Anda di halaman 1dari 5

UNIDADE 5: Jesus antes da atividade pública

UNIDADE 5: Jesus antes da atividade pública

OBJETIVOS

Nesta unidade vamos nos ocupar com a vida de Jesus antes do seu
ministério público. Veremos informações disponíveis sobre local e
data de nascimento, significado do nome, língua, formação, profissão
e família.

Local de nascimento

De acordo com o Evangelho de Lucas, a família de Jesus morava em Nazaré


e foi para Belém por causa de um censo. Jesus teria nascido durante essa estadia
de Maria e José em Belém. O Evangelho de Mateus não fala sobre o censo e dá a
entender que a família de Jesus morava em Belém e que se mudou para Nazaré
somente depois da fuga para o Egito. Abra a sua Bíblia e confira as duas versões
em Lc 2.1-7 e Mt 2.19-23.

Apesar das diferenças, os dois evangelhos concordam que Jesus nasceu em


Belém. Essa é a tradição que a igreja cristã assumiu e que cultiva até hoje. A
localização do nascimento de Jesus em Belém aponta para o cumprimento de uma
profecia: “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milha-
res de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os
tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Miquéias 5.2).

Jesus cresceu e deve ter passado a maior parte de sua vida em Nazaré. Mais
tarde, quando começou a anunciar a mensagem do reino de Deus, possivelmen-
te passou a morar em Cafarnaum.

Data de nascimento

As primeiras comunidades cristãs não se preocuparam com informações


sobre o nascimento de Jesus. Elas estavam mais interessadas em anunciar ao
mundo que Jesus era o enviado de Deus que trouxe a possibilidade de reconcilia-
ção e salvação. Além disso, sabemos que os evangelhos não foram escritos como
registros históricos da atividade de Jesus. Então, o que podemos saber sobre o
nascimento de Jesus?

33
BLOCO 2: O que sabemos sobre Jesus

O Evangelho de Mateus relata que Jesus nasceu no tempo do rei Herodes (Mt
2.1). Esse Herodes, também conhecido como “Herodes Magno”, era o pai de Herodes
Antipas, Arquelau e Filipe, conforme vimos na Unidade 1. Sabemos que Herodes
faleceu no ano 4 a.C. E se Jesus era pequeno quando Herodes faleceu (Mt 2.19),
podemos dizer que ele nasceu provavelmente por volta do ano 6 a.C.

Mas os anos do calendário não são contados a partir do nascimento de


Jesus? Como é que Jesus pode ter nascido no ano 6 a.C. (antes de Cristo)? Em
primeiro lugar, é preciso saber que a forma atual de contagem dos anos surgiu
muito tempo depois de Jesus. Quando Jesus nasceu, no Império Romano vigora-
va o calendário romano. Esse calendário marcava o tempo a partir da fundação
de Roma. Mas havia também outros sistemas de contagem de anos.

Como surgiu o nosso calendário? No ano de 525 (do nosso calendário), o mon-
ge Dionísio foi encarregado pelo Papa João I de fixar a data da Páscoa e calcular a
data do nascimento de Jesus. De acordo com os cálculos feitos por Dionísio, Jesus
teria nascido no ano 753 da fundação de Roma. O ano de 754 seria, então, o primei-
ro ano da era cristã. Os acontecimentos depois do nascimento de Jesus passaram a
ser datados com a sigla A.D. (Anno Domini = ano do Senhor) ou d.C (depois de
Cristo). Os anos anteriores ao nascimento de Jesus receberam a sigla a.C. (antes de
Cristo) e são contados de trás para frente.

Apesar do seu grande conhecimento, Dionísio cometeu um erro de cálcu-


lo. Outros estudos mostraram que Jesus nasceu alguns anos antes do que foi
calculado como início da era cristã. Esse erro não pode mais ser reparado. O
calendário proposto por Dionísio é utilizado mundialmente, inclusive em paí-
ses em que a maioria não é cristã. Pense na confusão que daria corrigir o calen-
dário: todos os registros históricos teriam que ser mudados, inclusive a data do
seu nascimento!

34
UNIDADE 5: Jesus antes da atividade pública

Saiba mais
Assim como em relação ao ano, também não há indicações exa-
tas sobre o dia do nascimento de Jesus. O dia 25 de dezembro
como dia do nascimento começou a ser celebrado pela igreja
cristã apenas a partir da metade do século IV. No hemisfério
Norte, os dias começam a ficar mais longos e as noites mais
curtas a partir do dia 25 de dezembro. Nessa data acontecia en-
tão a festa ao deus Sol, que celebrava a vitória da luz sobre as
trevas. As comunidades cristãs assumiram essa data para co-
memorar o nascimento de Jesus porque consideravam Jesus o
verdadeiro “sol da justiça” (Ml 4.2), que ilumina todos os povos
(Lc 2.32).
A data exata do nascimento não é fundamental para a fé cristã,
mas a existência histórica, a atuação e a mensagem de Jesus.

