Anda di halaman 1dari 54

Currículo de

Minas Gerais em
consonância com
a BNCC
Concepções e Principais Mudanças
Currículo
BNCC CBC De Minas
Documento Normativo
do Governo Federal
Atual Currículo de Minas
Gerais
EDUCAÇÃO INFANTIL
ENSINO FUNDAMENTAL Novo Currículo de Minas
Objeto de
Discussão

Currículo
BNCC CBC De Minas
Documento Normativo
do Governo Federal
Atual Currículo de Minas
Gerais
Novo Currículo de Minas

Documentos de
Apoio
1. Etapa
Educação Infantil
Concepções e Principais Mudanças
• Momento importante para consolidar
concepções expressas nas Diretrizes Curriculares
1 Nacionais para a Educação Infantil – DNCEI.

• Oportunidade histórica de enfrentar


desigualdades educacionais no que se refere ao
2 acesso a bens culturais e vivência da infância.
A BNCC DA EDUCAÇÃO INFANTIL DERIVA DAS DCNEI

Parte significativa da Base Nacional


Comum Curricular – BNCC está
estabelecida nas atuais DCNEI,
expressa no seus artigos 3º, 8º e 9º.
NA ORGANIZAÇÃO DO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Éticos: da autonomia, da
CONSIDERAMOS: responsabilidade, da
solidariedade e do respeito
ao bem comum, ao meio
ambiente e às diferentes
culturas, identidades e
singularidades.
• os dois grandes eixos, as interações e a brincadeira; Políticos: dos direitos de
cidadania, do exercício da
criticidade e do respeito à
• os princípios éticos, políticos e estéticos; ordem democrática.
Estéticos: da sensibilidade,
• a indissociabilidade entre o cuidar e educar; da criatividade, da
ludicidade e da liberdade
de expressão nas diferentes
• a criança como ser integral que se relaciona com o mundo a manifestações artísticas e
culturais.
partir do seu corpo em vivências concretas com diferentes DCNEI – Art. 7º
parceiros e em distintas linguagens.
ESTRUTURA DA BNCC

A organização curricular da Educação Infantil pode se


estruturar em eixos, centros, campos ou módulos de

experiências que devem se articular em torno dos


princípios, condições e objetivos propostos
nesta diretriz.
Parecer 20, 2009, p. 16

O ensino tradicional mantém o foco no professor e


no seu saber, a BNCC e consequentemente o
Currículo da Educação Infantil de Minas Gerais traz
o foco para a criança, seus saberes, suas
experiências e seus contextos de vida.
ESTRUTURA DO DOCUMENTO DE MG
EDUCAÇÃO INFANTIIL
I - Texto introdutório com as concepções que acreditamos e
defendemos.

II - Quadro contendo :
• Direitos de Aprendizagem
• Campos de Experiência
• Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento
• Orientações Didáticas
• Práticas Cotidianas
DIREITOS DE APRENDIZAGEM

•Conviver com outras crianças e adultos, em pequenos e grandes grupos, utilizando diferentes linguagens, ampliando o conhecimento
de si e do outro, o respeito em relação à cultura e às diferenças entre as pessoas.
•Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural, constituindo uma imagem positiva de si e de seus grupos de
pertencimento, nas diversas experiências de cuidados, interações, brincadeiras e linguagens vivenciadas na instituição escolar e em seu
ÉTICO contexto familiar e comunitário.

•Participar ativamente, com adultos e outras crianças, tanto do planejamento da gestão da escola e das atividades propostas pelo
educador quanto da realização das atividades da vida cotidiana, tais como a escolha das brincadeiras, dos materiais e dos ambientes,
desenvolvendo diferentes linguagens e elaborando conhecimentos, decidindo e se posicionando.
•Expressar como sujeito dialógico, criativo e sensível, suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas,
POLÍTICO opiniões, questionamentos, por meio de diferentes linguagens.

