Anda di halaman 1dari 37

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA

OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

Prof. Dr. Marcos Chalhoub Coelho Lima


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

1 DEFINIÇÃO:

É o conjunto de eventos fisiológicos que conduzem o útero a


expulsar o feto a termo e seus anexos.

Termos ligados ao parto

- Primípara – fêmea no primeiro parto.


- Plurípara – fêmea com mais de um parto.
- Unípara ou monotócica – que produz um concepto por gestação.
- Multípara ou politócica – produz dois ou mais conceptos por gestação.
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

VIA FETAL

Conduto formado por partes do sistema genital e regiões circunvizinhas


pelo qual o produto transita durante o parto para ser expulso ao exterior.

Via fetal Dura – óssea

Via fetal Mole


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

VIA FETAL ÓSSEA

• Ílio
• Ísquio
• Púbis
• Sacro
• Primeiras vértebras coccínenas
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

VIA FETAL MOLE

• Cérvix
• Vagina
• Vestíbulo vaginal
• Vulva
• Ligamentos sacro-isquiáticos
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA
III. FISIOLOGIA DO PARTO
PERFIL ENDÓCRINO DURANTE A GSTAÇÃO
• Glicocorticóides (cortisol) permanecem baixos
• P4 elevada em toda gestação (> que na fase lútea)
- A partir de 50 dias – placenta responsável pela P4 - ovinos

Ajustado Bergamácia
40 Ajustado Ideal

35
Concentração plasmática
de progesterona (ng/ml)

30
**
25

20 *
15

10

0
1 3 5 7 9 11 13 15 17 19 21
Idade de gestação (semanas)
Relação entre as concentrações plasmáticas de progesterona (ng/ml) e
idade de gestação (semanas).
(Chalhoub, 2001)
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

PERFIL ENDÓCRINO DURANTE A GSTAÇÃO

• E2 elevado só no final da gestação

• Elevação do E2 e diminuição da P4

• Conversão enzimática da P4 em E2

- 17 α hidroxilase placentária

- C 17, 20 liase

(ativadas pelo cortisol da adrenal fetal)

• Prolactina – crescimento da glândula mamária


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

Insulto
placentário

Demanda
Insuficiência
nutricional
placentária
do feto

Síntese de
PGE2
placentária

• [ ] PGE2 no plasma fetal


Feto

• secreção fetal de cortisol


Feto

• Progesterona Estrógeno
Mãe
• [ ] PGE2 no plasma fetal
Feto

• secreção fetal de cortisol


Feto

• Progesterona Estrógeno
Mãe

Liberação de PGF2 alfa

Atividade
miometrial

PARTO
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

SECREÇÃO DE PROGESTERONA DURANTE A GESTAÇÃO

Égua e ovelha Vaca, porca e cabra


PLACENTA CORPO LÚTEO

PROGESTERONA

ÚTERO

GESTAÇÃO
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

3 FASES DO PARTO

3.1 Fase prodômica ou de preparação do parto

3.2 Fase de dilatação da via fetal mole

3.3 Fase de expulsão do produto


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

3 FASES DO PARTO

3.1 Fase prodômica ou de preparação do parto

 Caracterizado pelos sinais de aproximação do parto

 Modificações estruturais e bioquímicas da cérvix


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

SINAIS DE APROXIMAÇÃO DO PARTO

 Relaxamento dos ligamentos pélvicos (sacroisquiático)

 Vulva edemaciada e flácida ( 2 a 6 vezes maior)

 Edema de glândula mamária

 Últimas horas anorexia e decúbito


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO


MODIFICAÇÕES ESTRUTURAIS E BIOQUÍMICAS DA CÉRVIX

ÚTERO CÉRVIX
RELAXADO FECHADA
GESTAÇÃO

Excitação do PRÉ-TRABALHO Amadure-


miométrio DE PARTO cimento
cervical

CONTRÁTIL PARTO DILATADA


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO


3 FASES DO PARTO

3.2 Fase de dilatação

 Conhecida como fase de insinuação

 Inicia com as contrações e vai até o rompimento das


membranas fetais

 Insinuação das bolsas fetais dilatando via fetal

 Relaxamento e dilatação da cérvix


 Termina com o rompimento das bolsas fetais
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO


3 FASES DO PARTO

3.3 Fase de expulsão do produto

 Inicia com o rompimento das bolsas fetais

 Completa-se com o nascimento do(s) feto(s)

