Anda di halaman 1dari 19

CAPÍTULO 3 – Volume 1

FLEXÃO NORMAL SIMPLES


Dimensionamento de Seções Retangulares

Prof. José Milton de Araújo - FURG 1

3.1 - Hipóteses básicas do dimensionamento


ƒ Hipótese das seções planas
ƒ Aderência perfeita
ƒ Despreza-se a resistência à tração do concreto

3.2 - Diagramas tensão-deformação dos materiais


σc
Concreto σs Aço
0,85fcd
fyd

Es
parábola
1
εyd εs
εo εu εc
Es=200GPa = 20000kN/cm2

Prof. José Milton de Araújo - FURG 2


Diagrama parábola-retângulo
Módulo tangente
⎡ ⎛ ε ⎞n ⎤ na origem:
σc = 0,85 f cd ⎢1 − ⎜⎜1 − c ⎟⎟ ⎥ , se ε c ≤ ε o
⎢ ⎝ εo ⎠ ⎥
⎣ ⎦ Ec, par =
0,85nf cd
σc = 0,85 f cd , se ε o ≤ ε c ≤ ε u εo

σ c = 0 , se ε c > ε u derivando

Parâmetros do diagrama parábola-retângulo


f ck (MPa) ≤ 50 55 60 70 80 90
ε (o )
o oo
2,0 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6

ε u ( o oo ) 3,5 3,1 2,9 2,7 2,6 2,6


n 2,0 1,75 1,6 1,45 1,4 1,4
Parábola do segundo grau

Prof. José Milton de Araújo - FURG 3

Equações dos parâmetros do diagrama:

ε o (o oo ) = 2,0 , se f ck ≤ 50 MPa
ε o (o oo ) = 2,0 + 0,085( f ck − 50)0,53 , se f ck > 50 MPa

ε u (o oo ) = 3,5 , se f ck ≤ 50 MPa
4
⎛ 90 − f ck ⎞
( )
ε u o oo = 2,6 + 35⎜ ⎟ , se f ck > 50 MPa
⎝ 100 ⎠

n = 2,0 , se f ck ≤ 50 MPa
4
⎛ 90 − f ck ⎞
n = 1,4 + 23,4⎜ ⎟ , se f ck > 50 MPa
⎝ 100 ⎠

Prof. José Milton de Araújo - FURG 4


60 32

Módulo tangente Ec,par (GPa)


50 fck=90 MPa
Tensão σc (MPa) 28

40 fck=60 MPa
24
fck=50 MPa
30

20
20 fck=30 MPa

16
10
Grupo I Grupo II

0 12
0 1 2 3 4 20 30 40 50 60 70 80 90
Deformação εc (por mil) Resistência fck (MPa)

Incoerência: o módulo diminui com o crescimento da resistência para


fck>50 MPa.
Por isso, esse diagrama não serve para calcular deformações
(dimensionamento de pilares esbeltos, por exemplo). Ele só serve para
o dimensionamento de seções transversais.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 5

3.3 - Domínios de dimensionamento

Reta a: tração simples. Reta b: compressão simples


Flexo-tração: domínios 1, 2, 3 e 4.
Flexo-compressão: domínios 2, 3, 4, 4a e 5.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 6


Rcc

Md Equilíbrio em flexão simples


Z

Rsd

Domínios de
dimensionamento na
flexão simples

Prof. José Milton de Araújo - FURG 7

ƒ Peças subarmadas: rompem no domínio 2. A ruptura ocorre por


deformação excessiva da armadura (ruptura convencional) sem
haver o esmagamento do concreto.
A ruptura é dúctil ou com aviso prévio (intensa fissuração).

ƒ Peças normalmente armadas: a ruptura ocorre no domínio 3,


com esmagamento do concreto e com escoamento da armadura. O
tipo de ruptura é semelhante ao das peças subarmadas.

ƒ Peças superarmadas: a ruptura ocorre no domínio 4. O aço não


escoa e a ruptura ocorre por esmagamento do concreto.
A ruptura é frágil, brusca ou sem aviso prévio. Essas peças devem
ser evitadas (com o emprego de armadura dupla).

