Anda di halaman 1dari 5

1 - O Estatuto da Criança e do Adolescente estabelece os direitos fundamentais para a

criança e o adolescente, dentre eles: I. direito à vida e à saúde; II. direito ao ensino, lazer e
cultura III. direito à liberdade, ao respeito e à dignidade. Marque abaixo a alternativa
CORRETA:

Apenas a alternativa I está correta.

Apenas as alternativas I e II estão corretas.

Apenas as alternativas II e III estão corretas.

Todas as alternativas estão corretas.

Apenas as alternativas I e III estão corretas.

Gabarito Coment.

2. O Estatuto da Criança e do Adolescente será aplicado:

apenas às pessoas com idade menor que 18 anos.

a todas as pessoas com idade entre zero e vinte e um anos.

excepcionalmente às pessoas entre dezoito e vinte e um anos de idade.

apenas a crianças e adolescentes em condições de vulnerabilidade social.

a todos os adolescentes até a idade de 24 anos.

Explicação:

A opção D é a correta, uma vez que entende-se que o ECA já é aplicado as pessoas com
idade menor de 18 anos. No tocante, sua aplicação é excepcional entre 18 e 21 anos,
indicando o descarte da opção A que diz: todas as pessoas com idade entre 0 a 21 anos.

3. O Estatuto da Criança e do Adolescente dispõe, em seu art. 4º, que é


dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder
público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos
referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à
liberdade e à convivência familiar e comunitária. Diante disto,
podemos afirmar que este comando legal representa o princípio:
da prioridade absoluta.

do bem comum.

da cidadania.

da municipalização.

do peculiar desenvolvimento.

Explicação:

O princípio é o da PRIORIDADE ABSOLUTA, o qual é encontrado tanto no art. 227 caput


da Constituição Federal, como no art. 4º e § único que os exemplifica nos ítens a,b,c,d do
referido §único da Lei 8069/90. Este princípio estabele a viabilização dos DIREITOS
FUNDAMENTAIS estabelecidos para à Criança e ao Adolescente.

Gabarito Coment.

4. A respeito do direito da criança e do adolescente, assinale a opção


correta.

Os princípios estruturantes do ECA não contemplam a municipalização.


O princípio do melhor interesse da criança e do adolescente pode ser
compreendido como a forma adequada de permitir que a criança e o adolescente
possam se desenvolver com dignidade, concretizando, portanto, os seus direitos
fundamentais.
Segundo a doutrina da situação irregular do menor, o menor em tal situação era
aquele que sempre apresentava problemas de conduta de caráter ilícito, devendo
ser, portanto, regulado por lei especial.
Com o advento da CF, o dever de cuidado e proteção a toda e qualquer criança e
adolescente passou a ser um dever exclusivo do Estado.
O primeiro CP da República, de 1890, estendeu a responsabilização para maiores
de quatorze anos de idade, deixando de utilizar o critério do discernimento.

Explicação:

a) ERRADA: É do Estado e da família;

b) CORRETA;

c) ERRADA: Prevê a municipalização em vários arts., principalmente no que se refere ao


Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente;

d) ERRADA: O primeiro CP não é de 1890, mas de 1830;


e) ERRADA: A doutrina da situação irregular do menor considerava aquele como sendo
o: "menor abandonado", o "menor carente", o "menor infrator", o "o menor com desvio de
conduta", o "menor viciado", e não apenas aquele que cometia algum ilícito.

5. Com relação aos direitos fundamentais da criança e do adolescente,


assinale a opção correta.

É assegurado à gestante, por meio do Sistema Único de Saúde, o atendimento


pré-natal, devendo a parturiente ser obrigatoriamente atendida pelo médico que a
tenha acompanhado durante o período pré-natal.
O conceito de família extensa não abrange a figura da madrasta ou do padrasto.
A doutrina da situação irregular vigorou no ordenamento pátrio até a promulgação
do ECA.
Em face da aprovação do novo Código Civil, segundo o qual a maioridade civil é
obtida aos dezoito anos de idade, não se aplica mais, no ordenamento brasileiro,
a denominação jovem adulto, presente no ECA, sendo considerada criança a
pessoa com até catorze anos de idade e adolescente, a que tenha entre quinze e
dezoito anos de idade.
O direito à liberdade conferido à criança e ao adolescente pelo ECA compreende
o de buscar refúgio, sendo a eles garantido o acesso às diversões e espetáculos
públicos classificados como adequados à sua faixa etária; crianças menores de
dez anos somente poderão ingressar e permanecer nos locais de apresentação
ou exibição de espetáculos quando acompanhadas dos pais ou responsáveis.

