Anda di halaman 1dari 3

PROFESSOR: RODRIGO GOMES

TURMA: CARREIRAS POLICIAIS


PENAL ESPECIAL

cômodo; feito isso, recolhiam as coisas de valor e fugiam


EXERCÍCIOS no carro da família.
Nessa situação hipotética, os agentes devem ser punidos
por
ROUBO (157) a) roubo e constrangimento ilegal.
b) roubo e ameaça.
c) roubo e sequestro.
d) roubo circunstanciado.
31) (CESPE – 2018 – EBSERH) Julgue o item seguinte,
e) roubo e violação de domicílio.
relativos aos tipos penais dispostos no Código Penal e
nas leis penais extravagantes.
36) (CESPE – 2017 – SERES PE) Antônio, junto com
A distinção entre o roubo e a extorsão está no grau de
comparsa, abordou dois rapazes que caminhavam na rua
participação da vítima, tendo em vista que, no segundo
e os ameaçou com um revólver de brinquedo, subtraindo
tipo penal, é exigida a participação efetiva do agente
do primeiro R$ 20 e do segundo um isqueiro no valor de
lesado.
R$ 8. Notificados da ocorrência, os componentes de uma
guarnição da Polícia Militar de Pernambuco, ao final de
32) (CESPE – 2018 – STJ) Tendo como referência a
rápida diligência, os localizaram e prenderam em
jurisprudência sumulada dos tribunais superiores, julgue
situação de flagrância, já que estavam na posse da res
o item a seguir, acerca de crimes, penas, imputabilidade
furtiva. Durante a lavratura do flagrante, Antônio
penal, aplicação da lei penal e institutos.
identificou-se com nome fictício, para esconder seus
Na hipótese de tentativa de subtração patrimonial e
antecedentes criminais, não tendo exibido documento de
morte consumada, o agente responderá pelo crime de
identidade.
latrocínio consumado.
Nessa situação hipotética, Antônio responderá pela
prática de
33) (CESPE – 2018 – DPE PE) A inversão da posse do
a) roubos em concurso formal mais falsidade ideológica.
bem mediante o emprego de violência não configura o
b) roubo impróprio.
crime de roubo, mas sua tentativa, se a coisa roubada for
c) roubos em concurso formal mais falsa identidade em
recuperada brevemente após perseguição imediata ao
concurso material.
agente.
d) roubo com majorante de uso de arma.
e) roubo continuado.
34) (CESPE – 2017 – PJM MT) José entrou em um
37) (CESPE – 2017 – PC GO) Álvaro e Samuel
ônibus de transporte público e, ameaçando os
assaltaram um banco utilizando arma de fogo. Sem ter
passageiros com uma arma de fogo, subtraiu de diversos
ferido ninguém, Álvaro conseguiu fugir. Samuel, nervoso
deles determinadas quantias em dinheiro.
por ter ficado para trás, atirou para cima e acabou
Nessa situação hipotética, de acordo com a
atingindo uma cliente, que faleceu. Dias depois,
jurisprudência dos tribunais superiores,
enquanto caminhava sozinho pela rua, Álvaro encontrou
a) a prática do delito contra vítimas diferentes em um
um dos funcionários do banco e, tendo sido por ele
mesmo contexto e mediante uma só ação configurou
reconhecido como um dos assaltantes, matou-o e
concurso material.
escondeu seu corpo.
b) a simples inversão da posse dos bens — dos
Acerca dessa situação hipotética, assinale a opção
passageiros para José — não consumou o crime de
correta.
roubo; para tal, seria necessária a posse mansa e
a) Álvaro cometeu os crimes de roubo qualificado e
pacífica ou desvigiada dos valores subtraídos por José.
homicídio simples.
c) o fato de o delito ter sido praticado em ônibus de
b) Samuel cometeu os crimes de roubo simples e
transporte público de passageiros será causa de
homicídio culposo.
aumento de pena.
c) Álvaro cometeu os crimes de roubo e homicídio
d) se a arma utilizada no crime fosse de brinquedo e,
qualificados.
ainda assim, tivesse causado fundado temor nas vítimas,
d) Álvaro cometeu o crime de homicídio qualificado e
deveria ser aplicada majorante do crime de roubo.
será responsabilizado pelo resultado morte ocorrido
e) o crime de porte de arma será absorvido pelo crime
durante o roubo.
de roubo, ante os fatos de haver nexo de dependência
e) Álvaro e Samuel cometeram o crime de roubo
entre as duas condutas e de os delitos terem sido
qualificado pelo resultado morte.
praticados em um mesmo contexto fático.
38) (CESPE – 2016 - POL. CIENTÍF.) Considere que
35) (CESPE – 2017 – SERES PE) Entre janeiro e agosto
José tenha subtraído dinheiro de Manoel, após lhe
de 2012, três amigos, unidos de modo estável e
impossibilitar a resistência. Nessa situação hipotética,
permanente, com o propósito comum de praticar crimes,
fica caracterizada a causa de aumento de pena se José
assaltaram cinco residências em ocasiões diversas. Os
tiver cometido o crime
três agiram sempre na mesma região e de igual forma: a
a) com emprego de chave falsa.
vítima era abordada na garagem, ao chegar a casa,
b) com restrição da liberdade de Manoel.
depois das 18 horas, e ameaçada com revólveres; em
c) com destruição de obstáculo à subtração do dinheiro.
seguida, eles entravam na casa, amarravam,
d) mediante fraude, escalada ou destreza.
amordaçavam e trancavam as pessoas presentes em um

