Anda di halaman 1dari 8

TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016

projetos & obras

1. Vista da entrada principal do


Prédio Central

CENTRO DE REFERÊNCIA EM

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

DO SINPRO-DF

Uso da terra em múltiplas formas


Sérgio Pamplona
Frederico Rosalino
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

2. Vista interna do Prédio Central –


Estrutura em bambu

Centro de Referência em Educação Ambiental do Sindicato dos


Professores do Distrito Federal, Brasília, DF. Um projeto ousado que
utiliza materiais naturais em sua máxima eficiência, viabilizando
uma obra de baixo impacto ao meio ambiente, porém, com alto
impacto positivo na comunidade.

Arq. Sérgio Pamplona


Eng. Civil Frederico Rosalino
Brazlândia – DF

As obras do Centro de Referência em O Centro foi projetado para ser um local


Educação Ambiental do Sindicato dos destinado à capacitação de professores e a
Professores do Distrito Federal - SINPRO-DF, comunidade em geral. O projeto teve como
conta com a maior área de cobertura partido a sustentabilidade. Para tanto, foi
construída simultaneamente utilizando utilizado o conceito de bioarquitetura para o
estruturas em bambu, tendo, no salão desenvolvimento do projeto, além de
principal, o maior vão livre entre apoios já diversas técnicas construtivas sustentáveis,
edificado no Brasil até a data de sua entre elas, técnicas de construção com terra.
conclusão.

2
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

3. Vista da construção do Prédio Central –


Paredes em taipa de pilão

O projeto completo conta com uma área A estrutura da cobertura é em bambu da


total de coberturas executadas com espécie Dendrocalamus asper com vão livre
estruturas em bambu e paredes estruturais de 17 metros. As telhas utilizadas nesta
em terra de 1011 m², sendo composto por cobertura são de madeira do tipo cavaco
quatro edificações. tendo uma área de projeção de cobertura
de 460 m². O edifício conta ainda com uma
O prédio principal (central) conta com
parte das coberturas do tipo verde.
paredes estruturais em Taipa de pilão (4) e
algumas vedações em pau a pique (5). Este bloco é destinado a reuniões e eventos
Foram utilizados os bambus que sobraram ligados à sustentabilidade. Conta ainda com
das coberturas para armar a taipa de mão. sanitários e cozinha
As vigas de amarração e fundações em
concreto armado.

4. Detalhe das formas da taipa de pilão 5. Detalhe da armação da taipa de mão

3
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

6. Vista da entrada principal do Prédio Multiuso

O Prédio Multiuso é destinado a apoio do A estrutura da cobertura principal é em


Prédio Central para a realização de reuniões bambu segue a mesma linha do prédio
e capacitações. central, onde foi utilizado bambu da espécie
Dendrocalamus asper com vão livre máximo
O bloco conta com paredes estruturais em de 9,50 metros.
terra ensacada (7) e paredes de vedação
em pau a pique. As telhas da cobertura principal são em
madeira do tipo cavaco e uma parte é em
Tanto as vigas de amarração quanto as cobertura verde.
fundações são em concreto armado. Parte
da estrutura é em madeira de Em algumas vedações foram utilizados brises
reflorestamento, neste caso, o eucalipto. de bambu que sobraram na construção das
coberturas.

7. Detalhe da execução da terra ensacada 8. Vista superior do Prédio Multiuso

4
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

9. Vista do prédio de sanitário

O Complexo conta com um prédio de A estrutura da cobertura em bambu da


sanitários (9) onde os vasos são de câmaras espécie Dendrocalamus asper sendo que
de compostagem, conhecidos como as telhas assim como nos outros prédios são
sanitários secos, o que proporciona ao em madeira do tipo cavaco, e cobrem
usuário do Centro a vivência com este tipo uma área de 116 m² (4)
de tecnologia onde não se utiliza água
para a descarga dos vasos.
A estrutura do sanitário são paredes
estruturais em terra ensacada apoiada sob
fundação em concreto armado (10 e 11).

10. Execução e detalhe da parede de terra ensacada

5
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

11. Vista da Oca

Para completar o complexo, uma Todos os bambus utilizados na construção


cobertura com o nome de "Oca" (11), foi são coletados na região e tratados de
construída com o objetivo de abrigar modo a garantir vida longa ao Centro.
eventos e reuniões quase que ao ar livre. Parte do eucalipto utilizado foi extraída da
mata ao lado do terreno, minimizando,
Com pilares em eucalipto e estrutura da
assim, o gasto energético com transporte
cobertura em bambu da espécie
de materiais.
Dendrocalamus asper, com vão livre
máximo de 14 metros, telhas de madeira do
tipo cavaco, com uma área de cobertura
de 260 m² (11).

12. Detalhe da cobertura da Oca

6
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

O complexo conta ainda com sistemas de


tratamento de esgotos por
evapotranspiração. Está localizada em um
sítio cercado por riquíssimas agroflorestas
onde o visitante pode ter o prazer de
desfrutar de um cultivar orgânico.

13. Detalhe da cobertura da Oca

7
TerraBrasil2016 - Bauru-SP, Brasil, 8 a 12 de novembro de 2016
projetos & obras

FICHA TÉCNICA
FUNÇÃO DA OBRA/PROJETO
Local: Brazlândia/DF
Data de início do projeto: 2012
Data da conclusão da obra: 2013
Sergio Pamplona é bioarquiteto e Área construída: 1.600 m2
permacultor. Trabalha com projetos de casas Arquitetura: Sérgio Pamplona
ecológicas, planejamento sustentável de Construção: Bioestrutura Engenharia e
propriedades, dá cursos e capacitações.
Mora em Brasília, DF Barberatto Engenharia
Estruturas em Bambu: Eng. Frederico Rosalino
Fotos: Frederico Rosalino

Frederico Rosalino é engenheiro civil,


professor de estruturas na Faculdade de
Arquitetura e Urbanismo da Universidade
Católica de Brasília e especialista em
construções sustentáveis. Mora em Brasília,
DF
frederico.rosalino@gmail.com