Explicação:

ECA Art. 15. A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade
como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos
civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis.

Art. 16. O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos:

I - ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, ressalvadas as


restrições legais;

II - opinião e expressão;

III - crença e culto religioso;

IV - brincar, praticar esportes e divertir-se;

V - participar da vida familiar e comunitária, sem discriminação;

VI - participar da vida política, na forma da lei;

VII - buscar refúgio, auxílio e orientação.


6. Segundo o ECA, ¿A criança e o adolescente têm o direito de ser
educados e cuidados sem o uso de castigo físico ou de tratamento
cruel ou degradante, como formas de correção, disciplina, educação
ou qualquer outro pretexto, pelos pais, pelos integrantes da família
ampliada, pelos responsáveis, pelos agentes públicos executores de
medidas socioeducativas ou por qualquer pessoa encarregada de
cuidar deles, tratá-los, educá-los ou protegê-los.¿ Nesse sentido,
entende-se por I castigo físico a ação de natureza disciplinar ou
punitiva aplicada com o uso da força física sobre a criança ou o
adolescente e que lhes cause sofrimento físico ou lesão. II tratamento
cruel ou degradante a conduta ou forma cruel de tratamento em
relação à criança ou ao adolescente que lhes humilhe, ameace
gravemente ou ridicularize. III tratamento cruel ou degradante a
alienação parental praticada por um dos genitores, por ser uma forma
de humilhar a criança ou o adolescente. Assinale a opção correta.

Nenhum item está certo.

Apenas o item III está certo.

Apenas os itens II e III estão certos.

Apenas os itens I e II estão certos.

Todos os itens estão certos.

7. V Exame de Ordem unificado

Fernando e Eulália decidiram adotar uma menina. Iniciaram o


processo de adoção em maio de 2010. Com o estágio de convivência
em curso, o casal se divorciou. Diante do fim do casamento dos
pretendentes à adoção, é correto afirmar que

a lei prevê tal hipótese, pois está em desacordo com os ditames constitucionais
da paternidade responsável.
a adoção será deferida, contanto que o casal acorde sobre a guarda, regime de
visitas e desde que o estágio de convivência tenha sido iniciado na constância do
período de convivência e que seja comprovada a existência de vínculo de
afinidade e afetividade com aquele que não seja o detentor da guarda que
justifique a excepcionalidade da concessão.
a adoção poderá prosseguir, contanto que o casal opte pela guarda
compartilhada no acordo de divórcio, mesmo que o estágio de convivência não
tenha sido iniciado na constância do período de convivência.
a lei não prevê tal hipótese, pois está em desacordo com os ditames
constitucionais da paternidade responsável.
a adoção deverá ser suspensa, e outro casal adotará a menor, segundo o
princípio do melhor interesse do menor, pois a adoção é medida geradora do
vínculo familiar.

Gabarito Coment. Gabarito Coment. Gabarito Coment.

8. Para o Estatuto da Criança e do Adolescente, considera-se:

adolescente, a pessoa até dezoito anos de idade.


criança, a pessoa que ainda esteja sob a guarda dos pais biológicos ou adotivos;
e adolescente, aquele que já tenha consciência dos seus próprios atos.
criança, a pessoa até onze anos de idade completos; e adolescente, aquela entre
onze e dezesseis anos.
criança, a pessoa até doze anos de idade incompletos; e adolescente, aquela
entre doze e dezoito anos de idade.
criança, a pessoa até dezessete anos de idade incompletos.

Explicação:

Art. 2º Considera-se criança, para os efeitos desta Lei, a pessoa até doze anos de
idade incompletos, e adolescente aquela entre doze e dezoito anos de idade.