Anda di halaman 1dari 89

Sete Coisas Que

Você Deve Saber


Sobre Cura
Divina
Kenneth E. Hagin
Conteúdo

1. .................................................................... É desejo de

Deus curar você .................................................... 7


2. A doença vem de Satanás ..... ....... ........ .......................... 13

3. A cura é provida no Novo Testamento ......... ...................

17

4. Métodos pelos quais as curas podem ser obtidas ................ 43

5. Saiba a diferença...................... ..... ^ .............. ................. 69


6. A cura não é sempre instantânea ........................................ 77
7. A cura pode ser perdida .................. ...... .............................81

1. E desejo de Deus curar você.

As Escrituras nos revelam a natureza de Deus.

As Escrituras também revelam a atitude de Deus com


relação ao pecado, à enfermidade, à doença.
A natureza de Deus não mudou no decorrer dos anos.
Nem mudou a Sua atitude para com o pecado, a
enfermidade, a doença.
Você precisa saber disso para compreender a cura
divina. Há sete fatos principais que você deve realmente
conhecer sobre cura divina. O primeiro é:

1. É desejo de Deus curar você, porque a cura está no


Seu plano de redenção.
A Bíblia diz que, pela boca de duas ou três
testemunhas, toda palavra será confirmada (Mt 18.16).
Os seguintes textos de Isaías, Mateus e 1 Pedro
concordam que Ele (Jesus) tomou nossas enfermidades
e levou as nossas doenças.
Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas
ENFERMIDADES e as nossas DORES levou sobre
si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e
oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas
transgressões e moido pelas nossas iniqilidades; o
castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e,
PELAS SUAS P1SADURAS, FOMOSSARADOS.
— Isaías 53.4,5
Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaias,
que diz: ELE TOMOU SOBRE SI AS NOSSAS
ENFERMIDADES E LEVOU AS NOSSAS DOENÇAS.
Mateus 8.17

Isto é ainda mais claro. Mateus diz que ele está


citando Isaías. Se você checar a referência, encontrará
Isaías 53.4. Gosto de falar desta forma: Jesus tomou as
minhas enfermidades e levou as minhas doenças.
Li aquele versículo durante anos antes de entender o
que ele estava dizendo: Jesus verdadeiramente —
literalmente — tomou a causa da nossa enfermidade e
doença. Ele tomou nossas enfermidades e levou as
nossas doenças.
Sabemos que Jesus foi feito pecado por nós. A razão
pela qual Ele levou o pecado foi para que pudéssemos
estar livres do pecado, e a razão dEle ter levado a
doença foi para que pudéssemos estar livres da doença.
Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o
madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos
viver para a justiça; e pelas suas feridas FOSTES
SARADOS.
1 Pedro 2.24

Então, Isaías, Mateus e Pedro — três testemunhas —


nos contam que Jesus não apenas derramou o Seu
sangue para a remissão dos nossos pecados, como
também pelas Suas feridas fomos sarados.
Algumas pessoas não crêem nisso. Li, certa vez, um
comentário cujo autor disse que pelas sitas pisaduras
fostes sarados (1 Pe 2.24) não significa cura física,
significa cura espiritual. Nosso espírito é curado pelas
Suas feridas.
Deus, entretanto, não cura o espírito do pecador. De
acordo com as Escrituras, Ele o recria e faz da pessoa
uma nova criatura.
Jeremias e Ezequiel, profetizando no Velho
Testamento, disseram: Eis que dias vêm, diz o Senhor,
em que farei um concerto novo com a casa de Israel (Jr
31.31); ... e um ESPÍRITO novo porei dentro deles; e
tirarei da sua carne o coração de pedra e lhes darei um
coração de carne (Ez 11.19)/j
Aqueles que crêem que Deus cura o espírito humano
não crêem que o homem tenha jamais falhado (ou
pecado). Sua propaganda não escriturística diz que
todos nós temos uma centelha da divindade que Deus
precisa aperfeiçoar.
Não! Um pecador necessita nascer de novo e se
tornar um novo homem — a nova criatura descrita em 2
Coríntios 5.17: Assim que, se alguém está em Cristo,
nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que
tudo se fez novo. (Minha Bíblia anotada diz, na
margem, que ele é uma "nova criação".)
Quando uma pessoa fica curada, entretanto, as
coisas velhas não passam e nem todas as coisas se
tornam novas. Apenas as doenças se vão. A parte que
estava doente se torna nova.
(Se eu tiver um furúnculo no meu nariz e aquele
furúnculo for curado, não ganho um nariz novo. E o
mesmo nariz. Apenas a parte doente se vai.)
Por conseguinte, 1 Pedro 2.24 não significa cura
espiritual, significa apenas o que está dito. Pensei,
quando li mais do comentário desse cavalheiro: Se isso
significa cura espiritual, então o próprio Senhor não
sabia e Ele cometeu um erro. Eu estava me lembrando
de um incidente ocorrido durante uma reunião que eu
dirigia em Oklahoma.
Uma das sete igrejas cooperadoras era pastoreada
por um casal que conheci no Texas. Eles disseram:
"Vamos trazer uma mulher da nossa igreja para a
oração desta noite, irmão Hagin. Ela é paralítica. Não
dá um passo há sete anos. Nós a levamos aos melhores
especialistas no Estado, e eles disseram que ela nunca
andará novamente enquanto viver".
Geralmente, ministro debaixo de unção. Na noite
que ela veio, eu tinha tanto para ministrar que estava
exausto quando fui até ela.
Veja, o Senhor é o mesmo em todos os tempos, mas
eu não. Potencialmente, a unção é a mesma o tempo
todo, mas na manifestação não é, porque quando se fica
cansado, é difícil se render a Deus.
Já que a unção desapareceu na hora que cheguei até
esta mulher, eu não podia conscientemente ministrar a
ela como faria normalmente. Eles a tinham trazido de
longe para a reunião, e o que eu ia fazer? Mandá-la
embora, simplesmente?
Não, não. Havia um jeito de ministrar a ela —
porque a Palavra de Deus nunca falha! A unção pode
diminuir, desaparecer e ir-se, mas a Palavra de Deus é
sempre ungida; aleluia; e Suas palavras são Espírito e
Vida.
Tudo o que fiz foi me sentar no altar ao lado da
mulher, abrir a minha Bíblia neste versículo das
Escrituras (1 Pe 2.24), colocar a Bíblia no seu colo e
pedir que ela o lesse.
E desejo de Deus curar você

Então, lhe perguntei: "A Palavra fostes está no


pretérito, no futuro ou no presente?"
Uma expressão de reconhecimento resplandeceu
pelo seu rosto como uma luz de néon brilhando na
escuridão. "Ora — disse ela — está no pretérito! E se
nós FOMOS sarados, EU FUI!" (Isso é crer alinhado
com a Palavra de Deus).
Eu disse: "Irmã, você vai fazer o que eu lhe disser ?"
"Bem, ela falou, farei, se for fácil".
Eu disse: "E a coisa mais fácil que você já fez na sua
vida. Simplesmente levante as suas mãos e comece a
louvar a Deus, porque você está curada — não será —
ESTA!"
Gostaria que você tivesse visto aquela mulher
paralítica. Ela não tinha nenhuma evidência de cura —
não tinha dado ainda nenhum passo — mas levantou as
suas mãos, olhou para o alto, e enquanto um sorriso
irrompia no seu rosto, ela disse: "Ó, Deus Pai querido
— ei! Estou tão feliz de estar curada! Ó, Senhor, tu
sabes como estava exausta de ficar sentada nestes
últimos anos. Estou tão contente de não estar
desamparada e não precisar mais de assistência" (está
vendo? Ela estava agindo na Palavra. Isso é fé).
Pus-me de pé e disse à congregação: "Vamos todos
levantar nossas mãos e louvar a Deus com ela, porque
ela está curada" (e, contudo, a rigor, ela ainda estava
sentada no altar, paralítica).
Depois de pararmos, virei-me para a mulher e disse:
"Agora, minha irmã, levante-se e ande em Nome de
Jesus!"
Deus e centenas de pessoas são minhas testemunhas
eternas de que ela instantaneamente se pôs de pé e
saltou, correu e dançou, como o homem que entrou no
templo andando, saltando e louvando a Deus (At 3.8).
Todos gritamos e choramos com ela. Então, alguém
saiu e falou uma mentira sobre mim! Ele disse: "Aquele
sujeito, Hagin, curou uma mulher paralítica lá, na noite
passada.
Não tive a ver com aquilo nada além do que você ou
alguém mais poderia ter.
Jesus a curou há aproximadamente 2.000 anos, e ela
só descobriu isso naquela noite!
O ponto que quero ressaltar é que, embora aquele
ministro dissesse que 1 Pe 2.24 não significa cura física,
esse foi o único versículo que dei para aquela mulher
paralítica!
Pensei comigo mesmo: Se esse versículo significasse
apenas cura espiritual, então Deus cometeu um erro.
Ele deveria tê-la curado espiritualmente, não
fisicamente!
Amigos, aquele versículo quer dizer exatamente o
que diz, e ele pertence a nós. Bendito seja Deus; pelas
Suas feridas fomos sarados. Ele não nos redimiu do
pecado, apenas. Ele também nos redimiu das
enfermidades.
É desejo de Deus curar você. Nunca duvide disso,
porque isto está no Seu plano de redenção.
2. A doença vem de Satanás.

2. É desejo de Deus curar você, porque a doença vem de Satanás,


não de Deus, e Deus não quer que Seus filhos tenham nada que
pertença a Satanás.
Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o
qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque
Deus era com ele.
— Atos 10.38
Quero que você note que as Escrituras dizem que todas essas
pessoas doentes que Jesus curou eram oprimidas do diabo. E, você
percebe o que a Bíblia chama de doença? A opressão satânica. Jesus é
o Libertador, mas Satanás é o opressor.
[Jesus disse] E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta
filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás mantinha presa?
8. Lucas 13.16

Se você ler a história inteira no capítulo 13 de Lucas, verá que essa


mulher tinha evidentemente uma doença como artrite, porque ela não
podia ficar direito em pé . Jesus falou que era Satanás que a mantinha
presa no seu corpo físico.
O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que
tenham vida e a tenham em abundância.
9. João 10.10
Quando Jesus disse: O ladrão não vem, Ele estava falando do
diabo, não de Deus. Deus não é um ladrão. Jesus não é um ladrão. O
Espírito Santo não é um ladrão.
O ladrão vem para roubar, matar e destruir. A doença é um ladrão.
Ela rouba a saúde. Rouba a felicidade. Rouba o dinheiro que
precisamos para outras coisas.
Quando Jesus disse: Eu vim para que tenham vida e a tenham em
abundância, Ele estava contrastando as Suas obras — as obras de
Deus — com as obras do diabo.
Quem comete o pecado è do diabo, porque o diabo peca desde o
princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras
do diabo.
— 1 João 3.8

Para esse propósito — por esta razão — o Filho de Deus se


manifestou: Ele veio para destruir as OBRAS do diabo?
Sim, o pecado é do diabo, e Jesus veio para destruir o pecado. Mas
isso não é tudo o que Ele veio destruir. Ele também andou fazendo o
bem e curando a todos os oprimidos do diabo, de acordo com o nosso
texto de Atos 10.38. Veja, Jesus se manifestou para destruir as
OBRAS do diabo. Observe novamente que esse texto de Atos chama
a enfermidade e a doença de obras do diabo.
Quando entendermos isso — quando começarmos a tratar as
enfermidades e as doenças da mesma maneira que tratamos o pecado
e o diabo — então nós lhes resistiremos e não nos renderemos a elas.
Nosso primeiro erro é quando nos rendemos a elas.
Lembro-me de como fiquei zangado quando o diabo tentou
atacar nossas crianças com enfermidades quando eram
pequenas. Deixava-me louco da vida o fato do diabo invadir o
nosso lar e atacar aquelas crianças. Levantei-me contra ele. Eu
lhe disse: "Você não vai entrar aqui! Você não tem direito!"
Nossos filhos estão agora crescidos. Nosso filho, Ken Jr., é
um ministro ordenado. Nossa filha, Pat, também uma ministra
ordenada, é casada com um ministro, o Reverendo Buddy
Harrison.
Conto para as pessoas o tempo inteiro que, falando do ponto
de vista médico, tudo o que me custou criar esses filhos foi $
37,50.
Quando Ken Jr. nasceu, o médico cobrou $ 25. Esse foi o custo total
naqueles dias da Depressão de 1939. E quando Pat nasceu, o médico
cobrou $12,50, (Pat custou menos porque tínhamos um médico
diferente, e ele dava desconto c de 50% para pastores!)
(Agora, não me interprete mal. Quando chegou a hora de ií'
nossas crianças entrarem na escola, nós as levamos para I exames
físicos e aplicamos todas as vacinas que a lei exigia, f, mas o médico
da cidade onde estávamos pastoreando não p cobrava nada dos
ministros).
Graças a Deus, a cura nos pertence. Precisamos nos levantar
contra o diabo.

3. A cura éprovida no Novo Testamento.


3. Deus não apenas tratou da enfermidade e proveu a cura no
Velho Testamento sob a Velha Aliança. Ele também tratou da
enfermidade e proveu a cura no Novo Testamento, sob a Nova
Aliança.

