Anda di halaman 1dari 6

RESENHA

Leitor iniciante
Marina relata, nessa história, seu encontro com cães especiais,
que fazem parte de sua vida: Meiga, Maribel e Milord. A história

Leitor em processo A amizade abana o rabo começa com a chegada de Tusca, que nem sempre teve esse nome,
uma cachorrinha grávida que, depois de invadir o jardim da au-
MARINA COLASANTI tora, acaba por cativá-la e à sua família, passando a viver com
eles. E era perto do Natal...
Leitor fluente Dos seis filhotes de Tusca, apenas duas cachorrinhas permane-
cem: Meiga e Maribel, que se transformam na paixão da casa.
Algum tempo depois, misteriosamente, assim como chegou, Tusca
vai embora.
É então que entra em cena Milord, um belo cachorro preto
que pertencia a uma vizinha. Grande, elegante, de hábitos deli-
cados, o animal vai, pouco a pouco, aproximando-se e conquis-
tando a autora e as duas cachorrinhas.
Ninguém poderia imaginar que Milord, algum tempo depois,
se revelaria um herói ao salvar Meiga, uma das cadelinhas que
MARINA COLASANTI havia sido gravemente ferida por algum animal selvagem. Milord,
com um comportamento pouco habitual, acaba conduzindo sua
A amizade abana o rabo proprietária até o local em que Meiga se encontra, já quase sem
vida. Levada a um veterinário, a cachorrinha acaba se recuperan-
do das agressões sofridas, graças à inteligência e ao amor do gran-
ILUSTRAÇÕES: MARINA COLASANTI de cachorro preto. Todos comemoram seu retorno. Meiga, Maribel
e Milord celebram o final feliz dessa história de amizade que
abana o rabo.

UM POUCO SOBRE A AUTORA

Marina Colasanti nasceu no ano de 1937, em Asmara, capital COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA
PROJETO DE LEITURA de um país chamado Eritréia, que fica às margens do Mar Verme-
lho, no continente africano. Com mais ou menos três anos, trans- A relação entre o homem e os animais inspirou muitos escrito-
Maria José Nóbrega feriu-se para a Itália, terra de seus pais. Com onze anos, mudou- res. Em A amizade abana o rabo, Marina Colasanti explora o tema
Rosane Pamplona se para o Brasil e aqui permaneceu. com rara sensibilidade. O afeto que atravessa a relação dela com
Estudou na faculdade de Belas Artes, no Rio de Janeiro e, como seus cachorros perpassa todo o relato. Por meio de suas palavras,
artista plástica, recebeu diversos prêmios, principalmente por suas palavras que traduzem e interpretam o que os cachorros fazem,
gravuras. Em 1962, resolveu cursar jornalismo e passou, também, nos aproximamos desse círculo de amigos.
a trabalhar como redatora, colunista e tradutora. Sua estréia como A narrativa convida o leitor a refletir a respeito desse senti-
escritora deu-se, em 1968, com o livro Eu, sozinha, em que de- mento tão particular — a amizade — e do que ele exige de res-
senvolve uma prosa memorialista, parecida com a que se verifica peito às diferenças e à liberdade.
em Amizade abana o rabo.
Marina, que diz pensar também com os olhos, ilustra suas pró- Áreas envolvidas: Língua Portuguesa
prias histórias, articulando a arte de escrever à de pintar, encan-
tando duplamente. Temas transversais: Ética
Entre outros livros, escreveu: Uma idéia toda azul; Doze reis e
a moça no labirinto do vento; Ofélia, a ovelha; A mão na massa. Público-alvo: Leitor fluente
2 3
RESENHA
Leitor iniciante
Marina relata, nessa história, seu encontro com cães especiais,
que fazem parte de sua vida: Meiga, Maribel e Milord. A história

