Anda di halaman 1dari 2

Cantando a Palavra

“Depois de terem cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras”.


Mateus 26:30

A escolha de repertório tem sido uma das mais árduas tarefas para aqueles que se
comprometem com a Escritura e com uma doutrina bíblica sadia.

Cada vez mais a dificuldade em escolher uma canção cresce! Mas, porquê?

A razão disso se dá pelo fato de que cada vez mais a igreja tem andado à margem das
escrituras e não em profunda reflexão. Os artistas e músicos cristãos perderam a essência
bíblica em seus escritos e, principalmente, o mercado da música tomou o lugar da bíblia em
ditar o que se canta dentro de uma comunidade.

É interessante observar que Cristo segue o padrão das Escrituras e da tradição judaica neste
texto de Mateus. Ele nos dá um grande exemplo de que devemos cantar as escrituras!

Esta passagem indica que eles cantaram juntos um conjunto de salmos conhecidos como
Hallel.

“A tradição judaica sugere que os Salmos 113-118 eram cantados na Páscoa. Os Salmos
113 e 114 eram cantados antes da refeição da Páscoa; os Salmos 115-118, depois. O Salmo
136, o Grande Hallel, era cantado no ponto mais alto da festa. Esta prática pode ser
refletida na ação de Jesus e de seus discípulos: "E, tendo cantado um hino, saíram para o monte
das Oliveiras" (Mateus 26:30). Certamente, nossa prática de cantar um hino antes da Ceia do
Senhor é recomendável. Acrescentar um hino depois seria ainda melhor. Talvez seis
cânticos de Aleluia não fossem demais”. (Melvin D. Curry – Salmos de Aleluia)

O verbo intransitivo ὑµνήσαντες (humnesantes - Cantaram, tendo cantado) é derivado


de Humnéo (cantar um hino), e denota a importância da canção como parte do devocional
cristão seja ele em comunidade ou sozinho. Mais ainda, sugere celebração ao Senhor!

Cantar a palavra é, antes de tudo, um dever que está acima da tradição! Por isso nossas
“exigências” passam pela questão de a música ser, principalmente, Cristocêntrica.

Mas, o que seria uma canção Cristocêntrica?

Uma canção cristocêntrica não é aquela que traz o nome de Cristo em sua composição
apenas, mas toda e qualquer canção que traga em si a essência do Cristo!

Não é o nome de Jesus escrito nela, mas a essência da mensagem que a torna
Cristocêntrica! A canção precisa ter o que dizer. Sobretudo, precisa dizer o que Jesus disse!
Ela precisa apontar para o que Cristo apontava: o Seu Reino!

Apenas repetir versículos bíblicos também não é cantar a palavra. Cantar a palavra é
compreender a essência das escrituras e sua aplicação diária além da canção.
Lembre-se: nossa canção precisa ter caráter didático, além de devocional.

“Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros
com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em
seus corações”.
Colossenses 3:16

Portanto, ao escolher canções para o repertório do próximo encontro, perceba o quanto de


Cristo há em suas canções e escolhas. Observe e avalie quais músicas carregam a mensagem
de esperança e salvação em sua aplicação.

Soli Deo Gloria

“... falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração
ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso
Senhor Jesus Cristo”.
Efésios 5:19,20

Ósculos e Amplexos,
Samuca