•Brincar cotidianamente de diversas formas, em diferentes espaços e tempos, com diferentes parceiros (crianças e adultos), ampliando
e diversificando seu acesso a produções culturais, seus conhecimentos, sua imaginação, sua criatividade, suas experiências emocionais,
corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais
•Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, relacionamentos, histórias, objetos,
elementos da natureza, na escola e fora dela, ampliando seus saberes sobre a cultura, em suas diversas modalidades: as artes, a escrita,
ESTÉTICO a ciência e a tecnologia.
ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL
A EDUCAÇÃO INFANTIL NA 1ª VERSÃO DO CURRÍCULO DE MINAS GERAIS

OCORRÊNCIA DE OBJETIVOS DE
CAMPO DE EXPERIÊNCIAS NA BNCC APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO
O EU, O OUTRO E O NÓS 20
CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS 15
TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS 9
ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO 27
ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES 22
TOTAL 93

CAMPOS DE EXPERIÊNCIA

FAIXA ETÁRIA
Bebês: de 0 anos a 1ano e 6 meses
Crianças bem pequenas: 1 anos 7 meses a 3 anos e 11meses
Crianças Pequenas: 4 anos a 5anos e 11 meses

DIREITOS DE APRENDIZAGEM OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM E ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS PRÁTICAS COTIDIANAS


DESENVOLVIMENTO
Transição/Articulações
Na perspectiva da integração entre a Educação Infantil e os Anos Iniciais do
Ensino Fundamental, os campos de experiências – organização
intercomplementar, por excelência – fundamentam importantes processos das
crianças que terão continuidade e progressão nas demais etapas da Educação
Básica, quando serão tratados em Áreas de Conhecimento.

A legitimidade do
documento está diretamente
vinculada ao engajamento
dos sujeitos no seu processo
de produção.

Educação Infantil/Setembro 2018


2. Etapa Ensino
Fundamental
Concepções e Principais Mudanças
BNCC VERSÃO HOMOLOGADA
ENSINO FUNDAMENTAL
ÁREAS DO
LINGUAGENS CIÊNCIAS HUMANAS MATEMÁTICA CIÊNCIAS DA NATUREZA ENSINO RELIGIOSO
CONHECIMENTO

Competências específicas Competências específicas Competências específicas Competências específicas


Competências específicas da área
da área da área da área da área

COMPONENTES LÍNGUA EDUCAÇÃO LÍNGUA


ARTE GEOGRAFIA HISTÓRIA MATEMÁTICA CIÊNCIAS ENSINO RELIGIOSO
CURRICULARES PORTUGUESA FÍSICA INGLESA

Competências específicas
Competências específicas de componente
de componente

Práticas de
EIXO Eixo
Linguagem
Unidades temáticas Unidades temáticas Unidades temáticas Unidades temáticas Unidades temáticas
UNIDADES Campos de Unidades
TEMÁTICAS atuação temáticas
Ensino Fundamental

• Alinhamento: BNCC e PARECER CEB/CNE nº 11/2010

• Valorização de habilidades e competências que


devem ser trabalhadas ao longo dos anos

• Incorporação de temas contemporâneos


Ensino Fundamental

• Valorização das diferentes infâncias e adolescências

• Atenção às transições entre Educação Infantil, os anos iniciais e finais

• Alfabetização: deverá ocorrer até o 2º ano


Ensino Fundamental
Anos Iniciais

• Trabalho deve ter articulação com as experiências na


Educação Infantil e a valorização das situações lúdicas
de aprendizagem;

Anos Finais

• O foco dos anos finais precisa ser a ampliação dos


conhecimentos, com desafios de maior complexidade,
dando outro significado para as aprendizagens dos
anos iniciais, e o fortalecimento da autonomia dos
adolescentes.
1. De acordo com as Diretrizes
Curriculares Nacionais:

Linguagens;

Áreas do Matemática;

conhecimento e Ciências Humanas;

seus componentes Ciências da Natureza;

curriculares Ensino Religioso.


Área Linguagens
Alinhado com o proposto
pela BNCC, o Currículo de
Minas Gerais reafirma a
EDUCAÇÃO necessidade de que os
ARTES
FÍSICA
componentes curriculares que
compõem a área de
LÍNGUA
LÍNGUA
Linguagens se comprometam
INGLESA
PORTUGUESA
solidariamente com um
processo de formação que
possibilite aos estudantes
serem capazes de:
Competência 01 Área Linguagens

Compreender as linguagens como construção humana,


histórica, social e cultural

Reconhecimento e valorização das linguagens


Natureza dinâmica
como formas de significação da realidade

Reconhecimento e valorização das linguagens


Reconhecimento e valorização das linguagens
como forma de expressão de identidades
como forma de expressão da subjetividade
sociais e culturais
Competência 02 Área Linguagens

