Anda di halaman 1dari 21

CÁLCULO DA FLEXIBILIDADE PELO MÉTODO DA VIGA EM BALANÇO GUIADA

1 - Introdução:
O Métofo da Viga em Balanço Guiada é aproximado e pode ser aplicado para quaisquer configurações planas
e espaciais, desde que satisfaçam a todas as condições abaixo.
Nos exemplos de cálculos para as configurações planas em L, U e Z, os dados são entrados nos campos
"Entrada de Dados" e os resultados são mostrados de imediato seguindo os roteiros dos cálculos
apresentados.
No caso de configuração espacial, o roteiro apresentado só é válido para esta
configuração, pois há de ser considerado o número de lados, as suas
direções e sentido do fluxo. No entanto, o exemplo é bastante ilustrativo. As
condições para validar o método são as seguintes:
1. Todos os lados sejam retos e paralelos a uma das três direções L1 L2 L3
ortogonais;
2. Todos os lados façam ângulos retos entre si;
3. Todos os lados sejam constituidos por tubos de mesmo material e mesmo
Y
momento de inércia (mesmo diâmetro e mesma espessura de parede);
4. O sistema tenha somente dois pontos de fixação, situados em seus
extremos, e nenhuma restrição intermediária; X
Z
2 - Hipóteses Simplificativas:

1. Todos os lados se deformam sem que haja deformações ou rotações nos Extremo
ângulos, que permanecem retos com os lados paralelos. Isto é, os lados se fixo Posição Guia
deformam como se fossem vigas em balanço com os extremos guiados. inicial

2. A dilatação total que dá em cada uma das direções ortogonais, isto é a


soma das dilatações dos lados paralelos a essa direção, é integralmente δ
absorvida pela flexão dos lados paralelos às outras duas direções ortogonais.

3. Não são levadas em consideração as torções que se dão nos diversos


lados de uma configuração tridimensional. Posição
4. No caso geral de qualquer configuração tridimensional, cada lado do deformada
sistema estará submetido simultaneamente a duas flexões cujas flechas são Flecha
paralelas às duas direções ortogonais perpendiculares à direção do lado
considerado.
Assim, um lado qualquer L1 paralelo à direção X, estará submetido a duas flechas , uma δny na direção Y e uma
δnz na direção Z;

3 - Resultados do Método da Viga em Balanço Guiada:


Os resultados são em geral conservativos, ou seja, os valores obitidos são em geral superiores aos valores
efetivos, devido a:
1. Há sempre uma flexibilidade adicional causada pelas deformações dos ângulos;
2. Nos sistemas espaciais além da flexão, há ainda a torção dos diversos lados que, que contribui para
aumentar a flexibilidade;
3. Nem todos os lados deformam-se como vigas em balanço guiadas; curvam-se apenas aumentando também
a flexibilidade;

4 - Bibliografia:
1. Curso de Tubulações Industriais, apostila Aula 10 - Prof. Antonio Clélio
Ribeiro, Faculdade de Engenharia Química de Lorena/SP.
2. Tubulações Industriais - Cálculo - Prof. Pedro Carlos da Silva Telles.
3. Tabelas e Gráficos para Projetos de Tubulações - Prof. Pedro Carlos da
Silva Telles e Darcy G. de Paula.
FLEXIBILIDADE EM TUBULAÇÃO - MÉTODO DA VIGA EM BALANÇO GUIADA

CONFIGURAÇÃO EM L SIMBOLOGIA
δ1 S1 = Tensão máxima no lado 1 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
P2 S2 = Tensão máxima no lado 2 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Ry K = Constante
Rx δ2 L = Lado 1 [m], [pé]
1

A Ma L1 L2 = Lado 2 [m], [pé]


P1 Ec = Módulo de elasticidade temp. mín do ciclo (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Eh = Módulo de elasticidade temp. considerada do ciclo [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
D = Diâmetro externo do tubo [mm], [pol]
L2 e = Coeficiente de dilatação unitária [mm/m], [pol/pé]
y Ma = Momento fletor no ponto A [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
Mc = Momento fletor no ponto C [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
C = Constante
I = Momento de inércia [cm4], [pol4]
x Mc Rx = Reação no eixo X [N], [Kgf], [Lbf]
Rx Ry = Reação no eixo Y [N], [Kgf], [Lbf]
C δ1 = Flecha devida à dilatação do lado 2 [mm], [pol]
Ry δ2 = Flecha devida à dilatação do lado 1 [mm], [pol]
Tp = Temperatura de projeto [ºC], [ºF]
Sc = Tensão admissível à temperatura ambiente (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sh = Tensão admissível à temperatura considerada [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sa = Tensão admissível (allowable displacement stress range [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
f = Fator de redução para serviços cíclicos (ASME 31.3 pag 16)

