Anda di halaman 1dari 17

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE

AR CONDICIONADO

OBRA: Belém – Pará


RESPONSÁVEL: Bruno Felipe , Diego O. Novack, Eric Gabriel, Leonardo
Jacob, Paulo Heiss.

DATA 07/05/2018
1- INTRODUÇÃO:
O Projeto tem como premissa principal, o desenvolvimento de um Sistema de Ar Condicionado,
dinâmico, confiável e versátil o suficiente para a necessária climatização das áreas, partindo
dos princípios abaixo descritos:
· Confiabilidade;
· Garantias mínimas de Segregação;
· Flexibilidade;
· Manutenção simplificada, individualizada e sem interferência na área climatizada;
· Baixo nível de ruído nos ambientes;
· Economia operativa;
Este memorial com seus anexos faz parte integrante do projeto e contêm todas as informações,
dimensões e especificações, dos materiais e equipamentos para a adequação e fornecimento,
montagem dos equipamentos condicionamento de ar.

02 - COMPLEMENTOS DESTE MEMORIAL

Desenhos: Representação dos detalhes da instalação em planta baixa e localização dos


equipamentos, redes de dutos de insulamento e retorno do sistema central para o
condicionamento de ar e detalhes da instalação com a localização dos equipamentos.

Software utilizado

AutoCad.

3. OBJETIVO

Projeto de Instalação de Sistemas de climatização e renovação de ar dos ambientes,


beneficiará o ambiente denominado de área de costura e área de máquinas.
As instalações dos sistemas de climatização serão realizadas concomitante com as obras das
instalações prediais, inclusive a execução de base civil para a instalação dos equipamentos.
Este documento estabelece as condições mínimas para instalação, contemplando o
fornecimento de materiais e equipamentos, projeto executivo, fabricação, montagem e testes
das instalações dos sistemas de climatização.
A execução do projeto deverá ser desenvolvida obedecendo às diretrizes aqui estabelecidas e
incorporar todos os requisitos adicionais necessários, para assegurar a perfeita montagem,
funcionamento e desempenho de um sistema confiável, seguro e funcional.

O cumprimento das especificações constantes deste memorial e demais documentos


referentes ao projeto, não isenta a contratada para a execução, da responsabilidade de
entregar o sistema projetado, fabricado, montado e testado dentro dos melhores padrões de
engenharia e mão-de-obra.

A contratada deverá anuir os cálculos apresentados, sendo esta a responsável pelo


desempenho dos sistemas e, em caso de divergências, estas deverão ser submetidas a análise
do departamento de Engenharia do Contratante, para análise. Ainda durante a fase de
apresentação de proposta de execução, caso existam itens divergentes, estes deverão ser
esclarecidos e documentados com o contratante.

Os custos opcionais ou alternativos deverão ser identificados na planilha de preços bem como
no caso de fornecimento de equipamentos a similaridade dos equipamentos propostos para a
instalação.

Objetivando a total qualidade da instalação e dos componentes utilizados na execução do


projeto, os componentes e insumos utilizados deverão ser entregues com seus respectivos
certificados de fabricação e rastreabilidade de lotes produzidos. Estes dados deverão ser
disponibilizados para o contratante, sempre que solicitado, para todo material entregue.

4. NORMAS E PUBLICAÇÕES DE REFERÊNCIA

As recomendações, códigos e normas abaixo e demais documentos fazem parte deste projeto,
devendo ser consideradas as últimas revisões e respectivos adendos existentes na data da
ordem de compra, adequadas a este fornecimento.
Proposições Normativas e Publicações
4.1 Como Diretivas Básicas:
Desenhos e layout fornecidos pelo Contratante.
- Como fonte de consultas:
· Engenharia de ventilação industrial;

4.2 Normas Nacionais

NBR 16401-01, NBR 16401-02, NBR 16401-03

Os equipamentos e instalações deverão adequar-se, sob todos os aspectos, à finalidade


específica a que se destinam. O fornecedor não será eximido de suas responsabilidades sob a
alegação de ter atendido às normas técnicas, nos casos em que as exigências de adequação à
finalidade não tenham sido cumpridas.