Conhecer e explorar diversas práticas de linguagem (artísticas,


corporais e linguísticas) em diferentes campos da atividade
humana

Para ampliar as possibilidades de participação


Para continuar aprendendo
na vida social

Para colaborar na construção de uma


sociedade mais justa, democrática e inclusiva.
Competência 03 Área Linguagens

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora,


como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –,

Para se expressar e partilhar informações,


Para produzir sentidos que levem ao diálogo, à
experiências, ideias e sentimentos em
resolução de conflitos e à cooperação
diferentes contextos
Competência 04 Área Linguagens

Utilizar diferentes linguagens para defender pontos de vista

Que respeitem o outro e promovam a


Que respeitem o outro e promovam os direitos
consciência socioambiental e o consumo
humanos
sustentável em âmbito local, regional e global

Para atuar criticamente frente a questões do


mundo contemporâneo
Competência 05 Área Linguagens

Desenvolver o senso estético para reconhecer, fruir e respeitar


as diversas manifestações artísticas e culturais

Das locais às mundiais, inclusive aquelas Para participar de práticas diversificadas,


pertencentes ao patrimônio cultural da individuais e coletivas, da produção artístico-
humanidade cultural,

com respeito à diversidade de saberes,


identidades e culturas
Competência 06 Área Linguagens

Compreender e utilizar tecnologias digitais de informação e


comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética

Nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares)

Para
Para se comunicar por Para produzir Para resolver desenvolver
meio das diferentes conhecimento problemas projetos autorais
linguagens e mídias
e coletivos
Área Linguagens
Componente Curricular: Língua Portuguesa
PRESSUPOSTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS

DIRETRIZES PARÂMETROS
CURRICULARES CURRICULARES
NACIONAIS NACIONAIS

LÍNGUA
PORTUGUESA

CBC-MG PNLD
Área Linguagens
Componente Curricular: Língua Portuguesa

A concepção moderna de O Texto como centralidade


linguagem das aulas

O que permanece dos


PCNs e CBC

Reflexão do uso da língua e


Os gêneros textuais/discursivos
desenvolvimento de práticas
e seus contextos de produção
de linguagem
Área Linguagens
Componente Curricular: Língua Portuguesa

QUAIS SÃO AS INOVAÇÕES?

-O gênero não apenas como mero estruturador das aulas, mas como parte

da vivência, das práticas de linguagem, fazendo sentido em um

determinado contexto regido pelo campo de atuação.


Área Linguagens
Componente Curricular: Língua Portuguesa

LÍNGUA PORTUGUESA
CAMPOS DE ATUAÇÃO

ANOS INICIAIS ANOS FINAIS


.Campo da vida cotidiana . Campo artístico-literário
.Campo artístico- literário .Campo de Práticas de Estudo e Pesquisa
.Campo das práticas de estudo e pesquisa .Campo jornalístico-midiático
.Campo da vida pública .Campo de atuação na vida pública
Área Linguagens
Componente Curricular: Língua Portuguesa

I Os gêneros multissemióticos/multimodais ganharam força, principalmente os gêneros oriundos dos ambientes


digitais.
N
O
O Conjunto de gêneros novos oriundos da contemporaneidade (dos ambientes digitais da pluridade e a
V diversidade cultural), requerem um multiletramento, fazendo com que o letramento da letra dialogue com
A esse multiletramento.

Ç Nova dimensão do ensino por competências e habilidades, com maior foco no desenvolvimento de
Õ proficiências, que se organizam por campos de atuação ( Contextos de produção) e Práticas de Línguagem
( Oralidade, Leitura, Produção de textos e Análise Linguística-semiótica).
E
S A Análise linguística-semiótica se articula com as práticas de linguagem e os campos de atuação (
Não é o uso da gramática pela gramática)

O fortalecimento de práticas de linguagem oral ( havia uma preferência pela língua escrita, e a oralidade
era tida como reflexo desta)
Área Linguagens
Componente Curricular: Língua Portuguesa

O artístico-literário está mais robusto, aparecendo como campo de atuação e


I valorizando o multiculturalismo, na seleção de textos ( Cânones e não Cânones,
Indígenas, Africanos, Latino-Americanos, Literatura Universal, Cultura Juvenil)
N
O
V Alfabetização nos dois primeiros anos do Ensino Fundamental.
A
Ç Alfabetizar letrando: possibilitar que o aluno tenha acesso a práticas letradas e a
à participação nessas práticas, ao mesmo tempo em que a estrutura e o funcionamento do
sistema de escrita são explorados.
O
Área Linguagens
Componente Curricular: Educação Física

