Anda di halaman 1dari 39

Bom Conselho para

Tempos Difíceis

Sermão nº 2387

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2019
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Bom conselho para tempos difíceis / Charles H.
Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
39p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.


I. Título.

CDD 252

2
“Vai, pois, povo meu, entra nos teus quartos e
fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por
um momento, até que passe a ira.” (Isaías 26:20)

O Senhor tem um cuidado muito peculiar por


seu próprio povo. Ele é o pastor deles e os
alimenta como um rebanho. Ele é o pai deles, e
Ele os guarda como Seus queridos filhos.
Sempre que surgem tempos de grande
dificuldade, Ele pensa especialmente neles. Ele
afogou o mundo antediluviano, mas não até que
Noé estivesse em segurança na arca. Ele
queimou Sodoma e Gomorra, mas não até Ló ter
escapado para a pequena cidade chamada Zoar.
Em todos os Seus juízos, Ele se lembra de Sua
misericórdia para com Seu povo crente; Ele não
permite que sejam destruídos, mesmo no dia da
destruição dos ímpios. Filho de Deus, o olhar do
seu Pai está amorosamente fixo em você; seu
coração cuida de você a cada momento.
Homens e mulheres infelizes, dos quais não
podemos dizer isso! Infeliz você que nunca
confiou e nunca amou seu Deus, seu fabricante,
e seu melhor amigo! Mas três vezes feliz é o mais
pobre e mais provado entre nós que sabe que o
Senhor é seu refúgio, seu castelo e sua alta
torre, seu Defensor e Provedor, seu Deus e tudo.
Sempre que há algum mal sobre a terra, Deus
sabe tudo sobre ele, pois Ele sabe de tudo, Ele
prevê tudo o que vai acontecer. Ele às vezes dá
perspicácia aos homens, como no caso de seus
3
profetas; e não duvido que, mesmo agora,
homens crentes, quando vivem muito próximos
de Deus, enxerguem mais longe no futuro do
que outros.

Houve várias ocasiões, na vida de John Knox,


quando ele previu expressamente a morte de
certos homens; e poder semelhante foi dado a
outros santos eminentes que caminharam no
topo da colina com Deus. Eles olharam muito
mais longe do que os moradores da planície, que
se esquecem de Deus, já viram. Mas, se
podemos ver o futuro, ou não, é de pouca
importância, pois o Senhor pode ver. Se o pai da
família sabe o que deve acontecer, seus filhos
não ficarão sem aviso prévio; portanto, Deus,
quando Ele prevê que Seus juízos estarão na
terra, cuida para advertir Seus filhos; e quando
qualquer grande calamidade está chegando, Ele
provê para eles um abrigo no tempo da
tempestade. Vamos agradecer a Deus por isso. Ó
tu que não tens Deus para onde ir, o futuro deve
muitas vezes parecer muito escuro para alguns
de vós, especialmente aquele ponto mais negro
de todos, onde rola o fluxo gelado do rio da
morte! Quando você chegar lá, você terá que dar
um mergulho no escuro; mas o herdeiro do céu
sabe que, o que quer que esteja diante dele, tudo
é ordenado e fixado, arranjado e estabelecido,
pela infinita sabedoria e amor de Deus, e ele
pode confiar a si mesmo sem temor à
misericórdia preservadora do Senhor. Sem
4
querer se intrometer no futuro, ele se deixa
inteiramente nas mãos de Deus.

Comecei dizendo que os crentes são objeto do


cuidado especial de Deus e, em seguida, que
Deus tem uma visão que Ele exerce em favor
deles. Agora, além disso, o conselho, que nosso
cuidadoso e previsível Deus nos dá, certamente
será sábio. Todos nós deveríamos ser sábios se
pudéssemos fazer antes de um evento o que
gostaríamos de fazer depois disso; infelizmente,
muitas vezes somos sábios quando é tarde
demais. Não conheço melhor definição de tolo
do que aquele que é um homem que é sábio
tarde demais; mas Deus nos fará sábios com o
tempo se estivermos dispostos a aceitar o Seu
conselho. Se fizermos o que Ele nos der, faremos
a coisa certa.

Escute, então, o conselho que Deus nos dá


quando chegam tempos de angústia - e eles
virão - e antes que cheguem os tempos de
angústia, quando os prevemos. O curso correto
e sábio para nós está claramente marcado em
nosso texto: “Vem, meu povo, entra em seus
aposentos e fecha suas portas atrás de você:
esconda-se por um breve momento, até que a
indignação passe.”

I. Minha primeira observação sobre estas


palavras será que, ANTES OU EM TEMPOS DE
PROBLEMAS, É BOM ESTAR PERTO DE DEUS.
5
Não é um doce chamado de Deus: “Vem, meu
povo. Vem, meu povo”? Como a galinha dá seu
peculiar "piado" quando o falcão está no ar, para
que seus filhotes se aproximem e se escondam
sob suas asas, Deus também dá uma gentil e
amável nota de alarme, e um gracioso chamado
de convite, quando Ele diz. “Vem, meu povo.”
“Não, não vá, meu povo, espalhado aqui e ali pela
aproximação do perigo; mas vem, meu povo.
Não seja afugentado de mim pela aflição, mas
seja dirigido a mim pela adversidade. Venha,
meu povo.” Quão doce as palavras soam para
mim! Se eu tivesse a voz de um anjo,
dificilmente conseguiria exaltar toda a sua
doçura: “Vem, meu povo. Venha, meu povo. As
nuvens estão no céu; o primeiro relâmpago
pareceu dividir a escuridão da natureza. Venha,
meu povo, apresse-se para casa, seja rápido
sobre isso, venha, meu povo. Não, não demore;
não pare por medo, não fique paralisado de
apreensão. Venha, meu povo; vinde a Mim,
venha ao seu Deus, venha ao seu Pai, venha ao
seu amigo”. Para qual propósito devemos nos
achegar ao Senhor? Eu penso que em tempos de
dificuldade, ou quando estamos apreendendo a
provação, nós deveríamos vir espalhar nosso
caso diante de Deus. Você tem medo de estar
muito doente ou de que sua querida esposa
provavelmente morrerá; você tem medo de que
sua propriedade seja tirada de você, ou que algo
mais que seja terrível aconteça. Então venha e -
“Conte tudo a Jesus, para conforto ou queixa”.