A maior parte das pessoas que estudou a Bíblia sabe que Deus
tratou da enfermidade no Velho Testamento. Além disso, alguma
coisa sobre a natureza de Deus pode ser aprendida destas
Escrituras do Velho Testamento.
Tão logo Israel, o povo da aliança de Deus, saiu do Egito e
começou a andar na direção da terra prometida, Deus lhe disse:
Se ouvires atento a voz do Senhor, teu Deus, e fizeres o que é
reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos
seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos,
nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o
Egito; porque EU SOU O SENHOR, QUE TE SARA,
— Êxodo 15.26

No hebraico, lê-se literalmente: "Eu não permitirei


nenhuma dessas doenças sobre ti, que permiti sobre
os egípcios...". Observe que Deus não colocou as
doenças em Israel ou nos egípcios. É Satanás, o deus
deste mundo, que faz os homens ficarem doentes.
Aqui, Jeová declara que Ele é o
A
curador de Israel. E, então, no capítulo 23 de Êxodo, Deus
disse:
E servireis ao Senhor, vosso Deus, e ele abençoará o
vosso pão e a vossa água; e EU TIRAREI DO MEIO DE
TIAS ENFERMIDADES. Não haverá alguma que
aborte, nem estéril na tua terra; O NÚMERO DOS
TEUS DIAS CUMPRIREI.
— Êxodo 23.25,26

Um ministro, certa vez, me fez esta pergunta: "Se você não


vai ficar doente, como então vai morrer? ". A resposta está
bem aqui no versículo 26: o número dos teus dias cumprirei.
Deus prometeu que Ele tiraria as enfermidades do meio
deles. Isso significa que eles se cansavam, dormiam, iam para
a casa e bendiziam a Deus sem enfermidade.
É um fato notável que, enquanto Israel andou na aliança
que Deus fez com eles, não havia enfermidade no meio deles.
Não existe nenhum registro de quaisquer bebês ou jovens
terem morrido enquanto Israel manteve a aliança. Não havia
mortes prematuras, porque todas as pessoas cresciam até a
idade adulta antes que descansassem da sua obra. Veja você,
Deus Jeová era tudo o que eles precisavam!
Agora, no T capítulo de Deuteronômio, Deus disse para
Israel:
Eamar-te-á, e abençoar-te-á, e te fará multiplicar, e
abençoará o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e
o teu cereal, e o teu mosto, e o teu azeite, e a criação das
tuas vacas, e o rebanho do teu gado miúdo, na terra que
jurou a teus pais dar-te. Bendito serás mais do que
todos os povos; nem macho nem fêmea entre ti haverá
estéril, nem entre os teus animais. E O SENHOR
DE TI DESVIARÁ TODA ENFERMIDADE; sobre ti não
porá nenhuma das más doenças dos egípcios, que bem
sabes; antes, as porá sobre todos os que te aborrecem.
— Deuteronômio 7.13-15
Isso é falar de como Deus amará, abençoará e multiplicará
os Seus filhos. Ele diz que também abençoará o fruto do seu
ventre, o fruto da sua terra, e aumentará seus rebanhos.
Significa que Ele os fará prosperar materialmente. Eles serão
mais benditos do que todos os povos.
Veja, tudo que estiver ligado ao povo de Deus, levará o
selo da prosperidade e do sucesso. As enfermidades e as
doenças não devem ser toleradas no meio deles.
Observe o versículo 15: E o Senhor de ti desviará toda
enfermidade — TODA ENFERMIDADE — e não porá (ou
como se diz em hebraico, não "permitirá") nenhuma das más
doenças dos egípcios... sobre ti.
Na nossa Bíblia, os Salmos são um livro de 150 capítulos.
A Bíblia hebraica, contudo, tem cinco livros de Salmos,
correspondendo aos cinco primeiros livros da Bíblia. Estes
livros de Salmos eram os livros de oração e de cânticos de
Israel. Se você ler cuidadosamente os Salmos, verá que eles
mencionam continuamente que Deus é o que sara Israel.
Um dos exemplos mais importantes é o Salmo 103:
Ê ele que perdoa todas as tuas iniqiiidades e SARA TODAS AS
TUAS ENFERMIDADES; quem redime a tua vida da perdição e te
coroa de benignidade e de misericórdia; quem enche a tua boca de
bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a águia.
— Salmo 103.3-5

É evidente o fato de que a doença veio por meio da deso-


bediência de Israel para com a lei de Deus. Perdão pela sua
desobediência significava a cura de seus corpos. Deixe-me
repetir isso: Perdão pela sua desobediência significava a
cura de seus corpos.
Deus disse aqui: "Que perdoa todas as tuas iniqüidades e
sara metade das suas enfermidades — ou todas exceto
uma?" Não! TODAS as tuas enfermidades é o que está dito.
No Salmo 107, depois que Deus contou aos israelitas (v.
11) que a sua doença e enfermidade surgiram porque eles se
rebelaram contra a Palavra de Deus e condenaram o conselho
do Altíssimo, Ele declarou:
Os loucos, por causa do seu caminho de transgressão e
por causa das suas iniqüidades, são afligidos. A sua
alma aborreceu toda comida, e chegaram até às portas
da morte. Então, clamaram ao Senhor na sua angústia,
e ele os livrou das suas necessidades. Enviou a sua
palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição.
— Salmo 107.17-20

Eles estão doentes. Eles chegam até as portas da morte.


Então eles clamam ao Senhor e Ele os salva. Ele envia a Sua
Palavra, cura-os e os livra.
Veja, eles tinham saido da proteção da Aliança que
Deus tinha feito com eles. Era plano de Deus que eles
passassem sua vida inteira sem enfermidade ou doença.
Podemos ler e nos rejubilar com todos esses versículos, e
ainda algumas pessoas se sentarão em volta e dirão: "Bem,
sim, mas está tudo no Velho Testamento. Isso era só para
Israel".
Deixe-me perguntar-lhe algo. Deus de alguma
maneira é
diferente agora do que foi no passado? Ele mudou? E o
mesmo? Se Deus se opunha a que Seu povo ficasse
doente naquela época, Ele se opõe agora—porque
Deus nunca muda.
Lembre-se, o terceiro princípio mais importante que
você deve saber sobre cura é que Deus não apenas lidou
com a enfermidade e proveu cura no Velho Testamento,
mas Ele também lidou com a enfermidade e proveu
cura no Novo Testamento.
Recordo-me de algo importante que Jesus me disse
uma vez, quando Ele apareceu para mim numa visão.
Ele estava conversando comigo sobre esse mesmo
assunto, e disse: "Os israelitas não eram filhos de
Deus".
Eles nunca nasceram de novo. Tinham apenas uma
nota promissória sobre a redenção. Eles eram servos de
Deus.
E Jesus me disse: "Se Deus não queria os Seus servos
doentes, você sabe que Ele não quer os Seus filhos
doentes". Aleluia!
Além disso, a Bíblia nos conta que temos uma aliança melhor,
estabelecida em melhores promessas: "ele é o mediador de um
melhor concerto, que está confirmado em melhores
promessas " (Hb 8.6).
Se a cura divina não fosse provida nesta melhor aliança,
ela não seria uma aliança "melhor".
Tendo uma aliança não tão boa quanto a nossa, os
filhos
, de Israel tinham o potencial de atravessar a vida sem enfer-
midade ou doença, e de nunca, NUNCA ficarem
doentes, e de viverem a plena extensão dos anos
atribuídos a eles. Sob
uma aliança melhor (a Nova Aliança), temos de passar a
vida doentes e sofredores? Isso não faz sentido.
Se uma aliança é melhor do que a outra, ela inclui tudo
o que a outra incluía e mais, também, ou então não é
melhor. A nota de $ 10 é melhor do que a de $5? Sim! Por
quê? Porque ela inclui tudo o que a nota de $5 é, e mais.
Está dito no Velho Testamento que Deus enviou a Sua
Palavra e os sarou. A Palavra que Ele enviou foi falada
por meio dos profetas, mas a Palavra que Ele enviou para
curar no Novo Testamento é Jesus Cristo, o filho de Deus!
Esta Palavra escrita — o Novo Testamento — nos revela a
Palavra Viva e nos conta que pelas Suas pisaduras fomos
sarados. Ele é a Palavra que cura.
No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o
Verbo era Deus, Ele estava no principio com Deus. Todas as
coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se
fez [...] e o Verbo se fez carne e habitou entre nós.
João 1.1-3,14

Louvado seja Deus, aquele era Jesus! Ele é o Verbo que


Deus enviou. Ele próprio tomou nossas enfermidades, e
carregou nossas doenças.
Estou plenamente convencido — eu até morreria di-
zendo que é assim — de que o plano de nosso Deus Pai,
no Seu grande amor e na Sua grande misericórdia, é de
que nenhum cristão jamais adoeça, e que todo cristão deve
viver sua vida plena aqui na terra, e que todo cristão deve
finalmente apenas adormecer em Jesus (Ele saberá quan-
do o tempo vier).
Fui batizado com o Espírito Santo e falei em outras lín-
guas em 1937, quando ainda era um jovem pastor batista.
Recebi então, um "pontapé" dos batistas. Finalmente, em
junho de 1939, minha esposa e eu aceitamos o pastorado
de uma pequena igreja do Evangelho Pleno no
centro-norte do Texas.
Um dia, uma senhora da nossa igreja e eu nos pusemos
a conversar sobre as promessas de cura divina. Essa irmã
tinha um passado metodista. Seu marido era fazendeiro.
Ela me contou que alguns pentecostais apareceram na
cidade por volta de 1918, alugaram um depósito vazio e
começaram um reavivamento.
Os familiares ouviram falar disso e decidiram que
deveriam participar. Eles pegaram o caminhão,
encheram-no com seus filhos e foram para a reunião na
cidade. Compareceram várias vezes e gostaram. O
pregador estava ministrando sobre cura divina e orando
pelos doentes. As pessoas estavam orando em volta do
altar e todas elas oravam alto ao mesmo tempo!
O único membro da família que não podia ir era a avó
de 93 anos dessa mulher. Eles voltavam para a casa num
horário que era muito tarde para ela.
Uma manhã, na mesa do café, a avó perguntou sobre o
culto. "Bem, sei que a senhora não vai gostar disso..."
disse a neta, e começou a lhe contar sobre o indivíduo
pregando sobre cura, ungindo as pessoas com óleo e
impondo as mãos sobre elas para curá-las.
Mas a avó exclamou: "OPA! Glória! Glória! Estou feliz
porque você descobriu!"
"O que a senhora quer dizer?", perguntou sua neta.
"Porque", disse ela, "40 anos atrás, em nossa igreja
metodista, um indivíduo veio pregar sobre cura divina, e
nos convidou para subirmos e aceitarmos a Cristo como
nosso médico, aquele que nos cura da mesma forma que O
tínhamos aceito como nosso Salvador. E fui à frente com
os outros. Você tem idade suficiente para se lembrar
daquele tempo. Você alguma vez me viu doente nos
últimos 40 anos?"
"Bem, não. Simplesmente pensávamos que a senhora
tivesse um físico forte!"
"Não", disse a avó. "Aceitei a Jesus como meu médico.
Não fiquei doente em 40 anos. Estou agora com 93 anos
— e se lhe interessa saber—vou partir sem enfermidade e
doença. Nunca vou ter um dia de doença em minha vida!"
A irmã me disse: "Pensamos que a pobre vovó tivesse
ficado senil, mas ela nos encorajou a ir às reuniões".
A avó passou dos 94. Levantava-se com o resto da
família, antes do raiar do dia, porque ao amanhecer os
homens e os meninos já estavam fora, trabalhando nos
campos. Depois do café da manhã, ela sempre lavava e
secava a louça do café, limpava a cozinha e varria,
enquanto sua neta arrumava as camas e limpava o resto da
casa.
Lá pelas 9 horas, elas se encontravam na sala de
costura. Enquanto a neta fazia os consertos, a avó lia a
Bíblia para ela.
A irmã se lembrou que, certa manhã, à mesa do café,
vovó disse: "Estou indo para casa esta manhã, às 10
horas". Deixamos isso passar, mas antes de meu marido
sair para os campos, ele disse: "Sobre o que ela está
falando? Ela está pensando que vai voltar para casa?" Não
entendíamos o que ela queria dizer.
A avó seguiu em frente e lavou todos os pratos,
caçarolas e panelas usados para alimentar oito crianças e
mais três adultos. Varreu a cozinha, encontrou sua neta na
sala de costura às 9h, sentou-se e começou a ler a Bíblia
para ela.
Sua neta contou que, faltando 10 minutos para as 1 Oh,
ela virou-se e disse: "Deixe-me ler isso para você!.." Leu
os capítulos 20 e 21 de Apocalipse. Terminou cerca das 10
h e disse: "Aí está Jesus — e preciso ir! Adeusf' Acenou e
foi para casa, sentada lá numa cadeira.
(E ela era metodista! Bendito seja Deus, se funcionou
para uma metodista, tem de funcionar para qualquer pes-
soa!)
Oh! aleluia, temos subestimado a Deus tantas vezes!

"Sim, mas talvez não seja a vontade de Deus para


mim", você poderia dizer.
Bem, siga em frente e fale consigo mesmo. Fale que
está doente. Fale para você mesmo sobre morrer cedo — e
você terá o que disser, porque o próprio Jesus disse
claramente:
Qualquer que disser [...] e não duvidar em seu coração, mas
crer que se fará aquilo que se diz, tudo o que disser lhe será
feito.
Marcos 11.23

Vou declarar novamente: NÃO é a vontade de Deus,


nosso Pai Celestial, que os cristãos sofram de câncer ou de
ou- tras doenças horríveis que trazem dor e angústia. E
desejo de Deus que vivamos plenamente a nossa extensão
de vida na terra.
Enquanto os Israelitas mantiveram as leis da Velha
Aliança, nenhuma doença lhes sobreveio mas, quando
pecaram, seus corpos se encheram de doenças. Ficaram
doentes por causa das leis quebradas — por causa do
pecado contra a Palavra de Deus.
Mas o que existe de tão maravilhoso sobre isso é que
mesmo então — quando eles pecaram e seus corpos se
encheram de doenças — tinham o direito de voltar para o
Senhor e encontrar perdão dos seus pecados e cura para os
seus corpos, porque a Bíblia diz: E ele que perdoa todas as
tuas iniqüidades e sara todas as tuas enfermida- des (SI
103.3).
Existe cura na Nova Aliança? Venha comigo até o
Livro de Tiago, no Novo Testamento.
Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja,
e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor.