5. DESENHOS E DOCUMENTOS

LISTA DE DOCUMENTOS DO SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO


Item Projeto Prancha Nº Doc. Revisão
1 Detalhes da Instalação 01/01

6. BASES DE CÁLCULO

As bases para elaboração dos cálculos dos sistemas de tratamento de ar respeitam os critérios
abaixo estabelecidos conforme NBR 16.401 para a cidade Belém-PA
6.1 Cargas Térmicas

CONDIÇÕES DE ENTRADA "GERAL"

TEMPERATURA DE BULBO ÚMIDO (°C) 27,2


TEMPERATURA DE BULBO SECO (°C) 32,1
TEMPERATURA DE ORVALHO (°C) 25,8
UMIDADE RELATIVA (%) 69,1
ENTALPIA (kJ/Kg) 86,5
VOLUME ESPECÍFICO (m³/Kg) 0,895
UMIDADE ESPECÍFICA (Kg/Kg) 0,0212

CONDIÇÕES DE SAÍDA "LAV"

TEMPERATURA DE BULBO ÚMIDO (°C) 19,2


TEMPERATURA DE BULBO SECO (°C) 24
TEMPERATURA DE ORVALHO (°C) 17
UMIDADE RELATIVA (%) 65
ENTALPIA (kJ/Kg) 54,9
VOLUME ESPECÍFICO (m³/Kg) 0,858
UMIDADE ESPECÍFICA (Kg/Kg) 0,012
CONDIÇÕES DE SAÍDA "CPD"

TEMPERATURA DE BULBO ÚMIDO (°C) 17,6


TEMPERATURA DE BULBO SECO (°C) 24
TEMPERATURA DE ORVALHO (°C) 14,2
UMIDADE RELATIVA (%) 55
ENTALPIA (kJ/Kg) 50,5
VOLUME ESPECÍFICO (m³/Kg) 0,856
UMIDADE ESPECÍFICA (Kg/Kg) 0,0102

Levando-se em conta a necessidade de renovação de ar (conforme preconizado nas normas


da ANVISA e ABNT NBR 16401-02 ) dos ambientes, a carga gerada por equipamentos,
iluminação, arquitetura, orientação do edifício e ocupação considerando as premissas de 316.8
m³/h por pessoa nas áreas comuns e 90.6372 m²/h por pessoa nas áreas internas a serem
climatizadas chega-se a um valor de carga térmica total de 6.45 TR’s na área de costura e 6,28
TR`s na área de maquinas.
6.2 Condições de Cálculo

6.2.1. Premissas

Este projeto foi elaborado segundo Norma Brasileira para Instalações Centrais de Ar
Condicionado para conforto, NBR-16401-1/2/3 de 2008 da Associação Brasileira de Normas
Técnicas.

Valores de referência:

6.4 - Fluxos de ar nos Ambientes


Os fluxos de ar nos ambientes limpas podem classificados tanto como unidirecionais
(laminares) ou não-unidirecionais (turbulentos). A combinação dos dois padrões de fluxo de ar
também é possível e é denominado fluxo misto. Para atender os requisitos de pureza do ar e
conforto térmico neste projeto é suficiente adotar um sistema de difusão de ar
convencional,adotando-se o padrão de difusores 4 vias que melhor atende as necessidades de
climatização.
6.5 Escapes / infiltração de ar

Consideramos escape / infiltração uma quantidade não controlada de ar que sai/penetra


através de aberturas não intencionais das áreas, como conseqüência da diferença de pressão
entre as áreas internas e externas.

Consideramos as seguintes fontes de infiltração

 Portas: por frestas entre as folhas das portas e o batente e entre as folhas e o piso
quando existirem.
 Divisórias (ou paredes) e forro (ou laje): por frestas na junção entre divisória e forro,
divisória e caixilhos de visor, divisórias e batente de porta nas passagens de eletro
dutos e tubulações, acessórios de difusão de ar, luminárias etc.

Bases de Cálculo:

• Portas: os escapes / infiltrações foram calculados pela equação:

DeltaP
V  Ax 2,93 x onde
1,75

V = vazão de ar por escape ou infiltração (m³/h);


A = área da fresta (m²);
Delta P = diferencial de pressão através da fresta (Pa).