Prof. José Milton de Araújo - FURG 8


3.4 - Diagrama retangular para o concreto
cd

x x

h
σ cd = α c f cd

Deformações Distribuição das tensões no concreto

α c = 0,85 , se f ck ≤ 50 MPa (seções


⎡ ( f ck − 50)⎤ retangulares em
α c = 0,85⎢1 − ⎥ , se f ck > 50 MPa flexão normal,
⎣ 200 ⎦ por exemplo);
Se a largura diminuir, multiplicar αc por 0,9 (seção circular).
λ = 0,8 , se f ck ≤ 50 MPa
( f ck − 50)
λ = 0,8 − , se f ck > 50 MPa
400
Prof. José Milton de Araújo - FURG 9

3.5 - Momento limite para seções retangulares


com armadura simples

b = largura
Md linha
h = altura
h neutra
As d d = altura útil

As = área da seção da
b armadura tracionada

Prof. José Milton de Araújo - FURG 10


ƒ Dimensionamento com ênfase na ductilidade
u

lim b

região que deve


ser evitada

o yd
oo

ƒ Devem-se considerar apenas o domínio 2 e parte do domínio 3. A


porção final do domínio 3 deve ser evitada, para garantir que o aço
entre em escoamento com certa folga.
ƒ Com esse procedimento, garante-se que a estrutura apresentará
aviso da ruptura, através de grandes aberturas das fissuras.
ƒ O dimensionamento deve ser feito impondo a condição x<=xlim.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 11

A) Análise linear sem redistribuição de momentos


Esse é o procedimento usual de projeto: os esforços solicitantes para
dimensionamento são obtidos através de uma análise elástica linear.

Critério do CEB/90:

A profundidade relativa da linha neutra, ξ lim = x lim d , deve ser


limitada aos valores

ξ lim = 0,45 , se f ck ≤ 35 MPa (3.5.1)

ξ lim = 0,35 , se f ck > 35 MPa (3.5.2)

NBR-6118: adota esses mesmos valores de ξlim, porém com a


diferenciação em fck=50 MPa (critério menos rigoroso).

Prof. José Milton de Araújo - FURG 12


B) Análise linear com redistribuição de esforços
ƒ Neste caso, os momentos negativos nos apoios internos das vigas
contínuas são reduzidos para facilitar a armação. Se o momento
negativo elástico é M, pode-se fazer a redução para βM, onde β<1.
ƒ É necessário corrigir todo o diagrama de momentos fletores, esforços
cortantes e reações de apoio (redistribuições de esforços).
ƒ Para as seções dos apoios internos, devem-se considerar os limites
abaixo.
Critério do CEB/90:
ξ lim = 0,8β − 0,35 , se f ck ≤ 35 MPa (3.5.3)

ξ lim = 0,8β − 0,45 , se f ck > 35 MPa (3.5.4)

O CEB impõe a restrição β ≥ 0,75 para as vigas contínuas.

Se β=1, obtêm-se as equações anteriores.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 13

Tensões na seção
transversal

lim cclim

Momento solicitante e
resultantes das dlim
lim
tensões

sd

Prof. José Milton de Araújo - FURG 14


Rcc lim = λbxlimσ cd Z lim = d − 0,5λxlim M d lim = Rcc lim Z lim
M d lim = λbxlim (d − 0,5λxlim )σ cd M
μ lim = 2d lim
bd σ cd
μ lim = λξ lim (1 − 0,5λξ lim )

Tabela 3.5.1 - Valores de ξ lim e μ lim


(para análise linear sem redistribuição de esforços)
Grupo I f ck ≤ 35 MPa 35 < f ck ≤ 50 MPa
ξ lim 0,45 0,35
μ lim 0,2952 0,2408
Grupo II C55 C60 C70 C80 C90
ξ lim 0,35 0,35 0,35 0,35 0,35
μ lim 0,2376 0,2344 0,2280 0,2215 0,2149

Prof. José Milton de Araújo - FURG 15

PROCEDIMENTO:
Md
ƒ dado o momento fletor solicitante M d , calcula-se μ=
bd 2σ cd

ƒ se μ ≤ μ lim , realiza-se o dimensionamento com armadura


simples;

ƒ se μ > μ lim , adota-se armadura dupla, fixando-se que x=xlim.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 16


3.6 - Dimensionamento com armadura simples

Md

h d
As

Seção transversal com


armadura simples

Rcc = λbxσ cd ; Z = d − 0,5λx ; Rsd = As f yd


Prof. José Milton de Araújo - FURG 17

ƒ Equilíbrio de momentos:

M d − Rcc Z = 0 ⇒ M d − λbx(d − 0,5λx )σ cd = 0


M
μ= 2d ; ξ =x d ⇒ 1 − 1 − 2μ
ξ= (1)
bd σ cd λ

ƒ Equilíbrio de forças:

Rsd = Rcc ⇒ As f yd = λbxσ cd


Substituindo x = ξ d ⇒ σ
As = λξ bd cd (2)
f yd

ƒ As equações (1) e (2) permitem resolver o problema.