ENTRADA DE DADOS VALORES CALCULADOS CONVERSÃO DE UNIDADES


L1 = 6.00 m 19.68 pé 1 MPa = 10.19716 Kgf/cm2
L2 = 7.00 m 22.97 pé 1 MPa = 145.03770 Lbf/pol2
D= 168.20 mm 6.62 pol 1 Kgf/cm2 = 0.09807 Mpa
Ec = 2,100,000.00 Kgf/cm2 205,939.65 Mpa 29,869,014.00 Lbf/pol2 1 Kgf/cm2 = 14.22334 Lbf/pol2
Eh = 2,000,000.00 Kgf/cm2 196,133.00 Mpa 28,446,680.00 Lbf/pol2 1 Lbf/pol2 = 0.07031 Kgf/cm2
Sc = 1,090.00 Kgf/cm2 106.89 Mpa 15,503.44 Lbf/pol2 1 Lbf/pol2 = 0.00689 Mpa
Sh = 890.00 Kgf/cm2 87.28 Mpa 12,658.77 Lbf/pol2 1m= 3.28083 pé
I= 1,170.00 cm4 28.11 pol4 1 pol = 25.40000 mm
e= 4.60 mm/m 0.06 pol/pés 1N= 0.10197 Kgf
Ta = 38.00 ºC 100.40 ºF 1 Kgf = 2.20462 Lbf
Tp = 360.00 ºC 680.00 ºF 1 Kgf = 9.80665 N
f= 1.00 1 Lbf = 4.44822 N
1 Nm = 0.10197 Kgfm
1 Kgfm = 9.80665 Nm
1 Kgfm = 7.23003 Lbfpé
1 Nm = 0.73756 Lbfpé
ºC = 5(ºF - 32)/9
ºF = 9(ºC)/5 + 32
RESULTADO DA FLEXIBILIDADE

1. Cálculo da Tensão Admissível (Sa):

Sa = f(1,25Sc + 0,25Sh) Sa = 155.44 MPa

Sa = 1,585.00 Kgf/cm2

Sa = 22,543.99 Lbf/pol2
2. Cálculo da Tensão Máxima (S1 e S2):
a) para Ec e S em [MPa], D e δ em [mm], e em [mm/m], L em [m]
K = 3Ec . D . e K= 478.02 S1 = K . L2 S1 = 92.95 MPa < 155.44 MPa
106 (L1)2
S2 = K . L1 S2 = 58.53 MPa < 155.44 MPa
(L2)2

b) para Ec e S em [Kgf/cm2], D e δ em [mm], e em [mm/m], L em [m]


K = 3Ec . D . e K= 4,874.44 S1 = K . L2 S1 = 947.81 Kgf/cm2 < 1,585.00 Kgf/cm2
106 (L1)2

S2 = K . L1 S2 = 596.87 Kgf/cm2 < 1,585.00 Kgf/cm2


(L2)2
c) para Ec e S em [Lbf/pol2], D e δ em [pol], e em [pol/pé], L em [pé]
K = Ec . D . e K = 227,463.13 S1 = K . L2 S1 = 13,481.02 Lbf/pol2 < 22,543.99 Lbf/pol2
48 (L1)2
S2 = K . L1 S2 = 8,489.51 Lbf/pol2 < 22,543.99 Lbf/pol2
(L2)2

3. Cálculo dos Momentos Fletores (Ma e Mc):


a) para M em [m.N], R em [N], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [MPa]
C = 20.I Eh C= 132.50 Ma = C.S1 Ma = 12,315.19 m.N
D Ec Mc = C.S2 Mc = 7,755.34 m.N

b) para M em [m.Kgf], R em [Kgf], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [Kgf/cm2]


C = 2.I Eh C= 1.32 Ma = C.S1 Ma = 1,255.80 m.Kgf
10D Ec Mc = C.S2 Mc = 790.82 m.Kgf

c) para M em [pé.Lbf], R em [Lbf], I em [pol4], D em [pol], Eh e Ec em [Lbf/pol2]


C = I Eh C= 0.67 Ma = C.S1 Ma = 9,083.24 pé.Lbf
6D Ec Mc = C.S2 Mc = 5,720.06 pé.Lbf