Leitor em processo A amizade abana o rabo começa com a chegada de Tusca, que nem sempre teve esse nome,
uma cachorrinha grávida que, depois de invadir o jardim da au-
MARINA COLASANTI tora, acaba por cativá-la e à sua família, passando a viver com
eles. E era perto do Natal...
Leitor fluente Dos seis filhotes de Tusca, apenas duas cachorrinhas permane-
cem: Meiga e Maribel, que se transformam na paixão da casa.
Algum tempo depois, misteriosamente, assim como chegou, Tusca
vai embora.
É então que entra em cena Milord, um belo cachorro preto
que pertencia a uma vizinha. Grande, elegante, de hábitos deli-
cados, o animal vai, pouco a pouco, aproximando-se e conquis-
tando a autora e as duas cachorrinhas.
Ninguém poderia imaginar que Milord, algum tempo depois,
se revelaria um herói ao salvar Meiga, uma das cadelinhas que
MARINA COLASANTI havia sido gravemente ferida por algum animal selvagem. Milord,
com um comportamento pouco habitual, acaba conduzindo sua
A amizade abana o rabo proprietária até o local em que Meiga se encontra, já quase sem
vida. Levada a um veterinário, a cachorrinha acaba se recuperan-
do das agressões sofridas, graças à inteligência e ao amor do gran-
ILUSTRAÇÕES: MARINA COLASANTI de cachorro preto. Todos comemoram seu retorno. Meiga, Maribel
e Milord celebram o final feliz dessa história de amizade que
abana o rabo.

UM POUCO SOBRE A AUTORA

Marina Colasanti nasceu no ano de 1937, em Asmara, capital COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA
PROJETO DE LEITURA de um país chamado Eritréia, que fica às margens do Mar Verme-
lho, no continente africano. Com mais ou menos três anos, trans- A relação entre o homem e os animais inspirou muitos escrito-
Maria José Nóbrega feriu-se para a Itália, terra de seus pais. Com onze anos, mudou- res. Em A amizade abana o rabo, Marina Colasanti explora o tema
Rosane Pamplona se para o Brasil e aqui permaneceu. com rara sensibilidade. O afeto que atravessa a relação dela com
Estudou na faculdade de Belas Artes, no Rio de Janeiro e, como seus cachorros perpassa todo o relato. Por meio de suas palavras,
artista plástica, recebeu diversos prêmios, principalmente por suas palavras que traduzem e interpretam o que os cachorros fazem,
gravuras. Em 1962, resolveu cursar jornalismo e passou, também, nos aproximamos desse círculo de amigos.
a trabalhar como redatora, colunista e tradutora. Sua estréia como A narrativa convida o leitor a refletir a respeito desse senti-
escritora deu-se, em 1968, com o livro Eu, sozinha, em que de- mento tão particular — a amizade — e do que ele exige de res-
senvolve uma prosa memorialista, parecida com a que se verifica peito às diferenças e à liberdade.
em Amizade abana o rabo.
Marina, que diz pensar também com os olhos, ilustra suas pró- Áreas envolvidas: Língua Portuguesa
prias histórias, articulando a arte de escrever à de pintar, encan-
tando duplamente. Temas transversais: Ética
Entre outros livros, escreveu: Uma idéia toda azul; Doze reis e
a moça no labirinto do vento; Ofélia, a ovelha; A mão na massa. Público-alvo: Leitor fluente
2 3
RESENHA
Leitor iniciante
Marina relata, nessa história, seu encontro com cães especiais,
que fazem parte de sua vida: Meiga, Maribel e Milord. A história

Leitor em processo A amizade abana o rabo começa com a chegada de Tusca, que nem sempre teve esse nome,
uma cachorrinha grávida que, depois de invadir o jardim da au-
MARINA COLASANTI tora, acaba por cativá-la e à sua família, passando a viver com
eles. E era perto do Natal...
Leitor fluente Dos seis filhotes de Tusca, apenas duas cachorrinhas permane-
cem: Meiga e Maribel, que se transformam na paixão da casa.
Algum tempo depois, misteriosamente, assim como chegou, Tusca
vai embora.
É então que entra em cena Milord, um belo cachorro preto
que pertencia a uma vizinha. Grande, elegante, de hábitos deli-
cados, o animal vai, pouco a pouco, aproximando-se e conquis-
tando a autora e as duas cachorrinhas.
Ninguém poderia imaginar que Milord, algum tempo depois,
se revelaria um herói ao salvar Meiga, uma das cadelinhas que
MARINA COLASANTI havia sido gravemente ferida por algum animal selvagem. Milord,
com um comportamento pouco habitual, acaba conduzindo sua
A amizade abana o rabo proprietária até o local em que Meiga se encontra, já quase sem
vida. Levada a um veterinário, a cachorrinha acaba se recuperan-
do das agressões sofridas, graças à inteligência e ao amor do gran-
ILUSTRAÇÕES: MARINA COLASANTI de cachorro preto. Todos comemoram seu retorno. Meiga, Maribel
e Milord celebram o final feliz dessa história de amizade que
abana o rabo.

