Anda di halaman 1dari 137

O guia completo para otimizar o conteúdo para SEO

(com lista de verificação)


O Google afirmou que o "conteúdo" está entre os três principais fatores
de classificação, mas o que torna o conteúdo "bom" do ponto de vista do
SEO? Colunista Nate Dame descreve o que faz conteúdo de SEO de alta
qualidade.
Nate Dame em 12 de abril de 2017, às 10h24



 MAIS
O marketing de conteúdo efetivo é um veículo para o SEO moderno.

Assim como as rodas sem motor deixam você pedalando, o conteúdo sem uma estratégia de
SEO não consegue acompanhar um mercado digital. E assim como um motor sem rodas, o
SEO sem conteúdo é uma máquina brilhante que não leva a nada.

O conteúdo precisa de SEO para se destacar na confusão de posts medíocres que entopem a
internet nos dias de hoje, e o Google disse que um dos três principais fatores de classificação
da busca orgânica é "conteúdo".

Mas o que isso significa? Não qualquer conteúdo, com certeza. Infelizmente, os mecanismos
de pesquisa não estão distribuindo listas de verificação para “conteúdo de alta qualidade” e
provavelmente nunca o farão. Isso significa que cabe àqueles de nós que se dedicam a esse
tipo de coisa estudar resultados de pesquisa, minar o Google Analytics e criar planilhas
enormes que fingimos estar entediadas, mas que secretamente amam - tudo para trazer você
(e nós mesmos, quem somos nós Brincando?) Um guia completo para a criação de conteúdo
de SEO de “alta qualidade”.

Etapa 1: SEO sua estratégia de conteúdo


Muitos profissionais de marketing ainda esperam até o final da criação do conteúdo para
trazer o SEO como uma ferramenta promocional. Eles tentam descobrir o que acabaram de
criar, para poderem incluir algumas palavras-chave e links.

Mas uma estratégia eficaz de marketing de conteúdo deve começar com a pesquisa de
intenção de palavras - chave e usuários . Depois que você souber quais consultas seu
público-alvo está usando e o tipo de conteúdo que eles estão procurando, crie uma estratégia
de conteúdo que responda às perguntas específicas deles e ajude a movê-los pelo funil.

Conteúdo de alta qualidade:

 baseia-se na compreensão do seu público-alvo, bem como na pesquisa de


intenção de palavras-chave e usuários. Use o idioma do seu público e forneça as
informações que eles realmente estão procurando.

 ajuda o leitor a completar uma tarefa específica. Conteúdo longo (mais de 1.000
palavras) tende a se classificar melhor em resultados orgânicos, em parte porque é
completo. Dito isso, continue na tarefa e não deixe o conteúdo perder o foco.

 apresenta um apelo à ação ou uma próxima etapa clara. Quando você conhece
seus leitores e suas jornadas de comprador, seu conteúdo pode direcioná-los para
mais do que eles desejam.

Etapa 2: crie um bom conteúdo


Bom UX é bom SEO. Quando os usuários estão envolvidos, eles consomem mais conteúdo,
interagem e compartilham. Desde a estrutura abrangente até os detalhes do layout, verifique
se você está criando um bom conteúdo.

Existem muitas filosofias sobre quais características tornam o conteúdo “bom” - ou


“ grudento ” ou “ pensamento de liderança ”. Elas são todas merecedoras de considerações, e
todo conteúdo deve cobrir pelo menos alguns:
 Simples / Claro / Coerente
 Inesperado
 Concreto
 Credível / Válido / Experiente
 Emocional
 Divertido
 Inspirador
 Educacional
 Relevante
 Profundo / Completo
 Prático
 Novel / Unique (em valor, não apenas em conteúdo)
 Fidedigno
E enquanto você continua a projetar conteúdo, lembre-se do seu público: você está
escrevendo para as pessoas, então os mecanismos de busca também podem entender - não
o contrário.

Conteúdo de alta qualidade:

 está escrito para o público, não para os seus pares. Certifique-se de que a
linguagem não é nem muito simples nem cheia de jargões da indústria.

 é compartilhável. Dê um passo para trás e pergunte a si mesmo se você iria


compartilhá-lo - e, em caso afirmativo, você poderia ? (ou seja, os botões de
compartilhamento social estão prontamente disponíveis?)

 pode ser digitalizado rapidamente. Use parágrafos curtos, frases de destaque,


texto em negrito, marcadores, listas numeradas, citações e assim por diante, para
tornar o texto mais fácil de entender e de fácil digestão.

 usa títulos fortes e H1s. Crie títulos atraentes e acionáveis que usam palavras-
chave estrategicamente e naturalmente. O CoSchedule tem uma ótima ferramenta de
analisador de headliner se você precisar de ajuda aqui.

 apresenta resultados ideais, objeções comuns e / ou prazos em


subheaders. Antecipe as esperanças, medos e preocupações do público.

 é melhor do que os atuais vencedores do SERP. Espie a concorrência. Analise


as páginas que estão classificando bem as palavras-chave segmentadas e pergunte a
si mesmo se seu conteúdo é melhor. Certifique-se de que é melhor.

Etapa 3: criar conteúdo correto


Existe algo tão inquietante quanto um erro de digitação em um conteúdo de outra forma
excelente? Não. Não há. Embora não haja evidência, neste momento, de que a gramática é
um sinal de classificação, é uma preocupação de UX / credibilidade.
Além disso, citar fontes e criar links para outras autoridades é uma boa técnica, mas também
é um bom SEO - esses links externos demonstram aos mecanismos de pesquisa que você
conhece suas coisas e que está associando-se à multidão certa.

Conteúdo de alta qualidade:

 está livre de erros ortográficos e gramaticais. Revise. E então mande alguém


revisar. (Sem piada, minha mãe me enviou uma captura de tela de um erro gramatical
em um post do Propecta no Facebook recentemente. Essas são as pessoas que você
precisa em sua vida.)

 links para fontes boas e confiáveis. A Wikipédia conta como uma boa fonte para
o Google, não importa o que seu professor de estudos sociais do ensino médio tenha
dito.

 foi checado. Só porque todo mundo cita essa estatística, isso não significa que
você deveria, a menos que você possa encontrar a fonte.

Etapa 4: verifique seu uso de palavras-chave


Você começou com palavras-chave e pesquisa de intenção do usuário, é claro, portanto, não
se trata de descobrir quais palavras-chave se aplicam à parte do conteúdo em questão. Trata-
se de examinar como essa palavra-chave está sendo usada em dito conteúdo.

É verdade que o preenchimento de palavras-chave é muito, muito fora. Nunca foi legal em
primeiro lugar, mas agora - graças ao Google - também é ineficaz (se não perigoso). Também
é verdade que o Google é muito experiente em palavras-chave. Nada disso, no entanto,
significa que as palavras-chave estão “mortas”. Significa apenas que o SEO precisa usá-las
melhor.

(Também é importante notar que os usuários procuram por palavras-chave. O Google é


inteligente o suficiente para reconhecer sinônimos comuns, mas quando um usuário digita
uma palavra-chave, ela procura essa palavra-chave em negrito na SERP.)

Conteúdo de alta qualidade:

 não é recheado da palavra-chave primária. Não há matemática real para


isso. Uma boa maneira de visualizar é usar o recurso "Localizar" em seu documento e
pesquisar a palavra-chave. Se parecer supersaturado, comece a inserir alguns
sinônimos.

 organiza subseções temáticas por palavras-chave relacionadas primárias . O


Google está ficando melhor e melhor em entender os termos relacionados. Não tenha
medo disso.
 faz uso natural de palavras-chave e variantes no conteúdo. Não pense demais
nisso. Use sinônimos, abreviaturas, plurais e assim por diante como um ser humano
normal.
 faz uso natural de palavras-chave no texto da imagem. Títulos de imagem, texto
alternativo e legendas são lugares estratégicos para linguagem descritiva. Não force as
palavras-chave, mas as use conforme aplicável.
 faz uso natural de palavras-chave em títulos. Escreva para as pessoas primeiro,
mas se você puder manter a palavra-chave alvo na frente do título e / ou H1, faça isso.

 faz uso natural de palavras-chave no URL. Isso não deve ser muito difícil se
você usou no título.

 faz uso natural de palavras-chave e variantes nas primeiras 100 palavras. Não
seja desajeitado, mas, tanto quanto possível, coloque todas as suas cartas na mesa o
mais rápido possível.

Rodada de bônus: alguns problemas de conteúdo técnico de SEO


O SEO técnico é, na maioria das vezes, uma conversa completamente diferente. A maioria
dos fatores técnicos de SEO são problemas em todo o site que precisam ser auditados, e os
mais importantes são limpos antes de você começar a tentar otimizar o conteúdo.

Há, no entanto, algumas considerações técnicas relacionadas especificamente ao conteúdo


individual, e seria negligente ignorá-las:

 O conteúdo é carregado rapidamente. Três segundos ou menos é o que você


está trabalhando. Verifique se as imagens e outros arquivos de mídia não estão
reduzindo o desempenho do conteúdo.

 O conteúdo é bem reproduzido no celular. Isso provavelmente não será um


problema se o site usar design responsivo, o que a maioria faz, mas certifique-se de
que os formulários e as CTAs sejam tocáveis no conteúdo, que as imagens sejam
alinhadas ao centro e assim por diante.

 Página está incluída no sitemap XML do site. Ajude o Google a encontrar e


entender o conteúdo!

 Links internos apontam para o conteúdo. Certifique-se de que são relevantes e


que usam texto âncora baseado em palavras-chave como possível / apropriado.
 URLs são curtos. As páginas de classificação mais alta têm URLs mais curtos. Os
URLs da posição 1 têm uma média de 59 caracteres .

Vá em frente e crie conteúdo de alta qualidade


Eles dizem que a beleza está nos olhos de quem vê, mas eles nunca tentaram classificar o
conteúdo na busca orgânica. A verdade é que, para nossos propósitos, a beleza está nos
olhos do público-alvo - conforme interpretado por um programa de aprendizado de máquina
no Google.

Felizmente, o RankBrain , embora ainda bastante vago e nebuloso, é pelo menos bastante
consistente. Isso significa que podemos usar milhares de termos no Google, estudar dezenas
de milhares de resultados, testar A / B em nossas próprias hipóteses e criar uma lista de
características que provavelmente são belas para o Google - 77 características , para ser
exato.

Comece sua jornada de conteúdo SEO, reunindo os dois desde o início. Se você está
trabalhando com uma estratégia de marketing de conteúdo que não começou com a pesquisa
de SEO, comece novamente. Quando as rodas e o motor começam juntos, você sai em um
passeio muito mais suave.
Não pule essas tarefas críticas de SEO recorrentes
Como estamos perto do final do ano, é hora de rever links quebrados,
plugins, funcionalidade e velocidade de página antes que haja uma crise.
Jeremy Knauff em 4 de dezembro de 2018 às 12:32



 MAIS
Não importa quão perfeitamente você tenha otimizado um site, isso sempre exigirá
manutenção constante. Isto é porque figurativamente falando, muito como um veículo, há
muitas partes móveis e muitas dessas partes têm um impacto em outros.

Em outras palavras - SEO nunca será feito. É um alvo em constante movimento.

Existem algumas tarefas, como migrar de HTTP para HTTPS, que são feitas uma vez. Outras
tarefas são executadas em um desenvolvimento de conteúdo semanal ou mensal, e outras
que podem ser realizadas trimestralmente ou anualmente.

À medida que nos aproximamos do final do ano, muitos profissionais de marketing começarão
a planejar para o próximo ano. É igualmente importante analisar o que fizemos ao longo do
ano para garantir que nosso trabalho não cause problemas inadvertidamente em outras
áreas. Isso nos ajuda a obter o máximo de nossos esforços, bem como começar no próximo
ano com uma vantagem inicial.

Neste artigo, vou investigar as tarefas que normalmente lidamos trimestralmente ou


anualmente, porque, francamente, elas geralmente são ignoradas até que haja uma
crise. Manipulando-os proativamente, você terá uma grande vantagem sobre os concorrentes.

Rastrear links quebrados


Páginas são movidas ou excluídas. Imagens são substituídas. Recursos externos se movem
ou até desaparecem.

