Anda di halaman 1dari 34

Reflexão da luz

Quando uma onda, qualquer que seja a sua natureza, mecânica ou eletromagnética,
incide na superfície de separação de dois meios, parte dela é devolvida para o
mesmo meio. Este fenómeno é designado por reflexão.

Reflexão de uma radiação


eletromagnética

1
Para estudar a reflexão de uma onda eletromagnética vamos representar um raio
luminoso, que representa a direção e o sentido de propagação da onda eletromagnética.

Raio incidente Raio Refletido

Reflexão de uma radiação


eletromagnética

O tipo de reflexão sofrida pela luz depende das características da superfície sobre a qual
a luz incide. Assim:

2
Nas superfícies não polidas, ocorre predominantemente a reflexão irregular ou
difusa da luz.

Nas superfícies polidas, ocorre predominantemente a reflexão regular ou especular


da luz.

A reflexão irregular da luz e a reflexão regular ocorrem sempre em simultâneo,


embora predomine uma delas, conforme a superfície seja mais ou menos polida.
3
Leis da Reflexão da luz de SNELL - DESCARTES

1. O raio incidente (i), a normal à superfície no ponto de incidência (n) e o raio


refletido (r) estão no mesmo plano.

2. O ângulo de incidência (α ) e o ângulo de reflexão (β) são iguais.

Raio Raio
incidente refletido

Os ângulos são medidos em relação à normal à superfície refletora.

4
Se a luz incidir perpendicularmente, o ângulo de incidência e o ângulo de reflexão
serão iguais a 0°, pelo que a luz será refletida invertendo apenas o sentido da
propagação.

Reflexão de uma radiação eletromagnética


com ângulo de incidência de 0˚

5
Na reflexão de uma onda eletromagnética, as ondas incidente e refletida:

• têm a mesma frequência;

• têm a mesma velocidade de propagação, porque o meio mantém-se

• têm o mesmo comprimento de onda;

• a intensidade da onda refletida é sempre menor do que a intensidade da onda


incidente, porque há sempre absorção de energia na superfície de incência.

Medição da intensidade da onda


6
A reflexão da luz ocorre na natureza
em muitas situações e tem várias
aplicações, como radares, leitura de
códigos de barras, etc.

Num código de barras usa-se o facto de


a luz ser mais refletida pelas superfícies
claras do que pelas superfícies escuras.

O radar (de Radio Detection And Ranging) serve para localizar objetos distantes: uma
antena emite ondas, normalmente ondas de rádio ou micro-ondas, que são
refletidas por um certo obstáculo, sendo depois detetadas. Sabendo a velocidade de
propagação da onda e o tempo entre a sua emissão e receção, obtém-se a distância
do objeto ao emissor/recetor, isto é, ao radar.
7
Refração da luz
Quando a luz incide na superfície de separação de dois meios, para além de ser refletida
também pode ser transmitida. É o que acontece quando a luz visível passa do ar para a
água ou para o vidro, meios transparentes a este tipo de luz.

Quando a luz passa de um meio para outro a sua velocidade altera-se, pois depende das
características do meio. Essa variação da velocidade provoca, em geral, um desvio da
direção da luz.

Ao desvio da direção de propagação da luz quando esta muda de meio chama-se


refração da luz.

8
Se a luz passa de um meio menos denso (menos refringente) para outro mais denso
(mais refringente)

O raio refractado aproxima-se da


normal

Se a luz passa de um meio mais refringente para outro menos refringente

O raio refractado afasta-se da normal 9


Refração de uma onda eletromagnética

Desvio da direção de propagação da onda ao passar de um meio para outro, em


consequência da diferente velocidade de propagação nos dois meios.
Quanto maior for essa diferença de velocidades, maior será o desvio.

A «quebra» aparente da palhinha é devida ao desvio


da luz quando passa da água para o vidro.

Em geral, a refração da luz ocorre em simultâneo


com a reflexão e com a absorção. 10
Reflexão e refração
Se a luz incidir na face de um bloco paralelepipédico de vidro, chamado «lâmina de
faces paralelas», ela reflete-se e refrata-se na fronteira ar-vidro; transmite-se depois
no vidro até encontrar a fronteira vidro-ar; aí volta a refletir-se e a refratar-se,
passando para o ar novamente com um desvio.

A sua energia é em parte absorvida pelo material


Quando a luz se
transmite num A sua intensidade diminui
meio (não vazio). Quanto mais espesso ⇒ > absorção (para o mesmo material)

Meios transparentes absorvem pouca luz. Ex: ar e H2O

Meios opacos não transmitem luz porque a absorvem.


11
O maior ou menor desvio da onda eletromagnética quando passa de um meio para
outro meio diferente depende do índice de refração de cada meio.