UM POUCO SOBRE A AUTORA

Marina Colasanti nasceu no ano de 1937, em Asmara, capital COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA
PROJETO DE LEITURA de um país chamado Eritréia, que fica às margens do Mar Verme-
lho, no continente africano. Com mais ou menos três anos, trans- A relação entre o homem e os animais inspirou muitos escrito-
Maria José Nóbrega feriu-se para a Itália, terra de seus pais. Com onze anos, mudou- res. Em A amizade abana o rabo, Marina Colasanti explora o tema
Rosane Pamplona se para o Brasil e aqui permaneceu. com rara sensibilidade. O afeto que atravessa a relação dela com
Estudou na faculdade de Belas Artes, no Rio de Janeiro e, como seus cachorros perpassa todo o relato. Por meio de suas palavras,
artista plástica, recebeu diversos prêmios, principalmente por suas palavras que traduzem e interpretam o que os cachorros fazem,
gravuras. Em 1962, resolveu cursar jornalismo e passou, também, nos aproximamos desse círculo de amigos.
a trabalhar como redatora, colunista e tradutora. Sua estréia como A narrativa convida o leitor a refletir a respeito desse senti-
escritora deu-se, em 1968, com o livro Eu, sozinha, em que de- mento tão particular — a amizade — e do que ele exige de res-
senvolve uma prosa memorialista, parecida com a que se verifica peito às diferenças e à liberdade.
em Amizade abana o rabo.
Marina, que diz pensar também com os olhos, ilustra suas pró- Áreas envolvidas: Língua Portuguesa
prias histórias, articulando a arte de escrever à de pintar, encan-
tando duplamente. Temas transversais: Ética
Entre outros livros, escreveu: Uma idéia toda azul; Doze reis e
a moça no labirinto do vento; Ofélia, a ovelha; A mão na massa. Público-alvo: Leitor fluente
2 3
PROPOSTAS DE ATIVIDADES Quais as histórias que se cruzam? LEIA MAIS...
Que tragédia foi evitada por causa desse cruzamento de
Antes da leitura: histórias? 1. DA MESMA AUTORA
• ESTE É O FINAL FELIZ um final que só é feliz graças à inteli-
1. Deixe que seus alunos folheiem o livro para apreciar as ilustra- gência e ao amor. • Uma idéia toda azul — Rio de Janeiro, Editora Nórdica
ções que a própria autora, Marina Colasanti, produziu para o livro. Que ato de inteligência e amor é este a que se refere a autora? • Doze reis e a moça no labirinto do vento — Rio de Janeiro,
Editora Nórdica
2. Depois, estimule-os a explicitar os dados que puderam reco- Depois da leitura: • Ofélia, a ovelha — São Paulo, Editora Melhoramentos
lher sobre o lugar em que se desenrolará a história. • A mão na massa — São Paulo, Editora Salamandra
Embora não se possa identificá-lo com precisão, é possível reco- 1. Tusca, quando ainda não se chamava assim, chegou ao jardim
nhecer uma paisagem serrana, com casas rodeadas de jardins, da casa da autora perto do Natal. 2. SOBRE O MESMO ASSUNTO
localizadas perto de matas. Discuta com seus alunos em que a proximidade do Natal interfe-
riu nas decisões da família em relação à cachorra. • A mulher que matou os peixes — Clarice Lispector, Rio de
3. Em seguida, peça que explicitem o que já é possível saber a Janeiro, Editora Rocco
respeito das personagens da história, por exemplo, que há pes- 2. Tanto Tusca como Milord trazem uma história que Marina des- • O cavalinho azul — Maria Clara Machado, São Paulo, Com-
soas e animais, principalmente cachorros. cobre aos poucos. Tente recuperá-las. panhia das Letrinhas
Comente com seus alunos que, apesar de Marina só ficar conhecen- • Um dono para Buscapé — Giselda Laporta Nicolelis, São Pau-
4. Retome o título do livro, A amizade abana o rabo, e leia a do essas histórias depois que os animais passam a freqüentar sua lo, Editora Moderna
dedicatória Para Meiga, Maribel e Milord, amigos generosos sem casa, a experiência do leitor é diferente: como a autora, apenas de- • Será que ele vem? — Vivina de Assis Viana, São Paulo, Edito-
os quais este livro não teria acontecido. pois que Tusca parte, conhecemos sua história; mas, diferentemen- ra Moderna
A quem se referem os nomes próprios que aparecem na dedica- te da autora, ficamos conhecendo a história de Milord antes de sa- • Numa véspera de Natal — Júlio Emílio Braz, São Paulo, Edi-
tória? A pessoas ou a animais? ber como foi que ele passou a fazer parte da vida da família. tora Moderna
É possível fazer referência a acontecimentos passados, observan-
Durante a leitura: do a ordem cronológica ou em flashback, como fez Marina.