Com o tempo, essas mudanças aparentemente pequenas podem ter um impacto significativo
em um site. Muitas vezes o impacto é positivo. Mas quando isso resulta em links quebrados
que não são resolvidos, o impacto negativo pode aumentar rapidamente.

É fácil corrigir alguns links quebrados no momento, atualizando a navegação principal quando
as páginas principais são movidas ou excluídas. Pode ser mais complicado quando links
internos dentro do conteúdo entram em jogo.

É aqui que as ferramentas especializadas são especialmente úteis.

Em vez de revisar manualmente cada página, que foi o que tivemos que fazer quando entrei
pela primeira vez em SEO, você pode simplesmente usar um software automatizado para
fazer o trabalho pesado. Um benefício adicional é que, ao contrário dos humanos com
períodos curtos de atenção, o software captura todos os links quebrados.
Revisar conteúdo de qualidade e relevância
Você deveria estar produzindo conteúdo regularmente.

Se você estiver fazendo isso, normalmente descobrirá que, com o tempo, parte desse
conteúdo se tornará irrelevante ou não atenderá mais aos seus padrões de qualidade. Algum
deste conteúdo pode precisar ser removido ou aprimorado.

Isso não é uma coisa ruim. É apenas a natureza do desenvolvimento de conteúdo.

À medida que nos aproximamos do final do ano, agora é o tempo de efeito para isso. A
maioria dos donos de empresas está interessada em avaliar seu desempenho durante o ano
e planejar o próximo ano.

Recentemente, analisei um dos sites de nossos clientes por esse motivo e descobri uma
enorme quantidade de conteúdo, que, embora útil em determinado momento, não servia mais
a um propósito.

Isso acontece por vários motivos.

Para esse cliente em particular, em alguns casos, eram notícias relacionadas à indústria que
não eram mais relevantes. Em outros, estava contente sobre eventos internos específicos. E
em alguns, felizmente, casos raros, foi o conteúdo criado pela equipe do cliente que nunca
deveria ter sido criado no primeiro caso.

Depois de identificar o conteúdo do seu website que não atende aos padrões de qualidade e /
ou relevância, você precisará determinar o que fazer com ele.

Alguns conteúdos podem deixar de ser relevantes devido a alterações no seu setor ou na sua
empresa. Esse conteúdo pode ser excluído e os URLs devem ser redirecionados para o
conteúdo mais relevante que ainda existe. Se não houver nada relevante para uma
determinada página que está sendo excluída, você poderá excluí-la sem configurar um
redirecionamento. No entanto, se essa página tiver links de entrada ou tiver recebido tráfego
orgânico nos últimos doze meses, recomendamos que você encontre algo em seu website
para redirecioná-lo.

Alguns conteúdos podem simplesmente deixar de atender às suas diretrizes de


qualidade. Talvez suas habilidades de escrita tenham melhorado dramaticamente. Ou talvez o
conteúdo seja simplesmente muito fino.

A solução para conteúdo de baixa qualidade é simples - melhore-o.

Isso pode significar reescrever o conteúdo, adicionar informações adicionais e até mesmo
incluir imagens, dados e links para outros recursos externos. Apenas lembre-se - mais tempo
nem sempre é melhor. Você deve procurar responder às perguntas dos seus visitantes de
forma clara e concisa. Ignore o fluff. Se você puder dizer tudo o que precisa ser dito com
apenas 750 palavras, não haverá nada ganho aumentando-o para 3.000 palavras.

Teste para velocidade da página


Nós já sabemos, graças aos dados de várias fontes, que a velocidade da página tem um
impacto dramático na experiência do usuário. Sabemos também que é um fator de
classificação, tanto porque vimos a evidência quanto porque o Google nos disse.

Assim como o conteúdo de baixa qualidade pode crescer ao longo do tempo, pequenos
ajustes no seu website podem afetar negativamente a velocidade da página ao longo do
tempo também.

Um arquivo de fonte aqui, uma biblioteca JavaScript lá, e antes que você perceba, seu site
está rastejando mais lento do que o caminhão que você ficou preso na hora do rush. E nem
me fale sobre os plugins do WordPress.

Eu posso dizer a você por experiência direta que isso acontece com a maioria dos sites que
são mantidos e atualizados regularmente. É por isso que é tão importante testar regularmente
a velocidade da página, especialmente nas suas páginas de maior tráfego.

Se você tem um website pequeno (menos de 1.000 páginas), recomendo testar todas as suas
páginas. A tarefa não é tão monumental quanto parece. Vamos falar sobre a execução em
breve.

Para sites com mais de 1.000 páginas, minha recomendação é testar primeiro as páginas que
geram 30% de seu tráfego. Em seguida, teste as páginas não incluídas nesse conjunto de
dados que são críticas para sua empresa. E, finalmente, identifique as páginas nos 10%
inferiores em termos de tráfego orgânico, destaque qualquer um que seja de moderado a
moderado e teste-as.

A boa notícia é que você não precisa testar manualmente cada página. Você pode coletar os
dados iniciais diretamente do Google Analytics.

Se uma página normalmente é carregada em menos de três segundos, você está pronto para
ir. Se normalmente leva mais de três segundos, é hora de usar uma ferramenta
como WebPageTest.org ou GTmetrics para identificar os elementos que estão causando os
problemas.

Se consertar esse tipo de problema é algo com o qual você não está familiarizado, confira um
artigo recente que publiquei sobre o tópico, intitulado Como aumentar a velocidade de sua
página para melhorar o desempenho do site .

Revise os plugins do WordPress


Mencionei anteriormente que os plugins do WordPress podem ter um impacto negativo na
velocidade da página. Isso ocorre porque eles geralmente incluem arquivos CSS e JavaScript
e, às vezes, incluem até mesmo bibliotecas JavaScript que já foram enfileiradas pelo núcleo
do WordPress, pelo tema ou por outros plug-ins. Alguns também incluem fontes como
FontAwesome ou Ionic Icons, que, na maioria das vezes, são carregados remotamente. Isso
tem um impacto tremendo e adverso na velocidade da página. Mas os problemas não param
por aí.

Os plugins devem ser atualizados pelo autor regularmente para continuar funcionando
corretamente. Isto é devido a mudanças em:
 WordPress
 PHP e JavaScript
 Padrões HTML
 Navegadores
Mas, por diversos motivos, os autores de plug-ins podem atualizar seus plug-ins com pouca
frequência para acompanhar as mudanças nesse ambiente ou, em alguns casos, podem
simplesmente abandoná-los completamente.

Isso pode afetar a funcionalidade, a aparência, a velocidade da página e até mesmo o SEO
técnico. Em alguns casos, pode até mesmo tornar um site inacessível.

É aconselhável revisar os plugins do WordPress regularmente - não apenas em termos de


você ter a versão mais atual instalada, mas também em termos de se o autor manteve o plug-
in atualizado com os padrões atuais.

Ao fazer isso, também recomendo pensar seriamente se cada plugin é realmente


necessário. Se você puder eliminar um plug-in, você não apenas melhorará a velocidade da
página, mas também reduzirá sua carga de trabalho de manutenção e aumentará a
segurança. É uma vitória a toda a volta.

Teste o layout e a funcionalidade nos principais navegadores


Expliquei como as alterações incrementais no seu website podem afetar a velocidade da
página, mas também podem afetar a aparência e a função de algumas páginas.

Eu tive isso acontecer comigo recentemente com o site de um cliente.

Fizemos uma alteração no arquivo CSS para alterar a aparência de uma seção em particular,
mas não percebemos até que ela ficou ativa por alguns dias, o que também alterou a
aparência em outra seção. Foi pura coincidência que nós tropeçamos na outra seção e vimos
a questão.

Imagine como pequenas mudanças ao longo de semanas ou meses poderiam,


inadvertidamente, somar para afetar drasticamente o layout e a funcionalidade de elementos
não intencionais.

Recomendo uma abordagem semelhante à que expliquei para testar a velocidade da


página. Primeiro, identifique as páginas que direcionam 30% do seu tráfego orgânico para
testes. Em seguida, identifique as páginas que não fazem parte desse grupo e que são
críticas para sua empresa. Você pode ignorar as páginas que exibem os 10% inferiores do
tráfego orgânico.

Infelizmente, para testar o layout e a funcionalidade, você precisará verificar manualmente


essas páginas, mas na maioria dos casos, não deve demorar mais do que alguns segundos
por página.
7 táticas para direcionar mais links para seu website
Crie links seguros para clientes e aumente rankings, tráfego e receita com
campanhas de conteúdo reutilizáveis, divulgação segmentada, pesquisa
de palavras-chave e gerenciamento de bloqueadores de links.
Paddy Moogan em 5 de dezembro de 2018 às 7h30



 MAIS
Recentemente, apresentei na SMX East, em Nova York . Além de ser uma das minhas
cidades favoritas no mundo, foi uma grande conferência e quero expandir minha
apresentação e mergulhar um pouco mais no tópico.

Abaixo estão sete táticas e ideias de construção de links que usamos com sucesso na Aira
para proteger links para clientes e aumentar rankings, tráfego e receita.

1. Desenvolver campanhas de conteúdo reutilizáveis


A maneira tradicional de pensar em campanhas de criação de links conduzidas por conteúdo
é muito parecida com campanhas de publicidade ou de relações públicas tradicionais - você
executa uma campanha por um período de tempo, obtém o máximo possível dela e depois
passa para a próxima. Isso pode funcionar bem, mas não é muito eficiente quando se trata de
orçamentos e recursos, porque muitas vezes você precisa iniciar o design e o
desenvolvimento novamente.

Em vez disso, você deve pensar em campanhas de conteúdo que possam ser reutilizadas e
renovadas várias vezes. Isso nem sempre é fácil, mas é definitivamente possível. Aqui está
um exemplo de uma peça que criamos para o Vouchercloud :
Este dado foi originalmente preenchido com dados da Organização Mundial da Saúde em
2016 e, em 2017, um novo conjunto de dados foi publicado . Nós simplesmente retiramos os
dados antigos, inserimos os novos dados, atualizamos o design, o que foi um esforço mínimo,
e depois relançamos o conteúdo. Isso nos permitiu voltar aos contatos anteriores com os
novos dados, nos ajudando a garantir mais cobertura, bem como a abordar novos sites com
os novos dados.

Mas não parou por aí. Retiramos as estatísticas centradas no irlandês dos dados antes do Dia
de São Patrício e lançamos uma história recém-desenvolvida para gerar mais links.

A capacidade de reutilizar a campanha de conteúdo existente nos permitiu relançar de


maneira muito rápida e fácil em comparação a uma nova versão e design.

2. Não pare de evangelizar


Partindo do ponto anterior, da mesma forma, você deve tentar reutilizar campanhas de
conteúdo e obter mais delas, você não deve parar de divulgar uma campanha se ela ainda
tiver pernas. Novamente, a forma tradicional de pensar sobre campanhas de conteúdo é uma
atividade limitada no tempo que você acabará por parar e começará uma nova campanha, um
pouco como esta:

Você inicia o processo novamente com uma nova ideia de conteúdo.


Isso pode funcionar bem, mas também pode ser muito melhor com uma mentalidade diferente
- uma campanha nunca é concluída.

Temos uma abordagem “sempre ativa” para campanhas de conteúdo, o que significa que
estamos constantemente procurando maneiras de obter mais links e cobertura para
campanhas de clientes existentes.

Um bom exemplo disso seria em setembro, quando a equipe lançou uma campanha que era
mais lenta que o normal para gerar links. Eles fizeram algumas pesquisas e notaram que era
o aniversário de 102 anos de Roald Dahl, e nós tínhamos estatísticas específicas sobre o
escritor, que sabíamos que a imprensa estaria interessada, o que nos deu o nosso
anuncio. Voltamos para a imprensa nacional e ajudamos um jornalista a agregar mais valor
ao seu artigo de Roald Dahl, compartilhando as estatísticas com eles, o que resultou em um
link para nosso cliente neste artigo .

Uma parte fundamental de fazer isso funcionar é que nossa geração de ideias se inclina
fortemente para idéias “sempre-verdes”, em oposição a ideias em que temos uma chance de
fazê-las funcionar.

Uma maneira de se inclinar para isso é usar dias nacionais ou eventos anuais para
impulsionar sua ideia. Sites como Dias do Ano podem ajudar com isso e dar inspiração para
eventos relacionados ao seu cliente.

