Anda di halaman 1dari 23

1 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018

Editorial Índice

O 04 e 05 14
futuro é uma caixinha de surpresas.
A cada dia que passa somos surpre- - Rodrigo Garcia, - Autor do sucesso caipira ‘Marvada
endidos com novas descobertas, situ- próximo vice-governador, vê futuro Pinga’ é filho de Votorantim
ações, encontros e oportunidades. Mas não promissor para Votorantim
é porque a vida traz situações inesperadas a
cada dia que devemos deixar de nos planejar.
Por isso, o foco no futuro é fundamental. Este
ano Votorantim comemora 55 anos de eman-
04 e 05 06 - Votorantinense que trabalha
no governo federal diz que turismo rural
14 16 - Pelé de Votorantim: uma conversa
com o ex-jogador José Carlos Metidieri
cipação político-administrativa e, nesta data, e ambiental pode crescer na cidade
devemos cada vez mais focar no que está por
06
vir. Nossa cidade tem um potencial enorme
em diversas áreas que podem ser exploradas
e ampliadas, e nesta edição você encontra a 07 - Prefeito Fernando analisa
17 e 18 - Surgimento e
emancipação de Votorantim
visão de algumas pessoas sobre como deve que Votorantim é moderna, mas não
abandona sua história
16
20
ser o futuro da nossa querida Votorantim.
Mas, é claro, é impossível falar de futuro
sem lembrar do passado. Nestes 55 anos, de-
cidimos também olhar para trás, para nossas
raízes, e trouxemos histórias curiosas e inspi-
08 - Presidente da Câmara afirma
que cidade tem potencial humano e
- Mercado aquecido: Bum Brinquedos
vê potencial de expansão na cidade

radoras dos “filhos de Votorantim”, pessoas econômico para crescer


da cidade que trilharam caminhos de suces-
so e fizeram a diferença em diversas áreas,
como cinema, futebol, política e literatura. 09 - Faculdade Unopar tem
21 - Política, geologia e poesia renderam
livro escrito por votorantinense
Ah, e falando em raízes, também trouxemos 07 novo endereço e deve oferecer novos
21
22
histórias da fazenda, do sítio, dos pastos, das cursos em 2019
plantações... Afinal, os produtores rurais de
- Clínica GOU Odonto oferece

10
Votorantim também fazem parte da nossa
serviços de qualidade com equipamentos
história e contribuem com o nosso futuro.
- Melhora na economia deve levar de última geração
Então, neste aniversário de Votorantim,
aperte os cintos, saboreie a leitura e se pre- votorantinenses a comemorarem
pare para o futuro!

12 e 13 12 e 13 23 - José Medina, pioneiro no cinema


Ivana Santana - Votorantim rural: pro-
dutores da cidade movimentam economia
23 nacional, deu seus primeiros passos em
Votorantim

Foco no futuro Textos e Edição Capa


Ivana Santana Ivana Santana Telefone
Edição Especial
(15) 3023-0702
Aniversário de Provocare Editora e Comunicação Ltda ME
Expediente

Votorantim 2018 Jornalista Responsável Comercial


Ivana Santana Katerina Beranger e-mail: gazetadevotorantim@gmail.com
(MTB 87.037/SP) Mônica Marsal Site: www.gazetadevotorantim.com.br

Diretora presidente Diagramação Impressão Endereço: Rua João Walter, 289 – sala 3
Mônica Marsal Wilson Roberto Grillo Jr. Mar Mar Gráfica e Editora Ltda
Centro - Votorantim/SP - CEP 18110-020

2 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 3
Próximo vice-governador de São Paulo
vê futuro promissor para Votorantim
U
Divulgação
ma vitrine para investimentos e
para o desenvolvimento econômi-
co: é assim que o deputado federal
e próximo vice-governador do es-
tado de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM) en-
xerga Votorantim. Rodrigo foi eleito este ano
Rodrigo Garcia
como vice-governador de João Dória (PSDB) acredita que cidade
e diz que sempre foi muito próximo de Vo- tem potencial
torantim, por conta de sua relação com o
prefeito, Fernando de Oliveira Souza (DEM).
para atrair novos
“Esta proximidade agora se consolida ain- investimentos
da mais. Vamos trabalhar em conjunto para
manter e ampliar as parcerias entre estado e
município, levando programas que já deram
certo na capital e valorizar cada vez mais a
população de Votorantim”, afirma Rodrigo
sobre os planos para o futuro da cidade.
O deputado ressalta que se coloca à dis-
posição para estimular cada vez mais o de-
senvolvimento de Votorantim. “É um municí-
pio que, apesar de ter pouco mais de cinco
décadas, evidencia a tradição de uma trajetó-
ria marcada pelo progresso industrial e pela
força e capacidade de seu povo”, destaca.
Líder do Democratas na Câmara Federal,
Rodrigo, de 44 anos, está em seu segundo
mandato de deputado federal. Exerceu os car-
gos de secretário da Habitação, de Desenvol-
vimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ino-
vação e de Desenvolvimento Social do Estado
de São Paulo. Além de comandar importantes
secretarias no Governo do Estado, também
já foi secretário de Modernização, Gestão e
Desburocratização da Prefeitura paulistana.
No Legislativo Paulista, foi deputado estadual
por três mandatos e presidente da Assembleia
Legislativa entre 2005 e 2007.
Conversamos com Rodrigo sobre sua re-
lação com Votorantim e sobre como ele acre-
dita que a cidade pode se desenvolver cada
vez mais no futuro. Confira na íntegra: Próxima página >>>
Rodrigo Garcia

4 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


<<< continuação
Gazeta de Votorantim (GV): Como o senhor conheceu Votorantim?
Rodrigo Garcia: Por meio do atual prefeito Fernando Oliveira Souza.

GV: O senhor frequenta bastante a cidade?


Rodrigo: Tenho uma relação muito próxima com Votorantim. Aqui, sempre fui
muito bem votado e, por isso, meu compromisso com o município só aumenta.

GV: Como o senhor observa Votorantim?


Rodrigo: Vejo Votorantim como uma cidade próspera, tendo no setor indus-
trial sua mais expressiva fonte de renda.

GV: O que o senhor acha que Votorantim significa para o estado de São Paulo?
Rodrigo: Além de sua história que evidencia, a cada ano, a força e a capacida-
de de trabalho de seus moradores, Votorantim é a quarta cidade mais populo-
sa da Região Metropolitana de Sorocaba. Sua localização privilegiada a coloca
como uma vitrine para investimentos e para o desenvolvimento econômico.

GV: Como o senhor imagina que a cidade possa se desenvolver e crescer,


melhorar para o futuro?
Rodrigo: Votorantim tem o reconhecimento de estar entre as 100 melhores
cidades com mais de 100 mil habitantes para se fazer negócios, de acordo com
ranking de 2017 divulgado pela Revista Exame. Isso vem confirmar todo seu
potencial para atração de novos investimentos e crescimento.

GV: Quais são os obstáculos que o senhor enxerga para o futuro da cidade?
Como superá-los?
Rodrigo Garcia e Fernando de Oliveira Souza Rodrigo: Como em outras localidades, os impactos da retração econômica dos
Divulgação
últimos anos, em nível nacional, são sentidos mais diretamente pelos municí-
pios. Mas a superação desses entraves virá com a retomada do crescimento,
aliada à força criativa dos seus moradores.

GV: Como o senhor sempre foi próximo a Votorantim, e agora, sendo o pró-
ximo vice-governador do estado, como poderá contribuir para o futuro de
Votorantim?
Rodrigo: Esta proximidade agora se consolida ainda mais. Vamos trabalhar em
conjunto para manter e ampliar as parcerias entre estado e município, levando
programas que já deram certo na capital e valorizar cada vez mais a população
de Votorantim.

GV: O que o senhor tem a dizer para a cidade neste aniversário?


Rodrigo: Votorantim completa 55 anos de emancipação político-administrativa
em um momento especial de sua história. É um município que, apesar de ter
pouco mais de cinco décadas, evidencia a tradição de uma trajetória marcada
pelo progresso industrial e pela força e capacidade de seu povo. Aproveito este
momento para estender os meus cumprimentos aos votorantinenses, parabeni-
zar a cidade que cresce e se desenvolve com olhos voltados para o futuro e me
colocar à disposição para estimular cada vez mais seu desenvolvimento.