Currículo Básico Currículo de


Comum - CBC Minas Gerais

4 eixos: 6 unidades temáticas:


- Esportes - Brincadeiras e Jogos
- Jogos e Brincadeiras - Danças
- Ginástica - Esportes
- Danças e expressões rítmicas - Ginásticas
- Lutas
- Práticas corporais de aventura

Progressão das habilidades a


partir da ampliação do Progressão das habilidades proposta a partir
repertório corporal e cultural da ampliação do repertório motor (teoria do
desenvolvimento) e do espaço de construção
e reprodução do conhecimento (do local
/regional para o de outras culturas e global)
Área Linguagens
Componente Curricular: Educação Física

Unidade Objeto do 1º ano do Ensino 2º ano do Ensino 3º ano do Ensino 4º ano do Ensino 5º ano do Ensino
Temática conhecimento Fundamental Fundamental Fundamental Fundamental Fundamental

Brincadeir Brincadeiras e Base Nacional Comum Curricular


as e Jogos jogos da (EF12EF01) Experimentar, fruir e recriar diferentes (EF35EF01) Experimentar e fruir brincadeiras e jogos populares do Brasil e
cultura brincadeiras e jogos da cultura popular presentes no do mundo, incluindo aqueles de matriz indígena e africana, e recriá-
contexto comunitário e regional, reconhecendo e los, valorizando a importância desse patrimônio histórico cultural.
popular respeitando as diferenças individuais de desempenho
presentes no dos colegas.
contexto Currículo de Minas Gerais
comunitário e
(EF12EF01X)Experimentar e (EF12EF01X) Experimentar, (EF35EF01X) (EF35EF01X) (EF35EF01X)
regional fruir diferentes brincadeiras fruir e recriar diferentes Experimentar e fruir Experimentar e fruir Experimentar e fruir
e jogos da cultura popular brincadeiras e jogos da brincadeiras e jogos brincadeiras e jogos brincadeiras e jogos
presentes no contexto cultura popular presentes populares do Brasil e populares do Brasil e populares do Brasil e
comunitário e regional, no contexto comunitário do mundo, incluindo do mundo, incluindo do mundo, incluindo
valorizando os saberes e e regional, valorizando os aqueles de matriz aqueles de matriz aqueles de matriz
vivências perpetuados e saberes e vivências indígena e africana. indígena e africana, indígena e africana,
reproduzidos nos contextos perpetuados, e recriá-los, valorizando a
familiares e comunitários. reproduzidos e recriados adequando regras, importância desse
nos contextos familiares e materiais e patrimônio histórico
comunitários. estratégias no sentido cultural.
de garantir a
participação de
todos.
Área Linguagens
Componente Curricular: Arte

O que permaneceu do CBC?


• O ensino por habilidades e competências.
• Quatro linguagens obrigatórias do componente Arte: Artes Visuais, Dança, Música e Teatro.

Quais as inovações?
• Definição de habilidades para os 9 anos de escolaridade no Ensino Fundamental;
• Flexibilidade de trabalho com as habilidades nos anos iniciais (podem ser desenvolvidas de
1º ao 5º ano)e nos anos finais (habilidades que podem ser trabalhadas de 6º ao 9º ano);
• Quatro (4) linguagens + Artes integradas = habilidades que integram mais de uma
linguagem artística);
• Foram modificadas algumas habilidades no intuito de se permitir um trabalho pedagógico
mais específico – só há um verbo de desenvolvimento cognitivo por habilidade.
• Há ainda que se observar e zelar para elaboração e realização de um trabalho que
contemple as seis dimensões do conhecimento estabelecidas para o componente curricular
Arte: criação, crítica, estesia, expressão, fruição e reflexão.
Área de Linguagens
Componente Curricular: Língua Inglesa
O que permaneceu do CBC?
• O ensino por habilidades e competências.
• Ênfase nos gêneros textuais e sua centralidade nas práticas de linguagem
Quais as inovações?
• Língua Inglesa passa a compor a área de Linguagens e torna-se um componente curricular
da Base Comum obrigatório nos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º anos)
• A Língua Inglesa passa a ter função social e política – Língua Franca – língua de
comunicação internacional, usada por falantes do mundo inteiro com diferentes repertórios
culturais e linguísticos e não mais o inglês ou dos Estados Unidos ou Inglaterra
• 88 habilidades apresentadas por ano e não mais por etapa como no CBC (32 habilidades)
• A Língua Inglesa está estruturada em 5 eixos: oralidade leitura, escrita, conhecimentos
linguísticos (gramática e léxico) e dimensão intercultural.
• Multiletramento – diversas práticas de linguagem e infinitas possibilidades do mundo digital
nos mais variados gêneros textuais.
Comunicação em Língua Inglesa A língua no uso e para o uso
Área de Linguagens
Componente Curricular: Língua Inglesa