6.6 - DIMENSIONAMENTO

6.6.1- Fontes internas de calor

Pessoas Iluminação (500 LUX) Equipamentos


Sala de costura 14 16 w/m2 2700 W
Sala de maquinas 01 16 w/m2 11100 W

6.6.2- Taxa de renovação de ar

Sala de costura: 316,8 m³/h


Sala de maquinas: 90,6372 m³/h

Observação: As portas que se comunicam com outros ambientes compartimentados e com


paredes de alvenaria e ou portas e janelas externa deverão permanecer fechadas.

6.7- Carga térmica

Conforme elementos apresentados acima e aplicando-se as normas da ABNT e ASHRAE,


resultaram a carga térmica total de TR ou Kcal/h.
7 - DESCRIÇÃO DA INSTALAÇÃO

Para atender as necessidades de climatização da Fábrica de Tecidos, adotou-se no projeto um


sistema de ar condicionado para área de costura composto de 01 aparelho de ar condicionado
Duto Carrier Versatile de capacidade de refrigeração de 24000 BTUs/h, com sistema de
renovação de ar atendido pela TAE (tomada de ar externo), com auxílio de damper e utilizado
damper no retorno do ar interno e 02 unidades de Ar Condicionado Split Inverter do fabricante
Fujitsu com capacidade de refrigeração de 27000 BTUs/h. Na área de máquinas será utilizada
mais a mesma configuração da área de costura, somente alterado a regulagem do damper de
TAE do split duto.

Desta maneira, é aproveitado ao máximo o espaço disponível devido as restrições que a


construção impõe, é otimizado o consumo de energia mantendo as condições de conforto
térmico dos ocupantes, renovando continuamente o ar.

7.1 Área de costura

02 aparelhos de Ar Condicionado Split Inverter Fujitsu 27.000Btus/H e 01 aparelho de Ar


Condicionado Duto Carrier 24.000 BTUs/H.

7.2 Área de maquinas

02 aparelhos de Ar Condicionado Split Inverter Fujitsu 27.000Btus/H e 01 aparelho de Ar


Condicionado Duto Carrier 24.000 BTUs/H.

Marcas de referência: CARRIER, FUJITSU.


8 – ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS

Escolha do equipamento:

Você precisa considerar a quantidade de pessoas que vivem no local, as dimensões do


cômodo onde você vai realizar a instalação do ar condicionado, a incidência de luz solar no
local além da presença ou não de equipamentos eletrônicos no ambiente. Em caso de dúvidas,
utilize nossa calculadora ou entre em contato com um de nossos vendedores.

Instalação:

É de extrema importância que o produto seja instalado por técnicos credenciados ou


autorizados com o fabricante, assegurando desta forma os prazos de garantia do produto e as
corretas práticas de instalação estabelecidas pelo fabricante para um perfeito funcionamento
do aparelho.

Como é a instalação do split?

Lembrando que uma unidade do aparelho fica dentro da casa e outra fora, considere que o
aparelho é ligado por tubulações frigorígenas e fios elétricos conectando as duas unidades.

Para a infraestrutura que liga as duas partes do aparelho são usados:


-Tubos em cobre ou alumínio (também chamados de tubulação frigorígena), com bitolas e
espessuras adequadas conforme especificação do fabricante.
Deverá ser fornecido 37 metros de tubos 3/8”, 24,5 metros de tubos 1/4” e 61 metros de tubos
5/8” para a instalação dos 06 aparelhos.

-Fiação elétrica, com cabos dimensionados conforme especificação do fabricante e um


disjuntor exclusivo para cada aparelho de ar condicionado;
Deverá ser fornecido 6 tomadas industriais de sobrepor bifásica com terra, 3 pólos, grau de
proteção IP44, conforme imagem abaixo:

A utilização deste tipo de conexão é pensando na manutenção onde, precisa ser retirada a
unidade condensadora para limpeza e consertos.
A infraestrutura para descidas das tomadas deverá ser em eletroduto galvanizado ¾, com
descida exclusiva para uma única tomada.

-Tubos de PVC para drenagem da água na unidade interna.