6
Lembre-se de como Ezequias agiu quando
recebeu aquela carta abominável de Rabsaqué?
Ele a pegou e espalhou diante do Senhor. Agora,
faça o mesmo com qualquer problema seu,
presente ou iminente, venha e conte tudo a
Jesus. Você estava atravessando a estrada para
consultar um vizinho, estava? Eu não proíbo
você de fazer isso de vez em quando; mas
primeiro escute este sino elétrico: “Vem, meu
povo! Venha, meu povo!” Ele te chama primeiro
ao seu Deus; vá e conte a ele tudo sobre isso. Ele
ouvirá pacientemente a sua história, Ele ouvirá
sem cansaço e Ele te ajudará eficientemente;
por isso, espalhe o caso diante dEle.

A próxima coisa que você deve fazer ao se


aproximar de Deus é considerar a Sua opinião
sobre tal caso. Você já fez isso?

Quando consultamos um advogado, é porque


queremos ter seu julgamento sobre algum
ponto difícil da lei. Esperamos que ele tenha
decidido algo assim antes; ele conhece os
precedentes que aludem ao caso e, portanto,
pedimos seu julgamento. Eu adoro ver um
homem se voltando para a Bíblia quando um
problema está chegando, para ver o que Deus
tem a dizer sobre um caso como o dele. Se eu for
ficar desolado, ou se já estiver desolado, quero
saber como Jesus consolou aqueles que
perderam seus entes queridos. Se estiver
doente, pergunto: “O que as Escrituras dizem
7
aos doentes?” Se estou descendo no mundo,
quero aprender, o que é a direção de Deus para
o homem que está caindo na pobreza. Deixe-me
vir e ouvir o que Deus tem a dizer sobre o
assunto. Acredito que, se agirmos dessa
maneira, deveríamos estar muito mais
tranquilos do que sob tristezas surpreendentes,
pois deveríamos dizer a nós mesmos: “Minha
principal questão não é: “Como posso sair desse
problema?” Mas como eu deveria me
comportar nele? O que um homem de Deus
deve fazer sob as circunstâncias difíceis que
agora me atingem?“ Não lhe pede Deus, em
primeiro lugar, que considere o que será para
Sua glória e, depois, consulte seu próprio
consolo? “Buscai primeiro o reino de Deus e a
sua justiça”, e assim a lição do seu problema
será mostrada a você. “Venha, meu povo, então,
conte-me sua ansiedade e pergunte o que é a
Minha vontade.” “Venha, meu povo”, significa,
em seguida, chegar ao seu Deus, em tempos
difíceis, para ter certeza do maior assunto. Você
vai perder seu pouco dinheiro, vai? Bem, bem,
isso é ruim o suficiente; mas você tem algumas
joias que você não vai perder. Você se lembra de
Pequena Fé sendo roubada pelo Rio da Morte?
Bunyan diz que, quando os três robustos
trapaceiros, Coração Fraco, Desconfiança e
Culpa, caíram sobre ele, roubaram-lhe a maior
parte do seu dinheiro, mas ele tinha certas joias
que nunca encontraram, e das quais, portanto,
não podiam roubá-lo. Assim, o mundo pode vir e

8
tirar muitos dos nossos confortos externos e
temporários, mas temos um tesouro que nunca
pode nos tirar. Não, meu irmão, você não
ganhou esse tesouro mantendo a loja, e você
não o perderá fazendo compras. Se você tem
religião verdadeira, você não a comprou e
nunca a venderá; é sua para sempre, uma
herança que nunca pode ser alienada de você.
Agora que você perdeu muito e sofreu muito,
quero que você se achegue a Deus, e pense no
que ainda tem, Deus como seu Pai, Jesus como
seu irmão, o Espírito Santo como seu
Consolador; você ainda tem todos os recursos
da providência, todas as riquezas das
promessas, toda a superabundância da aliança
da graça. Pois bem, você não perdeu muito,
afinal, você perdeu?

Acho que já lhe falei antes de um amigo meu,


que foi ao Banco da Inglaterra e foi para o seu
negócio com algumas centenas de libras no
bolso; e quando ele passou pelo bairro, ele foi
roubado. Sua esposa parecia muito pálida
quando ele disse que havia sido roubado. "Sim",
disse ele, "minha querida, fui roubado do meu
lenço de bolso". Então o bom homem sorriu; o
que ele pensava sobre o lenço de bolso, contanto
que as centenas de libras fossem seguras?
Então, se você só tem para dizer: "Meu Senhor,
eu perdi este pouco e aquele pouco", enquanto
sua alma está segura, seu bem-estar eterno está
seguro, seu céu está seguro, por que,
9
certamente, você será ajudado a suportar sem
murmurar aqueles males que são comuns aos
homens!

Mais uma vez, “Vem, meu povo” significa que,


tendo-se assegurado das grandes coisas, você
pode deixar todas as coisinhas com Deus. Eu
estava pensando, outro dia, suponha que
qualquer um de nós tivesse poder sobre o
tempo, para fazê-lo chover ou fazê-lo brilhar,
assim como nós gostaríamos; e achei que não
gostaria de ser aquele indivíduo, porque eu
deveria ter pessoas para mim de manhã até a
noite, me deixando em pedaços, uma querendo
chuva e outra sol ardente. Eu preferiria não ter
tal poder; mas se Deus me desse o controle
sobre ventos e ondas, e nuvens e chuva, se eu
tivesse esta noite, a primeira coisa que eu faria
quando chegasse em casa seria subir e dizer:
“Senhor, você me deu poder. sobre o vento e a
chuva, mas sei que cometerei todo o tipo de
erros; eu não tenho a inteligência necessária
para administrar esses assuntos; Ó Senhor,
gentilmente me diga o que fazer.” Se você gosta
disso, não é a mesma coisa como se você não
tivesse nenhum poder e o deixasse para Deus?
Você pode descansar tanto assim, e até mais;
pois, estar sem o poder é estar sem a
responsabilidade. Então, amado, quando você
vai a Deus em tempos difíceis, diga: “Faça o que
quiser, Senhor; eu desejo deixar o cuidado e o
peso de todo este teste para você. Eu sou muito
10
tolo e fraco demais para lidar com isso; portanto,
empreenda por mim; e daqui em diante,
deixando-o inteiramente em Suas mãos, ficaria
quieto como um filho desmamado e diria: “O
que quer que aconteça, é o Senhor; faça o que
lhe parecer bom.“

Eu vou apenas tocar aquele sininho de prata e


depois deixar esse ponto. “Venha, meu povo.
Venha, meu povo. Venha e diga-me o seu
problema. Venha e estude minha mente sobre o
seu problema. Venha e certifique-se dos
melhores assuntos. Venha e deixe seus
pequenos assuntos comigo. Vem ó meu povo,
aproxima-te de mim em tempos difíceis”. Esta é
a primeira divisão do meu assunto.