• Gramática não é mais um fim em si mesmo – mas a serviço do sentido que está a serviço
de um propósito comunicativo
• Letramento crítico dos estudantes
• Ênfase nas mais diversas práticas de linguagem (verbal, verbo-visual, corporal áudio-visual
e outras) gêneros híbridos encontrados no multiletramento
• A escrita colaborativa vista como um processo e não mais como um produto
• Ênfase na diversidade linguística como direito, valorizando o uso de novas tecnologias
• Conhecimento de diferentes patrimônios culturais difundidos na Língua Inglesa tendo em
vista a ampliação de perspectivas no contato com diversas manifestações artístico-
culturais
• Inserção dos indivíduos em um mundo globalizado, em diálogo com o mundo do trabalho
Área Matemática
Componente Curricular: Matemática
O que permaneceu do CBC?
• O ensino por habilidades e competências.

Quais as inovações?
• Propõe cinco Unidades Temáticas: Números, Álgebra, Geometria, Grandezas e Medidas e
Probabilidade e Estatística;
Unidade Temática: Álgebra
 Nos anos iniciais Preparação para o
trabalho algébrico mais aprofundado;
 Sequências recursivas e não recursivas;
 Resolução de equações do 2º grau por meio de
fatorações;
Unidade Temática: Geometria
 Maior ênfase na geometria das transformações
Unidade Temática: Grandezas e
Medidas
 Unidades de medidas utilizadas na informática.
Unidade Temática: Números
 O trabalho com “porcentagens”, no contexto da
educação financeira, aparece de maneira mais explícita;
 Mudança de foco no trabalho com radicais;
 Desenvolvimento do pensamento proporcional para
resolver problemas.
Unidade Temática: Probabilidade
e estatística
• Trabalho com a incerteza e o tratamento de dados do 1º ao 9º ano;
• Probabilidade;
• Realização de pesquisas.
Merece destaque o uso de tecnologias – como calculadoras,
planilhas eletrônicas e a consulta a páginas de institutos de
pesquisa – como a do Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística (IBGE).
Área Ciências da Natureza
.
Componente Curricular: Ciências

“Mais do que conhecer conceitos, os alunos precisam estar


habilitados a compreender e a interpretar o mundo.”

- Compromisso com o Letramento Científico;


- Ensino de Ciências por Investigação: o processo investigativo deve ser entendido como
elemento central na formação dos estudantes;
- Complexidade das habilidades cresce progressivamente ao longo dos anos;
- Vivências, interesses e curiosidades sobre o mundo natural e tecnológico = Ponto de
partida;
- Aluno protagonista nas escolhas de posicionamento pessoais e coletivas;
- Unidades Temáticas devem ser tratadas de forma gradual, contínua e integrada;
- Processo Investigativo vai além das etapas predefinidas do Método Científico.
Área Ciências da Natureza
.
Componente Curricular: Ciências

Matéria e - Conhecimentos das diferentes áreas da


Criada por Ciência permeiam todo o EF, com o objetivo
Energia de instrumentalizar os estudantes para o
MG
processo investigativo;

- Organização dos conteúdos é inovada da


forma tradicional da maioria das escolas
Ciência e Vida e e/ou livros didáticos;
Tecnologia Evolução - Habilidades de Ciência e Tecnologia estão
em sintonia com as demais habilidades;

- Orientações Pedagógicas para as


Unidades Temáticas
Terra e
Universo
Área Ciências Humanas
A área contribuirá para que os estudantes possam:

Transformar
Expressar-se
a realidade

Comunicar-se
por diferentes Argumentar
linguagens

Ter pensamento Respeitar a


científico crítico diversidade
e criativo
Área Ciências Humanas
Componente Curricular: Geografia

O que permaneceu do CBC?