Tiago 5.14

Você notou que existe um ponto de interrogação no


final da primeira sentença? Tiago perguntou: "Está
alguém doente entre vós?" Você não escreveria hoje para
uma igreja e diria: "Está alguém doente entre vós?" Você
escreveria apenas: "... os 85 ou 90% de vocês que estão
doentes".
O fato de Tiago fazer a pergunta nos leva a inferir que
não deveria haver nenhum doente entre eles. Implica que
eles deviam conhecer Mateus 8.17: Ele tomou sobre si as
nossas enfermidades e levou as nossas doenças. Inferimos
que eles conheciam 1 Pe 2.24: pelas suas pisaduras fosíes
sarados.
Mas está alguém doente entre vós? Deixe-o chamar os
/
presbíteros da igreja. Que igreja é essa? E a igreja do
Novo Testamento, da qual fazem parte cristãos nascidos
de novo. Alguns grupos pensam que são "A Igreja", mas
eles não são. Eles não são a soma inteira e total da Igreja
de Jesus Cristo, são só uma parte dela.
Vou lhe contar algo mais. A "igreja primitiva" não era
realmente diferente da igreja de hoje. Cristo era o cabeça
da igreja de então, e Ele é o cabeça da igreja agora. Estou
na mesma igreja em que eles estavam.
Li que um professor de seminário (um indivíduo que
tinha muita educação formal, mas não conhecia nada da
Bíblia) disse que este versículo, Tiago 5.14, só se aplicava
aos ju^ deus.
Ele disse que Tiago estava se dirigindo às doze tribos
espalhadas no estrangeiro. Também falou que, porque
Deus fez uma aliança de cura com os judeus, eles podiam
ser curados sob a Nova Aliança, mas os gentios não
podiam, porque eles nunca foram incluídos na aliança.
Mas diz bem aqui: Está alguém entre vós doente?
Chame ... a igreja. Aquele pobre sujeito não conseguiu
compreender que há gentios "na igreja", que é para
"qualquer pessoa que venha". Por conseguinte, a cura não
pertence exclusivamente aos crentes judeus, ela pertence à
"Igreja".
O livro de Gálatas é uma carta escrita para todas as
igrejas da Galácia — e estas igrejas eram gentias. O
Espírito de Deus claramente afirmou por meio do apóstolo
Paulo:
Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição
por nós, porque está escrito: Maldito todo aquele que for pen-
durado no madeiro; para que a bênção de Abraão chegasse
aos gentios.
Gálatas 3.13,14

Porque uma das maldições da lei era a enfermidade, po-


deríamos parafrasear esse versículo desta maneira: "Cristo
nos resgatou da maldição da enfermidade, fazendo-se
maldição por nós... para que a bênção de Abraão chegasse
aos gentios..." Glória!
Quando eu estava estudando a Bíblia, sendo um garoto
no leito de enfermidade, e encontrava uma boa Escritura
que me oferecia a possibilidade de ser curado e de ter pros-
peridade material, alguém sempre dizia: "Isso é só para os
judeus". Eu não conhecia nada melhor, então deixava que
apagassem essa chama.
Não seria estranho que Deus quisesse os judeus livres
de enfermidades — Ele queria que Israel prosperasse e
tivesse sucesso — mas ao mesmo tempo desejasse que a
Sua Igreja, pela qual Seu Filho unigênito foi enviado para
morrer, vivesse doente e afligida com dor e miséria,
atacada pela pobreza,, esfalfando-se, residindo na Rua da
Amargura, lá embaixo, no final do quarteirão, à direita,
junto ao Beco Sem Saída? Não seria estranho?
Se fosse assim, porque Jesus Cristo, o filho de Deus
disse: Se, vós, pois, sendo maus, (carnais, seres humanos
naturais), sabeis dar boas coisas aos vossos fúhos, quanto
mais — QUANTO MAIS, QUANTO MAIS, QUANTO
MAIS, QUANTO MAIS — vosso Pai, que está nos céus,
dará bens aos que lhe pedirem? (Mt 7.11).
Se você tivesse filhos, seria sua vontade que seus filhos
ficassem doentes e aflitos? Certamente que não! Seria
vontade sua que eles atravessassem a vida atacados pela
pobreza e mendigando? Não, não, não!
Muitos pais trabalharam tanto que seus dedos ficaram
só osso, para que seus filhos recebessem uma educação
melhor do que a deles. Por quê? Para que a vida fosse mais
fácil para eles. Porque eles os amam.
Agora, você acha que Deus nos ama menos? Jesus disse
que Ele nos ama mais.
O, fiquei tão "impactado" quando descobri aquilo! Até
agora não parei de proclamar isso.
Uma vez, eu estava pregando numa igreja grande no
Texas, quando Deus tratou comigo para que pregasse na
manhã de domingo. Ele me deu a mensagem e o texto.
Preguei sobre o tema "Ele nos Resgatou da Maldição da
Pobreza" (havia ali alguns daqueles cristãos de domingo
de manhã para os quais nunca tinha pregado, e eu queria
que eles descobrissem o que lhes pertencia).
Então, o pastor me levou para jantar fora no domingo.
Ele se sentou ali, lamentou-se, chorou e disse: "Irmão
Hagin, eu gostaria de poder acreditar naquilo. Soa bem.
Gostaria de crer que Deus quer que eu tenha alguma coisa
nesta vida".
Respondi: "Bendito seja Deus, eu posso crer nisso! Está
no Livro, e Ele quer que eu tenha aquilo cujo preço Ele pa-
gou".
Pobre sujeito! Ele nunca teve nada, exceto enfermidade,
doença, pobreza, tragédia e dívida. Queria acreditar e não
podia. Por que não podia? Ele estava afundado em re-
ligião — passou por uma lavagem cerebral de ensino
religioso — em vez de ser ensinado no Novo Testamento.
Ele não podia crer que Deus era aquele tipo de Deus, que
seu Pai Celestial é aquele tipo de Pai. Ó, graças a Deus
que Ele é. ELE É. ELE É.
O capítulo 53 de Isaías nos dá um retrato gráfico do
Messias que viria, o Senhor Jesus Cristo. O texto diz:
Era desprezado e o mais indigno entre os homens, ho-
mem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um
de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e
não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente, ele
tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores
levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de
Deus e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas
transgressões e mo ido pelas nossas iniqüidades; o
castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas
suaspisáduras, fomos sarados (Is 53.3-6).
Somos aqueles que transgrediram. Somos aqueles que
pecaram. Deveria ter vindo sobre nós. Estas Escrituras
têm a ver com os problemas de doença e pecado que
confrontam a igreja e o mundo de hoje.
Veja, Deus tratou do espírito, alma e corpo do homem
quando Ele colocou nossas iniqüidades e doenças sobre
Jesus. Como disse Mateus, Ele tomou sobre si as nossas
enfermidades e levou as nossas doenças (Mt 8.17). Isso
sob esta Nova Aliança — este Novo Testamento. A cura
pertence a nós na Nova Aliança.
Agora, vamos voltar para Tiago 5.14,15. Está alguém
entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem
sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; a
oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará.
Isso não é falar sobre salvação, porque diz: o Senhor o
levantará.
Mas, espere, isso não é tudo! Quero lhe mostrar algo
que nos está faltando, no final do versículo 15: E, se
houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
Se tiver cometido o quê?
Cometido pecados.
As pessoas me diziam: "O Senhor não vai curar o irmão
Fulanò-de-Tal. Ele pecou. Tem feito coisa errada. Sei que
Ele não o curará".
Então eu orava por ele, e ele era curado.
As pessoas dizem: "Esse Hagin não deve estar certo,
porque ele orou por essa pessoa e curou-a — acontece que
sei que ela pecou ". Mas que tal se elas soubessem que ela
se arrependeu?
Fico maravilhado com a misericórdia de Deus.
Anos atrás, quando pessoas que pensei que
seguramente não iam ser curadas o foram, e quando bons
membros de igreja, que eu estava certo que seriam
curados, não o foram, estava quase pronto para acusar a
Deus e dizer: "Senhor, porque Tu curaste aquela pessoa?"
Eu estava presidindo uma reunião no sul do Texas
quando nossa segunda filha nasceu. Minha esposa foi para
a casa com nossa filha, e eu estava lutando sozinho. A
reunião esteve praticamente morta durante a primeira
semana. Foi um dos lugares mais difíceis em que já estive.
Lá por terça-feira à noite, da segunda semana, o
Espírito de Deus se moveu num homem. A Palavra de
Conhecimento se manifestou por meio dele. Algumas
curas aconteceram. Outros foram usados pelo Espírito em
línguas e interpretação, mas Deus usar esse determinado
homem fez realmente a reunião decolar.
Disse para mim mesmo, assentado na plataforma: Esse
é o ponto da virada. De agora em diante essa será como
qualquer outra reunião. E foi. Houve tanta diferença entre
a última metade e a primeira quanto a que existe entre a
luz do dia e a escuridão. Deus abençoou sem medidas.
Grandes coisas aconteceram. Vi pessoas serem curadas.
Eu estava alojado num pequeno trailer de viagem.
Assisti às notícias das 22h, desliguei a televisão e fui para
a cama — mas alguma coisa ficou me aborrecendo.
Veja, eu tinha dirigido pela rua principal daquela
cidade, naquele mesmo dia, e vi esse homem, que foi tão
poderosamente usado por Deus, entrar num antro escuro.
Quando acontece uma coisa dessas, a sua mente corre.
Você pensa: O que ele está fazendo ali? Então o diabo
preenche as lacunas para você!
Dei a volta no quarteirão, voltei, e lá estava ele parado.
Não sei por quanto tempo ele ficou ali.
Então, eu estava deitado, tentando dormir, e aquele
pensamento insistia em me importunar: Porque Deus usou
aquele sujeito? Vários dias antes, eu o tinha ouvido dizer
algumas coisas que não eram bem de alto nível. Aquilo
também ia e voltava.

Lutei durante 30 minutos para conseguir dormir.


(Minha esposa pode lhe contar que, geralmente, durmo no
momento em que a minha cabeça encosta no travesseiro.)
Finalmente, sentei-me na cama e disse: "Está bem,. Se-
nhor! Está bem! vou Te perguntar: Porque Tu usaste
aquele sujeito? Tu não o viste entrar naquela espelunca
escura como vi? Tu não ouviste o que ele disse, como
ouvi?
Sei que eras Tu nesta noite. Conheço o Espírito de
Deus. Sei que Tu revelaste coisas para ele, que Tu operaste
por meio dele, e que ocorreram curas. Vi milagres, bem em
frente dos nossos olhos.
Mas, Deus, porque Tu não usaste a irmã idosa
Fulana-de- Tal, de 80 anos? Ela tem andado no Caminho
por quase 50 anos. Está cheia do Espírito, santificada,
santa, separada... Ou se não a quiseste usar, porque Tu não
usaste (e mencionei uns outros)?"
Consegui arrancar aquilo do meu peito. Aguardei que
Ele respondesse. Bem dentro de mim mesmo, ouvi.
Atingiu-me tão duramente que foi como se alguém tivesse
me esmurrado o estômago. Agarrei minha barriga.
Ele disse: "Seu problema é que você não crê na sua
própria pregação".
Tentei me defender: "Senhor, Tu me golpeaste. Por
quê? Sou um dos mais insistentes na exatidão da Palavra.
Creio na Palavra".
"Não", Ele falou, "você não crê".
E continuou: "Você ensinou outro dia, na escola bíblica
a partir de Isaías 43, onde digo: Eu, eu mesmo, sou o que
apaga as tuas transgressões por amor de mim e dos teus
pecados me não lembro" (v. 25).
Ele prosseguiu: "Você pode ter visto aquele sujeito ir
àquele lugar, mas você não sabe o que aconteceu.
Quando ele viu onde estava entrando, ele disse: 'Querido
Deus, qual é o problema comigo? Não tive a intenção de
entrar nisso. Senhor, me perdoa.' E não me lembro dele
ter feito alguma vez qualquer coisa errada".
(E Ele não se lembra, lembra? Veja, nós nos
lembramos dos pecados de uma pessoa, mas Deus não.
Como Ele consegue? — você pergunta. Não sei.
Pergunte-Lhe, se você quiser saber. Eu não quero,
simplesmente creio nisso).
O Senhor continuou: "Você me perguntou por que não
pude usar a irmã Fulana-de-Tal. O que você não sabe
sobre aquela querida e santa velhinha é que ela tem
andado em desobediência há 40 anos. Você não consegue
ver isso por fora. Falei com ela há 40 anos para fazer
algumas coisas, e ela não quis. Ela vem à igreja, vive
corretamente e parece boa exteriormente. Mas este
homem errou, e se arrependeu. Não me lembro dele
alguma vez ter feito qualquer coisa errada".
Declarei: "Obrigado, Senhor. Vá em frente e usa-o se
Tu quiseres. Está tudo bem comigo. Vou acreditar na
minha pregação". Deitei e dormi.
Veja, as pessoas algumas vezes falam: "Você sabe que
não pode ter sido Deus. Aquele indivíduo costumava ser
assim, ou aquela mulher costumava fazer aquilo. Não
pode ter sido Deus operando por meio deles".
Mas se eles se arrependeram, Deus não se lembra deles
jamais terem feito coisa errada!
Você pode perceber isso?

Freqüentemente, as pessoas têm sido roubadas na cura


que lhes pertence, porque alguém lhes disse: "Você errou.
Terá de pagar por isso. Deus vai manter isso contra você
para sempre. Você vai ter de passar a vida toda doente e
sofrendo".
Um senhor de Houston me contou: "O médico disse
que, se eu ficasse no meu emprego, ia cair morto a
qualquer momento por causa da condição cardíaca,
pressão alta, doença renal e problema no fígado".
Isso foi lá nos anos 50. Todos os evangelistas da
América impuseram as mãos sobre este homem e, sem
brincadeira, impus as mãos sobre ele duas vezes e ele não
foi curado.
Ele disse: "Em 36 anos, perdi a chance. Ó, eu a perdi de
tantas maneiras. Fracassei. Podia ter sido um cristão me-
lhor".
Mostrei-lhe este versículo em Tiago: O Senhor o
levantará; e, se houver cometido pecados..." (Você
percebeu que diz pecados, não pecado?)
"Que pecados terríveis você cometeu em 36 anos?",
perguntei-lhe. "Quantas pessoas você matou?
"Nenhuma", ele disse.
"Quantos bancos você assaltou?"
"Nenhum".

