Anda di halaman 1dari 3

ULHT _ Engenharia Civil _ Mestre Arq.

André Cruz _ 2007/2008 _ Turmas 1T1, 1P1

1000 a.C. 1 d.C. 1000 d.C.

Grécia
c. 1000 a 100 a.C.

ARQUITECTURA

Resumo das aulas 2_3

ULHT _ Engenharia Civil _ Mestre Arq. André Cruz _ 2007/2008 _ Turmas 1T1, 1P1

Antiguidade clássica _ Arq. Grega


1000 a.C. 1 d.C. 1000 d.C.

• Politeísmo - santuários dedicados Grécia


a vários deuses c. 1000 a 100 a.C.

• Ordens arquitectónicas

• Ágora - espaço público, local de


discussão e participação activa
dos cidadãos
Roma
c. 700 a.C. a 500 d.C.
• Templo

• Teatro

• Natureza

• Urbanismo regular

Antiguidade clássica _ Arq.Romana

• Politeísmo - santuários dedicados a


1000 d.C. 2000 d.C.
vários deuses Românico
c. 1000 a 1200 d.C.
• Fortificações

• Fórum - espaço público, local de


discussão e participação activa dos
cidadãos

• Infra-estruturas - estradas, aquedutos,


pontes, canalizações, balneários,
termas, mercados

• Basílicas, templos

• Teatro e anfiteatro/coliseu

• Betão primitivo

• O domínio dos romanos baseava-se,


em grande parte, nas suas obras de
engenharia

1
ULHT _ Engenharia Civil _ Mestre Arq. André Cruz _ 2007/2008 _ Turmas 1T1, 1P1

Época medieval _ Arq. Românica


1000 d.C. 2000 d.C.
Românico
c. 1000 a 1200 d.C.
• Monoteísmo

• Construção maciça - paredes muito


espessas

• Pouca luz - poucos vãos


Gótico
c. 1200 a 1500 d.C.
• Espaços de culto - igrejas
(predominantemente cruciformes)

• Temor a Deus

Época medieval _ Arq. Gótica


1000 d.C. 2000 d.C.
Românico
c. 1000 a 1200 d.C.
• Catedral Renascimento
– necessidade não só religiosa mas c. 1500 a 1600 d.C.
também social
– ponto de reunião polivalente onde se
celebram mercados e reuniões de todos
os tipo incluindo funerais
Gótico
c. 1200 a 1500 d.C.
• Verticalidade - aligeiramento de
massas e aparecimento de contrafortes
e arcobotantes

• Luminosidade - grandes vãos com


vitrais

• Louvor e amor a Deus

Arquitectura Renascentista
1000 d.C. 2000 d.C.
Românico
• Arquitectura oposta ao Gótico c. 1000 a 1200 d.C.
Renascimento
_ (re)descobrimento e (re)interpretação c. 1500 a 1600 d.C.
da Antiguidade

_ aplicação de nova descoberta técnica –


perspectiva (1425 Masaccio e
Brunelleshi) Gótico
c. 1200 a 1500 d.C. Barroco
– As corporações são substituídas pelo c. 1500 a 1800 d.C.
indivíduo

• O homem é a proporção divina

Leonardo da Vinci, Cânone das Proporções Humanas, Veneza


Academia

2
ULHT _ Engenharia Civil _ Mestre Arq. André Cruz _ 2007/2008 _ Turmas 1T1, 1P1

Arquitectura Barroca
1000 d.C. 2000 d.C.
• Artes serviam para ofuscar, Românico
impressionar e transmitir conteúdos c. 1000 a 1200 d.C.
Renascimento
ideológicos c. 1500 a 1600 d.C.

• Utilização das regras renascentistas


com características cenográficas
Gótico
• Novas técnicas compositivas c. 1200 a 1500 d.C. Barroco
c. 1500 a 1800 d.C.

• Movimento, ânsia de novidade,


contrastes, audaciosa mistura de todas
as artes

Francesco Borromini, San Carlo alle Quattro Fontane, detalhe


da fachada, 1664-7, Roma
• Apelava para o instinto para a fantasia, Neoclássico
tendia para o fascínio c. 1750 a 1850 d.C.
A existência como obra de arte total - os
homens actuam como actores na presença • Séc. XIX Barroco era “superlativo do
de Deus, a obra que interpretam é a sua extravagante”
própria vida e o cenário é o mundo

Arquitectura Neoclássica

• Iluminismo - confiança na razão e na


ciência

• Primeiro dos revivalismos do séc. XIX


(neogrego, neobizantino, neogótico...)

• Reacção contra os excessos


decorativos do Barroco e a frivolidade
do Rococó

• Inspira-se nas formas helenísticas


Greco-Romanas

Carl Gotthard Langhans, Porta de Brandeburgo, 1789, Berlim


• Clareza e depuração (fachadas exteriores
e plantas)
A Arquitectura da Razão
• Utilização de linhas e ângulos rectos