Anda di halaman 1dari 10

Aula 2: Escolha do Negócio

Ao final desta aula, o aluno será capaz de:

1- Compreender como é feita a escolha do tipo de empresa e o desenvolvimento do


negócio;

2- Identificar e avaliar ideias de produtos novos ou oportunidades de comprar negócios


já existentes;

3- Conhecer fontes de oportunidades de negócios;

4- Analisar a necessidade dos consumidores e a viabilidade do mercado;

5- Entender a atuação da concorrência e tendências do mercado.

Desenvolvimento de um novo negócio

Muitas pessoas, ao andar pelas ruas, podem apenas ver multidões, enquanto um
empreendedor percebe muito mais do que isso. Ele pode ver como um fluxo de pessoas
com inúmeras motivações, compras, vendas, movimentação de bens, faixas etárias e
tipos de negócios. O empreendedor enxerga oportunidades associadas à criação de valor
para as pessoas, e não necessariamente com preços baixos, destacando que preço e valor
são diferentes.
Negócios são iniciados quando empreendedores desenvolvem ideias para novos
produtos ou serviços. Não são apenas os produtos de alto conteúdo tecnológico que têm
potencial para o sucesso. Na verdade, com frequência chegam ao mercado produtos e
serviços sem nenhuma sofisticação tecnológica. As ideias de novos negócios nascem de
muitas formas. Um empreendedor é capaz de transformar ideias em oportunidades de
negócios.

Fontes de ideias e oportunidades:

Todas as fontes de ideias e oportunidades estão condicionadas pelas competências do


empreendedor (conhecimentos, habilidade e limitações) e pelas possibilidades do
mercado (necessidade, desejos e interesses dos consumidores). Baseado nisto são
identificadas as seguintes fontes de ideias e oportunidades de negócios:

- Novo negócio com base em novo negócio

Esta linha baseia-se em competência técnica e grande criatividade do empreendedor,


bem como habilidade para prever padrões e tendências. O conceito do negócio é tão
novo e revolucionário que cria um novo mercado, como a lâmpada de Thomas Edison,
o Modelo T de Henry Ford, o telefone de Graham Bell, o software de Bill Gates e
muitos outros.
- Novo negócio com base em conceito existente

Há também pessoas que iniciam um empreendimento com base em velhos conceitos. A


ideia não é nova e o empreendedor não criou algo inovador, mas desenvolveu um
negócio onde nada existia. Portanto, também é considerado um empreendedor.

Um exemplo conhecido é o da Gol Linhas Aéreas, que atua em um ramo de alta


tecnologia e altos investimentos, com base em uma estratégia de baixo custo e baixo
preço, conseguindo criar uma empresa de grande sucesso. No entanto, a ideia não era
nova quando a Gol foi fundada em 2001, pois a Southwest Airlines em 1971 e a Ryanair
em 1985 já operavam com esta estratégia.

- Necessidade dos consumidores

O empreendedor potencial pode identificar carências e interesses das pessoas


simplesmente prestando atenção em suas reclamações, hábitos e traços culturais, e em
seguida interpretar esses comportamentos para desenvolver produtos ou serviços que
atendam essas necessidades.

Muitos produtos importantes foram desenvolvidos com a ajuda do consumidor, como


aconteceu com os serviços de entrega que exploram as deficiências e limitações dos
serviços oficiais dos Correios.

- Aperfeiçoamento do negócio

Essa prática também pode originar-se da observação das necessidades e insatisfações


dos consumidores, bem como da avaliação contínua do negócio atual. Pessoas
observadoras e curiosas criam o hábito de buscar informações sobre como funciona
cada setor, identificando os pontos onde há possibilidade de realizar melhorias. A
identificação de oportunidades de aperfeiçoamento possibilita ao empreendedor adequar
seus produtos e serviços a novos formatos e padrões de qualidade, preço, distribuição
etc.

Um exemplo é o do autoatendimento das farmácias, que copiaram o modelo dos


supermercados.

Exploração de hobbies

Um hobby do empreendedor pode transformar-se em oportunidade de negócio, a partir


do momento em que identificar suas possibilidades comerciais em algum segmento da
sociedade.

Um exemplo foi a invenção do walkman, criado por Aiko Morita, que jogava golfe e
queria ouvir música ao mesmo tempo.

- Observação de tendências

Os mercados e consumidores estão em constante mudança, e a observação da realidade


permite a descoberta de novos mercados. O empreendedor precisa desenvolver o hábito
de observar a realidade, com o objetivo de compreender seus mecanismos de
funcionamento e tendências.

Um exemplo é o aumento da criminalidade em algumas regiões do Brasil, criando


oportunidades para empresas de serviços de seguros, vigilância e localização de carros
roubados.