II. A segunda é que é sábio entrar nos marcos de


segurança que Deus providenciou para nós.
“Venha, meu povo, entra em seus aposentos.”
Meu negócio, nesta segunda parte do meu
discurso, é trazer uma vela e mostrar-lhe o
caminho ao longo das passagens que conduzem
aos cômodos previstos para você: em seus
aposentos. Ӄ um tempo de problemas com
você: “Entra em seus aposentos.” “Que
aposentos?” Você pergunta.

Vou te mostrar; aqui está a vela para iluminar o


seu caminho, pegue-a e siga-me: “Venha a seus
aposentos”. Um dos cômodos em que um
homem deve entrar em tempos difíceis é a
11
despensa do poder divino. Deus é capaz de
suportar você em todas as provações; Deus é
capaz de trazer o bem de todo mal; Deus é capaz
de consolá-lo; Deus é capaz de evitar o
problema, ou torná-lo forte o suficiente para
suportá-lo. Nada pode acontecer com você que
esteja além do poder de Deus; e de acordo com o
Seu poder, Ele certamente te livrará. Ele se
mostrará forte em seu nome, se você confiar
nele, e você será capaz de cantar: “O Senhor é
meu Pastor e meu Escudo.” “Venha, meu povo”,
entre nesta câmara, neste poço, nesta sala
vigiada do Senhor. Do que você está com medo?
Com medo do diabo? Deus é mais forte que
Satanás. Com medo da morte? Deus é mais forte
que a morte. Com medo da pobreza? Cristo é
mais forte que a pobreza. Com medo da doença?
O poder de Deus irá sustentá-lo enquanto sofre
da mais terrível doença que possa
possivelmente chegar ao seu quadro mortal.
“Venha, meu povo.” Esconda-se nesta câmara
da onipotência divina. Você nunca terá medo,
certamente, após esse convite, pois o Deus
Todo-Poderoso será sua defesa. Posso levá-lo a
outra câmara, que, talvez, seja mais conveniente
para você? Essa será a câmara do conselho da
sabedoria divina. Então você está com
problemas agora e está muito perplexo; mas
Deus não está perplexo ou perturbado. Ele vê o
fim desde o começo; Ele tem todos os meios à
sua disposição; não há emaranhados e nós para
Ele, Ele tem a chave para cada labirinto, e Ele

12
pode guiá-lo para o centro da alegria. Não tenha
medo, embora esteja completamente
arruinado, embora não veja nenhum meio de
fuga; o Senhor pode ver onde você não pode. Não
existem coisas como a escuridão e a noite aos
olhos daquele que percebe todas as coisas. Oh,
eu me alegro em saber que Deus é infinitamente
sábio! Eu, um pobre tolo, fiz isso e aquilo, e nada
vem disso; assim parece. Eu tentei fazer o certo,
mas aparentemente sem sucesso. O que então?
Há uma sabedoria mais elevada do que a de
qualquer homem e que a sabedoria divina opera
no interesse dos herdeiros do céu.

Venha, meu povo, entre nesta sala iluminada e


descanse um pouco nesta câmara do conselho
da sabedoria divina. Deixe-me te mostrar em
outra câmara; possivelmente alguns de vocês se
sintam mais em casa ali, pois é a sala de estar do
amor divino. Esta é a câmara de estado do
palácio: “Vem, meu povo” e entra nela. Pense
nesta verdade maravilhosa, que Deus ama você.
Se Ele te bate ou te afaga, o Senhor ama você. Se
Ele te castiga ou te acaricia, Ele te ama. Ele te
amou desde antes da fundação do mundo; e Ele
te amará quando as fundações do mundo forem
abaladas. Ele te ama sem começo, sem medida,
sem mudança, sem fim. Ele comprometeu-se a
si mesmo em laços de amor eterno. Entre nesta
câmara com suas cortinas de ouro; venha para
este sofá que é mais macio do que tudo aqui
embaixo, e descanse aqui. Que a terra esteja
13
toda em armas no exterior, há perfeita paz para
o homem que entra nesta câmara do amor
divino. Mas se estas três câmaras não forem
suficientes para sua proteção e conforto, posso
levá-lo para a sala de registros da fidelidade
divina? Esta é uma câmara maravilhosa. Deus é
verdadeiro; Deus é fiel; Deus mantém suas
promessas. Meus queridos amigos, estudem as
promessas registradas na Bíblia? Se você não o
fizer, sinto muito por você. As promessas de
Deus devem ser objeto constante de estudo pelo
filho de Deus, porque, quando você se apega a
uma promessa de Deus, ela é tão boa quanto a
própria coisa. A promessa de Deus de pagar está
sempre no mesmo nível daqueles que confiam
nEle; eles não querem nenhum desconto em
uma promessa divina, é tão boa quanto a coisa
em si para seus corações crentes. Oh, que
inumerável companhia de promessas há neste
abençoado Livro! Nunca precisamos ficar
desanimados se quisermos apenas estudar este
maravilhoso Livro de Deus, que tem a promessa
de enfrentar todas as provações e tristezas; e
todas as promessas de Deus em Cristo Jesus
“são sim e Amém para a glória de Deus por nós”.
Você está encrencado; você disse que está
sofrendo de câncer? Oh, entre nesta câmara das
promessas fiéis! Você precisa vir. Você disse que
seu problema é uma falência causada
inteiramente por infortúnio? Venha, então,
para esta câmara; veja o lema pendurado nas
paredes: “Pão será dado a ele; suas águas devem

14
ser certas.” Acredite. Você terá pão e água
enquanto estiver debaixo do manto do céu. Deus
nunca falhará com você, portanto, confie nEle.
Não fique desanimado. “Venha, meu povo, entre
em seus aposentos.”