Rodrigo Garcia

Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 5


Filho de Votorantim

Arquivo pessoal
Turismo rural
e ambiental
pode crescer em Votorantim

P
É o que analisa o rograma Nacional de Fortalecimento Aloisio Lopes
Pereira de
da Agricultura Familiar (Pronaf); Pro-
coordenador-geral de meio grama de Aquisição de Alimentos;
Melo

ambiente e mudanças Programa Garantia-Safra, que aten-


climáticas Aloisio de população mais pobre da região do se-
miárido; criação de linhas de financiamento
Pereira de Melo, de 49 anos. Ele é engenhei- meio ambiente e outras formas de instrumen-
ro agrônomo, mestre em Desenvolvimento tos econômicos de tributação. É fazer com
Lopes Pereira de Melo, ambientais sustentáveis, como o Plano ABC, Rural, membro da carreira federal de Espe- que políticas econômicas levem em conta o
votorantinense que trabalha a Agricultura de Baixa Emissão de Carbono: cialista em Políticas Públicas e Gestão Go- meio ambiente, mais ou menos isso”.
você sabe o que esses projetos do Governo vernamental e atua hoje no Ministério da Fa-
no governo federal Federal têm em comum? Todos tiveram a zenda, na área de políticas ambientais, como Meio ambiente em Votorantim
participação do votorantinense Aloisio Lopes coordenador-geral de Meio Ambiente e Mu- Atualmente, Aloisio mora em Brasília.
Sandro Candido / colaboração
danças Climáticas, em um cargo concursado. Porém, ele ainda tem familiares e contato
Aloisio nasceu e morou em Votorantim, com Votorantim. Atuante da área de meio
na Rua Paula Ney, no Centro. Se formou em ambiente, ele comenta sobre o setor na cida-
engenharia agronômica na Escola Superior de: “Votorantim tem áreas verdes, áreas de
de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP), conservação, e por outro lado também tem
em Piracicaba. “Quando saí de Piracicaba, fui indústrias. Nem sempre isso foi bem geren-
trabalhar no Pará, onde fiquei quatro anos. ciado, mas hoje essa gestão das áreas verdes
Depois fui para o Rio de Janeiro e lá fiz mes- está bem melhor”.
trado. De lá, vim para Brasília, onde traba- Aloisio analisa que a cidade tem potencial
lhei primeiramente como consultor por três de crescimento no setor. “Votorantim ainda
anos, na área de agricultura e meio ambiente. tem potencial de fazer melhor, no sentido
Aqui em Brasília, prestei concurso para o Mi- de estimular o turismo sustentável em áreas
nistério do Planejamento. Trabalhei primei- verdes públicas e privadas, pois tem fazen-
ro no Ministério que cuidava de agricultura das, tem a represa... Tem potencial para de-
familiar, depois no Conselho de Segurança senvolver, estruturar e profissionalizar o tu-
Alimentar e depois fui para o Ministério da rismo, tanto rural quanto ambiental. E acho
Fazenda”, conta Aloisio. que tem uma demanda, tem muita gente que
Atualmente, ele atua em um setor que quer e que gosta de manter contato com a
mescla economia e meio ambiente, integran- natureza, e isso tem potencial de gerar ati-
do assuntos econômicos e ambientais: “eu vidade, renda, emprego, além de melhorar
faço avaliação e formulação de políticas e pro- a qualidade ambiental e de preservação das
gramas do governo federal. São instrumentos áreas. Votorantim está em uma região que
econômicos para políticas ambientais. Tem tem paisagens muito bonitas, que podem ser
Turismo sustentável tem potencial em Votorantim a ver com questões e financiamentos para o melhor aproveitadas nesse sentido”, conclui.

6 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Cid ad e No aniversário de Votorantim, o prefeito Fernando de
Oliveira Souza destaca as tradições da cidade e fala

a,
sobre as expectativas para o futuro

m od ern V
otorantim se prepara para avançar não deixa de mostrar a sua força. Prova
para novos patamares: é o que afir- disso é que em 2017 Votorantim entrou,
ma o prefeito Fernando de Oliveira pela primeira vez na sua história, para o
Souza (DEM). No aniversário da ranking das 100 melhores cidades para se
cidade, conversamos com o prefeito sobre fazer negócios. O levantamento, publica-
as expectativas para o futuro. Inovar nos ca- do pela Revista Exame, apontou a cidade

ba ndo nou minhos e buscar soluções é o que Fernando na 21ª posição em desenvolvimento eco-

a
analisa que deve alicerçar a cidade, para que nômico em todo o país, um desempenho

s que não s
gere cada vez mais oportunidades. superior ao das cidades da Região Metro-

ma s histórico
Além disso, Fernando destaca que ano politana de Sorocaba.

eito
passado a cidade entrou para o ranking

seus conc das cem melhores cidades para se fazer


negócios, apontada na 21ª posição em de-
senvolvimento econômico em todo o país:
GV: Quais são os obstáculos para o
futuro da cidade? Como superá-los?
Fernando: Como apontado anterior-
“Votorantim está entre os 27 municípios que mente, o maior obstáculo são os impac-
Divulgação compõem a Região Metropolitana de Soro- tos da crise econômica que afeta direta-
caba, considerada uma das mais urbaniza- mente os municípios brasileiros. E, para
das e ricas regiões do estado de São Paulo e supera-los, é preciso rigor e principal-
sua localização privilegiada, aliada à sua his- mente austeridade para atingir o equilí-
tória de progresso e de desenvolvimento, a brio fiscal. Importante destacar nesse
coloca em destaque dentro da região”. contexto a busca por parcerias e apoios
Mas ao olhar para o futuro, também é e, nesse sentido, o apoio do Legislativo
preciso lembrar do passado. Por isso, o pre- é fundamental para avançarmos em nos-
feito ressalta que a cidade tem forte ligação sas ações. Outra questão essencial é des-
com sua história. “Votorantim mantém a tra- tacar que nossas ações constituem parte
dição dos filhos desta terra e resgata a sua da contribuição dada à cidade, mas cons-
história dia após dia, numa trajetória de lutas truir o futuro e superar os obstáculos não
e de conquistas”, diz. Ele ainda afirma que a constitui uma tarefa isolada de uma ad-
cidade se projeta para o futuro sem abando- ministração, mas sim um compromisso a
nar os conceitos de sua história: “vejo nosso ser abraçado por todos os que querem o
município, a cada dia que passa, mais conec- bem do município.
tado com o novo, com o moderno mas, ao
mesmo tempo, um lugar especial no mundo GV: Como o senhor está colaborando
que não abandonou os conceitos edificantes para o futuro da cidade?
que nos permitiram chegar até aqui e que Fernando: Com muito trabalho e de-
nos mantêm firmes na busca pelo bem co- dicação. Mas, acima de tudo, é preciso
mum e por mais qualidade de vida”. lembrar com justiça que muitos, a seu
Nascido em Votorantim, Fernando tem tempo e a seu modo, deram grandes
47 anos e é formado em administração de contribuições para Votorantim. Nossa
empresas. Ele é filho do ex-prefeito Zeca missão é consolidar os avanços em dire-
Padeiro e foi vereador por dois mandatos na ção a uma cidade alicerçada para gerar
cidade, eleito em 2005 e reeleito em 2008. oportunidades e é para isso que nos de-
dicamos, com olhos voltados para o futu-
Confira na íntegra a entrevista ro, em uma busca constante para inovar
com o prefeito: nos caminhos e buscar soluções, tratan-
do a todos com igualdade e respeito.
Gazeta de Votorantim (GV): Como o se-
nhor observa Votorantim hoje? GV: O que o senhor acha que Voto-
Fernando de Oliveira Souza: Nossa ci- rantim significa para a região? Como me-
dade avança, ano após ano, a novos pata- lhorar ainda mais isso?
mares, em que pesem nos últimos anos os Fernando: Votorantim está entre os
reflexos da retração econômica que o país 27 municípios que compõem a Região
experimenta e que impactam, diretamente, Metropolitana de Sorocaba, considerada
na receita dos municípios brasileiros. Apesar uma das mais urbanizadas e ricas regiões
deste contexto, ao completar 55 anos de do estado de São Paulo e sua localização
sua emancipação político-administrativa, Vo- privilegiada, aliada à sua história de pro-
torantim mantém a tradição dos filhos desta gresso e de desenvolvimento, a coloca
terra e resgata a sua história dia após dia, em destaque dentro da região. Além do
numa trajetória de lutas e de conquistas. exemplo citado anteriormente, quando
entrou para o ranking das cem melhores
GV: Como o senhor vê a cidade no futuro? cidades para investimentos, em 2017, Vo-
Fernando: Em uma visão de conjunto e torantim atingiu, segundo o mesmo es-
de futuro, vejo uma cidade preparada para tudo, a 21ª posição em desenvolvimento
gerar as mais amplas oportunidades, um econômico e 24ª em infraestrutura. São si-
município planejado para dar longevidade nais positivos mesmo em meio à crise eco-
ao seu ciclo positivo de crescimento, viven- nômica o que nos projeta, com otimismo,
ciado desde a sua criação. Vejo com muito um campo favorável para o crescimento,
otimismo a trajetória da nossa querida Voto- seja nas áreas da indústria, do comércio,
rantim, vejo nosso município, a cada dia que bem como na prestação de serviços.
passa, mais conectado com o novo, com o
moderno mas, ao mesmo tempo, um lugar GV: O que o senhor tem a dizer para a
especial no mundo que não abandonou os cidade neste aniversário?
conceitos edificantes que nos permitiram Fernando: Nesta semana de resgate
chegar até aqui e que nos mantêm firmes na histórico, em que comemoramos os 55
busca pelo bem comum e por mais qualida- anos de emancipação político-adminis-
de de vida. trativa de nossa querida Votorantim, pa-
rabenizo nossa terra e nossa gente e con-
GV: Como a cidade está se preparando clamo à união, neste grandioso esforço
para o futuro? Como a cidade pode se desen- para buscar sempre o melhor para nossa
volver e crescer? cidade, consolidando os avanços e go-
Fernando: Com planejamento, nossa vernando para todos, pois acredito que é
cidade se prepara para avançar a novos pa- com união que renovamos os nossos vo-
tamares. Enquanto aguarda um novo ciclo tos e reafirmamos o nosso Sim para este
Prefeito Fernando de a projetar perspectivas mais positivas aos lugar maravilhoso que escolhemos para
Oliveira Souza diversos setores da economia, o município viver em família e criar nossos filhos.
Fernando de Oliveira Souza

Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 7


Cidade presidente da Câmara afirma
que Votorantim tem potencial
promissora: humano e econômico para crescer

“Votorantim é uma cidade promissora. governantes, de modo geral, terão que eco- Bruno destaca que, em sua experiência
Tem tudo para crescer ainda mais”, é o que nomizar ao máximo, gerenciando o dinheiro na presidência, conheceu de perto a gestão
afirma o presidente da Câmara Municipal, público com probidade e mais criatividade nas financeira da cidade. “A experiência que ad-
Bruno Martins (sem partido). Bruno esteve ações – grandes ou pequenas – que tragam re- quiri será usada por mim nos próximos anos
à frente da Câmara nos dois últimos anos. sultados importantes à população”. como vereador, principalmente, na organiza-
Questionado sobre como vê Votorantim ção do nosso atendimento ao público no ga-
no futuro, Bruno disse que acredita muito Carreira política binete e na tramitação dos pedidos por meio

Divulgação
na cidade e nos munícipes. “Aqui tem mui- Bruno iniciou sua carreira política em 1996, de requerimentos, indicações e ofícios en-
to potencial humano e econômico. Vejo incentivado pelo pai e pelo avô, que sempre caminhados à Prefeitura para atender a de-
uma cidade precisando crescer e gerar ren- estiveram ligados à vida pública. Orlando Mi- manda que vem da população, agindo, assim,
da para o seu povo. Se analisarmos que Vo- moso Martins, seu avô, falecido em 2010, foi com muito mais responsabilidade, agilidade a
torantim completa 55 anos de emancipa- juiz de paz na cidade por 35 anos, e teve forte assertividade”, destaca.
ção e tem 53 anos de instalação, podemos ligação com o esporte e a política local. “Eu quero dizer a todos os votorantinenses
afirmar que temos maior desenvolvimento Aos 37 anos e reeleito para o terceiro man- que sempre lutarei pelo interesse coletivo,
do que muitas cidades que compõem a Re- dato com 1.471 votos em 2016, Bruno Martins pelo conforto do nosso povo e pelo
gião Metropolitana de Sorocaba (RMS) e foi conduzido ao cargo de presidente da Câ- desenvolvimento da nossa querida
que já têm mais de 100 anos”, analisa. mara em eleição ocorrida em janeiro de 2017, Votorantim. Afinal, amo Voto-
Porém, Bruno destaca que ainda per- e ocupa a presidência no período legislativo rantim e sei que Votorantim
cebe na cidade a forte influência nega- de 2017/2018. Bruno frisa que sempre traba- ama quem a quer bem e a
tiva devido à crise financeira que ainda lhou por um atendimento mais humano na defende seja qual for a
assola o País. “Por isso, precisamos unir administração pública e na política. Nascido circunstância”, conclui.
as forças para prosseguir na missão con- em Votorantim, conhece bem os problemas
tínua de preparar a cidade para o futuro. do município e estuda com
Nossa arrecadação atual não nos permite afinco as melhores
ousar e colocar, de verdade, Votorantim soluções para o
no trilho do futuro. Precisamos de mais bem comum.
investimentos na saúde e infraestrutura
de modo geral, que contemple as áreas
urbanas e rurais. À medida que a cidade
cresce, a demanda aumenta. É natural,
mas a Administração Pública precisa estar
atenta”, ressalta.
Como solução para os obstáculos, Bru-
no afirma que é preciso que a gestão pú-
blica tenha criatividade: “na crise que ain-
da estamos enfrentando, e conhecendo de
Bruno Martins
perto o nosso orçamento público munici-
pal, a experiência que fica é que os nossos

8 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Ivana Santana

Expandindo os horizontes:
Unopar está de casa
nova e oferece novos cursos
Unopar hoje tem 1.400 alunos, em mais de 30 O profissional, estudando, vai estar no mer-
Com preços acessíveis, faculdade cursos de graduação e 100 de pós-graduação, cado de trabalho muito melhor colocado. A
deve oferecer mais 15 cursos com mensalidades a partir de R$ 159,00, já
com o material incluso. Mais de 800 alunos
nossa ideia é sempre trazer educação com
preço acessível e com qualidade. E nós que-
em 2019, como engenharia, já se formaram na unidade de Votorantim. remos mostrar para a cidade que não é por
enfermagem, nutrição e fisioterapia Mas a Unopar da cidade não pretende parar ser a primeira faculdade de Votorantim que
por aí: no mês passado, a primeira faculdade nós estamos parados. A gente sempre está
de Votorantim mudou para um novo prédio, se movimentando, tentando crescer e abrin-
com oito mil metros quadrados, total acessi- do novos caminhos, visando novos horizon- Marco Mesadri
“Se você quer falar de futuro, você veio bilidade, 16 salas de aula, laboratórios moder- tes”, afirma o diretor.
ao lugar certo!”, afirma o diretor e proprietá- nos, estacionamento, cantina e biblioteca. “Além dos cursos que nós já temos, nós Também queremos trazer para a cidade cur-
rio da Unopar de Votorantim, Marco Aurélio O novo prédio fica na Avenida Luiz do Pa- vamos lançar a área premium. Estamos mon- sos profissionalizantes, cursos técnicos, além
Mesadri. “O nosso futuro é investir cada vez trocino Fernandes, 890, Rio Acima. A mudan- tando laboratórios avançados para oferecer- da graduação e pós-graduação que temos
mais na cidade e trazer mais oportunidades ça de local faz parte dos planos de expansão mos cursos de todas as engenharias, enfer- hoje. Vamos, no ano que vem, abrir todo esse
para os cidadãos votorantinenses”, desta- da Unopar. “A nossa educação de qualidade magem, nutrição, fisioterapia... Serão mais leque. O ano de 2019 promete abordar todas
ca. Há 11 anos em Votorantim, a Faculdade impacta diretamente no futuro da cidade. 15 cursos de graduação, os cursos premium. essas áreas”, explica Marco.
A Unopar de Votorantim oferece cursos
semipresenciais e a distância, o EAD. O dire-
tor afirma que a grande jogada da faculdade
são justamente os cursos semipresenciais,
que permitem uma liberdade maior para o
aluno estudar, mas ainda fazem com que ele
tenha vínculos com o espaço físico da facul-
dade. Na Unopar de Votorantim, os alunos
podem usufruir de diversos benefícios no lo-
cal, como computadores e biblioteca.
“A Unopar hoje abrange 980 cidades no