"Bem", respondi, "que pecados horrorosos você co-


meteu?"
Ele disse: "Realmente, não caí muito com relação aos
pecados de ação. São pecados de omissão. Eu podia ter
feito muito mais do que fiz. Podia ter dado mais para as
missões".
Perguntei: "Você se arrependeu?"
"Ó, sim". '
"Aqueles pecados estão perdoados", falei. "Agora,
deixe que Ele o cure".
Impus as mãos sobre ele. Ele não caiu morto no
emprego. Trabalhou até os 75 anos de idade, e ainda
estava vivo a última vez que dele ouvi falar. Ele estava
deixando o diabo tapeá-lo porque tinha se omitido.
Não, não estou encorajando as pessoas a errarem ou pe-
carem, mas não deixe que o diabo roube a sua cura porque
você se omitiu.
As pessoas me perguntam: "Irmão Hagin, se a cura é
nossa, por que não a temos em nossas igrejas?" Vou lhe
dizer por quê: porque você não prega isso na sua igreja.
Embora a cura nos pertença, e Jesus tenha pago o preço
por nós, ela não cai sobre as pessoas como cerejas
maduras de uma árvore. O mesmo é verdade para a
salvação.
Você alguma vez já parou para pensar nisso? Jesus não
morreu simplesmente por nós. Ele derramou o Seu
sangue, morreu, pagou o resgate por todos no mundo.
Salvação... o novo nascimento... a remissão dos
pecados... pertencem à pior prostituta que perambula
pelas ruas da sua cidade, tanto quanto pertence a você. Por
que ela não os tem, se pertencem a ela?
Porque a redenção não "cai" sobre você. Embora lhe
pertença, você precisa fazer alguma coisa com ela. Você
pode recebê-la ou rejeitá-la. Você não é um robô. Deus
não vai empurrar as Suas bênçãos em cima de você.
Jesus disse: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a
toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas
quem não crer será condenado (Mc 16.15,16).
Mesmo depois de nascermos de novo, podemos usar a
nossa moral livremente. Não nos tornamos máquinas.
Nasci e cresci um batista do sul. Ouvi pregarem sobre o
novo nascimento durante toda a minha vida. Uni-me à
igreja e fui batizado nas águas com 9 anos de idade.
Muitas pessoas cometem o erro de pensar que se tornar
membro de igreja é o novo nascimento.
No meu leito de enfermidade quando adolescente, che-
guei à compreensão de que não estava salvo — nunca
tinha sido salvo — e de que não conhecia a Deus. A
salvação tinha me sido pregada e, sabendo que Deus me
perdoaria, gritei para Ele em Nome de Jesus.
Foi como se um peso de duas toneladas fosse removido
do meu peito. A paz veio. Realmente, bem ali, não fazia
qualquer diferença para mim se vivesse ou morresse. Eu
estava tão feliz.
Por que a cura não "caiu" sobre mim se a cura era para
mim? A salvação era tudo o que conhecia até aquele
ponto. Era tudo da Bíblia que eu tinha ouvido ser pregado.
Não podia crer além disso.
Veja você, eu tinha a porta fechada para Deus. Digo hu-
mildemente que Deus e o Espírito Santo são perfeitos
cavalheiros — por falta de um termo melhor. Eles não a
empurrarão em cima de você.
O diabo não é um cavalheiro. Abra a porta uns poucos
centímetros e ele grudará o pé lá dentro. Seus espíritos ma-
lignos empurram e forçam as pessoas para fazerem coisas.
Você vê isso tudo na Bíblia.
O Espírito Santo nunca usa a força. O Espírito Santo é
gentil. Você nunca leu que o Espírito Sant o forçou
alguém. O Espírito Santo guia as pessoas: Porque todos os
que são guiados pelo Espírito... (Rm 8.14). O Espírito
Santo guiará você. Cabe a você segui-Lo.
Eu não sabia disso. Por conseguinte, fiquei inválido
durante 16 longos meses, até que pude penetrar na Palavra
de Deus e encontrar o que me pertencia.
Contudo, nunca duvidei — o pensamento nunca entrou
na minha mente — de que o Senhor não iria perdoar os
meus pecados e me salvar, limpar e me tornar uma nova
criatura. Não entendo as pessoas que duvidam da sua
salvação. Nunca tive a menor sombra de dúvida sobre a
minha salvação, desde aquele dia 22 de abril de 1933, no
quarto sul da Rua North College, 405, em McKinney,
Texas.
O diabo sabia que era melhor não discutir esse assunto
comigo. Ele sabia que eu o teria rapidamente colocado
para correr com uns poucos golpes da espada do Espírito,
a Palavra de Deus.
Gradualmente, comecei a ver o que a Palavra de Deus
diz sobre o tema da cura divina. Levei um longo tempo
para
enxergar isso — 16 meses—porque não tinha sido
ensinado que a cura divina era para hoje.
Ninguém jamais me disse que o novo nascimento
era coisa do passado, mas as pessoas realmente me
disseram que a cura e os milagres eram coisa do
passado.
Mas fui até a Bíblia. Graças a Deus por esse livro.
Posso me lembrar daquelas horas, dias, semanas e
meses deitado na cama. Costumava adormecer com o
Livro nos meus braços.
Depois de quase um ano acamado, cheguei ao ponto
em que podia ler o dia inteiro se quisesse. Minha
família ficou preocupada com isso. Eles me amavam,
mas não compreendiam o que eu estava aprendendo.
Comecei a conversar sobre o que tinha visto na Bíblia.
Eles disseram: "Oh, não! Agora, filho, isso não é para
nós hoje".
Mantive minha própria opinião e fiquei com a
Palavra de Deus. Nós, batistas, tínhamos um lema: "A
Bíblia diz, eu creio e, para mim, essa é a palavra final".
Escrevi com tinta vermelha no marcador de páginas da
minha Bíblia: "A Bíblia diz, eu creio e, para mim, essa
é a palavra final".
Minha família chamou o médico. (Os médicos
atendiam em casa em 1934!) Eu tinha a Bíblia
espalhada na cama, e estava fazendo umas tantas
anotações quando ele apareceu.
Ele disse: "Faz um bom tempo que não vejo você.
Saí para atender a um outro chamado neste caminho e
resolvi dar uma passada por aqui". Eu não sabia que
ele vinha, mas eles não me enganaram. Sabia que a
minha família tinha pedido para que ele viesse.
Ele me examinou. Então, apontou para a Bíblia na
cama e disse: "Filho, você tem lido bastante?"
"Isso é mesmo tudo o que leio", respondi.

Ele disse: "Você já leu algum jornal divertido?"


(Hoje chamam de quadrinhos).
Retruquei: "Não, senhor. Não tenho tempo".

Sabia que ele me achava um idiota. Lá estava eu, 24


horas por dia de cama, dizendo que não tinha tempo
para ler um jornal engraçado. O que quis dizer foi:
"Não vou perder o meu tempo lendo um jornal
divertido — não num momento como este".
Ele disse: "Você nunca lê a página de esportes?"

Respondi: "Não. De vez em quando dou uma


olhada nas manchetes se alguém mais está lendo o
jornal no quarto. Não tenho tempo".
Ele perguntou: "Você lê alguns romances?"

"Não, senhor, não tenho tempo", respondi.

"Bem", ele disse, "está bem ler a Bíblia, mas se


você ficar só com uma coisa o tempo inteiro, vai se
tornar um fanático!"
Fico contente que me tornei! Louvado seja Deus,
estou contente de me ter tornado! Tornei-mé um
fanático! Ainda sou um fanático depois de mais de 60
anos. Aquele médico conversou comigo há mais de 60
anos, e ainda sou um fanático.
Mas vou lhe dizer uma coisa: Ficando fanático, me
livrei da minha paralisia. Livrei-me da doença
sangüínea incurável. Livrei-me da condição cardíaca.
Tenho tido tempo de ler muitas outras coisas desde
então, mas livros, revistas e jornais não iam me
fornecer a ajuda que precisava quando estava doente.
Sabia que o que estava procurando tinha de estar na
Palavra, então coloquei a Palavra em primeiro lugar.
E, quando vi o que a Bíblia diz sobre cura, nunca
passou pela minha mente o pensamento de que pudesse
não ser curado. Nunca tive dúvida a respeito disso.
Veja bem, quando você entra na Palavra de Deus, as
dúvidas desaparecem.
Se você tem dúvidas, é porque ainda não está
fundamentado na Palavra. Deixe que a Palavra de
Deus seja a autoridade final — a Suprema Corte,
digamos assim — para a qual você apela.
Então, veja, a cura não cai sobre as pessoas
automaticamente mais do que a salvação cai sobre as
pessoas automaticamente. Pregue a Palavra. De sorte
que a fé é pelo ouvir; e o ouvir pela palavra de Deus
(Rm 10.17).
Um pregador me disse anos atrás: "Descobri algo.
Quando eu só pregava sobre salvação, tinha uma igreja
cheia de pessoas que eram salvas — e elas precisavam
ser salvas. Isso é básico. E a primeira coisa. Mas
poucos tinham o batismo no Espírito Santo. Não
conseguia imaginar por quê".
"Então, comecei a pregar sobre o batismo no
Espírito Santo, e eles começaram a se encher do
Espírito — alguns, antes que pudessem chegar até o
altar, em casa, dirigindo
carro, alguns a caminho da igreja. Simplesmente
continuei a pregar até que todos na igreja fossem
batizados no Espírito
Santo".
"Então, um pensamento me sacudiu: Você sabe,
quando as pessoas pedem, unjo-as com óleo e
imponho as mãos sobre elas para cura, mas não
prego sobre isso ".
"Não tínhamos muitas pessoas curadas", disse o
pastor, "então simplesmente comecei a pregar sobre
cura pelo menos uma vez por semana. E, no
momento em que comecei a pregar sobre ela, as
pessoas começaram a ser curadas".
Essa é a maneira pela qual a fé vem. exposição das
tuas palavras dá luz (SI 119.130). Quando
estudamos a Palavra, encontramos a cura que nos
pertence.
4. Métodos pelos quais as curas
podem ser obtidas.

4. Há inúmeros métodos na Palavra pelos quais as cu-


ras podem ser obtidas.
Porque a fé de todos não está no mesmo nível, Deus
proveu sete métodos pelos quais as curas físicas podem
ser obtidas por meio da Palavra de Deus. Deus não nos
deixa encalhados. Se não nos podemos levantar para
encontrá-Lo no Seu nível, Ele desce para nos encontrar
no nosso.

(1) Use o Nome de Jesus contra o diabo. Exija, em


Nome de Jesus, que a doença e a enfermidade saiam.

Através de todo o livro de Atos, os apóstolos não


oraram pelos doentes, eles exigiram que se levantassem
e andassem. Quando Pedro e João ministraram ao
homem coxo na Porta Formosa (At 3), "exigiram", no
Nome de Jesus (é o que diz no grego), que ele se
levantasse e andasse.
Você tem o direito de "exigir", no Nome de Jesus, que
as pessoas sejam curadas. Você não está exigindo isso de
Deus. Ele não os fez doentes, em primeiro lugar. Você
está exigindo que o diabo os solte em Nome de Jesus.
Jesus disse: EM MEU NOME, imporão as mãos sobre
os enfermos e os curarão (Mc 16.17,18). EM MEU
NOME eles o farão. Aleluia, há poder no Nome!
Observo que quando chego ao ponto básico de tratar
com demônios, lhes digo: "exijo meus direitos no Nome
de Jesus!" — e eles desaparecem como se levassem um
tiro. Têm medo daquele Nome porque Jesus os derrotou.
Ele fez um show deles publicamente, a Bíblia diz (Cl
2.15).
Uma outra coisa que você pode fazer é tomar o Nome
de Jesus para destruir o poder do diabo sobre as vidas
dos seus amados. Não, você não pode fazer com que eles
aceitem a Cristo — mas você pode tomar mais fácil para
eles a aceitação de Cristo, agindo assim.
Muitos de nós que fomos criados na igreja passamos
por uma lavagem cerebral religiosa, em vez de
recebermos o ensino do Novo Testamento. Algumas
vezes, me encontro voltando atrás nas práticas de oração
que me ensinaram na igreja. Ao orar sobre algo dia após
dia, e noite após noite, de repente percebi: Espere um
minuto! Sei fazer melhor do que isso! Esse não é o jeito
de orar. Isso não vai funcionar. Não é bíblico. É só
porcaria religiosa!
Vamos conhecer o que nos pertence. Vamos saber que
o Nome de Jesus nos pertence nesta geração, tanto
quanto pertencia aos cristãos do primeiro século.
Louvado seja Deus, temos o direito de usar aquele
Nome.
Existe tanto poder no Nome de Jesus quanto o que
havia em Jesus quando Ele esteve aqui na terra.
Há cura naquele Nome.
Há libertação naquele Nome.

Aquele Nome nos pertence, mas não funcionará a


menos que nós o usemos.
O Nome de Jesus é a CHAVE que abre a porta para o
impossível.
O Nome de Jesus é a CHAVE que abre a porta para o
sobrenatural.
Não o meu nome. Não o seu nome. O Nome dEle.

Você se lembra do que Pedro disse para a multidão


reunida depois que o coxo foi curado na Porta Formosa?
Por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto
para nós, como se por nossa própria virtude ou
santidade fizéssemos andar este homem? (At 3.12) Eles
não tinham. Eles não tinham nenhum poder. f
"O, sim", alguém dirá, "mas eles eram apóstolos".

Foi o que Pedro explicou. Ele disse: fé no seu nome —


o Nome de Jesus —fez fortalecer a este [... e] deu a este,
na presença de todos vós, esta perfeita saúde. (At 3.16).
Glória! Aleluia! Aquele Nome é nosso. Vamos usá-lo!
(2) Ore por cura ao Pai, no Nome de Jesus
E, NAQUELE DIA, nada me perguntareis. Na verdade, na
verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em
meu
nome, ele vo-lo há de dar.
— João 16.23,24

Marque estes versículos na sua Bíblia. Não os deixe


escapar de você.
Quando Jesus disse "naquele dia nada me
perguntareis", de que dia Ele estava falando? Ele estava
falando do dia que nós estamos vivendo agora. Orar ao
Pai no Nome de Jesus pertence a nós AGORA — neste
dia.
Jesus disse isso logo antes de ir ao Calvário para
morrer, ressuscitar dos mortos, subir aos céus, assentar-se
à direita do Pai, depois um novo dia amanheceu, e nós
entramos na Nova Aliança.
Note que o versículo 24 diz: Até agora, nada pediste
em meu nome. Até agora significa até o momento — até
este tempo — vocês não oraram em Meu Nome.
Veja, não iria adiantar nada os discípulos ou alguém
mais ter orado ao Pai no Nome de Jesus, enquanto Jesus
estava aqui na terra, porque, sob a Velha Aliança, eles
oravam ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó.
Além disso, quando Jesus estava aqui na terra, Ele não
tinha ainda entrado no ministério de mediador
(sumo-sacerdote ou intercessor), à direita do Pai. Então,
não iria resolver orar em Seu Nome.
Mas, logo antes de partir, Jesus mudou a maneira de
Seus discípulos orarem. Durante o ínterim em que a
Velha Aliança estava saindo, e a Nova Aliança entrando,
Jesus ensinou os discípulos a orarem o que nós
chamamos de "A Oração do Pai Nosso". Ele não nos
ensinou a orar dessa forma — você já parou para pensar
nisso? Ele ensinou Seus discípulos a orarem desse modo.
Não disse que a Oração do Pai Nosso não é linda. Não
disse que nós não podemos aprender com ela — porque
nós podemos aprender muito com ela. Mas onde está nela
o Nome de Jesus ? Eles não oraram nada em Nome de
Jesus, oraram? Eles não pediram alguma coisa em Nome
de Jesus, pediram? Esta não é a Igreja da Nova Aliança
em oração! Essa não é a norma de oração do Novo
Testamento.
Bem aqui no capítulo 16 de João está algo que nós
precisamos ver: logo antes de ir embora, Jesus mudou a
maneira deles orarem. Sob a Nova Aliança entre Deus e a
Igreja, temos de chegar até Deus por Jesus Cristo
(perdemos muito porque tentamos orar como eles faziam
lá nos dias da Velha Aliança).
Observe que Jesus também disse: "PEDIS e
RECEBEREIS, para que a vossa alegria se cumpra ".
Naturalmente, isso inclui todo tipo de oração, mas inclui
orar por cura também. Como é que a sua alegria vai se
cumprir se os seus amados estiverem em casa doentes?
Isso seria impossível, não seria?
Se nós estivéssemos conseguindo mais respostas de
oração, teríamos mais alegria. E se mais da nossa alegria
fosse demonstrada, conseguiríamos mais pessoas salvas.
A cura está incluída aqui. Nós temos o direito de pedir
cura no Nome de Jesus. Deus realmente ouve e responde
a oração.