4. Cálculo das Reações (Rx e Ry):


Rx = P2 = 2.Mc Rx = 2,215.81 N
L2
Rx = 225.95 Kgf

Rx = 498.13 Lbf

Ry = P1 = 2.Ma Ry = 4,105.06 N
L1
Ry = 418.60 Kgf

Ry = 922.85 Lbf
FLEXIBILIDADE EM TUBULAÇÃO - MÉTODO DA VIGA EM BALANÇO GUIADA

CONFIGURAÇÃO EM U SIMBOLOGIA
y S1 = Tensão máxima no lado 1 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
S2 = Tensão máxima no lado 2 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Ry K = Constante
Rx L1 = Lado 1 [m], [pé]
A x L2 = Lado 2 [m], [pé]
Ma Ec = Módulo de elasticidade temp. mín do ciclo (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Eh = Módulo de elasticidade temp. considerada do ciclo [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
L1 Rx D = Diâmetro externo do tubo [mm], [pol]
D e = Coeficiente de dilatação unitária [mm/m], [pol/pé]
Md Ma = Momento fletor no ponto A [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
L3 Mc = Momento fletor no ponto C [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
C = Constante
I = Momento de inércia [cm4], [pol4]
B L2 C Rx = Reação no eixo X [N], [Kgf], [Lbf]
P3 δ3 Ry = Reação no eixo Y [N], [Kgf], [Lbf]
δ1
δ1 = Flecha devida à dilatação do lado 2 [mm], [pol]
P1 δ23 δ2 = Flecha devida à dilatação do lado 1 [mm], [pol]
δ21 Tp = Temperatura de projeto [ºC], [ºF]
Sc = Tensão admissível à temperatura ambiente (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sh = Tensão admissível à temperatura considerada [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sa = Tensão admissível (allowable displacement stress range [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol
f = Fator de redução para serviços cíclicos (ASME 31.3 pag 16)

ENTRADA DE DADOS VALORES CALCULADOS CONVERSÃO DE UNIDADES


L1 = 6.00 m 19.68 pé 1 MPa = 10.19716 Kgf/cm2
L2 = 7.50 m 24.61 pé 1 MPa = 145.03770 Lbf/pol2
L3 = 3.00 m 9.84 pé 1 Kgf/cm2 = 0.09807 Mpa
D= 168.20 mm 6.62 pol 1 Kgf/cm2 = 14.22334 Lbf/pol2
Ec = 2,040,000.00 Kgf/cm2 200,055.66 Mpa 29,015,613.60 Lbf/pol2 1 Lbf/pol2 = 0.07031 Kgf/cm2
Eh = 1,780,000.00 Kgf/cm2 174,558.37 Mpa 25,317,545.20 Lbf/pol2 1 Lbf/pol2 = 0.00689 Mpa
Sc = 1,130.00 Kgf/cm2 110.82 Mpa 16,072.37 Lbf/pol2 1m= 3.28083 pé
Sh = 1,010.00 Kgf/cm2 99.05 Mpa 14,365.57 Lbf/pol2 1 pol = 25.40000 mm
I= 1,170.00 cm4 28.11 pol4 1N= 0.10197 Kgf
e= 4.60 mm/m 0.06 pol/pés 1N= 0.22481 Lbf
Ta = 40.00 ºC 104.00 ºF 1 Kgf = 2.20462 Lbf
Tp = 360.00 ºC 680.00 ºF 1 Kgf = 9.80665 N
f= 1.00 1 Nm = 0.10197 Kgfm
1 Kgfm = 9.80665 Nm
1 Kgfm = 7.23003 Lbfpé
1 Nm = 0.73756 Lbfpé
ºC = 5(ºF - 32)/9
ºF = 9(ºC)/5 + 32
RESULTADO DA FLEXIBILIDADE

1. Cálculo da Tensão Admissível (Sa):

Sa = f(1,25Sc + 0,25Sh) Sa = 163.28 MPa

Sa = 1,665.00 Kgf/cm2

Sa = 23,681.86 Lbf/pol2
2. Cálculo da Tensão Máxima (S1 S2 e S3):
a) para Ec e S em [MPa], D e δ em [mm], e em [mm/m], L em [m]
K = 3Ec . D . e K= 464.36 S1 = K. L2.L1 S1 = 85.99 MPa < 163.28
106 (L1)3 + (L3)3
S2 = K (L1 - L3) S2 = 24.77 MPa < 163.28
(L2) 2

S3 = K (L2.L3) S3 = 43.00 MPa < 163.28


(L1)3 + (L3)3
b) para Ec e S em [Kgf/cm2], D e δ em [mm], e em [mm/m], L em [m]
K = 3Ec . D . e K= 4,735.17 S1 = K. L2.L1 S1 = 876.88 Kgf/cm2 < 1,665.00
10 6 (L1)3 + (L3)3
S2 = K (L1 - L3) S2 = 252.54 Kgf/cm2 < 1,665.00
(L2)2
S3 = K L2.L3 S3 = 438.44 Kgf/cm2 < 1,665.00
(L1)3 + (L3)3
c) para Ec e S em [Lbf/pol2], D e δ em [pol], e em [pol/pé], L em [pé]
K = Ec . D . e K = 220,964.18 S1 = K. L2.L1 S1 = 12,472.24 Lbf/pol2 < 23,681.86
48 (L1) + (L3)
3 3