Como a primeira tática acima, essa é outra que funciona bem se você tiver um orçamento
limitado, pois pode usá-la para obter mais links para o conteúdo existente, em vez de gastá-lo
na produção de mais e mais campanhas.

Dito isto, o objetivo final aqui é criar um banco de conteúdo que resida no site do seu cliente e
oferece várias maneiras de obter links de maneira consistente.

3. Aprenda o que funciona nos setores


A equipe aprende com campanhas e alimenta esses aprendizados em outros projetos de
clientes. Um dos principais valores agregados que os clientes esperam do trabalho com as
agências é um benefício da sua experiência e conhecimento de trabalhar com uma variedade
de clientes. Se algo funciona bem para um cliente, pode funcionar para outro e você precisa
procurar por essas oportunidades.

Ao longo do último ano, estamos fazendo isso e podemos fazer um exercício em que
mapeamos o sucesso das campanhas de conteúdo do cliente em relação à complexidade de
criá-las. Isso nos deu algo parecido com isso:
Cada ponto representa uma campanha de conteúdo. Quando passamos por este exercício,
pudemos ver padrões começando a surgir que foram bem sucedidos e não complexos para
criar. Isso então alimentou nossa estratégia e fez mais do trabalho que é bem sucedido sem
ser excessivamente complexo.

Isso se desenvolveu ainda mais ao ponto de gravarmos um monte de dados sobre as


campanhas que lançamos e os links que nosso conteúdo gera. Eu falei sobre isso em
um post anterior onde falei sobre os diferentes formatos de conteúdo que você pode usar
para executar o conteúdo. Essencialmente, agora temos dados que podem nos dizer coisas
como se usar a visualização de dados em uma parte de conteúdo leva a mais links e
cobertura:
Os dados que são inseridos no gráfico acima são agregados em todos os nossos clientes em
vários setores para nos ajudar a identificar tendências.

Se você ainda não está fazendo isso, o melhor lugar para começar é simplesmente começar
a registrar dados em todas as suas campanhas de conteúdo, como:

 O número de links, links nofollow e menções de marcas geradas


 Data de lançamento
 A indústria do cliente
 Que tipo de execução você escolheu?
 Se os dados foram usados ou não
A lista será diferente para todos, mas o primeiro passo é começar a gravar esses dados e
começar a aprender com eles ao longo do tempo.

4. Direcione suas publicações de ouro para um recurso exclusivo


Antes de entrar no detalhe deste, uma dica rápida - quando você inicia um projeto cliente, não
deixe de fazer a seguinte pergunta:

"Quais são as suas 10 melhores publicações de sonho para serem apresentadas?"

Isso não só ajuda você a entender o que é importante para o cliente em termos de cobertura,
mas também oferece uma lista muito segmentada de sites, onde, se você conseguir
destaque, fará com que seu cliente fique feliz.

Se você tem isso, você pode escolher na lista e oferecer uma publicação única e exclusiva
quando você começar o seu alcance. A idéia é encontrar um jornalista que valorize muito a
sua ideia ou dados (por isso, é preciso ser uma boa ideia!) Para ser a primeira pessoa a
escrever sobre ela on-line e compartilhá-la com seus leitores.
Isso funciona particularmente bem se você tiver um conjunto de dados exclusivo ou
diferente. O tempo entre a publicação da história de dados e outras publicações não precisa
ser tão longo - 24 a 48 horas podem ser suficientes para que um jornalista fique feliz por tê-lo
obtido primeiro.

Existem alguns benefícios para essa abordagem:

1. Você pode quase garantir um "grande sucesso" logo no início da campanha, o que
alivia parte da pressão sobre o seu quando você começa o seu alcance.
2. Se você pode garantir um exclusivo com um jornal grande, ele pode levar a muitos
outros jornais / revistas seguindo o mesmo caminho e também cobrindo o conteúdo
sem você perguntar.
3. Você pode, lenta mas seguramente, começar a contar a lista de publicações que seu
cliente lhe deu.

5. Alcance de websites de links de segunda linha


Um dos principais objetivos de uma campanha de criação de links orientada por conteúdo é
proteger os links de domínios de alta autoridade que podem passar essa autoridade (e
tráfego) para o site de um cliente. A desvantagem disso é que a alta visibilidade e
credibilidade desses domínios significa que eles podem ser creditados como a fonte original
da história. Considerando que, na realidade, seu cliente é a fonte original.

Isso pode levar a links apontando para sites de terceiros, em vez de seu próprio que é chato
para dizer o mínimo! Tivemos isso recentemente com um cliente, onde eles foram abordados
neste artigo sobre Empreendedor - grande cobertura com um bom link para o nosso cliente. O
conteúdo foi coberto novamente neste site, mas irritantemente, eles creditam o empreendedor
com o link:

Este não é o fim do mundo, mas se conseguirmos ligá-los diretamente à fonte do cliente,
ficaremos muito mais felizes.

6. Use pesquisa de palavras-chave para mais links


Este é mais uma técnica passiva de construção de links, mas o tempo que você vai gastar é
muito pequeno e tem alguns benefícios.
A ideia é ver se a sua ideia de conteúdo se relaciona com quaisquer palavras-chave com
volume. Se isso acontecer, você poderá integrar as palavras-chave à peça em si e,
potencialmente, obter tráfego classificando-as bem para elas. O objetivo principal raramente é
classificar bem, geralmente é para garantir links, mas os benefícios do tráfego direto são
óbvios e não devem ser negligenciados.

Então, onde entra o edifício da ligação?

Se você estiver trabalhando em uma peça de conteúdo conduzida por dados, terá a
oportunidade de falar com as pessoas que estão tentando encontrar esses dados. Entre as
pessoas que tentam encontrar dados estão o tipo de pessoas com a capacidade de se
conectar a você - jornalistas, escritores e blogueiros, para citar alguns.

Por exemplo, uma das nossas partes de conteúdo do cliente classifica-se bem para esta
palavra-chave:

Esta palavra-chave terá muito, muito pouco volume de pesquisa. Mas alguém que usa esse
tipo de palavra-chave (e outras relacionadas) é exatamente o tipo de pessoa que pode se
vincular ao conteúdo em algum momento.

Pensando nisso, estamos dando ao nosso conteúdo a chance de gerar links que não
pedimos.

7. Superando bloqueadores de construção de links


Direcionar mais links para o seu conteúdo não é apenas sobre suas próprias ações, mas
também sobre as ações dos outros. Às vezes, a atividade deles pode, de fato, atrapalhar a
sua e garantir menos links. Eu escrevi sobre isso neste artigo anteriormente , mas eu queria
compartilhar algumas dicas especificamente para superar as barreiras ao alcance.

Um dos bloqueadores mais comuns é quando seu cliente tem outra agência trabalhando em
seu site ou em sua própria equipe interna. Isso pode apresentar desafios porque você quer
sincronizar a atividade e não saturar os contatos ou, pior ainda, ambos os jornalistas alvo ao
mesmo tempo.

Uma forma de superar isso é compartilhar seus planos de divulgação com a equipe interna e
concordar sobre quem possui quais contatos ou publicações. Isso ajuda a criar limites claros
e reduz o risco de algo dar errado. Se você estiver na Europa, precisará ser cuidadoso devido
às leis de proteção de dados do GDPR.

Outra tática é compartilhar seu plano de campanhas de conteúdo com a maior antecedência
possível e, em seguida, adicionar outras campanhas para que você possa destacar
rapidamente os horários de passagem do trabalho. Isso significa que, quando você lança
campanhas, é menos provável que você atinja os bloqueadores, porque você já as superou.
Veja o que aconteceu quando segui o Googlebot por
três meses
Esse experimento não descobriu nenhuma maneira direta de contornar a
regra de primeira contagem de links com links modificados, mas foi
possível construir uma estrutura usando links de JavaScript.
Max Cyrek em 28 de novembro de 2018 às 7:40



 MAIS

Nos fóruns da internet e nos grupos relacionados ao conteúdo do Facebook, as discussões


muitas vezes surgem sobre como o Googlebot funciona - o que chamamos de GB aqui - e o
que pode e o que não pode ver, que tipo de links visita e como influencia o SEO.

Neste artigo, apresentarei os resultados da minha experiência de três meses.

Quase diariamente nos últimos três meses, GB tem me visitado como um amigo que está
passando para tomar uma cerveja.

Às vezes estava sozinho:

[02/09/2018 18:29:49]: 66.249.76.136 /page1.html Mozilla / 5.0 (compatível; Googlebot / 2.1;


+ http: //www.google.com/bot.html)
[02/09/2018 19:45:23]: 66.249.76.136 /page5.html Mozilla / 5.0 (compatível; Googlebot / 2.1;
+ http: //www.google.com/bot.html)

[02/09/2018 21:01:10]: 66.249.76.140 /page3.html Mozilla / 5.0 (compatível; Googlebot / 2.1;


+ http: //www.google.com/bot.html)

[02/09/2018 21:01:11]: 66.249.64.72 /page2.html Mozilla / 5.0 (compatível; Googlebot / 2.1; +


http: //www.google.com/bot.html)

[02/09/2018 23:32:45]: 66.249.64.72 /page6.html Mozilla / 5.0 (compatível; Googlebot / 2.1; +


http: //www.google.com/bot.html)

Às vezes, levava seus amigos:

[16/09/2018 19:16:56]: 64.233.172.231 /page1.html Mozilla / 5.0 (X11; Linux x86_64)


AppleWebKit / 537.36 (KHTML, como o Gecko; Google Search Console) Chrome /
41.0.2272.118 Safari / 537,36

[16/09/2018 19:26:08]: 66.249.69.235 /image.jpg Googlebot-Image / 1.0

[27/08/2018 23:37:54]: 66.249.76.156 /page2.html Mozilla / 5.0 (Linux; Android 6.0.1; Nexus
5X Build / MMB29P) AppleWebKit / 537.36 (KHTML, como o Gecko) Chrome / 41.0. 2272.96
Mobile Safari / 537.36 (compatível; Googlebot / 2.1; + http://www.google.com/bot.html )

E nos divertimos muito jogando jogos diferentes:

Catch: Eu observei como o GB adora executar redirecionamentos 301 e rastrear imagens e


executar de canônicos.

Esconde- esconde : o Googlebot estava escondido no conteúdo oculto (que, como seus pais
afirmam, não tolera e evita)

Sobrevivência: Eu preparei armadilhas e esperei que elas surgissem.

Obstáculos: Eu coloquei obstáculos com vários níveis de dificuldade para ver como meu
pequeno amigo lidaria com eles.

Como você provavelmente pode dizer, eu não fiquei desapontado. Nós nos divertimos muito e
nos tornamos bons amigos. Eu acredito que nossa amizade tem um futuro brilhante.

Mas vamos ao ponto!

Eu construí um site com conteúdo relacionado a méritos sobre uma agência de viagens
interestelar que oferece voos para planetas ainda não descobertos em nossa galáxia e além.

O conteúdo parecia ter muitos méritos quando na verdade era um monte de bobagens.

A estrutura do site experimental ficou assim:


Eu forneci conteúdo exclusivo e certifiquei-me de que cada âncora / título / alt, bem como
outros coeficientes, fossem globalmente únicos (palavras falsas). Para facilitar as coisas para
o leitor, na descrição não usarei nomes como anchorcutroicano matestito, mas em vez disso
os referirei como anchor1 , etc.

Eu sugiro que você mantenha o mapa acima aberto em uma janela separadaenquanto você lê
este artigo.

Parte 1: primeiro link conta


Uma das coisas que eu queria testar neste experimento de SEO foi a Primeira Regra de
Contagem de Links - se ela pode ser omitida e como ela influencia a otimização.

A primeira regra de contagem de links diz que, em uma página, o Google Bot vê apenas o
primeiro link para uma subpágina. Se você tiver dois links para a mesma subpágina em uma
página, o segundo será ignorado, de acordo com essa regra. O Google Bot ignorará a âncora
no segundo e em cada link consecutivo ao calcular a classificação da página.

É um problema amplamente supervisionado por muitos especialistas, mas que está presente
especialmente em lojas on-line, onde os menus de navegação distorcem significativamente a
estrutura do site.