Há uma câmara na qual gosto muito de entrar,


isto é, a sala forte da imutabilidade divina. Esta é
aquela em que Deus tomou seu servo Moisés
antes de mandá-lo para o Egito. Moisés
perguntou ao Senhor qual era o Seu nome e Ele
respondeu: “EU SOU O QUE EU SOU”. Os filhos
de Israel não puderam compreender o nome
glorioso de Jeová, por isso o Senhor deu-lhes um
menor: “EU SOU”. Mas para o filho adulto de
Deus, este é o nome em que ele se deleita: “EU
SOU O QUE EU SOU”, o mesmo Jeová imutável,
nunca mudando, com “nenhuma mudança,
nem sombra de variação”. Oh, como minha
alma se deleita na imutabilidade do Senhor! Nós
mudamos como o espelho do tempo. Nós nunca
estamos em “Set Fair”, ou, se alguma vez
chegarmos a “Set Fair”, é certo que vai chover,
como eu noto que geralmente acontece quando
o espelho do tempo está nesse ponto. Mas,
queridos amigos; Deus é sempre o mesmo. Nós
crescemos e diminuímos como a lua; Deus é o
sol, sem paralaxe ou trópico. Bendita é a
imutabilidade de Deus! Oh, que câmara para
nela entrar! Quando entro, sinto-me um
homem na sala forte do Banco da Inglaterra. Eu
ouço uma voz dizendo: “Eu sou o Senhor, não
15
mudo; portanto, vocês, filhos de Jacó, não são
consumidos ”.

Há apenas mais um aposento que mencionarei


neste momento, embora eu pudesse ter
descrito muito mais, isto é, a melhor câmara da
salvação divina. Olhe para as cortinas escarlates
tingidas no precioso sangue de Jesus. Que
câmara é para um homem habitar, onde seu
perdão foi comprado por ele pela morte de seu
Senhor, onde a nova vida é dada a ele pela vida
de seu Senhor, e onde um trono e uma coroa no
céu são prometidos a ele através das vitórias de
seu Senhor. “Salvação Deus designará para
paredes e baluartes.” Que câmara sossegada
esta salvação faz! “Venha, meu povo. Venha,
meu povo. Venha, meu povo. Entre em seus
aposentos.”

Eu toquei o sino de prata. Eu te dei suas velas,


agora vá e entre em seus aposentos, e descanse
em poder divino, sabedoria, amor, fidelidade,
imutabilidade e salvação.

III. Mas agora vem uma coisa mais. Deus nos dá,
em terceiro lugar, mais bons conselhos.
QUANDO ENTRAMOS NESSAS CÂMARAS, É
NECESSÁRIO FECHAR A PORTA. Escute: “Entre
em seus aposentos e feche suas portas atrás de
você.” Se você entrar em uma sala e deixar a
porta aberta, você não se escondeu muito, e
você não ganhou nenhuma proteção entrando
16
na câmara. Eu sinceramente convido o povo de
Deus a entrar nas câmaras que mencionei; mas
eu também os convenceria a fechar as portas
daqueles quartos. Por que? Primeiro, para
eliminar todas as dúvidas. Você entrou na
câmara do poder divino. Agora, não duvide do
seu Deus. “Há algo muito difícil para o Senhor?”
Feche a porta. Feche a porta. Você entrou na
câmara da sabedoria divina. Não duvide do seu
Deus; não diga: “Isso é um erro. Certamente fui
levado pelo caminho errado. A Providência
errou.” Feche essa porta. Feche essa porta. Não
podemos deixar que qualquer rascunho entre
na nossa confiança na infinita sabedoria de
Deus. E se você entrou na câmara do amor
divino, quão abençoado é sentir: “Ele me amou
desde antes da fundação do mundo.” Será que
existe um vem em um "se"? Feche essa porta.
Não há descanso ou conforto até fecharmos
todas as dúvidas; devemos saber com certeza
que o Senhor nos amou, ou não podemos ter
nenhum prazer em Seu amor. E suponha que é a
câmara da fidelidade divina em que entramos,
não devemos ter dúvidas sobre isso; não
devemos dizer a nós mesmos: “Deus pode
esquecer sua promessa, talvez ele quebre a sua
palavra”. Oh, feche essa porta e tranque-a! Diga:
“Essa porta nunca mais pode ser aberta; não
podemos ter dúvidas sobre a fidelidade de Deus;
Ele não pode mentir. Ele é o Senhor e Seu amor
se tornará fraco para os Seus santos? Ele é Deus,
e Ele se desviará de Sua palavra e quebrará Seu

17
pacto e juramento?” Feche essa porta. Que nada
venha dessa maneira a perturbar nossa paz. E
quanto à imutabilidade divina, não podemos
permitir que a porta seja aberta para permitir
que até mesmo a suposição da mudança entre.
“Oh, Deus me amou”, diz alguém, “vinte anos
atrás!” E você acha que Ele não o ama agora?
“Oh, mas Ele me ajudou tão graciosamente
então!” Ele não te ajudará agora? O que, ele
mudou? Você está blasfemando com o próprio
pensamento de tal coisa! - “A quem uma vez
ama, nunca sai, mas os ama até o fim.” Você crê
nisso, e sempre que surge a dúvida de que Ele o
expulsou, feche essa porta e passe um prego por
ela, para que nunca mais seja aberta, pois o
Senhor não pode mudar. Se Ele é Deus, Ele deve
ser sempre o mesmo. "Venha, meu povo, entre
em seus aposentos e feche suas portas atrás de
você."