S2 = K (L1 - L3) S2 = 3,592.00 Lbf/pol2 < 23,681.86


(L2)2
S3 = K L2.L3 S3 = 6,236.12 Lbf/pol2 < 23,681.86
(L1)3 + (L3)3
3. Cálculo dos Momentos Fletores (Ma e Md):
a) para M em [m.N], R em [N], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [MPa]
C = 20.I Eh C= 121.39 Ma = C.S1 Ma = 10,438.59 m.N
D Ec Md = C.S3 Md = 5,219.30 m.N

b) para M em [m.Kgf], R em [Kgf], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [Kgf/cm2]


C = 2.I Eh C= 1.21 Ma = C.S1 Ma = 1,064.44 m.Kgf
10D Ec Md = C.S3 Md = 532.22 m.Kgf

c) para M em [pé.Lbf], R em [Lbf], I em [pol4], D em [pol], Eh e Ec em [Lbf/pol2]


C = I Eh C= 0.62 Ma = C.S1 Ma = 7,699.13 pé.Lbf
6D Ec Md = C.S3 Md = 3,849.57 pé.Lbf

4. Cálculo das Reações (Rx e Ry):


Rxa = Rxd = Rx = P1 = 2.Ma Rx = 3,479.53 N
L1
Rx = 354.81 Kgf

Rx = 782.23 Lbf

Ry = 2.C.S2 Ry = 801.68 N
L2
Ry = 81.75 Kgf
Ry = 180.23 Lbf
Tensão admissível (allowable displacement stress range [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
TADO DA FLEXIBILIDADE

MPa

MPa

MPa

Kgf/cm2

Kgf/cm2

Kgf/cm2

Lbf/pol2

Lbf/pol2

Lbf/pol2
FLEXIBILIDADE EM TUBULAÇÃO - MÉTODO DA VIGA EM BALANÇO GUIADA

CONFIGURAÇÃO EM Z SIMBOLOGIA
Ry S1 = Tensão máxima no lado 1 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
S2 = Tensão máxima no lado 2 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
A Rx K = Constante
L1 = Lado 1 [m], [pé]
Ma L2 = Lado 2 [m], [pé]
δ23 Ec = Módulo de elasticidade temp. mín do ciclo (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
P3 L1 Eh = Módulo de elasticidade temp. considerada do ciclo [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
D = Diâmetro externo do tubo [mm], [pol]
δ3
L2 B e = Coeficiente de dilatação unitária [mm/m], [pol/pé]
C Ma = Momento fletor no ponto A [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
δ1
P1 Mc = Momento fletor no ponto C [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
δ21 C = Constante
I = Momento de inércia [cm4], [pol4]
y Rx = Reação no eixo X [N], [Kgf], [Lbf]
L3 Ry = Reação no eixo Y [N], [Kgf], [Lbf]
δ1 = Flecha devida à dilatação do lado 2 [mm], [pol]
δ2 = Flecha devida à dilatação do lado 1 [mm], [pol]
Md x Tp = Temperatura de projeto [ºC], [ºF]
Rx D Sc = Tensão admissível à temperatura ambiente (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sh = Tensão admissível à temperatura considerada [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Ry Sa = Tensão admissível (allowable displacement stress range [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol
f = Fator de redução para serviços cíclicos (ASME 31.3 pag 16)

ENTRADA DE DADOS VALORES CALCULADOS CONVERSÃO DE UNIDADES


L1 = 6.00 m 19.68 pé 1 MPa = 10.19716 Kgf/cm2
L2 = 7.50 m 24.61 pé 1 MPa = 145.03770 Lbf/pol2
L3 = 3.00 m 9.84 pé 1 Kgf/cm2 = 0.09807 Mpa
D= 168.20 mm 6.62 pol 1 Kgf/cm2 = 14.22334 Lbf/pol2
Ec = 2,040,000.00 Kgf/cm2 200,055.66 Mpa 29,015,613.60 Lbf/pol2 1 Lbf/pol2 = 0.07031 Kgf/cm2
Eh = 1,780,000.00 Kgf/cm2 174,558.37 Mpa 25,317,545.20 Lbf/pol2 1 Lbf/pol2 = 0.00689 Mpa
Sc = 1,130.00 Kgf/cm2 110.82 Mpa 16,072.37 Lbf/pol2 1m= 3.28083 pé
Sh = 1,010.00 Kgf/cm2 99.05 Mpa 14,365.57 Lbf/pol2 1 pol = 25.40000 mm
I= 1,170.00 cm4 28.11 pol4 1N= 0.10197 Kgf
e= 4.60 mm/m 0.06 pol/pés 1N= 0.22481 Lbf
Ta = 40.00 ºC 104.00 ºF 1 Kgf = 2.20462 Lbf
Tp = 360.00 ºC 680.00 ºF 1 Kgf = 9.80665 N
f= 1.00 1 Nm = 0.10197 Kgfm
1 Kgfm = 9.80665 Nm
1 Kgfm = 7.23003 Lbfpé
1 Nm = 0.73756 Lbfpé
ºC = 5(ºF - 32)/9
ºF = 9(ºC)/5 + 32
RESULTADO DA FLEXIBILIDADE