(3) Concorde em oração com base em Mateus 18.19

...se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa


que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos
céus. Porque onde estiverem dois ou três reunidos EM MEU
NOME, ai estou eu no meio deles.
Mateus 18.19,20

Freqüentemente, pegamos o versículo 20 fora do seu


contexto e o aplicamos somente aos cultos da igreja —
mas não é disso que ele está falando. Veja, os versículos
19 e 20 seguem juntos.
O versículo 20 significa: Seja lá onde for que duas
pessoas estiverem, concordando em oração, Jesus lá
estará para ver aquilo que elas pedirem acontecer. Jesus
não está aqui falando de reunião de igreja, embora Ele
esteja nas reuniões da igreja.
Onde duas pessoas estão unidas e pedindo em Nome
de Jesus a cura dos amados, suas orações são obrigadas
a serem respondidas, porque Deus vela pela Sua Palavra
para a fazer cumprir.
O versículo diz: "dois de vós concordarem na terra".
Não dois de vós lá em cima no céu. Apenas dois. Isso
nos põe bem aqui onde nós estamos. E a palavra
"qualquer coisa" pode incluir cura, não pode?
Os dois de vós podem ser marido e mulher. Minha
esposa e eu temos tido respostas maravilhosas de
oração, concordando juntos. As pessoas me contam:
"Irmão Hagin, nós tentamos aquilo, mas não
funcionou". Nós não tentamos — nós fizemos! Jesus não
disse se dois de vós tentarem concordar, Ele disse para
concordarmos.
Algumas vezes ficamos no natural e imaginamos:
Bom, se pudéssemos conseguir gente suficiente — talvez
mil — concordando, talvez dez mil orando, isso
realmente traria resultados! Isso é raciocínio humano.
Deus falou que dois podem realizar a tarefa. Dois é o
máximo que Ele menciona que nós precisamos! Ele não
disse para conseguirmos que a igreja inteira concorde
(você não poderia conseguir a igreja inteira para
concordar em salvar a sua vida). Mas se dois de vós
concordarem, isso é tudo.
Se dois de vós concordarem na terra acerca de
qualquer coisa... ISSO SERÁ. Jesus não disse que
poderia ser. Ele não disse que é uma possibilidade. ISSO
SERÁ FEITO por meu Pai, que está no céu. Agora, ou
isso é verdade ou é mentira, e creio que Jesus disse a
verdade!
Muitas vezes as pessoas vem até mim depois de um
culto e me pedem para concordar com elas em oração por
necessidades financeiras, físicas e espirituais.
Junto nossas mãos e oro: "Estamos juntando as mãos
aqui fisicamente para denotar o fato de que nossos
espíritos estão concordando. Nós concordamos que esta
necessidade seja suprida — não que ela vai ser, porque
isso não é fé, é o futuro. Isso seria esperança, não fé. Nós
concordamos que a necessidade seja suprida, então nós
estamos louvando a Deus porque concordamos que será
feito. Pela fé está feito bem agora, e nós consideramos
que está feito".
Depois de orar assim, abro os meus olhos e digo:
"Irmão (ou Irmã), está feito?"
Oito vezes em dez, eles começam a gritar: "Irmão
Hagin, espero que esteja".
Tenho de lhes dizer: "Não está. Não está. Estou
crendo e você está esperando. Não existe concordância
aqui. Não funcionou".
Não tem sentido seguir censurando a Deus e
desperdiçar reflexões sobre a Bíblia se não funciona.
Amigos, se não funciona, nós não funcionamos —
porque Jesus Cristo não pode mentir. Nós temos de
admitir:" não fiz certo", e nos corrigir.
Isso é o que um jovem evangelista pentecostal fez
quando estava morrendo de tuberculose, lá no início dos
anos 30. Ele me contou sua história em primeira mão.
Ele ficou acamado, com hemorragia em ambos os
pulmões. Teve de levar sua família para morar na
fazenda do seu sogro.
Um dia, o sogro saiu para arar os campos, e sua esposa
e a sogra ficaram atrás da casa lavando roupa.
Esse jovem evangelista suplicou a Deus por força sufi-
ciente para sair da cama e conseguir chegar até uma
moita de7 árvores e arbustos a 400m da estrada. Ele
colocou um propósito no seu coração: Vou orar até
conseguir que Deus me cure, ou até eles me encontrarem
morto. Um dos dois.
Ele alcançou o mato e caiu exausto. Não conseguiria
gritar por ajuda, se quisesse. Ninguém sabia onde ele es-
tava.
"Eles nunca o encontrarão até que os abutres os levem
até você", o diabo lhe assegurou.
"Bem", ele disse, "está bem, diabo. Isso é o que vim
fazer aqui fora. Tão logo consiga reaver as minhas forças,
vou orar até ser curado ou morrer neste local".
"Então, enquanto estava caído lá", ele me contou,
"tentando reunir força suficiente para começar a orar,
comecei a pensar sobre isso. Em todos os lugares onde
estive, pedi oração pela minha cura. Centenas de pessoas
oraram. Milhares de pessoas oraram. Todos os
evangelistas da América impuseram as mãos sobre mim.
Todo mundo orou..."
"Puxa! Colocadas juntas, seriam centenas de horas de
oração. Todos esses grandes homens da fé impuseram as
mãos sobre mim — e Deus usa os evangelistas de cura."
"Decidi: Meu Deus, falhei! Não vou orar
absolutamente. Não tem utilidade a minha oração. Vejo
onde falhei. Nem devia ter feito aqueles pedidos de
oração. Tenho tentado encontrar mais alguém para orar.
Tenho tentado conseguir que Deus me dê o que Ele diz
que já é meu!"
"A Bíblia diz que estou curado. Senhor, vou ficar
deitado aqui de costas e Te louvar. Vou Te louvar até que
a minha cura se manifeste".
Ele me contou: "Só comecei a sussurrar Louvado seja o
Senhor. Glória a Deus. Aleluia. Obrigado, Jesus. Depois
de cerca de 10 minutos sussurrando 'Obrigado, Jesus',
consegui força suficiente para levantar os braços,
apoiando meus cotovelos no chão, e louvei a Deus por
mais uns 10 minutos. Então, consegui força suficiente
para levantar as minhas mãos, e a minha voz ficou mais
alta".
"E ao final de duas horas, eu estava de pé clamando:
'Louvado seja Deus' tão alto que alguém me ouviu a
vários quilômetros dali".
Veja — quando ele começou a concordar com o que
diz a Palavra de Deus e agir na Palavra de Deus,
conseguiu os resultados!

(4) Unja com óleo, de acordo com Tiago 5.14

Está alguém entre vós doente? Chame os presbiteros da


igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do
Senhor; e a
oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se
houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.

Tiago 5.14,15

Os crentes do primeiro século não tinham o Novo


Testamento. Tinham algumas cartas que podiam ser
passadas de igreja em igreja, mas não tinham uma Bíblia
para estudar, como nós temos.
Eles não sabiam que Pedro tinha escrito, pelo Espírito
de Deus, pelas suas feridas FOSTES sarados (1 Pe 2.24).
Mas nós sabemos disso.
Se eles podiam andar com saúde, quanto mais nós
nesta geração, com todo o conhecimento que nós temos.
Realmente, não deve haver nenhum doente entre nós
— mas "está alguém entre vós doente?" Tiago está
claramente falando à igreja, pois ele diz: "chame os
presbíteros da igreja".
Graças a Deus, mesmo quando as pessoas perdem a
cura e pecam, há socorro para elas. Note que Tiago diz:
"Se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados".
Muito freqüentemente, o povo da igreja espera que as
pessoas que se salvam na noite de domingo e se quando
desenvolvam espiritualmente por completo até a noite de
quarta-feira — e elas mesmas não amadureceram da
noite para o dia.
Não, elas são apenas bebês. A Bíblia ensina que há
uma similaridade entre o crescimento físico e o espiritual
'.Desejai afetuosamente, como meninos novamente
nascidos, o leite
racional, não falsificado, para que, por ele, vades
crescendo (1 Pe 2.2).
Mas temos sido tão tolos nessa questão — e Deus
vai nos responsabilizar. Precisamos conduzir esses
bebês espirituais na nossa fé, e podemos, enquanto
forem mesmo autênticos bebês espirituais.
Bebês na vida natural precisam ser cuidados. Não
podem fazer tudo por eles mesmos. Mas, porque
alguém os ama, são alimentados, vestidos e
cuidados. Se forem cuidados adequadamente, eles
crescerão e responderão.
Certa vez, organizei uma reunião para um pastor
no Texas — e me sinto envergonhado de que alguém
no Texas tenha sido tão estúpido como aquele pobre
sujeito.
Fiz um apelo num sábado à noite, e 39 pessoas vieram à
frente, incluindo sete casais entre 28 e 32 anos de idade.
Sete famílias. Nunca tinham sido salvas. Eram nobres
crentes em potencial.
Depois disso, perguntei ao pastor: "Você conseguiu os
nomes e endereços daquelas pessoas, de forma que você possa
acompanhá-las?'
"Ah, bendito Deus!", ele disse, "creio que se as pessoas
alcançaram algo, elas voltarão".
"Quero lhe fazer uma pergunta", disse eu. "Durante uma
reunião, sua filha dá à luz um garoto. Suponha que você vá à
casa dela e diga: 'vim ver o menino. Onde ele está?' Ela,
acaso lhe diria: 'Bom, nós achamos que se ele estiver vivo e
bem, ele estará aqui depois de um tempo'?"
E eu disse para o pastor: "Meu tempo é muito precioso,
organizando um reavivamento para um idiota. Vou
encerrar amanhã à noite". E encerrei.
Deus vai responsabilizar todas as igrejas pelos bebês
nascidos para o reino nos seus altares. Quando eles se
afastam, estamos prontos para criticá-los. Contudo,
freqüentemente
e somos culpados pelo seu afastamento.
E disso que Tiago está falando aqui. Essas pessoas não
podem agir por elas mesmas. Então, deixe-as chamar os
presbíteros da igreja, e deixe-os orar por elas e ungi-las
com óleo no Nome de Jesus. Se tiverem cometido pecados
— ou mesmo perdido o alvo — podem obter perdão dos
seus pecados e ser curadas.
Freqüentemente, uso a história abaixo como ilustração.
Enquanto estava me barbeando certa manhã, o Espírito
de Deus me falou: "Quero que você vá até a casa de E.
porque ele cometeu uma falta, e agora pensa que, porque
pecou, Deus não o ama mais. Ele não quer mais ir à
igreja".
Saí para contar à minha esposa — ainda com espuma
no meu rosto — e disse: "Querida, antes de ir ao armazém
para você, tenho de ir à casa de E. O Senhor acabou de me
dizer que ele cometeu uma falta — e o Senhor me mandou
ir lá restaurá-lo".
Voltei para terminar de me barbear, quando a esposa de
E. f
chegou de carro. "O, Irmão Hagin!", ela gritou, "Quero
que o senhor vá ver E. Ele perdeu a paciência no emprego
ontem, e disse uma porção de coisas que não devia. Uma
dor nas costas que ele teve muito tempo atrás voltou, e ele
está
em casa de cama. Diz que não vai mais à igreja. Ele crê que
Deus não o ama mais, porque ele pecou". Ela acrescentou:
"Não conte para ele que vim aqui, porque ele não vai gos-
tar".
"O Senhor acabou de falar comigo sobre isso", afirmei.
"Você pode perguntar para a minha mulher. Acabei de lhe
contar".
Fui até a casa deles, bati na porta, e reconheci a voz de
E. dizendo: "Entre".
Estava tão embaraçado que puxava as cobertas sobre a
sua cabeça. Pude ouvi-lo chorar. Fiquei de joelhos ao lado
da cama dele e comecei a chorar com ele.
Puxei as cobertas — ele estava se agarrando à sua vida
preciosa — e o puxei para fora. Simplesmente, tomei-o em
meus braços. Eu disse: "O Senhor me falou para vir aqui
restaurar você, porque você perdeu o alvo".
Ele começou a chorar outra vez. "Irmão Hagin, alguma
coisa não estava bem no emprego. Não me recordo de ter
falado nada errado, mas alguns deles disseram que
praguejei. Se fiz, não sei. Disse à minha esposa que não ia
mais à igreja e que o Senhor não me ama".
Eu disse: "Sim, Ele ama. Ele o ama, nós o amamos, e Ele
me mandou aqui para ajudá-lo — e isso prova que Ele o
ama. E nós não vamos deixar que o diabo o tenha!"
Ele disse: "Minhas costas estão doente tanto!"

Impus as mãos nas suas costas e disse: "Querido Deus,


Tu o amas. Sei que sim. Tu me enviaste aqui para ajudá-lo,
e quero que Tu o cures agora e prove para ele que Tu o
amas".
Subitamente, ele saltou como se tivesse levado um tiro e
disse: "Foi embora! Foi embora!"
Então ele começou a chorar de um jeito diferente, dizen-
do: "O Senhor realmente me ama, não é?"
Respondi: "Sim, Ele ama".

E ele voltou direitinho para o Senhor e para a igreja.

Bem, o Senhor me mandou lá mais de uma vez—mas


ele tinha só um mês de idade, e o que você espera de uma
criança de um mês de idade?
Estou feliz que o Senhor tenha feito provisão para os
bebês. Se você não puder fazer por você mesmo, Ele já fez
provisão para você do lugar onde você pode encontrar
ajuda.
Está alguém entre vós doente? Vá e chame os
presbíteros da igreja.