Acho que devemos primeiro fechar as portas


para afastar todas as dúvidas. Mas também
devemos fechar as portas para nos fecharmos
com Deus. Agora, meu Senhor, uma grande
tempestade está chegando; mas estou
encerrado contigo. Eu confio em seu poder; eu
confio em sua sabedoria; eu confio no seu amor;
eu confio em sua fidelidade; eu confio na sua
imutabilidade; eu confio em sua salvação. Não
confio em mais nada, mas descanso
inteiramente em você.
18
Você deve muitas vezes ter notado o que nosso
Salvador fez na tempestade no mar da Galiléia.
Ele sabia que uma grande tempestade estava
chegando, e Ele olhou para quê? Para um
travesseiro. O que, para um travesseiro? Por
que, se você e eu estivéssemos lá, deveríamos
ter procurado por um refúgio seguro! Mas Jesus
olhou em volta procurando um travesseiro; não
por um cinto de segurança, mas por um
travesseiro; e quando encontrou o travesseiro, o
que ele fez? Ele foi até a popa do navio, estendeu-
se e foi dormir! Por que ele agiu assim? Porque
Ele sentiu que Ele estava perfeitamente seguro
nas mãos do Pai; e havia os seus pobres
discípulos bem acordados e preocupados. Eles
pararam o vento por se agitarem? Eles
acalmaram as ondas reclamando? Não, eles
subiram e desceram a pequena embarcação,
mas o mar não os notou. Finalmente, eles foram
acordar o Mestre. Ele estava dormindo tão
profundamente que eles não conseguiam
acordá-lo como desejavam, então eles
clamaram: “Mestre, não se importa que
perecemos?” Ó discípulos sem fé, seu Mestre
estava fazendo a coisa mais grandiosa que Ele
podia fazer, Ele estava deixando o vaso nas mãos
de Deus, e ele mesmo indo dormir. Irmãos e
irmãs, às vezes, quando você se mete em um
grande problema, posso ser autorizado a ser seu
advogado e dar-lhe um conselho? Vá para a
cama e durma. "Oh, mas eu preciso estar
fazendo alguma coisa!" Sim, eu sei que você

19
precisa; e você vai fazer uma bagunça. Vá para a
cama. Procure um travesseiro e vá dormir. Nove
de dez vezes, quando nos preocupamos e nos
afligimos, desfazemos o que tentamos fazer; e
ficar quieto seria uma coisa muito mais sábia.

Venha, meu povo, não se apresse no mercado;


não se preocupe na loja; "Vem, meu povo, entra
em teus aposentos e fecha suas portas atrás de
ti;" descanse em Deus e espere pacientemente
por Ele, pois Ele pode fazer todas as coisas, e os
ventos e as ondas serão silenciados a Seu
comando.

Eu gostaria de poder falar assim com todos


vocês, mas não devo. Alguns de vocês não têm
câmaras para onde ir; vocês que estão fora de
Cristo não têm lugar para descansar. Oh, que
você tivesse! Deus conceda que você possa ter
antes do nascer do sol de amanhã! Que você
acredite em Jesus nesta mesma noite! Então
você terá Deus para ser o seu amigo para todo o
sempre, e todas estas câmaras que mencionei
estarão à sua disposição.

IV. Termino com esta última observação,


emprestada do texto. É deleitável pensar que o
problema não durará muito. Deixe-me ler o
texto novamente: “Vem, meu povo, entra em teu
aposento e fecha a porta atrás de ti: esconda-se
por um breve momento, até que a indignação
passe”. Não é uma expressão maravilhosa? - "um
20
pequeno momento"? Um momento é apenas o
tique-taque do relógio; mas aqui é "um pequeno
momento" - um pequeno momento. Ah,
primeiro, nós não pensamos assim quando o
problema vem! Talvez seja alguma doença;
possivelmente é uma tuberculose incipiente.
Você tem tossido muito. Ah, meu querido
amigo, venha e conte ao seu Deus sobre isso!
Isso durará apenas um pequeno momento, e
então você estará onde você não tossirá mais,
mas você deve cantar os louvores de Deus, até o
fim. “Mas é o início de um câncer.” Eu sei; e isso
é uma coisa terrível; mas, minha querida irmã,
vá a Deus, entre nestas câmaras abençoadas de
poder divino, sabedoria, amor e assim por
diante, e você O ouvirá dizendo: “É só por um
pequeno momento”.

“Ah!” diz outro, "Mas eu sou desesperadamente


pobre, e tenho sido assim por um longo tempo,
e espero que eu seja assim até que eu morra."
Bem, se assim for, será apenas por um pequeno
momento, e então você será rico para sempre.
Ainda não sou um homem velho, embora não
seja jovem; mas sou obrigado a dizer-lhe que os
anos são muito mais curtos para mim do que
costumavam ser há vinte anos. E semanas - por
que elas parecem voar! Eu nunca chego à noite
de domingo sem parecer ter outra manhã de
domingo perto dos meus calcanhares. Você não
acha isso? Quando Jacó disse que seus dias eram
poucos, por que ele falou assim? Porque ele era
21
um homem velho. Se ele fosse um homem de
vinte e cinco anos, ele não diria isso; ele teria
pensado que ele tinha vivido um bom tempo,
mas quando chegou a ter mais de cem, então
seus dias pareciam muito poucos. Afinal, qual é
a vida mais longa? Suponha que você deva viver
por setenta ou oitenta anos? Nós, com mais de
cinquenta anos, achamos que não é necessário
um esforço mental para nos projetarmos nos
próximos vinte e cinco anos, e nos acharmos
velhos e grisalhos, prontos para partir; e nós
partiremos no devido tempo. É apenas por um
pequeno momento que estaremos aqui. A taça é
muito amarga, mas não há muito nela; vamos
pegar tudo em um gole. Essas pílulas são
pequenas demais para que possamos dar duas
mordidas. Além disso, mastigá-las é para obter
sua amargura; engoli-las é não saber nada sobre
isso. Então, faça com os problemas desta vida;
leve-os como eles vêm, alegre e contente,
louvando a Deus que existe bem no mal e doçura
no amargo. Pegue tudo. Não vai durar muito –

“Um alforje nas minhas costas

e um bastão em minhas mãos,

vou apressadamente

pela terra de um inimigo;

A estrada pode ser áspera,


22
mas não pode ser longa,

e eu vou alisá-la com esperança,

e alegrá-la com música.”