1. Cálculo da Tensão Admissível (Sa):

Sa = f(1,25Sc + 0,25Sh) Sa = 163.28 MPa

Sa = 1,665.00 Kgf/cm2

Sa = 23,681.86 Lbf/pol2
2. Cálculo da Tensão Máxima (S1 S2 e S3):
a) para Ec e S em [MPa], D e δ em [mm], e em [mm/m], L em [m]
K = 3Ec . D . e K= 464.36 S1 = K. L2.L1 S1 = 85.99 MPa < 163.28
106 (L1)3 + (L3)3
S2 = K (L1 + L3) S2 = 74.30 MPa < 163.28
(L2) 2

S3 = K L2.L3 S3 = 43.00 MPa < 163.28


(L1)3 + (L3)3
b) para Ec e S em [Kgf/cm2], D e δ em [mm], e em [mm/m], L em [m]
K = 3Ec . D . e K= 4,735.17 S1 = K. L2.L1 S1 = 876.88 Kgf/cm2 < 1,665.00
10 6 (L1)3 + (L3)3
S2 = K (L1 + L3) S2 = 757.63 Kgf/cm2 < 1,665.00
(L2)2
S3 = K L2.L3 S3 = 438.44 Kgf/cm2 < 1,665.00
(L1)3 + (L3)3
c) para Ec e S em [Lbf/pol2], D e δ em [pol], e em [pol/pé], L em [pé]
K = Ec . D . e K = 220,964.18 S1 = K. L2.L1 S1 = 12,472.24 Lbf/pol2 < 23,681.86
48 (L1) + (L3)
3 3

S2 = K (L1 + L3) S2 = 10,776.01 Lbf/pol2 < 23,681.86


(L2)2
S3 = K L2.L3 S3 = 6,236.12 Lbf/pol2 < 23,681.86
(L1)3 + (L3)3
3. Cálculo dos Momentos Fletores (Ma e Md):
a) para M em [m.N], R em [N], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [MPa]
C = 20.I Eh C= 121.39 Ma = C.S1 Ma = 10,438.59 m.N
D Ec Md = C.S3 Md = 5,219.30 m.N

b) para M em [m.Kgf], R em [Kgf], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [Kgf/cm2]


C = 2.I Eh C= 1.21 Ma = C.S1 Ma = 1,064.44 m.Kgf
10D Ec Md = C.S3 Md = 532.22 m.Kgf

c) para M em [pé.Lbf], R em [Lbf], I em [pol4], D em [pol], Eh e Ec em [Lbf/pol2]


C = I Eh C= 0.62 Ma = C.S1 Ma = 7,699.13 pé.Lbf
6D Ec Md = C.S3 Md = 3,849.57 pé.Lbf

4. Cálculo das Reações (Rx e Ry):


Rx = 2.Ma = 2.Md Rx = 3,479.53 N
L1 L3
Rx = 354.81 Kgf

Rx = 782.23 Lbf

Ry = 2.C.S2 Ry = 2,405.05 N
L2
Ry = 245.25 Kgf
Ry = 540.68 Lbf
ensão admissível (allowable displacement stress range [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
ADO DA FLEXIBILIDADE

MPa

MPa

MPa

Kgf/cm2

Kgf/cm2

Kgf/cm2

Lbf/pol2

Lbf/pol2

Lbf/pol2
FLEXIBILIDADE EM TUBULAÇÃO - MÉTODO DA VIGA EM BALANÇO GUIADA

CONFIGURAÇÃO EM 3D (ESPACIAL)

