Anda di halaman 1dari 7

Nome: Wesley Ferreira Maia nusp:7730518

Lista 1 Dinâmica da Atmosfera

Foi utilizado o MatLab para calcular todos os resultados aqui presente e o script estará no final
da lista.

Tabela 1: Dados das estações

Estação P (hPa) T (ºC) TD (ºC) V (nós) Dir (º) Lat (º S) Lon (ºW)
1 1008,7 26,8 18,6 7 90 27,20 53,28
2 1010,5 21,1 16,0 7 90 26,23 51,28
3 1015,2 24,7 15,2 6 50 30,08 51,18
4 1007,4 27,0 20,6 1 180 20,43 54,65
5 1012,4 22,0 17,8 6 50 14,85 40,83
6 1009,3 22,0 18,4 2 230 22,12 45,05

a) Determine a distância de todas essas estações aos pontos de coordenadas

Tabela2: Coordenadas da grade. Obs. Essas serão as coordenadas usadas para todos os
cálculos da lista.

Coordenada Latitude Longitude


1 25 52
2 25 50
3 27 52
4 27 50

que definem uma grade de 4 pontos, utilizando a expressão:

d = A cos-1 (senφ1 senφ2 + cosφ1 cosφ2 cos(λ1-λ2))

onde φ é latitude e λ é longitude, e A = 60x1852 m se o cos-1 for dado em graus.

Usando a equação dada da distância e usando os pontos das estações, juntamente


com os da grade, teremos então a seguintes distâncias para os pontos de grade:

Tabela 3: Todos os valores das distâncias estão dados em km.

Estação/Cord Estação 1 Estação 2 Estação 3 Estação 4 Estação 5 Estação 6


Coordenada 1 275,8 164,8 570,2 575,8 1621,2 776,71
Coordenada 2 408,5 174,3 576,3 696,3 1478,6 597,1
Coordenada 3 128,5 125,2 351,5 778,2 1777,4 887,0
Coordenada 4 325,2 137,2 361,1 869,7 1650,3 737,6

b) Determine as componentes u e v do vento em cada estação (em m/s) e interpole


todos os dados, p, T, TD, u e v para os pontos da grade dada em a). Para isso use a fórmula de
Barnes

Para determinar as componentes de u e v do vento em cada estação foi utilizado a


equação:
𝑢 = −𝑉𝑠𝑖𝑛(𝐷𝑖𝑟𝑒çã𝑜)
𝑣 = −𝑉𝑐𝑜𝑠(𝐷𝑖𝑟𝑒çã𝑜)

Onde é utilizado o V da tabela e convertido de nós para m/s e Dir(º). Temos assim:

Tabela 4: velocidade nas componentes u e v estão em m/s para cada uma das estações

Est/velocidade Estação 1 Estação 2 Estação 3 Estação 4 Estação 5 Estação 6


u -2,0578 -2,0578 -2,3645 0 -2,3645 0,7882
v 0 0 -1,9841 0,5144 -1,9841 0,6614

Antes de interpolar, foi calculado as distâncias dos pontos da grade nos eixos x e y
utilizando a equação do item a e depois tirado uma média para que pudéssemos utilizar na
equação de Barnes. Esse resultado segue então

∆𝑆 = 210 𝑘𝑚
Interpolando agora todos os pontos da tabela 1 (p,T,Td,u,v) para os pontos de grade da
tabela 2 utilizando a fórmula de Barnes, teremos os seguintes resultados.

Tabela 5: Utilizado o valor de D = 0,5 para a interpolação

Grade P(hPa) T(ºC) Td(ºC) u(m/s) v(m/s)


Coordenada 1 1010 22,53 16,65 -2,0564 -0,0014
Coordenada 2 1010 21,35 16,11 -2,0562 -0,0017
Coordenada 3 1001 23,95 17,20 -2,0709 -0,0850
Coordenada 4 1016 22,00 16,25 -2,0782 -0,1323

Tabela 6: Utilizado o valor de D=1 para a interpolação

Grade P(hPa) T(ºC) Td(ºC) u(m/s) v(m/s)


Coordenada 1 1010 22,91 17,27 -1,8609 -0,1167
Coordenada 2 1010 23,17 16,95 -1,7610 -0,1158
Coordenada 3 1011 24,13 16,91 -2,0790 -0,4073
Coordenada 4 1011 23,60 16,61 -2,0498 -0,591

A diferença encontrada foi de mais ou menos 10% nos valores.