1. Leia os títulos de cada um dos capítulos que compõem o livro e 3. Dar nomes não é coisa simples. A mãe de Marina deu-lhe esse
peça a seus alunos que verifiquem em que são diferentes de ou- nome porque achava que lhe traria sorte, conforme ficamos sa-
tros que já tenham lido. Espera-se que eles percebam que os títu- bendo ao ler Autora e Obra (página 32). Da mesma forma, o
los se constituem em pequenas sinopses nas quais a autora, em nome dos animais de estimação também envolvem uma escolha
linhas gerais, esboça o enredo. nem sempre tão fácil.
• Recupere a história da escolha dos nomes dos cães, persona-
2. A partir das sinopses, é possível antecipar aspectos do conteú- gens dessa história.
do que serão desenvolvidos. • Aproveite a oportunidade e peça que seus alunos investi-
Explicite esses elementos e peça que estejam atentos a eles du- guem a respeito das razões que orientaram a escolha dos
rante a leitura: nomes dos animais de estimação deles ou pertencentes a
• ESTA É A HISTÓRIA DAS DUAS CACHORRAS COR DE LEITE E algum conhecido. Depois, deixe que exponham oralmente
MEL uma história que tem um pouco de tristeza e muita o que tiverem descoberto.
alegria.
Quais os acontecimentos alegres? 4. Episódios, como o que envolveu Milord e a cachorrinha Meiga,
Quais os tristes? ilustram a comovente e generosa relação de amizade entre os cães
• ESTA É A HISTÓRIA DO GRANDE CACHORRO PRETO uma his- e seus donos. Estimule seus alunos a relatarem experiências envolven-
tória que podia ter acabado cedo e mal, mas não acabou. do os animais de estimação deles, de algum familiar ou conhecido.
Que acontecimento poderia ter um desfecho ruim e não
teve? 5. Olavo Bilac, poeta parnasiano, tem um poema intitulado “Ve-
• ESTE É O PONTO EM QUE AS HISTÓRIAS SE CRUZAM um ludo” em que narra um ato heróico de um cachorro cujo nome é
ponto em que sem esse cruzamento teríamos tragédia. título do poema. Leia para seus alunos.
4 5
PROPOSTAS DE ATIVIDADES Quais as histórias que se cruzam? LEIA MAIS...
Que tragédia foi evitada por causa desse cruzamento de
Antes da leitura: histórias? 1. DA MESMA AUTORA
• ESTE É O FINAL FELIZ um final que só é feliz graças à inteli-
1. Deixe que seus alunos folheiem o livro para apreciar as ilustra- gência e ao amor. • Uma idéia toda azul — Rio de Janeiro, Editora Nórdica
ções que a própria autora, Marina Colasanti, produziu para o livro. Que ato de inteligência e amor é este a que se refere a autora? • Doze reis e a moça no labirinto do vento — Rio de Janeiro,
Editora Nórdica
2. Depois, estimule-os a explicitar os dados que puderam reco- Depois da leitura: • Ofélia, a ovelha — São Paulo, Editora Melhoramentos
lher sobre o lugar em que se desenrolará a história. • A mão na massa — São Paulo, Editora Salamandra
Embora não se possa identificá-lo com precisão, é possível reco- 1. Tusca, quando ainda não se chamava assim, chegou ao jardim
nhecer uma paisagem serrana, com casas rodeadas de jardins, da casa da autora perto do Natal. 2. SOBRE O MESMO ASSUNTO
localizadas perto de matas. Discuta com seus alunos em que a proximidade do Natal interfe-
riu nas decisões da família em relação à cachorra. • A mulher que matou os peixes — Clarice Lispector, Rio de
3. Em seguida, peça que explicitem o que já é possível saber a Janeiro, Editora Rocco
respeito das personagens da história, por exemplo, que há pes- 2. Tanto Tusca como Milord trazem uma história que Marina des- • O cavalinho azul — Maria Clara Machado, São Paulo, Com-
soas e animais, principalmente cachorros. cobre aos poucos. Tente recuperá-las. panhia das Letrinhas
Comente com seus alunos que, apesar de Marina só ficar conhecen- • Um dono para Buscapé — Giselda Laporta Nicolelis, São Pau-
4. Retome o título do livro, A amizade abana o rabo, e leia a do essas histórias depois que os animais passam a freqüentar sua lo, Editora Moderna
dedicatória Para Meiga, Maribel e Milord, amigos generosos sem casa, a experiência do leitor é diferente: como a autora, apenas de- • Será que ele vem? — Vivina de Assis Viana, São Paulo, Edito-
os quais este livro não teria acontecido. pois que Tusca parte, conhecemos sua história; mas, diferentemen- ra Moderna
A quem se referem os nomes próprios que aparecem na dedica- te da autora, ficamos conhecendo a história de Milord antes de sa- • Numa véspera de Natal — Júlio Emílio Braz, São Paulo, Edi-
tória? A pessoas ou a animais? ber como foi que ele passou a fazer parte da vida da família. tora Moderna
É possível fazer referência a acontecimentos passados, observan-
Durante a leitura: do a ordem cronológica ou em flashback, como fez Marina.