L3
L2 δnz

Ry L1
M1y
δny p
M1z n
Rz
1
Rx Y r
L4
Ancoragem
Bocal
Z
X Rx
5
M5z
SIMBOLOGIA Rz
S1 = Tensão máxima no lado 1 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2] L5
S2 = Tensão máxima no lado 2 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2] M5y
S3 = Tensão máxima no lado 3 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2] Ry
S4 = Tensão máxima no lado 4 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
S5 = Tensão máxima no lado 5 [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2] Sentido do Fluxo
K = Constante
L1 = Lado 1 [m], [pé]
L2 = Lado 2 [m], [pé]
L3 = Lado 3 [m], [pé]
L4 = Lado 4 [m], [pé]
L5 = Lado 5 [m], [pé]
Ec = Módulo de elasticidade na temperatura mínima do ciclo (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Eh = Módulo de elasticidade na temperatura considerada do ciclo [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
D = Diâmetro externo do tubo [mm], [pol]
e = Coeficiente de dilatação unitária [mm/m], [pol/pé]
M1 = Momento fletor no ponto 1 (ancoragem) [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
M5 = Momento fletor no ponto 5 (bocal) [m.N], [m.Kgf], [pé.Lbf]
C = Constante
I = Momento de inércia [cm4], [pol4]
Rx = Reação no eixo X [N], [Kgf], [Lbf]
Ry = Reação no eixo Y [N], [Kgf], [Lbf]
Rz = Reação no eixo Z [N], [Kgf], [Lbf]
δpx = Flecha devida à dilatação do lado p paralela (flecha) à direção X [mm], [pol]
δpy = Flecha devida à dilatação do lado p paralela (flecha) à direção Y [mm], [pol]
δny = Flecha devida à dilatação do lado n paralela (flecha) à direção Y [mm], [pol]
δnz = Flecha devida à dilatação do lado n paralela (flecha) à direção Z [mm], [pol]
δrx = Flecha devida à dilatação do lado r paralela (flecha) à direção X [mm], [pol]
δrz = Flecha devida à dilatação do lado r paralela (flecha) à direção Z [mm], [pol]
Tp = Temperatura de projeto [ºC], [ºF]
Sc = Tensão admissível à temperatura ambiente (40ºC) [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sh = Tensão admissível à temperatura considerada [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2]
Sa = Tensão admissível (allowable displacement stress range [MPa], [Kgf/cm2], [Lbf/pol2] CONVERSÃO DE UNIDADES
f = Fator de redução para serviços cíclicos (ASME 31.3 pag 16) 1 MPa = 10.19716 Kgf/cm2
1 MPa = 145.03770 Lbf/pol2
ENTRADA DE DADOS VALORES CALCULADOS 1 Kgf/cm2 = 0.09807 Mpa
L1 = 4.50 m 14.76 pé 1 Kgf/cm2 = 14.22334 Lbf/pol2
L2 = 1.50 m 4.92 pé 1 Lbf/pol2 = 0.07031 Kgf/cm2
L3 = 3.00 m 9.84 pé 1 Lbf/pol2 = 0.00689 Mpa
L4 = 7.50 m 24.61 pé 1m= 3.28083 pé
L5 = 5.50 m 18.04 pé 1 pol = 25.40000 mm
D= 273.10 mm 10.75 pol Schedule 40 1N= 0.10197 Kgf
Ec = 2,040,000.00 Kgf/cm2 200,055.66 Mpa 29,015,613.60 Lbf/pol2 1N= 0.22481 Lbf
Eh = 1,683,000.00 Kgf/cm2 165,045.92 Mpa 23,937,881.22 Lbf/pol2 1 Kgf = 2.20462 Lbf
Sc = 1,130.00 Kgf/cm2 110.82 Mpa 16,072.37 Lbf/pol2 1 Kgf = 9.80665 N
Sh = 1,010.00 Kgf/cm2 99.05 Mpa 14,365.57 Lbf/pol2 1 Nm = 0.10197 Kgfm
I= 6,692.00 cm4 160.78 pol4 1 Kgfm = 9.80665 Nm
e= 4.80 mm/m 0.06 pol/pé 1 Kgfm = 7.23003 Lbfpé
Ta = 40.00 ºC 104.00 ºF 1 Nm = 0.73756 Lbfpé
Tp = 370.00 ºC 698.00 ºF ºC = 5(ºF - 32)/9
f= 1.00 ºF = 9(ºC)/5 + 32

17 / 21
RESULTADO DA FLEXIBILIDADE

1. Cálculo da Tensão Admissível (Sa):


Sa = f(1,25Sc + 0,25Sh) Sa = 163.28 MPa

Sa = 1,665.00 Kgf/cm2

Sa = 23,681.86 Lbf/pol2

2. Cálculo da Tensão Máxima (S1, S2, S3 S4 e S5): e em [mm/m], L em [m] e em [pol/pé], L em [pé]
ENTRADA DE DADOS VALORES CALCULADOS VALORES CALCULADOS
Sen- Comprimen- L3 Dilatação Comprimen-to L3 Dilatação
Lado Direção
tido to L [m] [m3] δ = e.L [mm] L [pé] [pé3] δ = e.L [pol]
L1 X + 4.50 91.13 21.60 14.76 3,218.02 0.85
L2 Y - 1.50 3.38 7.20 4.92 119.19 0.28
L3 Z - 3.00 27.00 14.40 9.84 953.49 0.57
L4 Y + 7.50 421.88 36.00 24.61 14,898.24 1.42
L5 X + 5.50 166.38 26.40 18.04 5,875.42 1.04

a) Somatória do Cubo dos Comprimentos dos Lados (L em [m])


