Anda di halaman 1dari 3

PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

DISCIPLINA: GERENCIAMENTO DE RISCOS (PGN3785)

DISCENTE: TOM PIRES DE MIRANDA

ATIVIDADE - ANÁLISE DE BARREIRAS E ÁRVORE DE CAUSAS

Declaração do Acidente:

Um eletricista de manutenção, treinado, sofreu um choque elétrico e caiu de uma


plataforma de 8 m de altura. Foram identificadas falhas técnicas na plataforma, que não tinha
grade de proteção lateral, nem rodapé. O trabalhador habitualmente não cumpria as
exigências quanto aos equipamentos de proteção. No momento do acidente, ele não fazia uso
de equipamentos específicos para trabalhos em altura (cinto de segurança, talabarte com
conectores, etc.), nem luvas e demais equipamentos com protetores de borracha. A ausência
dos equipamentos já havia sido identificada por colegas de trabalho que, no entanto, não
alertaram os supervisores.

O funcionário sofreu queimaduras de 3º grau em 18% do corpo, além de fraturar a


bacia. Como não havia funcionários ou terceiros treinados para prestar primeiros socorros, o
trabalhador faleceu antes da chegada do atendimento.

Análise de Barreiras:

Para a ocorrência do acidente narrado acima, houve ausência das seguintes barreiras de
prevenção:

 Não fica explícito se o trabalhador possuía habilitação e capacitação para a realização do


serviço;
 Não fica claro se houve emissão da ordem de serviço por parte da empresa para a realização
do serviço;
 Foi identificado a ausência de EPC's no local de trabalho (grades de proteção lateral e
rodapés);
 Na ocorrência do acidente, o trabalhador não utilizava equipamentos específicos para
trabalho em altura (cinto de segurança, talabarte com conectores, etc.);
 Também foi identificado que o trabalhador não utilizava EPI's adequados habitualmente para
serviços em eletricidade;
 Não houve uma comunicação adequada entre os colegas de trabalhado e supervisão;

A ausência das seguintes barreiras de proteção não reduziu as consequências do acidente ocorrido:

 Funcionários ou terceiros capacitados para prestar os primeiros socorros ao trabalhador


acidentado;
 Não fica claro se o houve demora no atendimento ao trabalhador, ou se o acidente foi
reportado tardiamente.

Árvore de causas:

FATOR DE ACIDENTE COMPONENTE


Morte Indivíduo
Demora no atendimento Meio de Trabalho
Falta de treinamento em primeiros socorros Meio de Trabalho
Fratura na bacia Indivíduo
Queda Tarefa
Queimaduras de 3º grau Indivíduo
Choque elétrico Tarefa
Colegas não alertaram ao supervisor Meio de Trabalho
EPI's de trabalho em altura não eram usados habitualmente Tarefa
EPI's de serviços em eletricidade não eram usados habitualmente Tarefa
Ausência de grades e rodapés da plataforma Meio de Trabalho
Altura (8m) Meio de Trabalho
Fluxo de energia Elétrica Material
MT MT
Não alerta dos
colegas à supervisão Demora no atendimento

MT MT
Altura (8m) Ausência de EPC (grades de T
proteção e rodapés) na
plataforma de trabalho
Não uso de EPI's para
Queda MT
trabalhos em altura
habitualmente
T Falta de treinamento em
primeiros socorros I
MT
Não alerta dos Fratura da bacia
colegas à supervisão

I
M T T
Não uso de EPI's em Choque
Fio energizado serviços elétricos elétrico
habitualmente
I
Queimadura
de 3º grau