Anda di halaman 1dari 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE HUMANIDADES
UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO
PSICOLOGIA EDUCACIONAL DA ADOLESCÊCIA – 2016.2
ALUNO (A): __________________________________

Resenha descritiva do filme “As vantagens de ser invisível (2012)”


relacionando com temas abordados na disciplina de Psicologia
Educacional da Adolescência.

Campina Grande
Fevereiro de 2017
As vantangens de ser invisível (Stphen CHbosky, 2012) mostra a vida Charlie,
um adolescente solitário que já passou por traumas em sua vida. Ele convive com o
suicídio recente de um amigo e as lembranças da morte da tia em um acidente. No seu
retorno para a escola começando o ensino médio, a priori ele tem dificuldades em
encontrar novos amigos, em um ambiente onde já se encontra grupos consolidados.
Com o tempo acaba conhecendo Patrick e sua meia-irmã Sam, que passa a acha-los
interessantes e passa a conviver diariamente. Ele descobre a felicidade, mas ainda
sente falta de alguma coisa em sua vida.

O filme se releva muito bom para uma analise e compreensão da vida na


adolescência. O enredo se passa em um contexto sociocultural estadunidense dos
anos 90 e nos faz resgatar conceitos e teorias no âmbito da psicologia da adolescência.
Percebemos em Charlie e em outros personagens também adolescentes uma busca
por uma identidade e um sentido de vida, onde no momento do desenvolvimento de
suas habilidades cognitivas começam a refletir sobre si mesmos e sobre os outros.
Entendemos por identidade “o conjunto de crenças e objetivos significativos que fazem
parte de um sentido coerente e consistente de quem a pessoa é e de quem ela espera
se tornar” (Bronk, 2011).Se vermos essa construção de identidade como um processo
social, logo essa processo terá três características. Primeira, AUTOCONCEITO, que seria
“o conjunto de elementos que a pessoa percebe, pensa e acredita fazerem parte de si,
constituindo sua individualidade, independentemente de considerar tais elementos
bons ou ruins” (McDavid, 1990), notamos isso no começo do filme quando ainda
solitário, passa a ser achar estranho, diferente, até mesmo pela imagem que os alunos
da escola o veem. Também temos a AUTOESTIMA, que é a valorização de tais
elementos, é quando se percebe como importantes, valiosos e agradáveis ou o
contrário, os atributos oriundos de seu autoconceito. Por fim, a AUTOEFICACIA, “o
grau de confiança que o individio tem em si mesmo para prosseguir o resultado que
deseja a partir do conjunto de suas habilidades e capacidades de produzir condições
favoráveis para alcançar suas metas” (Bandura, 1997). Charlie passa a criar uma
autoeficácia quando faz amizade com seu professor de inglês que o auxilia com seus
projetos, ele vê o professor como um primeiro amigo, que tem uma boa influencia
positiva para Charlie.

Vemos notoriamente no filme, todas as ansiedades, crises, questionamentos


que um adolescente pode passar em sua transição para a vida adulta, as fases
metamorfoseias e diferentes papeis sociais que podem ocorrer durante a busca pela
identidade e como traumas do passado podem prejudicar toda essa formação psíquica
dos jovens.