Divulgação
país, com mais de um milhão e meio de alunos.
Nos cursos semipresenciais, dentro da sala
de aula, tem um tutor, que é formado e pós-
-graduado na área. Então todas as dúvidas que
o aluno tem, ele tira na hora. Se ele está as-
sistindo uma aula ao vivo, em tempo real, ele
pode fazer perguntas e o professor já respon-
de. O semipresencial tem uma estrutura com
ótimos profissionais, material de qualidade e
preço acessível”, destaca o diretor.
Fachada da nova sede

Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 9


Futuro da cidade
deve ser doce!
Para o futuro, Michele acredita que a eco- são os bolos a pronta entrega. “Você não pre-
nomia da cidade deva melhorar, e isso deve cisa encomendar com antecedência, é só pas-
impactar diretamente nas vendas da Sodiê: sar na loja e pegar quando precisar, para uma
“esperamos que a economia melhore, para festa, comemoração, ou sobremesa”, explica.
que todos nós possamos viver melhor, com “Hoje contamos com uma linha completa
maior qualidade de vida. Comemorar as ale- de bolos, doces e salgados para festas, além
grias da vida deve ser uma atitude constante de salgados unitários para serem apreciados
Doces de Votorantim, Michele Rosa Gouveia e a Sodiê quer estar presente nesses momen- na loja e um delicioso café da Nescafé. A So-
Carriel, de 38 anos. A Sodiê de Votorantim tos especiais”, destaca. diê preza pela qualidade, então trabalhamos
Proprietária da Sodiê Doces de Votorantim existe há mais de 11 anos, e Michele acredita E a economia de Votorantim tem sido movi- exclusivamente com produtos Nestlé”, des-
acredita que melhoria na economia que o potencial da cidade tem crescido. Em mentada ano após ano pela Sodiê, que se pre- taca Michele. Ela ainda conta que o campeão
deve levar pessoas a celebrarem mais e consequência disso, ela afirma que os vo- ocupa em contratar profissionais da cidade. “A de vendas é o bolo Aerado: “ele é macio e
torantinenses devem comemorar cada vez maioria dos nossos funcionários moram em Vo- saboroso, uma delícia. Já vendemos meia to-
consumirem mais bolos da empresa mais, e os doces da Sodiê devem estar presen- torantim. Acreditamos que as pessoas que aqui nelada desse sabor em apenas um mês”.
tes nas ocasiões especiais. residem têm uma qualidade de vida melhor No aniversário da cidade, a proprietária


“Vemos a cada dia nossa cidade um pouco por trabalhar próximo a sua casa. E queremos deixa ainda um recado para os cidadãos vo-
Quando estamos engajados em uma melhor, grandes empresas apostando na cidade prestigiar a cidade, temos pessoas muito com- torantinenses: “Votorantim, povo de garra,
economia melhor, o ambiente fica e grandes condomínios. Antigamente Votoran- petentes que residem aqui”, afirma. fiel e gentil, que trabalha com determinação,
melhor para todos: temos melhores tim era mais uma cidade dormitório, mas esse Michele conta que decidiu abrir a franquia dia a dia acreditando em um futuro melhor
salários, mais consumo, mais festas cenário mudou: hoje as pessoas consomem em em Votorantim ao observar que muitos co- para toda a cidade. Parabéns! E continuem
e alegrias e muito mais bolo Sodiê”, analisa Votorantim, temos boas lojas, bons restauran- mércios prosperavam na cidade: “o votoran- acreditando e trabalhando, pois o que plan-
a gerente geral e sócia-proprietária da Sodiê tes e lugares agradáveis para ir”, pondera. tinense é um cliente fiel”. O diferencial da loja tamos hoje, colheremos no futuro”, conclui.
Ivana Santana

Fachada da Sodiê Doces Opções a pronta entrega é o diferencial

10 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 11
Filho de Votorantim Filho de Votorantim

Votorantim rural:

Ivana Santana
P
subsistência, por meio da agricultura, da
rodução rural: a área não é o se- pecuária, da silvicultura, do extrativismo
tor econômico que vem primeiro sustentável, da aquicultura, além de ativi-
a mente quando se trata de Voto- dades não-agrícolas, respeitada a função

os produtores que movimentam


rantim. A cidade tem forte liga- social da terra”.
ção com indústria, comércio e prestação Em Votorantim, os produtores rurais
de serviços, setores que movimentam abordam diferentes atividades, prin-
boa parte da economia do município. Po- cipalmente da agricultura e pecuária.

a economia local
rém, dos 184 km² de área de Votorantim, Nós percorremos alguns bairros da ci-
100 km² são de área rural, segundo dados dade, onde a área rural é mais extensa,
da Prefeitura Municipal. Produtor rural e conversamos com alguns produtores
é uma “pessoa física ou jurídica que ex- rurais do município. Conheça um pouco
plora a terra, com fins econômicos ou de mais sobre suas histórias e atividades:

Os 100 km² de área rural da cidade abrigam produtores rurais diversos que lidam com diferentes culturas, como gado, plantações e apicultura

Jorge Silva

20 anos na
Ivana Santana

Da nossa
lida com bois terra direto
Valdir Dias da Silva, de 52 anos, trabalha com pecuária em
Votorantim, no bairro Capoavinha. Os 70 animais, que ele
vende como gados de corte, ficam em área de oito alquei-
para a Europa
res. Valdir compra os bois, engorda e vende quando eles
têm cerca de dois anos de idade. Ele trabalha com as raças Gilberto Dias Cândido, de 39 anos, administra uma pro-
nelore e girolando. A rotatividade é grande: Valdir afirma priedade de 80 alqueires no bairro Karafá, na qual planta
que vende cerca de 50 cabeças de gado por mês para frigo- soja, milho e feijão. Só de área plantada são 35 alqueires.
ríficos de cidades do interior de São Paulo, como Boituva “Temos duas plantações no ano: uma em janeiro e uma
e Tietê. Nos meses de julho e agosto as vendas são mais em agosto”, explica. E os resultados são bons: a colheita
aquecidas e os números sobem. Em Votorantim, o produtor rende cerca de mil toneladas por ano. Os produtos são
trabalha com isso há mais de 20 anos, sozinho: ele mesmo exportados para países da Europa.
cuida de todos os animais. “É um trabalho pesado. Tem que
fazer porque gosta, se não, você não faz”, afirma.

Ivana Santana

Cada vaca
Ivana Santana

Plantação e tem seu nome


beneficiamento Os irmãos Jadilson Andreota, de 50 anos, e Luiz Andreota, de 55 anos, são proprietários
de dez vacas leiteiras – todas com nomes, como a Pintada – que ficam em três alqueires
Sandro Maia, de 41 anos, administra o beneficiamento de grãos, como no bairro Capoavinha. “O negócio é uma herança de família, mas já foi maior: tínhamos
milho, soja e feijão, no bairro Capoavinha, em Votorantim, em um local com mais de 100 vacas e 20 alqueires. Mas quando nosso pai faleceu, vedemos uma parte”,
capacidade de armazenamento de 60 mil sacos. A empresa familiar tem conta Luiz. Ele ainda lembra que a família já plantou arroz, feijão e milho na cidade. “Mas
cinco unidades de beneficiamento e plantações no interior de São Paulo. Em com a expansão da cidade, perdemos um pouco a área rural e ficamos só com as vacas.
Votorantim, próximo ao local onde beneficiam os grãos, a empresa também A cidade sufocou a gente”, desabafa. Hoje, Jadilson conta que somente ele e o irmão
planta milho e soja. Eles também fabricam ração de cachorro, cavalo e peixe, trabalham no local: eles começam a retirar o leite às 5h da manhã, e conseguem cerca de
além de produzirem adubo com os resíduos do beneficiamento. “Nós vende- 50 litros por dia, que vendem para Votorantim e Sorocaba, para lugares que produzem
mos em lojas próprias, em toda a região. E também exportamos os produtos queijo. “O trabalho é duro. Mas eu nasci no meio disso. É melhor do que ser empregado
para países como Japão e Estados Unidos”, conta Sandro. ou trabalhar na cidade”, afirma Jadilson.

