação de que o adquirente
preenche os requisitos e condições.
Comentário
VERDADEIRO. Essa é a determinação do art. 57 do Regulamento do IPI.

Questão 517
A isenção do IPI sobre veículos somente poderá ser utilizada uma vez a cada
ano.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 58, I, do RIPI, a isenção somente poderá ser
utilizada uma vez, salvo se o veículo tiver sido adquirido há mais de dois anos.

Questão 518
Os adquirentes de automóveis de passageiros com isenção do IPI deverão
comprovar a disponibilidade financeira ou patrimonial compatível com o
valor do veículo a ser adquirido.
Comentário
VERDADEIRO. Exigência do art. 58, II, do RIPI.

Questão 519
Um ano após a aquisição do veículo com isenção, o adquirente poderá
efetuar sua alienação, independente de qualquer condição, sem incidência
do imposto.
Comentário
FALSO. Determina o art. 59 do RIPI que a alienação do veículo adquirido nos
termos desta Seção, antes de dois anos contados da data da sua aquisição, a
pessoas que não satisfaçam às condições e aos requisitos estabelecidos nos
referidos diplomas legais acarretará o pagamento pelo alienante do tributo
dispensado, atualizado na forma da legislação tributária.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 238 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 520
No caso de falecimento ou incapacitação do motorista profissional, sem que
tenha efetivamente adquirido veículo profissional, o direito será transferido
ao cônjuge, ou ao herdeiro designado por esse ou pelo juízo, desde que seja
motorista profissional habilitado e destine o veículo ao serviço de táxi.
Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 60 do RIPI.

Questão 521
São isentos do imposto, de 1o de janeiro de 2009 até 31 de dezembro de
2013, os equipamentos e materiais importados, que possuam similar
nacional, destinados, exclusivamente, ao treinamento e preparação de
atletas e de equipes brasileiras para competições desportivas em jogos
olímpicos, paraolímpicos, pan-americanos, Parapan-americanos e mundiais.
Comentário
FALSO. O art. 61 do RIPI confere isenção a estes materiais. Porém, o §2º do
mesmo artigo estabelece que a isenção alcança, somente, os produtos sem
similar nacional.

Questão 522
O Poder Executivo, quando se tornar necessário para atingir os objetivos da
política econômica governamental, mantida a seletividade em função da
essencialidade do produto, ou, ainda, para corrigir distorções, poderá reduzir
alíquotas do imposto até zero ou majorá-las até vinte unidades percentuais.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 69 do RIPI, o Poder Executivo, quando se tornar
necessário para atingir os objetivos da política econômica governamental,
mantida a seletividade em função da essencialidade do produto, ou, ainda,
para corrigir distorções, poderá reduzir alíquotas do imposto até zero ou
majorá-las até trinta unidades percentuais.

Questão 523
As reduções do IPI referentes aos bens de procedência estrangeira estão
asseguradas na forma da legislação específica desde que satisfeitos os
requisitos e condições exigidos para a concessão do benefício análogo,
relativo ao Imposto de Importação.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 239 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Está de acordo com o disposto no art. 70 do RIPI.

Questão 524
São isentos do IPI os produtos industrializados na Zona Franca de Manaus,
destinados, ao seu consumo interno, inclusive as armas e munições, fumo,
bebidas alcoólicas e automóveis de passageiros.
Comentário
FALSO. Conforme o art. 81, I, são isentos do imposto os produtos
industrializados na Zona Franca de Manaus, destinados, ao seu consumo
interno, excluídos as armas e munições, fumo, bebidas alcoólicas e
automóveis de passageiros

Questão 525
A remessa dos produtos para a Zona Franca de Manaus far-se-á com
suspensão do imposto até a sua entrada naquela área, quando então se
efetivará a isenção a que fizerem jus.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 84 do Regulamento do IPI.

Questão 526
Os produtos de procedência estrangeira importados pela Zona Franca de
Manaus serão desembaraçados com suspensão do imposto, que será
convertida em isenção quando os produtos forem ali consumidos ou
utilizados na industrialização de outros produtos, na pesca e na agropecuária,
na instalação e operação de indústrias e serviços de qualquer natureza, ou
estocados para exportação para o exterior, excetuados as armas e munições,
fumo, bebidas alcoólicas e automóveis de passageiros.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 86 do RIPI.

Questão 527
Previamente ao ingresso de produtos na Zona Franca de Manaus, deverão
ser informados à SUFRAMA, em meio magnético ou pela Rede Mundial de
Computadores (Internet), os dados pertinentes aos documentos fiscais que
acompanham os produtos, pelo transportador da mercadoria, conforme
padrão conferido em software específico disponibilizado pelo órgão.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 240 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Esta obrigatoriedade está prevista no art. 90 do RIPI.

Questão 528
A entrada de produtos estrangeiros em Áreas de Livre Comércio dar-se-á,
exclusivamente, por intermédio posto de fronteira da Área de Livre Comércio,
exigida consignação nominal a importador nela estabelecido.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 100 do RIPI, a entrada de produtos estrangeiros
em Áreas de Livre Comércio dar-se-á, obrigatoriamente, por intermédio de
porto, aeroporto ou posto de fronteira da Área de Livre Comércio, exigida
consignação nominal a importador nela estabelecido.

Questão 529
Os produtos estrangeiros ou nacionais enviados às Áreas de Livre Comércio
serão, obrigatoriamente, destinados às empresas autorizadas a operarem
nessas áreas.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 101 do Regulamento do IPI.