1. Leia os títulos de cada um dos capítulos que compõem o livro e 3. Dar nomes não é coisa simples. A mãe de Marina deu-lhe esse
peça a seus alunos que verifiquem em que são diferentes de ou- nome porque achava que lhe traria sorte, conforme ficamos sa-
tros que já tenham lido. Espera-se que eles percebam que os títu- bendo ao ler Autora e Obra (página 32). Da mesma forma, o
los se constituem em pequenas sinopses nas quais a autora, em nome dos animais de estimação também envolvem uma escolha
linhas gerais, esboça o enredo. nem sempre tão fácil.
• Recupere a história da escolha dos nomes dos cães, persona-
2. A partir das sinopses, é possível antecipar aspectos do conteú- gens dessa história.
do que serão desenvolvidos. • Aproveite a oportunidade e peça que seus alunos investi-
Explicite esses elementos e peça que estejam atentos a eles du- guem a respeito das razões que orientaram a escolha dos
rante a leitura: nomes dos animais de estimação deles ou pertencentes a
• ESTA É A HISTÓRIA DAS DUAS CACHORRAS COR DE LEITE E algum conhecido. Depois, deixe que exponham oralmente
MEL uma história que tem um pouco de tristeza e muita o que tiverem descoberto.
alegria.
Quais os acontecimentos alegres? 4. Episódios, como o que envolveu Milord e a cachorrinha Meiga,
Quais os tristes? ilustram a comovente e generosa relação de amizade entre os cães
• ESTA É A HISTÓRIA DO GRANDE CACHORRO PRETO uma his- e seus donos. Estimule seus alunos a relatarem experiências envolven-
tória que podia ter acabado cedo e mal, mas não acabou. do os animais de estimação deles, de algum familiar ou conhecido.
Que acontecimento poderia ter um desfecho ruim e não
teve? 5. Olavo Bilac, poeta parnasiano, tem um poema intitulado “Ve-
• ESTE É O PONTO EM QUE AS HISTÓRIAS SE CRUZAM um ludo” em que narra um ato heróico de um cachorro cujo nome é
ponto em que sem esse cruzamento teríamos tragédia. título do poema. Leia para seus alunos.
4 5
PROPOSTAS DE ATIVIDADES Quais as histórias que se cruzam? LEIA MAIS...
Que tragédia foi evitada por causa desse cruzamento de
Antes da leitura: histórias? 1. DA MESMA AUTORA
• ESTE É O FINAL FELIZ um final que só é feliz graças à inteli-
1. Deixe que seus alunos folheiem o livro para apreciar as ilustra- gência e ao amor. • Uma idéia toda azul — Rio de Janeiro, Editora Nórdica
ções que a própria autora, Marina Colasanti, produziu para o livro. Que ato de inteligência e amor é este a que se refere a autora? • Doze reis e a moça no labirinto do vento — Rio de Janeiro,
Editora Nórdica
2. Depois, estimule-os a explicitar os dados que puderam reco- Depois da leitura: • Ofélia, a ovelha — São Paulo, Editora Melhoramentos
lher sobre o lugar em que se desenrolará a história. • A mão na massa — São Paulo, Editora Salamandra
Embora não se possa identificá-lo com precisão, é possível reco- 1. Tusca, quando ainda não se chamava assim, chegou ao jardim
nhecer uma paisagem serrana, com casas rodeadas de jardins, da casa da autora perto do Natal. 2. SOBRE O MESMO ASSUNTO
localizadas perto de matas. Discuta com seus alunos em que a proximidade do Natal interfe-
riu nas decisões da família em relação à cachorra. • A mulher que matou os peixes — Clarice Lispector, Rio de
3. Em seguida, peça que explicitem o que já é possível saber a Janeiro, Editora Rocco
respeito das personagens da história, por exemplo, que há pes- 2. Tanto Tusca como Milord trazem uma história que Marina des- • O cavalinho azul — Maria Clara Machado, São Paulo, Com-
soas e animais, principalmente cachorros. cobre aos poucos. Tente recuperá-las. panhia das Letrinhas
Comente com seus alunos que, apesar de Marina só ficar conhecen- • Um dono para Buscapé — Giselda Laporta Nicolelis, São Pau-
4. Retome o título do livro, A amizade abana o rabo, e leia a do essas histórias depois que os animais passam a freqüentar sua lo, Editora Moderna
dedicatória Para Meiga, Maribel e Milord, amigos generosos sem casa, a experiência do leitor é diferente: como a autora, apenas de- • Será que ele vem? — Vivina de Assis Viana, São Paulo, Edito-
os quais este livro não teria acontecido. pois que Tusca parte, conhecemos sua história; mas, diferentemen- ra Moderna
A quem se referem os nomes próprios que aparecem na dedica- te da autora, ficamos conhecendo a história de Milord antes de sa- • Numa véspera de Natal — Júlio Emílio Braz, São Paulo, Edi-
tória? A pessoas ou a animais? ber como foi que ele passou a fazer parte da vida da família. tora Moderna
É possível fazer referência a acontecimentos passados, observan-
Durante a leitura: do a ordem cronológica ou em flashback, como fez Marina.