Obs. Para os itens a seguir foram todos utilizados D =1.

c) Calcule a divergência e a vorticidade no centro do quadrado formado pelos pontos


de grade.

Para calcular a divergência no centro da grade foi utilizado a equação:


𝜕𝑢 𝜕𝑣
∇. 𝑉 = 𝜕𝑥 + 𝜕𝑦, para calcular os valores no centro da grade, foram utilizados os valores
médios na direção x e y

∆𝑢1 ∆𝑢2 ∆𝑣1 ∆𝑣2


+ +
∆𝑦1 ∆𝑦2
∇. 𝑉 = (∆𝑥1 ∆𝑥2) + ( )
2 2
O resultado encontrado foi

⃗ = 1,011𝑋10−6 𝑠 −1
∇. 𝑉
Para vorticidade temos a seguinte equação:
𝜕𝑣 𝜕𝑢
∇𝑋𝑉 = −
𝜕𝑥 𝜕𝑦
O resultado para a Vorticidade utilizando o mesmo raciocínio acima foi de:

⃗ = −1,2685𝑋10−6 𝑠 −1
∇𝑋𝑉
d) Suponha um erro aleatório de ± 10% na velocidade do vento e de ± 10 graus na
direção do vento na tabela inicial. Aleatório significa que o erro pode ser positivo ou negativo
em cada uma das estações. Determine o erro na divergência e na vorticidade.

Para calcular erro, foi utilizado a equação de propagação de erro. Temos a seguinte
equação:

𝜕𝑅 2 𝜕𝑅 2

𝜎𝑅 = ( ) (𝜎𝑎1 ) + ( ) (𝜎𝑎2 )2 + ⋯
2
𝜕𝑎1 𝜕𝑎2

Aplicando as derivadas para o problema, chegaremos na seguinte expressão para as


velocidades nas estações:

𝜎𝑢 = √𝑆𝑖𝑛(𝐷𝑖𝑟)2 (𝜎𝑉 )2 + (𝑉𝑐𝑜𝑠(𝐷𝑖𝑟))2 (𝜎𝑑𝑖𝑟 )2

Para v segue o mesmo raciocínio. Os resultados obtidos para os erros nas velocidades
interpoladas serão:

Tabela 7: erros das velocidade u e v interpolados nas coordenadas da grade

Grade Erro u (m/s) Erro v (m/s)


Coordenada 1 0,1218 0,3378
Coordenada 2 0,1275 0,3355
Coordenada 3 0,1535 0,3657
Coordenada 4 0,1620 0,3654

Propagando o Erro até a Divergência e Vortividade, chegaremos nos seguintes resultados:

⃗ = 1,00𝑋10−7 𝑠 −1
𝜎∇. 𝑉
⃗ = 1,42𝑋10−7 𝑠 −1
σ∇𝑋𝑉

e) Suponha que a divergência calculada é representativa de uma camada que vai desde
a superfície até 1000m de altura onde a atmosfera pode ser considerada incompressível.
Determine a velocidade vertical em 1000m de altura. Faça isso também para os diversos casos
de erro aleatório do item anterior.
⃗ = 𝜕𝑢 + 𝜕𝑣 + 𝜕𝑤, utilizando o
⃗ = 0 e ∇. 𝑉
Sabendo que na camada limite planetária ∇. 𝑉 𝜕𝑥 𝜕𝑦 𝜕𝑧
𝜕𝑤
resultado da divergência encontrada no item c, isolando 𝜕𝑧
e integrando de 0 até 1000m,
teremos o seguinte resultado:

𝑤 = (−0,0010 ± 0,0001) 𝑚/𝑠

f) Calcule a divergência de umidade (*) dada por ∇. (𝑞𝑣𝑉 ) onde qv é a umidade


específica e 𝑉 é o vetor velocidade horizontal do vento.

Calculando o valor de e com Td (temperatura do ponto de orvalho) interpolado e


depois aplicando colocando na equação para descobrir o valor de qv, teremos as seguintes
equações:
17,67𝑇𝐷
( )
𝑒 = 6,112 ∗ 𝑒 𝑇𝑑+243,5

𝑒
𝑞𝑣 = 𝜀
𝑝 − 𝑒(1 − 𝜀)
Tabela 8: valores da umidade na grade.