(5) Receba a cura pela imposição de mãos

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda


criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não
crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem:
em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas;
pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera,
não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos
e os curarão.
— Marcos 16.15-18 (A Grande Comissão)
Quando Jesus deu a Grande Comissão, Ele disse:
Imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão (v. 18).
Impor as mãos sobre os enfermos é um outro método pelo
qual a cura pode ser obtida. Ele pertence à igreja de hoje.
Quem pode impor as mãos sobre as pessoas? Todos os
cristãos. Todos aqueles que crêem no Evangelho. Observe
que o texto diz: aos que crerem... imporão as mãos sobre
os enfermos (vs. 17,18).
O original grego diz: "os que crerem imporão as mãos
sobre os enfermos e os curarão".
Não, Jesus não disse que era para curarmos os
enfermos. Cabe a nós impor as mãos sobre eles e crer em
Deus.
Todos os cristãos podem praticar isso. Os pais devem
impor as mãos sobre os seus filhos se estiverem enfermos.
Uma mãe tem o direito de impor as mãos sobre seus filhos,
se for crente. Ela não deve ter de mandá-lo para mais
ninguém. Nós temos o direito de impor as mãos uns sobre
os outros. A Bíblia diz: orai uns pelos outros, para que
sareis (Tg 5.16).
Falhamos algumas vezes, tentando conseguir que Deus
se mova só de um jeito. Devemo-nos alinhar com Ele,
ouvindo- 0, vendo como Ele está nos guiando no
momento, e então usar o método que Ele indicar.
Ouvi, sem querer, um pastor dizer para o outro: "Você
tem de conseguir que o irmão Hagin faça uma reunião para
você. Desde que ele foi para a nossa igreja, não tenho tido
metade dos chamados dos enfermos que costumava ter".
"Não quero dizer que o meu povo não me chame. Quero
dizer que eles estão conseguindo a sua própria cura. Estão
testificando na igreja sobre como oram e Deus os cura.
Estão impressionados".
Bem, graças a Deus, podemos fazer algo por nós
mesmos. Podemos crescer. Quando aprendemos a crer em
Deus e orar, podemos sair e ajudar os outros. Mas,
enquanto dependermos de mais alguém orar e crer por
nós, vamos ser um peso em vez de uma bênção.
Entretanto, algumas pessoas ainda não estão no nível
de poder receber cura por elas mesmas. Se você se
encontrar nessa categoria, não desista. Venha assim
mesmo num nível inferior de fé. Seja um daqueles sobre
os quais as mãos são impostas, e receba a sua cura desta
forma. Deus quer ajudá- lo(a).
A Bíblia diz: "imporão as mãos sobre os enfermos".
Não especifica quem são os enfermos, só diz que são
enfermos. "Estes sinais seguirão os que crêem", diz a
Escritura. "Imporão as mãos sobre os enfermos e os
curarão".
Qualquer crente pode impor as mãos sobre os enfermos
como seu ponto de contato. Esse é o ponto em que você
começa a crer que receberá a cura.
Muitas pessoas me perguntam: "Mas, irmão Hagin, e se
eu não for curado?"
Respondo: "Se você fosse curado instantaneamente,
você não teria de crer. Se fosse manifesto, você saberia
então, não saberia? Mas se você der um passo de fé de que
está feito, então você receberá, por causa do princípio da
oração da fé de Marcos 11.24":
Por isso, vos digo que tudo o que pedirdes, orando, crede que o
recebereis e tê-lo-eis.
Marcos 11.24

Creia que você recebe a sua cura, e o que acontecerá?


Você a terá! Veja, o ter vem depois do crer.
Quando eu ainda era um pregador batista adolescente —
antes de ser batizado no Espírito Santo — acordei numa
manhã de segunda-feira e metade do meu rosto estava
paralisada. Não se movia.
Orei por mim mesmo, porque não conhecia mais
ninguém para orar por mim, mas descobri que algumas
pessoas tinham construído uma igreja chamada
Tabernáculo do Evangelho Pleno em nossa cidade, e essas
pessoas acreditavam em cura divina.
Disse para mim mesmo: Vou lá na noite de quarta-feira
para que o pastor me unja com óleo. No minuto em que
ele me ungiu e orou, levantei as mãos e gritei: "Graças a
Deus, foi embora!"
Falei isso pela fé. Sabia o que dizer. Eu era batista —
não sabia nada sobre o Espírito Santo — mas sabia alguma
coisa sobre fé.
Aquele foi meu ponto de contato, quando as mãos foram
impostas sobre mim. Aquele foi o ponto de contato,
quando comecei a crer: "Recebo a minha cura".
Não, não me sentia curado.
Não, não parecia curado.
Mas eu não estava indo pelas aparências ou
sentimentos. Seguia pelo que eu acreditava.
É isso que é um ponto de contato: É o ponto em que
você libera a sua fé e começa a crer na sua cura.
Você tem de começar de algum lugar. Um homem
numa corrida nunca corre se não começar. Tem de haver
um ponto de partida. Seu ponto de partida pode ser
quando mãos são impostas sobre você. Esse pode ser o
local onde você começa a crer: "Recebo a minha cura".
As pessoas na congregação começaram a me
perguntar: "O Senhor realmente o curou, Kenneth?"
Afirmei: "Certamente".

Elas disseram: "Bem, você não parece curado. Como


você se sente?"
"Nada diferente".. K

"Bem, se você não parece diferente e você não se sente


curado, e podemos ver que você não parece curado, o que
o faz achar que está curado?"
Respondi: "Eu não acho, eu sei".

Veja,fé é saber.

Teve gente que me disse: "Tenho uma percepção


melhor do que essa".
A esses digo: "Bem, siga em frente e se vire sem a cura.
Você observa que meu rosto está direito, não? Eu
consegui. Consegui a minha cura".
Eu sabia que o que Jesus disse era verdade. Sabia que,
se cresse que a recebi, eu a teria. Sabia que se realmente
cresse, diria que eu acreditava.
Não: eu a receberei (futuro), mas eu a recebo
(presente).

Um pastor da igreja do Evangelho Pleno em Tulsa


foi, certa vez, enviado para orar por um homem da
igreja que estava muito doente para trabalhar.
Ele me contou: "Tenho ouvido o senhor pregar,
então eu o ungi com óleo, impus as mãos sobre ele, e
comecei a minha oração quando, de repente, sem
pensar, parei de orar e disse: 'O que você vai fazer
amanhã?'
O doente respondeu: 'Estarei aqui na cama'.

'Bem, então não adianta terminar a oração. Eu bem


que posso ir embora já. Você não crê em nada', lhe
disse.
O homem pensou por um minuto e disse: 'Está bem,
não é?'
Perguntei-lhe: 'Quando você vai ser curado?'

'Bem', ele disse, 'quando você me ungir com


óleo—quando você impuser as mãos sobre mim e orar
— aí sim'.
Esse homem virou-se para a sua mulher e disse —
mesmo antes de eu terminar a oração — 'Telefone para
meu chefe e diga-lhe que irei trabalhar amanhã'.
Então orei por ele, disse o pastor, e bendito seja
Deus, ele foi para o trabalho no dia seguinte".
Uma mulher correu até mim e esse pastor na
plataforma e disse: "Pastor, irmão Hagin, orem por
mim agora".
O pastor replicou: "Bem, nós vamos ter um culto de
cura daqui a pouco. Vou pregar uma mensagem de
cura e o irmão
Hagin vai impor as mãos sobre todos os enfermos no
término do culto. Não vai demorar". O louvor já tinha
começado.
"Sim, sim, ela disse, mas quero que o senhor e o
irmão Hagin imponham as mãos sobre mim agora,
porque vou para casa me deitar!".
De que adiantaria impor as mãos sobre ela e orar?
Ela já havia confessado que não ia funcionar.
Quando você ora, a Bíblia diz, creia que você
recebe e você o terá. A imposição de mãos é o ponto
de contato para liberar a sua fé. É quando você
começa a crer.
Imponho as mãos sobre as pessoas como ponto de
contato delas. Mas há uma outra lei espiritual que
também traz a cura. E a Lei do Contato e da
Transmissão.
Alguém pode ser ungido, quando Deus deseja, com
o poder de cura para ministrar cura. E quando aquela
pessoa impõe as mãos sobre os enfermos, em
obediência a esta lei espiritual, o contato daquelas
mãos ungidas transmitirá o poder curador de Deus
aos enfermos.
O crente também tem de exercitar a fé para que esta
Lei do Contato e da Transmissão funcione. A mulher
com o fluxo de sangue (Mt 9) é um exemplo disso.
Jesus foi ungido com poder curador, e a Bíblia diz
que dEle saiu virtude e a curou. Mas Jesus disse: Tem
ânimo, filha, a tua fé te salvou (v. 22).
Imponho as mãos sobre os enfermos não apenas
como um ponto de contato, mas também em
obediência a esta Lei do Contato e da Transmissão, de
tal maneira que o
contato das minhas mãos transmita o poder curador de
Deus para desfazer o que Satanás executou, e para
efetivar uma cura.
Por que falo tão ousadamente sobre isso?

Porque o próprio Senhor Jesus Cristo me apareceu


numa visão. Ele colocou o dedo da Sua mão direita nas
palmas das minhas duas mãos e disse: "Chamei você e
o ungi, e lhe dei uma unção especial para ministrar aos
enfermos. Seja ousado nisso".
"Diga às pessoas que você Me viu. Conte-lhes
exatamente o que Eu lhe disse. Conte-lhes que Eu disse
para lhes contar, e se elas crerem que você foi ungido e
receberem a unção, então o poder fluirá das suas mãos
para os seus corpos, efetuará a cura neles, e expulsará
todas as suas enfermidades. E quanto mais ousado
você for ao falar disso, mais resultados você terá".
(6) Receba as curas por meio dos dons de cura
1 Coríntios 12.9 diz que um dos dons espirituais que
Deus colocou na Igreja é o dom de curar — que é
diferente dos outros métodos para obter cura.
O que é "dom de cura"? E uma manifestação
sobrenatural do poder de curar de um indivíduo para
outro. Essa é a maneira mais simples de colocar as
coisas.
Qualquer coisa que nós obtemos de Deus é um dom.
Por conseguinte, falando no geral, qualquer cura seria
um dom. Mas não é manifestação dos "dons de cura".
Estas são iniciadas pelo Espírito Santo.
Depois que fui batizado no Espírito Santo, ainda
não entendia o Espírito de Deus. Tudo o que sabia era
que estava cheio com o Espírito Santo.
Depois de receber o "pontapé" dos batistas, me
alinhei com um dos grupos do Evangelho Pleno, e
aceitei o pastorado de uma pequena igreja no norte do
Texas. Foi lá que encontrei e me casei com a minha
querida esposa. Ela era uma metodista, e não tinha sido
batizada no Espírito Santo, mas ela cria.
Na quarta noite após o casamento, quando
estávamos fazendo juntos a oração da família na sua
velha e boa casa metodista, o Senhor por meio do
Espírito me disse: "Imponha suas mãos sobre a sua
esposa e a encherei com o Espírito Santo".
Isso foi em 1938, e eu era novato nessas coisas.
Recebi o Espírito Santo em 1937. Nunca tinha visto
ninguém impor as mãos para que uma pessoa
recebesse o batismo no Espírito Santo. Não faziam
assim nos círculos em que eu operava, e não sabia se
era certo ou não. Pensei: Talvez vá embora, se eu
ignorar. Mas não foi embora.
Novamente, Ele disse: "Imponha as suas mãos
sobre a sua esposa e eu a encherei com o Espírito
Santo". Reconheci que era o Senhor Jesus falando ao
meu espírito por meio do Espírito Santo, mas eu não
queria fazer nada errado.
Então, à meia-noite (olhei no relógio) do dia 28 de
novembro de 1938, a mesma voz repetiu: "Imponha as
suas mãos sobre a sua esposa e eu a encherei com o
Espírito Santo".
Abri os meus olhos e olhei ao redor, meio espantado.
Disse para mim mesmo: Bem, não vai fazer mal tentar,
Impus a minha mão esquerda sobre a cabeça da minha
esposa e instantaneamente ela levantou ambas as mãos
e começou a falar em línguas. Ela falou em outras
línguas durante uma hora e meia e entoou três cânticos
em línguas. Tivemos um Pentecostes naquela velha e
boa casa metodista!
Então, a mesma voz me disse o que fazer e o que
contar para a minha sogra para ela ser curada. Ela ia
para o hospital no dia seguinte, para ser operada de
bócio. Não tinha fé alguma para cura. Você não deixa
sua maleta pronta para ir ao hospital, se está esperando
ser curado. A voz me falou: "Dei-lhe dons de cura e o
enviei para ministrar aos enfermos".
Quando fiz o que o Espírito me disse,
instantaneamente a parte do papo que se podia ver
murchou, como se alguém tivesse espetado uma
bexiga.
Ela não foi curada porque acreditava em Deus. Se
você a tivesse interrogado depois, ela teria dito: "Não,
não. Sei que não foi a minha fé. Eu não podia ter fé
para uma coisa como aquela".
Você sabe por que ela foi curada? Porque o Espírito
de Deus me disse o que fazer.
Entretanto, a manifestação dos dons de curar não
funciona quando eu desejo. Funciona quando o
Espírito deseja. Apertei todos os botões, empurrei
todas as alavancas, disse tudo o que tinha dito antes nos
mesmos lugares — e nada aconteceu.

Então, continuei sem que nada acontecesse. Falei:


"Não vai mais acontecer outra vez". E aí começa a
funcionar. Veja, a manifestação do Espírito é quando o
Espírito deseja. Graças a Deus por estas
manifestações. Creio nelas.
Mas esta é só uma maneira de se obter cura. O
melhor método de todos é simplesmente conhecer 1
Pedro 2.24:pelas suas feridas fostes sarados (não
sereis —fostes sarados).
(7) Saiba que a cura lhe pertence

O melhor método pelo qual você pode ser curado é


conhecer você mesmo as Escrituras do nosso texto (Is
53.4,5; Mt 8.17 e 1 Pe 2.24), de que a cura está no
plano de redenção de Deus. Pertence a você, e pelas
Suas feridas nós somos sarados.
Nos recusamos a permitir a doença ou
enfermidades nos nossos corpos, porque SOMOS
sarados. Sabemos que a dor, enfermidade ou doença
que parecem estar nos nossos corpos foram colocadas
sobre Jesus. Ele as levou. Não temos de as levar. Tudo
o que precisamos é concordar com Deus e Sua Palavra
e aceitar o fato de que Ele tomou sobre si as nossas
enfermidades e levou as nossas doenças e pelas suas
feridas somos sarados.
Nós simplesmente sabemos disso, então damos
graças a Deus. Não temos de ter ninguém impondo as
mãos sobre nós. Não temos de ter qualquer
manifestação dos dons do Espírito. Nós simplesmente
damos graças ao Pai pela nossa perfeita libertação.
Todos os crentes devem compreender plenamente
que a sua cura foi consumada em Cristo. Quando
chegam a saber disso nos seus espíritos — assim como
sabem em suas mentes — isso será o fim das
enfermidades e doenças em seus corpos.
Mas nem todos os crentes compreendem plenamente
que agir com base nas Escrituras é um método de
receber cura divina. Nem todos os crentes foram
ensinados assim. Esta verdade não tem sido pregada
como deveria, mesmo entre aqueles que supostamente
crêem em cura divina. Por conseguinte, a informação
dos crentes nessa área é menosprezada, e você não
pode operar e crer além do conhecimento.
Essa é a razão de Deus prover esses sete métodos,
pelos quais os crentes podem ser curados por meio da
Palavra.
5. Saiba a diferença.