Na maioria das lojas, temos um menu suspenso estático (visível na origem da página), que
fornece, por exemplo, quatro links para as principais categorias e 25 links ocultos para
subcategorias. Durante o mapeamento da estrutura de uma página, GB vê todos os links (em
cada página com um menu), o que resulta em todas as páginas de igual importância durante
o mapeamento e seu poder (suco) é distribuído uniformemente, o que é mais ou menos
assim:
O mais comum, mas na minha opinião, a estrutura da página errada.

O exemplo acima não pode ser chamado de estrutura adequada porque todas as categorias
estão vinculadas de todos os sites onde há um menu. Portanto, a home page e todas as
categorias e subcategorias têm um número igual de links de entrada, e o poder de todo o
serviço da Web flui através deles com a mesma força. Assim, o poder da home page (que
geralmente é a fonte da maior parte da energia devido ao número de links recebidos) está
sendo dividido em 24 categorias e subcategorias, de modo que cada um deles recebe apenas
4% da capacidade do site. pagina inicial.

Como a estrutura deve ser:

Se você precisar testar rapidamente a estrutura da sua página e rastreá-la, como o Google
faz, o Screaming Frog é uma ferramenta útil.

Neste exemplo, o poder da página inicial é dividido em quatro e cada uma das categorias
recebe 25% do poder da página inicial e distribui parte dela para as subcategorias. Essa
solução também oferece uma melhor chance de vinculação interna. Por exemplo, quando
você escreve um artigo no blog da loja e deseja vinculá-lo a uma das subcategorias, o GB
observará o link durante o rastreamento do site. No primeiro caso, ele não fará isso por causa
da regra First Counts Counts. Se o link para uma subcategoria estiver no menu do site, o item
do artigo será ignorado.

Comecei este experimento de SEO com as seguintes ações:

 Primeiro, no page1.html, incluí um link para uma subpágina page2.html como um link
dofollow clássico com uma âncora: anchor1.
 Em seguida, no texto na mesma página, incluí referências ligeiramente modificadas
para verificar se o GB estaria ansioso para rastreá-las.
Para este fim, eu testei as seguintes soluções:

 Para a página inicial do serviço da web, eu atribuí um link dofollow externo para uma
frase com uma âncora de URL (portanto, qualquer link externo da página inicial e das
subpáginas para determinadas frases estava fora de questão) - acelerou a indexação
do serviço.
 Eu esperei por page2.html para iniciar a classificação de uma frase do primeiro link
dofollow (âncora1) vindo de page1.html. Essa frase falsa ou qualquer outra que testei
não pôde ser encontrada na página de destino. Presumi que, se outros links
funcionassem, o page2.html também seria classificado nos resultados da pesquisa
para outras frases de outros links. Demorou cerca de 45 dias. E então eu consegui
fazer a primeira conclusão importante.
Mesmo um site, no qual uma palavra-chave não esteja no conteúdo nem no título meta,
mas esteja vinculada a uma âncora pesquisada, pode ser facilmente classificada nos
resultados de pesquisa acima de um site que contenha essa palavra, mas não esteja
vinculada a uma palavra-chave.

Além disso, a página inicial (page1.html), que continha a frase pesquisada, era a página mais
forte do serviço da web (vinculada a 78% das subpáginas) e, ainda assim, classificada em
menor número na frase pesquisada do que na subpágina (page2.html ) ligado à frase
pesquisada.

Abaixo, apresento quatro tipos de links que testei, todos os quais vêm depois do primeiro link
dofollow que leva a page2.html.

Link para um site com uma âncora


<a href = ”page2.html # testhash”> anchor2 </ a>

O primeiro dos links adicionais que vem no código por trás do link dofollow era um link com
uma âncora (uma hashtag). Eu queria ver se GB iria através do link e também indexar
page2.html sob a frase anchor2, apesar do fato de que o link leva a essa página (page2.html),
mas a URL sendo alterada para page2.html # testhash usa anchor2 .

Infelizmente, a GB nunca quis se lembrar dessa conexão e não direcionou o poder para a
subpágina page2.html para essa frase. Como resultado, nos resultados de pesquisa para a
frase anchor2 no dia da gravação deste artigo, há apenas a subpágina page1.html, em que a
palavra pode ser encontrada na âncora do link. Enquanto pesquisando a frase testhash,
nosso domínio também não classifica.

Link para um site com um parâmetro


page2.html? parameter = 1

Inicialmente, GB estava interessado nessa parte engraçada da URL logo após a marca de
consulta e a âncora dentro do link anchor3.

Intrigado, GB estava tentando descobrir o que eu queria dizer. Ele pensou: "É um enigma?"
Para evitar a indexação do conteúdo duplicado nas outras URLs, o canônico page2.html
estava apontando para si mesmo. Os registros registraram 8 rastreamentos nesse endereço,
mas as conclusões foram bastante tristes:

 Depois de duas semanas, a frequência das visitas do GB diminuiu significativamente


até que ele finalmente saiu e nunca mais rastreou esse link.
 page2.html não foi indexado sob a frase anchor3, nem foi o parâmetro com o
parâmetro1 de URL. De acordo com o Search Console, esse link não existe (não é
contado entre os links de entrada), mas, ao mesmo tempo, a frase anchor3 é listada
como uma frase ancorada.

Link para um site a partir de um redirecionamento


Eu queria forçar GB a rastrear mais o meu site, o que resultou em GB, a cada dois dias,
inserindo o link dofollow com uma âncora âncora4 em page1.html levando a page3.html, que
redireciona com um código 301 para page2.html. Infelizmente, como no caso da página com
um parâmetro, após 45 dias, page2.html ainda não estava classificando nos resultados de
pesquisa para a frase anchor4 que aparecia no link redirecionado em page1.html.

No entanto, no Search Console do Google, na seção Anchor Texts, anchor4 é visível e


indexado. Isso pode indicar que, depois de um tempo, o redirecionamento começará a
funcionar conforme o esperado, de modo que o page2.html seja classificado nos resultados
da pesquisa do anchor4, apesar de ser o segundo link para a mesma página de destino no
mesmo site.

Link para uma página usando tag canônico


Em page1.html, coloquei uma referência a page5.html (siga o link) com uma âncora
anchor5. Ao mesmo tempo, no page5.html havia um conteúdo exclusivo e, em sua cabeça,
havia uma tag canônica para page2.html.

<link rel = “canonical ” href = ”https://example.com/page2.html” />

Este teste deu os seguintes resultados:

1. O link para a frase anchor5 direcionando para page5.html redirecionando


canonicamente para page2.html não foi transferido para a página de destino (assim
como nos outros casos).
2. page5.html foi indexado apesar da tag canônica.
3. page5.html não foi classificado nos resultados da pesquisa de anchor5.
4. page5.html classificado nas frases usadas no texto da página, o que indica que o GB
ignorou totalmente as tags canônicas.
Eu arriscaria afirmar que usar rel = canonical para impedir a indexação de algum conteúdo
(por exemplo, durante a filtragem) simplesmente não funcionaria.

Parte 2: orçamento de rastreamento


Ao projetar uma estratégia de SEO, eu queria fazer o GB dançar ao meu ritmo e não o
contrário. Para isso, verifiquei os processos de SEO no nível dos logs do servidor (logs de
acesso e logs de erros), o que me proporcionou uma enorme vantagem. Graças a isso, eu
conhecia todos os movimentos da GB e como ela reagia às mudanças que introduzi
(reestruturação do website, virando o sistema interno de links de cabeça para baixo, a
maneira de exibir informações) dentro da campanha de SEO.

Uma das minhas tarefas durante a campanha de SEO foi reconstruir um site de uma forma
que faria GB visitar apenas os URLs que ele seria capaz de indexar e que queríamos
indexar. Em suma: deve haver apenas as páginas que são importantes para nós do ponto de
vista de SEO no índice do Google. Por outro lado, a GB só deve rastrear os sites que
queremos que sejam indexados pelo Google, o que não é óbvio para todos, por exemplo,
quando uma loja on-line implementa a filtragem por cores, tamanho e preços, e isso é feito
manipulando Parâmetros de URL, por exemplo:

example.com/women/shoes/?color=red&size=40&price=200-250

Pode acontecer que uma solução que permita ao GB rastrear URLs dinâmicos faz com que
ele dedique tempo para limpar (e possivelmente indexá-los) em vez de rastrear a página.

example.com/women/shoes/

Esses URLs criados dinamicamente não são apenas inúteis, mas potencialmente prejudiciais
ao SEO, porque podem ser confundidos com conteúdo fino, o que resultará na queda das
classificações do website.

Nesse experimento, também quis verificar alguns métodos de estruturação sem usar rel =
”nofollow”, bloqueando GB no arquivo robots.txt ou colocando parte do código HTML em
quadros que são invisíveis para o bot (iframe bloqueado).

Eu testei três tipos de links JavaScript.

Link JavaScript com um evento onclick


Um link simples construído em JavaScript

<a href = ”javascript: void (0)” onclick = ”window.location.href = 'page4.html'”> anchor6 </ a>

O GB foi facilmente movido para a subpágina page4.html e indexou a página inteira. A


subpágina não é classificada nos resultados da pesquisa para a frase anchor6, e essa frase
não pode ser encontrada na seção Anchor Texts no Google Search Console. A conclusão é
que o link não transferiu o suco.
Para resumir:

 Um link clássico de JavaScript permite que o Google rastreie o site e indexe as páginas
que encontrar.
 Não transfere suco - é neutro.

Link de Javascript com uma função interna


Decidi levantar o jogo mas, para minha surpresa, o GB superou o obstáculo em menos de 2
horas após a publicação do link.

<A href = “javascript: void (0)” class =”js-link” data-url =”page9.html”> anchor7 </ a>

Para operar este link, eu usei uma função externa, que tinha como objetivo ler a URL dos
dados e o redirecionamento - apenas o redirecionamento de um usuário, como eu esperava -
para o target page9.html. Como no caso anterior, page9.html foi totalmente indexado.

O interessante é que, apesar da falta de outros links recebidos, page9.html foi a terceira
página mais visitada por GB em todo o serviço da Web, logo após page1.html e page2.html.

Eu usei esse método antes para estruturar serviços da web. No entanto, como podemos ver,
não funciona mais. Em SEO nada vive para sempre, além das Páginas Amarelas.

Link JavaScript com codificação


Ainda assim, eu não desistiria e decidi que deveria haver uma maneira de efetivamente fechar
a porta no rosto de GB. Então, eu construí uma função simples, codificando os dados com um
algoritmo de base64, e a referência ficou assim:

<a href = ”javascript: void (0)” class = ”js-link” dados-url = ”cGFnZTEwLmh0bWw =”> anchor8
</ a>

Como resultado, o GB não conseguiu produzir um código JavaScript que decodificasse o


conteúdo de um atributo de URL de dados e redirecionasse. E ai estava! Temos uma maneira
de estruturar um serviço da web sem usar rel = nonfollows para impedir que bots rastreiem
onde quiserem! Dessa forma, não desperdiçamos nosso orçamento de rastreamento, o que é
especialmente importante no caso de grandes serviços da Web, e o GB finalmente dança ao
nosso ritmo. Se a função foi introduzida na mesma página na seção head ou em um arquivo
JS externo, não há evidência de um bot nos logs do servidor ou no Search Console.

Parte 3: conteúdo oculto


No teste final, queria verificar se o conteúdo, por exemplo, das guias ocultas seria
considerado e indexado por GB ou se o Google renderia essa página e ignorava o texto
oculto, como alguns especialistas afirmam.

Eu queria confirmar ou descartar essa afirmação. Para fazer isso, coloquei uma parede de
texto com mais de 2000 sinais em page12.html e escondi um bloco de texto com cerca de
20% do texto (400 sinais) em Cascading Style Sheets e adicionei o botão show more. Dentro
do texto oculto havia um link para page13.html com uma âncora anchor9.
Não há dúvida de que um bot pode renderizar uma página. Podemos observá-lo no Google
Search Console e no Google Insight Speed. No entanto, meus testes revelaram que um bloco
de texto exibido depois de clicar no botão Mostrar mais estava totalmente indexado. As frases
escondidas no texto foram classificadas nos resultados da pesquisa e o GB seguia os links
ocultos no texto. Além disso, as âncoras dos links de um bloco oculto de texto eram visíveis
no Search Console do Google na seção Anchor Text e page13.html também começaram a
ser classificadas nos resultados da pesquisa para a palavra-chave anchor9.