Questão 530
As empresas de desenvolvimento ou produção de bens e serviços de
informática e automação que invistam em atividades de pesquisa e
desenvolvimento em tecnologia da informação poderão pleitear isenção ou
redução do imposto para bens de informática e automação.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da previsão do art. 140 do RIPI.

Questão 531
A pessoa jurídica habilitada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil como
beneficiária do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da
Indústria de Semicondutores - PADIS poderá usufruir da redução das
alíquotas a zero.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 150 do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 241 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 532
Serão desembaraçados com suspensão do imposto os bens, com similar
nacional, importados diretamente pelo beneficiário de Regime Especial de
Tributação para a Plataforma de Exportação de Serviços de Tecnologia da
Informação - REPES para a incorporação ao seu ativo imobilizado.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 171 do RIPI, os bens não podem ter similar
nacional.

Questão 533
Os incentivos e benefícios fiscais concedidos por prazo certo e em função de
determinadas condições a pessoa jurídica que vier a ser incorporada poderão
ser transferidos, por sucessão, à pessoa jurídica incorporadora, mediante
requerimento desta, desde que observados os limites e as condições fixados
na legislação que institui o incentivo ou o benefício.
Comentário
VERDADEIRO. Transcrição do art. 176 do RIPI.

Questão 534
De acordo com o Regulamento do IPI, o lançamento é o procedimento
destinado à constituição do crédito tributário, que se opera de ofício ou por
homologação mediante atos de iniciativa do sujeito passivo da obrigação
tributária, com o pagamento antecipado do imposto e a devida comunicação
à Secretaria da Receita Federal do Brasil.
Comentário
VERDADEIRO. Apesar de ser reservado à disciplina de lei complementar de
normas gerais, o conceito de lançamento é confirmado no RIPI, em seu art.
181, como sendo o procedimento destinado à constituição do crédito
tributário, que se opera de ofício ou por homologação mediante atos de
iniciativa do sujeito passivo da obrigação tributária, com o pagamento
antecipado do imposto e a devida comunicação à Secretaria da Receita
Federal do Brasil.

Questão 535
O lançamento do IPI compreende a descrição da operação que lhe dá origem,
a identificação do sujeito passivo, a descrição e classificação do produto, o
cálculo do imposto, com a declaração do seu valor e, sendo o caso, a
penalidade prevista.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 242 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Disposição do art. 181, I, do RIPI.

Questão 536
Os atos do contribuinte inerentes ao lançamento por homologação deverão
ser efetuados, sob sua exclusiva responsabilidade, na saída do produto do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 182, I, b, do Regulamento do IPI.

Questão 537
No registro da declaração de importação no Sistema Integrado de Comércio
Exterior - SISCOMEX, quando do despacho aduaneiro de importação, o
contribuinte, sob sua exclusiva responsabilidade, realizará os atos de sua
iniciativa.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 181, I, a, do RIPI.

Questão 538
Os atos de iniciativa do sujeito passivo, no lançamento por homologação,
aperfeiçoam-se com o pagamento do imposto ou com a compensação deles,
efetuados após apuração da autoridade administrativa.
Comentário
FALSO. Determina o art. 183 do RIPI que os atos de iniciativa do sujeito
passivo, no lançamento por homologação, aperfeiçoam-se com o pagamento
do imposto ou com a compensação deles, nos termos do art. 268 e efetuados
antes de qualquer procedimento de ofício da autoridade administrativa.

Questão 539
Para fins de lançamento por homologação, considera-se pagamento o
recolhimento do saldo devedor, após serem deduzidos os créditos admitidos
dos débitos, no período de apuração do imposto.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da definição do art. 183, parágrafo único, I, do
Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 243 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 540
Considerar-se-ão efetuados os atos de iniciativa do sujeito passivo, para o
lançamento quando o documento for reputado sem valor por lei ou pelo
Regulamento do IPI.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 184, I, do RIPI, considerar-se-ão não efetuados os
atos de iniciativa do sujeito passivo, para o lançamento quando o documento
for reputado sem valor por lei ou por este Regulamento.

Questão 541
Antecipado o recolhimento do imposto, o lançamento tornar-se-á definitivo
com a sua expressa homologação pela autoridade administrativa.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se da previsão do art. 185 do RIPI.

Questão 542
Ter-se-á como homologado o lançamento efetuado nos termos do art. 183
quando sobre ele, após cinco anos da data da ocorrência do fato gerador da
obrigação tributária, a autoridade administrativa não se tenha pronunciado,
ainda que haja dolo, fraude ou simulação por parte do contribuinte.
Comentário
FALSO. Estabelece o parágrafo único do art. 185 do RIPI que, ressalvada a
ocorrência de dolo, fraude ou simulação, ter-se-á como homologado o
lançamento efetuado nos termos do art. 183 quando sobre ele, após cinco
anos da data da ocorrência do fato gerador da obrigação tributária, a
autoridade administrativa não se tenha pronunciado.

Questão 543
Se o sujeito passivo não tomar as iniciativas para o lançamento o imposto
será lançado de ofício.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 186 do Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 244 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 544
O documento hábil, para a sua realização, será o auto de infração ou a
notificação de lançamento, conforme a infração seja constatada,
respectivamente, no serviço interno ou no serviço externo da repartição.
Comentário
FALSO. Segundo o RIPI, art. 186, §2º, o auto de infração é lavrado no serviço
externo e a notificação de lançamento no serviço interno, nos seguintes
termos: o documento hábil, para a sua realização, será o auto de infração ou
a notificação de lançamento, conforme a infração seja constatada,
respectivamente, no serviço externo ou no serviço interno da repartição.

