Anda di halaman 1dari 2

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CERTIFICAÇÃO: INTEGRAIS DE FUNÇÕES DE VARIÁVEIS

Prova 1 – Cálculo de Integrais de Funções


Professor Engenheiro Carlos Augusto Zilli
Data de Entrega: 06/12/2018

DUPLA (2 ALUNOS):

Instruções e Observações:
1 – Essa será a capa de seu trabalho, imprima-a. 2 – Esse trabalho é em grupo, tem peso 10,0 e deverá ser entregue no dia 06/12/2018. 3 – Todos os
tópicos abordados no trabalho foram explicados em sala de aula. 4 – Respostas sem apresentação do desenvolvimento completo ou com
desenvolvimento incompatível serão consideradas incorretas. 5 – Poderão fazer o trabalho em grupo, contudo, trabalhos meramente copiados do
colega serão sumariamente zerados. Veja que podemos apresentar o mesmo cálculo alterando, por exemplo, a ordem de integração. 6 – Você
deverá entregar o trabalho manuscrito (à mão), com as questões na ordem correta e apresentadas de forma organizada com resposta em destaque.

Quando um corpo está totalmente submerso ou parcialmente submerso em um fluido em equilíbrio,


este exerce sobre o corpo uma força E, denominada empuxo, cujo sentido é para cima, isto é,
oposto ao sentido do peso P do corpo. O primeiro cientista a mostrar corretamente como calcular
o empuxo E de uma força, foi Arquimedes (298 a.C. - 212 a.C.) o maior matemático e físico da
antiguidade. Ele estabeleceu um princípio que pode ser enunciado conforme mostrado logo abaixo:

"Um corpo total ou parcialmente imerso em um fluido, recebe do fluido uma força vertical,
dirigida para cima, cuja intensidade é igual a do peso do fluido deslocado pelo corpo."

Sendo assim, considerando um iceberg de massa específica c , flutuando parcialmente em um


fluido cuja massa específica é f , a força de empuxo E pode ser calculada pela equação dada por

0
E    f g A( y ) dy
h

Nesse caso, temos que g é a aceleração da gravidade local (9,81 m/s²) e que a função A(y) é a área
de uma secção transversal típica do iceberg em estudo, conforme mostrado na imagem dada abaixo

Considerando ainda a situação problema, podemos concluir que o peso P do iceberg é obtido por:
Lh
. P  c g A( y) dy
h

Com base nessas informações, calcule os itens propostos abaixo mostrando as etapas de cálculo.
1) (2,0) Demonstre que o percentual do volume do iceberg acima da superfície do fluido é dado por
 f  c
 (100)
f

2) (4,0) Considerando a massa específica do gelo como 915 kg/m3, e a massa específica da água do
mar como 1.035 kg/m³, qual percentual do volume do iceberg está acima da superfície da água?

3) (2,0) Com base nas ideias apresentadas, considere que um cubinho de gelo flutua parcialmente
submerso em um copo completamente cheio com água. Comente, justificando sua resposta, o que
ocorrerá quando o cubo de gelo derreter: a água transbordará ou permanecerá no limite do copo?

4) (2,0) Considere agora que uma pequena esfera de 0,8 m de diâmetro e com peso desprezível
esteja flutuando em um grande lago com água doce, cuja massa específica é de 1.000 kg/m³.
Calcule o trabalho total necessário para que se possa submergir completamente a esfera no lago.

IMPORTANTE: IMPRIMA ESSAS DUAS PÁGINAS E AS UTILIZE COMO CAPA PARA O


TRABALHO DE SUA DUPLA. RESOLVA CADA QUESTÃO EM UMA FOLHA SULFITE
BRANCA A4, TOTALIZANDO DESTE MODO UM TRABALHO COM 6 FOLHAS AO TODO.