Significado do nome

O nome “Jesus” provém do nome hebraico Jeschua (ou Jeschu) e significa


“Deus ajuda” ou “Deus salva”. Jesus era um nome muito comum entre os judeus.
Nos escritos do historiador Flávio Josefo encontramos em torno de vinte homens
com esse nome. O complemento “Nazareno” ou “de Nazaré” não é um sobrenome,
mas uma maneira de diferenciar Jesus de outras pessoas com o mesmo nome.
“Nazareno” significa que Jesus provém de Nazaré. Também a palavra “Cristo” não é
um sobrenome, mas um título que foi incorporado mais tarde ao nome Jesus. Esse
título tem sua origem na língua hebraica e significa “ungido” ou “messias”.

Língua e formação

Alguns relatos dos evangelhos indicam que Jesus não apenas lia as Escri-
turas hebraicas, mas também interpretava e debatia sobre seu significado. Mui-
tas pessoas viam Jesus como um mestre (Mt 9.11; 12.38; 19.16; 22.16; 26.49; Mc
5.35; 9.17). Ser chamado de mestre ou rabi não indica que Jesus teve uma forma-
ção específica, mas que as pessoas reconheciam sua capacidade de argumentar,
debater e ensinar. O fato de ter um grupo de discípulos também fazia com que
Jesus fosse visto como um mestre.

Possivelmente o conhecimento básico das Escrituras veio de casa, uma vez


que a família era um espaço fundamental para a instrução das tradições religio-

35
BLOCO 2: O que sabemos sobre Jesus

sas. Em Nazaré havia uma sinagoga, onde era feita a leitura e interpretação da
Lei e dos profetas. A sinagoga também poderia ser um local onde se aprendia a
ler e a escrever.

Mesmo que Jesus não tivesse uma educação formal, como deixa transparecer
Jo 7.15, ele tinha certo grau de alfabetização. Provavelmente Jesus falava aramaico,
a língua mais comum na Galiléia, e sabia também o hebraico, a língua do Antigo
Testamento. Talvez ele ainda conhecesse um pouco de grego, que era uma lín-
gua muito difundida na época.

Profissão

De acordo com o Evangelho de Marcos, Jesus exercia a profissão de carpin-


teiro antes de iniciar sua atividade como mensageiro do reino de Deus (Mc 6.3).
A versão do Evangelho de Mateus fala em filho de carpinteiro (Mt 13.55). Não
importa se originalmente foi dito “carpinteiro” ou “filho do carpinteiro”, pois os
filhos normalmente seguiam a profissão dos pais. Não há, portanto, razões para
duvidar de que Jesus tivesse sido carpinteiro.

Jesus também tinha bastante familiaridade com a agricultura. Vários textos


falam sobre plantio e colheita (Mt 13.4-9, 24-30; Mc 4.26-29; Mt 12.1), ferramentas
(Lc 9.62), animais (Mt 6.26; 8.20; 9.36; 10.16; 18.12-24; 23.33) e organização do
trabalho (Mt 20.1-16). Possivelmente Jesus fabricava e consertava ferramentas para
a agricultura e por isso tinha conhecimento do assunto.

Saiba mais
Nos dias de hoje, carpinteiro é aquela pessoa que trabalha com
montagem de estruturas e vigamentos de madeira. O carpintei-
ro da época de Jesus não se ocupava apenas com madeira, mas
trabalhava também com pedras. Entre as várias atividades de
um carpinteiro na época de Jesus podem ser citadas: fabricação
de peças de mobiliário; arados e estruturas de madeira; ferra-
mentas e cangas de animais; construção de portas, casas e re-
presas; conserto de selas. Ou seja, a atividade de um carpinteiro
na época de Jesus era bem diferente da atividade de um carpin-
teiro hoje. Possivelmente essa profissão exigia várias habilida-
des e alguma força física. Não era uma profissão com a qual se
pudesse ficar rico, o que coloca Jesus entre as classes sociais
mais baixas.

36
UNIDADE 5: Jesus antes da atividade pública

A família de Jesus

Não dispomos de muitas informações a respeito da família de Jesus. Sobre


José temos, além do nome, a indicação de que era carpinteiro (Mt 13.55). Quan-
do Jesus começa a atuar como pregador itinerante, José não aparece mais. Uma
possibilidade para esse silêncio a respeito de José é que ele já estivesse morto.
Maria, por outro lado, ainda era viva no início das comunidades cristãs (At 1.14).

Os evangelhos indicam-nos que Jesus tinha irmãos e irmãs. De acordo com


Marcos 6.3, os irmãos de Jesus chamavam-se Tiago, José, Judas e Simão. Esse
mesmo texto de Marcos também fala em irmãs: “E não vivem aqui entre nós
suas irmãs?”. A partir dessas informações, podemos dizer que Jesus tinha pelo
menos quatro irmãos e duas irmãs.

Possivelmente alguns familiares de Jesus não compreendiam nem concor-


davam com sua decisão de sair por aldeias e povoados anunciando a vinda do
reino de Deus. Em Mc 3.21, os parentes acham que Jesus está “fora de si”, e Jo
7.5 diz que nem os seus irmãos criam nele. Mais tarde, porém, vemos a mãe de
Jesus e seus irmãos na comunidade cristã (At 1.14; 1Co 9.5).

Jesus deixou sua família e chamou


discípulos ao seguimento. Isso implicava
deixar para trás família e trabalho (Mt 4.20).
Surge uma nova família: “qualquer que fizer a vontade
de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe” (Mc 3.35).
Como você entende esse abandono da família,
considerando também o mandamento de honrar pai e mãe?

37