Anda di halaman 1dari 5

PLANTAS QUE PODEM SUBSTITUIR O PARACETAMOL E O IBUPROFENO

 22/1/16

 atualizado: 6/4/17

No mundo todo, hoje em dia, há um excesso de uso de medicamentos - para baixar a febre,
reduzir as dores, diminuir os processos inflamatórios, são os principais sintomas que
incomodam as pessoas, ou que as assustam. Dentre esses, os mais conhecidos são
o paracetamol e o ibuprofeno, que já caracterizam uma geração de dependência.

O pior é que esses sintomas, incômodos, é verdade, indicam processos naturais de cura do
nosso organismo. A febre, já se sabe, indica a reação positiva do sistema imunológico na sua
luta contra micróbios que causam doenças. E baixar a febre, só por baixar, não é nada
benéfico para essa luta natural do nosso corpo. As inflamações são, nada mais nada menos,
do que outra reação benéfica do organismo - quando há uma lesão, o corpo joga linfa (líquido)
na região para, com ela, aumentar o número de glóbulos brancos, os guerreiros da nossa
saúde. Reduzir a inflamação com um químico pode até diminuir o incômodo na região mas não
colabora em nada com a cura. Só o descanso, a boa alimentação e hidratação, o uso de
algumas ervas já consagradas há milênios, já seriam o suficiente para ajudar no processo de
cura.

Você sabe, antigamente se dizia, “bom senso e canja de galinha” com 7 dias de descanso, é
a cura para muitos dos incômodos que sentimos, de viroses (gripes) a entorses.

Mas, quem é que tem os tais 7 dias para descansar e se recuperar naturalmente? Não,
ninguém tem, sabemos disso. Somos hoje reféns de um sistema econômico que não valora a
vida humana. Somos peças de um xadrez que é jogado até a nossa extenuação total.

Mas, sempre é possível a gente mudar essa realidade, não?

Uma das formas de cuidar da nossa saúde é conhecendo ervas que nos possam ajudar.
Dentre essas ressaltamos aqui algumas:

1. Gengibre

Vários estudos realizados na Universidade de Odense, na Dinamarca, apontam que


o gengibre (Zinziber officinale) tem efeitos anti-inflamatórios superiores aos do
ibuprofeno, fármaco não esteroide dos mais usados.
Gengibre é antibiótico, anti-inflamatório, acalma o sistema digestivo, eficaz no controle de
náuseas e vômito, acalma a dor de cabeça e a enxaqueca, estimula o sistema imunológico,
protege o cólon contra as lesões cancerosas, elimina as células cancerígenas no câncer de
ovário, ajuda em processos de desintoxicação alimentar, alivia a dor da artrite, osteoporose e
muscular, alivia os sintomas de inflamação, protege contra a formação de úlceras estomacais,
seu uso é benéfico no combate das doenças arteriais coronarianas. Muitos outros usos são
relatados na literatura fitoterápica.

2. Cúrcuma

A cúrcuma (Curcuma longa) é usada há 4 mil anos e se sabe que possui propriedades anti-
tumorais, antioxidantes, antiartríticas, anti-inflamatórias, antivirais, antibacterianas, antif
úngicas. Segundo uma publicação do Advanced Experimental Medical Biology (2007) “A
cúrcuma tem potencial contra diversas doenças como diabetes, alergias, artrites, mal de
Alzheimer e muitas outras doenças crônicas”.

3. Salgueiro-branco

Do salgueiro branco (Salix alba) usa-se a casca como analgésico, antiinflamatório,


antipirético, anticoagulante, calmante, adstringente e desintoxicante. Comumente é usado
em tratamentos de dores de cabeça e enxaqueca (junto com unha-de-gato e anis-estrelado,
para suavizar seu sabor amargo), dores menstruais, ciática, fibromialgia, dores musculares e
reumáticas. Também pode ser usado como sedativo natural pois seu chá promove o sono.
Em uso tópico, é usado para tratar calos e verrugas, queimaduras e feridas, infecções de pele,
infecções bucais, inflamação da garganta. Tem efeito semelhante à aspirina em casos de febre
gripal, sem causar rejeição estomacal. Estes são apenas alguns dos usos do salgueiro,
cujo princípio ativo é a salicilina.

4. Unha-de-gato

Na foto, Uncaria tomentosa (esquerda) e Uncaria guianensis (direita)

É um poderoso antiinflamatório, eficaz para tecidos e terminações nervosas,


descongestionante, bactericida, antimutagênico e citostático útil nos tratamentos de tumores
cancerígenos, desintoxicante renal e intestinal, promove a cura em casos de diverticulite, colite,
hemorroidas, fístulas, gastrite e úlceras. Cura parasitoses, desequilíbrios da flora intestinal
e doença de Crohn. Alivia alergias químicas e de polem, bronquites e asma. Como antiviral, já
demonstrou sua eficácia em herpes genital, herpes zoster e aids. Inibe a coagulação e
estimula o sistema imunológico.