• O ensino da Geografia baseia-se na possibilidade de ampliação da capacidade do
estudante em apreender a realidade, sob o ponto de vista da espacialidade complexa.
• O aprendizado de um objeto ou de um acontecimento observado por meio de relações
com outros objetos ou acontecimentos garantindo a compreensão das articulações
construídas social e individualmente em permanente estado de atualização.
• A Cartografia como ferramenta que deve subsidiar o desenvolvimento de outras
habilidades.
• A possibilidade de escolha pelo professor de qual habilidade iniciar o trabalho em um
determinado ano.
• Os conceitos contemporâneos da Geografia (espaço, território, lugar, região, paisagem e
natureza) foram mantidos e são diferenciados por níveis de complexidade. Sendo o espaço
geográfico o mais amplo e complexo.
Área Ciências Humanas
Componente Curricular: Geografia

Quais as inovações?
• A Cartografia passou a ser considerada como uma unidade temática denominada
“Formas de representação e pensamento espacial”, e será trabalhada do 1º ao 9º ano do
EF sempre que possível utilizando ferramentas tecnológicas. Porém, a linguagem
cartográfica deverá ser trabalhada em todas as demais unidades temáticas para analisar
diferentes fenômenos.
• O estudo dos continentes foi retomado de forma bem definida a partir do 6º ano do EF.
• A Geografia como uma forma de pensar o mundo – raciocínio geográfico baseado nos
princípios de Analogia, Descrição, Diferenciação, Distribuição, Extensão, Localização e
Ordem.
• Temas relacionados à Geografia Política foram inseridos no 9º ano do EF.
• Temas como Geologia foram atribuídos a área de conhecimento Ciências da Natureza.
• Habilidades relacionadas a Nova Ordem Mundial serão trabalhadas de forma
interdisciplinar com a História.
A GEOGRAFIA BUSCARÁ O DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO ESPACIAL
Área Ciências Humanas
Componente Curricular: Geografia

Algumas habilidades inseridas no Currículo


Unidades Temáticas Objetos de Habilidades
Conhecimento
Conexões e escalas Ciclos naturais e vida (EF13GEMG) Identificar características naturais
cotidiana e socioculturais do lugar em que vive
comparando-o com outras paisagens mineiras.
Formas de Pontos de referência (EF15GEMG) Representar o espaço geográfico
representação e de Minas Gerais, por meio de desenhos, mapas
pensamento espacial mentais, maquetes, entre outros.
O sujeito e seu lugar no Relações étnico-raciais e (EF89GEMG) Problematizar as questões raciais,
mundo de gênero religiosas e de gênero analisando suas
repercussões em escala nacional, local e
internacional.
Área Ciências Humanas
Componente Curricular: História

O que permaneceu do CBC?


• O Ensino por competências e habilidades.
• O desenvolvimento do raciocínio histórico, rompendo com a lógica do ensino por
memorização.

Quais as inovações?
• O ensino da História objetiva formar estudantes que identifique os desafios da vida e tenham
habilidades analisá-los e resolvê-los de forma ética.
• O ensino baseado no desafio da diferença: de sujeitos, de espaço de tempo, de linguagens,
de diálogos e de formas de ver o mundo.
• O trabalho com as habilidades de identificar, analisar, compreender e comparar para dar
condições aos estudantes de resolverem seus desafios da vida.
Área Ciências Humanas
Componente Curricular: História

A História nos Anos Iniciais e Anos Finais


• Nos Anos Iniciais é adequado desenvolver a percepção do Eu, do Outro e do Nós.

• Nos Anos Finais a percepção do Nós e dos Outros cresce de importância,


permitindo a compreensão ampliada do indivíduo e de suas diferentes formas de
inserção no tempo e no espaço.
Área Ensino Religioso
Componente Curricular: Ensino Religioso

• Foi inserido na BNCC como Área do Conhecimento em observância a


Resolução CNE/CEB nº 04/2010 e Resolução CNE/CEB nº 07/2010.
• Apresenta um caráter interconfessional (pluralismo religioso).
• Busca o respeito a diversidade religiosa e o direito à liberdade de
consciência e crença.
• Em 27 de setembro de 2017 – O Supremo Tribunal Federal – STF votou que o
Ensino Religioso ministrado em escolas públicas deve possuir caráter
confessional, ou seja, vinculado às diversas religiões .
• Desde então o MEC aguarda uma definição final.
• O Currículo de Ensino Religioso seguirá o previsto na BNCC devido ao impasse
gerado.
Para sanar qualquer dúvida
ou fazer sugestões, basta
enviar e-mail para:

bncc@educacao.mg.gov.br
bnccundimemg@gmail.com