Σ (Lx)3 = (L1)3 + (L5)3 Σ (Lx)3 = 257.50 m3
Σ (Ly)3 = (L2)3 + (L4)3 Σ (Ly)3 = 425.25 m3
Σ (Lz)3 = (L3)3 Σ (Lz)3 = 27.00 m3
Σ (Lx) + Σ (Ly) =
3 3
682.75 m3
Σ (Lx) + Σ (Lz) =
3 3
284.50 m3
Σ (Ly) + Σ (Lz) =
3 3
452.25 m3
b) Somatória do Cubo dos Comprimentos dos Lados (L em [pés])
Σ (Lx)3 = (L1)3 + (L5)3 Σ (Lx)3 = 9,093.44 pé3
Σ (Ly) = (L2) + (L4)
3 3 3
Σ (Ly) =
3
15,017.43 pé3
Σ (Lz) = (L3)
3 3
Σ (Lz) =
3
953.49 pé3
Σ (Lx)3 + Σ (Ly)3 = 24,110.87 pé3
Σ (Lx)3 + Σ (Lz)3 = 10,046.93 pé3
Σ (Ly) + Σ (Lz) =
3 3
15,970.91 pé3
c) Somatória das Dilatações dos Lados (e em [mm/m], L em [m])
Σ δx = δL1 + δL5 Σ δx = 21,60 + 26,40 Σ δx = 48.00 mm
Σ δy = δL2 + δL4 Σ δy = - 7,20 + 36,00 Σ δy = 28.80 mm
Σ δz = δL3 Σ δz = 14,40 Σ δz = 14.40 mm

d) Somatória das Dilatações dos Lados (e em [pol/pé], L em [pé])


Σ δx = δL1 + δL5 Σ δx = 0,85 + 1,04 Σ δx = 1.89 pol
Σ δy = δL2 + δL4 Σ δy = - 0,28 + 1,42 Σ δy = 1.13 pol
Σ δz = δL3 Σ δz = 0,57 Σ δz = 0.57 pol

e) Cálculo das Constantes Kx, Ky e Kz (Ec em [MPa], D e δx em [mm], L em [m])


Kx = 3.Ec.D.δx Kx = 17.40 MPa/m
106.(Σ (Ly)3 + Σ (Lz)3)
Ky = 3.Ec.D.δy Ky = 16.59 MPa/m
106.(Σ (Lx)3 + Σ (Lz)3)
Kz = 3.Ec.D.δz Kz = 3.46 MPa/m
106.(Σ (Lx)3 + Σ (Ly)3)

f) Cálculo das Constantes Kx, Ky e Kz (Ec em [Kgf/cm2], D e δx em [mm], L em [m])


Kx = 3.Ec.D.δx Kx = 177.39 Kgf/cm2/m
106.(Σ (Ly)3 + Σ (Lz)3)
Ky = 3.Ec.D.δy Ky = 169.19 Kgf/cm2/m
106.(Σ (Lx)3 + Σ (Lz)3)
Kz = 3.Ec.D.δz Kz = 35.25 Kgf/cm2/m
106.(Σ (Lx)3 + Σ (Ly)3)

18 / 21
g) Cálculo das Constantes Kx, Ky e Kz (Ec em [Lbf/pol2], D e δx em [pol], L em [pés])
Kx = Ec.D.δx Kx = 769.05 Lbf/pol2/pé
48.(Σ (Ly)3 + Σ (Lz)3)

Ky = Ec.D.δy Ky = 733.51 Lbf/pol2/pé


48.(Σ (Lx)3 + Σ (Lz)3)

Kz = Ec.D.δz Kz = 152.82 Lbf/pol2/pé


48.(Σ (Lx)3 + Σ (Ly)3)

h) Cálculo das Tensões S1 a S5 (S em [MPa], L em [m])


S1y = Ky.L1 S1y = 74.66 MPa < 163.28 MPa

S1z = Kz.L1 S1z = 15.56 MPa < 163.28 MPa

S2x = Kx.L2 S2x = 26.09 MPa < 163.28 MPa

S2z = Kz.L2 S2z = 5.19 MPa < 163.28 MPa

S3y = Ky.L3 S3y = 49.78 MPa < 163.28 MPa

S3x = Kx.L3 S3x = 52.19 MPa < 163.28 MPa

S4x = Kx.L4 S4x = 130.47 MPa < 163.28 MPa

S4z = Kz.L4 S4z = 25.93 MPa < 163.28 MPa

S5y = Ky.L5 S5y = 91.26 MPa < 163.28 MPa

S5z = Kz.L5 S5z = 19.01 MPa < 163.28 MPa

i) Cálculo das Tensões S1 a S5 (S em [Kgf/cm2], L em [m])