5. Saiba a diferença entre as curas que Deus inicia


sobrenaturalmente e as curas que o homem inicia pela
sua própria fé.

Precisamos saber a diferença. De outra forma,


podemos ser impedidos.
No quinto capítulo do Evangelho de João, lemos
sobre o tanque chamado Betesda, em Jerusalém. Cinco
alpendres foram construídos em volta do tanque.
Estavam invadidos por uma multidão de doentes —
paralíticos, mancos, mutilados, cegos — esperando pelo
movimento das águas.
Um anjo descia do céu num certo tempo e agitava as
águas. Quando isso acontecia, o primeiro que descia ao
tanque era curado.
Veja, Deus iniciava algo por Ele mesmo. Ele é um ser
soberano. Se Ele quisesse mandar um anjo aqui, por um
ato da Sua soberania divina, agitar as águas e curar
alguém dessa forma, Ele poderia. Ele não teria de
escrever a alguém na terra para endossar isso.
Lá, as pessoas eram curadas. Elas não estariam ali, se
não estivessem sendo curadas.
Não vejo os enfermos sendo carregados de maca para
algumas igrejas, você vê? Tenho ido a alguns lugares
onde nunca vi pessoas enfermas. Porquê? Porque
ninguém estava
sendo curado ali! Mas tenho ido a outros lugares onde as
coisas estavam acontecendo, e os enfermos estavam lá.
Você já percebeu que só uma pessoa era curada no
tanque? O primeiro que ali descia era o único curado.
Então, a multidão tinha de esperar até o próximo
movimento das águas.
Os dons de cura operam de maneira similar. Você já
esteve numa multidão de 5.000 ou mais pessoas,
contudo só 15 ou 20 são curadas por meio das
manifestações especiais da palavra de conhecimento,
dons de revelação e dons de cura? (Estas manifestações
especiais, freqüentemente, operam juntas.) Vendo essas
curas, outras pessoas começam a crer em Deus e elas
também são curadas.
Portanto, Deus inicia algumas coisas por conta dEle
mesmo. Graças a Deus por isso. Amo quando isso
acontece. Ele me usa em manifestações especiais de
uma medida limitada, embora esse não seja o meu
principal ministério.
Freqüentemente, tenho sido despertado durante a
noite e compreendo que é o Senhor me acordando.
"Senhor, não sei orar como deveria. Ajuda-me!", tenho
dito. O Espírito Santo começa a me ajudar, e princípio a
orar em voz alta em outras línguas, deitado lá na cama,
ao lado da minha esposa, que nunca despertou.
Orei dessa forma milhares de vezes durante muitos,
muitos anos. Ocasionalmente, quando acabava, tinha
uma visão. Via meu culto na noite seguinte. Via-me
apontando para uma pessoa, e me ouvia dizer: "Vi você
na noite passada numa visão no meu quarto. Você
tem..." (eu nomeava o que
estava errado com elas fisicamente, dizendo-lhes que
estavam curadas).
São dons de cura em operação. Essas pessoas eram
curadas instantaneamente. Nenhuma deixava de ser
curada. Veja, Deus iniciava algo por Ele mesmo. Tais
manifestações são sinais da Sua presença e do Seu poder.
Algumas pessoas vão para um culto e esperam por tal
manifestação. Muitas pessoas queridas nunca seriam
curadas se Deus não tivesse iniciado algo! Mas — muitas
morrem enquanto estão esperando algo semelhante
acontecer com elas.
Você precisa saber disto: Embora Deus se mova dessa
forma, não funciona sempre para todos, e nunca
funcionará.
Minha esposa e eu, como pastores, visitamos pessoas
que estavam no leito de morte. Oramos por elas — nós
cremos nisso — e temos visto pessoas curadas como
resposta às nossas orações. Mas, algumas vezes Deus
inicia algo por Si mesmo.
Eu estava considerando a possibilidade de orar pela
cura de uma mulher. Logo que comecei a orar, a voz do
Senhor veio até mim e disse: "Não ore. Diga-lhe para se
levantar. Ela está curada".
Essa não é uma coisa boba de se fazer? Aqui está ela
no seu leito de morte. Eu disse: "Irmã, nunca disse isso
para ninguém antes, mas o Senhor me falou para lhe dizer
que se levante — você está curada!". Ela se levantou,
curada.
Isso foi numa quinta-feira. No domingo, ela estava
saltando e gritando na nossa igreja, dando o seu
testemunho em ambos os cultos.
Uma senhora da igreja disse: "Irmão Hagin, existe
uma mulher na nossa periferia que está acamada e vai
morrer. Se o irmão curou essa mulher, não poderia ir e
curar esta outra?"
Respondi: "Não senhora. Se eles quisessem que eu
fosse — se eles me chamassem — eu iria. Mas Deus é
um cavalheiro, e sou um cavalheiro. Não vou forçar meu
caminho com ninguém. Veja, essa mulher que foi curada
me pediu para ir. Seu vizinho lhe contou como o Senhor
me usa, às vezes, e disse que se eu fosse, ela poderia ser
curada. E ela foi. Deus iniciou algo por Ele mesmo".
Jesus não disse para ir a todo o mundo eprovar às
pessoas que a cura divina é assim. Ele disse: "Ide e pregai
o Evangelho.

Uma vez quando eu estava pregando em Oklahoma,


algumas pessoas colocaram um anúncio no jornal,
oferecendo uma recompensa de $ 1.000 por uma prova
de que alguém estava sendo curado nos meus cultos.
Essas pessoas também escreveram cartas me
desafiando para um debate, e elas foram à rádio e fizeram
uma porção de declarações estranhas sobre cura divina.
Simplesmente as ignorei. Não presto atenção ao zurrar
de um burro (já os ouvi zurrar antes. Não era nada novo
para mim).
Uma noite, quando pisei na plataforma, vi cinco
homens bem vestidos, em pé, lá atrás. A voz do Senhor
me disse: "Aqueles cinco homens são assim chamados
ministros de tal-e-tal igreja. São os que estão desafiando
você. Agora quero que você pegue tal-e-tal texto e
pregue um sermão". Abri minha Bíblia e decolei.
O pastor disse mais tarde: "Pensei que você fosse citar
todo o Novo Testamento!". Nunca preguei assim nem
antes e nem depois!
Quando cheguei ao término do meu sermão, aquela
mesma voz disse ao meu espírito (não nos meus
ouvidos): "Agora demonstre para a congregação aquilo
que você pregou".
Oh! Gosto quando o Espírito se move em mim dessa
forma. Gostaria que Ele fizesse isso em todos os cultos,
mas Ele não faz. E quando Ele quer, não quando eu
quero.
Veja, havia um homem deitado lá, numa maca.
Qualquer um podia ver que ele estava quase morto. Era
só um esqueleto com pele esticada por cima. Parecia um
cadáver — o retrato da morte.
Havia também duas jovens no culto naquela noite, que
tinham acabado de se graduar no colégio com honras.
Salva- ram-se algumas noites antes.
A Palavra do Senhor veio até mim, dizendo: "Diga a
esta congregação, filho do homem: 'Vou impor as mãos
sobre estas duas jovens, e cada uma delas receberá o
Espírito Santo e começará a falar em outras línguas.
Então vou descer lá e não vou tocar naquele homem e
nem orar por ele. Vou lhe dizer e comandar que se
levante, e ele se levantará daquela maca e será curado.
Ele andará na frente da igreja e todas as pessoas nesta
igreja o verão ser curado diante dos seus olhos. E se
algumas destas coisas não acontecerem, então sou um
falso profeta
Foi o que Ele me mandou dizer. Isso deixa você
tinindo! Mas se acontecer — e irá acontecer — é um
sinal. Deus algumas vezes faz essas coisas como sinais.
Ele as começa por Si mesmo.
A Bíblia diz: "muitos sinais e prodígios" eram feitos
entre o povo pelas mãos dos apóstolos (At 5.12). Quais
são eles? Nós não sabemos.
Concluí: "Esse é um sinal para vocês de que o Espírito
de Deus está sobre mim, que me chamou e me ungiu para
tal ministério".
Chamei as duas jovens à frente e, quando impus
minhas mãos sobre a primeira, disse: "Receba o Espírito
Santo". Ela levantou suas mãos e começou a falar em
outras línguas. Eu segurava o microfone na sua frente. Ela
falava sem hesitar. Não gaguejava. Não tremia. Falou
uma língua.
Afirmei: "Agora, ouçam isso. Ela não está fazendo isso
por seu próprio esforço. Ela apenas está aqui, de pé,
calmamente falando em línguas. Uma criancinha saberia
que é uma língua!"
Impus as mãos sobre a outra garota e disse: "Encha-se
do Espírito Santo". Ela calmamente começou a falar em
línguas.
Então, desci até o sujeito da maca, falei com ele, e ele
se levantou e andou bem ali na frente de todo mundo.
"Bem, por que você não faz isso em todos os cultos?",
você poderia me perguntar.
Eu não fiz anda! O Espírito Santo o fez por meio de
mim.
"Bem, por que Ele não faz isso em todos os cultos?"
Não sei. Se você quiser saber, vá Lhe perguntar. Ele é
Quem faz.
Sinto falta dessas manifestações quando elas não
ocorrem com freqüência, e agradeço a Deus por elas
quando se manifestam por meio de mim ou de mais
alguém. Mas, irmão e irmã, fico tão impressionado como
quando a palavra da fé é pregada.
Você precisa entender, como nos conta a história da
mulher do fluxo de sangue, que a nossa própria fé pode
iniciar a cura. A SUA fé pode fazê-lo! Você não tem de
esperar que Deus se mova.
Veja, essa mulher havia despendido tudo quanto tinha
e havia padecido muito com vários médicos, mas estava
cada vez pior, diz a Bíblia.
Quando ela ouviu falar de Jesus, veio por detrás, entre
a multidão, e tocou na Sua vestimenta, porque dizia: Se
tão somente tocar nas suas vestes, sararei (Mc 5.28).
Imediatamente, "a fonte do seu sangue se secou" e
Jesus voltou-se para ela e disse: Filha, A TUA FÉ te
salvou (v. 34).
"Não iniciei a tua cura. Não foi uma espécie de
manifestação sobrenatural. A TUA FÉ te salvou. A TUA
FÉ o fez". Oh, fico impressionado com isso!
Lembro-me que foi isso que Ele me disse quando
estava no leito de enfermidade: "Se a fé dela a salvou, a
sua fé pode salvar você". E a minha fé me salvou!
Essa é a razão pela qual quero tão desesperadamente
proclamar essa mensagem de fé para toda a humanidade.
Sei o que ela fez por mim, quando era um garoto batista
de 16 anos de idade.
"Você vai morrer — vai morrer. Você não pode viver",
os médicos me disseram. Graças a Deus pelos médicos.
Sou grato por tudo o que eles fizeram por mim. Eram tão
gentis.
Depois que fui curado, estive no consultório do Dr.
Robinson para agradecer. Disse-lhe: "Doutor, sou grato.
O senhor foi o único que me disse o que estava errado
comigo. O senhor foi o único que me contou que nada
mais podia ser feito e que me preparasse para partir".
Ele chorou e disse: "Esse é um milagre de Deus. A
ciência médica não podia ajudar você. Acredito em dizer
a verdade às pessoas".
Disse-lhe: "Agradeço por isso, senhor".
Ele nunca nos cobrou nada. Disse: "Não posso fazer
nada. Mas virei de dia ou de noite, filho, se você quiser.
Faça-os me chamar e virei. Nunca vai lhe custar um
centavo".
Creio que Deus abençoará um homem como esse por
desejar ajudar as pessoas e por lhes dizer a verdade.
Agradeço por aquele homem querido. Ele está no céu
agora, graças a Deus.
Mas lhe digo: A MINHA FÉ FUNCIONOU. SEI QUE
ELA FUNCIONA. E A FÉ FUNCIONA HOJE.
6. A cura não é sempre instantânea.

6. A cura não é sempre instantânea. Algumas vezes,


ela é gradual.
Por não compreendermos isso, algumas vezes nós
erramos e perdemos em relação a Deus.
Alguém me disse uma vez: "Irmão Hagin, nos dias da
Bíblia, as pessoas eram sempre curadas
instantaneamente".
Respondi: "E os 10 leprosos? A Bíblia diz que eles
ficaram curados indo (Lc 17.14).
Uma senhora me escreveu: "Entrei na sua fila de ora-
ção há 10 meses. Quando o senhor impôs as mãos sobre
mim, caí sob o poder, mas não senti nada diferente. Eu
tinha tido um derrame cerebral que me deixou sem sentir
o meu braço e perna esquerdos, e precisava andar com
ajuda de uma muleta".
"Acho que as pessoas pensaram que não fui curada,
porque ainda estava de muleta ao sair da reunião. De
repente, quando estava a cerca de dois quarteirões da
igreja, um calor percorreu a minha perna e a sensibilidade
foi restaurada no meu braço e perna. Agora ambos estão
bem".
"Não apenas isso", ela continuou, "mas eu fumava
fazia 40 anos. Sabia que era errado, queria largar, mas não
conseguia. Quero que saiba que não fumei mais nenhum
cigarro desde que o senhor orou por mim. Eu nem mesmo
quis fumar um".
Glória a Deus, o poder de Deus o fez! Ninguém pode
sempre dizer na hora o que aconteceu.
Um outro exemplo é o de uma mulher que me
escreveu vários meses depois que fizemos um rali de
rádio no Texas. Vítima de artrite, ela também andava com
o auxílio de uma muleta, e não conseguiu sua cura
instantaneamente depois da oração.
Ela disse: "Peguei de volta a minha muleta, retornei
para a mesa de livros, então fui até o meu carro, coloquei
os livros em cima no capô, e estava remexendo na minha
bolsa procurando as chaves, quando de repente percebi:
Estou curada! A manifestação surgiu quando fiquei de pé
do lado do carro. Dois meses se passaram, e não tive mais
de usar minha muleta. Estou curada e quero lhe
agradecer."
Os 10 leprosos foram curados enquanto estavam indo.
A Bíblia também diz que, no ministério de Jesus, o filho
de um oficial do rei "se achara melhor" a partir da hora
que Jesus orou por ele (Jo 4). O que isso significa?
Significa que começou a melhorar a partir da hora em que
foi ministrado, até que foi curado.
A Bíblia diz que "eles imporão as mãos sobre os
enfermos e os curarão" (Mc 16.18). Algumas vezes
funciona desse jeito. Nós precisamos saber que a cura não
é sempre instantânea. Quando ela é, glória a Deus por
isso, mas algumas vezes ela é gradual.