- Derivação de ocupação

Alguns empreendedores iniciam negócios com base em sua atividade. Analisando sua
ocupação, e seu grau de sucesso ou insucesso, o empreendedor poderá desenvolver
produtos e serviços nos quais suas experiências e seus conhecimentos são aproveitados.

Por exemplo: os professores que criam escolas.

Licenças:

Se um empreendedor desenvolve um novo produto ou serviço, mas não tem os recursos


financeiros para produzi-lo e distribuí-lo, ou não tem interesse em criar ou aumentar
uma empresa, mas deseja explorar a ideia, uma boa saída são as licenças. O
empreendedor pode dar a licença a outras empresas para produzir e vender o novo
produto em troca de uma comissão sobre as vendas ou de um pagamento predefinido.

Para garantir a propriedade do novo produto ou serviço e impedir que outros o


pirateiem, o empreendedor deverá patenteá-lo ou registrá-lo.

- Fatores críticos para o sucesso de novos produtos:

O desenvolvimento de novos produtos sempre embute um alto nível de risco. Os riscos


têm motivado estudos para identificar os fatores que fazem de um produto ou serviço
um sucesso ou fracasso. Um estudo de novos produtos, realizado pelo Hewlett-Packard
Medical Products Group, identificou alguns desses fatores. Os autores desse estudo
afirmam que se apenas um fator não estiver adequado, o produto ou serviço poderá ter
como resultado o fracasso.

- Pesquisa adequada de marketing – é crucial para evitar que o produto fracasse. Sua
desvantagem é o custo alto.

- Atendimento de uma necessidade – requisito essencial do novo produto ou serviço é


ser realmente necessário para os consumidores.

- Grande vantagem do produto – o produto deve ser superior aos concorrentes em


atributos como qualidade, aparência, tecnologia e praticidade.

- Qualidade e preço adequado no lançamento – se o produto tiver pouca qualidade ou


preço elevado demais quando lançado, dificilmente o consumidor irá procurá-lo
novamente.

- Escolha dos canais corretos de distribuição – a definição dos locais de venda e da


forma de fazer o produto chegar aos clientes é determinante ao sucesso.
Avaliação de idéias de novos produtos:

Ter uma ideia ou descobrir uma oportunidade não é garantia de sucesso. O fator
determinante do sucesso é a estratégia, e não apenas a criatividade ou a inovação. Há
muitos aspectos a serem considerados e planejados entre o surgimento de uma ideia e a
criação de um negócio. No entanto, de maneira geral, uma avaliação da viabilidade e
dos riscos do empreendimento é essencial. Baseado nisto, serão citados os critérios para
avaliar produtos e negócios:

- Critérios para avaliar produtos e negócios:

Viabilidade de mercado – o mercado é o principal fator que o empreendedor deverá


levar em consideração antes de montar um negócio. A viabilidade de uma ideia é
determinada em primeiro lugar pela existência de pessoas com poder aquisitivo e
vontade de comprar.

Para que o sucesso de um negócio seja alcançado, algumas perguntas importantes


deverão ser feitas:
• Há um mercado real ou potencial para a ideia?
• Quem compraria o produto ou serviço (o próprio consumidor, família, pais etc.)?
• Qual a frequência de compra do produto (diário, mensal, anual ou ocasiões especiais)?
• Qual o tamanho do mercado? Quantidade de clientes pessoa física ou jurídica.
• Como se distribuem geograficamente os clientes? Onde estão os compradores?
• Qual o preço aceito pelos clientes?
• Como ajustar o negócio ao risco da sazonalidade como moda, alimentos e
brinquedos?”

- O que diferencia empresa de outras organizações?

Concorrência – o empreendedor deverá buscar informações como o número de


competidores, o alcance dos canais de distribuição, suas políticas de preços e suas
vantagens competitivas.

As vantagens competitivas são atributos do produto ou serviço, ou das empresas que os


fornecem, que motivam a preferência do mercado ou do cliente, criando diferenciais que
proporcionam ganho físico ou psicológico para o consumidor, permitindo à empresa
superar os competidores, estabelecer sua marca e fortalecer sua identidade.

As barreiras para a entrada de competidores, como as taxas sobre produtos importados


ou os subsídios para os produtos locais, constituem também uma vantagem competitiva.
É importante para o empreendedor conhecer os fornecedores dos concorrentes, o que
pode ajudar o empreendedor a identificar novas oportunidades e manter-se informado
sobre as tendências do mercado.

O empreendedor também deverá entender se o segmento ou ramo de atividades que


escolheu é controlado por organizações dominadoras e que têm capacidade de definir as
regras do mercado através de monopólios e cartéis.