Isso é crucial para lojas on-line, onde o conteúdo é frequentemente colocado em guias
ocultas. Agora, temos certeza de que GB vê o conteúdo em guias ocultas, indexa-as e
transfere o suco dos links que estão ocultos lá.

A conclusão mais importante que estou tirando desse experimento é que não encontrei uma
maneira direta de ignorar a Regra de Contagens de Primeiro Link usando links modificados
(links com parâmetro, redirecionamentos 301, canônicos, links de âncora). Ao mesmo tempo,
é possível construir a estrutura de um site usando links Javascript, graças aos quais estamos
livres das restrições da Primeira Regra de Contagens de Links. Além disso, o Google Bot
pode ver e indexar conteúdo oculto em marcadores e segue os links ocultos neles.
Checklist de SEO local de 12 pontos

A otimização do mecanismo de pesquisa local (LSEO) é uma poderosa estratégia de marketing digital para
proprietários de empresas que desejam vender para clientes locais, se você não estiver aparecendo na
pesquisa local, estará perdendo.
O aumento do tráfego na Web, a visibilidade da marca e o aumento da receita são vantagens de se
investir em SEO.
Para controlar seus resultados de pesquisa locais, siga a lista de verificação de SEO local e as práticas
recomendadas abaixo.

Checklist de SEO local


Pesquisa de palavras-chave
A pesquisa de palavras-chave é um passo fundamental para todas as campanhas bem-sucedidas de
SEO. Envolve descobrir e analisar frases e termos que as pessoas estão realmente digitando nos motores
de busca para encontrar empresas locais como a sua.
O Google usa o texto e o código oculto em um site para entender o que é. É muito importante otimizar um
site em torno de palavras-chave que as pessoas estão realmente usando.
Por exemplo, uma empresa de pintura pode estar inclinada a otimizar sua página de pintura exterior em
torno do termo “pintura residencial externa”, porque esse é o termo que a indústria usa. No entanto,
através de pesquisa de palavras-chave, eles podem achar que as pessoas estão realmente usando o
termo "serviço de pintura em casa". Se for esse o caso, sua página deve ser otimizada em torno do termo
"serviço de pintura em casa".
Se você é uma empresa local, também é possível adicionar um geo-modificador a uma palavra-chave para
torná-la específica. Por exemplo, "serviço de pintura em casa Portland" ou "serviço de pintura em casa
Portland Oregon".
Então, como você descobre quais palavras-chave classificar?
Para começar, faça um brainstorm das palavras-chave ou peça a clientes, amigos ou familiares que
palavras-chave usariam para encontrar uma empresa como a sua. Pegue sua lista e insira-as no
Planejador de palavras-chave do Google para encontrar novas ideias de palavras-chave e obter o tráfego
de pesquisa estimado para essas palavras-chave. A ferramenta do Google fornecerá apenas concorrência
de anunciantes, e não concorrência de SEO, mas as palavras-chave com uma alta concorrência de
anúncios normalmente terão uma pontuação competitiva de SEO. Tente encontrar um conjunto de
palavras-chave com pelo menos cem pessoas pesquisando a cada mês, mas com níveis de concorrência
de média a baixa. Em seguida, adicione-os naturalmente aos seus títulos e meta descrições.
A verdadeira pesquisa de palavras-chave é um processo detalhado e detalhado. Confira o Guia Definitivo
do Backlinko para Pesquisa de Palavras-chave para um guia de pesquisa de palavras-chave.
Tag do título

Sua tag de título é um dos elementos mais importantes do SEO na página .


É o texto principal que aparece nos resultados da pesquisa. Ele também aparece na parte superior da guia
do navegador e ao salvar marcadores. Os títulos fornecem aos usuários uma breve visão geral do que
esperar quando clicam, e os títulos também informam ao Google sobre o que é sua página.
Seu título deve incluir a palavra-chave para a qual você está tentando classificar e, ao mesmo tempo,
descrever com precisão a página.

Veja algumas diretrizes para escrever a tag de título perfeita:


mantenha seus títulos abaixo de 55 caracteres para garantir que sejam exibidos corretamente no Google.
Inclua o nome da marca sempre que possível.
A tag de título da página inicial deve sempre começar com o nome da marca, seguida pelos serviços
oferecidos
Exemplo: Sue Empresa de pintura | Pintura residencial em Portland

Para mais informações sobre Tags de Título, confira este guia .


Meta Descrições
O objetivo de uma meta descrição é fornecer ao usuário e aos mecanismos de busca uma breve sinopse
da sua página. Ter meta descrições interessantes e descritivas pode aumentar a frequência com que as
pessoas clicam no seu resultado quando ele é exibido.
Procure escrever descrições exclusivas com menos de 156 caracteres, para que suas palavras não
parem…

Você pode usar essa ferramenta para visualizar quais seriam os seus títulos e meta descrições nos
resultados da pesquisa.

Informação da NAP
Ao lado de SEO, o NAP são as três letras mais importantes na pesquisa local.
NAP é abreviação de nome, endereço e número de telefone.
Se você quiser aparecer na pesquisa local, é fundamental que o Google entenda onde sua empresa está
localizada. O Google pode coletar informações da NAP no seu website, bem como em outros sites da
Web. Ele usa a consistência e a quantidade de menções do NAP como um fator de classificação para a
pesquisa local.

Quanto mais frequentemente as informações da sua empresa forem encontradas na Web, e quanto mais
consistentes forem, maior será a sua visibilidade na pesquisa local.
Comentários dos Clientes

Mais de 92% dos consumidores lêem avaliações on-line para encontrar empresas e serviços
locais. Além disso, 60% dos consumidores avaliam uma empresa local em sua classificação geral com
43% e consideram 3 de 5 estrelas a classificação mínima antes de consultar a empresa. Com tantas
pessoas recorrendo a avaliações on-line para recomendações de negócios, é imperativo obter críticas
positivas.
A quantidade e a qualidade das suas avaliações on-line desempenham um papel direto em nossa
visibilidade de pesquisa. Quanto mais avaliações de 5 estrelas sua empresa tiver, mais exposição on-line
ela receberá.

Para obter comentários positivos, você precisará se concentrar na criação de uma incrível experiência do
cliente. Depois que todo trabalho terminar, peça educadamente por feedback.
O Google Meu Negócio, o Facebook, o Yelp, o Foursquare, o Houzz e a Angie's List são ótimos lugares
para receber e responder às resenhas. Leia mais sobre como as avaliações on-line afetam sua empresa e
sua presença on-line.
Otimização de Imagem
A otimização de imagem é uma arte no mundo do SEO.
Os mecanismos de pesquisa não veem as imagens da mesma maneira que você ou eu. Por isso,
precisamos fornecer informações adicionais para descrever a imagem. Isso pode ajudar a aumentar os
rankings da sua palavra-chave alvo.
Podemos otimizar 4 aspectos de uma imagem para garantir que ela seja amigável a SEO:
 Nome do arquivo: este é o nome do arquivo de imagem quando salvo no seu computador. Antes de
fazer o upload para o seu site, assegure-se de que o nome do arquivo tenha sua palavra-chave
alvo. Por exemplo: home-painting-service-photo.JPG
 Texto do Título: Este texto será exibido quando um usuário passar por cima da sua imagem. Deve
incluir sua palavra-chave e descrever a imagem. Exemplo: Serviço de Pintura Doméstica em Portland.
 Texto alternativo: este texto será exibido se uma imagem não for carregada. Isto é especialmente útil
para os deficientes visuais. Novamente, isso deve incluir a palavra-chave e descrever a imagem.
 Tamanho: antes de fazer o upload para um site, as imagens devem ser compactadas e dimensionadas
adequadamente. Você pode usar uma ferramenta como o Photoshop ou uma ferramenta da Web
gratuita como o Compress JPEG .
Otimização de texto âncora
O texto âncora refere-se ao texto clicável visível em um hiperlink. O Google usa o texto âncora de um link
para entender o que é a página. Por exemplo, se você hiperlink as palavras "Home Painting", o Google
assumirá que a página que você está vinculando está relacionada à pintura doméstica.
Dentro do conteúdo do seu site, você pode vincular as palavras-chave à página de serviço
relacionada. Isso ajuda o Google a entender sobre o que são suas páginas e pode aumentar o ranking
dessas palavras-chave. No exemplo acima, você gostaria de vincular todas as menções de "pintura
doméstica" à sua página de serviço de pintura doméstica.
Compatibilidade com dispositivos móveis

Se os usuários estiverem se sentindo frustrados ao visitar seu website devido a uma experiência ruim em
dispositivos móveis, como texto pequeno, necessidade de beliscar a tela sensível ao toque para aumentar
o zoom e diminuir o tempo de carregamento, atualize para um website otimizado para celular.
A maioria dos sites otimizados para dispositivos móveis apresenta um design da Web responsivo, o que
significa que ele pode ser ajustado de acordo com o tamanho da tela de qualquer dispositivo. Websites
responsivos são mais fáceis de gerenciar a partir de uma perspectiva de SEO. Como alternativa, você
pode desenvolver um site separado projetado especificamente para dispositivos móveis.
Em abril de 2015, o Google anunciou uma atualização otimizada para dispositivos móveis em seu
algoritmo, o que resultou em penalidades contra websites que não foram otimizados para dispositivos
móveis. O Google também planeja lançar outra atualização para dispositivos móveis em maio de 2016.
O não cumprimento das diretrizes de compatibilidade com dispositivos móveis do Google resultará em
uma grande perda no tráfego de pesquisa para dispositivos móveis.
Citações e Perfis Sociais

Uma citação é uma menção on-line da sua empresa com todas ou algumas das suas informações da
NAP. Eles geralmente assumem a forma de uma listagem local em um diretório on-line como o
YellowPages.
Um perfil social é como uma versão atualizada de uma citação, pois geralmente é mais confiável,
exclusiva e personalizável. Exemplos de perfis sociais são Facebook, LinkedIn e Pinterest.
Para criar a visibilidade do seu site, você precisará criar o máximo possível de citações e perfis sociais
relevantes e de alta qualidade.
Siga estas diretrizes de SEO ao criar citações e perfis sociais:
 Seja 100% consistente com as informações da sua NAP. Sempre use o mesmo nome comercial,
endereço e número de telefone.
 Se você mudar de local, precisará atualizar as informações da NAP no seu site, citações e perfis
sociais.
 Escreva descrições de negócios exclusivas que resumem a história, o nicho, os produtos e os serviços
da sua empresa.
 Faça o upload de pelo menos cinco imagens relevantes e de alta qualidade, sem incluir o logotipo da
sua empresa.
 Selecione até 5 categorias de negócios relevantes, sendo os 3 primeiros os mais importantes.
 Use uma planilha para rastrear suas senhas e nomes de usuários.
 Exclua duplicatas. Você só precisa de uma citação por local.
Google My Business
O Google processa mais de 3,5 bilhões de pesquisas por dia. Se você não está listado no Google, está
perdendo.
O Google My Business, ou abreviadamente GMB, é uma incrível plataforma de marketing para pequenas
empresas.
Veja algumas vantagens em usar o Google Meu Negócio:
 Gerencie e atualize como o Google exibe suas informações comerciais.
 Acesse insights sobre como os usuários encontram sua empresa.
 Seja encontrado no Google Maps e ajude os clientes a encontrar rotas para sua empresa.
 Responda a comentários de clientes.
 Você também pode verificar um guia exclusivo para o Google Maps Marketing
Para listar sua empresa, acesse o Google Meu Negócio e digite o nome e o endereço da sua empresa na
barra de pesquisa.
Se sua empresa pode ser encontrada:
Clique na sua empresa para reivindicar seu perfil. Em seguida, marque a caixa "Estou autorizado a
gerenciar este negócio ..." e clique em "Continuar". Revise o endereço da sua empresa e faça as
alterações, se necessário. Clique em "Mail" e o Google enviará um cartão-postal com um código de
verificação. Uma vez recebido, insira o código no Google Meu Negócio para concluir o processo de
verificação.
Se sua empresa não puder ser encontrada:
Clique em “Isto não corresponde. Adicione sua empresa. ”Preencha o formulário com as informações mais
precisas e clique em“ Continuar ”para continuar. Depois de analisar seu endereço, clique em "E-mail". O
Google enviará um cartão-postal com um código de verificação que deve chegar ao local da sua empresa
em uma ou duas semanas úteis. Digite o código no Google Meu Negócio para concluir o processo de
verificação.
Enquanto aguarda a chegada do seu cartão postal, pode atualizar o seu endereço comercial, descrição,
categorias, horário de funcionamento e marcador de mapa. Você também pode fazer o upload de imagens
que serão mostradas na pesquisa local sempre que alguém pesquisar sua empresa.
Para fazer qualquer alteração, clique no ícone do hambúrguer no canto superior esquerdo para abrir o
menu. Clique em "Todos os locais". Em seguida, clique em "Gerenciar local" para começar a editar.
Marcação de Esquema