Deverá ser fornecido 30 metros de tubulação de 25 mm, 18 curvas 90º ambos de PVC para
drenagem das evaporadoras.
*Verificar disponibilidade de rede pluvial para interligação das redes de drenagem das
evaporadoras da área de costura.
8.1 - Split Inverter Fujisu

8.1.1 - Informações técnicas

Voltagem: 220v - Monofásico


Classificação Energética: A
Ciclo: Frio
Garantia do Produto: 1 ano
Inverter: Sim
Tipo de gás: R410A
Consumo: 2320W
COP: 3,41
Vazão: 1100 m³/h
Tubulação: 3/8" e 5/8"
Medida Condensadora (ext.) (LxAxP) / cm: 90cm / 83cm / 33cm
Medida Evaporadora (int.) (LxAxP) / cm: 99,8cm / 32cm / 23,8cm
Quantidade: de Btus: 27000
Peso Líquido Evaporadora (int.) (Kg.): 14 kg
Peso Líquido Condensadora (ext.) (Kg.): 58 kg
Potência de Refrigeração (kw): 2,32 kw

8.2 - Duto Carrier Versatile


8.2.1 - Informações técnicas

Voltagem: 220v - monofásico


Ciclo: Quente/Frio
Garantia do Produto: 1 ano
Inverter: Não
Tipo de Gás: R-22
Medida Evaporadora (int.) (LxAxP) / cm: 86,6 / 27,3 / 42,4 cm
Medida Condensadora (ext.) (LxAxP) / cm: 56,5 / 70,4 / 45,2 cm
Quantidade de BTUs: 24000
Peso Líquido Evaporadora (int.) (Kg.): 24Kg
Peso Líquido Condensadora (ext.) (Kg.): 35Kg
Distância Máxima entre Evaporadora e Condensadora (metros): 30 metros
Tipo de Condensador: Vertical
Tubulação (Bitolas): 1/4 e 5/8 até 10 metros
Consumo Aproximado de Energia (w/h): 2650 w/h
Vazão de Ar:830 m³h
Eficiência Energética EER(W/W): 2,65
Potência de Refrigeração (kw): 7,03

8.3 Bases para apoio das unidades Condensadoras

Para a alocação das unidades condensadoras, será necessário a execução de bases


em concreto para fixação das condensadoras. Estas fixações serão sobre calços de borrachas,
conforme detalhe de instalação no projeto.
9 - REDE DE DUTOS DE AR

9.1 - Dutos

Devem obedecer aos desenhos anexos a este memorial, os quais estão de acordo com as
recomendações da SWA INC., contidas no manual "LOW VELOCITY CONSTRUCTION
STANDARDS" e ABNT.

Construídos em chapa de aço galvanizada (galvanização B, 260g Zn/m2) conforme NBR16401


de 2008 (espessura definições e especificações).

Os dutos deverão ser instalados de forma convencional, sobre o forro.

Os dutos primários deverão ser fabricados com 300 mm de diâmetro e os dutos secundários
serão fabricados e instalados com 150 mm de diâmetro.

Os difusores de ar no final da tubulação secundária serão de forma circular, o difusor circular


destaca-se pelo seu design marcadamente arrojado com linhas arredondadas que garantem
uma aparência estética adequada para instalações em qualquer local, desde a aplicação
residencial à terciária.

Do ponto de vista técnico assegura um bom efeito de tecto e uma difusão do ar uniforme o que,
por sua vez, lhe confere uma elevada capacidade de indução do ar ambiente, demostrado
conforme imagem abaixo.

Sendo fabricado em alumínio para um melhor acabamento e facilidade de limpeza posterior.

Os dutos de retorno do ar interno deverão ser fabricados em formatos retangulares, de acordo


com a especificação do projeto. Sendo fabricado em alumínio.

Nos dutos de TAE e retorno do ar interno, deverão possui damper com regulagem mecânica.
Tal regulagem que permita a obstrução da passagem do ar para renovação efetiva do
ambiente. Sendo fabricado em aço galvanizado.
As interligações dos dutos serão por meio de chavetas “S” ou barras especiais, conforme
largura dos mesmos.

Os dutos deverão possuir porta de inspeção a espaços regulares não superiores a 3 metros e
próximas das curvas e derivações.

Ramais principais e secundários confeccionados em chapa de aço galvanizado nas espessuras


conforme o Anexo B da Norma NBR 16401-1:2008.