 Duas forças de contrações

Contrações uterinas
Contrações abdominais
 Posição: decúbito esterno abdominal

 REFLEXO DE FERGUSON
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO


3 FASES DO PARTO

3.3 Fase de expulsão do produto – expulsão das


membranas fetais:

 Bovinos – até 12 horas

 Carnívoros – imediatamente com os fetos


 Equinos - entre 3 minutos e 3 horas

 Caprino/ovino – de 30 minutos a 8 horas


Suínos – variado, logo após cada feto ou após todos – 4 horas

PLACENTOFAGIA – fisiológica em carnívoros – defesa predadores


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

3 FASES DO PARTO - INSINUAÇÃO


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

3 FASES DO PARTO - EXPULSÃO


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

3 FASES DO PARTO - EXPULSÃO


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

DURAÇÃO MÉDIA DO TRABALHO DE PARTO (horas)

Animal I Dilatação II expulsão III Expulsão


de cérvix fetal da placenta
Égua 1-4 0,2 – 0,5 1
Vaca, Búfala 2-6 0,5 – 1,0 6 – 12
Ovelha 2–6 0,5 – 2,0 0,5 – 8
Porca 2 – 12 2,5 – 3,0 1-4
Cadela - 2,0 – 9,0 *
Gata - 2,0 – 6,0 *
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

3 FASES DO PARTO

Reflexo de FERGUSON
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

PARTO – FASE EXPULSÃO


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

PARTO – FASE DE EXPULSÃO


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

4 ESTÁTICA FETAL

Definição:
Situação do feto no momento de sua insinuação no quadrante
pélvico materno por ocasião do parto

4.1 Apresentação (eixos longitudinais)

4.2 Posição (dorso materno e dorso fetal)

4.3 Atitude ou postura (partes móveis do feto com seu corpo)


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

4 ESTÁTICA FETAL FISIOLÓGICA

4.1 Apresentação

Relação que existe entre os eixos longitudinais, isto é, da coluna


vertebral do feto e da mãe

4.2 Posição – superior


Relação entre o dorso materno e do dorso fetal.

4.3 Atitude – estendida

Modo pelo qual se relacionam as partes móveis do feto com seu


corpo
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

4 ESTÁTICA FETAL FISIOLÓGICA


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

4.1 APRESENTAÇÃO

 4.1.1 Longitudinal
• Longitudinal anterior
• Longitudinal posterior

 4.1.2 Transversal
 Transversal dorsal
• Transversal ventral

 4.1.3 Vertical
• Vertical Dorsal
• Vertical Ventral Transversa ventral
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

4.2 POSIÇÃO

 4.2.1 Superior

 4.2.2 Inferior

 4.2.3 Lateral
• Lateral direita
• Lateral esquerda
Inferior ou Dorso púbica
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

4.3 ATITUDE

 4.3.1 Estendida

 4.3.2 Flexionada

Flexão de um dos membros


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

5 PARTICULARIDADES DO PARTO NAS ESPÉCIES

5.1 Equino – parto noturno

5.2 Bovino – pronunciado edema e flacidez de vulva

5.3 Ovino e caprino – parto em qualquer hora do dia

5.4 Suíno – a placentofagia é comum

5.5 Carnívoros – Inapetência, inquietação e episódios de vômitos


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

6 HIGIENE DO PARTO

6.1 Observação constante da parturiente

6.2 Marter fêmea limpa em ambiente calmo e boas condições de higiene

6.3 Grandes animais - Piquete com exercícios sem riscos de traumatismos

6.4 Ovino – tosquiar a lã que circunda a vulva

6.5 Carnívoros – local higiênico


OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

6 HIGIENE DO PARTO
OBSTETRÍCIA VETERINÁRIA

III. FISIOLOGIA DO PARTO

6 HIGIENE DO PARTO
FIM
Removal of Progesterone Block

How does progesterone secretion is inhibited?

Elevated cortisol promotes the synthesis of 3 enzymes

These 3 enzymes convert progesterone to estradiol

17 a hydoxylase 17 - 20 lyase Aromatase


Stage 1 (Initiation of Parturition)

Fetal Stress
Due increase in size and limited space

Release of pituitary ACTH


(adreno-corticotropic hormone)
Fetal
Adrenal Gland

Corticoids (cortisol)

1) Removal of progesterone block

2) Elevation of repro. tract secretion