S1y = Ky.L1 S1y = 761.37 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S1z = Kz.L1 S1z = 158.63 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S2x = Kx.L2 S2x = 266.09 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S2z = Kz.L2 S2z = 52.88 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S3y = Ky.L3 S3y = 507.58 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S3x = Kx.L3 S3x = 532.18 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S4x = Kx.L4 S4x = 1,330.45 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S4z = Kz.L4 S4z = 264.38 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S5y = Ky.L5 S5y = 930.56 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

S5z = Kz.L5 S5z = 193.88 Kgf/cm2 < 1,665.00 Kgf/cm2

19 / 21
j) Cálculo das Tensões S1 a S5 (S em [Lbf/pol2], L em [pés])
S1y = Ky.L1 S1y = 10,829.29 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S1z = Kz.L1 S1z = 2,256.27 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S2x = Kx.L2 S2x = 3,784.70 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S2z = Kz.L2 S2z = 752.09 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S3y = Ky.L3 S3y = 7,219.53 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S3x = Kx.L3 S3x = 7,569.40 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S4x = Kx.L4 S4x = 18,923.49 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S4z = Kz.L4 S4z = 3,760.45 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S5y = Ky.L5 S5y = 13,235.80 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

S5z = Kz.L5 S5z = 2,757.66 Lbf/pol2 < 23,681.86 Lbf/pol2

3. Cálculo dos Momentos Fletores Mx My Mz no Ponto 1:


a) para M em [m.N], R em [N], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [MPa]
C = 20.I Eh C= 404.31 M1y = C.S1z M1y = 6,289.63 m.N
D Ec M1z = C.S1y M1z = 30,188.03 m.N
M2y = C.S2x M2y = 10,550.33 m.N

b) para M em [m.Kgf], R em [Kgf], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [Kgf/cm2]


C = 2.I Eh C= 4.04 M1y = C.S1z M1y = 641.36 m.Kgf
10D Ec M1z = C.S1y M1z = 3,078.32 m.Kgf
M2y = C.S2x M2y = 1,075.83 m.Kgf

c) para M em [pé.Lbf], R em [Lbf], I em [pol4], D em [pol], Eh e Ec em [Lbf/pol2]


C= I Eh C= 2.06 M1y = C.S1z M1y = 4,639.02 pé.Lbf
6D Ec M1z = C.S1y M1z = 22,265.67 pé.Lbf
M2y = C.S2x M2y = 7,781.57 pé.Lbf

4. Cálculo das Reações Rx e Ry Rz no Ponto 1:


Rx = 2.M2y Rx = 14,067.10 N
L2
Rx = 1,434.45 Kgf

Rx = 3,162.44 Lbf

Ry = 2.M1z Ry = 13,416.90 N
L1
Ry = 1,368.14 Kgf

Ry = 3,016.27 Lbf

Rz = 2.M1y Rz = 2,795.39 N
L1
Rz = 285.05 Kgf

Rz = 628.43 Lbf

20 / 21
5. Cálculo dos Momentos Fletores Mx My Mz no Ponto 5:
a) para M em [m.N], R em [N], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [MPa]
C = 20.I Eh C= 404.31 M5y = C.S5z M5y = 7,687.33 m.N
D Ec M5z = C.S5y M5z = 36,896.48 m.N
M4y = C.S4x M4y = 52,751.63 m.N

b) para M em [m.Kgf], R em [Kgf], I em [cm4], D em [mm], Eh e Ec em [Kgf/cm2]


C = 2.I Eh C= 4.04 M5y = C.S5z M5y = 783.89 m.Kgf
10D Ec M5z = C.S5y M5z = 3,762.39 m.Kgf
M4y = C.S4x M4y = 5,379.17 m.Kgf

c) para M em [pé.Lbf], R em [Lbf], I em [pol4], D em [pol], Eh e Ec em [Lbf/pol2]


C= I Eh C= 2.06 M5y = C.S5z M5y = 5,669.92 pé.Lbf
6D Ec M5z = C.S5y M5z = 27,213.60 pé.Lbf
M4y = C.S4x M4y = 38,907.83 pé.Lbf

6. Cálculo das Reações Rx e Ry Rz no Ponto 5 (confirma que as reações Rx, Ry, Rz nos pontos 1 e 5 são iguais):
Rx = 2.M4y Rx = 14,067.10 N
L4
Rx = 1,434.45 Kgf

Rx = 3,162.44 Lbf

Ry = 2.M5z Ry = 13,416.90 N
L5
Ry = 1,368.14 Kgf

Ry = 3,016.27 Lbf

Rz = 2.M5y Rz = 2,795.39 N
L5
Rz = 285.05 Kgf

Rz = 628.43 Lbf

21 / 21