Deverão ser utilizados colarinhos sem registro para conexão aos ramais de distribuição de ar.
Para a perfeita vedação da rede de dutos, deverá ser utilizada massa de vedação específica
nas emendas dos dutos.
Deverão ser executados, nas bitolas recomendadas pela norma NB-16401/08 da ABNT e
norma americana SMANCA para dutos de baixa velocidade e baixa pressão. Sendo a
superfície interna livre e desimpedida, admitindo-se o máximo de 4 juntas por 3 metros
lineares, e sendo do mesmo material do duto, sendo espessuras das chapas conforme abaixo:
(maior dimensão da secção transversal)

Espessuras Circular
Retangular Lado
Alumínio Aço Galvanizado Helicoidal Calandrado com
Maior (mm)
(mm) Costura Longitudinal
Bitola mm Bitola mm (mm)
24 0,64 26 0,50 até 225 até 450 até 300
22 0,79 24 0,64 250 a 600 460 a 750 310 a 750
20 0,95 22 0,79 650 a 900 760 a 1.150 760 a 1.400
18 1,27 20 0,95 950 a 1.250 1.160 a 1.500 1.410 a 2.100
16 1,59 18 1,27 1.300 a 1.500 1.510 a 2.300 2.110 a 3.000
9.2 Especificação das Chapa de Aço

Tipo: Galvanizada.

Características: Galvanização por imersão em zinco quente.

Dimensões: Conforme Tabela da NBR-16401/2008

Fabricante: CSN ou equivalente.

Aplicação: Construção de rede de dutos de ar condicionado, ventilação e


exaustão.

Todas as dobras e suportes de dutos deverão ser limpas e pintadas com tinta anticorrosão
(galvite).

Todas as juntas deverão ser flangeadas e vedadas com massa plástica, e os suportes deverão
receber proteção anti-ferruginosa por pintura de zarcão.

As curvas dos dutos deverão ser executadas em raios com 75 % da largura dos dutos, de
forma a minimizar as perdas de carga. NÃO SERÃO ACEITAS “CURVAS” COM ÂNGULOS
RETOS. Deverão ser instalados palhetas de direcionamento do ar quando a largura dos dutos
for igual ou superior a 30 cm.
As transições deverão ter o comprimento equivalente a duas vezes a medida da redução da
face do duto considerada, de forma a minimizar as perdas de carga.
Na ligação dos dutos aos equipamentos de ar condicionado, deverá ser utilizada junta flexível
pré-fabricada, de fita de aço galvanizado e lona de PVC, específica para este fim, de forma a
garantir a perfeita vedação do sistema.

9.3 Isolamento Térmico

Todos os componentes do sistema de distribuição de ar devem ser isolados termicamente de


forma a garantir a perfeita vedação do sistema.
As caixas plenum dos difusores devem ser isoladas termicamente com manta de fibra de vidro
com capa de alumínio e espessura mínima de 38 mm.
Isolamento de dutos em chapa de aço

O isolamento térmico dos dutos será feito através de manta de fibra de vidro com capa de
alumínio e espessura mínima de 38 mm.
As mantas de fibra de vidro devem ser colocadas esticadas e ter o início e o fim numa das
laterais dos dutos, sendo que o lado da manta vindo da parte superior do duto deve
transpassar a parte da manta vinda da face inferior em cerca de 20 cm, de forma a garantir o
isolamento e evitar a penetração de qualquer partícula ou líquido o isolamento.
As mantas também devem ser transpassadas longitudinalmente em 20 cm.
Nas emendas das mantas de isolamento térmico deverá ser utilizada fita metalizada.
As mantas de fibra de vidro deverão ser protegidas por cantoneiras plásticas em todos os
quatro cantos, de forma a evitar danos ao isolamento pela cinta plástica que terá a função de
prender o isolamento térmico. O espaçamento das cintas plásticas deverá ser de 50 cm, no
máximo.
Serão isoladas todas as redes de dutos de insuflamento, e retorno do sistema de ar
condicionado, com mantas de lã de vidro de densidade mínima 20 kg/m³, espessura de 38 mm,
revestidas em uma face com papel Kraft e película de alumínio reforçado com fios de fibra de
vidro. As emendas serão feitas com fita de PVC aluminizada, aplicada sobre as camadas do
isolamento sobrepostas, devidamente limpas e desengorduradas.
O acabamento do isolamento será com fita Wilton de nylon, 13 mm, com fecho.

9.4 Especificações do Isolamento Térmico

Tipo: Manta.

Características:

Constituição: Por fibras de vidro finas e longas, aglomeradas com resinas sintéticas.