Questão 545
O lançamento de ofício do IPI é atribuição dos ocupantes da carreira de
Auditoria da Receita Federal do Brasil.
Comentário
FALSO. Por força do art. 186, §3º, o lançamento de ofício de que trata o caput
é atribuição, em caráter privativo, dos ocupantes do cargo de Auditor- Fiscal
da Receita Federal do Brasil. A carreira de Auditoria da RFB é composta pelos
cargos de Auditor Fiscal e Analista Tributário.

Questão 546
Será facultado ao sujeito passivo da obrigação tributária antecipar os atos de
sua iniciativa, para o momento da venda, quando esta for à ordem ou para
entrega futura do produto.
Comentário
VERDADEIRO. Faculdade prevista no art. 187, I, do RIPI.

Questão 547
O imposto será calculado mediante aplicação das alíquotas, constantes da
TIPI, sobre o valor tributável dos produtos.
Comentário
VERDADEIRO. Regra prevista no art. 189, caput, do Regulamento do IPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 245 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 548
A regra geral de cálculo do imposto exclui qualquer outra modalidade de
cálculo do imposto estabelecida em legislação específica.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 189, parágrafo único, o disposto no caput não
exclui outra modalidade de cálculo do imposto estabelecida em legislação
específica.

Questão 549
Salvo disposição em contrário do Regulamento do IPI, constitui valor
tributável dos produtos de procedência estrangeira o valor que servir ou que
serviria de base para o cálculo dos tributos aduaneiros, por ocasião do
despacho de importação, excluindo do montante esses tributos e os encargos
cambiais efetivamente pagos pelo importador ou dele exigíveis.
Comentário
FALSO. Determina o art. 190, I, a, do RIPI, que, salvo disposição em contrário
deste Regulamento, constitui valor tributável dos produtos de procedência
estrangeira o valor que servir ou que serviria de base para o cálculo dos
tributos aduaneiros, por ocasião do despacho de importação, acrescido do
montante desses tributos e dos encargos cambiais efetivamente pagos pelo
importador ou dele exigíveis.

Questão 550
No caso de produtos nacionais, a base de cálculo do IPI será sempre o valor
total da operação de que decorrer a saída do estabelecimento industrial ou
equiparado a industrial.
Comentário
FALSO. O art. 190 do RIPI disciplina que a lei pode dispor de modo contrário.
A regra geral é que salvo disposição em contrário deste Regulamento,
constitui valor tributável dos produtos nacionais, o valor total da operação de
que decorrer a saída do estabelecimento industrial ou equiparado a
industrial.

Questão 551
O valor da operação, para fins de apuração da base de cálculo do IPI,
compreende o preço do produto, acrescido do valor do frete e das demais
despesas acessórias, cobradas ou debitadas pelo contribuinte ao comprador
ou destinatário.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 246 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Esta é a definição do art. 190, §1º, do RIPI.

Questão 552
Na determinação do valor da operação, será também considerado como
cobrado ou debitado pelo contribuinte, ao comprador ou destinatário, o valor
do frete, quando o transporte for realizado ou cobrado por firma
controladora ou controlada.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 190, §2º, do RIPI.

Questão 553
Podem ser deduzidos do valor da operação os descontos, diferenças ou
abatimentos, concedidos a qualquer título, ainda que incondicionalmente.
Comentário
FALSO. O RIPI veda a dedução dos descontos ou abatimentos do valor da
operação, nos seguintes termos: Não podem ser deduzidos do valor da
operação os descontos, diferenças ou abatimentos, concedidos a qualquer
título, ainda que incondicionalmente.

Questão 554
Considera-se valor tributável o preço corrente do produto ou seu similar, no
mercado atacadista da praça do remetente, na saída do produto do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial, quando a saída se der
a título de locação ou arrendamento mercantil ou decorrer de operação a
título gratuito, assim considerada também aquela que, em virtude de não
transferir a propriedade do produto, não importe em fixar-lhe o preço.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 192 do RIPI.

Questão 555
O valor tributável poderá ser inferior ao preço corrente no mercado
atacadista da praça do remetente quando o produto for destinado a outro
estabelecimento do próprio remetente ou a estabelecimento de firma com a
qual mantenha relação de interdependência.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 247 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Nos termos do art. 195, I, do RIPI, o valor tributável não poderá ser
inferior ao preço corrente no mercado atacadista da praça do remetente
quando o produto for destinado a outro estabelecimento do próprio
remetente ou a estabelecimento de firma com a qual mantenha relação de
interdependência.

Questão 556
O valor tributável não poderá ser inferior a noventa e cinco por cento do
preço de venda aos consumidores, quando o produto for remetido a outro
estabelecimento da mesma empresa, desde que o destinatário opere
exclusivamente na venda a varejo.
Comentário
FALSO. O valor tributável não poderá ser inferior a noventa por cento do
preço de venda aos consumidores, não inferior ao previsto no inciso I,
quando o produto for remetido a outro estabelecimento da mesma empresa,
desde que o destinatário opere exclusivamente na venda a varejo. Assim
determina o art. 195, II, do RIPI.

Questão 557
O valor tributável não poderá ser inferior ao custo de fabricação do produto,
acrescido dos custos financeiros e dos de venda, administração e publicidade,
bem como do seu lucro normal e das demais parcelas que devam ser
adicionadas ao preço da operação, no caso de produtos saídos do
estabelecimento industrial, ou equiparado a industrial, com destino a
comerciante autônomo, ambulante ou não, para venda direta a consumidor.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 195, III, do RIPI.