O índice de refração absoluto de um meio para uma onda eletromagnética, n, é a


razão entre a velocidade de propagação da onda eletromagnética no vazio, c, e a
velocidade de propagação da onda nesse meio, v :

Grandeza adimensional.

O índice de refração é maior do que 1 em todos os materiais onde ocorre propagação


da luz (exceto no vácuo, onde é 1), pois a velocidade da luz no vácuo é a velocidade
máxima de propagação.

12
Quanto maior for o índice de refração menor será a velocidade de propagação da
onda e portanto, menor será o comprimento de onda.

Luz n(vidro)
Vermelha 1,513
Laranja 1,514 O índice de refração no vidro para luz visível é
Amarela 1,517 diferente para cada frequência de luz diferente.
Verde 1,519
Azul 1,526
Anil 1,528
Violeta 1,532

O índice de refração aumenta do vermelho para o violeta, significando que a


velocidade de propagação diminui do vermelho para o violeta.

Quanto menor for a velocidade de propagação no vidro, maior será o desvio da luz
quando passa do ar para o vidro ou do vidro para o ar.
13
Exemplo:

A luz branca, que inclui luz de todas as frequências da banda visível, sofre uma
refração na fronteira ar-vidro: é separada em ondas de várias frequências, pois
estas sofrem desvios diferentes. Essas ondas voltam a sofrer refração na
fronteira vidro-ar, sofrendo aí novos desvios. A luz violeta é a mais desviada.

Refração da luz branca num prisma

14
O índice de refração da luz num meio indica,
portanto, quantas vezes a velocidade da luz no
vácuo é superior à velocidade da luz no meio
considerado.

Índice de refracção de A,B É a razão entre a velocidade de propagação da onda num


determinado meio (A) em relação a outro meio (B).

velocidade de propagação B
nA,B =
velocidade de propagação A

15
Índice de refração e velocidade de propagação

• O índice de refração da luz num meio


e a sua velocidade de propagação
nesse meio são inversamente
proporcionais.

Índice de refração e comprimento de onda

• O índice de refração da luz


monocromática num meio e o seu
comprimento de onda nesse meio são
inversamente proporcionais.

16
Relação entre os índices de refração de uma onda nos meios 1 e 2 e os respetivos
comprimentos de onda.

Ar

Água

17
Quando a luz passa do ar, cujo índice de refração é cerca de 1, para a água,
onde o índice de refração é superior a 1, a velocidade de propagação e o
comprimento de onda diminuem.
Ar

Como a frequência se mantém,

Água

18
Leis da refração da luz (Leis de Snell-Descartes)

1. O raio incidente na superfície de separação de dois meios (i), a normal à superfície


no ponto de incidência (n) e o raio refratado (R) estão no mesmo plano.

2. Os índices de refração n1 e n2, o ângulo de incidência, α 1, e o ângulo de refração, α2,


relacionam-se por:

n1 sin α 1 = n2 sin α 2
ou

Sen <) i n2
=
Sen <) r n1 19
A expressão da Lei da Refração mostra que o índice de refração de um meio e o seno
do ângulo correspondente a esse meio são inversamente proporcionais.

Ao meio que tiver maior índice de refração corresponderá o menor valor do seno, ou
seja, o ângulo menor.

A luz passa de um meio de menor índice de


refração para um meio de maior índice de
refração: desvia-se, aproximando-se da normal.

αrefração < αincidência

20
A luz passa de um meio de maior índice de refração para um meio de menor índice
de refração: desvia-se, afastando-se da normal.

αrefração > αincidência

Exemplo:

Um objecto mergulhado na água, parece estar à superfície.


Devido à refracção da luz, o feixe de luz refractada que
atinge os olhos do observador parece difundir do ponto I.
21
Atividade 1:

Uma radiação monocromática propaga-se no ar e incide na água, com um ângulo de 40˚


em relação à superfície, sofrendo reflexão e refração.
Considere nar = 1,00 e nágua = 1,33.

1. Represente o esquema do trajeto da luz.

2. Indique o ângulo de incidência.

3. Calcule o ângulo de refração.

4. Indique qual o meio em que a radiação se propaga com menor


comprimento de onda.

22
Reflexão total da luz

Quando a luz passa de um meio transparente para outro onde a sua velocidade de
propagação é maior, pode não ocorrer refração da luz.

Quando a luz passa de um meio com maior índice de refração (como o vidro) para um
meio com menor índice de refração (como o ar), deixa de ocorrer refração a partir de
um certo ângulo de incidência: a luz já não passa para o segundo meio, refletindo-se
totalmente. Ocorre reflexão total.

Refração e reflexão total da 23


O ângulo máximo de refração é 90°. Nesse caso, o correspondente ângulo de incidência é
chamado ângulo limite, αlim, ou ângulo crítico. Para ângulos de incidência superiores deixa
de haver refração e a reflexão é total.