Orgânicos empregam
Jorge Silva Jorge Silva

Cultivando
40 pessoas doçura
Danilo Nagy Horti, de 24 anos, é o engenheiro agrônomo encarregado de
campo de uma propriedade que produz produtos orgânicos, no bairro Karafá, Luiz Antônio da Silva, de 64 anos, é apicultor no bairro
em Votorantim. No local são cultivados mais de 20 tipos de produtos, como Cubatão. Ele cria abelhas há 30 anos e já chegou a ter
verduras, frutas e legumes: alface, couve, cenoura, batata, tomate, brócolis 60 colmeias, das quais retirava mais de 500 kg de mel
e morango são algumas culturas existentes na propriedade. Semeio, viveiro, silvestre por ano, que vendia em Votorantim. Mas,
transplante, trato cultural, colheita, lavagem, higienização, embalagem: todo o por alguns anos, Luiz teve que parar com a atividade.
processo é feito no local, que emprega 40 pessoas, todas de Votorantim. Além “Teve uma época que eu tive muito roubo e destruição.
das culturas ao ar livre, também existem produtos nas estufas. “As hortas exis- Os vândalos roubavam o mel e queimavam minhas
tem aqui há cerca de dez anos. Só de área plantada, temos aqui dez hectares. abelhas”, conta. Há apenas dois anos Luiz voltou com
A colheita é feita todos os dias”, explica Danilo. Os produtos são vendidos com a criação de abelhas, e, atualmente, está na fase de au-
marca própria, no estado de São Paulo. Mas não deve parar por aí, pois Danilo mentar enxame. “Hoje eu tenho 12 colmeias. Mas esse
afirma que há planos para a expansão das vendas, que deve acontecer em Mi- número deve crescer. E ano que vem eu devo começar
nas Gerais e até no exterior: “a tendência é sempre crescer. O mercado está em a produzir mel e voltar a vender”, afirma.
crescimento e expansão. Dos últimos cinco anos pra cá, já cresceu muito”.

12 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 13


‘ Marvada Pinga ’

Reprodução/internet
é votorantinense!
“Com a ‘marvada’ pinga / É que eu me ‘atrapaio’ / Eu entro como a cidade-natal de Laureano. Segundo o Núcleo Histó-
na venda e já dou meu ‘taio’ / Pego no copo e dali ‘num’ saio rico de Bauru, que guarda acervo do músico, desde pequeno Ochelsis
Aguiar
/ Ali ‘memo’ eu bebo / Ali ‘memo’ eu caio”. Os versos são de ele já tocava viola e fazia repentes e canções sertanejas. Laureano
uma das músicas mais famosas entre os amantes da moda de O músico se revelou um legítimo representante da cultura
viola, a “Moda da Pinga”, que foi gravada e regravada por di- regional local com seu sotaque linguístico e musical, presen-
versos intérpretes, como Inezita Barroso, Raul Torres, As Gal- te em suas muitas composições caipiras, que resultaram em
vão, Passoca e Pena Branca e Xavantinho. Mas a composição mais de cem gravações. Laureano foi um dos mais destacados
da música foi feita na década de 30, por um votorantinense: o compositores da música caipira de raiz no início do século XX:
violeiro, compositor e cantor Ochelsis Aguiar Laureano. fez parte das Caravanas de Cornélio Pires nos anos 30 e atuou
Laureano nasceu em maio de 1909, no Rio Acima, nas ter-
ras de seus avós, onde morou parte da vida. Hoje a região per-
tence a Votorantim, mas, na época de seu nascimento, a
cidade ainda era distrito de Sorocaba. Por isso, a respec-

rnet
tiva cidade costuma ser mencionada em algumas

ção/inte
biografias

u
Reprod
em progra-
mas de rádio e Inezita
shows artísticos Barroso
entre o final dos
anos 20 e os anos
50, tendo brilha- “Laureano e Mariano” e “Laureano e Cap. Furtado”. Também
do como com- participou dos trios “Laureano, Mariano e Serrinha”, “Laure-
positor, violeiro e ano, Cap. Furtado e Nhá Zefa” e do “Quarteto da Saudade”,
intérprete musical. com Serrinha, Mariano e Arnaldo Meirelles.
Laureano partici- Como compositor, sua criatividade múltipla se destacava:
pou de diversas duplas ele compôs músicas caipiras, poesias e músicas sacras. Laure-
musicais, com as quais gra- ano escreveu poemas como “Capim Teimoso”, “Lenço Preto”
Moda de viola que ficou vou inúmeras músicas. Sua pri- e “O Barranco”. Entre suas composições musicais, além de
famosa na voz de Inezita meira dupla foi “Laureano e Soares”,
na qual ele cantava com seu cunhado Álvaro Soares, o
“Moda da Pinga”, tem como sucessos “Roseira branca”, “O
Balão Subiu”, “A Caçada”, “É Mió num Casá” e “Meu Sertão”.
Barroso foi composta por Soarinho. A dupla caipira foi uma das pioneiras, logo após Laureano também foi amigo pessoal e aluno do maestro
músico de Votorantim a Turma Caipira de Cornélio Pires, da qual também chega- Heitor Villa-Lobos. O músico ainda lecionou em várias cidades
ram a fazer parte. “Laureano e Soares” chegaram a gravar e instituições. Após se tornar evangélico, viajou pelo país en-
14 discos 78 rpm, mas a dupla foi desfeita no final dos anos saiando corais de diversas igrejas. Laureano faleceu em 1996,
30. Outras duplas das quais participou foi “Irmãos Laureano”, aos 86 anos.

14 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 15
Pelé de Votorantim:
Panathlon Club

José Carlos Metidieri e sua história no futebol


nessa terra, o Pelé sou eu”, afirma Metidieri, dos. E para jogar aqui eu trouxe mais pesso-
Ex-jogador atuou nos que também já jogou na Itália e no Canadá. as de Votorantim. Na época eu era um dos
EUA, Canadá e Itália, Mas o primeiro palco para os gols de Me- melhores do time, e me perguntaram se eu
mas afirma que sua tidieri foi Votorantim, onde ele começou a
jogar bola ainda criança. “No Brasil a gente
não conhecia alguém. Eu falei que eu tinha
amigos no Brasil. Eu trouxe uns seis ou sete.
base de aprendizado começa a jogar futebol quando começa a an- E aí esparramou Votorantim, ficou cheio de
foi Votorantim dar”, brinca. O ex-jogador nasceu e cresceu votorantinense aqui”, conta.
no bairro Vila Dominguinho. “Votorantim é a Hoje, o ex-jogador diz sentir saudade de


