Anda di halaman 1dari 6

ENFOQUES DA

APRENDIZAGEM
ORGANIZACIONAL
As mudanças que ocorreram em todo o mundo,
tanto no nível econômico quanto no social, levaram ao
desenvolvimento da teoria da organização. De tal forma,
essas mudanças foram percebidas como se pensasse
que desapareceria. A ideia de que não era necessário
penetrou nessa teoria, mas, felizmente, não eliminou tudo
o que foi alcançado em termos do entendimento de que a
organização é mais necessária, enquanto existe maior
variação e ambiguidade o mundo. GODOY (2011)

Disponível em: https://casadaconsultoria.com.br/aprendizagem-


organizacional/
Quando se fala em aprendizagem organizacional, está sendo
considerado um "processo que utiliza conhecimento e entendimento
orientado para o aprimoramento das ações". Portanto, requer não
apenas mudanças estruturais, mas também a mentalidade dos
gestores. O conceito de MORGAN (1996) insiste que "é o processo
pelo qual uma organização constrói conhecimento ou reconstrói o
conhecimento existente".

Disponível em: http://www.xn--7dbl2a.com/2000/12/20/%D7%A0%D7%95%D7%A9%D7%90-


%D7%9C%D7%99%D7%9E%D7%95%D7%93-%D7%99%D7%93%D7%A2-
%D7%95%D7%97%D7%A9%D7%99%D7%91%D7%95%D7%AA%D7%95-
%D7%9C%D7%90%D7%A8%D7%92%D7%95%D7%A0%D7%99%D7%9D/#sthash.j6nGS9Fm.dpbs
Os aspectos essenciais do conceito de organização que aprende foram tratados
em um artigo sobre o assunto. No entanto, é conveniente resumi-lo para entender
melhor o aprendizado organizacional. SENGE (1990)

Disponível em: http://betaeconomia.blogspot.com.br/2012/06/implicaciones-de-la-especializacion-en.html


Aprendizagem Organizacional

O aprendizado da organização como um todo, enfatiza


SENGE (1990) que é o mais complexo e difícil de explicar. É
aquele que realiza a organização como um todo, o que permite
criar capacidades organizacionais diferentes das individuais. É
um conjunto de processos de aquisição, distribuição e uso de
conhecimento que não pertence a uma pessoa específica, mas
é um sistema de inteligência distribuído dentro da organização.
"Transcende a soma do aprendizado individual".

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=iR8zNTyb89U


BIBLIOGRAFIA

DIBELLA, A. J.; NEVIS, E. C. Como as Organizações Aprendem: Uma Estratégia Integrada Voltada para a Construção da Capacidade de
Aprendizagem. São Paulo: Educator, 1999.

EASTERBY-SMITH, M.; BURGOYNE, J.; ARAUJO, L. (Eds.). Aprendizagem Organizacional e Organização de Aprendizagem: Desenvolvimento na Teoria
e na Prática. São Paulo: Atlas, 2001.

GODOY, A. S.; ANTONELLO, C. S. (Coord.). Aprendizagem Organizacional no Brasil. ​Porto Alegre: Bookman, 2011.
MORGAN, G. Imagens da Organização. São Paulo: Atlas, 1996, p. 76.

NONAKA, I. A empresa criadora de conhecimento. In: STARKEY, K. Como as Organizações Aprendem. São Paulo: Futura, 1997.

PERIN, M. G.; SAMPAIO, C. H. A Relação entre as Dimensões de Orientação para Mercado e a Performance. In: XV ENCONTRO NACIONAL DOS
PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 2001, Campinas-SP. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD, 2001.

SENGE, P. M. A Quinta Disciplina: arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. São Paulo: Nova Cultural, 1990, p. 52.

SOBRAL, F.; PECI, A. Administração: ​Teoria e Prática no Contexto Brasileiro. São Paulo: Pearson, 2013