A unha-de-gato medicinal pertence a duas espécies, Uncaria tomentosa e Uncaria


guianensis, trepadeiras lenhosas de ocorrência na floresta Amazônica e outras áreas tropicais
da América do Sul e Central. Estes são medicamentos muito usados na América Latina, em
comunidades indígenas e camponesas. A Uncaria guianensis apresenta também efeito anti-
tumoral. É importante que não se confunda com a planta ornamental Ficus pumila também
chamada de unha-de-gato, que é tóxica.

5. Boswellia

Foto: Plant Guide © 2012 Markus Rothkranz

Esta planta é um potente antiinflamatório e muitos estudos demonstram sua eficácia em


comparação com os antiinflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno. A boswellia tem
sido usada eficazmente em casos de artrite reumatóide, asma, alergias, colite ulcerativa,
doença de Crohn, inchaço das articulações e rigidez matinal nos idosos, inibição de células
cancerosas.

6. Pimenta

O princípio ativo curativo da pimenta (Capsicum spp.) é a capsaicina, uma resina oleosa.
Tem poderosa ação analgésica pois inibe a liberação do principal neurotransmissor dos
estímulos de dor, consequentemente, bloqueia a sua transmissão. O uso da pimenta
aumenta a liberação de endorfinas pela glândula pituitária e o hipotálamo. Também é eficaz
na redução dos níveis de lipídios no sangue e ajuda a manter equilibrado os níveis de açúcar.
A pimenta também ajuda na reparação e reconstituição dos tecidos danificados, melhora as
funções estomacais e intestinais e ajuda na prevenção de várias formas de câncer.
Também promove perda de peso já que tem a capacidade de elevar a taxa metabólica do
organismo. Pode ser usada topicamente para aliviar a dor de neuropatias diabéticas, da
osteoartrite e psoríase.
Gengibre é um dos melhores anti-inflamatórios naturais que existem: dicas para consumir

 Share on facebook

 Share on twitter

 Share on pinterest

Poderoso anti-inflamatório natural, o gengibre tem ação termogênica, ou seja, acelera o


metabolismo turbinando a queima de gordura, combate problemas respiratórios e tem
propriedade expectorante, além de fortalecer o sistema imunológico.
PUBLICIDADE

E engana-se quem pensa que a raiz serve apenas como tempero de pratos orientais ou
mesmo tem seu uso restrito a chás contra gripe. Conheça diferentes formas de consumir
gengibre com receitas para inovar no cardápio:

Receitas diferentes com gengibre

ZB89V/SHUTTERSTOCK

Suco diurético de gengibre com melancia: no liquidificador, coloque 1 copo de melancia


cortada em pedaços grandes, 1 colher de sopa de gengibre descascado e picado e 250 ml de
água. Bata tudo e passe a bebida pelo coador.

Xarope de gengibre: em uma panela, deixa apurar em fogo alto por 40 minutos 500 ml de
água, 30 g de gengibre ralado ou picado, suco de 1 limão e 150 ml de mel. Em seguida,
guarde em um pote com tampa e tome 1 a 2 colheres de sopa por dia.
Suco anti-inflamatório de uva com gengibre: bata no liquidificador 200 ml de suco de uva
integral, 1 limão picado (com casca e sem o miolo branco) e gengibre ralado e canela a gosto.
Passe a bebida pelo coador e beba em seguida.

Sorvete de gengibre com manga: em um liquidificador, coloque 2 mangas cortadas, 2


inhames médios (crus, descascados e picados) e 2cm de gengibre picado. Bata até ficar
homogêneo, coloque em um recipiente de plástico ou em forminhas de picolé e leve ao
congelador por 6 horas.

Shot de gengibre para dar energia: bata no liquidificador 3 centímetros de gengibre com 1
maçã gala e água a gosto até ficar um líquido homogêneo. Consuma em pequenas doses, de
uma vez, todas as manhãs.

Gengibre em conserva: em uma panela com água, deixe ferver 3 xicaras de gengibre cortado
em fatias, escorra a água e deixe esfriar. Em outra panela, junte 1 xícara de vinagre de arroz, 3
colheres de sopa de sal rosa e ½ xícara de açúcar orgânico (ou demerara ou mascavo).

Em um recipiente de vidro (já fervido e higienizado), coloque o gengibre e cubra com a mistura
de vinagre. Tampe e deixe fora de geladeira para curtir por 3 dias. Depois, leve para a
geladeira. Sempre antes de consumir, lave o gengibre para tirar a conserva. Adicione a sucos,
chás, salada ou coma como acompanhamento em um prato de comida.