Anda di halaman 1dari 5

Sumário

Assimilação.................................................................................................4

Equilibração................................................................................................ 4

Introdução

De acordo com as possibilidades de entendimento construídas pelo sujeito, ele tende a


assimilar idéias, mas, caso estas estruturas não estejam ainda construídas, acontece um
esforço contrário ao da assimilação. Há uma modificação de hipóteses e concepções
anteriores que vão ajustando-se àquilo que não foi possível assimilar. É o que ele
chama de acomodação, onde o sujeito age no sentido de transformar-se em função das
resistências colocadas pelo objeto do conhecimento.
O desequilíbrio é, portanto fundamental, pois, o sujeito buscará novamente o
reequilíbrio, com a satisfação da necessidade, daquilo que ocasionou o desequilíbrio.
A inteligência para Piaget se constrói na medida em que novos patamares de
equilíbrio adaptativo são alcançados. Piaget concluiu sua obra explicitando qual o motor
pelo qual este equilíbrio se processa, mas, além disto, Piaget estudou exaustivamente a
gênese das estruturas cognitivas nas crianças da sua comunidade.
Piaget aborda a inteligência como algo dinâmico, que decorre da construção de
estruturas de conhecimento que, enquanto vão sendo construídas, vão se instalando no
cérebro. A inteligência, portanto, não aumenta por acréscimo e sim por reorganização.
Para ele o desenvolvimento da inteligência é explicado pela relação recíproca
existente com a gênese da inteligência e do conhecimento. Piaget criou um modelo
epistemológico com base na interação sujeito - objeto.
Pelo modelo epistemológico o conhecimento não está nem no sujeito, nem no
objeto, mas na interação entre ambos.

Segundo Piaget, o conhecimento se constrói na interação do sujeito com o


objeto. Estruturas não estão pré-formadas dentro do sujeito, são construídas. Há, no ser
vivo elementos variáveis e invariáveis. Ocorre uma construção contínua de estruturas
variadas. A analogia entre biologia e inteligência só pode ser apreendida retendo as
invariantes funcionais que lhes são comuns. Os funcionamentos invariantes devem ser
situados no âmbito das duas funções biológicas mais gerais: a organização e a
adaptação.

2
A construção do conhecimento ocorre quando acontecem ações físicas ou
mentais sobre objetos que, provocando o desequilíbrio, resultam em assimilação ou,
acomodação e assimilação dessas ações e, assim, em construção de esquemas ou
conhecimento. Em outras palavras, uma vez que a criança não consegue assimilar o
estímulo, ela tenta fazer uma acomodação e após, uma assimilação e o equilíbrio é,
então, alcançado.

Acomodação
A construção do conhecimento ocorre quando acontecem ações físicas ou
mentais sobre objetos que, provocando o desequilíbrio, resultam em assimilação ou,
acomodação e assimilação dessas ações e, assim, em construção de esquemas ou
conhecimento. Em outras palavras, uma vez que a criança não consegue assimilar o

3
estímulo, ela tenta fazer uma acomodação e após, uma assimilação e o equilíbrio é,
então, alcançado.

Assimilação

É o processo cognitivo de colocar (classificar) novos eventos em esquemas


existentes. É a incorporação de elementos do meio externo (objeto, acontecimento, ...) a
um esquema ou estrutura do sujeito.
Em outras palavras, é o processo pelo qual o indivíduo cognitivamente capta o ambiente
e o organiza possibilitando, assim, a ampliação de seus esquemas.
Na assimilação o indivíduo usa as estruturas que já possui.

Equilibração

É o processo da passagem de uma situação de menor equilíbrio para uma de


maior equilíbrio. Uma fonte de desequilíbrio ocorre quando se espera que uma situação
ocorra de determinada maneira, e esta não acontece.

Adaptação

A adaptação é um equilíbrio entre a assimilação e a acomodação. O organismo


vivo é um ciclo de processos dinâmicos que vão sofrendo transformações para manter a
homeostasia. A assimilação ocorre para que haja as transformações necessárias, tanto do
ponto de vista físico, biológico como intelectual. "A inteligência é assimilação na
medida em que incorpora nos seus quadros todo e qualquer dado da experiência. Quer
se trate do pensamento quer graças ao juízo faz ingressar o novo no desconhecido e
reduz assim o universo às suas noções próprias, quer se trate da inteligência sensória
motora que estrutura as coisas percebidas, integrando-as nos seus esquemas." ( Piaget,
1979, p. 16).

4
Referências Bibliográficas
LIMA, Lauro de Oliveira. Piaget para principiantes. 2. ed. São Paulo: Summus, 1980.
284 p.

PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência na criança. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar,


1982. 389 p.