ƒ A solução é única: há duas equações e duas incógnitas.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 18


3.7 - Dimensionamento com armadura dupla

Quando μ > μ lim :


d'

Três incógnitas: x , As e As′ .


h A's d
Duas equações de equilíbrio.
As

Solução usual:
fixamos x = xlim .
b

Prof. José Milton de Araújo - FURG 19

Deformações e resultantes das tensões na seção:


u
sd
a s
lim
cclim

d
lim

sd
o
oo s yd

xa εu x εu
= ⇒ ξa = a = Final do
d − x a 10 0 00 d ε u + 10 0 00 domínio 2

Só consideramos o caso xlim>xa.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 20


O dimensionamento com armadura dupla somente será considerado
para o caso em que ξ lim ≥ ξ a . Se for utilizado o recurso da
redistribuição de momentos, pode ocorrer que ξ lim < ξ a ,
dependendo do valor adotado para o coeficiente de redistribuição β .
Nesse caso, é recomendável aumentar as dimensões da seção
transversal, evitando-se o uso de armadura dupla no domínio 2.
Observa-se que essa situação nunca irá ocorrer se for adotado β = 1
(análise sem redistribuição de momentos).

⎛ x − d′⎞ xlim = ξ lim d ⎛ ξ lim − δ ⎞


ε s′ = ε u ⎜⎜ lim ⎟⎟ ε s′ = ε u ⎜⎜ ⎟⎟
⎝ x lim ⎠
d′ ξ
⎝ lim ⎠
δ=
d
ξ lim ≥ ξ a

Tensão na armadura: ′ = E s ε s′ ≤ f yd
σ sd ξ lim > δ

Prof. José Milton de Araújo - FURG 21

′ (kN/cm2) na armadura de compressão


Tabela 3.7.1 - Tensão σ sd
Concreto f ck ≤ 35 MPa 35 < f ck ≤ 50 MPa
δ CA-50 CA-60 CA-50 CA-60
0,01 43,48 52,17 43,48 52,17
0,02 43,48 52,17 43,48 52,17
0,03 43,48 52,17 43,48 52,17
0,04 43,48 52,17 43,48 52,17
0,05 43,48 52,17 43,48 52,17
0,06 43,48 52,17 43,48 52,17
0,07 43,48 52,17 43,48 52,17
0,08 43,48 52,17 43,48 52,17
0,09 43,48 52,17 43,48 52,00
0,10 43,48 52,17 43,48 50,00

Prof. José Milton de Araújo - FURG 22


Tabela 3.7.1 - Continuação
Concreto f ck ≤ 35 MPa 35 < f ck ≤ 50 MPa
δ CA-50 CA-60 CA-50 CA-60
0,11 43,48 52,17 43,48 48,00
0,12 43,48 51,33 43,48 46,00
0,13 43,48 49,78 43,48 44,00
0,14 43,48 48,22 42,00 42,00
0,15 43,48 46,67 40,00 40,00
0,16 43,48 45,11 38,00 38,00
0,17 43,48 43,56 36,00 36,00
0,18 42,00 42,00 34,00 34,00
0,19 40,44 40,44 32,00 32,00
0,20 38,89 38,89 30,00 30,00

Prof. José Milton de Araújo - FURG 23

ƒ Equilíbrio de momentos:

M d − Rsd′ (d − d ′) − Rcc lim Z lim = 0 M d − M d lim


As′ =
′ = As′ σ sd
M d lim = Rcc lim Z lim ; Rsd ′ (d − d ′)σ sd

(μ − μ lim )bdσ cd
As′ = (1)
Introduzindo os adimensionais ⇒ (1 − δ )σ sd

ƒ Equilíbrio de forças:

′ + Rcc lim ⇒
Rsd = Rsd As′ σ sd
′ + λbxlimσ cd
As =
f yd
Introduzindo (1) ⇒ ⎛ μ − μ lim ⎞ bd σ cd
As = ⎜ λξ lim + ⎟
⎝ 1 − δ ⎠ f yd
(2)
As equações (1) e (2) permitem resolver o problema.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 24


