Anda di halaman 1dari 2

UERGS – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIJUÍ – UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE


DO SUL

DETEC – DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA

CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

ENTREVISTA SOBRE CAD

CLÉBER FERNANDO HOMEM

DISCIPLINA DE CAD BÁSICO

PROFESSOR ANTONIO CARLOS VALDIERO

Panambi, 04 de março de 2004.


Identificação do Entrevistado

Profissional entrevistado: Eng. João Basso.

Empresa onde atua: MCAD Tecnologias.

Software utilizado: Pro Enginner Wildfire by PTC.

Questão 01 - Aplicações do software suas potencialidades:

O software em questão apresenta alto potencial para projetos mecânicos, sendo utilizado
por empresas tais como John Deere e AGCO, em todas as etapas do desenvolvimento de produto.
Apresenta funcionalidade em diversas áreas, tais como projeto de moldes, peças injetadas,
conformação de chapas, usinagem, montagens e análises mecânicas. Destaque-se também o
serviço de suporte técnico local e o acesso a suporte on-line do fabricante do software.

Dentre as suas potencialidades citamos:

1. Conferência entre usuários a longas distâncias;


2. Modelamento paramétrico de sólidos e superfícies;
3. Análise estrutural;
4. Análise térmica;
5. Análise de fadiga;
6. Análise de mecanismos;
7. Análise comportamental;
8. Usinagem para fresa;
9. Usinagem para torno;
10. Usinagem para eletro-erosão a fio;
11. Usinagem para chapas (oxicorte, laser e puncionadeira);
12. Ferramenta para design de produto;
13. Renderização básica e avançada;
14. Superfícies avançadas;
15. Ferramentas para engenharia reversa;
16. Ferramenta completa para instituição de ensino;
17. Recursos no portal na Universidade PTC - treinamentos e vídeos.

Questão 02 – Há quanto tempo é utilizado e informações complementares.

Embora seja utilizada por grandes empresas em outras regiões do Estado, esta ainda é
uma tecnologia recente em nossa região, havendo insuficiência de mão de obra capacitada.
Também identificamos ausência de material de apoio em português.

Além disso, ainda encontramos dificuldades na integração com alguns softwares de


simulação (FEA). Por exemplo, o ANSYS. Isso ocorre pelo fato de que algumas versões do ANSYS
estão limitadas a uma versão específica do Pro/ENGINEER.