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 1
PROFESSOR: RODRIGO GOMES
TURMA: CARREIRAS POLICIAIS
PENAL ESPECIAL

e) durante o repouso noturno. agência bancária. Por fim, os criminosos acabaram


fugindo sem nada subtrair. Nessa situação, ante a
39) (CESPE – 2016 – PC PE) Roberto, Pedro e Lucas inexistência de valores no veículo e ante a ausência de
planejaram furtar uma relojoaria. Para a consecução subtração de bens, elementos constitutivos dos delitos
desse objetivo, eles passaram a vigiar a movimentação patrimoniais, ficou descaracterizado o delito de roubo,
da loja durante algumas noites. Quando perceberam que subsistindo apenas o crime de constrangimento ilegal
o lugar era habitado pela proprietária, uma senhora de qualificado pelo concurso de pessoas e emprego de
setenta anos de idade, que dormia, quase todos os dias, armas.
em um quarto nos fundos do estabelecimento, eles
desistiram de seu plano. Certa noite depois dessa 43) (CESPE – 2014 – Câmara dos Deputados) O fato de
desistência, sem a ajuda de Roberto, quando passavam um indivíduo retirar sorrateiramente de uma bolsa a
pela frente da loja, Pedro e Lucas perceberam que a carteira de outrem, sem o uso de força ou ameaça,
proprietária não estava presente e decidiram, naquele configura a prática do crime de roubo.
momento, realizar o furto. Pedro ficou apenas vigiando
de longe as imediações, e Lucas entrou na relojoaria
com uma sacola, quebrou a máquina registradora, pegou
o dinheiro ali depositado e alguns relógios, saiu em
seguida, encontrou-se com Pedro e deu-lhe 10% dos
valores que conseguiu subtrair da loja.
Considerando a situação hipotética apresentada no texto CRIMES CONTRA FÉ PÚB.
e os tipos penais inscritos no Código Penal sob o título
“Dos Crimes contra o Patrimônio”, assinale a opção
correta. 44) (CESPE – ABIN – 2018) No que se refere aos crimes
a) Na situação considerada, a quebra da máquina contra a fé pública, julgue o item seguinte.
registradora caracterizou emprego de violência na A falsificação de documento público e a falsificação de
subtração de bem móvel e, consequentemente, a prática documento particular são consideradas crimes contra a
do crime de roubo. fé pública, sendo a pena imputada ao primeiro tipo penal
b) O cometimento do crime no período de repouso superior à do segundo.
noturno poderá ser causa de aumento de pena.
c) Apropriação indébita é o tipo penal em que incorrerá 45) (CESPE – 2018 – ABIN) No que se refere aos crimes
a pessoa que vier a adquirir algum dos relógios, desde contra a fé pública, julgue o item seguinte.
que saiba ela tratar-se de fruto de crime. O crime de falsidade ideológica é considerado crime
d) A venda dos relógios, objeto do crime cometido por próprio, admitindo-se a modalidade tentada por ação e
Pedro e Lucas, configurará o crime de receptação. por omissão.
e) A situação em apreço traz o tipo penal furto mediante
subtração de coisa alheia móvel com violência ou grave 46) (CESPE – 2018 – ABIN) No que se refere aos tipos
ameaça. penais, julgue o próximo item.
A conduta de dolosamente adquirir dólares falsos para
40) (CESPE – 2015 – Prefeitura Salvador) O crime de colocá-los em circulação por intermédio de operações
roubo se consuma quando o agente se torna possuidor cambiais tem a mesma gravidade que a conduta de
da coisa subtraída, mediante violência ou grave ameaça, falsificar papel moeda, sendo, por isso, punida com as
ainda que o objeto subtraído não saia da esfera de mesmas penas deste crime.
vigilância da vítima.
47) (CESPE – 2018 – ABIN) No que se refere aos crimes
41) (CESPE – 2013 – PRF) Considere a seguinte contra a fé pública, julgue o item seguinte.
situação hipotética. A configuração do crime de moeda falsa exige que a
Pedro e Marcus, penalmente responsáveis, foram falsificação não seja grosseira.
flagrados pela polícia enquanto subtraíam de Antônio,
mediante ameaça com o emprego de arma de fogo, um 48) (CESPE – 2018 – DPE PE) A conduta de atribuir-se
aparelho celular e a importância de R$ 300,00. Pedro, falsa identidade perante autoridade policial é atípica,
que portava o celular da vítima, foi preso, mas Marcus mesmo quando comprovado que a ação ocorreu com o
conseguiu fugir com a importância subtraída. objetivo de autodefesa.
Nessa situação hipotética, Pedro e Marcus, em conluio,
praticaram o crime de roubo tentado. 49) (CESPE – 2018 – TCE PB) Lúcio, ao acompanhar
sua esposa a um posto de saúde, apropriou-se de um
42) (CESPE – 2013 – PRF) Três criminosos receituário médico em branco, mas com o carimbo do
interceptaram um carro forte e dominaram os médico que havia atendido sua esposa. Com o intuito de
seguranças, reduzindo - lhes por completo qualquer faltar ao trabalho, ele preencheu o formulário, atestando
possibilidade de resistência, mediante grave ameaça e que deveria ficar cinco dias em repouso.
emprego de armamento de elevado calibre. O grupo, Nessa situação hipotética, Lúcio praticou o crime de
entretanto, encontrou vazio o cofre do veículo, pois, por a) falsificação material de documento particular.
erro de estratégia, efetuara a abordagem depois que os b) falsidade ideológica.
valores e documentos já haviam sido deixados na c) falsidade de atestado médico.