Questão 558
O valor tributável não poderá ser inferior a setenta por cento do preço da
venda a consumidor no estabelecimento moageiro, nas remessas de café
torrado a estabelecimento comercial varejista que possua atividade acessória
de moagem.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 195, IV, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 248 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 559
Ainda que haja avaliação contraditória, decorrente de perícia, o Fisco poderá
arbitrar o valor tributável ou qualquer dos seus elementos, quando forem
omissos ou não merecerem fé os documentos expedidos pelas partes.
Comentário
FALSO. Estabelece o art. 197 que, ressalvada a avaliação contraditória,
decorrente de perícia, o Fisco poderá arbitrar o valor tributável ou qualquer
dos seus elementos, quando forem omissos ou não merecerem fé os
documentos expedidos pelas partes.

Questão 560
Salvo se for apurado o valor real da operação, nos casos em que este deva
ser considerado, o arbitramento tomará por base, sempre que possível, o
preço médio do produto no mercado do domicílio do contribuinte, ou, na sua
falta, nos principais mercados nacionais, no trimestre civil mais próximo ao
da ocorrência do fato gerador.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disposição do art. 197, §1º, do Regulamento do IPI.

Questão 561
A não cumulatividade é efetivada pelo sistema de crédito do imposto relativo
a produtos entrados no estabelecimento do contribuinte, para ser abatido do
que for devido pelos produtos dele saídos, num mesmo período.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 225, caput, do RIPI.

Questão 562
O direito ao crédito não pode ser atribuído para anular o débito do imposto
referente a produtos saídos do estabelecimento e a este devolvidos ou
retornados.
Comentário
FALSO. Contraria o disposto no art. 225, §1º, do RIPI, segundo o qual o direito
ao crédito é também atribuído para anular o débito do imposto referente a
produtos saídos do estabelecimento e a este devolvidos ou retornados.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 249 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 563
Os estabelecimentos industriais e os que lhes são equiparados poderão
creditar-se do imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário e
material de embalagem, adquiridos para emprego na industrialização de
produtos tributados, incluindo-se, entre as matérias-primas e os produtos
intermediários, aqueles que, embora não se integrando ao novo produto,
forem consumidos no processo de industrialização, salvo se compreendidos
entre os bens do ativo permanente.
Comentário
VERDADEIRO. Este dispositivo é muito importante para a prova. Trata-se da
definição de créditos básicos, prevista no art. 226, I, do RIPI.

Questão 564
Os estabelecimentos industriais não poderão creditar-se do imposto relativo
a matéria-prima, produto intermediário e material de embalagem, quando
remetidos a terceiros para industrialização sob encomenda, sem transitar
pelo estabelecimento adquirente.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 226, II, do RIPI, os estabelecimentos industriais e
os que lhes são equiparados poderão creditar-se do imposto relativo a
matéria-prima, produto intermediário e material de embalagem, quando
remetidos a terceiros para industrialização sob encomenda, sem transitar
pelo estabelecimento adquirente.

Questão 565
O imposto pago no desembaraço aduaneiro poderá ser objeto de
creditamento.
Comentário
VERDADEIRO. Assim dispõe o art. 226, V, do Regulamento do IPI.

Questão 566
Os estabelecimentos poderão creditar-se do imposto pago sobre produtos
adquiridos com imunidade, isenção ou suspensão quando descumprida a
condição, em operação que dê direito ao crédito.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 226, IX, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 250 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 567
Nas remessas de produtos para armazém-geral ou depósito fechado, o
direito ao crédito do imposto, quando admitido, é do estabelecimento
depositante.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição do parágrafo único do art. 226 do RIPI.

Questão 568
Os estabelecimentos industriais, e os que lhes são equiparados, poderão,
ainda, creditar-se do imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário
e material de embalagem, adquiridos de comerciante atacadista, desde que
este seja contribuinte, calculado pelo adquirente, mediante aplicação da
alíquota a que estiver sujeito o produto, sobre setenta por cento do seu valor,
constante da respectiva nota fiscal.
Comentário
FALSO. Há dois erros na assertiva. Segundo o art. 227 do RIPI, os
estabelecimentos industriais, e os que lhes são equiparados, poderão, ainda,
creditar-se do imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário e
material de embalagem, adquiridos de comerciante atacadista não
contribuinte, calculado pelo adquirente, mediante aplicação da alíquota a que
estiver sujeito o produto, sobre cinquenta por cento do seu valor, constante
da respectiva nota fiscal

Questão 569
As aquisições de produtos de estabelecimentos optantes pelo Simples
Nacional não ensejarão aos adquirentes direito a fruição de crédito do
imposto relativo a matéria-prima, produto intermediário e material de
embalagem.
Comentário
VERDADEIRO. Assim determina o art. 228 do Regulamento do IPI.

Questão 570
É permitido ao estabelecimento industrial, ou equiparado a industrial,
creditar-se do imposto relativo a produtos tributados recebidos em
devolução ou retorno, desde que total, vedado o retorno parcial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 251 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Estabelece o art. 229 do RIPI que é permitido ao estabelecimento
industrial, ou equiparado a industrial, creditar-se do imposto relativo a
produtos tributados recebidos em devolução ou retorno, total ou parcial.

Questão 571
No caso de locação ou arrendamento, a reentrada do produto no
estabelecimento remetente dará direito ao crédito do imposto, salvo se o
produto tiver sido submetido a nova industrialização e ocorrer nova saída
tributada.
Comentário
FALSO. No caso de locação ou arrendamento, a reentrada do produto no
estabelecimento remetente não dará direito ao crédito do imposto, salvo se
o produto tiver sido submetido a nova industrialização e ocorrer nova saída
tributada. Assim dispõe o art. 230 do Regulamento.

