Anda di halaman 1dari 3

Enche-o de amor (Amado Nervo)

Sempre que houver um vazio em sua vida, encha-o de Amor.


Adolescente, jovem, velho: sempre que houver um vazio, encha-o de amor.
Enquanto souberes que tens diante de ti um tempo baldio, vá buscar o Amor.

Não penses: “Sofrerei”.


Não penses: “Me enganaram”.
Não penses: “Duvidarei”.

Vá, simplesmente, diafanamente, regozijadamente, em busca do Amor. Que índole de


Amor?
Não importa: todo Amor está cheio de excelência e de nobreza.
Ama como puderes, ama a quem possas, ama a tudo que possa ser amado…porém, ama
sempre.

Não te preocupes com a finalidade do teu Amor. Ele leva em si mesmo sua finalidade.
Não te julgues incompleto porque não respondem às tuas ternuras; o Amor leva em si
mesmo sua própria plenitude.

Sempre que houver um vazio em tua vida, enche-o de Amor.

O bem que podemos fazer (Amado Nervo)

Os males que não podes remediar são infinitos.

Mas os que podes remediar são tantos que, se em conjunto estudas o bem que fizeste no
ano, por exemplo, o trabalho parece enorme para tuas forças e te parece um sonho tê-lo
realizado.

Também nisto um grão produz uma espiga.

A capacidade de bem que há na alma humana é desconcertante por sua grandeza.

O poder que para o bem nos foi concedido é de uma enormidade que pasma.

Assim vemos homens destituídos de todo recurso que realizam milagres de caridade,
que mudam a organização das sociedades, que provocam ao mundo e o renovam.

Assombra pensar o que seria o nosso planeta se todos os humanos estivessem educados
para o amor em vez de estar educados para o egoísmo e ainda para o ódio

O eixo moral do mundo seria, como se disséssemos, perpendicular ao plano da elíptica


do Dever, e uma divina primavera reinaria nas moradas dos homens.
Levanta-te a conquistar (Amado Nervo)

A conquista de almas é a conquista por excelência. Diariamente deves levantar-te com o


propósito de conquistar a todos aqueles de teus irmãos com quem o destino te coloque
em contato.
A alguns conquistarás com tuas palavras amáveis, a outros com teu olhar afetuoso, aos
mais distantes com teus serviços.
Sê um Don Juan das almas. Deixa em cada uma que encontre uma marca de luz.
Mais além da íntima alegria destas conquistas, poderás, através dos que te amam, fazer
muito o bem.
O homem que tem amigos é todo-poderoso para a caridade. O que ele não pode dar, por
amor a ele o darão com prazer os outros; o que ele não pode fazer, por amor a ele outros
o farão sorrindo.
Multiplicará insensivelmente os doces recursos e as forças eficazes que lhe são
necessários, e poderá amar duplamente aos tristes e aos pobres: com seu amor e com o
amor de todos os corações conquistados.

A Arte de Ser Feliz

Houve um tempo em que minha janela


se abria sobre uma cidade que parecia
ser feita de giz. Perto da janela havia um
pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra
esfarelada, e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre
com um balde e, em silêncio, ia atirando
com a mão umas gotas de água sobre
as plantas. Não era uma rega: era uma
espécie de aspersão ritual, para que o
jardim não morresse. E eu olhava para
as plantas, para o homem, para as gotas
de água que caíam de seus dedos
magros e meu coração ficava
completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o
jasmineiro em flor. Outras vezes
encontro nuvens espessas. Avisto
crinças que vão para a escola. Pardais
que pulam pelo muro. Gatos que abrem
e fecham os olhos, sonhando com
pardais. Borboletas brancas, duas a
duas, como refelectidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem
personagens de Lope de Vega. Às
vezes um galo canta. Às vezes um
avião passa. Tudo está certo, no seu
lugar, cumprindo o seu destino. E eu me
sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas
felicidades certas, que estão diante de
cada janela, uns dizem que essas coisas
não existem, outros que só existem
diante das minhas janelas, e outros,
finalmente, que é preciso aprender a
olhar, para poder vê-las assim.
Cecília Meireles