Entre nas câmaras que o Senhor preparou para


você, e esconda-se “por um pequeno momento,
até a indignação ter passado”. Aqui estou, neste
nono de setembro, no ano de graça de mil
oitocentos e oitenta e oito, ainda pregando a
você; mas chegará um tempo em que não haverá
voz minha a partir deste púlpito, e nenhum
olhar de seus olhos para o ministro aqui. Nós
estaremos no mundo vindouro; e então, em
pouco tempo, todos apareceremos diante do
tribunal de Cristo. Se nunca nos escondemos
nestas câmaras, se nunca fugimos para Cristo,
então virá o tempo da desgraça, um tempo
sombrio, de fato; tristezas sem um término, uma
amargura que deve ser eterna. Deus nos ajude a
beber dez mil cálices de amargura aqui em vez
de ter que beber aquela taça de absinto e fel para
sempre! Venha, voe para Cristo esta noite; o
Senhor te ajude a fazer isso! Acredite nele,
confie nele, para que você nunca conheça a Sua
indignação; mas, tendo se escondido por um
pequeno momento do presente problema, você
despertará para alegria sem fim à mão direita de
Deus, para todo o sempre. Amém.

23
Salmos– 73

1 Com efeito, Deus é bom para com Israel, para


com os de coração limpo.

2 Quanto a mim, porém, quase me resvalaram


os pés; pouco faltou para que se desviassem os
meus passos.

3 Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a


prosperidade dos perversos.

4 Para eles não há preocupações, o seu corpo é


sadio e nédio.

5 Não partilham das canseiras dos mortais, nem


são afligidos como os outros homens.

6 Daí, a soberba que os cinge como um colar, e a


violência que os envolve como manto.

7 Os olhos saltam-lhes da gordura; do coração


brotam-lhes fantasias.

8 Motejam e falam maliciosamente; da opressão


falam com altivez.

9 Contra os céus desandam a boca, e a sua língua


percorre a terra.
24
10 Por isso, o seu povo se volta para eles e os tem
por fonte de que bebe a largos sorvos.

11 E diz: Como sabe Deus? Acaso, há


conhecimento no Altíssimo?

12 Eis que são estes os ímpios; e, sempre


tranquilos, aumentam suas riquezas.

13 Com efeito, inutilmente conservei puro o


coração e lavei as mãos na inocência.

14 Pois de contínuo sou afligido e cada manhã,


castigado.

15 Se eu pensara em falar tais palavras, já aí teria


traído a geração de teus filhos.

16 Em só refletir para compreender isso, achei


mui pesada tarefa para mim;

17 até que entrei no santuário de Deus e atinei


com o fim deles.

18 Tu certamente os pões em lugares


escorregadios e os fazes cair na destruição.

19 Como ficam de súbito assolados, totalmente


aniquilados de terror!
25
20 Como ao sonho, quando se acorda, assim, ó
Senhor, ao despertares, desprezarás a imagem
deles.

21 Quando o coração se me amargou e as


entranhas se me comoveram,

22 eu estava embrutecido e ignorante; era como


um irracional à tua presença.

23 Todavia, estou sempre contigo, tu me


seguras pela minha mão direita.

24 Tu me guias com o teu conselho e depois me


recebes na glória.

25 Quem mais tenho eu no céu? Não há outro


em quem eu me compraza na terra.

26 Ainda que a minha carne e o meu coração


desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e
a minha herança para sempre.

27 Os que se afastam de ti, eis que perecem; tu


destróis todos os que são infiéis para contigo.

28 Quanto a mim, bom é estar junto a Deus; no


SENHOR Deus ponho o meu refúgio, para
proclamar todos os seus feitos.

26
Isaías– 26

1 Naquele dia, se entoará este cântico na terra de


Judá: Temos uma cidade forte; Deus lhe põe a
salvação por muros e baluartes.

2 Abri vós as portas, para que entre a nação justa,


que guarda a fidelidade.

3 Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz


aquele cujo propósito é firme; porque ele confia
em ti.

4 Confiai no SENHOR perpetuamente, porque o


SENHOR Deus é uma rocha eterna;

5 porque ele abate os que habitam no alto, na


cidade elevada; abate-a, humilha-a até à terra e
até ao pó.

6 O pé a pisará; os pés dos aflitos, e os passos dos


pobres.

7 A vereda do justo é plana; tu, que és justo,


aplanas a vereda do justo.

8 Também através dos teus juízos, SENHOR, te


esperamos; no teu nome e na tua memória está
o desejo da nossa alma.
27
9 Com minha alma suspiro de noite por ti e, com
o meu espírito dentro de mim, eu te procuro
diligentemente; porque, quando os teus juízos
reinam na terra, os moradores do mundo
aprendem justiça.

10 Ainda que se mostre favor ao perverso, nem


por isso aprende a justiça; até na terra da retidão
ele comete a iniquidade e não atenta para a
majestade do SENHOR.

11 SENHOR, a tua mão está levantada, mas nem


por isso a veem; porém verão o teu zelo pelo
povo e se envergonharão; e o teu furor, por
causa dos teus adversários, que os consuma.

12 SENHOR, concede-nos a paz, porque todas as


nossas obras tu as fazes por nós.

13 Ó SENHOR, Deus nosso, outros Senhores têm


tido domínio sobre nós; mas graças a ti somente
é que louvamos o teu nome.

14 Mortos não tornarão a viver, sombras não


ressuscitam; por isso, os castigaste, e destruíste,
e lhes fizeste perecer toda a memória.

15 Tu, SENHOR, aumentaste o povo, aumentaste


o povo e tens sido glorificado; a todos os confins
da terra dilataste.
28
16 SENHOR, na angústia te buscaram; vindo
sobre eles a tua correção, derramaram as suas
orações.

17 Como a mulher grávida, quando se lhe


aproxima a hora de dar à luz, se contorce e dá
gritos nas suas dores, assim fomos nós na tua
presença, ó SENHOR!

18 Concebemos nós e nos contorcemos em


dores de parto, mas o que demos à luz foi vento;
não trouxemos à terra livramento algum, e não
nasceram moradores do mundo.