Questão 572
O direito ao crédito do IPI por devolução ficará condicionado ao
cumprimento, entre outras exigências, pelo estabelecimento que fizer a
devolução, emissão de nota fiscal para acompanhar o produto, declarando o
número, data da emissão e o valor da operação constante do documento
originário, bem como indicando o imposto relativo às quantidades devolvidas
e a causa da devolução.

Comentário
VERDADEIRO. Exigência prevista no art. 231, I, do Regulamento do IPI.

Questão 573
Para fins de crédito do IPI, o estabelecimento que receber o produto em
devolução deverá escriturar as notas fiscais recebidas, nos livros Registro de
Entradas e Registro de Controle da Produção e do Estoque ou em sistema
equivalente.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 231, II, b, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 252 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 574
Quando a devolução for feita por pessoa física ou jurídica não obrigada à
emissão de nota fiscal, acompanhará o produto carta ou memorando do
comprador, em que serão declarados os motivos da devolução, competindo
ao vendedor, na entrada, a emissão de nota fiscal com a indicação do
número, data da emissão da nota fiscal originária e do valor do imposto
relativo às quantidades devolvidas.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 232 do RIPI.

Questão 575
É vedado o crédito do imposto relativo às matérias-primas, aos produtos
intermediários e aos materiais de embalagem adquiridos para emprego na
industrialização de produtos destinados à exportação para o exterior, saídos
com imunidade.
Comentário
FALSO. Trata-se de hipótese de crédito a título de incentivo, previsto no art.
238 do RIPI.

Questão 576
É vedado o crédito do imposto relativo às matérias-primas, aos produtos
intermediários e aos materiais de embalagem adquiridos para emprego na
industrialização de produtos saídos com suspensão do imposto e que
posteriormente sejam destinados à exportação.
Comentário
FALSO. Trata-se de hipótese de crédito a título de incentivo, previsto no art.
239 do RIPI.

Questão 577
É admitido ao contribuinte creditar-se do valor do imposto, já escriturado, no
caso de cancelamento da respectiva nota fiscal, antes da saída da mercadoria.
Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 240, I, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 253 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 578
A empresa produtora e exportadora de mercadorias nacionais fará jus a
crédito presumido do imposto, como ressarcimento de PIS e COFINS
incidentes sobre as respectivas aquisições, no mercado interno, de matéria-
prima, produto intermediário e material de embalagem, para utilização no
processo produtivo.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a definição de crédito presumido, prevista no art. 241 do
RIPI. Bastante importante para a prova.

Questão 579
Poderão apurar crédito presumido as pessoas jurídicas produtoras sujeitas à
incidência não cumulativa do PIS e da COFINS.
Comentário
FALSO. De acordo com o §5º, do art. 241 do RIPI, o disposto neste artigo não
se aplica às pessoas jurídicas produtoras sujeitas à incidência não cumulativa
das contribuições de que trata o caput.

Questão 580
O crédito presumido será obtido pelo resultado da aplicação do percentual
de cinco inteiros e trinta e sete centésimos por cento sobre a base de cálculo.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é regra geral de cálculo do crédito presumido, prevista no
art. 242 do RIPI.

Questão 581
A base de cálculo do crédito presumido será determinada mediante a
aplicação, sobre o valor total das aquisições de matéria-prima, produto
intermediário e material de embalagem, do percentual correspondente à
relação entre a receita de exportação e a receita operacional líquida do
produtor exportador.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 242, §1º, do RIPI, a base de cálculo do crédito
presumido será determinada mediante a aplicação, sobre o valor total das
aquisições de matéria-prima, produto intermediário e material de
embalagem referidas no art. 241, do percentual correspondente à relação
entre a receita de exportação e a receita operacional bruta do produtor
exportador.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 254 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 582
O crédito presumido será apurado por cada estabelecimento da empresa.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 244 do Regulamento do IPI, a apuração do
crédito presumido do imposto será efetuada, de forma centralizada, pelo
estabelecimento matriz da pessoa jurídica.

Questão 583
O produtor exportador que fizer jus ao crédito presumido, no caso de
comprovada impossibilidade de sua dedução do imposto devido, nas
operações de venda no mercado interno, poderá aproveitá-lo na forma
estabelecida pelo Secretário da Receita Federal, inclusive mediante
ressarcimento em moeda corrente.
Comentário
FALSO. O produtor exportador que fizer jus ao crédito presumido, no caso de
comprovada impossibilidade de sua dedução do imposto devido, nas
operações de venda no mercado interno, poderá aproveitá-lo na forma
estabelecida pelo Ministro de Estado da Fazenda, inclusive mediante
ressarcimento em moeda corrente. Assim dispõe o art. 247 do RIPI.

Questão 584
A empresa comercial exportadora que houver adquirido mercadorias de
outra pessoa jurídica, com o fim específico de exportação para o exterior,
que, no prazo de cento e vinte dias, contados da data da emissão da nota
fiscal pela vendedora, não comprovar o seu embarque para o exterior ou, por
qualquer forma, tenha alienado ou utilizado as mercadorias, ficará sujeita ao
pagamento do imposto que deixou de ser pago pela pessoa jurídica
vendedora, acrescido de juros de mora e multa, de mora ou de ofício,
calculados na forma da legislação que rege a cobrança do tributo não pago,
bem como de valor correspondente ao do crédito presumido atribuído à
empresa produtora-vendedora.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 249 do RIPI, o prazo em questão é de 120 dias.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 255 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 585
Os créditos serão escriturados pelo beneficiário, em seus livros fiscais, à vista
do documento que lhes confira legitimidade, nos casos dos créditos básicos,
incentivados ou decorrentes de devolução ou retorno de produtos, na efetiva
entrada dos produtos no estabelecimento industrial, ou equiparado a
industrial.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 251, I, do RIPI.