O Dr. John Lake dizia que algumas vezes as curas


instantâneas são uma maldição, porque algumas pessoas
são curadas, vão embora e se esquecem de Deus. Ele
acreditava que as pessoas que são curadas gradualmente
podem ver que vão ficando cada vez melhor à medida que
caminham com Deus. Esse conhecimento se toma uma
riqueza inestimável para elas.
7. A cura pode ser perdida.

7. O método que Deus usa para curar é espiritual, e a


cura pode ser perdida.

A cura divina não é "mental", como a Ciência Cristã, a


Unificação e outros professores metafísicos proclamam.
Nem é física, como o mundo médico ensina. Quando Deus
cura, Éle cura por meio do espírito. Deus não é uma mente.
Deus não é um homem. Deus é um Espírito.
Ser curado pelo poder de Deus é ser curado pelo Espíri-
to de Deus. E, porque a cura divina é espiritual, pode ser
perdida. Muitas pessoas perderam a sua cura por abrirem a
porta para o diabo.
E fato notório que quando Jesus entrou em cena como
quem curava, Ele exigia fé — e a fé nasce do espírito.
Todas as curas de Jesus foram espirituais.
Um senhor me disse: "Creio que, se Deus o cura, você
está curado para sempre".
"Bem", eu disse, "isso não pode ser verdade, porque
quando o próprio Jesus apareceu numa visão para João, na
ilha de Patmos, e enviou uma mensagem às sete igrejas da
Ásia Menor, Ele disse para uma delas: guarda o que tens
(Ap 2.11). Por que Ele lhes disse para guardarem o que
tinham, se não houvesse a possibilidade de perda?"
Esse homem respondeu: "Talvez eu esteja errado".
Falei: "Sei que você está errado. Essa é a razão pela qual
você perdeu a sua cura. O seu pensamento errado abriu a
porta para o diabo trazer sua doença de volta. Quando lhe
ministrei há oito meses atrás, você foi curado?"
"Fui".
"Você teve quaisquer sintomas nesses oito meses —
qualquer dor?"
"Nenhuma dor. Nenhum sintoma".
"Quero lhe fazer uma pergunta, então. Durante quanto
tempo você teve essa moléstia, antes de eu impor as mãos
sobre você?"
"Durante vinte e cinco anos", disse ele (era um homem
de mais de 60 anos de idade).
Eu disse: "Em todos esses 25 anos, houve algum dia que
você passasse sem dor?"
. "Nenhum dia".
"Houve algum dia em que você estivesse sem os sinto-
mas?"
-."Nenhum dia".
"Impus as mãos sobre você em Nome de Jesus há oito
meses, e todos os sintomas e a dor desapareceram por oito
sólidos meses".
Ele disse: "Correto'
"Ora, caro irmão", eu disse, "até uma criança saberia
que foi curada. Mas porque a sua enfermidade voltou,
você está dizendo que o Senhor nunca o curou realmente".
"Vou lhe dizer exatamente o que aconteceu. Quando o
primeiro sintoma — a primeira dor — voltou, você disse:
Pensei que tinha sido curado. Acho que não".
Você sabe o que esse homem teve a audácia de dizer?
Seus olhos se arregalaram e ele me disse: "Ora, o senhor
deve ser um leitor de mentes, um vidente! Foi exatamente
o que aconteceu!"
"Não", eu disse, "Não estou lendo a sua mente ou
vendo seu passado. Eu sabia que você tinha aberto a porta
para o diabo retornar".
"Mas foi exatamente o que eu disse. Foi exatamente o
que fiz", ele disse.
Contei-lhe: "Quando você falou: 'pensei que tinha sido
curado. Acho que não', você abriu a porta consciente ou
inconscientemente (ainda está aberta) e você disse:
"Volte, Sr. Diabo, e me coloque a doença de volta!" E ele
lhe agradeceu".
Conversei com aquele homem por 45 minutos. Preguei
para ele. Ensinei-lhe e lhe impus as mãos, no meio de um
pasto de vacas. Bendito seja Deus! Ele conseguiu a sua
cura, e dessa vez a manteve.
Eu o vi anos mais tarde, e ainda estava curado, porque
tinha aprendido como conservá-la. Aprendeu como
resistir ao diabo. Aprendeu como resistir aos sintomas,
dizendo: "Não, diabo, você não vai pôr isso de volta em
mim. Estou curado, e sei quem sou — e estou guardando
a cura".
P.C. "Papai" Nelson, o falecido pregador da fé que
estabeleceu a Faculdade das Assembléias de Deus do
Sudoeste,
foi um pastor batista de grande cultura. Ele disse: "Mais
pessoas perdem a sua cura num contra-ataque do que
qualquer outra coisa".
Isso é escriturístico. É um princípio o fato de que o diabo
sempre vai tentar voltar onde esteve. E se você deixar, ele
entrará e colocará a mesma enfermidade ou doença, os
mesmos sintomas, ou algo pior em você — se você
permitir. Esse é o porquê de você precisar saber que a cura,
por ser espiritual, pode ser perdida.
Como você pode manter sua cura? Resisti ao diabo, e
ele fugirá de vós (Tg 4.7). Isso significa resistir a tudo que
é do diabo.
Se aparecesse para você a sugestão de roubar ou mentir
e você resistisse, seria resistir ao diabo, não seria? Da
mesma forma, quando você resiste a algo que é do diabo,
está resistindo ao diabo.
A Bíblia diz: Porque Deus não nos deu o espírito de
temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação (2 Tm
1.7). Se Deus não nos deu espírito de medo (você percebeu
que Ele chama de um espírito?) quem nos deu? Se é um
espírito, teve de vir de outra fonte. É do diabo. Medo é do
diabo.
Comecei a praticar essa vida de fé há mais de 40 anos
como um jovem pregador batista. Se o medo vinha, falava
com ele. Eu dizia: "Medo, te resisto em Nome de Jesus.
Re- cuso-me a ter medo". Aprendi que se permanecesse no
meu território, ele sempre saía. Algumas vezes, eu tinha de
ficar lá e resistir por um dia ou dois, mas finalmente ia
embora. O medo foi embora há tantos anos, que não sei o
que significa ter medo.
Então, se vinha a dúvida, também falava com ela. Eu
dizia: "Dúvida, te resisto. Recuso-me a duvidar".
Minha mente dizia: "Puxa, você já está duvidando".
"O que é isso?" eu falava. "Não, não estou. Não está no
meu coração, está só na minha mente. O diabo colocou a
dúvida ali, e de qualquer forma não estou caminhando pela
minha mente ! Recuso-me a duvidar!"
Então, se vinha a enfermidade, eu falava com ela.
Dizia: "Enfermidade, eu te resisto". (Isso é resistir ao
diabo, como nós provamos, porque a enfermidade é do
diabo. Ele é o seu autor, e resistir à enfermidade é resistir
ao diabo.)
Também tenho resistido com sucesso à gripe por todos
esses anos. O máximo de tempo que quaisquer sintomas
permaneceram foi de uma hora e meia.
Falando no geral, nós, cristãos, não fazemos isso. Ao
primeiro sintomazinho de gripe que aparece — uma dor de
cabeça ou seja lá o que for—dizemos: "Ó, sim, estou com
ela. Sim, sabia que eu ia pegar. Sabia que seria o primeiro.
Todos vocês orem por mim".
Bem, não vai resolver nada orar por você. Você já
confessou: "Ela é minha. Eu a tenho".
Depois de ser batizado com o Espírito Santo e ter
estado no meio do povo do Evangelho Pleno, eu sabia
mais sobre fé do que eles (sabiam mais sobre o Espírito
Santo do que eu). Aprendi deles sobre o Espírito Santo
e tentei ajudá-los na fé, mas não podia ajudar a muitos
deles.
Eles me diziam que não ia durar. Falavam sobre estar
por cima e por baixo, no vale hoje, e no topo da montanha
amanhã. Eu não sabia do que eles estavam falando.
"Bem, você vai ter uma queda", eles diziam. Quarenta e
cinco anos se passaram, e ainda não tive nenhuma queda.
Por enquanto, nunca estive no vale. Ainda estou no monte
— no monte da vitória. Se descer ao vale — como diz Fred
Price — vai ser para resgatar mais alguém.
Quando estava pastoreando a minha primeira igreja do
Evangelho Pleno, tínhamos reuniões de comunhão na pri-
meira segunda-feira do mês. Os pastores todos se encontra-
vam e conversavam sobre os seus problemas. Fiz o
máximo para ajudá-los. Eu chorava, porque não podia.
Aproximava-me e eles diziam com rostos entediados:
"Como vai a luta?" (estavam todos em luta). Eu acenava,
sorria e dizia: "Garotos, não podia estar melhor. Não tenho
nenhuma preocupação". Eu seguia em frente. Não queria
me contaminar com a incredulidade deles. Esse negócio
desgasta você.
Algumas pessoas são edificadas pela fé num culto e en-
tão, voltam no meio de um monte de descrença, caem e
saem, e dizem: "Isso funciona para o irmão Hagin porque
ele é um pregador e Deus lhe deu o dom da fé, mas não
funciona para mim".
A Palavra de Deus funcionará para todos.

Veja, eu estava andando pela fé, e aqueles pregadores


andavam por vista. Certamente eu tinha problemas na
igreja, mas já havia dito ao Senhor: "Senhor, só sou o
pastor assistente. Tu és o Grande Pastor do rebanho. Sei
qual é o meu trabalho. Vou pregar a Palavra. Vou visitar as
pessoas que precisam de visita. Tratarei a todos igualmente
— e vou entregar o resto para Ti, porque, de qualquer
maneira, não sei o que fazer. Tenho só 21 anos de idade".
Disse claramente ao Senhor: "Senhor, é Teu. Não vou
me preocupar com isso. Não vou perder nenhuma refeição
ou deixar de tirar uma soneca". E assim foi.
Deus acertava tudo. Veja, eu tinha uma igreja
"problemática". Ninguém queria saber dessa igreja. Ela
existia há 23 anos e nunca havia sustentado um pastor até
que apareci. Contudo, era a quarta maior igreja naquela
área! Quando saí, 40 pregadores se candidataram para ir lá,
mas quando entrei, ninguém mais a queria.
Deus me disse para assumi-la. Glória a Deus, a fé
funciona! A fé funciona em todas as áreas da sua vida.
Eu estava pregando para os Homens de Negócio do
Evangelho Pleno em St. Louis, em 1971, quando um casal
de Massachusetts me parou no saguão do hotel e me
contou como seu filho de 15 anos sarou de uma doença
incurável na Convenção do ano anterior.
Eles o tinham levado para especialistas na cidade de
Nova York durante muitos meses. Amigos convidaram a
família para as sessões do Evangelho Pleno. Ouviram-me
ensinar sobre a confissão da fé. Os pais ficaram pensando
se ela iria funcionar.
No dia seguinte, quando perguntaram ao filho como ele
estava se sentindo, ele disse: "Fui curado ontem".
"Você tem certeza?", perguntaram.
"Claro! Nunca tive tanta certeza de algo em minha
vida", ele replicou.
"Mas, como você está se sentindoT% inquiriram.

"Isso não é importante. A Palavra de Deus diz que estou


curado".
Aquele garoto tomou posse!

Todas as vezes que os pais lhe perguntavam como


estava, o garoto respondia: "Estou bem".
Finalmente chegou a hora da sua próxima consulta em
Nova York. Os médicos estavam intrigados. Pediram que
ele ficasse por três dias para exames. Todos os exames
deram resultado negativo. "Nós sabemos que é incurável, e
sabemos que ele a tinha, mas ele não tem mais a doença",
os médicos concluíram.
Numa das minhas reuniões, o pastor veio à frente por
cura. Eu disse: "Você está curado?"
Ele apertou seu estômago. "Não. Não. Não consegui",
ele disse. "Ainda dói. Não consegui".
Na mesma hora, um homem de 72 anos de idade, cujo
senso de equilíbrio estava prejudicado, foi ajudado pela sua
filha para ir à frente. Ele cambaleava como um bêbado sem
a sua bengala, e os médicos lhe disseram que logo seria
confinado a uma cadeira de rodas. Usava aparelho em
ambos os ouvidos — não podia ouvir nem trovão sem eles
— e também estava para enfrentar uma grande cirurgia.
Ele foi curado instantaneamente. Escutava o barulho de
um relógio de bolso, conversava com as pessoas no tom
normal, e andou em linha reta sem a sua bengala. Eu o vi 10
anos mais tarde, quando ele estava com 82 anos. Sem
aparelho
nos ouvidos. Sem bengala. Nunca fez nenhuma cirurgia.
Nunca mais teve qualquer dor ou sintomas. Com 82, ele
estava andando em linha reta, conversando normalmente e
vivendo uma vida plena.
O pastor dele estava no mesmo culto. Ele me falou:
"Irmão Hagin, tive de pedir demissão da minha igreja.
Tinha só 56 anos de idade. Ainda deveria estar pregando,
eu sei, mas nestes últimos 10 anos as coisas pioraram.
Simplesmente não consigo suportar. Gostaria que o senhor
pudesse me ajudar".
Respondi: "Não posso. Deus não pode. Ninguém pode.
Você não os deixaria".
Ele disse: "Ouvi o senhor pregar, mas lhe digo, não vou
crer que tenho algo quando os meus sentidos físicos me di-
zem que não tenho!"
Respondi: "Você vá se sentar e se vire quanto a sua
cura, irmão, porque nunca a obterá".
Não quis ser desagradável, mas era verdade. Ele nunca
ficou curado. Ele perdeu a cura. Você entende o que ele es-
tava fazendo? Estava andando pelos seus sentidos físicos.
Se ele não pudesse se sentir curado, ele não ia crer que
estava curado.
Os sentidos físicos constroem cercas na vida. Eles dei-
xam Deus do lado de fora da cerca. E deixam a pessoa,
suas enfermidades e o diabo do lado de dentro da cerca.
Você está curado? Como você sabe que está? A Palavra
diz que sim.
Como você sabe que está?
Porque Mateus 8.11 diz: Ele tomou sobre si
as minhas enfermidades e levou as minhas
doenças, e 1 Pedro 2.24 pelas suas feridas fostes
sarados.