A marcação de esquema é um código que você pode adicionar ao seu website para ajudar os mecanismos
de pesquisa a entender melhor certos tipos de informações no seu site.
Todas as empresas locais devem utilizar o esquema de negócios locais. Este código especial alimenta sua
localização e informações de contato diretamente para o Google. Ter este esquema implementado em seu
site adiciona confiança e autoridade locais, o que ajudará a aumentar as classificações locais.
Algumas marcações de esquema podem gerar rich snippets, que são elementos aprimorados para o seu
resultado nas páginas de resultados de pesquisa. Ao fornecer aos usuários uma ideia melhor do que
esperar antes de visitar seu website, os usuários terão maior probabilidade de clicar em sua página e
permanecer no site por mais tempo.
Atualmente, o Google suporta rich snippets para classificações de avaliações, receitas, eventos
organizados, vídeos e artigos de notícias.
Para mais informações sobre como utilizar marcação esquema, confira este guia de Search Engine
Journal.
Link Building
No Google, um link para o seu site conta como um "voto". Quanto mais “votos” um site tiver, mais o Google
mostrará esse site para seus usuários.
Links transmitem confiança e autoridade. Por exemplo, se a Forbes, o Business.com e o Wall Street
Journal estiverem vinculados a um site, esse site ganhará parte da confiança e autoridade dessas
editoras.
A maioria dos sites terá, naturalmente, alguns links, mas você pode aumentar seus links (e seus rankings)
pelo link building.
O desenvolvimento de links é o processo de acesso a sites competentes, de alta qualidade e relevantes
para persuadi-los a se conectarem ao seu site. Ele pode ajudar a estabelecer sua marca, aumentar sua
exposição on-line e aumentar a classificação e o tráfego do seu site.
Por exemplo, seu site pode ser mencionado em um editorial on-line. Se o site editorial tem uma alta
autoridade, então pode beneficiar muito o seu site.
O edifício da ligação pode ser uma tarefa assustadora que requer alcance e acompanhamento
regulares. No entanto, você pode adquirir links de qualidade para o seu site e promover novos
relacionamentos no processo. É uma vitória!
Conclusão
Seguindo os 12 pontos, a lista de verificação de SEO local e as práticas recomendadas podem ajudar
significativamente seu site a superar os concorrentes e, ao mesmo tempo, construir sua reputação e
exposição de marca.

Como as avaliações on-line


impactam o SEO local e por que
elas são importantes para o
resultado
Como empreendedor, você conhece sua reputação em um ativo inestimável. O que as
pessoas dizem sobre o seu negócio de varejo é importante, e isso é especialmente
verdadeiro sobre o que os clientes estão dizendo on-line.

Os varejistas devem estar ouvindo o feedback - e isso significa monitorar avaliações on-line
de seus clientes. Embora as revisões on-line possam parecer um pequeno pedaço do quadro
maior que compõe sua presença on-line, mais compradores estão confiando nos sites de
avaliações ao decidir quais produtos comprar. Na era digital atual, 93% dos clientes dizem
que suas decisões de compra são influenciadas por avaliações on-line.

As revisões on-line são importantes por vários motivos e têm grandes implicações por meio
de sua capacidade de afetar:

 Suas classificações nos mecanismos de pesquisa locais


 Quais resultados de pesquisa realmente são exibidos (e clicados)
 Decisões de compra do consumidor
Isso torna as avaliações on-line críticas para sua estratégia de SEO local, como criar citações
e otimização no local. Nos meus posts anteriores, eu cobri as porcas e parafusos
da construção de citações , e forneci uma cartilha para SEO local para ajudá-lo a começar
com sua própria estratégia de SEO local.

Não tenho certeza para onde ir a partir daqui? Primeiro, abordaremos como as avaliações on-
line afetam as decisões de compra dos compradores e analisam onde as análises de SEO se
encaixam em sua campanha de SEO local. A partir daí, vou guiá-lo através de algumas
táticas para ajudá-lo a obter avaliações on-line e, ao mesmo tempo, gerenciar proativamente
sua reputação on-line.

Como os consumidores usam as avaliações on-line


Antes de entrarmos nos dados sobre como as avaliações on-line afetam as compras dos
consumidores, é importante considerar onde as análises de negócios on-line se encaixam no
ciclo de compras de produtos e serviços desejados.

Normalmente, quando alguém começa a procurar em sites de resenhas (como revisões nas
páginas de seus produtos ou no Facebook, Epinions, Angie's List, ou em outro lugar), eles já
descobriram o que precisam e como uma empresa idealmente poderia atender a essa
necessidade.

O importante a ser observado é que a diferença mental entre ler uma resenha e tomar uma
decisão é ridiculamente pequena - e os clientes geralmente decidem sim ou não quase
imediatamente. Portanto, como uma pequena empresa, sua reputação on-line pode
influenciar diretamente sua lucratividade.

Mas quantos consumidores realmente lêem avaliações on-line? De acordo com


uma pesquisa recente , 84% dos compradores disseram que confiavam tanto em avaliações
de negócios on-line quanto em recomendações pessoais de amigos ou familiares.
Mas exatamente quantas revisões eles lêem antes de se decidirem? Felizmente, a pesquisa
também teve uma resposta para isso. Cerca de 68% dos consumidores lerão quatro ou mais
revisões antes de poderem confiar em uma empresa.

Os consumidores também estão mudando seus hábitos quando se trata de ler críticas
positivas . Depois de ler uma resenha positiva, os clientes agora têm menos probabilidade de
visitar o site de uma empresa imediatamente. Embora isso afete seu tráfego de comércio
eletrônico, os clientes que lerem críticas positivas terão muito mais probabilidade de entrar em
contato por telefone, por email ou visitando pessoalmente.

Agora, você tem um melhor entendimento sobre como seus clientes estão usando as
resenhas on-line. Em seguida, veremos como as avaliações são fatoradas nos sinais de SEO
locais.

Por que os comentários on-line são importantes


para SEO local?
Os mecanismos de pesquisa locais adoram as avaliações
on-line por um motivo: os consumidores adoram as
avaliações on-line.
Os sites de revisão estão no negócio de fornecer aos usuários as informações mais precisas
para ajudá-los a prever e tomar decisões sobre suas compras futuras. Quanto mais rápido
eles puderem fazer isso, mais consumidores irão procurá-los uma e outra vez. Veja uma
imagem dos resultados do Yelp para as palavras-chave "boutique de moda Toronto".

Além disso, de acordo com a Pesquisa de Fatores Locais de Busca da MOZ, acredita-se que
as análises on-line representam 10% de como o Google e outros mecanismos de busca
decidem classificar os resultados da pesquisa. Aqui está um gráfico que eles fornecem para
dividir visualmente as diferentes variáveis:
Em seguida, vamos dar uma olhada em como você pode elaborar uma estratégia de
aquisição de resenhas e, posteriormente, como você pode gerenciar proativamente sua
reputação on-line.

Elaboração de uma estratégia de aquisição de


resenhas (ou como obter mais avaliações on-line)
Use os sites de revisão da direita
Antes de criar uma estratégia de aquisição de resenhas que funcione melhor para sua
pequena empresa, é recomendável pensar em quais sites e plataformas de revisão
funcionariam melhor para você.

Para determinar isso, basta começar indo até o Google e fazendo a seguinte
pesquisa, "[Industry] + reviews" e ver quais sites são exibidos na primeira página. Por
exemplo, veja o que é exibido para "avaliações de lojas de calçados":

A outra coisa que você pode fazer é passar o mouse pelos resultados de pesquisa principais
e você verá duas setas pop-up que permitem abrir o que o Google chama de "Painel de
conhecimento" para essa empresa e verificar os sites listados em " mais comentários. "

Uma coisa a notar é que algumas plataformas de revisão on-line mantêm suas revisões
exclusivas de seus sites, enquanto outras plataformas distribuem suas avaliações para outros
mecanismos de busca. Aqui está um gráfico de Phil Rozek que mostra como funciona o
ecossistema de revisão de negócios local:

Entenda as políticas de postagem do site de revisão


A outra coisa a ter em mente antes de entrar em como você pode obter mais comentários
para entender as políticas de revisão diferentes que cada plataforma tem que você deve
respeitar. Por exemplo, o Yelp proíbe estritamente as pequenas empresas de solicitar
revisões on-line e agirá com rapidez se detectar algo suspeito. Enquanto isso, as outras
plataformas não têm problemas com as empresas que fazem o pedido.

Veja algumas diretrizes do website de revisão para algumas das plataformas de análise mais
críticas:

 Google+ Local
 Yelp
 Quadrangular
 Citysearch
 YP.com

Mais dicas para obter análises de clientes


Depois de ver rapidamente, veja algumas dicas para ajudar você a começar:

 Use este incrível "Review Handout Generator" de Whitespark e Phil Rozek, que permite criar
folhetos para os clientes fornecerem instruções claras sobre como eles podem deixar uma
avaliação no Google.
 Vincule seus perfis de resenhas ao seu site de comércio eletrônico
 Crie materiais impressos que listem todos os sites diferentes que os clientes podem revisar
 Treinar a equipe e a si mesmo para "fazer a pergunta" ao verificar os clientes. Se você é novo
nisso, leia o pequeno guia do ConstantContact sobre como pedir referências.
 Solicite um " Encontre-nos no Yelp " se você não tiver recebido o adesivo "Pessoas nos
amam no Yelp".

LEITURA ADICIONAL: Você não pode ter muita coisa boa (especialmente boas
críticas). Leia o nosso guia para incentivar os comentários dos clientes .

Gerenciamento de Reputação Online


Gerenciar sua reputação on-line é essencial quando você recebe clientes para oferecer
feedback por meio de comentários. Para garantir que você não perca nada, configure um
serviço como o Alertas do Google para ser notificado toda vez que sua empresa for
mencionada on-line. A partir daí, você pode adotar uma abordagem mais proativa para o
gerenciamento de reputação online.

O que você não quer fazer é ficar irritado e ter sua pressão sanguínea passando pelo telhado
na primeira vez que você vê uma crítica negativa. Seu primeiro instinto pode ser entrar em
contato com a plataforma de análise e solicitar que ela seja desativada. Mas antes de fazer
isso, pode valer a pena ouvir o que Deanna Yick, porta-voz do Google Places, tem a dizer
sobre isso:

"As resenhas são um formulário para que os usuários compartilhem opiniões positivas e
negativas. Nós não arbitram disputas e, mais do que não, deixamos a revisão em alta."
Em vez de permitir que suas emoções façam com que você reaja, respire fundo e lide com
avaliações negativas on-line, como faria com qualquer crítica geral.

Trate a revisão como uma conversa onde você tem que entrar, difundir a situação, oferecer
para compensar qualquer que seja sua insatisfação e, claro, destacar o positivo quando
possível e apontar para avaliações e avaliações mais positivas. Naturalmente, há muitas
outras maneiras de lidar com reclamações de clientes , conforme descrito no blog do
HelpScout.

A outra coisa a ter em mente é que as críticas negativas devem ser catalisadores de
conversas internas e ações de melhoria. Cada crítica é uma oportunidade para chegar ao
fundo das possíveis armadilhas em suas operações existentes.

Isso pode levar a reuniões de equipe e gerenciamento nas quais você pode debater como
melhorar o atendimento ao cliente, criar políticas mais sólidas, capacitar seus funcionários da
linha de frente ou melhorar sua oferta de produtos. Ouvir o feedback de seus clientes pode
ajudá-lo a atender melhor às suas necessidades e, como resultado, conquistar sua lealdade
de longo prazo.