3.8 - Roteiro para o dimensionamento de seções
retangulares
Dados: b , h , d , d ′ ; f ck , f yk ; M k
Valores requeridos: As e As′

f ck f yk
1) f cd = ; σ cd = α c f cd ; f yd = ; M d = 1,4 M k
1,4 1,15
α c = 0,85 , se f ck ≤ 50 MPa
⎡ ( f ck − 50)⎤
α c = 0,85⎢1 − ⎥ , se f ck > 50 MPa
⎣ 200 ⎦
Md
2) μ=
bd 2σ cd

Prof. José Milton de Araújo - FURG 25

3) Sem redistribuição de esforços:


ξ lim = 0,45 , se f ck ≤ 35 MPa;
ξ lim = 0,35 , se f ck > 35 MPa
Com redistribuição: ξ lim é dado nas equações (3.5.3) e (3.5.4)

λ = 0,8 , se f ck ≤ 50 MPa

( f ck − 50)
λ = 0,8 − , se f ck > 50 MPa
400

μ lim = λξ lim (1 − 0,5λξ lim )

Os valores de ξ lim e de μ lim podem ser lidos diretamente da


tabela 3.5.1, para o caso β = 1 (sem redistribuição de esforços).

Prof. José Milton de Araújo - FURG 26


4) Se μ ≤ μ lim ⇒ armadura simples

1 − 1 − 2μ σ
ξ= ; As = λξ bd cd ; As′ = 0 .
λ f yd
5) Se μ > μ lim ⇒ armadura dupla

ε u (o oo ) = 3,5 , se f ck ≤ 50 MPa
4
⎛ 90 − f ck ⎞
( )
ε u o oo = 2,6 + 35⎜ ⎟ , se f ck > 50 MPa
⎝ 100 ⎠
d′ ⎛ξ −δ ⎞
δ= ; ε s′ = ε u ⎜⎜ lim ⎟⎟
d ξ
⎝ lim ⎠
′ = E s ε s′ ≤ f yd , onde Es = 20.000 kN/cm2
σ sd
Para concretos do Grupo I: ler σ sd
′ da tabela 3.7.1.
Prof. José Milton de Araújo - FURG 27

As′ =
(μ − μ lim )bdσ cd ;
(1 − δ )σ sd

⎛ μ − μ lim ⎞ bd σ cd
As = ⎜ λξ lim + ⎟ .
⎝ 1 − δ ⎠ f yd

Observação: Empregando redistribuição de momentos (β < 1) , se


εu
resultar ξ lim < ξ a = e, simultaneamente, μ > μ lim ,
ε u + 10 0 00
devem-se aumentar as dimensões da seção transversal. O mesmo
deve ser feito se ξ lim ≤ δ e μ > μ lim .

Prof. José Milton de Araújo - FURG 28


3.9 - Exemplos de dimensionamento

pk 4 Concreto: fck = 20 MPa


Aço: CA-50
40 A's 36
As
l=4m
Concreto do grupo I:
α c = 0,85 ; λ = 0,8
15cm

Cálculos preliminares:
f ck 20
f cd = = = 14,2 MPa ⇒ f cd = 1,42 kN/cm2;
1,4 1,4
σ cd = α c f cd = 0,85 f cd = 12,1 MPa; ⇒ σ cd = 1,21 kN/cm2;
f yk 50
f yd = = = 43,48 kN/cm2.
1,15 1,15

Prof. José Milton de Araújo - FURG 29

Exemplo 1: Carga de serviço pk=15 kN/m

p k l 2 15 x 4 2
Mk = = = 30 kNm (momento fletor de serviço)
8 8

M d = γ f M k = 1,4 x30 = 42 kNm (momento fletor de cálculo)

Md 4200
μ= = = 0,18 μ lim = 0,2952 (da tabela 3.5.1)
bd σ cd
2 2
15 x36 x1,21
μ ≤ μ lim ⇒ armadura simples
Solução:
1 − 1 − 2μ
ξ= = 0,25 As′ = 0
λ
As = 3,00 cm2
σ cd 1,21
As = λξ bd = 0,8 x0,25 x15 x36 x
f yd 43,48

Prof. José Milton de Araújo - FURG 30


Exemplo 2: Carga de serviço pk=35 kN/m

p k l 2 35 x 4 2 M d = γ f M k = 1,4 x70 = 98 kNm


Mk = = = 70kNm
8 8

Md 9800 μ lim = 0,2952


μ= = = 0,42
bd 2σ cd 15 x36 2 x1,21 ξ lim = 0,45
tabela 3.5.1
μ > μ lim = 0,2952 armadura dupla

d′ 4
δ= = ′ = 43,48 kN/cm2 (da tabela 3.7.1)
= 0,11⇒ σ sd
d 36
(μ − μ lim )bdσ cd ⎛
As = ⎜ λξ lim +
μ − μ lim ⎞ bdσ cd