1. Leia os títulos de cada um dos capítulos que compõem o livro e 3. Dar nomes não é coisa simples. A mãe de Marina deu-lhe esse
peça a seus alunos que verifiquem em que são diferentes de ou- nome porque achava que lhe traria sorte, conforme ficamos sa-
tros que já tenham lido. Espera-se que eles percebam que os títu- bendo ao ler Autora e Obra (página 32). Da mesma forma, o
los se constituem em pequenas sinopses nas quais a autora, em nome dos animais de estimação também envolvem uma escolha
linhas gerais, esboça o enredo. nem sempre tão fácil.
• Recupere a história da escolha dos nomes dos cães, persona-
2. A partir das sinopses, é possível antecipar aspectos do conteú- gens dessa história.
do que serão desenvolvidos. • Aproveite a oportunidade e peça que seus alunos investi-
Explicite esses elementos e peça que estejam atentos a eles du- guem a respeito das razões que orientaram a escolha dos
rante a leitura: nomes dos animais de estimação deles ou pertencentes a
• ESTA É A HISTÓRIA DAS DUAS CACHORRAS COR DE LEITE E algum conhecido. Depois, deixe que exponham oralmente
MEL uma história que tem um pouco de tristeza e muita o que tiverem descoberto.
alegria.
Quais os acontecimentos alegres? 4. Episódios, como o que envolveu Milord e a cachorrinha Meiga,
Quais os tristes? ilustram a comovente e generosa relação de amizade entre os cães
• ESTA É A HISTÓRIA DO GRANDE CACHORRO PRETO uma his- e seus donos. Estimule seus alunos a relatarem experiências envolven-
tória que podia ter acabado cedo e mal, mas não acabou. do os animais de estimação deles, de algum familiar ou conhecido.
Que acontecimento poderia ter um desfecho ruim e não
teve? 5. Olavo Bilac, poeta parnasiano, tem um poema intitulado “Ve-
• ESTE É O PONTO EM QUE AS HISTÓRIAS SE CRUZAM um ludo” em que narra um ato heróico de um cachorro cujo nome é
ponto em que sem esse cruzamento teríamos tragédia. título do poema. Leia para seus alunos.
4 5