Avançando com uma estratégia de revisão on-line


Agora que você tem uma compreensão melhor de como as avaliações on-line influenciam as
decisões do consumidor, você pode começar a criar sua própria estratégia de gerenciamento
de reputação online.

Como as avaliações de clientes melhoraram sua empresa? Compartilhe seus pensamentos


nos comentários abaixo.

27 maneiras de aumentar o tráfego do site em 2018

por Brian Dean Ultima atualização 24 de julho de 2018


Neste post, mostrarei como direcionar mais tráfego para seu website.

Você também verá como usei essas estratégias para levar meu site de zero a mais de 180 mil
visitantes únicos por mês.
Fica melhor:

Todas essas estratégias estão funcionando EXCELENTE agora (em 2018).

Com isso, aqui estão as estratégias que você vai aprender:

 1. A publicação do convidado “Upside Down”


 2. Revisão e atualização de postagens de blog antigas
 3. Use links "Clique para Tweetar"
 4. Otimize seu conteúdo com palavras-chave LSI
 5. Obtenha mais tráfego de suas postagens de blog com "Transformação de conteúdo"
 6. Vá em Podcasts
 7. Promova seu site com o Blogger Outreach
 8. A Estratégia de Relançamento de Conteúdo
 9. Crie conteúdo que agrade aos influenciadores
 10. Compartilhe vídeos no LinkedIn
 11. Organize um Concurso de Doação
 12. Adicionar "acionadores de compartilhamento" ao seu conteúdo
 13. Retarget visitantes com anúncios do Facebook
 14. Reduza sua taxa de rejeição
 15. Publicar conteúdo de longa duração
 16. Otimize para o primeiro índice móvel do Google
 17. Crie um canal ativo no YouTube
 18. Publique Conteúdo Viral
 19. Promova postagens de blogs e vídeos no quuu
 20. Republicar artigos antigos no LinkedIn
 21. Use um “Analisador de Perguntas” para criar conteúdo insanamente útil
 22. Adicionar conteúdo atraente para postagens de mídia social
 23. Melhore sua taxa de cliques orgânica
 24. Publique mais list posts
 25. Roubar as fontes de tráfego dos seus concorrentes
 26. Direcione o tráfego para o seu site dos fóruns
 27. Syndicate seu conteúdo no Medium
 Estratégia de bônus nº 1: postar em mídias sociais em épocas estratégicas
 Bonus Strategy # 2: Encontre mais palavras-chave com "palavras-chave em todos os
lugares"

1. A publicação do convidado “Upside Down”


Aqui está o acordo:

Quando a maioria das pessoas lê o seu guest post, ele ignora completamente a seção bio
do autor.

Eu não posso culpá-los ...

A maioria das caixas de bio de autor está enterrada na parte inferior da página, assim:

Este é um problema enorme.

Se as pessoas não virem seu link na sua biografia do autor, elas não visitarão seu site.

Felizmente, há uma solução simples para esse problema: a postagem para


convidados “de cabeça para baixo”.

Aqui está o processo passo a passo:

1. Primeiro, escreva uma postagem como você faria normalmente.

2. Em seguida, inclua seções de "recursos úteis" em toda a postagem do convidado.


Essas seções contêm 2-3 recursos úteis sobre o tópico que você acabou de abordar.

Aqui está um exemplo:

3. Finalmente, inclua o seu conteúdo como um dos "recursos úteis".

Por exemplo, aqui está uma postagem que publiquei há algum tempo:
E eu estrategicamente vinculado ao meu conteúdo como um dos "recursos para check-out":
E esse link trouxe 78% mais tráfego do que o meu link bio do autor.
Muito legal 🙂

O que nos leva à estratégia # 2 ...

2. Revisão e atualização de postagens de blog antigas


Essa estratégia simples me rendeu 50,95% mais tráfego em 7 dias:
Aqui está exatamente como eu fiz:

1. Primeiro, encontrei um post no meu site que estava desatualizado.

Como se viu, meu guia para o YouTube SEO estava insanamente desatualizado:
2. Em seguida, atualizei e melhorei o post.

Especificamente, adicionei novas capturas de tela:


Polvilhado em novas estratégias e técnicas:
E eliminou estratégias antigas que não funcionavam mais:

3. Por fim, atualizei o novo post para fazer as alterações ao vivo.


E assim, o tráfego para essa página disparou como um foguete.

(Como esse era um post antigo, como você pode ver aqui no meu Google Analytics, a maior
parte desse aumento de tráfego foi de tráfego orgânico)
Todo esse processo levou cerca de uma hora.

E eu tenho muito mais tráfego de SEO do que eu publicaria um novo post.

Com isso, chegou a hora da nossa terceira estratégia ...

3. Use links "Clique para Tweetar"


Essa é uma das melhores maneiras de obter mais compartilhamentos do seu conteúdo.

De fato, Click To Tweet Links são uma das principais razões que este post do meu blog tem
mais de 6k compartilhamentos de mídia social:
Com isso, deixe-me mostrar como funcionam os links do Click To Tweet:

1. Encontre algo “tweetable” em seu conteúdo.

Isso pode ser uma dica, estratégia, cotação ou estatística do tamanho da mordida.

Por exemplo, minha postagem listou várias estratégias de criação de listas.

Então eu considerei cada estratégia na minha lista “tweetable”.


2. Crie um link Clique para Tweetar.

Vá até ClickToTweet.com e escreva seu tweet:


E a ferramenta irá gerar um link especial para você:

3. Finalmente, inclua esse link em seu conteúdo.

Sempre que alguém clica no link ...


… Eles recebem um tweet pré-escrito para facilitar o compartilhamento:
É tão fácil.

4. Otimize seu conteúdo com palavras-chave LSI


Não é nenhum segredo que SEO é uma das melhores maneiras de direcionar o tráfego para o
seu site.

Dito isso, a maioria das estratégias de SEO da velha escola não funciona mais.

E isso é em grande parte porque o algoritmo Hummingbird do Googlemudou TUDO sobre o


SEO:

Em vez de apenas olhar para as palavras-chave, o Google agora entende os tópicos .

(Que grande mudança foi essa atualização? Google disse que: "Hummingbird afeta 90% de
todas as pesquisas ...". Wow).
A questão é:

Como você se certifica de que o Google entenda o assunto do seu conteúdo?

Palavras-chave LSI.

Palavras- chave LSI são palavras e frases relacionadas à sua palavra-chave alvo.

Por exemplo, digamos que você acabou de escrever uma postagem sobre mídia social.

Palavras-chave LSI seriam palavras e frases como:

 página do Facebook
 Twitter
 LinkedIn
 Conteúdo viral
 Pinterest

E quando o Google vê essas palavras-chave no seu conteúdo, elas dizem: “Ótimo. Este
conteúdo é definitivamente sobre mídias sociais ”.

Então, como você encontra essas palavras-chave LSI?

Uma ótima ferramenta gratuita chamada LSI Graph .

Essa ferramenta mostra dúzias de palavras-chave relacionadas ao seu tópico:


Então, basta colocar essas palavras-chave LSI em sua postagem…

… E você está pronto.

5. Obtenha mais tráfego de suas postagens de blog com


"Transformação de conteúdo"
Transformação de conteúdo é simples:

Você simplesmente converte um dos seus posts em outro formato(como um e-book, vídeo,
infográfico ou podcast).

Por exemplo, publiquei este estudo de caso no meu blog há algum tempo:
Como você pode ver, esta postagem gerou muitos compartilhamentos sociais ...

… E comentários.
Mas eu sabia que poderia extrair ainda mais valor desse conteúdo.

Então eu transformei essa postagem em um vídeo do YouTube:


Esse único vídeo gerou mais de 150 mil visualizações ... e centenas de visitantes do site.

(Tudo a partir de um pedaço de conteúdo que eu publiquei ANOS atrás)

Esse é o poder da transformação de conteúdo.

6. Vá em Podcasts
Os podcasts são EXPLODIR.

(Na verdade, uma pesquisa descobriu que 24% dos americanos ouvem regularmente podcasts)

Isso significa que você deve pegar o microfone mais próximo e iniciar um podcast?

Não.

Em vez disso, recomendo ir em podcasts de outras pessoas como convidado.

Esta estratégia funciona tão bem que eu tento ir em 2-3 podcasts por mês.

Na verdade, eu apareci em mais de 100 episódios de podcast :


E esses episódios me trouxeram dezenas de milhares de visitantes.

Por exemplo, uma vez recebi 984 visitantes em 60 dias a partir de um único episódio de
podcast:
Como bônus, você normalmente recebe pelo menos um backlink nas notas da série, o que pode
ajudar na classificação do seu mecanismo de busca:
E agora é hora de…

7. Promova seu site com o Blogger Outreach


Então você acabou de publicar uma parte incrível do conteúdo.

O que agora?

É hora de promovê-lo com o alcance do blogueiro.

Na verdade, um dos meus posts mais recentes recebeu um bom aumento no tráfego em grande
parte devido a um único tweet de um influente blogueiro:
A questão é…

Como?

Tudo o que você precisa fazer é encontrar blogueiros que compartilhem conteúdo em seu
tópico…

… E envie-lhes um email não agressivo.

Aqui está um exemplo da vida real desse processo em ação:

Primeiro, enviei um e-mail personalizado para um blogueiro que já compartilhou


conteúdo no meu tópico :
(Dessa forma, eu sabia que ela realmente queria ler o meu post ... antes de eu clicar em
"enviar")

Quando ela voltou para mim, enviei-lhe um link:


( Dica profissional: não peça para a pessoa compartilhar ou vincular ao seu conteúdo. Se
eles acharem que seu conteúdo é bom, eles o compartilharão)

Porque eu não era uma idiota insistente, este blogueiro ficou feliz em espalhar a palavra:

Isso é tudo que existe para isso.

8. A Estratégia de Relançamento de Conteúdo


Isso é semelhante à técnica nº 2 deste guia…

… Com uma reviravolta importante.

Em vez de apenas melhorar seu conteúdo, você o relança completamente.

Em outras palavras:

Treat your improved content like a brand new post.

For example:

I recently revamped and relaunched this list of SEO copywriting tactics:


So I shared the post on social media:
And sent out an announcement to my email subscribers:

Which led to a significant boost in traffic (including almost 5k visitors in one day):
9. Create Content That Appeals to Influencers
Here’s the truth:

If you want influential people to share your content, you need to write stuff that appeals
directly to that group.

Example:

A few years ago I created an infographic for a client in the investing niche.

Even though that niche is far from “interesting”, our infographic went viral. We’re talking
thousands of targeted visits in the first two days.

Here’s the infographic:


Now there are dozens of reasons this infographic did so well… from the design to the content
promotion campaign.

But a good chunk of its success was due to one simple thing:

It appealed to the influencers in the personal finance space.

I’ll explain.

I noticed that, at the time, a lot of high-powered financial bloggers were up in arms about
inflation:
So I decided to create an infographic that highlighted the problem they cared so much about.

And this led to shares and mentions on several authority sites…

…and a boatload of traffic.


10. Share Videos On LinkedIn
LinkedIn is growing FAST.

In fact, a recent study found that the number of people sharing stuff on LinkedIn has increased
significantly in 2018:

That’s great and all. But HOW do you use LinkedIn to increase traffic to your website?

Post video content.

For example, here’s a video I recently posted on LinkedIn:


2 weeks later, my video has:

 634 likes
 106 comments
 31 THOUSAND views

Try getting that kind of engagement on Facebook 🙂

And now it’s time for me to show you another cool way to get people to visit your site…

11. Host a Giveaway Contest


People love free stuff.

(No surprise there)

But what might surprise you is: you can use free stuff to get more traffic.

How?

Host a giveaway contest.

Here’s an example of a contest my friend Noah Kagan recently put together:


See how that works?

To enter the contest, people need to give you their email address (you then add them to your
email list).

It gets better:

You can incentivize people to share your contest with their friends:
(And those shares will drive more traffic to your website and grow your email list)

Now:

This contest was done with KingSumo. But if you have the technical know-how, you can set
this up yourself.

12. Add “Share Triggers” To Your Content


In my experience, content largely succeeds or fails based on one factor:
Whether or not the content has Share Triggers.