raiz de todo negócio. Aí eu comecei. Aí eu fui Votorantim. “Eu moro aqui nos EUA, mas eu
Votorantim é igual uma doença: você aprendendo. Tudo que eu tenho é por causa nunca esqueço da terrinha. Estou sempre em
não tira do coração. Eu sofro estando de Votorantim”, conta. Votorantim, a cada dois ou três meses vou
distante. Todo dia quando eu acordo Aos 16 anos, Metidieri jogava em Alumí- para a cidade. Toda a minha família está em
a primeira coisa que eu penso é em nio quando foi descoberto por um olheiro. Votorantim. Eu sou o único que está fora de
Votorantim”. O ex-jogador de futebol José “Eu estava jogando um amistoso contra os casa”, afirma.
Carlos Metidieri, de 75 anos, se emociona ao veteranos do Palmeiras. Entre eles estava o E a cidade reconhece seu filho: em março,
falar da cidade. Hoje ele mora em Arizona, Oberdan Cattani, que era o goleiro. E eu fiz Metidieri foi homenageado pelo Panathlon
nos Estados Unidos, país no qual jogou pro- dois gols nele. No dia seguinte ele me colo- Club de Votorantim e recebeu o Troféu Fioti, José Carlos Metidieri recebeu o Troféu Fioti
fissionalmente em clubes como Boston Ro- cou em um trem e me levou para o Palmeiras. em um evento que celebrou os destaques es-
vers, Los Angeles Wolves, Rochester Lancers Ele falou que não ia ficar ali não, porque eu portivos da cidade. “Foi um orgulho, um pra- Votorantim tinha cinco mil habitantes. Agora
e Buffalo Stallions. Nos EUA ele também foi era muito bom”, lembra. Após um período no zer imenso receber esse prêmio. Eu nunca é uma cidade grande. Eu andava na Avenida
artilheiro da liga nacional em 1970 e 1971, ten- time, Metidieri foi convidado para jogar no tinha pensado em uma coisa dessa que fosse e conhecia todo mundo. Entrava no bar de
do sido nomeado como o atleta mais valioso Napoli, na Itália. Após um ano no país, ele foi acontecer em Votorantim. Eu fiquei muito um, de outro. Agora eu ando e não conheço
da competição. “Nos EUA eu sou o único que para o Toronto FC, no Canadá, onde ficou por grato”, destaca. mais ninguém. Votorantim se desenvolveu”,
ganhou dois anos seguidos como artilheiro e oito anos e, inclusive, levou votorantinense No aniversário de Votorantim, ele diz que afirma, emocionado ao pensar no passado.
melhor jogador do ano. Até hoje ninguém ba- para jogarem. agradece de coração a cidade que o propor- “A emoção mexe com a gente. É saudade de-
teu esse recorde. Nem o Pelé conseguiu. Aqui “Do Canadá, eu vim para os Estado Uni- cionou tudo que tem. “Quando eu saí daí, mais dessa cidade”, conclui.
Panathlon Club Acervo João dos Santos Júnior

José Carlos Metidieri, Júlio César de Souza Martins (presidente do Panathlon Club de Votorantim), Pedro Souza Metidieri F. C. década de 50 - em pé da esq. p/ dir. - Pelão, Mário Pigmeu, Álvaro, Nino Galli, Ede, Tião e Máximo. Abaixa-
(presidente do Panathlon Brasil) e Marlene Dias Metidieri (Panathleta) dos na mesma ordem - Ayr, Bertinho, Dércio, Ramonica, Sílvio, Zé Carlos Metidieri, Gilson e o massagista Antônio Cé.

16 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Surgimento do Distrito de Votorantim
e a posterior Emancipação
Cesar Silva sença de bandeirantes e tropeiros, surgiu
(colaboração) como um vilarejo permanecendo por cerca

O
de trezentos anos, com o passar do tempo
momento do maior surgimento ganhou a condição de bairro de Sorocaba,
de municípios do Brasil ocorreu município este que atualmente é sede da
nas décadas de 50 e 60, confor- quarta região administrativa do Estado de
me estudo do IBGE (Instituto São Paulo. Houve a elevação à condição de
Brasileiro de Geografia e Estatística) que distrito sorocabano em 1912 com a instalação
apontou como causa e efeito o sistema do Cartório de Registro Civil de Pessoas Na-
de tributos partilhados gerado pelo FPM turais, esse era um degrau rumo à autonomia
(Fundo de Participação dos Municípios), a que viria a ser conquistada por Votorantim,
partir de sua criação pela constituição na- 51 anos depois.
cional de 1946. As cotas eram iguais para Logo após Votorantim se tornar um dis-
todos os municípios, não havia distinção e trito de Sorocaba começou a receber algu-
por isso os governos de estados incentiva- mas empresas de porte considerável, vindo
vam a criação e formação de novas cida- a ser conhecida como um distrito industrial.
des, com o interesse claro de atrair mais Era um período que gerava muitos empregos
recursos da União. e por não serem absorvidos em sua totali-
Mas se por um lado uma maior quan- dade pelos próprios moradores do distrito,
tidade de municípios poderia trazer mais necessitava atrair a mão de obra de pessoas
recursos para determinado Estado, não que residiam em cidades vizinhas e de outras
existia clareza dentro de um movimento partes do Estado. A migração começou a
emancipacionista, quanto a estabelecer acontecer por que a notícia se espalhou para
normas e critérios que pudessem ser se- muitos lugares, onde ouviam dizer que ali ha-
guidos à risca para atestar as condições via grande número de empregos disponíveis.
plenas para o desenvolvimento pós-des- As empresas de maior destaque eram
membramento, como viabilidade socio- uma de tecidos (Indústria Votorantim), uma
ambiental e urbana, o registro de bens e de papel celofane (Indústria Votocel) e ou-
valores culturais de importância à comu- tra cimenteira (Indústria Votoran), todas es-
nidade, sem contar essencialmente os sas que posteriormente viriam contribuir na
fatores econômicos, já que antes mesmo formação do Grupo Votorantim, mantinham
da instalação do município deveria mos- vilas operárias em torno de suas plantas para
trar que era possível garantir a arrecada- acomodar os trabalhadores e suas famílias.
ção suficiente visando fazer frente aos Mas se Votorantim assumia a condição de
desafios da nova administração, como distrito e passava a gerar grande quantidade
manutenção, fortalecimento e implanta- de impostos mediante a presença de suas
ção de ações. indústrias, passou a conviver com a reclama-
Foi nesse mesmo período, que surgiu ção de moradores das vilas operárias quanto
uma agitação popular, ganhando força e ao descaso do Executivo sorocabano, que Avenida Reverendo José Manoel da Conceição, em 1962
culminando numa campanha que incenti- não revertia o que arrecadava em seus co-
vava a comunidade a conhecer os pontos fres em melhorias ao distrito, como serviços cia das fábricas, sem contar que lazer e en- formação e emancipação de distritos
favoráveis, em caso de emancipação do e atendimento público. Fábricas como a de tretenimento em eventos populares também em nível nacional tinham como referên-
então distrito de Votorantim da cidade tecidos Votorantim, que era a maior de to- eram bancados pelas empresas locais. cia a chamada “lei quinquenal” que foi
de Sorocaba. Apesar da movimentação das, mostrava-se solidária com a população O movimento pela emancipação só veio instituída a partir da constituição brasi-
intensa em todos os estados pelo in- no seu entorno e fazia a manutenção dos a ganhar corpo quando começou a existir um leira, apontando que os distritos pode-
centivo da criação de novos municípios, passeios públicos, que para muitos era mais sentimento coletivo que inspirou a luta pela riam buscar o desmembramento, desde
Votorantim que viveu a mesma época, um motivo para acomodação de Sorocaba. causa. Naquele período a população local, que atendesse aos parâmetros estabe-
tinha particularidades que justificavam Chegou certo momento que as empresas que não ultrapassava a 15 mil pessoas, não lecidos em lei, por meio de aprovação
seu desmembramento, independente do instaladas no distrito passaram a cuidar de se sentia atendida e valorizada pela adminis- da Assembléia Legislativa do respectivo
interesse de representantes de outros quase tudo, desde limpeza, fornecimento de tração sorocabana. No início dos anos 60, a estado.
entes federativos, mas que garantiam a água, assistência médica com a construção Câmara de Sorocaba tinha 21 vereadores, dos Essa lei era conhecida como “quin-
certeza de sua manutenção e viabilidade de um hospital, educação com a construção quais, três representavam o distrito de Voto- quenal” por permitir que a cada cinco
econômica. de escolas e creche, assistência social das rantim e levavam suas queixas, porém não anos fossem dados permissões para
Votorantim se constituiu numa re- mais variadas com populares mantendo con- encontravam o respaldo desejado. entrar com tal pedido no Legislativo Es-
gião onde houve marca histórica da pre- tato em busca de ajuda diretamente à gerên- Naquele período, os movimentos pela tadual. Para que o mesmo fosse acata-
do, era inicialmente previsto constar as
assinaturas de cem eleitores do distrito,
para então dar sequência aos encami-
nhamentos legais.
O distrito de Votorantim foi incluído
nessa possibilidade, pois em 9 de outu-
bro de 1963, houve a autorização para a
realização de um plebiscito, onde seus
eleitores poderiam optar pela emanci-
pação, dando o voto de sim ou de não
à emancipação, decidindo sobre a possí-
vel permanência enquanto território da
cidade de Sorocaba.
No meio de tamanha agitação entre
os moradores que se organizaram para
ir democraticamente às urnas, o dia 01
de dezembro de 1963 foi marcado como
a data do plebiscito e o resultado regis-
trou vitória esmagadora, com mais de
70% dos votos favoráveis ao desmem-
bramento.
Com o resultado divulgado e as co-
memorações populares percorrendo
as ruas de vilas operárias como Chave
e Barra Funda, era momento de aguar-
dar o aval da Assembléia Legislativa de
São Paulo com o anúncio da autorização
para o primeiro pleito eleitoral.