Questão 586
No caso de entrada simbólica de produtos, os créditos deverão ser
escriturados no recebimento da respectiva nota fiscal.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 251, II, do Regulamento.

Questão 587
Nos casos de produtos adquiridos para utilização ou consumo próprio ou
para comércio, e eventualmente destinados a emprego como matéria-prima,
produto intermediário ou material de embalagem, não haverá possibilidade
de creditamento.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 252, III, do RIPI, nos casos de produtos
adquiridos para utilização ou consumo próprio ou para comércio, e
eventualmente destinados a emprego como matéria-prima, produto
intermediário ou material de embalagem, nos casos de produtos adquiridos
para utilização ou consumo próprio ou para comércio, e eventualmente
destinados a emprego como matéria-prima, produto intermediário ou
material de embalagem, na industrialização de produtos para os quais o
crédito seja assegurado, na data da sua redestinação.

Questão 588
Será anulado, mediante estorno na escrita fiscal, o crédito do imposto relativo
a matéria-prima, produto intermediário e material de embalagem, que
tenham sido empregados na industrialização, ainda que para
acondicionamento, de produtos não tributados.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 254 do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 256 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 589
Quando, do confronto dos débitos e créditos, num período de apuração do
imposto, resultar saldo credor, este não poderá ser transferido para o
período seguinte
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 256, §1º, do RIPI, quando, do confronto dos débitos
e créditos, num período de apuração do imposto, resultar saldo credor, será
este transferido para o período seguinte.

Questão 590
O período de apuração do imposto incidente nas saídas dos produtos do
estabelecimento industrial ou equiparado a industrial é trimestral.
Comentário
FALSO. A regra geral é que a apuração do IPI é mensal, de acordo com o art.
259 do RIPI.

Questão 591
A importância a recolher será na importação, a resultante do cálculo do
imposto constante do registro da declaração de importação no SISCOMEX.
Comentário
VERDADEIRO. Trata-se do disposto no art. 260, I, do Regulamento do IPI.

Questão 592
O imposto será recolhido antes da saída do produto da repartição que
processar o despacho, nos casos de importação.
Comentário
VERDADEIRO. Obrigação disposta no art. 262, I, do RIPI.

Questão 593
O IPI incidentes sobre cigarros contendo tabaco deverá ser recolhido até o
décimo quinto dia do mês subsequente ao de ocorrência dos fatos geradores.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 262, II, do RIPI, o imposto será recolhido até o
décimo dia do mês subsequente ao de ocorrência dos fatos geradores, nos
casos dos produtos classificados no Código 2402.20.00 da TIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 257 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 594
A regra geral é que o recolhimento seja efetuado até o vigésimo quinto dia
do mês subsequente ao de ocorrência dos fatos geradores, no caso dos
demais produtos.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a regra geral, disposta no art. 262, III, do RIPI.

Questão 595
É facultado ao contribuinte o recolhimento do imposto antes do vencimento
do prazo fixado.
Comentário
VERDADEIRO. Literalidade do art. 263 do Regulamento do IPI.

Questão 596
Os fabricantes e os estabelecimentos obrigados a rotular ou marcar seus
produtos e os volumes que os acondicionarem, antes de sua saída do
estabelecimento, deverão indicar a firma, o número de inscrição, do
estabelecimento, no CNPJ, a situação do estabelecimento (localidade, rua e
número), a expressão “Indústria Brasileira” e outros elementos que, de
acordo com as normas deste Regulamento e das instruções complementares
expedidas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, forem considerados
necessários à perfeita classificação e controle dos produtos.
Comentário
VERDADEIRO. Esta obrigação está prevista no art. 273 do Regulamento do IPI.

Questão 597
A rotulagem ou marcação será feita no produto e no seu recipiente,
envoltório ou embalagem, antes da saída do estabelecimento, por lotes de
fabricação, em lugar visível, por processo de gravação, estampagem ou
impressão com tinta indelével, ou por meio de etiquetas coladas, costuradas
ou apensadas, conforme for mais apropriado à natureza do produto, com
firmeza e que não se desprenda do produto, podendo a Secretaria da Receita
Federal do Brasil expedir as instruções complementares que julgar
convenientes.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 258 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. A rotulagem ou marcação será feita no produto e no seu recipiente,
envoltório ou embalagem, antes da saída do estabelecimento, em cada
unidade, em lugar visível, por processo de gravação, estampagem ou
impressão com tinta indelével, ou por meio de etiquetas coladas, costuradas
ou apensadas, conforme for mais apropriado à natureza do produto, com
firmeza e que não se desprenda do produto, podendo a Secretaria da Receita
Federal do Brasil expedir as instruções complementares que julgar
convenientes, nos moldes do art. 273, §1º, do RIPI.

Questão 598
Os produtos isentos conterão, em caracteres visíveis, a expressão “Isento do
IPI”.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a determinação do art. 273, §8º, do RIPI.