Grade e (Hpa) umidade específica (qv)


Coordenada 1 19,69 12,22
Coordenada 2 19,30 11,97
Coordenada 3 19,25 11,93
Coordenada 4 18,90 11,70

Calculando agora a divergência da umidade:

⃗ ) = 1,12𝑋10−4 𝑠 −1
∇. (𝑞𝑣 𝑉

g) Calcule a advecção de temperatura e a advecção de umidade (*) no centro da grade.

Para a advecção de temperatura teremos a seguinte equação:


𝜕𝑦 𝑑𝑇
= ⃗ . ∇𝑇
−𝑉
𝜕𝑡 𝑑𝑡
𝜕𝑇 𝜕𝑇
⃗ . ∇𝑇 = 𝑢
𝑉 +𝑣
𝜕𝑥 𝜕𝑦
Usando então o mesmo princípio aplicado nos itens anteriores para calcular o valor no meio da
grade, teremos o seguinte valor número:

⃗ . ∇𝑇 = 1𝑥10−6 º𝐶/𝑠
𝑉
Aplicando agora a equação para a advecção de umidade, teremos a seguinte e equação

𝜕𝑞 𝜕𝑞
⃗ . ∇𝑞 = 𝑢
𝑉 +𝑣
𝜕𝑥 𝜕𝑦

⃗ . ∇𝑞 = 1,0𝑋10−6
𝑉
Código utilizado para resolver os exercícios. Programa: MatLab
%Lista 1 Dinâmica
%parametros
A=60*1852; %Raio
z=1000; %Altura
%Estação
P = [1008.7, 1010.5, 1015.2, 1007.4, 1012.4, 1009.3]; %Pressão
T = [26.8,21.1,24.7,27,22,22];%Temperatura
Td = [18.6, 16, 15.2, 20.6, 17.8, 18.4]; %Temperatura do ponto de
Orvalho
V = [4,4,6,1,6,2]*0.51444; %velocidade do vento
Dir = [90,90,50,180,50,230]; %Direção do vento
lat1 =[-27.20,-26.23,-30.08,-20.43,-14.85,-22.12]; %Latitude
long1=[-53.28,-51.08,-51.18,-54.65,-40.83,-45.05]; %Longitude
%grade
lat2 =[-25,-25,-27,-27]; % latitude
long=[-52,-50,-52,-50]; % longitude
%a)Equação para a distância entre as estações aos pontos da grade
for i=1:4
for j=1:6

d(i,j)=A*acosd((sind(lat1(j))*sind(lat2(i))+cosd(lat1(j))*cosd(lat2(i)
)*cosd(long1(j)-long(i))));
end
end
%distância entre os pontos da grade
x1=A*acosd((sind(-25)*sind(-25)+cosd(-25)*cosd(-25)*cosd(-52-(-
50))));
x2=A*acosd((sind(-27)*sind(-27)+cosd(-27)*cosd(-27)*cosd(-52-(-
50))));
y1=A*acosd((sind(-25)*sind(-27)+cosd(-25)*cosd(-27)*cosd(-52-(-
52))));
y2=A*acosd((sind(-25)*sind(-27)+cosd(-25)*cosd(-27)*cosd(-50-(-
50))));
%média das distâncias dos pontos da grade
Mx=(x1+x2+y1+y2)/4;
%b)Velocidade u e v de cada estação e interpolação dos pontos para
grade
%determinar as componentes u e v do vento de cada estação
u = -V.*sind(Dir); %Direção x
v = -V.*cosd(Dir); %Direção y
%Incerteza da velocidade nas estações
erroV = 0.1; %Erro da Velocidade
erroDir=0.174; %Erro da Direção
errou=sqrt((sind(Dir).*erroV).^2+(V.*cosd(Dir)*erroDir).^2); %Erro
velocidade direção u
errov=sqrt((cosd(Dir).*erroV).^2+(V.*(-sind(Dir))*erroDir).^2); %Erro
Velocidade direção v
%Interpolar
somaP =0; somaT = 0; somaTd =0; somav = 0; somau = 0; somaW =
0;somEuW=0;somEvW=0;
T = T + 273;
Td = Td + 273;
N = 6;
D = 1;
for i = 1:4