19 Os vossos mortos e também o meu cadáver


viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os
que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus,
será como o orvalho de vida, e a terra dará à luz
os seus mortos.

20 Vai, pois, povo meu, entra nos teus quartos e


fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por
um momento, até que passe a ira.

21 Pois eis que o SENHOR sai do seu lugar, para


castigar a iniquidade dos moradores da terra; a
terra descobrirá o sangue que embebeu e já não
encobrirá aqueles que foram mortos.

29
Nota do Tradutor:

“4 e adoraram o dragão porque deu a sua


autoridade à besta; também adoraram a besta,
dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem
pode pelejar contra ela?

5 Foi-lhe dada uma boca que proferia


arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir
quarenta e dois meses;

6 e abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para


lhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a
saber, os que habitam no céu.

7 Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os


santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda
autoridade sobre cada tribo, povo, língua e
nação;

8 e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a


terra, aqueles cujos nomes não foram escritos
no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto
desde a fundação do mundo.” (Apocalipse 13.4-
8)

Desde o início da criação, e em razão da entrada


do pecado no mundo, que Deus tem permitido
que os seus santos sofram injustiças, injúrias,
ofensas e perseguições da parte dos ímpios, e
em especial da semente da Serpente, a saber,
30
aqueles que são os filhos do diabo, a saber, da
perdição, assim como era Caim, que sendo do
diabo, matou a seu irmão Abel.

O texto de Apocalipse citado anteriormente


remete-nos à ação conjunta do diabo com o
Anticristo, sendo-lhes permitido que executem
nos dias da chamada Grande Tribulação, uma
grande perseguição e sofrimento ao povo de
Deus, como se lê no verso 7: “Foi-lhe dado,
também, que pelejasse contra os santos e os
vencesse.” Isto será permitido para que se
revele a terrível malignidade deles, que vinham
ocultando e disfarçando sob supostos atos de
justiça, segurança e paz, a ponto de serem
adorados por aqueles que não têm o Espírito
Santo, que lhes desse o devido discernimento de
suas reais intenções. E como recusarão adorar o
Anticristo e o diabo, serão duramente
perseguidos.

Por nos encontrarmos na dispensação da graça,


Deus tem suportado com grande
longanimidade os vasos de ira destinados para a
perdição, mas por ocasião da volta do Senhor,
lhes sobrevirá um repentino juízo de destruição,
conforme vemos nas palavras de Isaías 26.20,21:
31
“20 Vai, pois, povo meu, entra nos teus quartos
e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por
um momento, até que passe a ira.

21 Pois eis que o SENHOR sai do seu lugar, para


castigar a iniquidade dos moradores da terra; a
terra descobrirá o sangue que embebeu e já não
encobrirá aqueles que foram mortos.”

EXPOSIÇÃO DE C. H. SPURGEON: Salmo 73.

O salmista aqui trabalha o problema da


prosperidade dos ímpios. Ele estava preocupado
em sua mente sobre isso; ele sabia que temia a
Deus, mas também sabia que era muito provado,
ao passo que via muitos que não tinham temor
de Deus diante de seus olhos, que pareciam
estar sempre prosperando. Sua condição
florescente era um enigma para ele, mas ele
examinou o problema e desvendou o mistério.
Acho que já lhe contei, como um pequeno
exercício para sua memória, que o Salmo
setenta e três e o trigésimo sétimo estão ambos
no mesmo assunto. Você pode facilmente
lembrar isso, como as mesmas figuras são
usadas em cada instância, apenas elas são
transformadas de duas maneiras, no 73 e no 37.

Verso 1. Verdadeiramente, Deus é bom para


Israel, a saber, para aqueles que são limpos de
32
coração. O salmista sabe que deve ser assim; ele
não pode duvidar disso; ele estabelece como
uma proposição a não ser contestada.
Seguramente: “Verdadeiramente, Deus é bom
para Israel.”

2. Mas quanto a mim, meus pés quase


resvalaram; meus passos tinham quase
escorregado. “Quase fui seduzido ao pecado;
Parecia que eu deveria cair em iniqüidade.”

3. Porque eu tinha inveja dos tolos, quando via a


prosperidade dos iníquos. Parecia realmente
que os grandes arrogantes prosperavam, como
se os grandes infiéis fossem felizes, como se,
afinal de contas, a religião trouxesse problemas,
e a irreligião trouxesse prazer.

4. Pois não há bandas em sua morte, mas sua


força é firme. Alguns deles sufocam a
consciência de tal modo que até mesmo
morrem estupefatos, sem nenhum sentido da
terrível ira que lhes sobrevém: “Não há bandas
em sua morte”.

5. Eles não estão em apuros como os outros


homens; nem são atormentados como os outros
homens. Eles não parecem ter as aflições do
povo de Deus, e certamente não são
atormentados por conflitos de alma como os
cristãos; eles parecem se tornar muito felizes
em todos os momentos.
33
6. Daí, a soberba que os cinge como um colar, e
a violência que os envolve como manto. A
violência os cobre como uma peça de roupa.
Eles não estão nem um pouco envergonhados;
eles colocam como se fosse a veste de dia de
trabalho.

7, 8. Os olhos saltam-lhes da gordura; do coração


brotam-lhes fantasias. Motejam e falam
maliciosamente; da opressão falam com altivez.
Que palavras grandes eles proferem! Como eles
se orgulham! Como eles desprezam os pobres!
Como eles zombam da religião! É terrível ouvi-
los; e para um filho de Deus, que está consciente
de fazer o certo e de sofrer por isso, é uma tarefa
difícil ouvi-los falar assim.

9. Contra os céus desandam a boca, e a sua


língua percorre a terra. Eles falam contra os
céus e as línguas deles caminham pela terra,
não deixando ninguém em paz, tendo uma
palavra dura para todos, exceto o grupo
escolhido.

10, 11. Por isso, o seu povo se volta para eles e os


tem por fonte de que bebe a largos sorvos. E diz:
Como sabe Deus? Acaso, há conhecimento no
Altíssimo? Eles fingem que Deus é, por assim
dizer, apenas como o Rei Log, não levando em
conta o que é feito pelos filhos dos homens. "Ele
34
não percebe nossas festas, ou ouve nossas
blasfêmias", dizem eles.