Questão 599
Quanto aos selos de controle, em se tratando de bebidas alcoólicas, indicar-
se-á, ainda, a espécie da bebida (aguardente, cerveja, conhaque, vermute,
vinho, etc.), conforme a nomenclatura da TIPI.
Comentário
VERDADEIRO. Obrigação prevista no art. 273, §11, do RIPI.

Questão 600
Em regra a rotulagem ou marcação dos produtos industrializados no País
será feita no idioma inglês.
Comentário
FALSO. De acordo com o art. 276, a rotulagem ou marcação dos produtos
industrializados no País será feita no idioma nacional, excetuados os nomes
dos produtos e outras expressões que não tenham correspondência em
português, e a respectiva marca, se estiver registrada no Instituto Nacional
da Propriedade Industrial.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 259 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 601
A Secretaria da Receita Federal do Brasil poderá exigir que os importadores,
licitantes e comerciantes, e as repartições fazendárias que desembaraçarem
ou alienarem mercadorias, aponham, nos produtos, rótulo, marca ou
número, quando entender a medida necessária ao controle fiscal, como
poderá prescrever para os estabelecimentos industriais e comerciais, de
ofício ou a requerimento do interessado, diferentes modalidades de
rotulagem, marcação e numeração.
Comentário
VERDADEIRO. Previsão do art. 278 do regulamento.

Questão 602
A falta de rotulagem, marcação ou numeração, não descaracteriza a
identificação do produto.
Comentário
FALSO. A falta de rotulagem, marcação ou numeração, quando exigidas nos
termos deste Capítulo, importará em considerar-se o produto como não
identificado com o descrito nos documentos fiscais, conforme dispõe o art.
280 do RIPI.

Questão 603
Considerar-se-ão não rotulados ou não marcados os produtos com rótulos
ou marcas que apresentem indicações falsas.
Comentário
VERDADEIRO. Assim estabelece o art. 281 do Regulamento do IPI.

Questão 604
São dispensados de rotulagem ou marcação as peças e acessórios de veículos
automotores, adquiridos para emprego pelo próprio estabelecimento
adquirente, na industrialização desses veículos.
Comentário
VERDADEIRO. Dispensa prevista no art. 282, I, do RIPI.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 260 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 605
É permitido ao estabelecimento importar, em determinadas situações,
fabricar, possuir, aplicar, vender ou expor à venda rótulos, etiquetas, cápsulas
ou invólucros que se prestem a indicar, como estrangeiro, produto nacional.
Comentário
FALSO. Determina o art. 283, I, do RIPI, que é proibido importar, fabricar,
possuir, aplicar, vender ou expor à venda rótulos, etiquetas, cápsulas ou
invólucros que se prestem a indicar, como estrangeiro, produto nacional, ou
vice-versa.

Questão 606
Estão sujeitos ao selo de os produtos relacionados em ato da Secretaria da
Receita Federal do Brasil, que poderá restringir a exigência a casos
específicos, bem como dispensar ou vedar o uso do selo.
Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 284 do Regulamento do IPI.

Questão 607
Em regra, os produtos sujeitos ao selo podem ser liberados pelas repartições
fiscais, sair dos estabelecimentos industriais, ou equiparados a industrial, ou
ser expostos à venda, vendidos ou mantidos em depósitos fora dos mesmos
estabelecimentos, desde que em armazéns-gerais, sem que, antes, sejam
selados.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 285 do Regulamento, ressalvado o disposto no art.
305, os produtos sujeitos ao selo não podem ser liberados pelas repartições
fiscais, sair dos estabelecimentos industriais, ou equiparados a industrial,
nem ser expostos à venda, vendidos ou mantidos em depósitos fora dos
mesmos estabelecimentos, ainda que em armazéns-gerais, sem que, antes,
sejam selados.

Questão 608
O emprego do selo dispensa a rotulagem ou marcação dos produtos, de
acordo com as normas previstas no Regulamento do IPI.
Comentário
FALSO. Determina o art. 286 do RIPI que o emprego do selo não dispensa a
rotulagem ou marcação dos produtos, de acordo com as normas previstas
neste Regulamento.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 261 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 609
O selo de controle será confeccionado pela Secretaria da Receita Federal do
Brasil, que se encarregará também de sua distribuição aos estabelecimentos
adquirentes.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 288 do RIPI, o selo de controle será confeccionado
pela Casa da Moeda do Brasil, que se encarregará também de sua
distribuição às repartições da Secretaria da Receita Federal do Brasil.

Questão 610
Em se tratando de cigarros de origem estrangeira, os selos de controle serão
distribuídos, limitados à quantidade igual ao número das unidades a
importar, previamente informadas, nos termos e condições estabelecidos
pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.
Comentário
VERDADEIRO. Esta é a disciplina do art. 294, II, do Regulamento.

Questão 611
No caso da importação de cigarros, o importador providenciará a impressão,
nos selos de controle, de seu número de inscrição no CNPJ e classe de
enquadramento do cigarro e, posteriormente à chegada dos produtos no
País, efetuará a selagem.
Comentário
FALSO. No caso dos produtos de procedência estrangeira do Código
2402.20.00 da TIPI, o importador providenciará a impressão, nos selos de
controle, de seu número de inscrição no CNPJ e classe de enquadramento do
cigarro. Os selos de controle serão remetidos pelo importador ao fabricante
no exterior, devendo ser aplicado em cada maço, carteira ou outro recipiente,
que contenha vinte unidades do produto, na mesma forma estabelecida pela
Secretaria da Receita Federal do Brasil para os produtos de fabricação
nacional. Esta é a determinação do RIPI, em seu art. 309.