W = exp (-(d(i,:)./(2*D*Mx)).^2);

PW = (P.*W);
TW = (T.*W);
TdW = (Td.*W);
uW = (u.*W);
errouW = W.*errou;
errovW = W.*errov;
vW = (v.*W);

for n=1:N
somaT= somaT + TW(n);
somaP= somaP + PW(n);
somaTd= somaTd + TdW(n);
somav= somav + vW(n);
somau= somau + uW(n);
somEuW=somEuW+errouW(n);
somEvW=somEvW+errovW(n);
somaW = somaW + W(n);

wsd(i)=somaW;
end

p0(i)=(somaP/somaW);
T0(i)=(somaT/somaW) - 273;
Td0(i)=(somaTd/somaW) - 273;
u0(i)=(somau/somaW); %Velocidade x
ue0(i)=(somEuW/somaW); %Erro velocidade x
v0(i)=(somav/somaW); %Velocidade y
ve0(i)=(somEvW/somaW); %Erro velocidade y

somaW=0;
somaT=0;
somaP= 0;
somaTd= 0;
somav= 0;
somau=0;
somEuW=0;
somEvW=0;

end
%c)Calcular a divergência e a vorticidade no centro do quadrado da
grade
%Vorticidade
U1= (u0(1)-u0(3))/y1;
U2= (u0(2)-u0(4))/y2;
V1= (v0(2)-v0(1))/x1;
V2= (v0(4)-v0(3))/x2;
vort=((V1+V2)/2)-((U1+U2)/2);
%Divergência
U3= (u0(2)-u0(1))/x1;
U4= (u0(4)-u0(3))/x2;
V3= (v0(1)-v0(3))/y1;
V4= (v0(2)-v0(4))/y2;
div=((V1+V2)/2)+((U1+U2)/2);
%d) Erro da divergência e Vorticidade
%Erro Vort
Ue1= (ue0(1)-ue0(3))/y1;
Ue2= (ue0(2)-ue0(4))/y2;
Ve1= (ve0(2)-ve0(1))/x1;
Ve2= (ve0(4)-ve0(3))/x2;
vorte=((Ve1+Ve2)/2)-((Ue1+Ue2)/2);
%Erro Div
Ue3= (ue0(2)-ue0(1))/x1;
Ue4= (ue0(4)-ue0(3))/x2;
Ve3= (ve0(1)-ve0(3))/y1;
Ve4= (ve0(2)-ve0(4))/y2;
dive=((Ve3+Ve4)/2)+((Ue3+Ue4)/2);%Erro na Divergência
%e) calcular velocidade vertical em 1000m de altura
w = -z*div;
errow =-z*dive;
%f)calcule divergencia de umidade

%temos que e var dado como:

e = 6.112*exp((17.67*Td0)./(Td0+243.5));

qv = 1000*(0.622*e)./(p0-e*(1-0.622));

%Divergência de qv

Q1= (qv(2)*u(2)-qv(1)*u(1))/x1;
Q2= (qv(4)*u(2)-qv(4)*u(2))/x1;
Q3= (qv(1)*v(1)-qv(3)*v(3))/x1;
Q4= (qv(2)*v(2)-qv(4)*v(4))/x1;
divQ=((Q1+Q2)/2)+((Q3+Q4)/2);

%g)Calcule a advecção de temperatura

AD1= ((u0(2)-u0(1))/2)*((T0(2)-T0(1))/x1);
AD2= ((u0(4)-u0(3))/2)*((T0(4)-T0(3))/x2);
AD3= ((v0(1)-v0(3))/2)*((T0(1)-T0(3))/y1);
AD4= ((v0(2)-v0(4))/2)*((T0(2)-T0(4))/y2);
adv=((V1+V2)/2)+((U1+U2)/2);

%Advecção de umidade

AD1= ((u0(2)-u0(1))/2)*((qv(2)-qv(1))/x1);
AD2= ((u0(4)-u0(3))/2)*((qv(4)-qv(3))/x2);
AD3= ((v0(1)-v0(3))/2)*((qv(1)-qv(3))/y1);
AD4= ((v0(2)-v0(4))/2)*((qv(2)-qv(4))/y2);
advqv=((V1+V2)/2)+((U1+U2)/2);