What are Share Triggers?

They’re things you include in your content that push people to share it.

A lot of these principles were first discovered by behavioral scientists like Dr. Jonah Berger,
Dr. Katherine Milkman and Jure Leskovec.

And they’ve proven in the lab what I discovered through trial-and-error:

When you include Share Triggers in your content, people are significantly more likely share
and link to it.

For example:

One of the most powerful Share Triggers is Social Currency.

Social Currency is the idea that we share things that make us look good. And this Share
Trigger is a large part of the reason that The Shrinking Dollar infographic I mentioned earlier
did so well.

Specifically, this infographic confirmed what influencers were already saying: inflation is a big
problem.

And my content backed up their rants with meaty data:


Every time an influencer shared my infographic with their audience, it boosted their Social
Currency.

So they shared it… again and again.

It even got included in Google News thanks to a feature in The Christian Post.

All because I strategically added the “Social Currency” Share Trigger into my content.

Very cool.

13. Retarget Visitors With Facebook Ads


Let’s face it:

Facebook ads are getting EXPENSIVE.


Felizmente, eu encontrei um pouco de “brecha” que me ajudou a levar os visitantes
direcionados a laser por centavos:

Retargeting.

Veja como isso funciona:

Primeiro, crie um anúncio no Facebook que envie pessoas para uma postagem no
blog.

Aqui está um exemplo da vida real:


Em seguida, segmente as pessoas que visitaram seu site nos últimos dois meses:
Por fim, execute o anúncio.

E você provavelmente descobrirá que seu CPC é muito barato em comparação com a maioria
dos outros tipos de publicidade (como o Google Adwords).

Agradável.

14. Reduza sua taxa de rejeição


Uma taxa de rejeição alta prejudica as visualizações de página, as conversões do seu site… e
pode até mesmo prejudicar o seu SEO.

(Na verdade, graças ao algoritmo RankBrain do Google , a taxa de rejeição é agora um sinal de
classificação super importante).

Essa é a má notícia.
A boa notícia é que melhorar sua taxa de rejeição é insanamente fácil.

Eu acompanho todo o processo neste pequeno vídeo:

15. Publicar conteúdo de longa duração


A while back BuzzSumo analyzed a million articles.

Why?

They wanted to see which TYPES of content worked best.

And they found that long-form content gets more shares and backlinks than short posts
(<1,000 words):
In fact, as you can see in the chart above, long content (>3k words) gets an average of
208% more shares than short articles.

I’ve noticed this myself.

For example, here’s a long-form blog post from my blog (a giant list of SEO techniques):
This guide weighs in at a staggering 6,558 words.

And the simple fact that my post is insanely long is a big reason why it’s been shared 12,909
times:

(And those shares have sent over 50,000 visitors to my website)

16. Optimize for Google’s Mobile-First Index


As you might have heard, Google recently rolled out their “Mobile-First Index”:
This update means that Google now counts the mobile version of your site FIRST.

(It also means that Google largely ignores the desktop version of your site)

So:

How do you know if your site is mobile optimized?

Well, Google created a free tool for doing just that: The Mobile-Friendly Test.

This nifty tool tells you if your site is optimized properly for mobile devices…
… and gives you specific recommendations to make your site better:

I also recommend checking out my guide to mobile optimization.


17. Create an Active YouTube Channel
If you want to drive more traffic to your website, YouTube HAS to be on your radar screen.

Why?

YouTube has now passed Facebook as the 2nd most popular website on the planet (only
behind Google):

In fact, YouTube is one of my top 5 traffic sources (along with Google, Facebook and referral
traffic from blogs).

That said:

Getting views on your YouTube videos is HARD.

But it doesn’t have to be.

That’s why I’m going to point you to two resources that will help you get more views on your
videos.

Resource #1: Video SEO: The Definitive Guide


This guide shows you EVERYTHING you need to know about ranking your videos in YouTube
and Google.

It covers keyword research, video tags and more.

Resource #2: YouTube SEO: 9 Actionable Tips for Ranking Videos (2018)

This video will show you 9 tips that helped me rank #1 in YouTube for competitive keywords
(like “SEO tutorial”):

18. Publish Viral Content


Is there a formula for creating content that goes viral?

Nope! Or else everyone would do it…

That said, there ARE 3 things you can do to increase the odds that your content spreads like
wildfire.

1. First, viral content tends to contain lots of visuals.

This can be a bunch of images. Or an infographic. Or a video.

The type of image doesn’t matter. The important thing is that you actually use images in your
content.

Why?

Industry studies show that image-rich content gets 90%+ more social shares vs. content that’s
all text:
2. Second, viral content tends to have a high “Utility”.

This simply means that your content is super useful in some way.

Maybe you show people how to steam broccoli.

Or you teach them to nail their job interview.

Either way, research shows that extremely practical content has a very high chance of going
viral.

3. Lastly, viral content needs an initial “push” to get going.

For example, Chris Gimmer got over 17k visitors to his site in one day (thanks to a blog post
that went viral):
And it wouldn’t have happened if Chris didn’t promote his content on sites like Reddit… which
led to hundreds of visitors within hours.
19. Promote Blog Posts and Videos on Quuu
Quuu is a dead-simple way to get people to promote your content on social media.

All you need to do is submit your best content…

…and they’ll ask influencers to share it on Facebook, Twitter, LinkedIn and more.

I recently promoted one of my posts on Quuu. And got a handful of shares from influential
people in the digital marketing space:
Not bad.

20. Republish Old Articles on LinkedIn


LinkedIn is an awesome place to syndicate your content.

For example, I published this study of YouTube ranking factors on my blog about a year ago:
This post did well. Lots of people read my post and shared it on social media.

But I KNEW that there were thousands of people that could benefit from my content… but
hadn’t seen it yet.

So I republished my content as a LinkedIn article:


Which (along with my other LinkedIn posts) led to a decent chunk of targeted traffic:
21. Use a “Question Analyzer” To Create Insanely Useful
Content
This strategy is an AWESOME way to make your content better.

(As you know, the better content = more traffic)

All you need to do is find questions that your target audience asks online.

Then, answer those questions in your content.

Here’s how to do it…

First, use a tool like Buzzsumo’s Question Analyzer or Answer the Publicto easily find
questions that people ask:
Then, either create entire posts to answer these questions…
…or incorporate the answers into your content.
Simple.

22. Add Enticing Content To Social Media Posts


Here’s a mistake a lot of people make:

They share their content on social media… without giving people ANY reason to click.

Here’s an example:
Hey, I’m not judging. I used to do the same thing:
But I recently discovered that something:

Adding content to your posts dramatically increase your CTR.

For example, when I tweet out a new post, I include a bulleted list of features:
As you can see, that extra content leads to a ton of engagement:
(And clicks)

Sweet!

23. Improve Your Organic Click-Through-Rate


I have some good news:

If you want more traffic from Google, you DON’T need higher rankings.

(Seriously)

Instead, you can focus on improving your click-through-rate (CTR).

For example, let’s say you rank #3 for your target keyword. And your CTR is 4%.
And let’s say that you double that CTR to 8%.
Well, you just doubled your organic traffic… without improving your rankings.

But wait, there’s more 🙂

CTR is now an important ranking signal in Google’s algorithm.

So when you get a higher CTR, you’ll ALSO improve your rankings.
That’s great. But HOW do you improve your CTR?

Here are a few tips that work great:

 Add a number to your title (like “17” or “58%”)


 Write an intriguing meta description
 Teste títulos diferentes e veja qual deles obtém a melhor CTR
 Use títulos altamente emocionais
 Inclua sua palavra-chave em seu URL

Vamos mergulhar direto na nossa próxima dica ...


24. Publique mais list posts
Não há maneira de contornar isso:

Quando se trata de direcionar o tráfego para o seu site, as mensagens da lista funcionam
EXCELENTE.

E há provas para sustentar isso.

(Além do fato de que você está lendo um post da lista agora mesmo)

Como mencionei na estratégia # 15, o BuzzSumo analisou recentemente um milhão de artigos.

Bem, nesse mesmo estudo eles descobriram que as mensagens da lista CRUSHED todos os
outros formatos de conteúdo:
Como você pode ver no gráfico, as postagens da lista receberam 6x mais compartilhamentos
do que as postagens práticas (e 40x mais compartilhamentos que os infográficos).

E quando olho para o meu próprio conteúdo, percebo a mesma coisa.

For example, this mega list of SEO tools is one of my most shared pieces of content I’ve ever
written.
It’s got 18.4k shares and almost 900 comments:

25. Steal Your Competitors’ Traffic Sources


Imagine that you could see the EXACT places that send your competitors traffic.

That would be a goldmine, right?

Well, your competitors aren’t about to send you their Google Analytics password.

Fortunately, you don’t need it.

Why?

You can see all of their top traffic sources for free with SimilarWeb.

SimilarWeb not only shows you a sweet overview of a site’s traffic…


…but exactly where they get that traffic from.

Goldmine.

26. Drive Traffic To Your Website From Forums


Forums are a VERY underrated traffic source.

Quando você se torna um membro ativo e respeitado de um fórum, você construiu um funil…

… Um funil que leva as pessoas de volta ao seu site.

Deixe-me guiá-lo por um exemplo:


Quando comecei meu blog, comecei do zero.

Eu tinha seguidores ZERO, ZERO visitors e ZERO email Inscritos.

E eu sabia que SEO e mídias sociais são ótimas maneiras de obter tráfego ... mas eles demoram
para entrar.

Então, para dar uma vantagem ao meu tráfego, tornei-me um membro ativo de um fórum de
marketing.

Eu respondi as perguntas das pessoas ...

… E até postou algum conteúdo original:


E isso levou a um influxo de visitantes para o meu novo blog.

E agora é hora da nossa última estratégia ...

27. Syndicate seu conteúdo no Medium


Medium.com é um dos melhores lugares para distribuir suas melhores coisas.

Na verdade, recentemente recebi 310 visitantes segmentados em uma semana de uma


postagem do Medium:
310 visitantes não vão mudar minha vida nem nada.

Mas são 310 visitantes que levaram cerca de 3 minutos para chegar.

Tudo o que você precisa fazer é republicar seu conteúdo (palavra por palavra) no Medium.

Aqui está um exemplo de um dos meus reposts da Medium:


Então, quando sua postagem estiver ao vivo, compartilhe-a no Twitter, Facebook e LinkedIn.

(Isso vai dar o post algum suco)

E quando a Medium perceber que as pessoas estão se engajando com sua postagem, elas
começarão a promovê-la em sua plataforma.
Estratégia de bônus nº 1: postar em mídias sociais em
épocas estratégicas
Assim, o CoSchedule analisou recentemente os melhores horários para postar em redes de
mídia social (incluindo Facebook, Instagram, Google+ e mais).

Veja o que eles encontraram:


Como você pode ver, eles descobriram que os melhores horários para postar em
cada rede são:

Facebook: 9h, 13h, 15h

Pinterest: 2pm, 9pm, 2am

Instagram: 9h, 17h, 2h

Google+: 9h, 11h e 13h

Bonus Strategy # 2: Encontre mais palavras-chave com


"palavras-chave em todos os lugares"
A pesquisa de palavras-chave é a parte mais importante do SEO.

Questão é:

Como você encontra palavras-chave inexploradas que todo mundo e sua mãe já não
conhecem?

Palavras-chave em todos os lugares .

Keywords Everywhere é uma extensão gratuita do Chrome que fornece ideias de palavras-
chave, bem… em todo o lado .

Por exemplo…

Na próxima vez que fizer uma pesquisa no Google, você verá dados de volume de pesquisa e
CPC sobre essa palavra-chave:
Ou na próxima vez que você comprar uma escova de dentes na Amazon - BOOM - você verá
dados de palavras-chave nos termos que a Amazon sugere:
Agora é sua vez
Espero que este post tenha mostrado como aumentar o tráfego do site usando algumas
estratégias interessantes e inexploradas.

Agora eu gostaria de ouvir sua opinião:

Qual técnica deste post você está pronto para tentar primeiro?

Você vai começar a organizar seu conteúdo no Medium?

Ou

Talvez você queira publicar um post de lista impressionante.

De qualquer forma, me avise na seção de comentários abaixo.