As′ = ⎝ − δ ⎠ f yd
(1 − δ )σ sd
′ 1

Prof. José Milton de Araújo - FURG 31

As′ =
(0,42 − 0,2952)15 x36 x1,21 = 2,11 cm2
(1 − 0,11)43,48
⎛ 0,42 − 0,2952 ⎞ 15 x36 x1,21
As = ⎜ 0,8 x0,45 + ⎟ = 7,52 cm2
⎝ 1 − 0,11 ⎠ 43,48

Exemplo 3: Repetir o exemplo 2 com f ck = 70 MPa.

⎡ ( f ck − 50)⎤
α c = 0,85⎢1 − ⎥ = 0,77
⎣ 200 ⎦
( f − 50)
λ = 0,8 − ck = 0,75
400
f 70
f cd = ck = = 50,0 MPa
1,4 1,4
σ cd = α c f cd = 0,77 f cd = 38,5 MPa; ⇒ σ cd = 3,85 kN/cm2

Prof. José Milton de Araújo - FURG 32


Md 9800 Tabela 3.5.1
μ= = = 0,13 < μ lim = 0,2280
bd σ cd
2 2
15 x36 x3,85
Armadura simples

1 − 1 − 2μ
ξ= = 0,19
λ
σ cd 3,85
As = λξ bd = 0,75 x0,19 x15 x36 x = 6,81 cm2
f yd 43,48

3.11 - Cálculo da armadura mínima


ƒ Além do dimensionamento no estado limite último, deve-se especificar
uma área mínima da armadura tracionada para evitar uma ruptura
brusca da seção na passagem do estado não fissurado (Estádio I) para
o estado fissurado (Estádio II).
ƒ A armadura tracionada deve ser suficiente para absorver o momento
de fissuração Mr .

Prof. José Milton de Araújo - FURG 33

ƒ Seção de concreto simples no estádio I

σc
Rcc
h/2
h M Z

Rct
σct=σc

Equilíbrio ⇒ Rcc = Rct M = Rcc Z


bh 2 Quando σ ct = f ct ⇒ bh 2
Rct = σ ct ; Z = h Mr = f ct
4 3 6

Prof. José Milton de Araújo - FURG 34


ƒ Seção de concreto armado no estádio II
Mr
Equilíbrio: As ,min =
Rcc Z f yd

Mr Z
Substituindo Mr:
bh 2 f ct
As,min fyd As , min =
6 Z f yd
Adotando Z ≅ 0,83h ⇒ ⎛ ⎞
f
As,min = ⎜ 0,20 ct ⎟bh = ρ minbh
⎜ f yd ⎟
⎝ ⎠
f ct = f ctk , sup , onde f ctk ,sup = 1,3 f ctm .

0,078 f ck 2 3
ρ min = , se f ck ≤ 50 MPa
f yd
0,5512 ln (1 + 0,11 f ck )
ρ min = , se f ck > 50 MPa
f yd
1) f ck e f yd são dados em MPa 2) ρ min ≥ 0,15%
Prof. José Milton de Araújo - FURG 35

Tabela 3.11.1 - Taxas mínimas da armadura de flexão ρ min (%)


Concretos do Grupo I
f ck (MPa) 20 25 30 35 40 45 50
CA-50 0,15 0,15 0,17 0,19 0,21 0,23 0,24
CA-60 0,15 0,15 0,15 0,16 0,18 0,19 0,20
Concretos do Grupo II
f ck (MPa) 55 60 70 80 90
CA-50 0,25 0,26 0,27 0,29 0,30
CA-60 0,21 0,21 0,23 0,24 0,25

Se a área da armadura tracionada, As, obtida no dimensionamento for


inferior à área mínima, deve-se adotar As=As,min.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 36


Exemplos 1 e 2: fck=20 MPa

b=15 cm ; h=40 cm ; aço CA-50

0,15 0,15
ρ min = 0,15% As ,min = bh = x15 x 40 = 0,90 cm2
100 100
Esse valor é inferior aos obtidos pelo dimensionamento. Portanto, irão
prevalecer as armaduras efetivamente calculadas.

Exemplo 3: fck=70MPa

0,27 0,27
ρ min = 0,27% As ,min = bh = x15 x 40 = 1,62 cm2.
100 100

As = 6,81 cm2 é maior que As ,min . Logo, As = 6,81 cm2.

Prof. José Milton de Araújo - FURG 37