Anda di halaman 1dari 4

ELIELZER DE SOUZA NUAYED

VIGOTSKI: DESENVOLVIMENTO CULTURAL E APRENDIZAGEM

Resenha crítica apresentada à disciplina


Psicologia Educacional, do Curso de
Licenciatura em Física, do Instituto de
Ciências Exatas, para complementação da
avaliação da 1ª nota do semestre.

Professora: Maria Lenir Trevisan

Outubro de 2014
PILETTI, N; ROSSATO S. M. Psicologia da aprendizagem. São Paulo: Contexto, 2011, p.
65-79.

O texto faz uma apresentação preliminar de Lev Semionovitch Vigotski (1896-1934),


estudioso da Psicologia Histórico-Cultural, e cita que este desenvolveu seu trabalho sob as
influências de teorias de Marx e Engels. O foco principal de seu estudo seria a relação entre
pensamento e linguagem, e dá importância ao papel da educação formal, e que para tanto
Vigotski, desenvolveu sua teoria em um ponto de vista diferente do que existia em seu tempo.
Conforme o texto, Vigotski desenvolve sua teoria no contexto revolucionário de sua
época. Há referência de que os processos psicológicos devem ser compreendidos em sua
totalidade e sob a ótica de um movimento, numa visão dialética do processo integral do
comportamento. Esse comportamento teria relação direta com a característica social do ser.
Na sequência o texto apresenta conceitos elementares da teoria de Vigotski.
 A EDUCAÇÃO ESCOLAR NO PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO DO HOMEM -
Neste parágrafo o autor destaca o papel da escola como instituição mediadora da
humanização (civilização) do homem. Isso fica mais evidente quando fala que os
conhecimentos acumulados pela humanidade não são transmitido por via genética. Daí a
importância que dá ao desenvolvimento da criança como oportunidade de uma apropriação de
conhecimentos mais adequada e cheia de resultados. Vigotski observa que há uma
dependência entre o aproveitamento da fase infantil e fatores como: formação dos professores
e condições adequadas para o desenvolvimento.
 AS FUNÇOES PSICOLÓGICAS SUPERIORES: INDEPENDÊNCIA DO HOMEM -
Nesse parágrafo o autor aborda os fatores que afetam o processo de desenvolvimento do
homem tais como a ancestralidade da filogenia, a sequência de etapas pelas quais passamos
durante a vida como parte de nossa ontogenia com influência da história social do indivíduo.
Nesse contexto destaca a diferenciação entre o homem e outras espécies, haja vista ser o
homem sujeito ativo de sua própria evolução. Fala que esse aspecto evolucionário abre
caminho para a aquisição das funções psíquicas superiores relacionadas com o conteúdo
consciente do homem, tais como: aquisição da linguagem, desenvolvimento das emoções, a
formação de novos tipos de comportamentos sociais (ações conscientemente controladas,
processos voluntários), internalizando as formas culturais de comportamento. Nesse processo
de desenvolvimento o processo filogênico do homem alcança novo estágio pela
transformação dos processos psíquicos elementares (ações reflexivas, reações automáticas)
em processos superiores, os de origem cultural (sociogênese), possibilitando a independência
2
e planejamento de suas ações no mundo, ou seja, a sua singularidade, pelo processo da
microgênese.
 O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA: DE AÇÕES REFLEXAS A
INTENCIONAIS - Aqui o autor aborda um exemplo, o desenvolvimento do processo de
atenção da criança. Dando ênfase a linguagem simbólica como instrumento mediador do
internalizar da cultura. Aborda que esse processo de forma produtiva deve ser mediado de
forma organizadamente conforme o nível de internamento cultural.
 O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA E SUAS MUDANÇAS
REVOLUCIONÁRIAS - Nesta parte do texto fica caracterizado que o processo de
desenvolvimento das funções psíquicas superiores da criança se dá num processo
revolucionário e não evolucionário e de fora para dentro e conforme contato com o meio. O
autor relata que a peculiaridade da influência da riqueza do meio em todos os aspectos
permite maiores possibilidades de desenvolvimento. Da mesma forma que se uma criança
ficar à parte dos modos culturais de desenvolvimento intelectual natural, não realizará
completamente o processo de desenvolvimento cultural.
 RELAÇÕES ENTRE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO HUMANO - Há
uma parte nesse item que se faz questão de destacá-lo, pois resume em um parágrafo uma
riqueza de detalhes da teoria Vigotski: diz que identifica a forte função da escola em
colaborar com a criança na apropriação das técnicas culturais, permitindo-lhe superar métodos
mais primitivos e desenvolver-se rumo às funções psicológicas superiores. Diz que desse
modo a escola cria uma reserva de experiência, implanta grande número de métodos
auxiliares complexos e sofisticados e abre inúmeros novos potenciais para a função humana
natural.
 DESENVOLVIMENTO: DO PROXIMAL AO REAL – O autor diz que a criança, no
quesito desenvolvimento, quando experimenta limitações do seu mediador, também o faz para
o seu desenvolvimento limitando a compreensão dos seus aprendizados e desenvolvimento
apenas ao que é capaz de fazer autonomamente, ou seja, ao que está apta a fazer no momento
atual ou ao que tem “maturidade” para executar. É nesse foco que o mediador deve estar
agindo sincronizado pelo que permite a zona de desenvolvimento proximal (ZDP).

Ensino
mediado

Aprendizagens atuais consolidadas Maturação (zona de Fora das potencialidades sem


possibilidades)
mediação
Capacidade de solucionar problemas / Desenvolvimento impulsionado
3
 PROCESSO DE APRENDIZAGEM: CONCEITOS COTIDIANOS E CIENTÍFICOS
- Nessa parte o autor da um enfoque à missão da escola como agente no aprendizado
científico, o qual é fixado de forma sistematizado na mente do estudante através das funções
cognitivas superiores apoiadas no arcabouço adquirido de conhecimento espontâneo. Diz que
nesse contexto é grande a responsabilidade dos educadores e que o desenvolvimento da
criança tem coexistência com o processo educativo por ser um agente de transformação das
funções de comportamento.
 PSICOLOGIA EDUCACIONAL E O CONHECIMENTO CIENTÍFICO
Esta parte do texto aborda a questão de que a Psicologia Educacional é está envolto em uma
questão aberta a estudos e desenvolvimentos, sendo uma oportunidade de intervir-se no
cenário geral ou específico (definido pela cultura), de forma que se tenha um processo
produtivo de alcance da educação escolar, por exemplo.