- Viabilidade de produção
refere-se à capacidade efetiva de fornecer o produto ou serviço hoje e amanhã. O
empreendedor precisa verificar se é possível fabricar o produto ou prestar o serviço e o
que é necessário para fornecer o produto/ serviço. Outras perguntas também são
importantes:
• Existem os componentes e matérias-primas necessários para o produto/ serviço?
• Existem máquinas, instalações ou equipamentos com esta capacidade?
• Existe mão de obra suficiente e preparada? Qual a necessidade de treinamentos?
• Qual a necessidade de desenvolvimento e experimentação do produto?
• Quanto vai custar montar a infraestrutura para fornecer o produto ou serviço?

- Controle governamental
A intensidade do controle governamental na qual o empreendedor vai estar sujeito deve
ser levada em consideração, pois nesta situação as mudanças nas regras são constantes,
gerando uma inconstância no mercado. Um exemplo são as empresas importadoras e
exportadoras, que têm suas ações baseadas nas ações dos governos.

- Investimento inicial e retorno


O capital é o ponto crucial de qualquer empreendimento. O empreendedor deverá
calcular o montante necessário para dar início ao negócio, conhecido como
“investimento inicial”. O valor pode determinar se o empreendedor tem condições de
começar o negócio ou não. E tão importante quanto é o cálculo do retorno do
investimento. A análise do mercado deve revelar qual o potencial de receitas e o tempo
necessário para a recuperação do investimento.
- Aquisição de um negócio existente:

Quando se considera a possibilidade de adquirir um negócio já existente, deve-se dar


atenção a três aspectos essenciais: histórico da empresa e perspectivas; patrimônio e
operações em andamento e preço da compra.
Menos inovador, mas não menos empreendedor, é aquele que compra um negócio
existente sem plano de mudar as operações correntes. Para tomar a decisão mais
acertada, o empreendedor deve analisar as vantagens e desvantagens desse tipo de
operação.

PONTOS A FAVOR E VANTAGENS:

PONTOS CONTRA E RISCOS:


TIPOS DE EMPRESAS:

Escolher o tipo de empresa significa definir o formato do empreendimento, que pode ser
uma empresa propriamente dita ou uma alternativa. As principais possibilidades são:

- Empresa tradicional:
É uma entidade econômico-administrativa que tem finalidade econômica, ou seja,
tem o lucro como objetivo, por meio de atividades de transformação e
fornecimento de bens e serviços.

- Empresa familiar:
É uma iniciativa que tem o objetivo de melhorar a condição socioeconômica de
uma família, dividindo entre os seus componentes as tarefas e os benefícios, e
gerando com o passar do tempo uma série de questões mais complexas do que a
simples administração de uma atividade comercial ou industrial, como a transição
da gestão para os descendentes.

- Franquia ou Franchising:
O franqueador é o detentor da marca e do método de trabalho licenciado de
terceiros. É o agente que idealiza e formata a franquia do negócio ao franqueado.
E o franqueado é a pessoa jurídica ou física que adquire o direito de uso da marca
e/ou método de trabalho, por meio de um pagamento inicial ou mensal. Ao aderir à
rede de franquias, o franqueado passa a operar com a marca do franqueador,
seguindo todos os padrões estabelecidos e supervisionados por este. O franchising
oferece algumas vantagens e desvantagens, como mostra o quadro:

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO FRANCHISING

*Vantagens:

O empreendedor compra uma empresa pronta, sem necessidade de inventar produto,


nome, embalagens etc.

A operação da empresa, o treinamento dos funcionários, os uniformes e materiais são


padronizados pelo franqueador – não há necessidade de criar.

O sistema de suprimentos de matérias–primas já está montado pelo franqueador.

A marca é conhecida e o empreendedor não precisa investir na construção da imagem.

O empreendedor pode trocar experiências com outros franqueados da mesma empresa.

O valor do investimento para iniciar e manter as operações é fácil de determinar, o que


torna determinístico o planejamento financeiro.

O franqueado recebe orientação do franqueador, que está interessado em seu sucesso.

O franqueado pode ter mais de uma loja da mesma franqueadora.


* Desvantagens:

O investimento inicial pode ser alto, dependendo do valor da marca franqueadora.

O franqueado obriga-se a um pagamento mensal ao franqueador; em geral, uma taxa


sobre as receitas, o que faz o papel de um imposto a mais.

O franqueado tem que seguir todas as exigências do franqueador, até mesmo de


renovação de toda a loja, independentemente do tempo de franquia.

O franqueador pode conceder várias franquias numa mesma região, ganhando no


conjunto, mas prejudicando os franqueados individualmente.

O franqueado não tem liberdade para introduzir inovações nos produtos, nas instalações
ou em qualquer aspecto de franquia que impacte a identidade do franqueador.

Os preços são tabelados, impedindo alterações para favorecer a competitividade.

Assim como acontece em qualquer outra modalidade de empreendedorismo, não há


nenhuma garantia de sucesso.