Revestimento: numa das superfícies com uma folha de papel kraft aluminizado.

Dimensões: Espessura: 38 mm ou 50 mm, conforme indicado em projeto.


Densidade: 20 kg/m³ ou 40 kg/m³, conforme indicado em projeto
Fornecido em rolos1,2 m x 25 m(25 mm) e 1,2 m x 12,5 m (50 mm).

Fabricante: Multivac ISOFLEX RT 1.0 ou RT 1.3, ou equivalentes.

Aplicação: Isolamento de dutos de ar condicionado e caixas plenum.

9.5 Filtros de ar

Os filtros deverão ter dimensões padronizadas e adequadas para instalação nas unidades de
climatização ,ou em rede de dutos conforme especificado.

Tipo: Plano
Material filtrante: Fibra sintética
Material da moldura: Aço galvanizado (260kg de Zn/m2)
Teste: Gravimétrico
Classificação: G3
Norma de referência: EN 779
Perda de carga final: 180 Pa

O elemento filtrante será instalado no Split Duto, onde recebe a TAE e retorno do ar interno,
utilizando filtro da classe G4.

Fabricantes: Comparco, Tropical ou Trox.

9.2.7 – Outros acessórios empregados na montagem de dutos


Abraçadeira

Tipo: Nylon.

Características: Abraçadeira de nylon com presilha auto-atarrachante.

Dimensões: Comprimento: 410 mm (para diâmetros de até 125 mm – 5”).


Comprimento: 810 mm (para diâmetros de até 200 mm – 8”).

Fabricante: Multivac ou equivalente.

Aplicação: Fixação de dutos flexíveis a colarinhos.


10 Consumo de energia elétrica do projeto proposto

Para o cálculo de consumo de energia elétrica do sistema, utilizamos como base o


preço KW/h que foi proposto na solicitação do projeto, no valor de R$ 0,98.

10.1 Consumo dos Aparelhos Split Hi Wall da marca Fujitsu

Custo: KW/h x custo do KW/h x Horas Trabalhadas (2 turnos de 8 horas) x Dias da Semana
Trabalhados x Semanas Trabalhadas x Nº de aparelhos

Custo: 2,32 KW/h x R$0,98 x 16 horas x 6 dias x 4 semanas x 4 aparelhos= R$3492,24por


mês

10.2 Consumo dos Aparelhos Split Duto da marca Carrier

Custo: KW/h x custo do KW/h x Horas Trabalhadas (2 turnos de 8 horas) x Dias da Semana
Trabalhados x Semanas Trabalhadas x Nº de aparelhos

Custo: 2,65 KW/h x R$0,98 x 16 horas x 6 dias x 4 semanas x 2 aparelhos= R$1.994,49 por
mês

Podemos concluir que o sistema para climatização da Fábrica de Tecidos situada na cidade de
Belém irá desembolsar R$5486,73 por mês para garantir a climatização dos ambientes
propostos.

11. Carga Térmica do projeto


Foram feitos cálculos para o levamento da carga térmica do projeto em questão,
utilziando as fórmulas listadas abaixo. O levamento correto de carga térmica tem fator crucial
no dimensionamento do sistema de climatização, uma vez que com este levantamento feito,
são escolhidos os aparelhos de ar condicionado para os locais.
A condição da cidade de Belém-PA nos tras um local de altas temperaturas como
citado no inicio do memorial e umidade relativa alta.

Área parede, janelas e porta ( m² ):


A = área (m²);
b = base (m);
h = altura (m);
Parede: A = 13,28 x 4 = 53,12 m²;
Janelas: A = 1,8 x 1,3 x 3 = 7,02 m²;
Porta: A = 2,02 x 2,1 = 4,242 m²;

Área Forro ( m² ):
A = área (m²);
b = base (m);
= largura (m);
A = 75,59 m²

Equipamentos ( KW ):
Q = carga termina de todos os equipamentos ( KW );
= somatoria dos equipamentos semelhantes;
KW = kilowatts dos equipamentos;
CMS 502 = 1 x 6000 = 6 kw;
CMS320 TC = 1 x 3600 = 3,6 kw;
Retilinea copo = 3 x 1500 = 4,5 kw;
Maquinas de custura = 7 x 200 = 1,4 kw;
Ferro a vapor = 2 x 2500 = 5 kw,
Pessoas ( KW ):
Q = carga termica ( KW );
Nº = número de pessoas;

