Anda di halaman 1dari 1

Introdução

Enzimas são substâncias proteicas orgânicas que na maioria das vezes são capazes
de realizar catalise em uma reação química. Elas podem acelerar uma reação que poderia
durar muito tempo para acontecer no organismo. O poder catalítico da enzima relaciona
a velocidade das reações com a energia despendida para que elas aconteçam. Quando se
tem a presença de uma enzima catalisadora, é de praxe acontecer uma reação muito mais
rápida que o normal com uso menor de energia. Elas regem todo o funcionamento interno
da célula, favorecendo o metabolismo anabólico e o catabólico, como o lado esterno da
membrana fazendo como que sinalizadores catalíticos estimulantes ou inibitórios atuantes
em outras células, por exemplo os hormônios. Existem vários tipos enzimáticos que se
estendem por todo o corpo humano fazendo regulação de vias metabólicas. As enzimas
para funcionarem precisam de um substrato que faça uma ligação que dará a formação de
uma enzima + produto.
A enzima interfere na velocidade a que a reação ocorre e não no seu equilíbrio,
recuperando o seu estado inicial no final da reação. [3] A atividade catalítica de uma
enzima está dependente da sua conformação nativa, isto é, do seu arranjo tridimensional
que pode ser afetado por fatores como o pH e a temperatura. Assim, cada enzima
apresenta uma gama de condições fisiológicas para as quais a sua atividade é máxima, as
condições óptimas de funcionamento da enzima.
Muitas vezes a enzima se liga a um substrato especifico que é conhecido um
encaixe perfeito para ela, outra forma de ligação é a afinidade onde o substrato tem o
desejo de se encaixar na enzima, porem em alguns casos um substrato pode se ligar e
inativar a enzima. Para ocorrer esse processo de catalise da enzima ela precisa estar em
um ambiente estável com temperatura ideal, pH ideal e condição osmótica ótima. Esses
fatores fazem com que ela possa fazer suas reações com mais intensidade e por fim
acelerar as reações.