- Escritório doméstico ou home Office:


É o trabalho profissional realizado em casa. É uma opção atrativa para o início de
micro e pequenas empresas, já que representa considerável economia de custos em
relação a outras possibilidades. Essa modalidade de negócio nasceu com
terceirização dos serviços e com a ajuda dos avanços da tecnologia da informação e
da globalização, e vem mudando o contexto empresarial e o perfil do emprego.

- Cooperativa:
É a sociedade de pessoas com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil,
não sujeita a falência e constituída para prestar serviços às pessoas que se associam
a ela, precisando ter um número mínimo de 20 pessoas. É uma empresa com dupla
natureza, que privilegia o lado econômico e social de quem se associa. O associado
ou cooperado é ao mesmo tempo dono (administra a empresa) e usuário (utiliza
dos serviços) da cooperativa. A cooperativa pode atuar em qualquer gênero de
serviço, operação ou atividade. Ela tem o perfil de acordo com os seus associados,
que se reúnem em torno de um ou mais objetivos específicos, como por exemplo
agropecuária, habitacional, de crédito, educacional, saúde etc.

=FORMALIZAÇÃO DE UM NOVO NEGÓCIO=

Compreende todos os procedimentos burocráticos necessários para formalizar um


empreendimento. O registro de uma empresa varia de acordo com a região onde ela se
encontra e depende do tipo de sociedade que será constituída. Atualmente no nosso país
é algo extremamente demorado, pois a lista de exigências é muito grande.

= NOME EMPRESARIAL (FIRMA OU DENOMINAÇÃO)=

A firma é o nome utilizado pelo empresário, pelas sociedades em nome coletivo, de


capital e indústria. A firma só pode ter como base nomes civis dos sócios ou de apenas
um sócio acrescido do termo “e Cia.”, sendo permitido, no final, a utilização de uma
expressão que identifique o objeto da empresa, como por exemplo, “Andrade & Xavier
Componentes Eletrônicos Ltda.

A denominação é o nome utilizado pelas sociedades anônimas e cooperativas e, em


caráter opcional, pelas sociedades limitadas e em comandita por ações. A denominação
pode ser composta por um nome civil, sem fazer menção ao nome de algum dos sócios
ou a qualquer nome civil, como por exemplo, “Tecelagem Ômega Ltda.”

Natureza jurídica:

*Artesão – entende-se que o artesão não é propriamente um empresário, mas sim um


trabalhador autônomo. De acordo com o art. 7, do Regulamento do Imposto de Produtos
Industrializados, produto de artesanato é aquele proveniente de trabalho manual
realizado por pessoa natural nas seguintes condições: o trabalho não conta com auxílio
ou participação de terceiros assalariados e o produto é vendido ao consumidor
diretamente.
*Produtor rural – é a pessoa física, natural, que explora a terra visando à produção
vegetal e/ou animal e também à industrialização artesanal desses produtos primários –
produção agroindustrial.
*Sociedade simples – formada por pessoas que exercem profissão intelectual, de
natureza científica, literária ou artística. É considerada pessoa jurídica. Um exemplo é
quando dois médicos se unem e constituem um consultório médico.
*Sociedade empresária - é aquela que exerce profissionalmente atividade econômica
organizada para a produção ou circulação de bens de serviços, constituindo elemento da
empresa. É considerada pessoa jurídica e tem registro na Junta Comercial de seu
respectivo Estado.
*Sociedade limitada – o capital social está dividido em cotas e a responsabilidade dos
sócios é restrita ao valor de suas cotas, mas todos respondem solidariamente pela
integralização do capital social.
*Sociedade por ações – o capital social é dividido em ações. Cada sócio responde
somente pelo preço de emissão das ações que adquiriu. O conceito de “sociedades por
ações” engloba tanto sociedades anônimas como as comanditas por ações.
*Sociedade estrangeira - empresa constituída e organizada em conformidade com a
legislação de seu país de origem, onde também mantém sua sede administrativa. No
entanto, necessita de autorização do Poder Executivo.

Aula 2: Escolha do Negócio

Nesta aula, você:

 Compreendeu como é feita a escolha do tipo de empresa e o desenvolvimento do


negócio;
 Identificou e avaliou ideias de produtos novos ou oportunidades de comprar negócios
já existentes;
 Conheceu fontes de oportunidades de negócios;
 Analisou a necessidade dos consumidores e a viabilidade do mercado;
 Entendeu a atuação da concorrência e tendências do mercado.

Na próxima aula, você vai estudar:

 O que é a Conjuntura Econômica e seus elementos;


 Interação e influências do ambiente econômico nas empresas;
 Condições e componentes do ambiente econômico saudável;
 Fatores da conjuntura econômica, do mercado e global;
 As organizações em um sistema complexo e dinâmico na sociedade contemporânea.