Iluminaçao ( KW ):
Q = carga terminaca ( KW );
= somatoria das iluminaçoes semelhantes;

Fluxo de Calor por Condução ( KW/h ):


Q = fluxo de calor ( KW/h );
K = condutividade termica do material;
As = área da seção através da qual o calor flui por condução, medida perpendicularmente do
fluxo ( m² );
= variaçao de temperatura ( °C );
L = comprimento ( m );

Condução ( kcal/h ): Q = AhD


Q = fluxo de calor em kcal/h;
A = área em m²;
D = diferencça de temperatura entre a superfície e o ar em contato em °C;
h = condutancia superficial em kcal/h . m² . °C;

Área de Costura “LAV”


Parede nordeste = 1031,36 w
Parede sudeste = 98,95 w
Janelas = 0,00 w
Forro / porta = 1870,20 w
Equipamentos = 6400,00 w
Pessoas = 2702,00 w
Iluminaçao = 1856,00 w

Área de Máquinas “CPD”


Parede nordeste = 0,00 w
Parede sudeste = 851,37 w
Janelas = 0,00 w
Forro / porta = 1224,56 w
Equipamentos = 14100,00 w
Pessoas = 193,00 w
Iluminaçao = 1209,44 w

Fluxo de Calor por Convecção ( KW/h ):


Q = fluxo de calor ( KW/h );
h = coeficiente de transferência de calor por convecção ou coeficiente de película;
A = área de tranferencia de calor ( m² );
= variaçao de temperatura ( °C );

Carga Térmica de Ar Condicionado ( kcal/h ): Q = AUD


Q = fluxo de calor em kcal/h;
A = área em m²;
U = coef. Global de transmissão de calor em kcal/h . m² . °C; U = 1 / R;
R = resistencia termica da parede = ;
D = diferença de temperatura em °C;
Qcostura = 6,18 TR;
Qmaquinas = 6,28 TR;
⅀Q = 12,46 TR;

Área de Costura “LAV”


Parede nordeste = 1031,36 w
Parede sudeste = 98,95 w
Janelas = 0,00 w
Forro / porta = 1870,20 w
Equipamentos = 6400,00 w
Pessoas = 2702,00 w
Iluminaçao = 1856,00 w

Área de Máquinas “CPD”


Parede nordeste = 0,00 w
Parede sudeste = 851,37 w
Janelas = 0,00 w
Forro / porta = 1224,56 w
Equipamentos = 14100,00 w
Pessoas = 193,00 w
Iluminaçao = 1209,44 w

Carga Térmica Insolação:


Q = carga termica ( kw/h );
= insolaçao penetrada no recinto;

Q = watts;
A = área em m²;
U = coef. Global de transmissão de calor em kcal/h . m² . °C;
= temperatura do exterior em °C;
= temperatura do interior em °C;
Δt = acréscimo ao diferencia de temperatura;
Janela: Q = 7,02 x 2,28 x [( 27 – 23 )] x 3 = 64,02 w/m²;
Porta: Q = 4,242 x 2 x [( 27 – 23 )] = 33,94 w/m²;

Área de Costura “LAV”


Parede nordeste = 1376,48 w
Parede sudeste = 98,95 w
Janelas = 322,01 w
Forro / porta = 3804,80 w
Equipamentos = 0,00 w
Pessoas = 0,00 w
Iluminaçao = 0,00 w

Área de Máquinas “CPD”


Parede nordeste = 0,00 w
Parede sudeste = 851,37 w
Janelas = 154,90 w
Forro / porta = 2479,35 w
Equipamentos = 0,00 w
Pessoas = 0,00 w
Iluminaçao = 0,00 w

Carga térmica total a á rea de máquinas = 851,37 + 1224,56 + 14100,00 + 193,00 + 1209,44 +
851,37 + 154,9 + 2479,35 + 1012,71 ≈ 22,08 kw;
Carga térmica total a área de costura = 98,95 + 98,95 + 1879,20 + 6400,00 + 2702,00 +
1856,00 + 1376,48 + 98,95 + 322,01 + 3804,80 + 3107,04 ≈ 21,74 kw;