12. Eis que são estes os ímpios; e, sempre


tranquilos, aumentam suas riquezas. E, no
entanto, por que nos perguntamos isso? O boi
que se destina a ser morto é o primeiro a ser
engordado, e aquele que está destinado à
destruição, muitas vezes será permitido
prosperar. Você não deixaria que eles tenham
tanto prazer quanto podem ter nesta vida, pois
não terão nenhum na próxima? Oh, não os
inveje nas suas alegrias de curta duração! No
entanto, o salmista o fez quando estava
deprimido e com um humor maligno. Ele disse:
“Eis que estes são os ímpios que prosperam no
mundo; aumentam em riquezas”.

13. Com efeito, inutilmente conservei puro o


coração e lavei as mãos na inocência.
“Certamente”, ele disse, “minha vida santa,
meu desejo de estar certo com Deus e o homem,
é uma coisa boa para nada. Eu não prospero; não
aumentei em riquezas, mas é o contrário
comigo.”

14. Pois de contínuo sou afligido e cada manhã,


castigado. Você não pode imaginar um filho de
pais muito sábios, e pais muito amorosos,
dizendo: “Ora, olhe para aquele menino na rua!
35
Ele não tem pai para açoitá-lo, não tem mãe para
repreendê-lo, ele pode fazer o que quiser; mas,
quanto a mim, se eu fizer algo errado, sou
chicoteado por isso ”? Ah, meu rapaz! Chegará o
dia em que você não invejará o menino de rua; e
você ficará grato, então, por não estar na posição
dele. O filho de Deus, se ele pecar, terá que
esperá-lo; e não há nada mais terrível do que ser
permitido pecar sem ser obrigado a sofrer. Deus
nos salve de sermos entregues a tal estado!

15. Se eu pensara em falar tais palavras, já aí teria


traído a geração de teus filhos. Nem sempre fale
o que pensa. "Mas, se você pensa, pode dizer
isso", diz um deles. Ah não! Pode haver um
espírito maligno na garrafa, mas ninguém se
embebedará se você mantiver a rolha; assim,
pode haver maus pensamentos em seus
corações, mas eles não ferirão outras pessoas se
vocês, por assim dizer, não puxarem a rolha
pronunciando-os. É sempre bom pensar duas
vezes antes de falar uma vez. “Então,” disse o
salmista, “eu não posso falar assim, porque essa
conversa iria vexar o povo de Deus.”

16. Em só refletir para compreender isso, achei


mui pesada tarefa para mim. Era muito doloroso
para o salmista pensar nisso, doloroso demais
para falar dele; e ainda doloroso demais para ele
segurar a língua.
36
17. Até que entrei no santuário de Deus e atinei
com o fim deles. Quando ele chegou perto de
seu Deus, quando ele entrou no Santo Lugar, e
comungou com o Senhor, então ele viu qual
seria o fim dos ímpios. Ah, que diferença faz
quando olhamos para o ímpio do ponto de vista
correto! “Então entendi o fim deles.”

18. Tu certamente os pões em lugares


escorregadios e os fazes cair na destruição.
Quando chega a hora, eles são arremessados das
alturas escorregadias para as terríveis
profundezas abaixo.

19. Como ficam de súbito assolados, totalmente


aniquilados de terror! Quando os ímpios
chegam ao próximo mundo, onde estão suas
riquezas, onde estão suas festas, onde estão suas
alegres piadas, onde estão suas palavras
elevadas? Ouço: “Como eles são levados à
desolação, como em um momento! Eles são
totalmente consumidos de terrores.”

20. Como ao sonho, quando se acorda, assim, ó


Senhor, ao despertares, desprezarás a imagem
deles. Quando um homem acorda, seu sonho
acabou e se foi. Quando Deus desperta para o
julgamento e trata de homens ímpios, todos os
que prosperaram na maldade se desfarão, como
o tecido sem base de um sonho.
37
21, 22. Quando o coração se me amargou e as
entranhas se me comoveram, eu estava
embrutecido e ignorante; era como um
irracional à tua presença. Pois o animal mede
apenas o dia e a hora, até onde seus olhos podem
ver. Dê-lhe um prado profundo com grama e fica
perfeitamente feliz; mas quando homens bons
medem a cada dia, e por hora, e pela vida aqui
embaixo, eles são insensatos e como bestas
brutas.

23. Todavia, estou sempre contigo, tu me


seguras pela minha mão direita. Oh, que
misericórdia é isto para os crentes! Se somos
sempre tão pobres, estamos continuamente
com Deus. E se somos castigados todas as
manhãs? É claro que devemos estar com Deus
então, para uma correção, Deus deve estar
próximo. Todavia, estou sempre contigo, tu me
seguras pela minha mão direita. Mesmo quando
você me chicoteou. Em todo lugar você tem um
aperto para mim. Você me segura com a sua
mão direita. O salmista não inveja o ímpio agora;
ele subiu um estágio mais alto do que há pouco
tempo atrás.

24, 25. Tu me guias com o teu conselho e depois


me recebes na glória. Quem mais tenho eu no
céu? Não há outro em quem eu me compraza na
terra. Agora ele encontra em Deus suas
38
riquezas, sua alegria, sua prosperidade, sua
porção.

26, 27. Ainda que a minha carne e o meu coração


desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e
a minha herança para sempre. Os que se
afastam de ti, eis que perecem; tu destróis todos
os que são infiéis para contigo. Amar o mundo,
amar as riquezas, amar o pecado, amar a si
mesmo, isso é ser infiel à nossa aliança
matrimonial com Deus; deixe que tal conduta
nunca seja nossa.

28. Quanto a mim, bom é estar junto a Deus; no


SENHOR Deus ponho o meu refúgio, para
proclamar todos os seus feitos. Assim, você vê
que o salmista desceu às profundezas, mas ele
subiu novamente, e seu coração se alegrava no
Senhor seu Deus. Assim pode ser com qualquer
um de nós que, como ele, tenha sido invejoso
dos tolos, quando vimos a prosperidade dos
ímpios.

39