Padre Antonio Maffei ao centro, em junho de 1960 Próxima página >>>

Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 17


Rua Albertina Nascimento em 1968 Rua do Comércio em 1964
<<< continuação

O período entre a proclamação do re-


sultado do plebiscito até a chegada da data
para a primeira eleição municipal serviu
para que Votorantim e Sorocaba pudessem
estabelecer pontos de concordância quan-
to ao uso de equipamentos e benfeitorias
(patrimônio), entre outras situações que
não poderiam deixar para depois.
Quanto aos limites territoriais, hou-
ve a participação direta do Instituto Ge-
ográfico e Geológico da Secretaria de
Agricultura do Estado, conforme a lei
estadual 8.092, tendo a missão de orga-
nizar o mapa do novo município e pro-
ceder a demarcação das divisas entre as
cidades. Votorantim foi concebida com
177 quilômetros quadrados e uma nova
demarcação dos limites territoriais viria
posteriormente apontar a cidade com
184 quilômetros quadrados.

Cesar Silva é jornalista e autor


de três livros sobre a história local
Visite a Fanpage: “Histórias da
Minha Cidade –Votorantim” Saída de operários do 1º turno da fábrica de tecidos Votorantim

18 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 19
Expansão: loja de brinquedos vê
em Votorantim potencial
para crescimento
“Quando o mercado retraiu por causa da crise, a gente
investiu. E hoje a gente está colhendo os frutos”

E
Ivana Santana
xpansão: essa é a palavra de ordem
para Carlos Alberto Claro Júnior, de
38 anos, proprietário da Bum Brin-
quedos, que tem duas unidades em
Votorantim, uma no Parque Bela Vista, na
Avenida Matheus Conegero, e uma no Jar-
dim Icatu, na Avenida São João. “Quando a
empresa começou, nossa primeira loja tinha
15 metros quadrados. E ela foi crescendo
com o tempo. Hoje temos dois espaços em
Votorantim, sendo um deles com 600 metros
quadrados”, destaca o proprietário.
E a expansão não deve parar por aí, pois
a empresa já está de olho no futuro: em 2019,
a Bum deve inaugurar uma nova unidade em
Votorantim, que deve gerar mais empregos
para os votorantinenses. E, nos próximos cin-
co anos, a ideia é abrir cinco novas lojas, em
cidades da região. Por enquanto, a Bum atua
apenas em Votorantim e Sorocaba, que teve
este mês uma nova loja inaugurada.
A Bum é uma das lojas da empresa familiar
de Carlos, que existe há dez anos. Há quatro
anos, o empresário, que já tinha uma unidade
da Bum em Sorocaba, decidiu investir em Vo- Empresa tem duas lojas na cidade
torantim, abrindo a loja no Jardim Icatu. “Eu
achei um ponto legal em Votorantim e aluguei. com mais de 6.800 itens”, explica. Hoje, todas te prevê um aumento de 15% nas vendas em preços são excelentes perto da concorrência,
Nós abrimos e já começamos com bom resul- as lojas da empresa juntas faturam cerca de R$ relação ao ano passado”, ressalta. Além das os resultados têm sido bons. Temos o shop-
tado. Na verdade, o resultado foi tão bom lá 12 milhões por ano. lojas físicas, a Bum também pratica vendas ping aqui perto, e nosso preço é bem melhor
que ficou pequeno, pelo movimento e pelos Carlos destaca que todos os funcionários pela internet. do que a das lojas de brinquedos de lá. Des-
produtos que oferecíamos. Todo ano a gente que trabalham nas unidades de Votorantim O sucesso das lojas de Votorantim, segun- de que abrimos em Votorantim, as vendas só
dobrava o faturamento, Aí nós abrimos uma são da cidade. As lojas têm um quadro de dez do Carlos, se dá pela estratégia adotada. “O cresceram. Todo ano elas crescem. Quando o
nova unidade na cidade, no Parque Bela Vista. funcionários fixos e contam com adicional mercado de Votorantim é bom, é aquecido. E mercado retraiu por causa da crise, a gente
Deixamos a do Icatu com brinquedos, presen- de oito profissionais para trabalharem nes- como na Bum nós temos uma grande varie- investiu. E hoje a gente está colhendo os fru-
tes e papelaria, e inauguramos o novo espaço, te final de ano. “No Natal deste ano a gen- dade, um excelente atendimento e nossos tos”, analisa.

20 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Filho de Votorantim

Política,
Arquivo pessoal
“Sou um errante, um cigano. Já vivi em di-
Impeachment versas cidades, e até passei alguns meses na
mata Amazônica. A profissão de geólogo fez-
de Dilma, -me viajar muito. Mas nasci em Votorantim,

geologia
posse de Temer, em 1952, no Hospital Santo Antônio, que era
então novo e muito conceituado. Minha mãe
‘fenômeno contava que quando estava internada, olha-
Bolsonaro’ e va pelas janelas do quarto e via vacas pastan-

e poesia:
natureza são do nas colinas próximas ao hospital. Hoje, o
hospital é cercado pela cidade”, conta.
temas dos
poemas do mais Carreira

mistura pensada
O geólogo formou-se no Instituto de
novo livro de Geociências da Universidade de São Paulo
Mário Sérgio
por votorantinense
(USP). “De 1976 a 1996 fui geólogo pesqui-
de Melo sador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas
(IPT). Em 1996 me transferi para Ponta Gros-

rendeu livro
sa, onde fui dar aulas de Geologia, Minera-
logia, Tratamento de Minérios, Pedologia,
Riscos Geoambientais, Meio Ambiente e De-
senvolvimento Sustentável para os cursos de

G
Geografia, Química, Agronomia, Engenharia
eólogo, pesquisador, professor da trajetória de vida é: “nasceu em Votorantim”. de Materiais e Zootecnia na UEPG. Agora es-
Universidade Estadual de Ponta Hoje, Mário vive em Ponta Grossa, no Paraná, tou me aposentando”, explica.
Grossa (UEPG), escritor com oito onde, inclusive, publicou seu mais recente Mário buscou futuro na geologia, mas
livros publicados e recém-eleito trabalho no final de outubro, o livro de poe- também encontrou nas palavras: “escrevo
membro da Academia de Letras dos Campos sias políticas e líricas “Coice de mula”. Mas o principalmente poesia, algumas bem líricas,
Gerais: esse é Mário Sérgio de Melo, de 66 geólogo faz questão de destacar que nasceu outras um tanto contestadoras, sobre estes
anos. Mas a primeira frase que define sua em Votorantim. nossos tempos atuais de desvarios, de valo-
res ambientais, sociais... Tenho também livro
de crônicas, ensaios e contos, principalmente
sobre situações vividas enquanto pesquisa- Mário Sérgio
dor da área de meio ambiente”. de Melo
Em seu mais recente trabalho, “Coice de
mula”, o autor reuniu poemas escritos entre
2016 e 2018: “foi o período do impeachment
de Dilma, posse de Temer, eleição de 2018 e
o ‘fenômeno Bolsonaro’. Os poemas engaja- Princesinas” (2015), “Poemas em Tempos de
dos fazem referência aos aspectos humanos Penas” (2016) e “Sementes de Pirilampos”
que estão por trás destes acontecimentos”. (2017) são outros livros publicados pelo au-
Mas não é só de política que o livro se fez. tor, que também participou da antologia
Os poemas líricos também estão presentes “Poesia de Segunda” (2011). Mas Mário não
na obra. “Minha atuação na área ambiental pensa em parar por aí: já tem mais dois ma-
faz com que tenha uma percepção de coisas nuscritos de crônicas e contos prontos, que
cotidianas, pássaros, flores, árvores, cães de devem ser publicados em breve. Um dos
rua, de uma forma muito pessoal. Isso tudo livros, inclusive, menciona seu nascimento
às vezes vira poema”, destaca. em Votorantim. E a carreira literária lhe ren-
“Poemecos” (2005), “Cio do Século” deu frutos: em março do ano que vem, Mário
(2010), “Memórias Amazônicas” (2011), “Ges- será empossado como membro da Academia
tação Caosmopolita” (2014), “Perrengas de Letras dos Campos Gerais.
O escritor e membros da Academia de Letras dos Campos Gerais

Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 21


Clínica odontológica
Ivana Santana

aposta na oferta de serviços de qualidade


com equipamentos de última geração

E
quipamentos de última geração com
tecnologia avançada, profissionais Franquia da GOU faz
especializados e tratamentos para economia girar ao
todos os públicos: a GOU Odonto de
Votorantim oferece isso e muito mais aos ci-
empregar cidadãos
dadãos votorantinenses. “Nós quisemos tra- votorantinenses
zer para a cidade todo o potencial da GOU”,
explica a dentista e proprietária da franquia,
Dra. Liliane Moran Guarnieri. Há dois anos na atendimentos de ortodontia, realizando cer-
cidade, a clínica atende mais de mil pacientes ca de 600 atendimentos na área por mês.
por mês. “A GOU Odonto é uma rede de fran- Mas a clínica atende todos os setores da
quias com mais de cem unidades em todo o odontologia. “Nós já fazemos a documen- Fachada da clínica
Brasil. A rede prioriza e tem como objetivo tação aqui na própria clínica, então isso fa-
oferecer o mais alto padrão em tratamentos cilita muito o tratamento do paciente, bem etc. Os profissionais são todos especialistas, o futuro é aprimorar cada vez mais o aten-
ortodônticos e clareamento dental de forma como o ir e vir para as consultas. Atendemos cada um na sua área. Somos uma clínica bem dimento odontológico, como afirma Liliane:
personalizada e que atenda toda a popula- também a parte do clínico geral e todas as completa”, explica Liliane. “vamos cada vez mais incorporar melhorias
ção”, destaca. especialidades, como estética orofacial, en- E a filosofia da empresa é sempre ofere- e tecnologias. Hoje, por exemplo, na parte
A GOU Votorantim é especializada em dodontia, periodontia, implantes, cirurgias, cer o melhor para os pacientes. “Na parte de clareamento temos um equipamento de
de ortodontia o cliente faz a avaliação e, última geração, que é o Bright Max White-
antes do início do tratamento, ele já faz a ning, o BMW. Todas as especialidades têm
documentação aqui na clínica, uma limpe- ótimos equipamentos e pretendemos sem-
za, e aí sim começa a instalação. O paciente pre melhorar”.
também tem direito a profilaxias durante o Além disso, está nos planos de Liliane
tratamento de acordo com as solicitações a expansão da clínica. “Hoje são 18 pesso-
do ortodondista, que sempre está atento ao as trabalhando na unidade de Votorantim,
tratamento e à saúde bucal do paciente. Por sendo 7 dentistas. Mas a gente pensa em
conta desse cuidado e de outros detalhes expandir o nosso espaço, abrindo em breve
que nós oferecemos, o tratamento é bem mais salas para atendimento. E uma clínica
tranquilo e ele consegue o sorriso perfeito o que pode atender um maior número de pes-
mais rápido possível. Fazemos de tudo para soas, com ótimo padrão de atendimento,
que nossos pacientes estejam sempre satis- gera mais empregos e impostos para a cida-
feitos”, ressalta. de. E nós contratamos sempre profissionais
de Votorantim. Acreditamos que temos que
Expansão da clínica deve gerar empregos dar oportunidade para as pessoas da cidade.
no município Com a nossa expansão, devemos gerar ain-
O foco da GOU Odonto Votorantim para da mais empregos”, conclui Liliane.
Dra. Liliane Moran Guarnieri Clínica tem profissionais especializados

22 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018


Filho de Votorantim

Pioneiro no cinema brasileiro,


José Medina deu seus primeiros passos em Votorantim

U
m dos cineastas pioneiros do cinema si. A Rossi Film produziu filmes de ficção, cinejornal
mudo brasileiro e figura influente do
ciclo paulista do cinema mudo: esse
Cineasta foi Re
pr
od
e documentários, sendo bastante ligada ao gover-
no e realizando coberturas de atos oficiais.
foi José Medina. Nascido em 1894 em elogiado pela uç
ão
/in
te
Já o filme “Fragmentos da Vida” é conside-
Sorocaba, Medina iniciou sua brilhante carreira crítica e produziu rn
et rado um dos mais importantes produzidos pelo
em Votorantim, fato que destacou em entrevis- cineasta. A história foi baseada em um conto do
ta concedida à revista Filme Cultura, em 1973: filmes muito escritor norte-americano O. Henry (1862-1910).
“minha vocação pelo cinema começou quando valorizados pelo O filme incorporou elementos correntes no ci-
eu era projecionista num dos primitivos cine-
mas na pequena cidade de Votorantim. Isso foi
cinema nacional nema dos EUA, fato que segundo a Enciclopédia
Itaú Cultural, foi comemorado por Guilherme de
lá pelo ano de 1910. Bem, aí pelo ano de 1911, Almeida, crítico da época reconhecido por suas
a fábrica Votorantim contratou um cinegrafista críticas severas ao cinema nacional. “José Me-
carioca para filmar a entrada e saída dos ope- dina é indiscutivelmente por enquanto, o nos-
rários daquela fábrica. Em São Paulo não havia so único diretor de verdade”, disse o crítico na
cinegrafista. Aquela foi a primeira vez que vi época, segundo a Enciclopédia.
como se fazia fita de cinema e achei que não Outros filmes de destaque produzidos por
era nenhum bicho-de-sete-cabeças, o que au- Medina, na Rossi Film, foram “Perversidade”
mentou o meu entusiasmo pelo cinema”. (1920), “Do Rio a São Paulo para Casar” (1921),
Com o aumento do interesse pelo cinema, “Gigi” (1925) e “O Canto da Raça” (1942), que
em 1912 Medina foi para São Paulo. “[Na cida- foi censurado pela ditadura. Na entrevista con-
de] teria mais chance de estar em contato com cedida para a revista em 1973, Medina destacou:
os cinematógrafos, não como mero especta- “Para mim, o melhor filme que fiz foi Gigi. Na-
dor, mas para observar e estudar os tipos, os quele tempo era uma superprodução. O argu-
truques e a forma de dar sequência aos argu- mento, muito bom, de Viriato Correia, era bem
José
mentos”, destacou o cineasta na entrevista Medina cinematográfico. Originalmente era um conto.
para a revista em 1973. Na cidade, ele aprofun- Eu li, me entusiasmei e procurei o autor. Viriato
dou seus estudos em cinema e fotografia. deu a licença para filmar. E depois disse ter gos-
Medina produziu diversos filmes ao longo da tado muito do filme. Pena que o negativo pegou
carreira, mas devido a alguns incêndios, poucos fogo. Gosto de O Canto da Raça, que fiz em 1942.
“sobreviveram”. Dois filmes que foram pre- A Censura apreendeu o negativo e o positivo
servados são costumeiramente citados porque, segundo eles, o filme elogiava
entre os melhores feitos no Brasil na muito São Paulo e por isso era mui-
fase muda: “Exemplo Regenerador” to bairrista. No filme, uma moça ia
(1919) e “Fragmentos da Vida” (1929). recitando a poesia de Cassiano Ri-
“Exemplo Regenerador” foi criado cardo. Conforme ela ia recitando,
e dirigido por Medina. O filme de curta- iam aparecendo as imagens. Era
-metragem levou apenas alguns dias um filme-poema. Foi a primeira
entre criação do roteiro, produção, fita sonora que fiz, embora nos
filmagem e finalização. Ele foi gravado meus filmes mudos eu fizesse os
na Avenida Paulista, em São Paulo, e foi o atores falarem os diálogos”.
primeiro filme produzido pela Rossi Film, A partir de 1930, Medina traba-
produtora fundada por Medina e pelo fotó- lhou como radialista. Ele faleceu em
grafo italiano radicado no Brasil, Gilberto Ros- agosto de 1980, aos 86 anos de idade.

Especial • Aniversário de Votorantim • 2018 23


24 Especial • Aniversário de Votorantim • 2018