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 2
PROFESSOR: RODRIGO GOMES
TURMA: CARREIRAS POLICIAIS
PENAL ESPECIAL

d) falsidade de sinal público. arrependido, rasgou e destruiu o talão de cheques e a


e) falsificação material de documento público. identidade falsificada, inutilizando-os definitivamente.
Nessa situação hipotética, o juiz responsável pelo
50) (CESPE – 2018 – TCE PB) A clonagem de cartão de julgamento do referido indivíduo deveria
crédito constitui o delito denominado a) condená-lo por falsificação e uso de documento
a) falsidade de documento público. público em concurso material com estelionato.
b) falsidade de documento particular. b) condená-lo por falsificação e uso de documento
c) conduta atípica, que só será punível a partir do uso público mais estelionato, em continuidade delitiva.
do cartão clonado em fraude posterior. c) condená-lo apenas pelo estelionato, aplicando a
d) adulteração de peça filatélica, em razão da consunção em relação ao crime de falsificação.
similaridade com o cartão de crédito. d) absolvê-lo por atipicidade de conduta, aplicando o
e) falsidade ideológica. princípio da insignificância.
e) absolvê-lo, com reconhecimento do arrependimento
51) (CESPE – 2018 – TCE PB) Antônio foi parado em posterior.
operação de fiscalização de trânsito e entregou sua
carteira de identidade ao policial, que, na verdade, havia GABARITO
lhe solicitado sua CNH. Tal fato gerou suspeita no
policial, que decidiu vistoriar o veículo de Antônio e 31 –C
acabou por encontrar uma CNH falsa. 32 –C
Nessa situação hipotética, 33 –E
a) Antônio deverá responder pelos crimes de uso de 34 –E
documento falso e de falsificação de documento público, 35 –D
em concurso material. 36 –C
b) Antônio deverá responder pelo crime de uso de 37 –D
documento falso. 38 –B
c) a conduta de Antônio foi atípica, não devendo ser 39 –B
instaurado inquérito policial. 40 –C
d) não se pode falar em flagrante delito; deve ser 41 –E
instaurado inquérito para apurar o crime de falsificação 42 –E
de documento público. 43 – E
e) não se pode falar em flagrante delito; deve ser 44 –C
instaurado inquérito para apurar o crime de falsificação 45 –E
de documento privado. 46 –C
47 –C
52) (CESPE – 2017 – TRF 1ª) Situação hipotética: No 48 –E
curso de diligência para a citação pessoal de réu em 49 –E
processo criminal, o destinatário da citação apresentou 50 –B
documento de identidade de outra pessoa, em que havia 51 D
substituído a fotografia original, com o objetivo de se 52 –E
furtar ao ato, o que frustrou o cumprimento da ordem 53 –C
judicial. Assertiva: Nesse caso, o citado praticou o crime 54 –E
de falsa identidade. 55 –C

53) (CESPE – 2017 – TCE PE) A omissão involuntária de


despesas de campanha eleitoral quando da prestação de
contas afasta a eventual incidência do crime de falsidade
ideológica.

54) (CESPE – 2017 – TCE PE) Será considerada atípica,


por inexistência de ofensa à fé pública nacional, a
conduta do estrangeiro que, para tentar sair
irregularmente do Brasil, apresentar à Polícia Federal
passaporte falso expedido por outro país.

55) (CESPE – 2017 – SERES PE) Um indivíduo, sem


antecedentes criminais, pagou, com cheque
personalizado em nome de terceiro, mercadorias, no
valor de R$ 2.300, compradas em determinado
supermercado. Para tanto, apresentou cédula de
identidade falsificada com sua fotografia, tendo induzido
em erro a pessoa responsável pelo caixa do
supermercado. Consumada a ação, tal indivíduo,

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 3