Questão 612
A falta do selo no produto, o seu uso em desacordo com as normas
estabelecidas ou a aplicação de espécie imprópria para o produto importarão
em considerar o produto respectivo como não identificado com o descrito
nos documentos fiscais.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 262 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
VERDADEIRO. Determinação do art. 314 do RIPI.

Questão 613
Os transportadores são solidariamente responsáveis pelo extravio dos
documentos que lhes tenham sido entregues pelos remetentes dos
produtos.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 324 do Regulamento, os transportadores são
pessoalmente responsáveis pelo extravio dos documentos que lhes tenham
sido entregues pelos remetentes dos produtos.

Questão 614
Os fabricantes, comerciantes e depositários que receberem ou adquirirem
produtos sujeitos ao selo de controle, para industrialização, comércio ou
depósito, ou para emprego ou utilização nos respectivos estabelecimentos,
produtos tributados ou isentos, serão sempre responsáveis pelos produtos
que estiverem sem o selo obrigatório.
Comentário
FALSO. A responsabilidade dos adquirentes está prevista no art. 327, que
prevê uma hipótese em que a responsabilidade é afastada.
Os fabricantes, comerciantes e depositários que receberem ou adquirirem
para industrialização, comércio ou depósito, ou para emprego ou utilização
nos respectivos estabelecimentos, produtos tributados ou isentos, deverão
examinar se eles se acham devidamente rotulados ou marcados ou, ainda,
selados se estiverem sujeitos ao selo de controle, bem como se estão
acompanhados dos documentos exigidos e se estes satisfazem a todas as
prescrições deste Regulamento.
Verificada qualquer irregularidade, os interessados comunicarão por escrito
o fato ao remetente da mercadoria, dentro de oito dias, contados do seu
recebimento, ou antes do início do seu consumo, ou venda, se o início se
verificar em prazo menor, conservando em seu arquivo cópia do documento
com prova de seu recebimento.
A comunicação feita com as formalidades previstas no § 1o exime de
responsabilidade os recebedores ou adquirentes da mercadoria pela
irregularidade verificada.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 263 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Questão 615
Deve manter Registro Especial na Secretaria da Receita Federal do Brasil a
pessoa jurídica que exercer as atividades de comercialização e importação de
papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos.
Comentário
VERDADEIRO. Obrigatoriedade prevista no art. 328, I, do RIPI.

Questão 616
A pessoa jurídica que adquirir o papel imune para a utilização na impressão
de livros, jornais e periódicos está dispensada do Registro Especial.
Comentário
FALSO. Nos termos do art. 328, II, do RIPI, a pessoa jurídica que adquirir o
papel a que se refere o inciso I do art. 18 para a utilização na impressão de
livros, jornais e periódicos deve manter Registro Especial na Secretaria da
Receita Federal do Brasil.

Questão 617
Em regra, as bebidas somente poderão ser remetidas ao comércio varejista,
expostas à venda ou vendidas no varejo, acondicionadas em recipientes de
capacidade máxima de um litro.
Comentário
VERDADEIRO. Disciplina do art. 339, caput, do RIPI.

Questão 618
Em regra, as bebidas estrangeiras importadas a granel e reacondicionadas no
País, podem ser acondicionadas em recipientes de dois litros.
Comentário
FALSO. Aplica-se ás bebidas estrangeiras importadas a granel e
reacondicionadas no País a mesma regra das bebidas nacionais: recipientes
com capacidade máxima de 1 litro, prevista no art. 339, §2º.

Questão 619
Os cigarros destinados à exportação não poderão ser vendidos nem expostos
à venda no País, sendo o fabricante obrigado a imprimir, tipograficamente ou
por meio de etiqueta, nas embalagens de cada maço ou carteira de vinte
unidades, bem como nos pacotes e em outros envoltórios que as contenham,
em caracteres visíveis, o número do CNPJ.

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 264 de 265


620 questões de Legislação Tributária Federal
IRPF + IRPJ + IPI – E-book GRATUITO

Comentário
FALSO. Essa era a antiga redação do caput do art. 344 do RIPI, que agora
dispõe da seguinte forma, após a edição do Decreto nº 7.790, de 2013:
“Art. 344. Os cigarros destinados à exportação não poderão ser vendidos
nem expostos à venda no País e deverão ser marcados, nas embalagens
de cada maço ou carteira de vinte unidades, pelos equipamentos de que
trata o art. 378, com códigos que possibilitem identificar sua legítima
origem e reprimir a introdução clandestina desses produtos no território
nacional. (Redação dada pelo Decreto nº 7.790, de 2013)”

Questão 620
Consideram-se como produtos estrangeiros introduzidos clandestinamente
no território nacional, para todos os efeitos legais, os cigarros nacionais
destinados à exportação que forem encontrados no País, salvo se em
trânsito, diretamente entre o estabelecimento industrial e os destinos
referidos no art. 343, desde que observadas as formalidades previstas para
cada operação.
Comentário
VERDADEIRO. Disposição importante do art. 346 do Regulamento do IPI, que
deve ser entendida em conjunto com o art. 344.

É isso, meus amigos! Concluímos aqui o nosso e-book.


Espero que o material tenha sido útil na sua preparação!
Qualquer coisa, vocês podem me encontrar nos canais abaixo. Estarei à
disposição.
Forte abraço!

contato@georgefirmino.com.br
www.facebook.com/profgeorgefirmino
www.instagram.com/profgeorgefirmino

O que segue a justiça e a bondade achará a vida, a justiça e a honra.


Provérbios 21, 21

Prof. George Firmino www.georgefirmino.com.br Página 265 de 265