Se α < αlim Se α = αlim


ocorre refração. a luz passa para o segundo meio a Se α > αlim
rasar a superfície de separação: o não ocorre refração,
ângulo de refração é 90°. mas reflexão total. 24
Cálculo, a partir da Lei de Snell-Descartes, do ângulo limite em função dos índices de
refração dos dois meios:

Reflexão total da luz ocorre quando:

• A luz incide na superfície de separação meio 1-meio 2 e o índice de refração do meio


1 é superior ao do meio 2: n 1 > n 2.

• O ângulo de incidência é superior ao ângulo limite, α > αlim, sendo o ângulo limite
obtido pela expressão:
25
Exemplo:

Determinar o ângulo crítico do vidro em relação ao ar.

n1 x sen^i = n2 x
^r
sen

n1 x sen θc = n2 x sen 90º

1.5 x sen θc = 1 x 1
1
sen θc = =
0.67 1,5
θc ≈ 42º

Valores do ângulo crítico de alguns materiais

26
Fibras óticas
O fenómeno da reflexão total da luz está na base do desenvolvimento de
fibras óticas, que têm inúmeras aplicações tecnológicas.

Meio de comunicação de luz laser a longas distâncias.


Filamentos de vidro flexíveis. 27
A luz incidente numa ponta da fibra é guiada ao longo desta e aparece na outra ponta.

Núcleo cilíndrico onde a luz se propaga sofrendo múltiplas reflexões.


É feito de um material de elevada transparência, baixa capacidade de
absorção e elevado índice de refração.

nnúcleo > ncasca

Casca: material que envolve o núcleo. Tem


índice de refração menor do que o núcleo,
Revestimento de proteção.
de modo a ocorrer reflexão total, o que
mantém a luz no interior do núcleo.

As fibras óticas têm numerosas aplicações: decoração, iluminação, sensores, aparelhos


médicos, etc.
28
As fibras óticas possuem uma elevada
importância na sua aplicação em comunicações:
são utilizadas em redes de computadores, nas
redes de telefone, televisão e internet, etc.

Fibras óticas utilizadas em


comunicações
A maior parte dos atuais cabos submarinos são de fibras óticas.

A distorção dos impulsos luminosos é reduzida e a quantidade de informação enviada,


por fibra, é maior do que por cabo (de Cu).

Neste processo há poucas perdas de energia.

A informação pode viajar 20 km sem amplificação.

A propagação da luz é feita por sucessivas reflexões totais no interior da fibra (mesmo
que a fibra tenha formas curvilíneas).
29
O material da fibra não pode absorver luz.
A reflexão total também ocorre em fenómenos naturais como na formação de um
arco-íris e nas miragens em desertos.

Reflexão total no interior de uma gota de água na


formação de um arco-íris.

30
Atividade 2:

Uma radiação monocromática incide na superfície de separação vidro-ar e sofre


reflexão total. Admita nar = 1,00 e nvidro = 1,51.

1. Em que meio a luz se propaga inicialmente?


2. Represente esquematicamente o trajeto da luz.
3. Calcule o angulo limite.

Atividade 3:

Quando a luz visível atravessa um prisma é decomposta nas suas várias luzes
monocromáticas, formando uma faixa colorida que é o arco-íris.

a) A que se deve esse facto?

b) Os índices de refração da luz vermelha e da luz violeta no vidro são, respetivamente,


1,513 e 1,532. Qual delas sofre maior desvio ao passar do ar para o vidro? A que se
deve esse facto?
31
Atividade 4:

32
Atividade 5:

Uma onda passa do meio 1 onde se propaga com velocidade de módulo 1000 ms-1, para
o meio 2, como mostra a figura:

a) Que fenómeno está representado?

b) Qual o valor do ângulo de reflexão?

c) Em que meio será maior a velocidade da onda? Justifique sem cálculos.

d) Qual a velocidade da onda no meio 2?

e) Qual o comprimento de onda no meio 2, sabendo que no meio 1 é de 5 cm?

33
Atividade 6:

As miragens são causadas pela reflexão total da luz por camadas de ar junto ao solo com
diferentes temperaturas. A figura mostra um modelo simplificado do fenómeno: o ar junto
ao chão é mais quente e, por isso, o índice de refração é menor. Suponha um ângulo de
incidência de 84º e n1 = 1,010

a) Qual o valor máximo de n2 para que a miragem seja


vista?

b) Na camada junto ao solo a velocidade de propagação


da luz será maior ou menor? Justifique.

c) Qual dos gráficos A, B ou C, representa a variação da


velocidade de propagação com o índice de refração da
camada de ar?

34